01 - Baseconceitual

Click here to load reader

  • date post

    03-Sep-2014
  • Category

    Documents

  • view

    3.001
  • download

    0

Embed Size (px)

description

 

Transcript of 01 - Baseconceitual

  • Pesquisa com Usurios 1 ROBSON SANTOS
    • FACILITADOR
    Robson santos Robson Santos designer, doutor em Design e mestre em Design, ambos pela PUC-Rio, com nfase em Ergonomia e Usabilidade da Interao Humano-computador. Pesquisador e docente em cursos de graduao e de ps-graduao, tambm atua como consultor independente na rea de projeto e desenvolvimento de produtos baseados em princpios de Ergodesign e Usabilidade.
    • OBJETIVOS
    • Promover o valor da Ergonomia e do projeto centrado no usurio.
    • Oferecer ferramental para levantamento de dados de usurios .
    • AGENDA DO WORKSHOP
    • Base conseitual
    • Pesquisa qualitativa e pesquisa quantitativa
    • Observaes
    • Inquiries e entrevistas
    • Grupos de foco
    • Outras tcnicas
    • Base conceitual
  • Base conceitual
  • Base conceitual
  • ergon + nomos Estes termos gregos denominam a cincia do trabalho. Base conceitual
    • A Ergonomia leva em conta fatores :
    • fsicos
    • cognitivos
    • sociais
    • organizacionais
    • ambientais
    • outros fatores relevantes
    Base conceitual
    • A Ergonomia est interessada em utilizar as cincias para melhorar as condies de trabalho humano.
    Base conceitual
  • TRABALHADOR/ CONSUMIDOR/ USURIO LOCAL DE TRABALHO/ CONTEXTO ORGANIZAO DO TRABALHO/ TAREFA Base conceitual
    • Projeto Centrado no Usurio:
    • ajuda a aumentar a velocidade de produo .
    • ajuda a diminuir a incidncia de erros .
    • Aumentar a eficincia das ferramentas usadas aumenta a produtividade do negcio como um todo.
    Base conceitual
    • Tarefas
    • Usuarios
    • contextos
  • TAREFAS Tarefa como um objetivo a ser atingido ou como um resultado a obter. A tarefa de um digitador realizar entrada de dados em um banco de dados e a tarefa de um atendente de telemarketing propiciar o contato entre a empresa e seus clientes. Base conceitual
  • TAREFAS Os operadores de nossos exemplos precisam de meios para atingir seus objetivos, ou realizar suas tarefas: o digitador necessita de um computador e de acesso ao sistema de entrada de dados, enquanto que para o atendente de telemarketing necessrio aparelho de telefone e computador com dados dos clientes. Base conceitual
  • TAREFAS Para que a tarefa seja executa necessrio, ainda, um conjunto de aes que chamamos atividades. So os gestos como atender o telefone, discar o nmero do cliente, tocar o teclado com os dedos e os deslocamentos como sentar-se. Tambm existem as atividades mentais, onde so tomadas decises. Base conceitual
  • USURIOS Ao se adotar a abordagem de projeto centrado no usurio, em que se considera o ser humano como elemento fundamental, a tecnologia deve servir para atender as necessidades e caractersticas e humanas. Neste sentido, h que se destacar que a tecnologia no existe isoladamente, h o usurio que influenciado por ela e que tambm a influencia em um ciclo iterativo de uso. Base conceitual
  • USURIOS A abordagem de projeto centrado no usurio assume que a pessoa que controla o sistema, que o opera, que dirige o seu curso e monitora as suas atividades. Base conceitual
  • USURIOS As pessoas trazem para o sistema um conjunto de fraquezas e qualidades inerentes, como incluindo experincias, expectativas, motivao e assim por diante. O entendimento dessas caractersticas contribui para a melhoria do sistema, a partir da adoo de critrios como eficincia e segurana. Base conceitual
  • USURIOS Os usurios devem ser envolvidos no projeto para que seja resolvido um problema de comunicao, pois o propsito de uma interface comunicar com o usurio, entretanto, projetistas e usurios tm preocupaes e repertrios um pouco diferentes. Base conceitual
  • USURIOS Por isso, muito difcil para o projetista predizer que efeito determinada deciso de projeto ter no comportamento do usurio. O desenvolvimento de produto centrado no ser humano o processo que se inicia com usurios e suas necessidades ao invs de se iniciar com a tecnologia. Base conceitual
  • CONTEXTO DE USO Podemos definir contexto como sendo um conjunto de elementos, onde se destacam: o ambiente fsico, a tecnologia utilizada, alm da motivao. Assim, contexto sempre algo maior dentro do qual as pessoas utilizam determinados produtos ou websites. Base conceitual
  • Contexto de uso Amanda passou a manh de sbado no clube com as amigas e fizeram vrias fotos com sua cmera fotogrfica digital. tardinha, j em casa, decide enviar as fotos com as outras meninas e escolhe um famoso website para compartilhamento de imagens. Como Amanda sempre usa esse website, j tem nome de usurio e senha cadastrados, ento rapidamente conecta a cmera digital ao computador por meio de um cabo, transfere as imagens para o disco rgido e, em seguida, as enviar para o servidor que atualiza as imagens quase que imediatamente na tela. Ento Amanda escreve um e-mail para suas amigas onde insere um link para que todas vejam as imagens. Base conceitual
  • Contexto de uso s nove da manh Marcos sai de casa apressado e, em cerca de 30 minutos, chega na empresa. Sabe que durante a tarde dever participar de duas reunies, ento ter tempo para almoar por perto do prio onde trabalha, apesar de saber que precisa pagar duas importantes contas. Acessa o website de seu banco, entra na rea restrita, por meio de seu nome de usurio e de sua senha. O telefone toca e ele precisa solucinar uma dvida simples com o um cliente. Aps o telefonema, volta ao website do banco e percebe que precisa redigitar nome de usurio e senha pois, por razes de segurana, depois de alguns minutos de inatividade o acesso restrito precisa ser reiniciado. Consegue realizar os pagamentos por meio da digitao do cdigo de barra e de uma nova senha para operaes bancrias como pagamentos e transferncias. Ele grava os comprovantes de pagamento e os envia para seu endereo de e-mail domstico. Base conceitual
  • Contexto de uso Assim, o contexto determina fortemente a maneira como as tarefas so realizadas e deve ser bem conhecido e bem entendido compreendido por qualquer pessoas que pretenda realizar um estudo de usabilidade. Base conceitual
    • Experiencia do usuario
    • A atuao do designer est relacionada construo de prticas sociais , de smbolos e de preferncias .
    • O desenvolvimento de produto centrado no ser humano o processo que se inicia com os usurios e com suas necessidades .
    motivao
    • analisar a natureza cambiante do design na era ps-industrial
    • pesquisar a resposta dos movimentos contemporneos s necessidades do usurio
    • revisar o desenvolvimento dos processos e mtodos de design que direcionam explicitamente as necessidades do usurio
    • estudar abordagens de projeto sensveis ao usurio
    • redefinir o design em termos de experincia do usurio e no apenas de forma fsica
    necessrio: Base conceitual
    • PROJETAR PARA A EXPERINCIA DO USURIO
    • As filosofias e abordagens de projeto desde a industrializao acabaram por sucumbir diante da demanda do pblico consumidor e diante de um cenrio de alta competitividade entre as organizaes que visam o lucro.
    Base conceitual
    • O QUE UMA EXPERINCIA ?
    • Todas as situaes vividas pelas pessoas colaboram para formar experincias.
    • Desta forma, de um ponto de vista tcnico, tudo uma experincia em algum sentido .
    Base conceitual
    • H alguns elementos que contribuem para experincias que so reconhecveis e reprodutveis, desta forma, so tambm projetveis .
    • (Shedroff, 2001)
    Base conceitual
    • Projetar para a experincia uma abordagem que possui limites mais amplos que o design tradicional e que se esfora para criar experincias , ao invs de simples produtos ou servios.
    • Outro aspecto desta abordagem a criao do relacionamento com o indivduo , ao invs do relacionamento com um mercado de massa.
    Base conceitual
    • Toda experincia composta por 3 estgios bem definidos:
    Base conceitual
    • A ATRAO necessria para iniciar a experincia.
    O ENGAJAMENTO a experincia em si. A CONCLUSO deve apresentar alguma resoluo. Base conceitual
    • Tambm, possvel que haja uma EXTENSO da experincia.
    Base conceitual
    • Projetar para a experincia significa criar para o usurio um contexto integrado de mdias e de situaes onde ele possa ter contato com o tema tratado.
    • importante compreender que um projeto de experincia deve envolver elementos que atuem como competidores pela ateno dos participantes.
    Base conceitual
  • Experincia do usurio: como o produto se comporta e usado no mundo real. Base conceitual
  • Experincia do usurio trata de como um produto funciona por fora, onde uma pessoa entra em contato com ele e com ele realiza um trabalho. Base conceitual
    • Experincias so participativas .
    • Experincias so imersivas .
    • Experincias explicitam estados de humor .
    • Deve-se projetar experincias , ao invs de produtos.
    • Tudo deve ser projetado, e no deixado ao acaso.
    • Levantamento de requisitos de usurios deve ser feito sob nova abordagem.
    Base conceitual
    • Projetar para a experincia representa uma nova fronteira a ser atingida pelos projetistas de mdia digital.
    • necessria a integrao de diversas reas como o marketing, o design, a psicologia, a ergonomia e tantas quantas forem necessrias para a criao de experincias positivas .
    Base conceitual
    • Para o designer, compreender que todos reagimos ao significado das coisas, ao invs de a suas qualidades fsicas, amplia suas possibilidades de atuao, e, conseqentemente, aumentam suas responsabilidades como agente na criao de artefatos carregados de significados .
    Base conceitual
  • O que experincia
    • Experincia o conhecimento que nos transmitido pelos sentidos e pela conscincia.
    • Experincia externa indica o que conhecemos por meio dos sentidos corpreos, externos.
    • Experincia interna indica o conhecimento de estados interiores que obtemos atravs de nossa conscincia.
    Base conceitual
    • Pesquisa qualitativa
    • e
    • Pesquisa quantitativa
    • Pesquisa um conjunto de atividades orientadas para a busca de um determinado conhecimento.
    Base conceitual
  • Com a pesquisa quantitativa se deseja obter dados objetivos e mensurveis a respeito do uso de uma interface ou de um sistema. Com esses dados possvel quantificar, por exemplo, o grau de satisfao do usurio por meio de um tratamento estatstico. Base conceitual
  • A pesquisa qualitativa , por sua vez, gera resultados que no podem ser obtidos por meio de procedimentos estatsticos. O levantamento qualitativo visa coletar dados que permitam uma anlise flexvel das atitudes, motivaes, sensaes e do contexto de uso. Base conceitual
  • Os dados qualitativos, de maneira geral, apresentam-se na forma de palavras que descrevem sentimentos e informaes de nvel cognitivo relacionados utilizao de interfaces de aplicativo. Base conceitual
  • Todo fenmeno qualitativo dotado tambm e naturalmente de faces quantitativas e vice-versa. Entre qualidade e quantidade no existe dicotomia, pois so faces diferenciadas do mesmo fenmeno. Mtodos qualitativos e quantitativos precisam ser tomados como complementares e como regra. Prope-se, ento, os conceitos de INTENSIDADE e EXTENSO . Base conceitual
  • QUALIDADE INTENSIDADE Dialtica no-linear Dinmica regular/rregular Criatividade Profunda, envolvente, participativa Subjetividade Emocional e individual Complexidade Multiplicidade e ambivalncia Perfectibilidade Inovao permanente Politicidade Negociao de potencialidades e oportunidades Processualidade Vir a ser permanente Base conceitual
  • SUBJETIVIDADE A comunicao se faz mais pelo que h de implcito do que pelo que dito explicitamente. Por isso sempre possvel entender o que o outro diz, mas nunca sabemos bem o que o outro quis dizer. Pois o outro tambm no sabe exatamente o que queria dizer, por conta de seu inconsciente e de todos os componentes implcitos de qualquer fala no-problemtica. Base conceitual
  • SUBJETIVIDADE A informao qualitativa no busca ser neutra ou objetiva , mas permevel argumentaco consensual crtica dentro do meio termo sempre difcil de exarar: num extremo estar o questionamento de tudo; no outro, a crena fcil em tudo sem atinar para o implcito e o contraditrio. Base conceitual
  • SUBJETIVIDADE A informao qualitativa resultado da comunicao discutida , na qual o sujeito pode questionar o que se diz, e o sujeito-objeto tambm. Ao entender o outro estou sendo mais fiel ao que o outro do que minha expectativa de interpretao. Base conceitual
  • SUBJETIVIDADE A rota qualitativa, sem desprezar a quantitativa, aposta em consensos possveis e provisrios em torno da informao, tomando a srio o processo de reconstruo. Base conceitual
  • SUBJETIVIDADE Uma pessoa entrevistada insiste em dizer que leva uma vida muito feliz, mas, na conversa, o entrevistador percebe que se trata de alegao duvidosa. Essa desconfiana pode emergir pelos silncios na fala, pelos exageros nas adjetivaes, pelo incmodo mostrado em torno do assunto, pela necessidade de fazer boa figura e assim por diante. O papel do entrevistador no ser, jamais, apenas o de anotar que ouve, mas literalmente questionar interpretativamente a fala considerada duvidosa para que seja possvel elucidar,at onde for possvel, essa dvida. Base conceitual
    • www. ROBSON SANTOS .com
    • [email_address]
    • Visitem meu blog: interfaceando.blogspot.com
    Obrigado!