05 Apicultura

30
MANUAL TÉCNICO, 05 ISSN 1983-5671 Jean Samel Rocha 05 Niterói-RJ julho de 2008

Transcript of 05 Apicultura

Page 1: 05 Apicultura

MANUAL TEacuteCNICO 05 ISSN 1983-5671

Jean Samel Rocha

05

Niteroacutei-RJ

julho de 2008

MANUAL TEacuteCNICO 05 ISSN 1983-5671

Jean Samel Rocha

05

Niteroacutei-RJ

julho de 2008

PROGRAMA RIO RURAL Secretaria de Estado de Agricultura Pecuaacuteria Pesca e Abastecimento Superintendecircncia de Desenvolvimento Sustentaacutevel Alameda Satildeo Boaventura 770 - Fonseca - 24120-191 - Niteroacutei - RJ Telefones (21) 2625-8184 e (21) 2299-9520 E-mail microbaciasagriculturarjgovbr

Governador do Estado do Rio de Janeiro

Seacutergio Cabral

Secretaacuterio de Estado de Agricultura PecuaacuteriaPesca e Abastecimento

Christino Aacuteureo da Silva

Superintendente de Desenvolvimento Sustentaacutevel

Nelson Teixeira Alves Filho

Rocha Jean Samel

Apicultura Jean Samel Rocha -- Niteroacutei Programa Rio Rural 2008

27 f 30 cm -- (Programa Rio Rural Manual Teacutecnico 5)

Programa de Desenvolvimento Rural Sustentaacutevel em Microbacias Hidrograacuteficas do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Agricultura Pecuaacuteria Pesca e Abastecimento

Projeto Gerenciamento Integrado de Agroecossistemas em Microbacias Hidrograacuteficas do Norte-Noroeste Fluminense

ISSN 1983-5671

1 Apicultura I Tiacutetulo II Seacuterie CDD 6381

Sumaacuterio

1 Introduccedilatildeo4 2 Apicultura a natureza e as abelhas5 3 Quem pode ser apicultor5 4 Um breve histoacuterico da Apicultura6 5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil7 6 Biologia das abelhas8 7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia10 8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas11 9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho11 10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso13 11 Equipamentos para a coleta do mel14 12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel14 13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio14 14 Manejo16 15 Revisotildees das colmeacuteias16 16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis17 17 Produccedilatildeo de proacutepolis19 18 Inimigos e doenccedilas das abelhas21 19 Referecircncias bibliograacuteficas26

Apicultura

Jean Samel Rocha1

1 Introduccedilatildeo A apicultura vem se destacando no meio agropecuaacuterio nos uacuteltimos tempos e entre todas as atividades desenvolvidas com a finalidade de lucro eacute das mais rentaacuteveis Acrescenta renda por natildeo requer exclusividade podendo o apicultor ter outros trabalhos e dedicar agraves abelhas somente algumas horas semanais E o apiaacuterio poderaacute ser colocado no terreno rural de um amigo natildeo precisando o apicultor possuir terra exclusiva A abelha eacute um ser fascinante que encanta qualquer pessoa e muitas vezes imagina-se como pode ser tatildeo perfeita e organizada Se os humanos seguissem seu exemplo teriam uma sociedade melhor O objetivo deste documento eacute iniciar o aprendizado dos interessados em conhecer o mundo fascinante da apicultura Eacute resultado da revisatildeo bibliograacutefica de muitos livros e trabalhos em apicultura e ainda da experiecircncia pessoal de mais de doze anos de convivecircncia com as abelhas ficando a certeza de que ainda se tem muito a aprender com a sociedade das abelhas 1 Consultor e Instrutor de Apicultura Agropecuaacuteria e Agronegoacutecios Membro da Cacircmara Teacutecnica de Apicultura do Estado do Rio de Janeiro Rua Paulo Ceacutesar de Mello Garcia 132 ndash Casa 01 ndash Presidente Costa e Silva ndash 28300-000 - Itaperuna ndash RJ jeansamelerochacombr

4

2 Apicultura a natureza e as abelhas Apicultura eacute a parte da zootecnia que trata das abelhas Eacute a arte ou ciecircncia de criar abelhas de forma racional de produzir em menor tempo os melhores produtos e com o menor custo para obter o maior lucro Natildeo esquecendo que abelhas satildeo seres vivos e que precisam ser cuidadas com carinho lembrando que elas satildeo defensivas e natildeo agressivas ou seja defendem-se e natildeo agridem As abelhas satildeo importantes para a natureza por propiciarem a polinizaccedilatildeo cruzada entre as plantas da mesma espeacutecie Na verdade haacute perfeita harmonia da natureza entre vegetais e as abelhas as flores oferecem neacutectar e poacutelen como recompensa pelo extraordinaacuterio trabalho realizado e a polinizaccedilatildeo cruzada executada eacute a garantia de perpetuaccedilatildeo de muitas espeacutecies impedindo a degradaccedilatildeo geneacutetica desses vegetais Isso ocorre quando uma abelha ao visitar as flores leva poacutelen que eacute o gameta masculino de uma flor para outra fecundando a parte feminina das flores Mas as abelhas tambeacutem ganham muito com isso pois encontram no neacutectar toda a energia e sais minerais que precisam e no poacutelen as vitaminas proteiacutenas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida As abelhas satildeo geradoras de consciecircncia de conservaccedilatildeo da natureza pelo apicultor que ao iniciar na atividade vai ser um ecologista nato uma vez que as abelhas utilizam principalmente a vegetaccedilatildeo natural como fonte de alimento e a sua preservaccedilatildeo eacute primordial para o sucesso da atividade Tambeacutem satildeo os insetos mais importantes para o homem pelo que podem oferecer o mel um extraordinaacuterio alimento energeacutetico que tem efeitos terapecircuticos e eacute o adoccedilante natural a proacutepolis resina retirada das plantas e elaborada pelas abelhas para tapar frestas e soldar partes da colmeacuteia servindo tambeacutem como antibacteriano e antibioacutetico natural na colmeacuteia e para os humanos Eacute ainda citada em pesquisas cientiacuteficas como preventivo do cacircncer e para o combate a algumas bacteacuterias e fungos a geleacuteia real fonte de energia vitaminas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida e a cera usada em cremes de beleza pomadas desodorantes e na induacutestria moveleira entre outras aplicaccedilotildees

3 Quem pode ser apicultor Qualquer pessoa pode ser apicultor crianccedilas idosos homens e mulheres O principal requisito eacute gostar das abelhas ter amor e admiraccedilatildeo por elas Mas soacute isso natildeo basta Natildeo pode ser aleacutergico agraves picadas das abelhas que muitas vezes satildeo inevitaacuteveis Se jaacute foi picado alguma vez e natildeo houve reaccedilatildeo aleacutergica seacuteria natildeo haacute problema O inchaccedilo em algumas regiotildees do corpo eacute normal mas se tem mais de dois anos ou ainda natildeo foi picado e natildeo sabe se eacute aleacutergico eacute necessaacuterio fazer um teste Mas lembre-se somente um meacutedico pode executar o teste pois apenas uma picada em uma pessoa aleacutergica pode levar agrave morte em poucos minutos Por isso natildeo arrisque a seguranccedila em qualquer atividade eacute essencial

Condiccedilotildees para ser Apicultor

gostar muito de abelhas gostar de aprender buscar conhecimento constantemente partilhar experiecircncias

5

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 2: 05 Apicultura

MANUAL TEacuteCNICO 05 ISSN 1983-5671

Jean Samel Rocha

05

Niteroacutei-RJ

julho de 2008

PROGRAMA RIO RURAL Secretaria de Estado de Agricultura Pecuaacuteria Pesca e Abastecimento Superintendecircncia de Desenvolvimento Sustentaacutevel Alameda Satildeo Boaventura 770 - Fonseca - 24120-191 - Niteroacutei - RJ Telefones (21) 2625-8184 e (21) 2299-9520 E-mail microbaciasagriculturarjgovbr

Governador do Estado do Rio de Janeiro

Seacutergio Cabral

Secretaacuterio de Estado de Agricultura PecuaacuteriaPesca e Abastecimento

Christino Aacuteureo da Silva

Superintendente de Desenvolvimento Sustentaacutevel

Nelson Teixeira Alves Filho

Rocha Jean Samel

Apicultura Jean Samel Rocha -- Niteroacutei Programa Rio Rural 2008

27 f 30 cm -- (Programa Rio Rural Manual Teacutecnico 5)

Programa de Desenvolvimento Rural Sustentaacutevel em Microbacias Hidrograacuteficas do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Agricultura Pecuaacuteria Pesca e Abastecimento

Projeto Gerenciamento Integrado de Agroecossistemas em Microbacias Hidrograacuteficas do Norte-Noroeste Fluminense

ISSN 1983-5671

1 Apicultura I Tiacutetulo II Seacuterie CDD 6381

Sumaacuterio

1 Introduccedilatildeo4 2 Apicultura a natureza e as abelhas5 3 Quem pode ser apicultor5 4 Um breve histoacuterico da Apicultura6 5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil7 6 Biologia das abelhas8 7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia10 8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas11 9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho11 10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso13 11 Equipamentos para a coleta do mel14 12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel14 13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio14 14 Manejo16 15 Revisotildees das colmeacuteias16 16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis17 17 Produccedilatildeo de proacutepolis19 18 Inimigos e doenccedilas das abelhas21 19 Referecircncias bibliograacuteficas26

Apicultura

Jean Samel Rocha1

1 Introduccedilatildeo A apicultura vem se destacando no meio agropecuaacuterio nos uacuteltimos tempos e entre todas as atividades desenvolvidas com a finalidade de lucro eacute das mais rentaacuteveis Acrescenta renda por natildeo requer exclusividade podendo o apicultor ter outros trabalhos e dedicar agraves abelhas somente algumas horas semanais E o apiaacuterio poderaacute ser colocado no terreno rural de um amigo natildeo precisando o apicultor possuir terra exclusiva A abelha eacute um ser fascinante que encanta qualquer pessoa e muitas vezes imagina-se como pode ser tatildeo perfeita e organizada Se os humanos seguissem seu exemplo teriam uma sociedade melhor O objetivo deste documento eacute iniciar o aprendizado dos interessados em conhecer o mundo fascinante da apicultura Eacute resultado da revisatildeo bibliograacutefica de muitos livros e trabalhos em apicultura e ainda da experiecircncia pessoal de mais de doze anos de convivecircncia com as abelhas ficando a certeza de que ainda se tem muito a aprender com a sociedade das abelhas 1 Consultor e Instrutor de Apicultura Agropecuaacuteria e Agronegoacutecios Membro da Cacircmara Teacutecnica de Apicultura do Estado do Rio de Janeiro Rua Paulo Ceacutesar de Mello Garcia 132 ndash Casa 01 ndash Presidente Costa e Silva ndash 28300-000 - Itaperuna ndash RJ jeansamelerochacombr

4

2 Apicultura a natureza e as abelhas Apicultura eacute a parte da zootecnia que trata das abelhas Eacute a arte ou ciecircncia de criar abelhas de forma racional de produzir em menor tempo os melhores produtos e com o menor custo para obter o maior lucro Natildeo esquecendo que abelhas satildeo seres vivos e que precisam ser cuidadas com carinho lembrando que elas satildeo defensivas e natildeo agressivas ou seja defendem-se e natildeo agridem As abelhas satildeo importantes para a natureza por propiciarem a polinizaccedilatildeo cruzada entre as plantas da mesma espeacutecie Na verdade haacute perfeita harmonia da natureza entre vegetais e as abelhas as flores oferecem neacutectar e poacutelen como recompensa pelo extraordinaacuterio trabalho realizado e a polinizaccedilatildeo cruzada executada eacute a garantia de perpetuaccedilatildeo de muitas espeacutecies impedindo a degradaccedilatildeo geneacutetica desses vegetais Isso ocorre quando uma abelha ao visitar as flores leva poacutelen que eacute o gameta masculino de uma flor para outra fecundando a parte feminina das flores Mas as abelhas tambeacutem ganham muito com isso pois encontram no neacutectar toda a energia e sais minerais que precisam e no poacutelen as vitaminas proteiacutenas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida As abelhas satildeo geradoras de consciecircncia de conservaccedilatildeo da natureza pelo apicultor que ao iniciar na atividade vai ser um ecologista nato uma vez que as abelhas utilizam principalmente a vegetaccedilatildeo natural como fonte de alimento e a sua preservaccedilatildeo eacute primordial para o sucesso da atividade Tambeacutem satildeo os insetos mais importantes para o homem pelo que podem oferecer o mel um extraordinaacuterio alimento energeacutetico que tem efeitos terapecircuticos e eacute o adoccedilante natural a proacutepolis resina retirada das plantas e elaborada pelas abelhas para tapar frestas e soldar partes da colmeacuteia servindo tambeacutem como antibacteriano e antibioacutetico natural na colmeacuteia e para os humanos Eacute ainda citada em pesquisas cientiacuteficas como preventivo do cacircncer e para o combate a algumas bacteacuterias e fungos a geleacuteia real fonte de energia vitaminas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida e a cera usada em cremes de beleza pomadas desodorantes e na induacutestria moveleira entre outras aplicaccedilotildees

3 Quem pode ser apicultor Qualquer pessoa pode ser apicultor crianccedilas idosos homens e mulheres O principal requisito eacute gostar das abelhas ter amor e admiraccedilatildeo por elas Mas soacute isso natildeo basta Natildeo pode ser aleacutergico agraves picadas das abelhas que muitas vezes satildeo inevitaacuteveis Se jaacute foi picado alguma vez e natildeo houve reaccedilatildeo aleacutergica seacuteria natildeo haacute problema O inchaccedilo em algumas regiotildees do corpo eacute normal mas se tem mais de dois anos ou ainda natildeo foi picado e natildeo sabe se eacute aleacutergico eacute necessaacuterio fazer um teste Mas lembre-se somente um meacutedico pode executar o teste pois apenas uma picada em uma pessoa aleacutergica pode levar agrave morte em poucos minutos Por isso natildeo arrisque a seguranccedila em qualquer atividade eacute essencial

Condiccedilotildees para ser Apicultor

gostar muito de abelhas gostar de aprender buscar conhecimento constantemente partilhar experiecircncias

5

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 3: 05 Apicultura

PROGRAMA RIO RURAL Secretaria de Estado de Agricultura Pecuaacuteria Pesca e Abastecimento Superintendecircncia de Desenvolvimento Sustentaacutevel Alameda Satildeo Boaventura 770 - Fonseca - 24120-191 - Niteroacutei - RJ Telefones (21) 2625-8184 e (21) 2299-9520 E-mail microbaciasagriculturarjgovbr

Governador do Estado do Rio de Janeiro

Seacutergio Cabral

Secretaacuterio de Estado de Agricultura PecuaacuteriaPesca e Abastecimento

Christino Aacuteureo da Silva

Superintendente de Desenvolvimento Sustentaacutevel

Nelson Teixeira Alves Filho

Rocha Jean Samel

Apicultura Jean Samel Rocha -- Niteroacutei Programa Rio Rural 2008

27 f 30 cm -- (Programa Rio Rural Manual Teacutecnico 5)

Programa de Desenvolvimento Rural Sustentaacutevel em Microbacias Hidrograacuteficas do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Agricultura Pecuaacuteria Pesca e Abastecimento

Projeto Gerenciamento Integrado de Agroecossistemas em Microbacias Hidrograacuteficas do Norte-Noroeste Fluminense

ISSN 1983-5671

1 Apicultura I Tiacutetulo II Seacuterie CDD 6381

Sumaacuterio

1 Introduccedilatildeo4 2 Apicultura a natureza e as abelhas5 3 Quem pode ser apicultor5 4 Um breve histoacuterico da Apicultura6 5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil7 6 Biologia das abelhas8 7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia10 8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas11 9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho11 10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso13 11 Equipamentos para a coleta do mel14 12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel14 13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio14 14 Manejo16 15 Revisotildees das colmeacuteias16 16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis17 17 Produccedilatildeo de proacutepolis19 18 Inimigos e doenccedilas das abelhas21 19 Referecircncias bibliograacuteficas26

Apicultura

Jean Samel Rocha1

1 Introduccedilatildeo A apicultura vem se destacando no meio agropecuaacuterio nos uacuteltimos tempos e entre todas as atividades desenvolvidas com a finalidade de lucro eacute das mais rentaacuteveis Acrescenta renda por natildeo requer exclusividade podendo o apicultor ter outros trabalhos e dedicar agraves abelhas somente algumas horas semanais E o apiaacuterio poderaacute ser colocado no terreno rural de um amigo natildeo precisando o apicultor possuir terra exclusiva A abelha eacute um ser fascinante que encanta qualquer pessoa e muitas vezes imagina-se como pode ser tatildeo perfeita e organizada Se os humanos seguissem seu exemplo teriam uma sociedade melhor O objetivo deste documento eacute iniciar o aprendizado dos interessados em conhecer o mundo fascinante da apicultura Eacute resultado da revisatildeo bibliograacutefica de muitos livros e trabalhos em apicultura e ainda da experiecircncia pessoal de mais de doze anos de convivecircncia com as abelhas ficando a certeza de que ainda se tem muito a aprender com a sociedade das abelhas 1 Consultor e Instrutor de Apicultura Agropecuaacuteria e Agronegoacutecios Membro da Cacircmara Teacutecnica de Apicultura do Estado do Rio de Janeiro Rua Paulo Ceacutesar de Mello Garcia 132 ndash Casa 01 ndash Presidente Costa e Silva ndash 28300-000 - Itaperuna ndash RJ jeansamelerochacombr

4

2 Apicultura a natureza e as abelhas Apicultura eacute a parte da zootecnia que trata das abelhas Eacute a arte ou ciecircncia de criar abelhas de forma racional de produzir em menor tempo os melhores produtos e com o menor custo para obter o maior lucro Natildeo esquecendo que abelhas satildeo seres vivos e que precisam ser cuidadas com carinho lembrando que elas satildeo defensivas e natildeo agressivas ou seja defendem-se e natildeo agridem As abelhas satildeo importantes para a natureza por propiciarem a polinizaccedilatildeo cruzada entre as plantas da mesma espeacutecie Na verdade haacute perfeita harmonia da natureza entre vegetais e as abelhas as flores oferecem neacutectar e poacutelen como recompensa pelo extraordinaacuterio trabalho realizado e a polinizaccedilatildeo cruzada executada eacute a garantia de perpetuaccedilatildeo de muitas espeacutecies impedindo a degradaccedilatildeo geneacutetica desses vegetais Isso ocorre quando uma abelha ao visitar as flores leva poacutelen que eacute o gameta masculino de uma flor para outra fecundando a parte feminina das flores Mas as abelhas tambeacutem ganham muito com isso pois encontram no neacutectar toda a energia e sais minerais que precisam e no poacutelen as vitaminas proteiacutenas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida As abelhas satildeo geradoras de consciecircncia de conservaccedilatildeo da natureza pelo apicultor que ao iniciar na atividade vai ser um ecologista nato uma vez que as abelhas utilizam principalmente a vegetaccedilatildeo natural como fonte de alimento e a sua preservaccedilatildeo eacute primordial para o sucesso da atividade Tambeacutem satildeo os insetos mais importantes para o homem pelo que podem oferecer o mel um extraordinaacuterio alimento energeacutetico que tem efeitos terapecircuticos e eacute o adoccedilante natural a proacutepolis resina retirada das plantas e elaborada pelas abelhas para tapar frestas e soldar partes da colmeacuteia servindo tambeacutem como antibacteriano e antibioacutetico natural na colmeacuteia e para os humanos Eacute ainda citada em pesquisas cientiacuteficas como preventivo do cacircncer e para o combate a algumas bacteacuterias e fungos a geleacuteia real fonte de energia vitaminas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida e a cera usada em cremes de beleza pomadas desodorantes e na induacutestria moveleira entre outras aplicaccedilotildees

3 Quem pode ser apicultor Qualquer pessoa pode ser apicultor crianccedilas idosos homens e mulheres O principal requisito eacute gostar das abelhas ter amor e admiraccedilatildeo por elas Mas soacute isso natildeo basta Natildeo pode ser aleacutergico agraves picadas das abelhas que muitas vezes satildeo inevitaacuteveis Se jaacute foi picado alguma vez e natildeo houve reaccedilatildeo aleacutergica seacuteria natildeo haacute problema O inchaccedilo em algumas regiotildees do corpo eacute normal mas se tem mais de dois anos ou ainda natildeo foi picado e natildeo sabe se eacute aleacutergico eacute necessaacuterio fazer um teste Mas lembre-se somente um meacutedico pode executar o teste pois apenas uma picada em uma pessoa aleacutergica pode levar agrave morte em poucos minutos Por isso natildeo arrisque a seguranccedila em qualquer atividade eacute essencial

Condiccedilotildees para ser Apicultor

gostar muito de abelhas gostar de aprender buscar conhecimento constantemente partilhar experiecircncias

5

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 4: 05 Apicultura

Sumaacuterio

1 Introduccedilatildeo4 2 Apicultura a natureza e as abelhas5 3 Quem pode ser apicultor5 4 Um breve histoacuterico da Apicultura6 5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil7 6 Biologia das abelhas8 7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia10 8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas11 9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho11 10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso13 11 Equipamentos para a coleta do mel14 12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel14 13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio14 14 Manejo16 15 Revisotildees das colmeacuteias16 16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis17 17 Produccedilatildeo de proacutepolis19 18 Inimigos e doenccedilas das abelhas21 19 Referecircncias bibliograacuteficas26

Apicultura

Jean Samel Rocha1

1 Introduccedilatildeo A apicultura vem se destacando no meio agropecuaacuterio nos uacuteltimos tempos e entre todas as atividades desenvolvidas com a finalidade de lucro eacute das mais rentaacuteveis Acrescenta renda por natildeo requer exclusividade podendo o apicultor ter outros trabalhos e dedicar agraves abelhas somente algumas horas semanais E o apiaacuterio poderaacute ser colocado no terreno rural de um amigo natildeo precisando o apicultor possuir terra exclusiva A abelha eacute um ser fascinante que encanta qualquer pessoa e muitas vezes imagina-se como pode ser tatildeo perfeita e organizada Se os humanos seguissem seu exemplo teriam uma sociedade melhor O objetivo deste documento eacute iniciar o aprendizado dos interessados em conhecer o mundo fascinante da apicultura Eacute resultado da revisatildeo bibliograacutefica de muitos livros e trabalhos em apicultura e ainda da experiecircncia pessoal de mais de doze anos de convivecircncia com as abelhas ficando a certeza de que ainda se tem muito a aprender com a sociedade das abelhas 1 Consultor e Instrutor de Apicultura Agropecuaacuteria e Agronegoacutecios Membro da Cacircmara Teacutecnica de Apicultura do Estado do Rio de Janeiro Rua Paulo Ceacutesar de Mello Garcia 132 ndash Casa 01 ndash Presidente Costa e Silva ndash 28300-000 - Itaperuna ndash RJ jeansamelerochacombr

4

2 Apicultura a natureza e as abelhas Apicultura eacute a parte da zootecnia que trata das abelhas Eacute a arte ou ciecircncia de criar abelhas de forma racional de produzir em menor tempo os melhores produtos e com o menor custo para obter o maior lucro Natildeo esquecendo que abelhas satildeo seres vivos e que precisam ser cuidadas com carinho lembrando que elas satildeo defensivas e natildeo agressivas ou seja defendem-se e natildeo agridem As abelhas satildeo importantes para a natureza por propiciarem a polinizaccedilatildeo cruzada entre as plantas da mesma espeacutecie Na verdade haacute perfeita harmonia da natureza entre vegetais e as abelhas as flores oferecem neacutectar e poacutelen como recompensa pelo extraordinaacuterio trabalho realizado e a polinizaccedilatildeo cruzada executada eacute a garantia de perpetuaccedilatildeo de muitas espeacutecies impedindo a degradaccedilatildeo geneacutetica desses vegetais Isso ocorre quando uma abelha ao visitar as flores leva poacutelen que eacute o gameta masculino de uma flor para outra fecundando a parte feminina das flores Mas as abelhas tambeacutem ganham muito com isso pois encontram no neacutectar toda a energia e sais minerais que precisam e no poacutelen as vitaminas proteiacutenas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida As abelhas satildeo geradoras de consciecircncia de conservaccedilatildeo da natureza pelo apicultor que ao iniciar na atividade vai ser um ecologista nato uma vez que as abelhas utilizam principalmente a vegetaccedilatildeo natural como fonte de alimento e a sua preservaccedilatildeo eacute primordial para o sucesso da atividade Tambeacutem satildeo os insetos mais importantes para o homem pelo que podem oferecer o mel um extraordinaacuterio alimento energeacutetico que tem efeitos terapecircuticos e eacute o adoccedilante natural a proacutepolis resina retirada das plantas e elaborada pelas abelhas para tapar frestas e soldar partes da colmeacuteia servindo tambeacutem como antibacteriano e antibioacutetico natural na colmeacuteia e para os humanos Eacute ainda citada em pesquisas cientiacuteficas como preventivo do cacircncer e para o combate a algumas bacteacuterias e fungos a geleacuteia real fonte de energia vitaminas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida e a cera usada em cremes de beleza pomadas desodorantes e na induacutestria moveleira entre outras aplicaccedilotildees

3 Quem pode ser apicultor Qualquer pessoa pode ser apicultor crianccedilas idosos homens e mulheres O principal requisito eacute gostar das abelhas ter amor e admiraccedilatildeo por elas Mas soacute isso natildeo basta Natildeo pode ser aleacutergico agraves picadas das abelhas que muitas vezes satildeo inevitaacuteveis Se jaacute foi picado alguma vez e natildeo houve reaccedilatildeo aleacutergica seacuteria natildeo haacute problema O inchaccedilo em algumas regiotildees do corpo eacute normal mas se tem mais de dois anos ou ainda natildeo foi picado e natildeo sabe se eacute aleacutergico eacute necessaacuterio fazer um teste Mas lembre-se somente um meacutedico pode executar o teste pois apenas uma picada em uma pessoa aleacutergica pode levar agrave morte em poucos minutos Por isso natildeo arrisque a seguranccedila em qualquer atividade eacute essencial

Condiccedilotildees para ser Apicultor

gostar muito de abelhas gostar de aprender buscar conhecimento constantemente partilhar experiecircncias

5

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 5: 05 Apicultura

Apicultura

Jean Samel Rocha1

1 Introduccedilatildeo A apicultura vem se destacando no meio agropecuaacuterio nos uacuteltimos tempos e entre todas as atividades desenvolvidas com a finalidade de lucro eacute das mais rentaacuteveis Acrescenta renda por natildeo requer exclusividade podendo o apicultor ter outros trabalhos e dedicar agraves abelhas somente algumas horas semanais E o apiaacuterio poderaacute ser colocado no terreno rural de um amigo natildeo precisando o apicultor possuir terra exclusiva A abelha eacute um ser fascinante que encanta qualquer pessoa e muitas vezes imagina-se como pode ser tatildeo perfeita e organizada Se os humanos seguissem seu exemplo teriam uma sociedade melhor O objetivo deste documento eacute iniciar o aprendizado dos interessados em conhecer o mundo fascinante da apicultura Eacute resultado da revisatildeo bibliograacutefica de muitos livros e trabalhos em apicultura e ainda da experiecircncia pessoal de mais de doze anos de convivecircncia com as abelhas ficando a certeza de que ainda se tem muito a aprender com a sociedade das abelhas 1 Consultor e Instrutor de Apicultura Agropecuaacuteria e Agronegoacutecios Membro da Cacircmara Teacutecnica de Apicultura do Estado do Rio de Janeiro Rua Paulo Ceacutesar de Mello Garcia 132 ndash Casa 01 ndash Presidente Costa e Silva ndash 28300-000 - Itaperuna ndash RJ jeansamelerochacombr

4

2 Apicultura a natureza e as abelhas Apicultura eacute a parte da zootecnia que trata das abelhas Eacute a arte ou ciecircncia de criar abelhas de forma racional de produzir em menor tempo os melhores produtos e com o menor custo para obter o maior lucro Natildeo esquecendo que abelhas satildeo seres vivos e que precisam ser cuidadas com carinho lembrando que elas satildeo defensivas e natildeo agressivas ou seja defendem-se e natildeo agridem As abelhas satildeo importantes para a natureza por propiciarem a polinizaccedilatildeo cruzada entre as plantas da mesma espeacutecie Na verdade haacute perfeita harmonia da natureza entre vegetais e as abelhas as flores oferecem neacutectar e poacutelen como recompensa pelo extraordinaacuterio trabalho realizado e a polinizaccedilatildeo cruzada executada eacute a garantia de perpetuaccedilatildeo de muitas espeacutecies impedindo a degradaccedilatildeo geneacutetica desses vegetais Isso ocorre quando uma abelha ao visitar as flores leva poacutelen que eacute o gameta masculino de uma flor para outra fecundando a parte feminina das flores Mas as abelhas tambeacutem ganham muito com isso pois encontram no neacutectar toda a energia e sais minerais que precisam e no poacutelen as vitaminas proteiacutenas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida As abelhas satildeo geradoras de consciecircncia de conservaccedilatildeo da natureza pelo apicultor que ao iniciar na atividade vai ser um ecologista nato uma vez que as abelhas utilizam principalmente a vegetaccedilatildeo natural como fonte de alimento e a sua preservaccedilatildeo eacute primordial para o sucesso da atividade Tambeacutem satildeo os insetos mais importantes para o homem pelo que podem oferecer o mel um extraordinaacuterio alimento energeacutetico que tem efeitos terapecircuticos e eacute o adoccedilante natural a proacutepolis resina retirada das plantas e elaborada pelas abelhas para tapar frestas e soldar partes da colmeacuteia servindo tambeacutem como antibacteriano e antibioacutetico natural na colmeacuteia e para os humanos Eacute ainda citada em pesquisas cientiacuteficas como preventivo do cacircncer e para o combate a algumas bacteacuterias e fungos a geleacuteia real fonte de energia vitaminas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida e a cera usada em cremes de beleza pomadas desodorantes e na induacutestria moveleira entre outras aplicaccedilotildees

3 Quem pode ser apicultor Qualquer pessoa pode ser apicultor crianccedilas idosos homens e mulheres O principal requisito eacute gostar das abelhas ter amor e admiraccedilatildeo por elas Mas soacute isso natildeo basta Natildeo pode ser aleacutergico agraves picadas das abelhas que muitas vezes satildeo inevitaacuteveis Se jaacute foi picado alguma vez e natildeo houve reaccedilatildeo aleacutergica seacuteria natildeo haacute problema O inchaccedilo em algumas regiotildees do corpo eacute normal mas se tem mais de dois anos ou ainda natildeo foi picado e natildeo sabe se eacute aleacutergico eacute necessaacuterio fazer um teste Mas lembre-se somente um meacutedico pode executar o teste pois apenas uma picada em uma pessoa aleacutergica pode levar agrave morte em poucos minutos Por isso natildeo arrisque a seguranccedila em qualquer atividade eacute essencial

Condiccedilotildees para ser Apicultor

gostar muito de abelhas gostar de aprender buscar conhecimento constantemente partilhar experiecircncias

5

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 6: 05 Apicultura

2 Apicultura a natureza e as abelhas Apicultura eacute a parte da zootecnia que trata das abelhas Eacute a arte ou ciecircncia de criar abelhas de forma racional de produzir em menor tempo os melhores produtos e com o menor custo para obter o maior lucro Natildeo esquecendo que abelhas satildeo seres vivos e que precisam ser cuidadas com carinho lembrando que elas satildeo defensivas e natildeo agressivas ou seja defendem-se e natildeo agridem As abelhas satildeo importantes para a natureza por propiciarem a polinizaccedilatildeo cruzada entre as plantas da mesma espeacutecie Na verdade haacute perfeita harmonia da natureza entre vegetais e as abelhas as flores oferecem neacutectar e poacutelen como recompensa pelo extraordinaacuterio trabalho realizado e a polinizaccedilatildeo cruzada executada eacute a garantia de perpetuaccedilatildeo de muitas espeacutecies impedindo a degradaccedilatildeo geneacutetica desses vegetais Isso ocorre quando uma abelha ao visitar as flores leva poacutelen que eacute o gameta masculino de uma flor para outra fecundando a parte feminina das flores Mas as abelhas tambeacutem ganham muito com isso pois encontram no neacutectar toda a energia e sais minerais que precisam e no poacutelen as vitaminas proteiacutenas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida As abelhas satildeo geradoras de consciecircncia de conservaccedilatildeo da natureza pelo apicultor que ao iniciar na atividade vai ser um ecologista nato uma vez que as abelhas utilizam principalmente a vegetaccedilatildeo natural como fonte de alimento e a sua preservaccedilatildeo eacute primordial para o sucesso da atividade Tambeacutem satildeo os insetos mais importantes para o homem pelo que podem oferecer o mel um extraordinaacuterio alimento energeacutetico que tem efeitos terapecircuticos e eacute o adoccedilante natural a proacutepolis resina retirada das plantas e elaborada pelas abelhas para tapar frestas e soldar partes da colmeacuteia servindo tambeacutem como antibacteriano e antibioacutetico natural na colmeacuteia e para os humanos Eacute ainda citada em pesquisas cientiacuteficas como preventivo do cacircncer e para o combate a algumas bacteacuterias e fungos a geleacuteia real fonte de energia vitaminas e aminoaacutecidos essenciais agrave vida e a cera usada em cremes de beleza pomadas desodorantes e na induacutestria moveleira entre outras aplicaccedilotildees

3 Quem pode ser apicultor Qualquer pessoa pode ser apicultor crianccedilas idosos homens e mulheres O principal requisito eacute gostar das abelhas ter amor e admiraccedilatildeo por elas Mas soacute isso natildeo basta Natildeo pode ser aleacutergico agraves picadas das abelhas que muitas vezes satildeo inevitaacuteveis Se jaacute foi picado alguma vez e natildeo houve reaccedilatildeo aleacutergica seacuteria natildeo haacute problema O inchaccedilo em algumas regiotildees do corpo eacute normal mas se tem mais de dois anos ou ainda natildeo foi picado e natildeo sabe se eacute aleacutergico eacute necessaacuterio fazer um teste Mas lembre-se somente um meacutedico pode executar o teste pois apenas uma picada em uma pessoa aleacutergica pode levar agrave morte em poucos minutos Por isso natildeo arrisque a seguranccedila em qualquer atividade eacute essencial

Condiccedilotildees para ser Apicultor

gostar muito de abelhas gostar de aprender buscar conhecimento constantemente partilhar experiecircncias

5

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 7: 05 Apicultura

4 Um breve histoacuterico da Apicultura Pelas pesquisas arqueoloacutegicas sabe-se que as abelhas existem haacute pelo menos 100 milhotildees de anos Antes mesmo do surgimento do homem na Terra as abelhas jaacute existiam Elas exerceram importante papel entre os egiacutepcios gregos e romanos No Egito existe ateacute hoje a danccedila tiacutepica chamada Passo da Abelha Na Greacutecia eram valorizadas no comeacutercio e na literatura As antigas moedas gregas estampavam numa das faces uma abelha como siacutembolo de riqueza Os romanos as veneravam como siacutembolo de admiraccedilatildeo e de defesa de seu territoacuterio Quanto agrave apicultura de acordo com documentos de vaacuterios historiadores remonta ao ano 2400 aC no antigo Egito Entretanto arqueoacutelogos italianos localizaram colmeacuteias de barro na ilha de Creta datadas aproximadamente de 3400 aC De qualquer forma ateacute onde se registra o mel jaacute era utilizado desde 5000 aC pelos sumeacuterios Por muito tempo na Franccedila constituiacutea grande honra receber uma medalha de ouro estampando uma colmeacuteia povoada de abelhas Luiacutes XII muitas vezes usava seu pomposo manto real todo bordado de abelhas douradas como sinal de mansidatildeo e bondade Como as abelhas foram importantes desde os primoacuterdios da humanidade como siacutembolo de defesa riqueza e tema de escritos do saacutebio Aristoacuteteles tambeacutem hoje as abelhas continuam sendo produtoras de alimentos naturais riquiacutessimos essenciais para a humanidade que a cada dia sofre de fome crescente Aleacutem de produtora de alimentos e de ser o principal agente polinizador das flores aumentando a produccedilatildeo de frutos e sementes a abelha eacute uma educadora Todas as pessoas de ambos os sexos de crianccedilas a idosos devem aprender a lidar com abelhas Nesse manejo as pessoas aprendem a se organizar e a trabalhar em cooperativismo como as abelhas fazem As maiores descobertas para o desenvolvimento da apicultura surgiram a partir de Aristoacuteteles mas soacute a partir do seacuteculo XVII eacute que houve consideraacutevel avanccedilo no desenvolvimento e aperfeiccediloamento das teacutecnicas de manejo Foi com o surgimento do microscoacutepio que Swammerdam (1637-1680) desvendou o sexo da rainha pela dissecaccedilatildeo (ateacute entatildeo se supunha ser um rei) Janscha descobriu em 1771 que a fecundaccedilatildeo da rainha ocorre ao ar livre Schirach tambeacutem em 1771 provou que a rainha se originava do mesmo ovo que pode originar uma abelha operaacuteria Francisco Huber demonstrou que as rainhas acasalam-se mais de uma vez Johanes Dzierzon confirmou em 1845 a partenogecircnese em abelhas cruzando rainhas italianas com zangotildees caacuternicos Johanes Mehring produziu a primeira cera alveolada em 1857 Franz Von Hruschska inventou a maacutequina centriacutefuga para tirar mel sem danificar os favos em 1865 Lorenzo Lorain Langstroth descobriu o espaccedilo abelha que nada mais eacute do que o vatildeo entre um favo e outro Esse espaccedilo deve variar entre 6 e 9mm A partir daiacute criou o quadro moacutevel que fica suspenso dentro da colmeacuteia pelas duas extremidades Todas essas descobertas levaram agrave criaccedilatildeo da colmeacuteia Langstroth em 1851 considerada padratildeo e ateacute hoje a mais usada em todo o mundo A partir dela deu-se o maior avanccedilo na apicultura devido agrave facilidade de manejo que proporciona

6

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 8: 05 Apicultura

5 Histoacuteria parcial da ciecircncia apiacutecola no Brasil Warwick Estevam Kerr no prefaacutecio do livro Manual de Apicultura (CAMARGO 1972) diz

informei que a cultura das abelhas no Brasil tem cinco fases distintas A primeira anterior a 1840 em que soacute se cultivavam Meliponiacuteneos no sul as mandaccedilaias mandaguaris tuiuvas jatais manduris e guarupus no nordeste a uruccediluacute a jandaiacutera e a canudo no norte a uruccediluacute a jandaiacutera a uruccediluacute-boca-de-renda e algumas outras A segunda fase comeccedila em 1840 com a introduccedilatildeo no Brasil de Apis mellifera mellifera que tornou na nossa abelha europa ou abelha-do-reino e que devido agrave transferecircncia de tecnologia impasse como a abelha produtora de mel De 1845 a 1880 com a migraccedilatildeo dos alematildees vaacuterias colocircnias de Apis mellifera mellifera foram trazidas da Alemanha e teve iniacutecio a apicultura nos Estados do Rio Grande do Sul Santa Catarina Paranaacute e Satildeo Paulo (Limeira Piracicaba Satildeo Carlos) Uma terceira fase tem iniacutecio mais ou menos em 1940 com os primeiros movimentos associativos a comercializaccedilatildeo comeccedila a se fazer sentir poreacutem soacute recentemente eacute que ela estaacute sendo bem organizada A quarta fase vai de 1950 ateacute 1970 Nestes 20 anos um grupo de pesquisadores de Satildeo Paulo Curitiba Piracicaba Rio Claro Ribeiratildeo Preto Araraquara Florianoacutepolis Taquari e Pindamonhangaba potildee o Brasil no mapa mundial das investigaccedilotildees cientiacuteficas apiacutecolas constituindo-se atualmente num dos maiores grupos de cientistas especializados neste campo no mundo todo Nesta fase eacute introduzida a abelha africana para fins de cruzamentos segregaccedilotildees de linhagens que aliem suas boas propriedades agraves boas propriedades das melhores linhagens italianas Um acidente em sua manipulaccedilatildeo provocou a enxameaccedilatildeo de 26 colmeacuteias que iniciaram a africanizaccedilatildeo da apicultura brasileira Seu efeito foi draacutestico entre 1963 a 1967 Todavia o grupo de pesquisas com a colaboraccedilatildeo dos apicultores conseguiu entre 1965 e 1970 resolver o problema pelo menos do ponto de vista do retorno agrave produccedilatildeo Ateacute 1970 foram realizadas as Semanas de Apicultura e Geneacutetica de Abelhas de nuacutemeros 1 2 e 3

O problema da abelha africana e a alianccedila entre apicultores e cientistas indicam que se inaugurou uma quinta fase na Apicultura Brasileira de 1970 para caacute eacute a fase em que juntos cientistas apicultores e governo de matildeos dadas passam a resolver vaacuterios problemas da apicultura Aqui aleacutem dos grupos men-cionados incorporam-se tambeacutem Viccedilosa Curitiba Recife Manaus Londrina Barretos e Jabuticabal Hoje vivendo plenamente essa quinta fase apicultores e cientistas tecircm em matildeos alguns problemas muito grandes a extrema agressividade que ainda caracteriza a abelha do Norte e Nordeste brasileiros e a nova invasatildeo da cana-de-accediluacutecar e a consequumlente produccedilatildeo de mel escuro

O melhor histoacuterico da Apicultura Brasileira eacute o feito por Nogueira Neto (1972) Examinando documentos cientiacuteficos conclui ele que quem introduziu a Apis mellifera no Brasil foi o Padre Antocircnio Carneiro Aureliano com a colaboraccedilatildeo secundaacuteria de Paulo Barbosa e Sebastiatildeo Clodovil de Siqueira e Mello em marccedilo de 1839 proveniente do Porto Portugal Em 1845 afirma Paulo Nogueira Neto os colonizadores alematildees trouxeram raccedilas de Apis mellifera mellifera da Alemanha introduzindo-as no Rio Grande do Sul Santa Catarina e

7

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 9: 05 Apicultura

Paranaacute De 1870 a 1880 Hanemann amp Shenck Hanemann amp Brunet trouxeram as primeiras abelhas italianas para o Sul do Brasil Ainda segundo Nogueira Neto Brunet recebeu duas colocircnias de abelhas francesas e duas colocircnias de abelhas italianas e as introduziu em Satildeo Bento das Lages - BA

6 Biologia das abelhas As abelhas pertencem ao reino animal agrave classe dos insetos e agrave ordem hymenoacuteptera espeacutecie mellifera Aqui vamos tratar das abelhas do gecircnero apis em especial as encontradas no Brasil hiacutebridas e resultado do cruzamento de raccedilas europeacuteias com raccedilas africanas vulgarmente chamadas de ldquoafricanizadasrdquo Existem muitas raccedilas de abelhas do gecircnero apis mas natildeo eacute o objetivo deste material descrever uma a uma pois isso pode ser obtido em livros de apicultura As abelhas africanizadas se organizam em colocircnias ou sociedades formando os enxames onde se encontram castas que em meacutedia tecircm de 10000 a 80000 abelhas operaacuterias de 100 a 400 zangotildees e 1 rainha As castas satildeo distintas a rainha eacute matildee de todas e potildee ovos (fecundados) que datildeo origem agraves operaacuterias e oacutevulos (natildeo fecundados) que datildeo origem ao zangatildeo A rainha nasce de um ovo fecundado que eacute superalimentado e tem preparado um berccedilo especial (realeira) Os ovos da rainha precisam de temperatura entre 30 e 36ordmC para se desenvolverem e eclodirem o que necessita de uma populaccedilatildeo de abelhas para aquecer o ninho e manter a temperatura A seguir satildeo apresentadas as diferenccedilas entre as castas

Casta ovo larva pupa total Tempo de vida

Operaacuteria 3 dias 6 dias 12 dias 21 dias 38 a 42 dias

Zangatildeo 3 dias 65 dias 145 dias 24 dias 80 dias

Rainha 3 dias 55 dias 75 dias 16 dias 5 anos

A operaacuteria - eacute a abelha que nasce do ovo que eacute fecundado e apoacutes a eclosatildeo eacute alimentado nos trecircs primeiros dias com geleacuteia real (diferenciada) e posteriormente com a mistura de mel com poacutelen ateacute o iniacutecio do periacuteodo de pupa No periacuteodo de pupa ela natildeo se alimenta e sofre metamorfose mudando de cutiacutecula vaacuterias vezes ateacute se tornar um inseto adulto Quando deixa o alveacuteolo no primeiro dia de nascida ela se alimenta e jaacute no segundo dia comeccedila as tarefas de limpeza e aquecimento do ninho Do 4ordm ao 12ordm dia as operaacuterias alimentam as larvas preparando os alimentos e geleacuteia real e recebem o nome de ldquonutrizesrdquo Fazem a mistura engolindo mel retirado dos favos principalmente os natildeo operculados aacutegua e poacutelen e no trato digestivo ocorrem importantes transformaccedilotildees quiacutemicas naturais O alimento entatildeo eacute regurgitado no fundo do alveacuteolo onde estatildeo as larvas carentes de alimento e alguns alimentos satildeo misturas das secreccedilotildees das glacircndulas hipofariacutengea e mandibular das operaacuterias

8

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 10: 05 Apicultura

Do 14ordm ao 21ordm dia de vida satildeo chamadas de ldquoengenheirasrdquo por se dedicarem agrave produccedilatildeo de cera reforma e construccedilatildeo dos favos As glacircndulas de cera estatildeo localizadas na parte inferior do abdocircmen Aos 21 dias tambeacutem defendem a famiacutelia vigiando o alvado da colmeacuteia A partir do 21ordm dia satildeo chamadas de ldquocampeirasrdquo e trabalham buscando alimentos (neacutectar poacutelen) ateacute o final de suas vidas que dura em meacutedia de 38 a 42 dias Dependendo do periacuteodo do ano (inverno ou veratildeo) buscam tambeacutem resinas para fazer proacutepolis e aacutegua para resfriar e diluir os alimentos Esses periacuteodos de atividades em relaccedilatildeo agrave idade das abelhas satildeo flexiacuteveis e podem variar de acordo com a demanda por determinada atividade As operaacuterias satildeo do sexo feminino mas possuem o aparelho reprodutor atrofiado Na ausecircncia da rainha por longo periacuteodo alimentam-se de geleacuteia real e chegam a pocircr ovos Poreacutem por natildeo serem fecundados soacute nascem zangotildees As operaacuterias morrem logo apoacutes ferroarem porque deixam presos na viacutetima o ferratildeo o saco de veneno e parte do intestino Liberam ainda um cheiro caracteriacutestico marcando o local que foi ferroado para que outras operaacuterias ataquem o mesmo local A rainha - eacute a matildee de todas as abelhas da colmeacuteia e dos zangotildees Eacute a uacutenica que tem os oacutergatildeos femininos reprodutores perfeitamente desenvolvidos e nasce em berccedilo especial (realeira) sendo alimentada por geleacuteia real durante toda a vida desde o periacuteodo larval Cada enxame possui apenas uma rainha Em casos excepcionais pode tolerar sua filha por alguns dias caso necessaacuterio ateacute que uma saia com o enxame resultando na enxameaccedilatildeo natural Normalmente quem sai eacute a rainha matildee deixando a filha em seu lugar Sua principal funccedilatildeo na colmeacuteia eacute pocircr ovos e manter o enxame unido pelo cheiro caracteriacutestico (feromocircnio) Ela natildeo possui oacutergatildeos de trabalho e dos ovos geraraacute as operaacuterias e zangotildees chegando a por 3000 ovos em um soacute dia mais de duas vezes o seu proacuteprio peso A postura depende do alimento que entra na colmeacuteia (neacutectar e poacutelen) podendo diminuir ou aumentar conforme a quantidade No inverno pode parar totalmente a postura por alguns dias se a falta de alimentos for total Leva 15 dias para nascer a partir do 4ordm dia de nascida faz seu primeiro vocirco de reconhecimento e localizaccedilatildeo da colmeacuteia e o vocirco nupcial ocorre normalmente no 9ordm dia Ela pode fazer quantos vocircos forem necessaacuterios para encher a espermateca (reservatoacuterio de secircmen) chegando a acasalar com 36 zangotildees No segundo dia apoacutes o vocirco nupcial comeccedila a pocircr ovos e depois de iniciada a postura natildeo acasala mais ateacute a sua morte vivendo em meacutedia de 2 a 5 anos Nos alveacuteolos menores potildee ovos fecundados dos quais nascem operaacuterias Nos maiores potildee ovos natildeo fecundados que geram zangotildees Os ovos postos satildeo brancos e ficam em peacute no fundo do alveacuteolo Vatildeo deitando com o passar dos dias e eclodem no 3ordm dia A rainha usa as patas dianteiras para medir o alveacuteolo e determinar a fecundaccedilatildeo ou natildeo No caso de esgotamento da espermateca comeccedila a pocircr ovos natildeo fecundados involuntariamente e soacute gera zangotildees Nesse caso as operaacuterias podem detectar e eliminar a rainha

9

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 11: 05 Apicultura

Para manter as operaacuterias informadas de sua presenccedila produz feromocircnios (cheiros caracteriacutesticos) que marcam a sua presenccedila na colmeacuteia Quando vai envelhecendo perde a capacidade produtiva e diminui a produccedilatildeo de feromocirc-nios sendo substituiacuteda naturalmente ou pelo apicultor o que deve ser feito O zangatildeo - eacute o macho das abelhas e possui aspecto que o caracteriza como tal Eacute abrutalhado e possui mais pecirclos Natildeo possui oacutergatildeo de trabalho e sua uacutenica funccedilatildeo eacute se acasalar com as rainhas Os zangotildees satildeo amantes dos favos de mel e da boa vida Possuem um superolfato localizando uma rainha virgem (princesa) num raio de ateacute 10km Os zangotildees que tecircm o prestiacutegio de acasalar morrem no ato por deixarem preso na rainha o seu oacutergatildeo externo no momento da ejaculaccedilatildeo Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de nascidos e vivem em meacutedia 80 dias mas satildeo expulsos da colmeacuteia no periacuteodo de entressafra Resultam da reproduccedilatildeo por partenogecircnese e nascem em 24 dias Sempre tecircm avocirc mas nunca pai pois nascem de um ovo natildeo fecundado

7 Noccedilotildees de morfologia e anatomia A parte externa visiacutevel que recobre os oacutergatildeos internos e os muacutesculos eacute o exoesqueleto ou esqueleto externo Internamente eacute chamado de endoesqueleto e serve de sustentaccedilatildeo aos muacutesculos e oacutergatildeos O corpo eacute dividido em cabeccedila toacuterax e abdocircmen Cabeccedila - onde estatildeo localizados os olhos ocelos o aparelho bucal e as antenas Internamente satildeo encontrados glacircndulas e gacircnglios nervosos O formato da cabeccedila se diferencia nas trecircs castas (operaacuteria zangatildeo e rainha) Possui a maior parte dos oacutergatildeos sensoriais e nas antenas estatildeo o olfato o tato e a audiccedilatildeo Os olhos compostos satildeo dois um de cada lado satildeo fixos e percebem cores como amarelo verde azulado azul e o ultravioleta que natildeo eacute enxergado pelo homem O comprimento de onda vai de 300 a 650 angstrons Enxergam a longas distacircncias natildeo enxergam o vermelho e enxergam outras cores que satildeo misturas com o ultravioleta Os olhos simples ou ocelos satildeo trecircs e estatildeo na parte frontal Enxergam de perto e servem para ver dentro da colmeacuteia e no interior das flores Os olhos satildeo multifacetados e enxergam o ceacuteu em 8 faixas visuais Se precisar desviar basta colocar o sol em uma das faixas Para continuar eacute soacute colocar novamente na mesma faixa e no retorno basta dar uma volta de 180ordm e colocar o sol na mesma faixa Na cabeccedila estatildeo as glacircndulas hipofaringeanas salivares mandibulares parte da faringe e os sacos aeacutereos (parte do sistema respiratoacuterio) Toacuterax - eacute a parte que liga a cabeccedila ao abdocircmen e onde estatildeo os apecircndices locomotores as patas e as asas Internamente estatildeo o esocircfago espiraacuteculos e traqueacuteias toraacutecicas (entradas de ar para a respiraccedilatildeo) Externamente as asas e as pernas As pernas se subdividem em coxa trocanter fecircmur tiacutebia tarso e pretarso

10

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 12: 05 Apicultura

Abdocircmen - eacute a parte posterior do corpo das abelhas formado por aneacuteis (segmentos) que satildeo interligados por uma fina membrana que possibilita a movimentaccedilatildeo por ser flexiacutevel Nele se localizam as glacircndulas ceriacutegenas papo ou vesiacutecula meliacutefera ventriacuteculo (estocircmago) intestino delgado ampola retal glacircndula de cheiro (produz cheiro para identificar as famiacutelias) tubos de malpighi (oacutergatildeos excretores que fazem trabalho de rim) traqueacuteias e espiraacuteculos proventriacuteculo e o ferratildeo No abdocircmen da rainha encontram-se ainda os ovaacuterios ovidutos espermateca e vagina que fazem parte do sistema reprodutor Nas operaacuterias essas estruturas estatildeo atrofiadas ou ausentes No abdocircmen do zangatildeo haacute um par de testiacuteculos um par de glacircndulas de muco e o pecircnis que satildeo prolatados na hora da fecundaccedilatildeo sendo o pecircnis exposto A respiraccedilatildeo se daacute atraveacutes dos espiraacuteculos das traqueacuteias e dos sacos aeacutereos sendo uma respiraccedilatildeo por difusatildeo A circulaccedilatildeo eacute feita pelo coraccedilatildeo que fica na parte superior do abdocircmen O sangue eacute incolor e frio chamado de hemolinfa e circula por todo o corpo atraveacutes dos vasos sanguumliacuteneos

8 Comunicaccedilatildeo entre as abelhas As abelhas se comunicam de duas maneiras por meios quiacutemicos atraveacutes de feromocircnios e atraveacutes de danccedilas Um tipo de feromocircnio marca a vitima apoacutes o ataque As operaacuterias satildeo capazes de avisar onde eacute a entrada da colmeacuteia em caso de mudanccedila de local e a presenccedila da rainha eacute notada pelo seu cheiro caracteriacutestico que para o homem eacute imperceptiacutevel Aleacutem dessa forma de se comunicar as abelhas utilizam as danccedilas Eacute por meio delas que as campeiras recrutam outras para explorar uma determinada fonte de alimento informando distacircncia e direccedilatildeo para as abelhas que assistem agrave danccedila Depois de danccedilar elas datildeo uma pequena quantidade do alimento achado para as outras sentirem o sabor e o cheiro que ajudaraacute na localizaccedilatildeo da fonte Existem vaacuterios tipos de danccedilas mas as duas principais satildeo a danccedila circular e a danccedila do requebrado

9 Materiais apiacutecolas e seguranccedila no trabalho Vestimentas

O apicultor de hoje tem que usar roupa apropriada para sua proteccedilatildeo e seguranccedila mas no passado era possiacutevel trabalhar com as abelhas sem a roupa apropriada Depois da africanizaccedilatildeo das abelhas no Brasil isso natildeo eacute mais possiacutevel Os componentes da vestimenta satildeo considerados equipamentos de proteccedilatildeo individual (EPI) e natildeo se deve ir ao apiaacuterio sem todos os componentes da vestimenta e o fumigador

Macacatildeo - pode ser feito de brim nylon ou tela de poliamida Cobre todo o corpo e pode ter a maacutescara acoplada

Jaleco e calccedila - o mesmo que o macacatildeo poreacutem dividido ao meio

Maacutescara - feita de tela e tecido protege o rosto de ferroadas Dependendo do modelo da maacutescara pode ser necessaacuterio o uso de um chapeacuteu de aba dupla

11

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 13: 05 Apicultura

Luva - a ideal eacute a de borracha sinteacutetica para proteger as matildeos natildeo use luvas grossas se natildeo quiser levar ferroadas na matildeo Use por baixo da luva de borracha outra luva de algodatildeo (a luva de algodatildeo parece que eacute feita de barbante fino)

Bota - eacute essencial usar botas brancas de borracha natildeo use tecircnis ou botas pretas pois as abelhas ficam mais agressivas e atacam essa regiatildeo Equipamentos utensiacutelios e outros

Fumigador - o principal equipamento do apicultor e o mais importante Em nenhuma hipoacutetese o apicultor deve ir ao apiaacuterio sem ele e mesmo que natildeo vaacute abrir colmeacuteias ele deve ser levado e estar preparado para uma emergecircncia (carregado e aceso) Sua funccedilatildeo eacute produzir fumaccedila que deve ser aplicada fria e branca pois a fumaccedila diminui a agressividade da abelha O enxame fica alerta por achar que haacute fogo se aproximando da colmeacuteia e as abelhas tomam mel para uma possiacutevel fuga o que as impede de ferroar

Serragem - material para combustatildeo no fumigador A melhor serragem para esse fim eacute a de madeira clara e que natildeo tem cheiro forte Deve estar seca e deve ser levada para o apiaacuterio em um saco para reabastecimento do fumigador se for necessaacuterio A serragem deve ser grossa parecida com lasquinhas de madeira Pode-se usar ainda casca de cafeacute de melhor efeito do que a serragem

Jornal e foacutesforo - para acender o fumigador usam-se duas folhas de jornal amassadas e foacutesforo ou isqueiro

Formatildeo - ferramenta em forma de ldquoLrdquo com as extremidades afiadas usada para abrir as colmeacuteias retirar os quadros e raspar a proacutepolis

Dependendo do trabalho a ser feito outros acessoacuterios e utensiacutelios podem ser usados como sacos plaacutesticos faca bandeja elaacutesticos fita gomada etc

A colmeacuteia

A colmeacuteia padratildeo usada internacionalmente eacute a Langstroth e recomenda-se comprar as colmeacuteias de fornecedor idocircneo acostumado a fazer colmeacuteias se possiacutevel comprar sempre no mesmo local para evitar diferenccedilas de medidas Lembre-se um miliacutemetro de erro nas medidas da colmeacuteia pode tornar o manejo impossiacutevel Recomenda-se em especial adquirir colmeacuteias feitas de madeira de reflorestamento e que sejam parafinadas para ter longa duraccedilatildeo A colmeacuteia eacute formada por fundo onde estaacute o alvado (parte aberta para entrada das abelhas campo de pouso) ninho onde ficam os quadros de cria melgueira que tem a metade do tamanho do ninho em altura tampa e quadros que satildeo 10 para o ninho e 10 para cada melgueira

Acessoacuterios

Tela excluidora - feita para impedir que a rainha suba para pocircr ovos nos quadros da melgueira

12

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 14: 05 Apicultura

Apanha abelhas - tela colocada no alvado para impedir que as abelhas saiam mas que permite a entrada pelo escape invertido

Tela de transporte - que substitui a tampa na hora de transportar a colmeacuteia possibilitando a respiraccedilatildeo das abelhas e impedindo o aumento da temperatura interna

Redutor de alvado - sarrafo de madeira colocado no alvado com o objetivo de diminuir a abertura

Nuacutecleo de desenvolvimento captura e fecundaccedilatildeo - pequena colmeacuteia formada pela metade de uma colmeacuteia normal ou seja com cinco quadros Eacute usada para capturar enxames voadores enxames pequenos ou ainda para fecundar rainhas virgens

Alimentadores - existem vaacuterios tipos de alimentadores individuais de alvado ou internos e coletivos para alimento liacutequido ou soacutelido Os mais conhecidos e mais usados satildeo o Bordman e o ABS para alimentos liacutequidos

Coletor de poacutelen - tela usada no alvado substituindo o fundo ou melgueira para coletar poacutelen Ao passarem as abelhas raspam o poacutelen que cai na bandeja abaixo

Melgueira para produccedilatildeo de proacutepolis - parecida com a melgueira comum poreacutem tem janelas laterais de 2 a 3cm de altura que as abelhas enchem de proacutepolis

Cera alveolada - folhas de cera feitas da proacutepria cera das abelhas Tecircm o tamanho do quadro Nunca economize cera alveolada pois ela propicia aumento de produccedilatildeo de ateacute 50 Para cada quilo de cera produzida as abelhas gastam de 5 a 7 quilos de mel

Limpador de ranhuras - serve para limpar a ranhura dos quadros local onde a cera alveolada encaixa

Incrustador eleacutetrico - eacute uma resistecircncia que ao se colocarem os poacutelos no fio de arame aquece e adere a cera no arame A cera eacute colocada no quadro jaacute aramado com a ajuda do incrustador eleacutetrico ou carretilha

Caneco soldador - usado para derreter pequena quantidade de cera virgem para fixar a cera alveolada nas ranhuras do quadro

10 Preparaccedilatildeo da colmeacuteia para uso

Se o material adquirido for parafinado natildeo seraacute preciso pintar a colmeacuteia Caso contraacuterio eacute necessaacuterio pintar com tinta branca amarela ou azul Mas somente a parte externa natildeo pintar a aacuterea de pouso do alvado A melhor opccedilatildeo eacute pintar de amarelo devido agrave facilidade de camuflar com o ambiente e impedir a localizaccedilatildeo e o roubo Os quadros devem ser pregados e amarrados com arame nuacutemero 24 em todos os furos e as pontas do arame devem ser amarradas e natildeo pregadas para facilitar a sua troca no caso de arrebentar

13

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 15: 05 Apicultura

11 Equipamentos para a coleta de mel Bandeja receptora - encaixa na parte de baixo da melgueira para que esta natildeo fique diretamente no chatildeo Pode ser substituiacuteda por uma tampa de colmeacuteia

Garfo desoperculador - garfo com 21 dentes pontudos e compridos que serve para desopercular os quadros e para retirar a tampinha que fecha os alveacuteolos de mel chamada de opeacuterculo Para a mesma operaccedilatildeo pode ser usada uma faca desoperculadora

Centriacutefuga - maacutequina ciliacutendrica que recebe os quadros e opera com rotaccedilatildeo O mel eacute extraiacutedo por centrifugaccedilatildeo deixando os favos vazios e sem danificaacute-los Existem modelos manuais ou motorizados Devem ser de inox ou material autorizado pelo Ministeacuterio da Agricultura

Balde - de plaacutestico atoacutexico ou inox para receber o mel da centriacutefuga e despejar no decantador

Peneira ou coador - para filtrar o mel e retirar todo tipo de impureza A mais eficiente eacute a meia elaacutestica feminina encaixada em um coador de leite sem a tela Depois de usada para coar deve ser descartada

Decantadores - tanques de inox ou plaacutestico utilizados para deixar o mel descansar e as impurezas e as bolhas de ar subirem Os decantadores possuem torneiras na parte inferior para escoar o mel que seraacute transferido para os baldes de transporte ou envazado diretamente para a venda

Derretedor de cera a vapor - panela usada para derreter cera escura que posteriormente na forma de blocos seraacute trocada por cera alveolada

12 Vestimenta para manipulaccedilatildeo do mel Todo o material de manipulaccedilatildeo do mel deve respeitar padrotildees rigorosos de limpeza Com a roupa do manipulador natildeo pode ser diferente Para manipular o mel eacute essencial que a pessoa esteja com as unhas curtas e de banho tomado Eacute aconselhaacutevel o uso de avental luvas ciruacutergicas touca e maacutescara para natildeo contaminar o mel

13 Instalaccedilatildeo do apiaacuterio O apiaacuterio eacute o local onde vatildeo ficar reunidas as colmeacuteias A escolha do local eacute fator primordial para o sucesso da atividade O apiaacuterio deve estar no miacutenimo a 300 metros de qualquer atividade ou construccedilatildeo a fim de evitar acidentes A aacutegua deve estar proacutexima ter faacutecil acesso e o local ideal natildeo pode ter sol nem sombra em excesso Eacute muito difiacutecil reunir todas essas qualidades poreacutem deve-se analisar o maacuteximo possiacutevel o local e lembrar de alguns detalhes um enxame grande pode consumir ateacute 5 litros de aacutegua por dia e as melgueiras de mel pesam muito e vocecirc natildeo aguumlentaraacute carregar todo o material Portanto o carro deve entrar no apiaacuterio ou encostar ao lado

14

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas devem ser colocadas a 100 metros do apiaacuterio para serem lambidas e posteriormente guardadas em local arejado e com boa luminosidade

Processamento da cera - toda cera deve ser processada em derretedor a vapor a fim de obter o melhor rendimento com a menor matildeo-de-obra

Produccedilatildeo por colmeacuteia - no ato da colheita anotar quantos quadros foram retirados de cada colmeacuteia e pesar o mel depois de centrifugado Calcula-se a meacutedia de peso por quadro e tambeacutem a meacutedia da produccedilatildeo por colmeacuteia

Aplicaccedilotildees praacuteticas do meacutetodo de controle - aleacutem da meacutedia de produccedilatildeo por colmeacuteia outros criteacuterios devem ser controlados como qualidade da proacutepolis resistecircncia a doenccedilas agressividade e outros fatores que julgar necessaacuterio Essas informaccedilotildees seratildeo usadas para determinar que rainhas seratildeo substituiacutedas

Material necessaacuterio para o manejo em apiaacuterios - eacute necessaacuterio ter o material sempre a matildeo a fim de evitar vaacuterias idas ao apiaacuterio gastando mais para se produzir Planeje antes de sair de casa o que vai fazer no apiaacuterio e confira o material que vai ser preciso para executar a tarefa Eacute melhor levar material a mais do que voltar vaacuterias vezes ao apiaacuterio

18

17 Produccedilatildeo de proacutepolis

O que eacute proacutepolis

O Ministeacuterio da Agricultura entende como proacutepolis

o produto oriundo de substacircncias resinosas gomosas e balsacircmicas colhidas pelas abelhas de brotos flores e exsudados de plantas nas quais as abelhas acrescentam secreccedilotildees salivares cera e poacutelen para elaboraccedilatildeo final do produto

Fontelthttpwwwagriculturagovbrgt

Classificaccedilatildeo pelo teor de Flavonoacuteides

A proacutepolis eacute classificada em

Baixo teor ateacute 10 (mm) Meacutedio teor gt10 - 20 (mm) Alto teor gt20 (mm)

Origem

A proacutepolis tem origem principalmente nas resinas vegetais de diversas espeacutecies Algumas espeacutecies poreacutem datildeo origem agrave proacutepolis verde que se caracteriza pelo alto teor de flavonoacuteides e outros terpenoacuteides que possuem accedilatildeo terapecircutica Haacute divergecircncia em relaccedilatildeo ao alecrim produzir proacutepolis verde - em alguns lugares existe muito alecrim e natildeo haacute produccedilatildeo de proacutepolis verde Em outros lugares natildeo haacute alecrim e se produz proacutepolis verde

Importacircncia

Na colmeacuteia a proacutepolis eacute usada para calafetar frestas selar a parte de dentro da colmeacuteia imobilizar inimigos em pequenos espaccedilos prevenir doenccedilas e fechar espaccedilos pequenos

Coleta pelas abelhas

As abelhas soacute coletam a proacutepolis com temperatura superior a 20ordmC Com temperaturas quentes as resinas estatildeo mais maleaacuteveis facilitando a coleta Ela morde com as mandiacutebulas e com o auxilio do primeiro par de patas arranca pequenos pedaccedilos Amassa manipula entre as mandiacutebulas e com uma das patas medianas transfere para as corbiacuteculas do mesmo lado Em seguida repete a operaccedilatildeo transferindo para o outro lado nova porccedilatildeo alternando o lado de armazenamento Com as pernas medianas amassa frequumlentemente a proacutepolis jaacute alojada na corbiacutecula para que fique na forma desejada Essas etapas podem ocorrer durante o vocirco ou quando parada e para formar uma carga leva em meacutedia de 15 a 60 minutos Ao chegar agrave colmeacuteia o material transportado eacute retirado por outra abelha que morde o material e comprime no local desejado Nesse momento eacute adicionada cera e vai sendo moldada com a ajuda da coletora A liberaccedilatildeo da carga pode ser imediata ou levar horas Em seguida a coletora retorna ao campo para novas cargas As coletoras satildeo normalmente fieacuteis agrave coleta de proacutepolis e poucas abelhas coletam podendo ser recrutadas para coleta de neacutectar se necessaacuterio Jaacute se observou a danccedila das coletoras poreacutem as outras natildeo foram recrutadas

19

Composiccedilatildeo

Resinas e substacircncias balsacircmicas (50 a 80) Oacuteleos essenciais e outros volaacuteteis (45 a 15) Cera (12 a 50) Substacircncias tacircnicas (4 a 105) Impurezas mecacircnicas (lt15)

Atividade Bioloacutegica

A proacutepolis apresenta grande atividade bioloacutegica de amplo espectro combatendo ou auxiliando no combate de fungos viacuterus bacteacuterias principal-mente com maior eficiecircncia as Gran + e protozoaacuterios que apresentam os mais diversos graus de patogenicidade ao homem outros animais e plantas Fortalece o sistema imunoloacutegico e pesquisas no Japatildeo mostram efeito anticanceriacutegeno Algumas aplicaccedilotildees ou efeitos

Atividade antibacteriana antifuacutengica e antiviral Efeito cariostaacutetico Efeito citotoacutexico para carcinoma hepatocelular Atividade antioxidante

Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis

Rainhas selecionadas - certificou-se que no mesmo apiaacuterio colmeacuteias produziam proacutepolis verde e outras natildeo Com a experiecircncia concluiu-se que a geneacutetica da rainha determina a aptidatildeo pela coleta de quantidade e qualidade da proacutepolis Assim para se obter boa produccedilatildeo deve-se observar cada colmeacuteia e selecionar as melhores rainhas para a produccedilatildeo de proacutepolis ou adquirir de produtor confiaacutevel rainhas com caracteriacutesticas para a produccedilatildeo de proacutepolis Vale lembrar que ao selecionar rainhas outros criteacuterios de seleccedilatildeo tecircm de ser observados como agressividade doenccedilas enxameaccedilatildeo e produccedilatildeo de mel

Colocircnias fortes ou fracas - se a proacutepolis serve como proteccedilatildeo a inimigos naturais e controle de temperatura colocircnias muito fortes natildeo precisariam produzir muita proacutepolis jaacute que tecircm nuacutemero de abelhas suficiente para controlar a temperatura e atacar alguns dos inimigos naturais Mas se estiver muito fraca a colocircnia natildeo vai ter abelhas suficientes para coletar boa quantidade e se houver falta de alimento elas vatildeo dar prioridade agrave coleta deste

Eacutepoca do ano - os periacuteodos mais quentes satildeo mais propiacutecios agrave produccedilatildeo de proacutepolis a melhor eacutepoca vai da primavera ateacute o outono e em alguns lugares pode-se produzir o ano inteiro desde que exista brotaccedilatildeo na vegetaccedilatildeo

Sistemas de produccedilatildeo - satildeo diversos os sistemas de produccedilatildeo desde a raspagem das caixas uso de telas de mosquito espaccediladores aumento da altura do alvado sistema CPI O melhor resultado e com maior valor econocircmico do produto eacute o sistema de janelas podendo ser usado no meio da melgueira ou na parte de cima abaixo da tampa Satildeo aberturas nas laterais de 3x8x30 cm que seratildeo fechadas pelas abelhas Retira-se a proacutepolis com o auxilio de uma faca de inox e o produto fica em tiras

20

Localizaccedilatildeo do apiaacuterio - apiaacuterios em aacutereas sem insolaccedilatildeo com bom arejamento produzem maior quantidade de proacutepolis do que os que ficam sob sol direto O ideal eacute uma sombra de aacutervore com boa corrente de ar matas fechadas podem inibir a produccedilatildeo por sombreamento excessivo A altitude tambeacutem pode influenciar a produccedilatildeo apiaacuterios em locais com altitude superior a 400 metros produzem mais

Proteccedilatildeo contra insolaccedilatildeo e chuva - eacute importante proteger as colmeacuteias e as janelas do sol e da chuva evitando a oxidaccedilatildeo do produto e consequumlentemente a perda do valor comercial Alguns apicultores usam tambores cortados ou material semelhante

Alimentaccedilatildeo artificial - na entressafra eacute importante alimentar as abelhas para manter os enxames com tamanho meacutedio podendo-se usar alimentadores individuais ou coletivos Eacute importante usar um percentual de accediluacutecar em torno de 20 e tambeacutem fazer alimentaccedilatildeo com proteiacutena (raccedilatildeo ou similar) Se alimentar demais o enxame ficaraacute muito grande e a produccedilatildeo cairaacute se natildeo alimentar ficaraacute pequeno e natildeo produziraacute

Colheita transporte e limpeza - a colheita deve ser feita com auxiacutelio de faca de inox e o ideal eacute levar para o campo uma bandeja de plaacutestico e um saco plaacutestico em que caiba a bandeja Corta-se a proacutepolis das colmeacuteias usando luva limpa e colocam-se as tiras na bandeja protegendo-a do sol e da poeira Natildeo feche a sacola para natildeo formar vapor Transporte sem embolar ou amassar e se estiver uacutemida deixe secar agrave sombra Coloque no freezer para matar possiacuteveis ovos de insetos e remova todo tipo de impureza pedaccedilos de abelhas madeira ou qualquer outra coisa

Armazenamento - deve ser feito em freezer em sacolas plaacutesticas de material atoacutexico arrumando-se as tiras lado a lado sem amassar ou embolar

Classificaccedilatildeo - proacutepolis em placas Green Ultra Green Brown escura de acordo com a cor apresentada

Contaminaccedilotildees - a proacutepolis pode ser contaminada com metais pesados (chumbo caacutedmio mercuacuterio arsecircnio) provenientes de tintas jornal ou outros materiais Os seguintes itens devem ser observados tipo de tinta usada na colmeacuteia presenccedila de arame ou pregos presenccedila de tela de arame tipo de material usado na colheita tipo de material para armazenar

Devem ser observados ainda problemas com doenccedilas e inimigos naturais No Brasil nenhum tipo de doenccedila deve ser tratada com medicamentos mas sim com seleccedilatildeo de rainhas e eliminaccedilatildeo dos enxames doentes Assim evita-se criar resistecircncias e a contaminaccedilatildeo dos produtos

18 Inimigos e doenccedilas das abelhas

Inimigos

Sem duacutevida o homem eacute o principal inimigo das abelhas devido aos maus tratos que lhes datildeo natildeo as mantendo em condiccedilotildees de natildeo serem incomodadas ou mesmo deixando-as morrer de fome Existem diversos aspectos relacionados ao manejo da colmeacuteia considerados incorretos

21

Geralmente os erros mais comuns e prejudiciais satildeo

Instalaccedilatildeo de colmeacuteias em locais pouco protegidos nomeadamente zonas ventosas frias e demasiado uacutemidas e em locais onde frequumlentemente satildeo feitos tratamentos com agrotoacutexicos

Falta de higiene durante a manipulaccedilatildeo transmitindo doenccedilas para outras colmeacuteias e mesmo para outros apiaacuterios

Excesso de desdobramentos (divisatildeo de enxames) reduzindo tambeacutem a viabilidade dos enxames uma vez que reduzem as reservas necessaacuterias para ultrapassar os periacuteodos de escassez

Uma das principais causas de morte dos enxames eacute a extraccedilatildeo excessiva de mel sem a necessaacuteria compensaccedilatildeo

Outros inimigos

Aves insetiacutevoras comem grande nuacutemero de abelhas enquanto estas voam ou visitam as flores natildeo sofrendo ao que parece com o veneno das abelhas Os patos tambeacutem satildeo grandes apreciadores de abelhas dizimando muitas

Formigas consomem grande volume de mel causando enormes prejuiacutezos porque enfraquecem as colocircnias As colmeacuteias atacadas pelas formigas ficam mais sujeitas agrave pilhagem (roubo de mel de uma colocircnia de abelhas enfraquecida por outra colocircnia de abelhas) Para evitar o ataque de formigas as colmeacuteias devem ser protegidas e as formigas destruiacutedas na origem

Lagartas e cobras tambeacutem satildeo inimigas das abelhas e devem ser combatidas proacuteximo ao apiaacuterio

Ratos gostam muito de mel e por isso devem se combatidos A utilizaccedilatildeo de raticida ou ratoeiras proacuteximo agraves colmeacuteias eacute aconselhaacutevel desde que natildeo ponham em perigo as abelhas e animais domeacutesticos

Aranhas constroem teias nas imediaccedilotildees do apiaacuterio capturando abelhas frequumlentemente

Besouros conseguem entrar nas colmeacuteias por possuiacuterem uma carapaccedila quitinosa e invulneraacutevel e se alimentam de mel

Piolho das abelhas (Braulea coeca) pequenos insetos muito semelhantes agrave Varroa jacobsoni Satildeo encontrados em nuacutemero variaacutevel de 1 a 3 no dorso e toacuterax das abelhas Para se alimentarem dirigem-se para junto da boca das abelhas onde colhem algum alimento Combate-se fumigando com fumo de tabaco depois de se ter colocado no fundo da colmeacuteia uma folha de papel que recebe os piolhos como que embriagados depois devem ser esmagados ou queimados

Traccedila pequenas borboletas noturnas semelhantes agrave traccedila da roupa Alimentam-se de mel e permanecem no estado larvar de 30 a 100 dias sendo esta a fase mais prejudicial Como as borboletas satildeo impedidas de entrar na colmeacuteia pelas obreiras fazem a postura em qualquer fenda da colmeacuteia Por vezes tambeacutem fazem a postura nas anteras das flores e quando as abelhas colhem o poacutelen levam sem saber os ovos de traccedila juntamente com o poacutelen que posteriormente eclodem dentro da colmeacuteia As larvas aleacutem de se alimentarem

22

de mel tambeacutem se alimentam dos restos das peles das mudas das larvas e das crisaacutelidas das abelhas Os casulos de cor parda ficam muitas vezes sobrepostos como sacos arrumados em armazeacutem Essas borboletas por terem haacutebitos noturnos podem ser capturadas com uma lanterna cujos vidros satildeo untados com oacuteleo espesso ou fazendo uma fogueira na qual as borboletas caem depois de terem as asas queimadas

Doenccedilas das Abelhas

Numerosas satildeo as enfermidades que atacam as abelhas provocando grandes prejuiacutezos como as podridotildees da cria (americana e europeacuteia) a cria ensacada a nosemose a acariose a paralisia e o mal-de-outono Felizmente no Brasil natildeo haacute registro de acariose (registrada no Uruguai e na Argentina em 1958) nem da podridatildeo-americana As trecircs primeiras enfermidades atacam a cria as demais atacam as abelhas adultas

Acariose provocada por um pequeniacutessimo carrapato (Acarapis woodi) que alojando-se na traqueacuteia das abelhas obstrui-lhes a respiraccedilatildeo provocando a morte As abelhas natildeo podem voar e se arrastam pelo chatildeo

Tratamento Soluccedilatildeo de Hichard Frow feita de nitrobenzeno gasolina e oacuteleo de safrol

Paralisia o agente da doenccedila eacute ainda desconhecido admitindo-se que seja um viacuterus As abelhas apresentam o abdome inchado mal conseguindo voar As fezes satildeo amareladas o corpo todo treme e as asas fazem movimentos lentos O corpo parece engordurado e a frente da colmeacuteia fica cheia de abelhas moribundas

Tratamento trocar de lugar a colmeacuteia doente com outra forte substituir a rainha da colocircnia doente por outra resistente agrave doenccedila

Mal-de-Outono agente desconhecido As abelhas inicialmente correm como loucas de um lado para outro da colmeacuteia ou do chatildeo ateacute que se cansam Em seguida arrastam-se pelo chatildeo ateacute morrer Essa doenccedila talvez provocada por envenenamento desaparece repentinamente Ainda natildeo se determinou um tratamento eficaz

Nosemose provocada pelo protozoaacuterio Nosema apis que se aloja no intestino da abelha provocando graves distuacuterbios digestivos principalmente diarreacuteia quase sempre o fundo da colmeacuteia se apresenta bem sujo de fezes Agraves vezes as rainhas suspendem a postura e satildeo substituiacutedas pelas operaacuterias (o que explica certas substituiccedilotildees inesperadas de algumas rainhas) O intestino quando arrancado mostra-se engrossado sem constriccedilotildees e de cor branco-turva Quando se coloca o seu conteuacutedo sobre uma lacircmina de vidro e diluiacutedo com um pouco daacutegua toma uma cor de leite caracteriacutestica Naturalmente o exame ao microscoacutepio revelaraacute com exatidatildeo se existem ou natildeo protozoaacuterios causadores da doenccedila

Tratamento eacute preventivo antes que curativo As colmeacuteias sadias devem ser isoladas Devem ser evitadas as aacuteguas paradas nas imediaccedilotildees do apiaacuterio bem como os saques A limpeza e a desinfecccedilatildeo rigorosas das colmeacuteias que alojaram abelhas doentes satildeo necessaacuterias

23

Geralmente as doenccedilas que atingem abelhas adultas natildeo provocam perdas muito acentuadas no Brasil (a acariose natildeo foi ainda observada) As doenccedilas da cria satildeo as que provocam os maiores danos nos Estados Unidos na Europa e tambeacutem no Brasil

Podridatildeo-americana da cria provocada pela bacteacuteria Bacilus larvei Eacute enfermidade seriiacutessima que devasta os apiaacuterios Seu combate eacute radical fogo Felizmente natildeo foi verificada no Brasil

Cria-ensacada natildeo se conseguiu encontrar um microrganismo responsaacutevel Enfraquece a famiacutelia prejudicando a produccedilatildeo As larvas doentes geralmente colocadas em ceacutelulas jaacute fechadas cujos opeacuterculos se mostram furados apresentam-se inicialmente de cor creme passando mais tarde a marrom e ateacute cinza Essas larvas se apresentam como que sentadas no fundo da ceacutelula com a cabeccedila sempre erguida Retiradas das ceacutelulas as larvas saem inteiras e tomam a forma de um saco donde o nome dado agrave doenccedila Agraves vezes tecircm consistecircncia muito mole Essa doenccedila grave somente em casos excepcionais eacute bem disseminada no Brasil Laidlaw em 1954 e 1955 durante sua permanecircncia no Brasil notou muitas vezes essa doenccedila embora em forma benigna em apiaacuterios de Satildeo Paulo e no Rio Geralmente natildeo haacute cheiro Se sentido eacute igual ao cheiro de algo aacutecido provavelmente devido ao apodrecimento da larva

Combate natildeo haacute combate eficiente contra a cria-ensacada Quase sempre a doenccedila desaparece com o iniacutecio da florada A seleccedilatildeo de rainhas resistentes agrave doenccedila eacute interessante Portanto as rainhas das colmeacuteias doentes devem ser substituiacutedas por filhas de outras que se tenham mantido completamente sadias

Podridatildeo-europeacuteia da cria segundo trabalhos realizados por L Bailey em Rothamsted (Inglaterra) em 1959 a causa principal seria a bacteacuteria Streptococcus pluton agrave qual se juntaria a Bacterium eurydice Eacute doenccedila altamente contagiosa e causa graves prejuiacutezos agraves abelhas embora natildeo extinga a colmeacuteia senatildeo em casos excepcionais Os apiaacuterios brasileiros satildeo rudemente atingidos por essa doenccedila desde 1909 A eacutepoca de maior incidecircncia tem sido agosto Essa doenccedila eacute a mais seacuteria registrada no Brasil e estaacute largamente espalhada o que se constatou em visitas a apiaacuterios racionais e caboclos As abelhas pretas em geral satildeo bem flageladas normalmente em colmeacuteias fracas Os apicultores natildeo notam a sua presenccedila a natildeo ser quando tecircm espiacuterito jaacute prevenido As colmeacuteias mais fortes suportam relativamente bem o ataque e se recuperam mais ou menos rapidamente graccedilas agrave grande atividade das abelhas limpadoras que eliminam prontamente as larvas doentes foco de contaminaccedilatildeo Os reflexos no entanto satildeo desastrosos sobre a colheita de neacutectar bem como sobre a produccedilatildeo de cria Se natildeo houver socorro agraves colmeacuteias mais fracas elas podem acabar se extinguindo Na apicultura o principal prejuiacutezo constatado foi agraves larvas enxertadas para produzir rainhas elas se desenvolviam normalmente ateacute 4 ou 8 dias apoacutes a operculaccedilatildeo (o que eacute interessante pois as larvas de operaacuterias atacadas satildeo quase sempre as natildeo-operculadas) as larvas que deveriam ficar na parte superior das ceacutelulas (correspondendo ao fundo da realeira) para se alimentarem com a geleacuteia real caiacuteam na parte inferior (ponta da realeira) e morriam Algumas larvas ainda se desenvolviam um pouco mais

24

poreacutem foram raras as que chegavam a comeccedilar a metamorfose em pupa morriam antes disso Os cadaacuteveres de coloraccedilatildeo creme a princiacutepio e de consistecircncia mole aquosa tornavam-se pardos e depois de apodrecerem ficavam cinzas exalando cheiro ruim azedo Em algumas ocasiotildees 100 das larvas enxertadas morreram

Medidas draacutesticas queima de todos os favos atacados desinfecccedilatildeo de todo o material e instalaccedilotildees com soda caacuteustica renovaccedilatildeo de todo o material para enxertia aumento das alimentaccedilotildees compra de novas rainhas reprodutoras

Sintomas O sinal mais evidente da doenccedila eacute o aspecto esburacado dos favos isto eacute ceacutelulas operculadas e outras natildeo salteadas devido agrave mortandade de larvas novas ainda natildeo operculadas Aleacutem disso encontram-se larvas mortas de coloraccedilatildeo amarelada ou parda e consistecircncia aquosa Outras larvas se mostram de coloraccedilatildeo amarela e secas parecendo mais escamas de cera ou bolos de poacutelen Em estaacutegios mais adiantados da doenccedila pode-se notar um cheiro desagradaacutevel azedo de peixe estragado talvez devido ao apodrecimento das larvas por infecccedilotildees secundaacuterias

Combate eliminaccedilatildeo dos quadros atacados natildeo devendo ser trocados para outras colmeacuteias pois espalhariam a doenccedila e uniatildeo das famiacutelias mais fracas

O combate preventivo eacute o mais indicado para qualquer doenccedila Para tanto 3 ou 4 semanas antes da eacutepoca em que a doenccedila aparece com mais vigor daacute-se alimentaccedilatildeo As rainhas amarelas costumam ser mais resistentes poreacutem haacute linhagens que satildeo ateacute mais fracas que as pretas Acredita-se que o ideal eacute atraveacutes de adequada anotaccedilatildeo distribuir pelos apiaacuterios as filhas das rainhas que se mostram mais resistentes agrave enfermidade nas crises mais fortes natildeo importando a cor

Remeter ao laboratoacuterio o questionaacuterio (modelo apresentado adiante) preenchido com a maior correccedilatildeo possiacutevel juntamente com a amostra do material obedecendo agraves instruccedilotildees que se seguem

Como enviar AMOSTRA de CRIA para exame de laboratoacuterio

Corte um pedaccedilo de favo de pelo menos 10 cm x 10 cm

Certifique-se de que o pedaccedilo contenha tanta cria morta ou descorada quanto possiacutevel

Nenhum mel deve existir e o favo natildeo deve ser esmagado

Embale em uma caixa de madeira ou de papelatildeo grosso Natildeo use lata vidro ou papel encerado

Coloque o questionaacuterio dentro da caixa Como enviar AMOSTRA de ABELHAS ADULTAS para exame de laboratoacuterio

Selecione se possiacutevel as abelhas doentes ou recentemente mortas

Envie pelo menos 50 abelhas de uma amostra se houver suspeita de envenenamento por inseticidas envie 100 ou mais abelhas para mais eficiecircncia no exame

Envie as abelhas juntamente com o questionaacuterio em uma caixa de madeira ou papelatildeo grosso e natildeo em lata ou vidro

25

26

SERVICcedilO BRASILEIRO DE APOIO AgraveS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Apicultura Integrada e Sustentaacutevel Rede APIS Disponiacutevel em lthttpwwwapissebraecombrgt Acesso em 15 abr 2008

RAAD R S RAMOS M O M Guia praacutetico de apicultura Niteroacutei [sn] 2003 38 p

NOGUEIRA NETO P Notas sobre a histoacuteria da apicultura brasileira In CAMARGO J M F (Org) Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 p 17-32

EMPRESA DE ASSISTEcircNCIA TEacuteCNICA E EXTENSAtildeO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMATER-MG Disponiacutevel em lthttpwwwematermggovbrgt Acesso em 14 abr 2008

CAMARGO J M F de Manual de apicultura Satildeo Paulo Agronocircmica Ceres 1972 252 p

BARTH O M O poacutelem no mel brasileiro Rio de Janeiro Luxor 1989 150 p

ARAUacuteJO N de Ganhe muito dinheiro criando abelhas Satildeo Paulo Nobel 1985 210 p

WINSTON M L A biologia da abelha Porto Alegre Magister 2003 276 p

WIESE H (Coord) Nova apicultura 6 ed Porto Alegre Agropecuaacuteria 1985 493 p

STEINBERG E Criaccedilatildeo domeacutestica de abelhas Traduccedilatildeo Dagoberto Pereira Satildeo Paulo Nobel 1988 64 p

MINISTEacuteRIO DA AGRICULTURA PECUAacuteRIA E ABASTECIMENTO MAPA Disponiacutevel em lthttpwwwagriculturagovbrgt Acesso em 25 abr 2008

GUIMARAtildeES N P Apicultura a ciecircncia da longa vida Belo Horizonte Itatiaia 1989 155 p

19 Referecircncias bibliograacuteficas

- Ceacutelulas operculadas abertas ou furadas - Cria irregular n) Aspecto geral dos quadros de cria m) Morriam abelhas novas E velhas l) Que sintomas as abelhas adultas apresentavam quando estavam morrendo j) Ninfas i) Larvas h) Estavam morrendo abelhas adultas g) Tem alimentaccedilatildeo f) Foi ou estaacute sendo atacada por inimigos como formigas traccedilas-dos-favos etc e) O numero de abelhas eacute pequeno d) A colmeacuteia estaacute exposta a ventos fortes e frios c) A colmeacuteia estaacute em lugar uacutemido b) A colmeacuteia estaacute zanganeira a) A colmeacuteia estaacute oacuterfatilde

QUESTIONAacuteRIO SOBRE DOENCcedilAS DAS ABELHAS

LISTA DE PRECcedilOS Cooperafa Ltda MICROSIA

Data 07032008 Hora 144223 Paacutegina 1

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO

PRODUTO REF

PADRAtildeO APLICACcedilAtildeO

FORNECEDOR PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

TABELA Tabela de Produtos - Natildeo Cooperado 5

FAMIacuteLIA ENTREPOSTO DE MEL 1

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

CERA ALVEOLADA M0009 COOPERAFA 000 KG E 3050

FAMIacuteLIA MATERIAL APIacuteCOLA 24

GRUPO FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 21

ALIMENTO PARA ABELHA 0004 FAacuteBRICA DE RACcedilAtildeO 000 KG E 250

GRUPO MATERIAL APIacuteCOLA 22

ALIMENTADOR ABS 0003 K-JET 000 UN E 624

ARAME GALVANIZADO 23 0005 000 KG E 1265

CANECO SOLDADOR 0006 000 UN E 1188

CARRINHO PTRANSPORTE EM QUALQUER TERRENO 0133 ROBSON 000 UN E 16490

CAVALETE MEacuteDIO 0063 COOPERAFA 000 UN E 2000

CHAPEacuteU DE ABA DUPLA 0008 CARLOS 000 UN E 486

COLETOR DE ABELHA 0009 000 UN E 1460

COLETOR DE POacuteLEN DE ALV CALIM E TAMPA 0015 ROBSON RAAD 000 UN E 4000

COLMEacuteIA COMPLETA NMFT 20 QUADROS 0136 000 UN E 8108

CPI MELGUEIRA 0066 000 UN E 1890

CPI PINHO 0067 000 UN E 2203

(continua)

(continuaccedilatildeo)

DESCRICcedilAtildeO DO PRODUTO PRODUTO

REF PADRAtildeO

APLICACcedilAtildeO FORNECEDOR

PRECcedilO PROM

UM B PRECcedilO

DE LISTA

ESTICADOR DE ARAME 0134 000 UN E 2000

FUMIGADOR SC GRANDE 0035 ICEAL 000 UN E 7180

FUNDO PARA COLMEacuteIA PARAFINADO 0068 000 UN E 1635

GARFO DESOPERCULADOR 0036 FAULHABER 000 UN E 1320

JALECO COM MAacuteSCARA 0041 000 UN E 8100

LUVAS DE BORRACHA 0051 DANNY 000 UN E 658

MACACAtildeO DE NYLON GROSSO (CALCcedilA COM JALECO) 0071 000 UN E 11550

MELGUEIRA VAZIA (PARAFINADA) 0072 000 UN E 1525

NINHO VAZIO (PARAFINADO) 0073 000 UN E 1880

QUADRO DE MELGUEIRA 0151 000 UN A 165

QUADRO DE NINHO 0074 000 UN E 165

TAMPA PARA COLMEacuteIA (PARAFINADA) 0076 000 UN E 1470

TELA DE TRANSPORTE EM ARAME 0135 COOPERAFA 000 UN E 2300

TELA DE TRANSPORTE EM NYLON 0079 000 UN E 1300

TELA EXCLUIDORA EM ARAME 12 0077 COOPERAFA 000 UN E 2430

Tipo de produto Insumos wwwmicrosiacombr

SECRETARIA DEAGRICULTURA PECUAacuteRIAPESCA E ABASTECIMENTO

SUPERINTENDEcircNCIA DE DESENVOLVIMENTOSUSTENTAacuteVEL

  • Manejo para a produccedilatildeo de Proacutepolis
  • Inimigos
Page 16: 05 Apicultura

As abelhas precisam de alimentos em quantidade e qualidade e voam ateacute 3km de raio a procura de alimentos Lembre-se quanto mais alimentos mais mel mais poacutelen e mais proacutepolis Coloque o apiaacuterio em local que impeccedila o roubo comum em algumas regiotildees Se possiacutevel coloque as colmeacuteias com o alvado voltado para o nascente de maneira que os primeiros raios de sol entrem e as desperte bem cedo Evite locais com ventos fortes pois os ventos atrapalham o vocirco e prejudicam o aquecimento da colmeacuteia A existecircncia de outro apiaacuterio num raio de 3km tambeacutem prejudica a produccedilatildeo Se a florada natildeo for muito farta a produccedilatildeo seraacute dividida entre as colmeacuteias Manter o apiaacuterio capinado ou roccedilado e livre de galhos e folhas eacute essencial para evitar o ataque de formigas e outros inimigos das abelhas Natildeo eacute recomendaacutevel cercar o apiaacuterio e se houver gado no local natildeo haacute problemas Coloque as colmeacuteias distantes uns 3 metros umas das outras para permitir a passagem entre elas No iniacutecio algum animal poderaacute levar uma ou duas picadas mas vatildeo fugir e vatildeo se respeitar Os animais sabem seus limites mas se ao contraacuterio o local for cercado um animal pode conseguir entrar e se for picado na hora do desespero poderaacute natildeo encontrar saiacuteda e morrer de tanta picada Pastos de vacas ou outros animais leiteiros devem ser evitados porque as picadas causam infecccedilotildees no peito dos animais

Todos os passos iniciais tomados Eacute hora de povoar o apiaacuterio Existem trecircs maneiras de se iniciar o apiaacuterio a primeira eacute comprar enxames a segunda eacute montar caixas iscas e aguardar os enxames pousarem a terceira opccedilatildeo eacute capturar enxames pousados recentemente em algum lugar ou transferir de locais jaacute instalados podendo estar em cupinzeiros assoalhos forros em aacutervores etc Para usar os enxames receacutem-pousados basta sacudi-los dentro da caixa com quadros com fitinha de cera alveolada de uns 4 cm A fitinha de cera nesta fase eacute importante para os favos ficarem retos no quadro e natildeo pode ser lacircmina inteira porque os enxames natildeo entram em caixas com pouco espaccedilo Transporte para o local definitivo e se for possiacutevel retire pelo menos dois quadros de cria sendo um quadro de cria aberta e outro de cria fechada e coloque no enxame receacutem-capturado Esse procedimento vai aumentar as chances de sucesso Nos enxames fixos eacute necessaacuterio transferir os favos construiacutedos para a caixa Os favos devem ser fixados na mesma posiccedilatildeo que estavam na posiccedilatildeo original Basta cortar o favo na parte superior e fixar nos quadros sem arame com a ajuda de elaacutestico de prender dinheiro Se necessaacuterio corte na parte de baixo para ajustar ao tamanho do quadro Se couberem dois favos um do lado do outro pode-se colocar e prender juntos Depois de retirar todos os quadros transfira as abelhas que normalmente se aglomeram em algum local proacuteximo Quando a maioria estiver dentro da caixa possivelmente a rainha e as outras entraratildeo sozinhas Entrando todas feche a caixa com a ajuda de uma fita de espuma e substitua a tampa por uma tela de transporte levando a caixa para o local definitivo Os favos devem ser manipulados com cuidado pois satildeo sensiacuteveis e possuem crias em seu interior Quando for fazer a captura de enxames leve sempre faca sacolas elaacutesticos de dinheiro corda e outros materiais que julgar necessaacuterio O ideal eacute conhecer o local antes de ir fazer a captura

15

Na operaccedilatildeo de transferecircncia tenha calma use pouca fumaccedila e decirc preferecircncia ao periacuteodo da tarde logo apoacutes o almoccedilo Assim teraacute bastante tempo e ao entardecer o trabalho teraacute acabado Aleacutem disso as abelhas acalmam com a chegada da noite momento ideal para o transporte para o local definitivo se tudo tiver dado certo Se natildeo e houver possibilidade deixe o enxame por alguns dias no local da captura Lembre-se eacute normal perder alguns enxames durante ou apoacutes a captura mas natildeo desanime e tente novamente Evite abrir o enxame por uns 10 dias e se for eacutepoca de escassez de alimentos alimente-as

14 Manejo O manejo correto do apiaacuterio eacute requisito importante para o sucesso da atividade apiacutecola Dele dependeratildeo os bons resultados do trabalho no que se refere agrave quantidade e agrave qualidade do produto final Parece ser muito faacutecil manipular uma colmeacuteia mas na verdade satildeo necessaacuterios alguns cuidados porque no momento em que se abre a colmeacuteia estaacute se intervindo no trabalho de milhares de abelhas e acionando seres vivos com um eficiente sistema de defesa Por isso alguns procedimentos baacutesicos devem ser adotados pelo apicultor como

Nunca trabalhar na frente da colmeacuteia e sim por traacutes ou de lado

Natildeo trabalhar com abelhas quando estiver com excesso de suor ou cheiro forte e menos ainda com cheiro de aacutelcool

Preferencialmente trabalhar com abelhas no periacuteodo em que a maior parte delas estiver no campo na parte da manhatilde ou agrave tarde

Sempre que trabalhar com as colmeacuteias use a roupa de apicultor nunca vista roupas escuras pois irritam as abelhas

Natildeo colocar fumaccedila em excesso

Natildeo trabalhar em dia de chuva

Natildeo mexer nas colmeacuteias continuamente

Nunca passar mais de 5 minutos trabalhando numa colmeacuteia salvo quando da extraccedilatildeo de mel

Nunca usar no fumigador material toacutexico como oacuteleo querosene bucha com graxa fumo etc

15 Revisotildees das colmeacuteias As revisotildees devem ser feitas periodicamente concentrando-se em eacutepocas de floradas Essas revisotildees tecircm como objetivos

Avaliar a capacidade de postura da rainha

Substituir os favos velhos e deformados por favos novos (cera alveolada)

Diminuir os favos zanganeiros

Controlar as enxameaccedilotildees observando os motivos desse fenocircmeno

Identificar e controlar pragas e doenccedilas

16

Avaliar a reserva de alimentos e a necessidade de alimentaccedilatildeo suplementar

Anotar os procedimentos realizados e a realizar

16 Visatildeo geral para a produccedilatildeo de mel manutenccedilatildeo de enxames e produccedilatildeo de proacutepolis

Estrateacutegia de aumento de produccedilatildeo vocecirc deve definir o que vai fazer na proacutexima safra pelo menos 120 dias antes adquirir o material e comeccedilar a se preparar

Tenha em mente que eacute preciso tempo para fechar a sequumlecircncia (regularizaccedilatildeo de abelhas das diferentes idades e funccedilotildees) e que este tempo eacute de 60 dias Por isso eacute preciso ter conhecimento das floradas

A alimentaccedilatildeo artificial deve ser fornecida pelo menos 90 dias antes do inicio das safras Com alimento liacutequido (aacutegua e um terccedilo de accediluacutecar) e raccedilatildeo deve-se retirar os depoacutesitos de alimento artificial no iniacutecio das floradas

Fazer troca de cera - iniciar troca de cera depois de 8 alimentaccedilotildees executando o seguinte esquema de troca dos quadros retirar dois quadros um de cada lateral e abrir espaccedilo no centro do ninho Colocar dois quadros com cera alveolada inteira no centro e colocar um quadro de cria entre eles

Depois de 10 alimentaccedilotildees avaliar a postura da rainha e trocar se necessaacuterio depois de 30 dias de alimentaccedilatildeo Natildeo se aconselha a introduccedilatildeo de rainhas provenientes de outras regiotildees mesmo quando de sub-raccedila apurada para evitar a importaccedilatildeo de pragas e doenccedilas ainda natildeo constatadas no Estado Na substituiccedilatildeo devem-se aproveitar as abelhas rainhas produzidas na regiatildeo procurando selecionar as matrizes que apresentem caracteriacutesticas desejaacuteveis como alta produccedilatildeo pouca agressividade resistecircncia a doenccedilas pouca tendecircncia agrave enxameaccedilatildeo e migraccedilatildeo etc

Fazer o controle da enxameaccedilatildeo tomando as seguintes medidas

- Natildeo deixar faltar espaccedilo no interior da colmeacuteia principalmente em eacutepoca de florada substituindo os favos do ninho (velhos ou repletos de alimentos e as melgueiras lotadas de mel) por quantos forem necessaacuterios - Controlar a idade da rainha substituindo-a de acordo com a avaliaccedilatildeo de postura (ovos larvas e pupas)

Tela excluidora - o uso eacute indicado para se ter maior qualidade do mel Em colmeacuteias com rainha receacutem-substituiacuteda eacute aconselhaacutevel colocar a tela acima da primeira melgueira logo apoacutes observar boa postura no ninho e se jaacute tiver sido feita a troca dos quadros com cera escura

Divisatildeo de enxames - se vocecirc decidir aumentar o nuacutemero de colmeacuteias eacute hora de dividir os enxames retirando 5 quadros de um dos lados da colmeacuteia e colocando-se em outra caixa Completa-se com quadros com cera alveolada em ambas as caixas a que ficar com a rainha iraacute para o novo local A outra caixa receberaacute uma rainha jaacute fecundada ou se deixaraacute formar uma nova naturalmente Para tanto eacute necessaacuterio que tenha ovo ou cria com menos de 3 dias

17

Disposiccedilatildeo do material durante o manejo - a fim de evitar contaminaccedilotildees coloque os materiais de forma que natildeo tenham contato com o chatildeo o lado interno da tampa virado para cima as melgueiras em cima da tampa quando for revisar o ninho etc

Limpeza de apiaacuterios - manter os apiaacuterios sempre limpos a fim de evitar o ataque de inimigos naturais e a diminuiccedilatildeo da produccedilatildeo

Durante a colheita transporte centrifugaccedilatildeo e condicionamento do mel mantenha a melhor higiene possiacutevel visando agrave qualidade do mel e agrave preservaccedilatildeo da idoneidade do produto O mel deve ser colhido quando os favos estiverem com um miacutenimo de 80 de opercuIaccedilatildeo no periacuteodo seco e de 90 no periacuteodo chuvoso

A operaccedilatildeo de extraccedilatildeo do mel deve ser realizada com equipamentos apropriados como garfo desoperculador mesa desoperculadora decantador e centriacutefuga Esses equipamentos deveratildeo ser de accedilo inoxidaacutevel e de boa qualidade O mel por ser muito higroscoacutepio (absorve aacutegua) poderaacute absorver aacutegua durante a extraccedilatildeo prejudicando a sua qualidade e facilitando a fermentaccedilatildeo Portanto evite centrifugar o mel em dias ou locais muito uacutemidos

Condiccedilotildees miacutenimas satildeo necessaacuterias para a implantaccedilatildeo de um estabelecimento destinado agrave manipulaccedilatildeo e industrializaccedilatildeo de mel e produtos apiacutecolas Considerando a necessidade de se padronizarem os processos de elaboraccedilatildeo dos produtos de origem animal o Ministeacuterio da Agricultura regulamentou as normas teacutecnicas para fixaccedilatildeo de identidade e qualidade do mel

Aproveitamento dos opeacuterculos e melgueiras meladas - nos opeacuterculos e melgueiras depois de centrifugadas estatildeo de 5 a 10 da sua produccedilatildeo Desta maneira lave os opeacuterculos com aacutegua limpa e ofereccedila agraves abelhas em alimentadores As melgueiras que seratildeo guardadas