07 index jul-14

Click here to load reader

Embed Size (px)

Transcript of 07 index jul-14

  • Pginas 2, 3 e 4 Pginas 5 e 6 Pginas 7, 8 e 9

    Faturamento real Massa salarial real Anlise setorial

    Horas trabalhadas na produo Rendimento mdio real

    Emprego Utilizao da capacidade instalada

    Indicadores industriais mostram cenrio negativo

    Os dados do ms de julho no mostraram recuperao da indstria mineira, ao contrrio, os ndices dessazonalizados indicaram um comprometimento ainda maior da retomada do crescimento. O faturamento real diminuiu, acentuando a queda no acumulado do ano, sendo que esse resultado negativo est disseminado entre os setores. A elevao nas variveis ligadas produo horas trabalhadas e utilizao da capacidade instalada est relacionada com o retorno de frias coletivas de algumas empresas.

    O emprego mostrou queda pelo terceiro ms consecutivo, aps ajuste sazonal, enquanto a massa salarial e o rendimento mdio real apresentaram relativa estabilidade. A expectativa de que o terceiro trimestre do ano, que historicamente favorvel para indstria, pode estar comprometido pelos baixos nveis de confiana e pelas incertezas que cercam o cenrio poltico e econmico do pas.

    INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS (Var.%)

    VariveisJul/14 Jun/14 dessaz.

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Faturamento Real 1 (1,26) 3,39 (12,73) (7,54)

    Horas Trabalhadas 0,20 5,33 (1,89) (1,86)

    Emprego (0,14) (0,22) 0,03 (0,16)

    Massa Salarial Real 2 (0,02) 3,17 0,11 3,72

    Rendimento Mdio Real 2 (0,07) 3,40 0,09 3,74

    (%)

    Utilizao da Capacidade Instalada Jun/14 Jul/14 Jul/13 Jan-Jul/2014 Jan-Jul/2013

    ndice Original 83,29 85,90 84,25 84,74 85,08

    ndice Dessazonalizado 83,63 85,24 83,59 - -

    1 Deflator IPA/OG FGV 2 Deflator INPC IBGE

    UCI dessazonalizada JULHO/2014

    85,24%

    0%

    20%

    40%

    60%

    80%

    100%

    Ms anterior 83,63%

    Ano 25 N 7 JULHO 2014

  • 2 | ANO 25 N 7 JULHO 2014

    Faturamento realMostrou elevao diante

    do ms anterior O faturamento real incrementou 3,39% em

    julho contra junho, resultado do maior nmero de vendas para o mercado interno e externo.

    Os setores de Veculos Automotores e de Alimentos destacaram-se com as maiores influncias positivas, indicando 1,93 e 1,36 ponto percentual (p.p.), respectivamente. A maior contribuio positiva ao ndice ficou com o setor de Produtos de Metal, com expanso de 41,99%, consequncia da entrega de pedidos nas empresas de estruturas metlicas.

    Em termos dessazonalizados a varivel mostrou recuo de 1,26%.

    Em relao ao mesmo ms de 2013, o valor total das vendas reduziu 12,73%.

    A varivel registrou decrscimo de 6,15% na anlise da mdia mvel dos ltimos 12 meses.

    Entre janeiro e julho deste ano, comparativamente aos mesmos meses do ano passado, o indicador variou negativamente 7,54%.

    No acumulado do ano at julho, o setor de Veculos Automotores apresentou a maior contribuio negativa, com 6,43 p.p., registrando tambm a maior retrao no perodo (-21,23%).

    Faturamento Real - Variao (em %) x Influncia (em p.p.) acumulada

    Variao Influnciamaior influncia positiva maior influncia negativa

    23,42

    4,63

    23,70

    12,101,26 1,64

    (0,56) (4,55) (4,58)(8,84) (14,93)

    (7,55) (9,10)(4,98)

    (13,73)(21,23)

    1,02

    0,23

    0,22

    0,17

    0,13 0,08

    (0,01) (0,05) (0,07)(0,14)

    (0,22)

    (0,23) (0,39)(0,85)

    (0,97)

    (6,43)

    Prod

    utos

    Qu

    mic

    os

    Mq

    uina

    s e

    Equi

    pam

    ento

    s

    Prod

    utos

    Far

    mac

    utic

    os

    Beb

    idas

    Prod

    utos

    Alim

    entc

    ios

    Der

    ivad

    os d

    e Pe

    trl

    eo e

    Bio

    com

    bust

    vei

    s

    Mq

    uina

    s, A

    pare

    lhos

    e M

    ater

    iais

    El

    tric

    os

    Celu

    lose

    , Pap

    el e

    Pro

    duto

    s de

    Pap

    el

    Prod

    utos

    Tx

    teis

    Art

    igos

    do

    Vest

    urio

    e A

    cess

    rio

    s

    Prod

    utos

    de

    Met

    al

    Cour

    o e

    Cal

    ados

    Prod

    utos

    de

    Min

    erai

    s N

    o M

    etl

    icos

    Met

    alur

    gia

    Bs

    ica

    Extr

    ativ

    a M

    iner

    al

    Vec

    ulos

    Aut

    omot

    ores

    Faturamento real Dessazonalizado mdia 2006=100

    Faturamento Real

    Deflator: IPA/OG-FGV

    Faturamento Real Mdia Mvel Semestral

    115

    120

    125

    130

    135

    140

    145

    jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14

  • ANO 25 N 7 JULHO 2014 | 3

    Horas trabalhadas na produo

    Cresceram na comparao com junho

    As horas trabalhadas na produo elevaram-se em 5,33% no ms de julho, frente a junho.

    O setor de Veculos Automotores apresentou a maior variao positiva (17,47%) e a maior influncia (1,74 p.p.).

    Livre dos efeitos sazonais, as horas trabalhadas registraram crescimento de 0,20%.

    No confronto com o mesmo ms de 2013, a varivel retraiu 1,89%.

    Na anlise da mdia mvel dos ltimos 12 meses, as horas na produo reduziram 0,84%.

    De janeiro a julho de 2014 a varivel reduziu 1,86%, na comparao com igual perodo de 2013.

    A maior influncia negativa foi observada no setor de Veculos Automotores, com 1,76 p.p. no acumulado de janeiro a julho de 2014. O setor de Produtos de Metal apresentou a maior variao negativa (-19,49%).

    Horas trabalhadas na produo Dessazonalizado mdia 2006=100

    Horas Trabalhadas na ProduoHoras Trabalhadas na Produo Mdia Mvel Semestral

    105

    110

    115

    120

    125

    130

    135

    jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14

    Horas Trabalhadas na Produo - Variao (em %) x Influncia (em p.p.) acumulada

    Variao Influnciamaior influncia positiva maior influncia negativa

    23,71

    35,32

    2,20 3,85 3,99 5,227,68 0,99 10,55 4,20

    (2,43) (3,05) (3,69) (6,01)

    (19,49)

    (13,35)

    0,69

    0,45

    0,40 0,23 0,150,11

    0,090,08

    0,07

    0,04

    (0,08)(0,21) (0,27)

    (0,38)

    (1,14)

    (1,76)

    Prod

    utos

    Qu

    mic

    os

    Beb

    idas

    Prod

    utos

    Alim

    entc

    ios

    Prod

    utos

    de

    Min

    erai

    s N

    o M

    etl

    icos

    Prod

    utos

    Tx

    teis

    Mq

    uina

    s, A

    pare

    lhos

    e M

    ater

    iais

    El

    tric

    os

    Prod

    utos

    Far

    mac

    utic

    os

    Extr

    ativ

    a M

    iner

    al

    Der

    ivad

    os d

    e Pe

    trl

    eo e

    Bio

    com

    bust

    vei

    s

    Celu

    lose

    , Pap

    el e

    Pro

    duto

    s de

    Pap

    el

    Mq

    uina

    s e

    Equi

    pam

    ento

    s

    Cour

    o e

    Cal

    ados

    Met

    alur

    gia

    Bs

    ica

    Art

    igos

    do

    Vest

    urio

    e A

    cess

    rio

    s

    Prod

    utos

    de

    Met

    al

    Vec

    ulos

    Aut

    omot

    ores

  • 4 | ANO 25 N 7 JULHO 2014

    EmpregoRecuou no acumulado

    at julho de 2014 O emprego no ms de julho decresceu 0,22%

    na comparao com junho. O setor de Veculos Automotores apresentou a

    maior influncia negativa (-0,16 p.p.). A maior variao negativa foi do setor de Bebidas com queda de 1,79%.

    Em termos dessazonalizados, o indicador recuou 0,14% em julho frente a junho.

    A mdia mvel dos ltimos 12 meses elevou-se em 0,22%.

    No acumulado at julho de 2014 o indicador decresceu 0,16%, na comparao com o mesmo perodo de 2013.

    De janeiro a julho deste ano, o setor de Produtos Alimentcios foi o que mais influenciou negativamente o emprego industrial (-0,42 p.p.). A maior variao negativa no indicador foi registrada pelo setor de Bebidas (-15,21%).

    EmpregoDessazonalizado mdia 2006=100

    EmpregoEmprego Mdia Mvel Semestral

    120

    122

    124

    126

    128

    130

    jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14

    Emprego - Variao (em %) x Influncia (em p.p.) acumulada

    Variao Influnciamaior influncia positiva maior influncia negativa

    4,017,64

    1,494,67

    10,18

    4,011,45

    (0,30) (0,24)(0,79)

    (8,91)

    (1,03) (2,25)

    (15,21)

    (2,56) (2,65)

    0,29

    0,21

    0,19

    0,19

    0,11

    0,09

    0,01

    (0,01) (0,02)(0,04)

    (0,07)

    (0,07)(0,15)

    (0,18)

    (0,19) (0,42)

    Prod

    utos

    de

    Min

    erai

    s N

    o M

    etl

    icos

    Prod

    utos

    Qu

    mic

    os

    Vec

    ulos

    Aut

    omot

    ores

    Prod

    utos

    Tx

    teis

    Prod

    utos

    Far

    mac

    utic

    os

    Mq

    uina

    s, A

    pare

    lhos

    e M

    ater

    iais

    El

    tric

    os

    Celu

    lose

    , Pap

    el e

    Pro

    duto

    s de

    Pap

    el

    Mq

    uina

    s e

    Equi

    pam

    ento

    s

    Prod

    utos

    de

    Met

    al

    Cour

    o e

    Cal

    ados

    Der

    ivad

    os d

    e Pe

    trl

    eo e

    Bio

    com

    bust

    vei

    s

    Art

    igos

    do

    Vest

    urio

    e A

    cess

    rio

    s

    Extr

    ativ

    a M

    iner

    al

    Beb

    idas

    Met

    alur

    gia

    Bs

    ica

    Prod

    utos

    Alim

    entc

    ios

  • ANO 25 N 7 JULHO 2014 | 5

    Massa salarial real Incrementou perante

    igual ms de 2013 A massa salarial real cresceu 3,17% frente a

    junho. O setor de Veculos Automotores mostrou a

    maior contribuio ao ndice, com 1,00 p.p. e tambm a maior variao positiva, com 8,00%.

    O indicador apresentou relativa estabilidade, livre de efeitos sazonais.

    Diante de igual ms do ano anterior, os salrios totais cresceram 0,11%.

    Na anlise da mdia mvel dos ltimos 12 meses, a varivel mostrou aumento de 1,76%.

    No acumulado do ano at julho, houve expanso de 3,72% no indicador, quando comparado com o mesmo perodo de 2013.

    Nos primeiros sete meses do ano, o setor que apresentou a maior influncia positiva no resultado foi o de Produtos de Minerais No Metlicos (1,98 p.p.), assim como o maior incremento no perodo (31,70%).

    Massa salarial realDessazonalizado mdia 2006=100

    Massa Salarial Real

    Deflator: INPC - IBGE

    Massa Salarial Real Mdia Mvel Semestral

    130

    135

    140

    145

    150

    155

    160

    165

    jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14

    Massa Salarial - Variao (em %) x Influncia (em p.p.) acumulada

    Variao Influnciamaior influncia positiva maior influncia negativa

    31,70

    8,04

    21,03

    5,15 4,56

    12,865,88

    7,70

    0,21 2,801,15

    (1,91)(7,91) (6,32) (7,40) (9,37)

    1,98

    1,01

    0,71

    0,55 0,33

    0,32

    0,150,07

    0,03 0,03 0,01

    (0,06)

    (0,15)(0,17)

    (0,25)(1,33)

    Prod

    utos

    de

    Min

    erai

    s N

    o M

    etl

    icos

    Met

    alur

    gia

    Bs

    ica

    Prod

    utos

    Qu

    mic

    os

    Extr

    ativ

    a M

    iner

    al

    Prod

    utos

    de

    Met

    al

    Cour

    o e

    Cal

    ados

    Prod

    utos

    Tx

    teis

    Celu

    lose

    , Pap

    el e

    Pro

    duto

    s de

    Pap

    el

    Prod

    utos

    Alim

    entc

    ios

    Beb

    idas

    Prod

    utos

    Far

    mac

    utic

    os

    Mq

    uina

    s, A

    pare

    lhos

    e M

    ater

    iais

    El

    tric

    os

    Der

    ivad

    os d

    e Pe

    trl

    eo e

    Bio

    com

    bust

    vei

    s

    Mq

    uina

    s e

    Equi

    pam

    ento

    s

    Art

    igos

    do

    Vest

    urio

    e A

    cess

    rio

    s

    Vec

    ulos

    Aut

    omot

    ores

  • 6 | ANO 25 N 7 JULHO 2014

    Rendimento mdio real

    Cresceu nos primeiros sete meses do ano

    No ms de julho o rendimento mdio real expandiu-se em 3,40%, comparativamente a junho.

    Desconsiderando os efeitos sazonais, a varivel mostrou relativa estabilidade, assim como na comparao com igual ms do ano anterior.

    Ao analisar a mdia mvel dos ltimos 12 meses, o rendimento mdio mostrou acrscimo de 1,40%.

    De janeiro a julho de 2014, o indicador foi 3,74% maior, comparando-se com o mesmo perodo do ano anterior.

    Dessazonalizado mdia 2006=100Rendimento mdio real

    Rendimento Mdio RealRendimento Mdio Real Mdia Mvel SemestralHoras Trabalhadas na Produo

    Deflator: INPC - IBGE

    105

    110

    115

    120

    125

    130

    135

    jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14

    NUCINUCI Mdia Mvel SemestralDessazonalizado Percentual mdio

    Utilizao da Capacidade Instalada

    80

    82

    84

    86

    88

    90

    jul/11 nov/11 mar/12 jul/12 nov/12 mar/13 jul/13 nov/13 mar/14 jul/14

    Utilizao da capacidade instalada

    Elevou-se no ms de julho O nvel de utilizao da capacidade instalada

    no ms de julho cresceu 2,61 p.p., aferindo 85,90% em julho contra 83,29% do ms de junho.

    Livre dos efeitos sazonais, a utilizao da capacidade instalada no ms de julho registrou 85,24%, apresentando aumento de 1,61 p.p. em relao ao ms anterior (83,63%).

    Na comparao com julho de 2013 (84,25%) o indicador elevou-se em 1,65 p.p..

    O indicador mdio no acumulado at julho de 2014 foi de 84,74%, apresentando reduo de 0,34 p.p. em relao ao mesmo perodo de 2013 (85,08%).

  • ANO 25 N 7 JULHO 2014 | 7

    Anlise setorial O faturamento real apresentou crescimento de 3,39% na indstria de Minas Gerais no ms de julho, em relao a junho. Dentre os 16 setores pesquisados, 11 registraram crescimento no indicador nesse mesmo perodo, sendo a maior influncia do setor de Veculos Automotores (1,93 p.p.). Aps ajuste sazonal o resultado inverteu e registrou queda de 1,26%.

    O emprego registrou diminuio de 0,22% em julho diante de junho e, dentre os 16 setores pesquisados, dez mostraram recuo. A maior queda foi no setor de Bebidas (1,79%), enquanto a maior influncia negativa foi verificada no setor de Veculos Automotores (0,16 p.p.). A massa salarial cresceu 3,17%, com a maior variao aferida nos setores de Veculos Automotores (8,00%), Mquinas e Equipamentos (6,68%) e Extrativo Mineral (6,50%). Livre das influncias sazonais, o emprego recuou 0,14% e a massa salarial e o rendimento mdio real mostraram relativa estabilidade.

    Importante sinalizador do nvel de atividade, o indicador de horas trabalhadas na produo cresceu 5,33% na comparao de julho com junho de 2014, sendo influenciado pelo retorno de frias coletivas. Dentre aqueles que mais contriburam para a expanso chamou ateno o setor de Veculos Automotores (1,74 p.p.). Em termos dessazonalizados, o indicador expandiu 0,20%.

    O nvel de utilizao da capacidade instalada mostrou acrscimo de 2,60 p.p., sendo que 10 dos setores pesquisados apresentaram elevao no indicador. Os dados dessazonalizados mostraram elevao de 1,61 p.p..

    Os setores de destaque no ms foram: Veculos Automotores, Metalurgia, Vesturio e Acessrios e Mquinas, Aparelhos e Materiais Eltricos.

    O faturamento real das empresas de Veculos Automotores cresceu 8,06% em julho, diante de junho, em virtude do incremento nas vendas para o mercado interno e externo. O retorno s atividades normais aps a concesso de frias coletivas em algumas empresas explicou o resultado. As horas trabalhadas na produo aumentaram 17,47%, em decorrncia do acrscimo nas horas extras e do retorno ao trabalho de funcionrios que estavam em frias coletivas, enquanto a utilizao da capacidade instalada apresentou relativa estabilidade. O nvel de emprego (-1,25%) diminuiu pelo sexto ms consecutivo nessa base de comparao, refletindo o recuo na produo do setor. A massa salarial elevou-se em 8,00% devido ao maior pagamento de rescises e horas extras e, associada queda no emprego, justificou a expanso de 9,38% no rendimento mdio real dos trabalhadores.

    Indicadores de atividade do setor deVeculos Automotorescontra ms anterior (%)

    8,06

    17,47

    (0,02) (1,25)

    8,00 9,38

    Fatu

    ram

    ento

    real

    Hor

    as tr

    abal

    hada

    s

    UCI

    *

    Empr

    ego

    Mas

    sa s

    alar

    ial r

    eal

    Rend

    imen

    to m

    dio

    *Em pontos percentuais

    Em funo da queda nas vendas nacionais e nas exportaes, especialmente no segmento siderrgico, o setor de Metalurgia registrou queda de 6,21% no faturamento real. As empresas de ferro-gusa e ferroliga e de fabricao de tubos de ao tambm contriburam para o resultado. Apesar da queda de 0,25% no emprego e de 0,17 p.p. no nvel de utilizao da capacidade instalada do setor, as horas trabalhadas cresceram 1,09%, consequncia do retorno de frias coletivas em algumas empresas. A massa salarial expandiu 5,47% em virtude do pagamento de participaes nos lucros.

    Indicadores de atividade do setor de Metalurgia contra ms anterior (%)

    (6,21)

    1,09

    (0,17) (0,25)

    5,47 5,74

    Fatu

    ram

    ento

    real

    Hor

    as tr

    abal

    hada

    s

    UCI

    *

    Empr

    ego

    Mas

    sa s

    alar

    ial r

    eal

    Rend

    imen

    to m

    dio

  • 8 | ANO 25 N 7 JULHO 2014

    No ms de julho, na comparao com junho, o setor de Vesturio registrou elevao de 21,32% no faturamento real, reflexo do aumento nas vendas domsticas. O crescimento na produo contribuiu para o incremento de 3,04% no emprego, o que, aliado a maior realizao de horas extras e ao retorno de funcionrios que se encontravam de frias, ocasionou a expanso de 12,41% nas horas trabalhadas na produo e de 13,85 p.p. no nvel de utilizao da capacidade. A massa salarial real apresentou decrscimo de 17,64%, como consequncia do menor pagamento de frias. A queda de 20,06% no rendimento real mdio foi determinada pelo crescimento no emprego acompanhado da retrao nas remuneraes totais.

    O incremento de 20,73% no faturamento do setor de Mquinas e Materiais Eltricos foi justificado pela elevao nas vendas para o mercado nacional e nas exportaes. O aquecimento da demanda devido proximidade do dia dos pais, no caso do segmento de eletrodomsticos, e a concentrao de entregas de acordo com os projetos, provocaram esse resultado. As horas trabalhadas aumentaram 16,82%, em funo do crescimento nos dias teis e nas horas extras, bem como do menor nmero de funcionrios em frias no ms. O nvel de emprego registrou expanso de 0,75% em decorrncia do incremento na produo e da recomposio no quadro de funcionrios e, em conjunto com o pagamento de participaes nos lucros, causou o acrscimo de 5,07% na massa salarial real. O aumento na massa salarial em proporo superior elevao no pessoal empregado determinou o crescimento de 4,28% no rendimento mdio real.

    *Em pontos percentuais

    21,32

    12,41 13,85

    3,04

    (17,64)(20,06)

    Fatu

    ram

    ento

    real

    Hor

    as tr

    abal

    hada

    s

    UCI

    *

    Empr

    ego

    Mas

    sa s

    alar

    ial r

    eal

    Rend

    imen

    to m

    dio

    Indicadores de atividade do setor de Vesturio e Acessrios contra ms anterior (%)

    contra ms anterior (%)

    20,73 16,82

    (2,58)

    0,75

    5,07 4,28

    Fatu

    ram

    ento

    real

    Hor

    as tr

    abal

    hada

    s

    UCI

    *

    Empr

    ego

    Mas

    sa s

    alar

    ial r

    eal

    Rend

    imen

    to m

    dio

    Indicadores de atividade do setor de Materiais Eltricos

  • ANO 25 N 7 JULHO 2014 | 9

    Indicadores Industriais Minas Gerais

    FATURAMENTO REAL (Variao em %)

    HORAS TRABALHADAS NA PRODUO

    (Variao em %)

    UTILIZAO DA CAPACIDADE INSTALADA

    (Variao em p.p.)

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Indstria Geral 3,39 (12,73) (7,54) 5,33 (1,89) (1,86) 2,60 1,65 (0,34)

    Indstria Extrativa (9,54) (25,02) (13,73) 0,55 0,88 0,99 1,79 2,03 (0,06)

    Indstria de Transformao 4,39 (11,77) (7,07) 5,74 (2,11) (2,10) 2,65 1,61 0,40

    POR SETOR

    Alimentos 11,70 (0,68) 1,26 1,54 2,71 2,20 1,64 (2,25) (0,94)

    Bebidas 0,15 5,01 12,10 (4,63) 19,79 35,32 (2,53) 19,15 17,64

    Txteis 7,54 (14,42) (4,58) 2,06 6,56 3,99 0,97 0,68 (0,84)

    Vesturio 21,32 (19,32) (8,84) 12,41 7,07 (6,01) 13,85 4,63 0,69

    Couro e Calados 4,01 (12,89) (7,55) 8,63 3,24 (3,05) 0,80 2,82 (0,20)

    Celulose e Papel (27,06) (37,39) (4,55) (1,40) (3,00) 4,20 3,34 2,72 0,36

    Deriv. Petrleo e Biocombustveis (5,13) (6,46) 1,64 6,59 13,13 10,55 1,15 (5,42) 0,08

    Qumicos 14,41 20,19 23,42 (0,64) 21,53 23,71 1,55 5,47 5,65

    Farmacuticos 1,48 (7,13) 23,70 2,99 2,64 7,68 (0,77) (2,99) (2,55)

    Minerais No Metlicos 6,79 (16,43) (9,10) 5,47 (0,77) 3,85 3,31 (0,79) 0,30

    Metalurgia (6,21) (19,03) (4,98) 1,09 (9,94) (3,69) (0,17) (5,01) (4,17)

    Produtos de Metal 41,99 (43,12) (14,93) 6,23 (15,01) (19,49) 4,28 2,91 (1,28)

    Mquinas e Materiais Eltricos 20,73 23,01 (0,56) 16,82 10,30 5,22 (2,58) (3,39) (1,01)

    Mquinas e Equipamentos (3,33) 8,03 4,63 5,07 (1,09) (2,43) (0,20) 5,26 (1,44)

    Veculos Automotores 8,06 (20,69) (21,23) 17,47 (15,06) (13,35) (0,02) 0,06 1,65

  • 10 | ANO 25 N 7 JULHO 2014

    Economia em PerspectivaVarivel 2014

    PIB Mundial (variao %) 3,6

    PIB Brasil (variao %) 0,7

    Produo Industrial Brasil (variao %) -1,76

    Produo Industrial Minas Gerais (variao %)* 0,70

    Faturamento Industrial Minas Gerais (variao %)* -9,1

    Exportaes Brasileiras (US$ bilhes) 243,63

    Exportaes de Minas Gerais (US$ bilhes)* 31,7

    Taxa de Cmbio (R$/US$ - m do perodo) 2,35

    IPCA (% a.a.) 6,27

    Selic nal perodo (% a.a.) 11,0

    Dvida Lquida do Setor Pblico (% do PIB) 34,99Formao Bruta de Capital Fixo (% do PIB) 17,0

    Fonte: FIEMG, Banco Central do Brasil, Tendncias Consultoria e Banco Mundial*As projees das variveis de Minas Gerais sero revistas ao final de cada semestre.

    Indicadores Industriais Minas GeraisEMPREGO

    (Variao em %)MASSA SALARIAL REAL

    (Variao em %)RENDIMENTO MDIO REAL (Variao em %)

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Jul/14 Jun/14

    Jul/14 Jul/13

    Jan-Jul/14 Jan-Jul/13

    Indstria Geral (0,22) 0,03 (0,16) 3,17 0,11 3,72 3,40 0,09 3,74

    Indstria Extrativa (0,63) (3,69) (2,25) 6,50 1,46 5,15 7,17 5,35 7,62

    Indstria de Transformao (0,19) 0,22 (0,01) 2,92 0,01 3,55 3,12 (0,21) 3,13

    POR SETOR

    Alimentos 0,47 (1,72) (2,65) 4,60 (5,28) 0,21 4,10 (3,62) 3,02

    Bebidas (1,79) (21,01) (15,21) 2,19 (2,83) 2,80 4,05 23,02 21,84

    Txteis (0,12) 5,84 4,67 (1,10) 2,98 5,88 (0,98) (2,15) 1,51

    Vesturio 3,04 0,35 (1,03) (17,64) (8,09) (7,40) (20,06) (8,41) (6,39)

    Couro e Calados 1,05 4,39 (0,79) (13,15) 15,88 12,86 (14,05) 11,01 13,77

    Celulose e Papel 0,62 1,55 1,45 2,93 1,33 7,70 2,29 (0,22) 6,11

    Deriv. Petrleo e Biocombustveis 0,18 (3,41) (8,91) (1,32) (13,89) (7,91) (1,50) (10,85) 1,71

    Qumicos (0,21) 5,46 7,64 5,75 9,11 21,03 5,97 3,46 12,44

    Farmacuticos (0,35) 3,13 10,18 5,00 0,73 1,15 5,36 (2,32) (8,19)

    Minerais No Metlicos (1,44) 0,98 4,01 5,43 21,61 31,70 6,97 20,42 26,68

    Metalurgia (0,25) (5,02) (2,56) 5,47 (1,38) 8,04 5,74 3,84 10,86

    Produtos de Metal (1,04) 9,45 (0,24) 1,70 5,25 4,56 2,77 (3,84) 5,92

    Mquinas e Materiais Eltricos 0,75 6,13 4,01 5,07 (8,08) (1,91) 4,28 (13,38) (5,58)

    Mquinas e Equipamentos (1,35) 0,72 (0,30) 6,68 (3,26) (6,32) 8,14 (11,57) (11,11)

    Veculos Automotores (1,25) (2,12) 1,49 8,00 0,58 (9,37) 9,38 4,00 (10,18)

  • ANO 25 N 7 JULHO 2014 | 11

    Nota MetodolgicaA Pesquisa Indicadores Industriais elaborada pela Assessoria Econmica da FIEMG em conjunto com a Confederao Nacional da Indstria - CNI. As informaes referentes ao ms de julho de 2014 resultam de levantamento feito em 244 empresas. Os indicadores so divulgados na base mdia 2006=100 e obtidos atravs da mdia ponderada dos indicadores dos setores, onde os pesos representam a participao relativa dos mesmos na indstria do estado, com base na mdia dos dados da PIA 2007 e 2008. So divulgados tambm os resultados dessazonalizados para todas as variveis, a partir de modelos estruturais utilizando-se o sistema Tramo Seats. Variveis pesquisadas: Faturamento Real faturamento lquido, exclusive IPI, referente a produtos industrializados pela empresa; Emprego total de pessoas existentes no ltimo dia do ms remuneradas diretamente pela empresa, com ou sem vnculo empregatcio, com contrato de trabalho por tempo indeterminado ou temporrio, ligadas ou no ao processo produtivo; Horas Trabalhadas na Produo total de horas trabalhadas pelo pessoal empregado na produo; Massa Salarial Real valor das remuneraes pagas ao pessoal empregado total da empresa; Rendimento Mdio Real razo entre a Massa Salarial Real e o Emprego; Utilizao da Capacidade Instalada percentual da capacidade de produo operacional utilizada no ms.

    A partir de janeiro de 2013, a Pesquisa Indicadores Industriais passou a ser divulgada de acordo com a CNAE 2.0.

  • Ficha Tcnica

    Realizao:

    Sistema FIEMG Federao das Indstrias do Estado de Minas GeraisPresidente: Olavo Machado Junior

    Responsvel Tcnico:Assessoria Econmica da FIEMG

    Federao das Indstrias do Estado de Minas Gerais Av. do Contorno, 4456 - Funcionrios - Belo Horizonte - MGGerncia de Imprensa: (55) 31 3263-4449 / 3263-4444

    Assessoria Econmica da FIEMG: (55) 31 3263-4394 / 3263-4388