14ª Conferência Internacional da LARESlares.org.br/Anais2014/artigos/931-1162-1-RV.pdf ·...

of 13/13
14ª Conferência Internacional da LARES Edifício Manchete, Rio de Janeiro - Brasil 18, 19 e 20 de Setembro de 2014 Integração de dados urbanos utilizando tecnologia BIM. José Luis Menegotto 1 1 Universidade Federal de Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Brasil, [email protected] RESUMO As técnicas utilizadas para conceber projetos arquitetônicos e urbanos, assim como os procedimentos de avaliação das hipóteses de projeto, estão sofrendo um processo de transformação ocasionado pela incorporação nos últimos anos da tecnologia BIM (Building Information Modeling). O presente artigo relata uma técnica programada especialmente para reformatar, parametrizar e transportar para um modelo BIM bases de informação de dados gráficos existentes. Os dados de entrada processados são arquivos de desenho DWG com as informações de contornos bidimensionais de projetos urbanísticos. A técnica desenvolvida visa modelar, parametrizar, classificar e transferir os dados bidimensionais existentes para massas tridimensionais que serão consolidadas em um modelo BIM com definição LoD 100. Posteriormente, as massas sofrem operações de segmentação horizontal com as que se obtêm com rapidez diversas métricas e comparações de hipóteses de projeto. As métricas podem ser configuradas para se obterem desde índices de ocupação até estimativas de custo de construção. Os dados obtidos permanecem no modelo BIM e em repositórios externos em formato XML, que podem ser utilizados por equipes de projetistas compostas por profissionais que utilizam sistema CAD tradicional trabalhando junto a projetistas com conhecimentos em plataformas BIM. A técnica proposta para a reformatação dos dados é pensada para facilitar o processo de mudança gradual, mas definitiva, de sistemas de produção de projetos baseados em CAD para sistema de produção baseados em BIM. Palavras-chave: CAD-BIM, IFC, Building Information Modeling.
  • date post

    10-Feb-2019
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of 14ª Conferência Internacional da LARESlares.org.br/Anais2014/artigos/931-1162-1-RV.pdf ·...

14 Conferncia Internacional da LARES Edifcio Manchete, Rio de Janeiro - Brasil

18, 19 e 20 de Setembro de 2014

Integrao de dados urbanos utilizando tecnologia BIM.

Jos Luis Menegotto1

1 Universidade Federal de Rio de Janeiro, Escola Politcnica, Brasil, [email protected]

RESUMO

As tcnicas utilizadas para conceber projetos arquitetnicos e urbanos, assim como os procedimentos de

avaliao das hipteses de projeto, esto sofrendo um processo de transformao ocasionado pela

incorporao nos ltimos anos da tecnologia BIM (Building Information Modeling). O presente artigo

relata uma tcnica programada especialmente para reformatar, parametrizar e transportar para um modelo

BIM bases de informao de dados grficos existentes. Os dados de entrada processados so arquivos de

desenho DWG com as informaes de contornos bidimensionais de projetos urbansticos. A tcnica

desenvolvida visa modelar, parametrizar, classificar e transferir os dados bidimensionais existentes para

massas tridimensionais que sero consolidadas em um modelo BIM com definio LoD 100.

Posteriormente, as massas sofrem operaes de segmentao horizontal com as que se obtm com rapidez

diversas mtricas e comparaes de hipteses de projeto. As mtricas podem ser configuradas para se

obterem desde ndices de ocupao at estimativas de custo de construo. Os dados obtidos permanecem

no modelo BIM e em repositrios externos em formato XML, que podem ser utilizados por equipes de

projetistas compostas por profissionais que utilizam sistema CAD tradicional trabalhando junto a

projetistas com conhecimentos em plataformas BIM. A tcnica proposta para a reformatao dos dados

pensada para facilitar o processo de mudana gradual, mas definitiva, de sistemas de produo de projetos

baseados em CAD para sistema de produo baseados em BIM.

Palavras-chave: CAD-BIM, IFC, Building Information Modeling.

14 Conferncia Internacional da LARES Edifcio Manchete, Rio de Janeiro - Brasil

18, 19 e 20 de Setembro de 2014

Integration of urban data through BIM technology

ABSTRACT

At present, the techniques used to design architectural and urban projects as well as the procedures for

evaluating the project hypotheses are moving on to the BIM technology (Building Information

Modeling). The article describes a technique specially programmed to reformat, setup and transport an

existing graphical database produced in a traditional CAD application to a BIM model. The data to be

processed are DWG files drawings with information of two-dimensional contours of urban projects. The

program set up the model with their parameters and transfers the existing two-dimensional shapes into

three-dimensional LoD 100 masses. The mass model permit established diverse metrics of urban index

rates. The data remain in the BIM model and in external repositories in XML format that can be used by

design teams, composed by users of traditional CAD system working alongside designers with knowledge

in BIM platforms. The proposed technique for reformatting data has been thought to facilitate the process

of gradual shift of the production methods of designs based in CAD for the production methods based and

supported by BIM systems.

Key-words: CAD-BIM, IFC, Building Information Modeling.

Pgina 1 de 13

1. INTRODUO

O presente trabalho relata o desenvolvimento de um conjunto de procedimentos programados

com o objetivo de recondicionar informaes grficas contidas em arquivos de desenho para

envi-las, reestruturadas, para modelos Revit. O procedimento de extrao dos dados feito na

origem foi programado em AutoLISP, j o procedimento de insero dos dados reestruturados

para os modelos Revit foi desenvolvido em linguagem C#. Apresentam-se em paralelo algumas

reflexes que, a despeito de oposies e diferenciaes CAD/BIM, procuram chamar a ateno

para o valor das bases grficas produzidas durante os ltimos 20 anos de trabalho projetual. A

convico que anima o presente estudo entende que os escritrios de arquitetura e engenharia

no podem abandonar o capital intelectual acumulado nas bases grficas, nem tampouco

permanecer tecnologicamente refratrios aos novos processos de produo de projetos, que esto

se deslocando e consolidando no uso de tecnologia BIM. Procura-se destacar um mtodo de

trabalho que permita conciliar o dilema relacionado com a atualizao tecnolgica. Qualquer

escritrio de mdio porte que utilizando ferramentas CAD tenha produzido projetos

ininterruptamente durante os ltimos 20 anos deve ter acumulado um acervo de 60.000 arquivos

grficos, seno mais. A necessidade de reposicionar tecnologicamente um escritrio de projeto

perante s tcnicas de projeto orientadas ao BIM pode colocar uma equipe de projeto perante o

dilema de ter que adotar a nova tecnologia abandonando os mtodos CAD tradicionais. Essa

opo, com frequncia apresentada como um destino quase fatal, no resolveria entretanto os

problemas de fundo que se relacionam com o domnio e o uso adequado do ferramental

disponvel. Pretende-se apontar que a adoo de tecnologia BIM no implica necessariamente o

abandono das tcnicas tradicionais de CAD. As diversas teorias que tratam o projeto como uma

atividade orientada por regras permanecem, seno as mesmas, em grande parte intactas. Como

alternativa, mostra-se que uma transio em que um tipo de fuso CAD-BIM, onde no existem

conflitos de essncias possvel.

Como acervo digital entende-se aqui a somatria de todos os documentos grficos e das

estruturas de informao criadas como suporte desses documentos, isto : o sistema de

padronizao de camadas, bibliotecas de smbolos, bibliotecas de funes especficas, todos os

documentos de desenho, imagens, tabelas de dados, etc. Nesse sentido, a informao pode estar

contida e latente em muitas e diversas fontes documentais, assim como nos processos de

desenvolvimento.

Toma-se como referncia o acervo dos arquivos de desenho em formato DWG AutoCAD do

Municpio de Rio de Janeiro, realizados pela Prefeitura da cidade. Eles contm informao da

configurao geomtrica de todos os bairros, apresentando curvas de nveis, delimitao de ruas

e logradouros, delimitao de edificaes, localizao de equipamentos urbanos, mobilirio

urbano, vegetao, infraestrutura bsica de postes, etc. Trata-se de um conjunto informaes de

elementos construdos, mas nem sempre existentes, pois da prpria natureza do objeto urbano

ser submetido a uma dinmica de transformao contnua. Portanto, vale notar que os dados

utilizados na presente experincia tm caractersticas particulares que os distinguem dos modelos

de informao de projetos em fase de idealizao. Destaco ento dois modos de lidar com a

informao urbana: a que se refere cidade real que apresenta extrema variabilidade formal e

a que diz respeito cidade ideal, fruto dos projetos em andamento, na qual o projetista pode

exercer um maior controle sobre a forma. Durante o processo de reformatao e transporte de

dados entre AutoCAD e Revit aproveita-se a oportunidade para agregar valor geometria

existente, reordenando-a e acrescentando-lhe um conjunto de dados no geomtricos, de acordo

a uma estrutura de informao especialmente definida. Utiliza-se a informao geomtrica de

arquivos dwg para gerar e carregar um modelo BIM, mantendo os dados disponveis para ambas

as aplicaes.

Pgina 2 de 13

2. METODOLOGIA.

O trabalho iniciado pela limpeza e preparao dos arquivos de desenho originais (dwg) que

carregam informao geomtrica dos elementos urbanos. Nos arquivos processados, as

poligonais que definem os limites das edificaes esto posicionadas na cota de maior altura dos

edifcios, no entanto, por serem poligonais em 3D (3DPolyline) no h garantias de que vrtices

coplanares tenham sido posicionados de modo a respeitar essa situao espacial. A inspeo

visual dos arquivos mostra a existncia de vrtices que sofreram deslocamento da cota, como

mostra a imagem esquerda da figura 1.

Na imagem direita, so apresentadas as poligonais corrigidas atravs de macros escritas em

AutoLISP (que so tambm parte do acervo). A cota de cada poligonal unificada pelo vrtice

com a maior altura. No processo a nova poligonal convertida para o tipo LWPolyline.

Figura 1: Comparao dos arquivos original e corrigido. Planta e elevao.

Com o objetivo de reduzir o tamanho dos novos arquivos gerados as funes automaticamente

selecionam e apagam as poligonais internas de cada permetro edificado. Em geral, tais

poligonais representam a posio de elementos como casas de mquinas ou castelos dgua e

como o aplicativo trabalha em LoD100 (Level of Detail) essa informao foi descartada. Para

obter poligonais de topologia coerente, outro processo realizado diz respeito eliminao de

vrtices e segmentos repetidos nas poligonais originais de quadras, lotes e prdios. O sistema

organizado em quatro elementos fundamentais: Setor, Quadra, Lote e Prdio. O contorno das

quadras foi simplificado retificando as esquinas.

1.1 Formulao da estrutura de dados urbana.

A informao grfica do arquivo corrigido foi exportada em arquivos XML. No primeiro estgio

do projeto exportaram-se os dados em razo de um arquivo por quadra. Cada arquivo continha a

informao geomtrica acrescentada de campos especficos que representam propriedades da

quadra e seus prdios: reas, quantidade de lotes, rea de projeo da edificao, altura, uso,

proprietrio, estado de conservao, quantidade de unidades, tipologia e proprietrio. O dado

extrado da base grfica original disponibilizado para que outros aplicativos possam utiliz-lo.

Os dados geomtricos que definem os contornos e os dados referentes a quantidades, como reas

de prdios e quadras, so automaticamente preenchidos durante o procedimento de exportao

com a informao constante na base original.

Pgina 3 de 13

Dados no geomtricos, como o uso das edificaes, neste caso pode ser automaticamente

preenchidos, derivando a informao do layer utilizado pela poligonal, uma vez que nesses

arquivos a estrutura de layers portadora de significado especfico. Os dados no geomtricos

que no podem ser derivados por no estarem associados a algum elemento aponte a uma

informao (p. ex. proprietrio ou estado de conservao) so definidos como campos

vazios, que podem ser preenchidos posteriormente pelas equipes de gesto. Na presente verso

do aplicativo, a estrutura dos dados agregados ao modelo permanece internamente codificada no

programa (hard-coded), mas o resultado exposto no arquivo XML. A funo desse arquivo

atuar como repositrio dos dados obtidos do modelo tradicional, portanto deve ser armazenado

num local especfico do ambiente comum de informao definido pelas equipes de projeto

(servidor e pasta do projeto).

Figura 2: Trecho de funo AutoLisp de extrao de dados.

Figura 3: Estruturao dos dados extrados em arquivo XML.

Pgina 4 de 13

2.1 Importando os dados em Revit para criar as massas urbanas.

A importao dos dados para os editores de famlias e de projeto de Revit realizada por

aplicativo programado em C# em ambiente .NET em duas etapas. Na primeira etapa, realizada

no editor de famlias, o aplicativo realiza a leitura do arquivo XML, criando uma famlia para

cada elemento urbano: quadra, lote e prdio. Nas famlias criadas so adicionados os parmetros

que carregaro os dados definidos no arquivo XML. A segunda etapa realizada no editor de

projetos. Nesse momento o aplicativo insere as famlias de massas criadas, consolidando o

modelo da rea urbana estudada. Os campos definidos no arquivo repositrio XML so

transferidos s massas do modelo na forma de parmetros compartilhados, de modo a possibilitar

a sua tabulao posterior e extrao de quantitativos. A altura de cada massa de edificao

parametrizada para permitir o ajuste da geometria aps a sua incorporao no modelo ou durante

a simulao de alterao do gabarito de alturas na fase de estudo do projeto urbano.

Pgina 5 de 13

Vale ressaltar que, embora a informao tenha como origem arquivos de AutoCAD e como

destino um modelo de Revit, os dados permanecem disponveis no arquivo externo XML, que

poderia ser utilizado como fonte de informao por qualquer outro aplicativo que se integre ao

processo do projeto. No ambiente Revit as massas dos prdios podem ser trabalhadas

incorporando-lhes objetos da categoria Mass Floor possibilitando diversos estudos comparativos

de hipteses de ocupao.

3. RESULTADOS

3.1 A cidade real.

O procedimento exposto encontra-se no segundo estgio de desenvolvimento. Ele dever ser

incrementado com novos dados associados tanto no nvel da quadra (infraestrutura, vegetao,

sinalizao, etc.) como no nvel do lote e edificao. Uma tarefa crtica realizada consistiu na

programao de funes de sincronizao dos dados, uma vez que as diversas fontes (arquivos

originais e corrigidos, famlias, modelos BIM e repositrio XML) permanecem objetos

independentes.

Portanto, os dados que devem ser modificados so os que constam na estrutura definida no

arquivo repositrio central XML, que deve ficar acessvel para todos os aplicativos grficos

envolvidos no projeto. Modificado o repositrio deve ser sincronizado com o modelo para que as

alteraes sejam atualizadas e vice-versa. Foram programadas funes para realizar a tarefa de

sincronizao dos dados.

Figura 4: Modelo do bairro Leblon. Edifcios destacados pelo uso.

A primeira verso testada aplicando o procedimento no bairro do Leblon (98 quadras e 1538

prdios) resultou num modelo Revit com 290 Mb, perto do limite mximo recomendvel de 300

Mb (READ et al. 2012). Essa recomendao levou a tomar a deciso de criar famlias mais

Pgina 6 de 13

compactas, adotando-se o procedimento de purgar as informaes que no so estritamente

necessrias, salvar no modo compacto e registrar cada famlia com apenas duas vistas: a vista

superior (Ref. Plan) e uma vista em elevao (South). Desse modo conseguiu-se reduzir o

tamanho do modelo, que caiu de 290 Mb para 160 Mb.

O aplicativo foi programado para manipular arquivos grficos de reas urbanas reais, as quais

contm irregularidades geomtricas decorrentes das imprecises dos processos de construo, da

irregularidade dos limites dos lotes e do evidente fato de que a composio formal de uma cidade

devida interveno de muitos agentes, que embora trabalhando sobre um cdigo de restries

formais, definem solues singulares a seus projetos. Como consequncia disso, a geometria das

reas urbanas tem como uma das suas caractersticas ser pouco retificadas alm de apresentar

grande variabilidade morfolgica.

A irregularidade caracterstica da cidade dificultou a tarefa de encontrar uma forma eficiente de

automatizar o processo de criao das famlias, de modo a se obterem formas tipificadas, ou seja,

considerar todos os parmetros que permitam unificar as massas em tipos edilcios com o

objetivo de reduzir a informao ingressada e, consequentemente, diminuir o tamanho do

modelo aumentando a eficincia.

Figura 5: Alguns contornos exportados de edificaes reais.

No obstante, partindo dessa condicionante, optou-se por trabalhar mantendo constante o

contorno da edificao incorporando-lhe a parametrizao apenas no dado de altura do prdio,

atravs da criao automtica de um plano de referncia varivel. A parametrizao geomtrica

acompanhada por diversos parmetros no geomtricos, que dizem respeito ao uso ou

caractersticas especficas dos edifcios. Outra estratgia que visa minimizar os problemas

associados ao tamanho dos modelos obtidos a partir da leitura dos dados reais, foi a

segmentao das reas urbanas por setores.

Figura 6: Setorizao.

Pgina 7 de 13

2.1 A cidade ideal.

A tcnica proposta de revitalizao do acervo grfico pode ser adotada por equipes compostas

por profissionais com diversas habilidades. Alguns projetistas poderiam definir o partido ou as

linhas mestras do projeto com o contorno, a setorizao e a distribuio de usos do

empreendimento em um sistema CAD tradicional, enquanto outros, especializados em sistemas

BIM trabalhariam sobre as verificaes e validaes analticas, realizando as simulaes de

estudos solares, simulaes de tnel de vento e fornecendo a quantificao de diversas hipteses

de projeto com os ndices de ocupao passando os resultados e as estimativas de custo para os

agentes de deciso.

Figura 7: Volume do lote x Volume construdo.

O modelo urbano proposto utiliza dois tipos de massas. Uma delas destinada para as

edificaes e caladas, sendo definida como uma massa opaca diferenciada pelo material

aplicado sobre ela. Os materiais so automaticamente adicionados ao modelo e coincidem com o

cadastro de usos do solo definido pelo aplicativo, constante no cabealho do repositrio XML.

Essa associao permite obter a visualizao do mapa cromtico com a distribudo do uso do

solo. A segunda massa delimita o espao total do lote, considerando tanto a superfcie de

projeo horizontal como o espao areo permitido pelo gabarito. Esta massa definida com um

material transparente e tem como funo atuar como um verificador de gabaritos, alm de

guardar a informao do valor volumtrico do lote com a qual se podem estabelecer ndices de

Pgina 8 de 13

tecido urbano em 3D, relacionando o volume total do lote ao volume construdo ou ocupado

pelos edifcios.

Utilizando a tcnica na modalidade de projeto, os dados geomtricos podem ser formatados de

modo ideal e preciso, alm de serem geralmente agrupados de acordo a determinados critrios e

lgicas de tipos. Tais condies permitem planejar uma modelagem de massas mais eficiente.

Usando como fonte de informao a geometria retificada pelos projetistas, sem as restries

impostas pela realidade fsica e construtiva, estuda-se a criao de famlias de tipos urbanos de

modo explcito, pelo agrupamento de tipos edilcios formais (prdio em U, em L, etc.) visando

um controle automatizado mais completo e sofisticado dos parmetros.

Figura 8. Modelagem manual de famlias de tipos.

As massas das edificaes inseridas no modelo urbano podem ser processadas facilmente

incorporando-lhe objetos da categoria Mass Floor, uma vez que tendo a massa e os nveis dos

andares definidos, Revit permite colocar esses objetos automaticamente, constituindo mais uma

fonte de informao referente s reas edificadas.

Figura 9: Aproveitamento dos dados do modelo.

4. INTEGRAO CAD-BIM COM APLICATIVO DE RECONHECIMENTO DE VOZ

Duas tcnicas que relacionam o campo da Lingustica com o da Tecnologia da Informao tm

chamado a ateno de pesquisadores desde a dcada de 1950: as tcnicas de reconhecimento

automtico de fala (ASR) Automatic Speech Recognition e as tcnicas de converso de texto a

Pgina 9 de 13

voz (TTS) Text to Speech. (ANUSUYA et al. 2009). Os programas de reconhecimento

automtico de fala (ASR) ou, simplesmente reconhecimento de fala procuram definir

funcionalidades que confiram ao computador a capacidade de reconhecer as locues emitidas

por um agente humano. No sentido inverso, programas TTS procuram conferir ao computador a

capacidade de traduzir informao textual a sons que simulam a voz humana. No estgio de

desenvolvimento atual os aplicativos apresentam funcionalidades que podem ser integradas aos

sistemas CAD-BIM. Desde uma perspectiva tradicional da disciplina de Desenho e Projeto

Assistido por Computador (CADD) pode-se observar a necessidade de os projetistas contarem

com a assistncia de ferramentas e interfaces que lhes permitam realizar a manipulao de

modelos cada vez mais complexos, assim como ter uma compreenso cada vez mais precisa

sobre a consequncia de cada deciso de projeto. Se bem a possibilidade do projetista contar com

um modelo integral que contm todas as informaes geomtricas e lgicas do projeto, poderia

ser apontada como uma vantagem da tecnologia BIM em relao s tcnicas CAD tradicionais,

podemos tambm enxergar nesse fato uma dificuldade, que decorre da exigncia do

gerenciamento de um banco de dados cada vez maior e complexo. Vemos ai um valor e uma

possibilidade de integrao da tecnologia de voz (SR e TTS). O aplicativo de manipulao de

dados urbanos est atualmente sendo integrado a um outro aplicativo de reconhecimento por voz

desenvolvido paralelamente. A inteno do aplicativo SR que um projetista ou gestor possa

interatuar com o modelo solicitando-lhe informao de um modo mais prximo da linguagem

natural, sem ter que necessariamente conhecer comandos especficos do programa. Com essa

finalidade, se desenvolveram conjuntos de gramticas que direcionam as requisies feitas pelo

gestor para instrues especficas de processamento da informao do modelo.

Figura 10: Exemplo de membro de uma gramtica simples. setar vista seta vista sete vista prepare vista preparar vista mostrar vista quero ver gostaria de ver mostre me out = "A_Z001";

A tecnologia de SR/TTS permite a criao de um servio de envio de mensagens gravadas

contendo relatrios falados com os dados constantes no modelo, que podem ser intercambiados

entre os projetistas e gestores atravs das redes de comunicao.

5. DISCUSSO.

Embora no se tenha encontrado um mtodo direto de transportar os dados geomtricos de um

objeto complexo como a cidade real parcialmente modelada em sistema CAD tradicional para

uma base de dados orientada ao BIM como o Revit, isso no significa que o modelo incipiente

de informao seja inexistente nos arquivos CAD tradicionais. Eles esto repletos de dados que

podem e precisam ser garimpadas. Pensamos que a distino das tcnicas BIM como algo alheio

e diferente das tcnicas de CAD tradicionais pode conduzir a uma separao dos meios de

produo de projeto pouco produtiva.

Pgina 10 de 13

Muito embora um escritrio que adote BIM deva iniciar um processo de adaptao dos mtodos

de modelar e organizar a sua base de informao grfica, os arquivos desenvolvidos em sistema

CAD tradicional ainda contm valor. Longe de serem abandonados em servidores e pastas como

arquivos mortos, eles podem ser vistos como um repositrio de informao que exige processos

de reordenamento, de reviso geomtrica e fundamentalmente de exportao estruturada dos

dados contidos neles. A tarefa de garimpar dados atravessar por maiores ou menores graus de

dificuldade, dependendo da qualidade com que outrora foram estruturados esses arquivos. A

reformatao e revitalizao dessa grande quantidade de dados exigiro mtodos especficos para

o seu reaproveitamento que, em geral, s podero ser concretizados atravs de aplicaes

especficas programadas a medida. Eis a importncia da figura do desenvolvedor inserido nas

equipes de projeto. Nesse sentido, o trabalho procurou chamar ateno para o no

esquecimento dos acervos grficos digitalizados ao longo das ltimas duas dcadas de trabalho

contnuo, em face s promessas e potencialidades de metodologias e tecnologias alternativas ou

substitutivas, como atualmente apresenta-se a tecnologia BIM.

6. CONCLUSO.

Retornando ao dilema colocado na introduo: desapegar ou no desapegar do CAD? Adotar ou

no adotar o BIM? Seria oportuno lembrar que incorreto comparar programas CAD a verses

eletrnicas da prancheta de desenho. Pode-se afirmar que programas CAD nunca o foram, no o

so e nunca o sero sucedneos eletrnicos das pranchetas de desenho. Ao contrrio, eles foram

concebidos como uma tecnologia totalmente diferente. Complexos mecanismos de desenho

suportados por estruturas de dados e, ao mesmo tempo, com capacidade de suportar estruturas de

dados significantes, com potencial para serem integrados a diversas interfaces de sada e entrada

de dados. Desde o seu ancestral, o Sketchpad de Ivan Sutherland, eles so ferramentas geradoras

e integradoras da matria prima informacional e geomtrica utilizada nos projetos. esse

segundo aspecto dos sistemas, a sua capacidade de suportar e gerar estruturas de dados que

portam significados o que os torna to diferentes das pranchetas. Hoje em dia, os programas

orientados ao BIM, graas estrutura de informao com que foram concebidos, oferecem como

facilidade a possibilidade de manipulao integral do projeto, uma vez que esto baseados em

estruturas de dados no redundantes. Alm de conservar, como os sistemas CAD, a capacidade

de suportar e gerar novas estruturas de dados. A questo do tratamento da redundncia foi uma

preocupao central desde os primeiros sistemas de informao grfica. Sutherland j o sabia e

apontou a importncia deste fator quando concebeu a arquitetura do Sketchpad, optando,

explicitamente, por permitir certa redundncia na definio das estruturas de dados, explicando

que essa deciso favoreceria a rapidez do processamento (Sutherland, 1963:37). Esse modelo de

organizao pode ter sido seguido como exemplo por toda uma linha de programas tradicionais.

Mas apesar das redundncias, enquanto bases de dados, os arquivos CAD tradicionais, que

habitam o acervo de informao dos escritrios de projeto, conservam o seu valor intacto,

porquanto constituem um repositrio de capital intelectual, ao tempo que oferecem um campo de

ao possvel para o reprocessamento e atualizao pela agregao de novos valores, que

precisam ser inseridos nos novos mtodos de trabalho e nas estruturas de dados cada vez mais

integrais e menos redundantes.

7. REFERNCIAS.

ANUSUYA M.A., KATTI. S. K. Speech Recognition by Machine: A Review. International

Journal of Computer Science and Information Security, (IJCSIS). Vol. 6, No. 3, 2009.

Pgina 11 de 13

READ, Phil; KRYGIEL, Eddy; VANDEZANDE James. Mastering Autodesk Revit Architecture

2013. Sybex, Indiana, 2012.

SUTHERLAND, Ivan Edward. Sketchpad: A man-machine graphical communication system.

Tese. University of Cambridge, MIT. Janeiro, 1963. Publicado eletronicamente em:

www.cl.cam.ac.uk/TechReports, 2003.