20160524_br_metro campinas

of 16 /16
HOMEM MAIS RÁPIDO DO MUNDO ABRE SÉRIE DE SUPERATLETAS OLÍMPICOS DO METRO PÁG. 16 MÍN: 10°C MÁX: 19°C CAMPINAS Terça-feira, 24 de maio de 2016 Edição nº 1.493, ano 7 www.metrojornal.com.br | [email protected] | www.facebook.com/metrojornal | @MetroJornal_CPS RECICLE A INFORMAÇÃO: PASSE ESTE JORNAL PARA OUTRO LEITOR Jonas mira R$ 300 mi em pacote de ‘sobrevivência’ Crise. Prefeitura de Campinas tenta sair do sufoco financeiro buscando receitas alternativas como criação de empresa para venda da dívida ativa e recuperação de impostos cobrados indevidamente pela Receita Federal, entre outras. Perda de arrecadação para este ano é de R$ 500 mi PÁG. 02 Campinas é atrativa para Aedes, diz estudo Clima, altitude e densidade demográfica põem cidade no mapa das áreas com alto risco de dengue PÁG. 04 Lava Jato leva ex- mensaleiro à prisão Ataques do EI na Síria matam 148 Ex-assessor de José Janene (PP-PR), João Claudio Genu, teria recebido R$ 7,2 milhões de propinas PÁG. 06 Série de explosões deixou ainda ao menos 200 feridos em áreas controladas pelo governo sírio PÁG. 09 Carro atingido em Tartous, na Síria | SANA / REUTERS O ministro Romero Jucá durante entrevista na tarde de ontem ADRIANO MACHADO/REUTERS JUCÁ SE AFASTA APÓS GRAVAÇÃO Em conversa com ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o ministro do Planejamento teria sugerido um ‘pacto’ para barrar Lava Jato; Temer disse que ele irá ficar fora do governo até que a questão seja esclarecida PÁG. 05

Embed Size (px)

description

 

Transcript of 20160524_br_metro campinas

  • HOMEM MAIS RPIDO DO MUNDO ABRE SRIE DE SUPERATLETAS OLMPICOS DO METRO PG. 16

    MN: 10CMX: 19C

    CAMPINAS Tera-feira,

    24 de maio de 2016

    Edio n 1.493, ano 7

    www.metrojornal.com.br | [email protected] | www.facebook.com/metrojornal | @MetroJornal_CPS

    RECI

    CLE

    A IN

    FORM

    AO

    : PAS

    SE

    ESTE

    JORN

    AL P

    ARA

    OUT

    RO L

    EITO

    R

    Jonas mira R$ 300 mi em pacote de sobrevivnciaCrise. Prefeitura de Campinas tenta sair do sufoco financeiro buscando receitas alternativas como criao de empresa para venda da dvida ativa e recuperao de impostos cobrados indevidamente pela Receita Federal, entre outras. Perda de arrecadao para este ano de R$ 500 mi PG. 02

    Campinas atrativa para Aedes, diz estudo Clima, altitude e densidade demogr ca pem cidade no mapa das reas com alto risco de dengue PG. 04

    Lava Jato leva ex- mensaleiro priso

    Ataques do EI na Sria matam 148

    Ex-assessor de Jos Janene (PP-PR), Joo Claudio Genu, teria recebido R$ 7,2 milhes de propinas PG. 06

    Srie de exploses deixou ainda ao menos 200 feridos em reas controladas pelo governo srio PG. 09

    Carro atingido em Tartous, na Sria| SANA / REUTERS

    O ministro Romero Juc durante entrevista na tarde de ontem

    ADRIANO MACHADO/REUTERS

    JUC SE AFASTA APS GRAVAO

    Em conversa com ex-presidente da Transpetro Srgio Machado, o ministro do Planejamento

    teria sugerido um pacto para barrar Lava Jato; Temer disse que ele ir ficar fora do governo at

    que a questo seja esclarecida PG. 05

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 02| {FOCO}

    Editado e distribudo por Metro Jornal S/A. Endereo: avenida Engenheiro Antonio Francisco de Paula Souza, 2799, Jardim So Gabriel, CEP 13045-541, Campinas, SP.Tel.: 019/3779-7421. O Metro Campinas impresso na Plural Editora e Grfica Ltda.

    EXPEDIENTEMetro Brasil. Presidente: Cludio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini Diretora Financeira: Sara Velloso. Gerente Executivo: Ricardo Adamo Editor-Executivo de Arte: Vitor Iwasso

    Metro Campinas. Editora-Executiva: Rose Guglielminetti Editores de Arte: Daniel Lopes e Tiago Galvo Gerente Comercial: Simone MonfardiniGrupo Bandeirantes de Comunicao Campinas - Diretor Geral: Rodrigo V. P. O. Neves

    A tiragem e distribuio desta edio so auditadas pela BDO.30.000 exemplares

    FALE COM A [email protected]/3779-7518

    COMERCIAL: 019/3779-7421

    O Metro jornal circula em 23 pases e tem alcance dirio superior a 18 milhes de leitores. No Brasil, uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicao e da Metro Internacional. publicado e distribudo gratuitamente de segunda a sexta em So Paulo, Braslia, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, ABC, Campinas e Grande Vitria, somando 495 mil exemplares dirios.

    O secretrio de Finanas, Hamilton Bernardes, est finalizando um pacote de medidas que pretende le-vantar perto de R$ 300 mi-lhes em receita extraor-dinrias que no esto previstas no oramento. O objetivo compensar as su-cessivas perdas de receita que vem sendo verificadas ao longo do primeiro qua-drimestre e que at o final do ano, podem gerar um rombo de R$ 500 milhes nas contas pblicas.

    A primeira delas ser a criao de uma empresa p-blica a PMC-Ativos para cuidar exclusivamente da dvida ativa. A ideia ten-tar antecipar recursos re-ferentes a dbitos inscritos na dvida, mas que j es-to assumidos pelo contri-buinte e at mesmo nego-ciados. O objetivo captar entre R$ 100 milhes e R$ 200 milhes de uma dvida total que hoje chega a R$ 6,6 bilhes. Bernardes diz que quer montar um mode-lo que seja seguro e atrati-

    vo. O projeto da criao da empresa dever ser enviado Cmara Municipal ainda antes do recesso parlamen-tar de meio de ano.

    A Administrao tam-bm espera recuperar R$ 30 milhes de impostos que teriam sido cobrados in-devidamente pela Receita Federal no processo de pa-

    gamento de precatrios.O pacote prev ainda, ar-

    recadar mais R$ 40 milhes do Conjud o sistema con-ciliao de dvidas judiciais e outros R$ 42 milhes de acordos em depsitos judi-ciais. Por fim, ainda plane-ja arrecadar dinheiro com a venda 62 reas pblicas para a Infraero no plano de

    expanso do Aeroporto de Viracopos.

    Bernardes lembra que no ano passado, a perda de ar-recadao chegou a R$ 300 milhes e conseguiu R$ 250 milhes em receitas extras, como a venda da folha de pagamentos, renegociao da dvida com a Unio e ou-tras medidas. TOTE NUNES

    PMC-Ativos. Prefeitura prepara medidas para compensar perda de arrecadao que chegar a R$ 500 milhes/ano e prev empresa exclusiva para cuidar da dvida ativa

    Centro de Campinas: pacote de arrecadao | DIVULGAO/PMC

    Super-pacote quer levantar R$ 300 mi em receitas extras

    O plenrio da Cmara apro-vou ontem, em segunda discusso, o projeto do Exe-cutivo que antecipou em um ano a data de adeso ao programa de parcelamento de dbitos judiciais o cha-mado Conjud.

    O projeto alterou data de validade do programa, que valeria at 31 de julho de 2017. Agora, ele se en-cerra em 31 de julho des-te ano. A antecipao se d por um problema de caixa.

    A prefeitura que pre-v perda de receita de R$ 500 milhes ao final des-te ano (Ver texto ao lado), busca fontes alternativas de receita e com o Conjud espera arrecadar perto de R$ 40 milhes. A prefeitu-ra mudou a regra no meio do jogo. O Executivo co-locou uma faca de pesco-o do contribuinte, exigin-do que ele faa um acordo agora por conta de proble-mas de caixa do poder p-blico, disse o vereador Artur Orsi (PSD). Foi apro-vada emenda do vereador Jorge Schneider (PTB) que impede novas prorroga-es de prazo. METRO

    Dvida. Cmara d sinal verde para Conjud

    R$ 40milhes a previso de arrecadao da Prefeiturade Campinas com oprograma Conjud

    Editado e distribudo por Metro Jornal S/A. Endereo: avenida Engenheiro Antonio Francisco de Paula Souza, 2799, Jardim So Gabriel, CEP 13045-541, Campinas, SP.Tel.: 019/3779-7421. O Metro Campinas impresso na Plural Editora e Grfica Ltda.

    EXPEDIENTEMetro Brasil. Presidente: Cludio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini Diretora Financeira: Sara Velloso. Gerente Executivo: Ricardo Adamo Editor-Executivo de Arte: Vitor Iwasso

    Metro Campinas. Editora-Executiva: Rose Guglielminetti Editores de Arte: Daniel Lopes e Tiago Galvo Gerente Comercial: Simone MonfardiniGrupo Bandeirantes de Comunicao Campinas - Diretor Geral: Rodrigo V. P. O. Neves

    A tiragem e distribuio desta edio so auditadas pela BDO.30.000 exemplares

    FALE COM A [email protected]ornal.com.br019/3779-7518

    COMERCIAL: 019/3779-7421

    O Metro jornal circula em 23 pases e tem alcance dirio superior a 18 milhes de leitores. No Brasil, uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicao e da Metro Internacional. publicado e distribudo gratuitamente de segunda a sexta em So Paulo, Braslia, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, ABC, Campinas e Grande Vitria, somando 495 mil exemplares dirios.

    NA REAL necessrio ter um p na realidade. Essa a frase do prefeito Jonas Donizette (PSB) sobre a deflagrao da greve dos servidores em meio crise financeira enfrentada pela prefeitura. O diagnstico aponta que entraro R$ 500 mi-lhes a menos nos cofres pblicos neste ano; alm disso a prefeitura j tem ido aos bancos para que estes paguem as faturas dos fornecedores, numa operao chamada trava bancria, na qual ao fazer isso o banco passa a ser credor da prefeitura. Ou seja, no h margem econmica e finan-ceira para negociar o reajuste de 23%. Alm disso, o prefeito ressaltou que a negociao nunca foi interrompida e que os servidores tm dito que no houve avanos nas pautas setoriais, o que no verdade. Vou in-cluir os agentes infantis na carreira da educao, com isso, atendo uma reivindicao antiga dos servidores. Tambm

    contratamos 3,7 mil servidores por meio de concurso, de-fendeu-se o chefe do Executivo. O coordenador do Sindi-cato, Tadeu Cohen, disse que reconhece a crise financeira, mas espera que o prefeito atenda s demandas dos servi-dores. At porque a prpria prefeitura fez uma previso de reajuste de 6% para este ano, disse ele. O primeiro dia de paralisao tambm revelou um fato poltico: muitos servidores ligados a partidos que tinham se afastado das greves voltaram a ter papel protagonista no movimento poltico. Foi uma assembleia saudosista porque muitos companheiros (que perderam espao poltico) voltaram a usar os microfones. A categoria politizada, disse. O secretrio de Relaes Institucionais, Wanderlei Almeida, disse que o vis poltico desta grave est forte. Antes mes-mo de sentar conosco para falar sobre a paralisao, os ser-vidores aprovaram estado de greve. Pedimos um tempo pa-ra apresentar o diagnstico, no nos deram. Eles precisam entender a situao crtica do momento.

    Olhar cidado

    ROSE [email protected]

    1FOCO

    Propina

    PimentelO empresrio Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Ben, relatou em delao premiada que repassou propina

    de at R$ 10 milhes de empresas beneficiadas com financiamentos do

    BNDES ao governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), na poca

    em que o petista ocupava o cargo de ministro do

    Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior. A defesa do governador negou que ele tenha recebido dinheiro ou

    cometido irregularidade.

    Dlar + 1,82%

    (R$ 3,582)

    Bovespa - 0,79%

    (49.330 pts)

    Euro + 1,39%

    (R$ 4,008)

    Selic (14,25% a.a.)

    Salrio mnimo(R$ 880)

    Cotaes

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br {FOCO} 03|

    O prefeito Jonas Donizet-te (PSB) mandou um alerta aos servidores pblicos, que entraram em greve ontem, com uma pauta de reivindi-caes que inclui reajuste sa-larial de 23%. Para o prefeito, a Administrao no apre-sentou contra-proposta por um motivo bastante sim-ples: no tem o que oferecer.

    Vivemos um crise fi-nanceira delicada. No te-mos dinheiro, afirmou ele. Estamos buscando receitas alternativas para pagar for-necedores, acrescentou.

    Na semana passada, o se-cretrio de Administrao, Silvio Bernardin adiantou que o Executivo estuda apli-car um reajuste que con-

    temple apenas a inflao dos primeiros quatro meses do ano, obedecendo a uma orientao do TCE (Tribunal de Contas do Estado), o que giraria em torno de 3%.

    O diretor do Sindica-to dos Servidores, Tadeu Cohen disse que a categoria no vai aceitar menos que o ndice inflacionrio do ano. Segundo ele, um pacote pa-ra melhorar a arrecadao que est sendo desenvolvi-do pelo Executivo deveria prever a recomposio das perdas salariais dos servido-res (Veja texto na pgina 2)

    A greveA greve teve incio com uma passeata. Formada por

    cerca de 1,5 mil pessoas. A manifestao ocupou algu-mas ruas do centro como Benjamin Constant, Fran-cisco Glicrio, Moraes Sal-les e Anchieta e complicou o trnsito. Esta foi a maior adeso greve dos ltimos anos, afirmou Cohen. Se-gundo ele, houve paralisa-es na Sade, Educao e na Segurana.

    O secretrio de rela-es institucionais, Wan-derlei Almeida por sua vez, garantiu que a adeso foi de apenas 3%. Segun-do ele, no houve inter-rupo de aulas, nem sus-penso de atendimentos no Hospital Mrio Gatti.

    METRO

    Greve. Funcionrios pblicos reivindicam 23% de reajuste, alm de vale-refeio e seguro; Administrao diz no ter dinheiro

    Servidores em passeata pelo Centro | FOTGRAFO/AGNCIA

    Greve: prefeitura diz no ter como negociar Um grupo de aproximada-

    mente 400 pessoas promo-veu um ato ontem pela ma-nh em frente a reitoria da Unicamp (Universidade Es-tadual de Campinas), que marcou o incio da greve da categoria contra cortes no oramento e 12,34% de reajuste salarial. De acor-do com o diretor do Sindi-cato dos Trabalhadores da Unicamp, Diego Machado de Assis, a reitoria no deu sinais de abertura de nego-ciao. Por meio de nota a Unicamp informou que os cortes vo preservar ensi-no e pesquisa. Mas no fa-lou sobre o reajuste. METRO

    Unicamp. Grevistas promovem ato na reitoria

    400Nmero estimado de pessoas que participaram de um ato na reitoria, no primeiro dia de greve na Unicamp

    A Rodovia Jornalista Fran-cisco Aguirre Proena (SP-101), que liga Campinas a Monte Mor, foi fechada por manifestantes na manh de ontem, o que causou um congestionamento de mais de 2 km no trecho do Km 18, ao lado do Jardim Coli-na, em Monte Mor.

    O ato teve incio s 6h04 da manh, segundo infor-maes da concessionria Rodovias do Tiet, que ge-rencia a rodovia. Os mani-festantes queimaram pneus e fecharam a pista sentido Campinas. Quando a con-cessionria tentava fazer um desvio para a pista ao la-do, o protesto tambm fe-chou a via de mo oposta.

    O ato foi feito por mo-radores da regio que pe-

    dem pavimentao no bair-ro, mais pontos de nibus e uma passarela.

    A rodovia s foi total-mente liberada s 11h18, com a aceitao dos mani-festantes em negociar o pe-dido com a prefeitura. An-tes, uma das vias foi aberta, mas os agentes tiveram que limpar a parte que continha restos de pneus queimados de modo a evitar acidentes.

    METRO CAMPINAS

    SP-101. Protesto fecha pista por cinco horas

    SP-101 ficou fechada no perodo da manh | DENNY CESARE/CODIGO19/FOLHAPRESS

    Km 18foi onde ocorreu a interdio de faixas devido a uma manifestao de moradoresdo Jardim Colina

    O MPF (Ministrio Pblico Federal) de So Paulo mo-veu ao com pedido de li-minar para que o Ibama e a Mata Santa Genebra Trans-misso S.A. sejam obriga-dos a realizar audincia pblica para antes da insta-lao de linhas de transmis-so na Mata Santa Genebra. O empreendimento ser realizado tendo em vista a necessidade de aumentar a capacidade de levar energia eltrica a populao de So Paulo e Paran, em cont-nua expanso.

    As audincias tero de ocorrer em pelo menos cinco municpios: Campi-nas, Araras, Bragana Pau-lista, Sorocaba e Valinhos. O instituto informou que j realizou audincia em outras cidades, mas o MPF diz que a insuficincia das audincias pblicas patente, pois nunca justi-ficou o porqu de no ter includo Campinas, por exemplo, na lista.

    As linhas de transmis-so vo atravessar 44 cida-des do estado de So Paulo..

    METRO CAMPINAS

    Santa Genebra. MP quer audincia para novas linhas de transmisso

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 04| {FOCO}

    Campinas est entre as reas do Estado de So Pau-lo com maior risco de casos de dengue. A concluso de um estudo desenvolvido pelo doutor em Geografia da Unesp (Universidade Es-tadual Paulista), Rafael Ca-to, que mostra ainda que fatores como menor altitu-de, temperaturas mais al-tas e maior densidade de-mogrfica colaboram para o desenvolvimento do Aedes aegypti mosquito trasmis-sor de dengue, zika vrus e chikungunya.

    Segundo Cato, alm da populao da RMC (Regio Metropolitana de Campi-nas), os moradores das re-gies de Araatuba, Ri-beiro Preto e So Jos do Rio Preto devem redobrar a ateno no combate ao mosquito. So cidades de

    maior porte do interior do estado e com caractersticas ambientais que propiciam o surgimento do Aedes aegyp-ti, esclarece o pesquisador.

    Ainda segundo ele, os campineiros precisam ficar atentos com doenas como zika vrus e chikungunya. Campinas est numa fase diferenciada da dengue por-que teve muitos casos em anos anteriores e a popu-lao de certa forma ficou imune ao sorotipo 1, mas as pessoas ainda precisam ter cautela com zika vrus e chikungunya, alerta Cato.

    A anlise do especialista da Unesp coerente com a observao feita pela coor-denadora do Programa de Arboviroses de Campinas, Andrea von Zuben. Temos muitas pessoas entrando e saindo da cidade e se a po-pulao se descuidar o v-rus vem mesmo. Neste ano a doena entrou em decl-nio porque a populao fi-cou imune ao sorotipo 1 da dengue, que contaminou muito no ano passado, conta Andrea.

    Neste ano, de acordo com a Sade, Campinas te-ve 216 casos de dengue. Em 2015 foram 65 mil re-gistros e em 2014, 42 mil contaminaes.

    Fatores de proliferao. Estudo da Unesp aponta que clima, densidade demogrfica e altitude favorecem o surgimento do Aedes

    Campinas est entre as reas com maior risco de dengue

    Internaes no Caism permanecem suspensasAs internaes na UTI Neo-natal do Caism (Centro de Atendimento Integral Sa-de da Mulher) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) continuam sus-pensas por causa de super-lotao, de acordo com a assessoria de imprensa da unidade de sade.

    A capacidade da UTI de

    15 leitos, mas neste momen-to o local conta com 17 re-cm-nascidos. Alm disso, oito pacientes esto interna-

    dos na UCI (Unidade de Cui-dados Intermedirios).

    A suspenso de interna-es no Caism ocorreu na se-mana passada, quando a uni-dade informou superlotao dos leitos. De acordo com o Caism, a orientao que os pacientes busquem atendi-mentos em outras unidades.

    METRO CAMPINAS

    O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campi-nas, em uma parceria com a Comgs, passa a adotar o gs natural. O procedimen-to ser anunciado hoje, s 10h, no terminal.

    O gs natural abastece-r os geradores de uma usi-na capaz de gerar 10 MW de energia eltrica para o com-plexo de Viracopos.

    Com isso, segundo a as-sessoria de imprensa de Vi-racopos, o aeroporto passa a ser o primeiro do Brasil a

    utilizar um kit bicombust-vel que habilita geradores a diesel a funcionarem si-multaneamente com at 70% de gs natural e o res-tante de diesel.

    Os geradores, usados at ento somente em situa-es de emergncia, agora so utilizados tambm em horrios de ponta, quando a energia eltrica conven-cional mais cara.

    Em 2015, 10 milhes de passageiros passaram por Viracopos. METRO CAMPINAS

    Parceria. Viracopos vai utilizar gs natural

    O stio aeroporturio de Viracopos tem 25,9 milhes m2 |ARQUIVO/METRO CAMPINAS

    15 leitos existem no Caism

    216casos de dengue foram registrados em Campinas

    A DOENA NA CIDADE

    20152014

    42.109

    65.000CASOS DE DENGUE

    CARACTERSTICAS QUE FAVORECEM O DESENVOLVIMENTO DO MOSQUITO

    DENSIDADE DEMOGRFICA

    PROXIMIDADE DE RODOVIAS

    POPULAO URBANA

    MENOR ALTITUDE

    CLIMA

    1 2 3

    4 5HIDAIANAROSAMETRO CAMPINAS

    Frio chega e termmetros marcam 10C, diz Cepagri bom o campineiro tirar o agasalho do guarda-roupa porque, de acordo com o Ce-pagri (Centro de Pesquisas Meteorolgicas e Climti-cas Aplicadas Agricultura), uma massa de ar de origem polar vai fazer com o que o frio permanea em Campi-nas at o fim da semana.

    Com a queda da tempe-

    ratura, estima o Cepagri, os termmetros vo marcar mnimas de 10 C e as ma-drugadas campineiras vo

    entrar para o ranking das mais frias do ano.

    Ainda de acordo com o centro de pesquisa da Unicamp (Universidade Es-tadual de Campinas), a umi-dade relativa do ar vai se manter elevada e os ventos vo marcar presena na ro-tina dos moradores de Cam-pinas. METRO CAMPINAS

    84%era a umidade do ar ontem

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br {BRASIL} 05|

    Nomeado h 13 dias, o mi-nistro do Planejamento, Ro-mero Juc, tornou-se ontem a primeira baixa do governo Mi-chel Temer. Um dos principais aliados do presidente interino, ele no resistiu presso gera-da pela divulgao de conver-sas gravadas em que sugere que a troca de governo servi-ria para que se fizesse um pac-to para estancar a sangria ge-rada pela operao Lava Jato.

    Juc chegou a alegar, em entrevista coletiva no fim da manh, que a sangria a que se referia na conversa gra-vada em maro com o ex-pre-sidente da Transpetro Srgio Machado seria a econmi-ca. A explicao no ame-nizou o mal-estar. tarde, anunciou que decidira deixar o cargo alegadamente, de forma temporria. Retorna-r ao mandato de senador at que o Ministrio Pblico deci-da se apresentar denncia.

    A soluo a mesma ado-tada no governo Itamar Fran-co, em 1993. Envolvido em denncias de desvio de verbas pblicas, o ento chefe da Ca-sa Civil Henrique Hargreaves se afastou do cargo, retornan-do trs meses depois, aps na-da ter sido confirmado.

    A conversa gravada e divul-gada pela Folha de S.Paulo teve 1h15 de durao. Nos dilogos (veja ao lado), Macha-do fala que est preocupado em ter o processo contra ele enviado Justia Federal em Curitiba e defende a necessi-dade de um acordo nacional. Juc emenda: Com o Supre-mo, com tudo; (...) Delimita-va (a Lava Jato, infere-se) onde est, e pronto. Machado e Ju-c falam sobre o PSDB, cujos lderes teriam finalmente vis-to a ficha cair sobre a Lava Ja-

    to, e citam especificamente o presidente nacional tucano, senador Acio Neves (MG), co-mo o primeiro a ser comido.

    A justificativaAps reunio com Temer, ain-da pela manh, o ministro ale-gou que a conversa foi tirada de contexto e o tema tratado foi a situao da economia. Estava falando em delimitar as responsabilidades, que dividir quem tem culpa e no tem culpa. No parar a in-vestigao, afirmou.

    Busca de substitutoO secretrio-executivo do mi-nistrio, Dyogo Oliveira, as-sume o cargo interinamente.

    O desgaste provocado pela di-vulgao, contudo, levou Te-mer a j procurar um substi-tuto efetivo. Moreira Franco, da Secretaria-Executiva do Programa de Parcerias e In-vestimentos foi sondado, mas rejeitou assumir a funo.

    Na base aliada, o sentimen-to de constrangimento. O PSDB disse que as gravaes no afetam o partido. O DEM foi o primeiro a cobrar o afas-tamento de Juc. Esses atos individuais devero ser trata-dos longe da administrao pblica, para que a reestrutu-rao e a credibilidade do go-verno no sejam comprometi-das, sustentou o lder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado.

    Cassao e prisoA divulgao do dilogo tambm provocou reaes na oposio. O Psol entrou com representao na PGR pedindo que Juc seja preso por interferncia na Justia. O PDT anunciou que entrar hoje com um pedido de cas-sao de mandato por que-bra de decoro parlamentar. O caso pior do que do se-nador Delcdio [do Amaral]. Ele tentou calar uma teste-munha. Juc quis parar a La-va Jato, acusou o senador Telmrio Mota (PDT-RR).

    ...

    A GRAVAOAcompanhe alguns trechos da conversa entre o ex-presidente da Transpetro Srgio Machado

    e o ministro Romero Juc

    FONTE: TRECHOS DIVULGADOS PELO JORNAL FOLHA DE SO PAULO

    Voc tem que ver com seu advogado como que a gente pode ajudar. [...] Tem que ser poltica, advogado no encontra [inaudvel]. Se poltico, como a poltica? Tem que resolver essa porra... Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria.

    Rapaz, a soluo mais fcil era botar o Michel [Temer].

    S o Renan [Calheiros] que est contra essa porra. Porque no gosta do Michel, porque o Michel Eduardo Cunha. Gente, esquece o Eduardo Cunha, o Eduardo Cunha est morto, porra.

    um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional.

    Com o Supremo, com tudo.

    Com tudo, a parava tudo.

    . Delimitava onde est, pronto.

    O Renan [Calheiros] totalmente voador. Ele ainda no compreendeu que a sada dele o Michel e o Eduardo. Na hora que cassar o Eduardo,

    que ele tem dio, o prximo alvo, principal, ele. Ento quanto mais vida, sobrevida, tiver o Eduardo, melhor pra ele. Ele no compreendeu isso no.

    Tem que ser um boi de piranha, pegar um cara, e a gente passar e resolver, chegar do outro lado da margem.

    A situao grave. Porque, Romero, eles querem pegar todos os polticos. que aquele documento que foi dado...

    Acabar com a classe poltica para ressurgir, construir uma nova casta, pura, que no tem a ver com...

    Isso, e pegar todo mundo. E o PSDB, no sei se caiu a cha j.

    Caiu. Todos eles. Aloysio [Nunes, senador], [o hoje ministro Jos] Serra, Acio [Neves, senador].

    Caiu a cha. Tasso [Jereissati] tambm caiu?

    Tambm. Todo mundo na bandeja para ser comido.

    O primeiro a ser comido vai ser o Acio.

    Todos, porra. E vo pegando e vo...

    [Em voz baixa] Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem , s tem condies de [inaudvel] sem ela [Dilma]. Enquanto

    ela estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra no vai parar nunca. Entendeu? Ento... Estou conversando com os generais,

    comandantes militares. Est tudo tranquilo, os caras dizem que vo garantir. Esto monitorando o MST, no sei o qu, para no perturbar.

    Eu acho o seguinte, a sada [para Dilma] ou licena ou renncia. A licena mais suave. O Michel forma um governo de unio nacional, faz um grande acordo, protege o Lula, protege todo mundo. Esse pas volta calma, ningum aguenta mais. Essa cagada desses procuradores de So Paulo ajudou muito. [referncia possvel ao pedido de priso de Lula pelo Ministrio Pblico de SP e conduo coercitiva ele para depor no caso da Lava jato]

    Os caras zeram para poder inviabilizar ele de ir para um ministrio. Agora vira obstruo da Justia, no est deixando o cara, entendeu?

    Foi um ato violento...

    ...E burro [...] Tem que ter uma paz, um...

    Eu acho que tem que ter um pacto.

    Um caminho buscar algum que tem ligao com o Teori [Zavascki, relator da Lava Jato], mas parece que no tem ningum.

    No tem. um cara fechado, foi ela [Dilma] que botou, um cara... Burocrata da... Ex-ministro do STJ [Superior Tribunal de Justia].

    ROMERO

    JUC

    SRGIO

    MACHADO

    ...

    Juc alvo de dois inquritos da Lava Jato | ADRIANO MACHADO/REUTERS

    Planalto teme impacto no CongressoO afastamento de Romero Juc s vsperas da primei-ro teste poltico do governo Temer deixou o Palcio do Planalto em alerta. O Con-gresso analisa hoje o proje-to que autoriza o governo a rever a meta fiscal e fechar o ano com as contas no verme-lho, com deficit de R$ 170,5 bilhes. A preocupao de que a votao, antes conside-rada tranquila, possa ser con-

    taminada pelas denncias.A proposta foi levada on-

    tem pelo presidente interino Michel Temer ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). importante que este governo caminhe na le-galidade. Temer no pode re-petir o governo anterior nes-se aspecto, afirmou Renan. Durante a visita, Temer foi re-cebido aos gritos de golpista.

    O ministro Geddel Viei-

    ra Lima (Secretaria de Go-verno) conversou com lde-res partidrios para afastar qualquer tentativa de adia-mento da votao, consi-derada estratgica para o conjunto de medidas que sero anunciadas pela equi-pe econmica. PT e PCdoB j anunciaram que obstrui-ro a sesso. Vamos parar a votao, disse o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

    Base governistaA bancada governista traba-lha para manter a pauta de votaes e espera votar em se-guida a prorrogao da DRU (Desvinculao das Receitas da Unio) at 2019. A nos-sa preocupao agora tra-balhar para que este fato no contamine o processo de vo-taes, disse o lder do gover-no na Cmara, Andr Moura (PSC-SE). METRO BRASLIA

    Crise. Senador nega qualquer interferncia na Lava Jato, mas deixa Planejamento. Aguardar posio da PGR sobre conversa com Srgio Machado

    Flagrado em gravao, Juc forado a deixar o governo

    MARCELOFREITAS METRO BRASLIA

    Machado tenta fechar delao

    A gravao da conversa com Romero Juc deve-r fazer parte do conjunto de provas que Srgio Ma-chado apresentar Justi-a para fechar o acordo de delao premiada. O ex--presidente da Transpetro acusado de ter repassado R$ 500 mil ao ex-diretor da Petrobras Paulo Rober-to Costa em forma de pro-pina. Ele nega.

    Ex-tucano e ligado ao presidente do Senado, Re-nan Calheiros, Machado tem bom trnsito com po-lticos do PMDB. H temor entre os caciques do parti-do de que o ex-executivo tenha usado a mesma es-tratgia para fazer outras gravaes. METRO BRASLIA

    Acordo

    No tem nada que eu possa me envergonhar, nada que eu possa ter feito que criminoso ou mal visto. No nasci ministro do Planejamento e no vou morrer ministro do Planejamento.ROMERO JUC, MINISTRO AFASTADO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTO

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 06| {BRASIL}

    O ex-tesoureiro do PP Joo Cludio Genu foi preso on-tem com mais duas pessoas na 29 fase da Lava Jato, ba-tizada de repescagem por envolver um nome j con-denado no mensalo.

    Genu suspeito de ter recebido at R$ 7,23 mi-lhes de propina de con-tratos da Petrobras ligados Diretoria de Abasteci-mento, que era controlada pelo PP. Alm de cuidar do caixa do partido, ele foi as-sessor do ex-deputado Jos Janene (morto em 2010), tido como um dos criado-res do esquema.

    Os registros de propi-nas a Genu vo at 2013, ano em que ele foi julgado no mensalo. A PF chamou de deboche a continuida-de dos crimes. Esperamos que essa impunidade, que antes havia no pensamen-to dos criminosos, hoje d lugar ao medo de ser preso por ter roubado dos cofres pblicos, disse o delegado Luciano Flores de Lima.

    O ex-assessor investi-gado desde o incio da La-va Jato. S foi preso ago-ra, segundo a fora-tarefa, porque recebia propinas

    e pagava despesas em di-nheiro vivo, o que dificul-tou o rastreamento.

    A PF apreendeu um e--mail que Genu mandou ao doleiro Youssef em 2013, se dizendo trado e cobran-do pagamentos atrasados.

    Tambm foi preso on-tem Lucas Amorim Alves, scio de Genu que chegou a assinar um recibo aps ter recolhido R$ 40 mil de propina.

    Outro mandado de pri-so foi contra Humberto Carrilho, empresrio que teria usado Genu para se aproximar do ex-diretor da Petrobras Paulo Rober-to Costa. De acordo com a PF, Carrilho pagou R$ 1,71 milho de propina a Costa por uma obra da Petrobras no Rio Amazonas. O empre-srio no foi preso porque est em viagem a Portugal, mas prometeu se entregar o mais rpido possvel.

    O advogado de Genu, Maurcio Maranho, foi pro-curado pelo Metro Jornal, mas no quis se manifestar.

    MEIRELLES PODE ACUMU-LAR FAZENDA E PLANE-JAMENTO. A licena do ministro Romero Juc (Planejamento) a solu-o aceita pelo presiden-te Michel Temer para tornar menos traumti-co o seu desligamento, que deve ser definitivo. Foi a sada honrosa encontrada pelo PMDB, aps o mal-estar causa-do pela conversa gra-vada com o ex-senador Srgio Machado. O pas-so seguinte pode ser a designao do ministro Henrique Meirelles para acumular Fazenda e Pla-nejamento.

    SUPERMINISTRO. Se Mei-relles aceitar a condio de superministro, ele poder reduzir Planeja-mento a uma secretaria, assim como o fez com a Previdncia.

    PESO INSUPORTVEL. Au-xiliares de Temer no gostam do superminis-trio. Meirelles teria poder demais e seria impossvel cuidar de trs reas to complexas.

    SADA DEFINITIVA. Nem Romero Juc acredita em seu retorno ao cargo de ministro do Planejamen-to, por causa do desgaste que o levou a se afastar.

    AFASTAMENTO. Antes da deciso de Romero Juc se licenciar, Temer cogi-tava afast-lo por 90 dias, perodo em que teria de provar a inocncia.

    PNICO FEZ MACHADO BUSCAR ACORDO DE DELA-O. O ex-senador Sr-gio Machado entrou em pnico e passou a tentar acordo de delao aps os mandados de busca e apreenso em sua casa, em Fortaleza, no dia 15 de dezembro. A busca no repercutiu porque aquela fase da Lava Jato, a Operao Catilinrias, tinha alvo mais ilustre: ningum menos que o presidente da Cmara, Eduardo Cunha, cuja re-sidncia oficial foi vas-culhada pela Polcia Fe-deral.

    QUEIMANDO DINHEIRO. Levantamento da Opera-o Poltica Supervisio-nada aponta que os 513 deputados federais gasta-ram R$ 6,1 milhes, at maio, com combustveis e lubrificantes. Tudo res-sarcido pela cota parla-mentar.

    COM GABRIEL GARCIA, RODRIGO VILELA E TIAGO VASCONCELOSWWW.DIARIODOPODER.COM.BR

    PODER SEM PUDORAlma encomendada

    Numa igreja da Asa Sul em Braslia, o nome do presi-dente do Senado, Jos Sar-ney (PMDB-AP), certa vez apareceu entre aqueles na inteno de cujas almas a missa celebrada. Alguns fiis chegaram a pensar que o ex-presidente havia

    morrido.Tratava-se trata apenas do gesto de um jornalista, ve-lho amigo de mais de 40 anos, cuja amizade Sar-ney perdeu e que, ao invs de falar mal dele, cuida de pavimentar o seu caminho para a eternidade.

    O EXECUTIVO NO PODE INTERFERIR

    EM ASSUNTOS PERTINENTES

    JUSTIA

    JUIZ SRGIO MORO SOBRE AS FANTASIAS DE PARAR, BARRAR OU DELIMITAR

    A LAVA JATO

    Poltica

    Ministro Henrique Meirelles| JOS CRUZ/AGNCIA BRASIL

    CLUDIO [email protected]

    Operao Lava Jato. Alvo da 29 fase, Joo Cludio Genu teria recebido propinas enquanto era julgado. Juiz Srgio Moro classificou a atitude como de desprezo lei

    Repescagem do mensalo prende ex-assessor do PP

    Polcia expulsa acampados Formado no domingo aps protesto contra o novo governo, o acampamento montado pelos sem-teto no entorno da casa do presidente Temer, no Alto de Pinheiros, em So Paulo, foi desfeito na madrugada de ontem pela polcia. O grupo, cerca de 150 pessoas, foi dispersado com bombas de efeito moral, bombas de gs lacrimogneo e jatos dgua | MARLENE BERGAMO/FOLHAPRESS

    RAFAEL NEVES METRO CURITIBA

    MAIS UM REPESCADO DO MENSALO

    Joo Genu suspeito de receber at R$ 7,32 milhes do esquema da Petrobras at 2013, quando j era investigado no mensalo

    FONTE: JUSTIA

    QUEM JOO GENU GENU NA LAVA JATO

    AS DESPESAS

    Foi assessor do ex-deputado Jos Janene (morto em 2010) e tesoureiro do PP. No mensalo, foi acusado de sacar R$ 1,1 milho das contas de empresa do operador Marcos Valrio, para entregar a parlamentares do PP. Genu foi condenado, mas a pena por corrupo prescreveu e a de lavagem de dinheiro foi derrubada aps embargos infringentes (recursos)

    Segundo a PF, recebia 5% da propina (15% aps a morte de Janene) devida ao PP, que embolsava 1% de cada contrato da Diretoria de Abastecimento da Petrobras

    Planilha de Alberto Youssef indica R$ 2,95 milhes mais 125 mil pagos a Genu em espcie

    Empresas de Genu receberam depsitos de R$ 7,32 milhes sem origem identicada, o que seria propina da Petrobras

    A PF suspeita que ele usou propina para comprar, em dinheiro vivo:

    R$ 119 MIL em joias

    R$ 270 MILem dois imveis em Braslia

    Com Michel Temer (PMDB) como presidente interino da Repblica, a populao se divide sobre o futuro do pas: h 34% de pessimistas; 31% de otimistas; e 30% no se identificam com nenhum dos grupos, segundo pesqui-sa Ibope divulgada ontem.

    Em 1992, quando Itamar Franco assumiu a presidn-cia aps o afastamento de Fernando Collor, 40% dos entrevistados pelo Ibope se diziam pessimistas. Na po-ca, os otimistas somavam 27%, e 25% no pendiam pa-ra nenhum lado.

    Para 63% dos entrevista-dos, os deputados e senado-res atuaram em benefcio prprio durante o processo de impeachment, enquan-to apenas 23% acreditaram que os parlamentares agi-ram em benefcio do pas.

    Atualmente, s 26% di-zem ter esperana do Brasil se tornar um pas mais ho-nesto em 1992, eram 44%.

    Foram ouvidas 2 mil pes-soas com 16 anos ou mais em 141 municpios, entre 12 e 16 de maio. METRO

    Ibope. Pas se divide com Michel Temer presidente interino, diz pesquisa

    Leia mais no metrojornal.com.br

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 08| {ECONOMIA}

    A contratao de tempor-rios para o Dia dos Namora-dos deve ser 10% menor este ano. o que revela pesquisa divulgada pela Acic (Associa-o Comercial e Industrial de Campinas). Se no ano passa-do foram 1.265 temporrios contratados, este ano a previ-so de 1.142 pessoas.

    De acordo com o econo-mista da associao, Laerte Martins, trata-se de um ce-nrio recessivo do mercado, em que os empresrios esto mais precavidos. Muitas ve-zes se faz um acordo com o funcionrio que j contrata-do por horas extras e se tenta caminhar por a, explica.

    Em Campinas, os shop-pings devem contratar mais do que o comrcio nas ruas. A previso de que, do total,

    918 pessoas sejam chamadas por lojas de shoppings.

    Alm da reduo em contratao de funcion-rios, a expectativa para um valor mais baixo no lu-cro do comrcio. O fatura-mento esperado de R$ 177 milhes ante R$ 185,5 mi-lhes do ano passado.

    Assim, o valor mdio do presente tambm ficar abai-xo cerca de R$ 106. Em 2015, o valor foi de R$ 110. Para no gastar tanto, a op-o deve partir mais para o setor de vesturio, ou perfu-mes, que tm um preo mais razovel. Outros devem op-tar por um jantar ou flores. Os eletroeletrnicos, preferi-dos anos atrs, j perderam espao com a crise, comple-ta Martins. METRO CAMPINAS

    Campinas. Contratao de temporrios ser 10% menor neste Dia dos Namorados

    O mercado reagiu a temores de que a campanha pelo ree-quilbrio das contas pblicas brasileiras sofra mais um im-passe aps um vazamento de udio sugerir que o ministro do Planejamento, Romero Ju-c, teria aventado um pacto contra a operao Lava Jato.

    O dlar avanou 1,82%, a R$ 3,5823 na venda, aps atingir R$ 3,59 na mxima da sesso. O Ibovespa, prin-cipal ndice da Bolsa, emen-dou a quinta queda seguida e fechou em baixa de 0,79%, a 49.330,42 pontos.

    Juc, que foi forado a dei-xar a pasta at que o Minist-rio Pblico se manifeste sobre a conversa, um dos princi-pais interlocutores do gover-no do presidente interino Mi-chel Temer com o Congresso e est encarregado de buscar

    apoio a medidas para colocar a economia nos eixos.

    O novo governo Temer precisa alcanar um equil-brio delicado, anunciando novas medidas e ao mesmo tempo assegurando apoio no Congresso, escreveram ana-listas do banco JPMorgan em nota a clientes. O governo precisa demonstrar progresso constante ou corre o risco de frustrar as expectativas.

    O cenrio externo nega-tivo tambm pressionou o mercado. O petrleo operou em queda durante todo o dia, em meio volta das preocu-paes com o excesso de ofer-ta no mercado da commodity.

    Os papis preferenciais da Petrobras recuaram 4,49%, co-tados a R$ 8,50, e os ordin-rios caram 2,55%, cotados a R$ 11,04. METRO

    Mercados. Dlar sobe com vazamento de udio de Juc

    Economistas veem taxa de juros menoresAs projees para a taxa bsica de juros neste ano e no prximo foram redu-zidas na pesquisa semanal Focus do Banco Central, aps a indicao de Ilan Goldfajn para a presidn-cia do Banco Central. A es-timativa para a Selic no fi-nal deste ano voltou a cair,

    a 12,75%, sobre 13% na se-mana anterior. Para 2017, a mediana das projees mudou para 11,38%, contra 11,50% antes. A Selic est hoje em 14,25% ao ano.

    Em relao inflao, o Focus apontou que o IPCA deve fechar 2016 com al-ta de 7,04%, 0,04 ponto percentual a mais do que na pesquisa anterior. Para 2017 a expectativa de in-flao de 5,50%, inalterado sobre a projeo anterior.

    METRO

    Focus

    A demanda por voos doms-ticos no Brasil caiu 12,2% em abril sobre um ano antes, ace-lerando o recuo frente ao ms anterior e completando nove quedas seguidas. Segundo a Abear, associao que repre-senta as companhias areas Latam, Gol, Azul e Avianca, o recuo foi o mais intenso des-de fevereiro de 2013.

    A oferta de voos caiu em um ritmo menos intenso em abril, recuando 10,3% so-bre um ano antes. Com isso, a taxa de ocupao das ae-ronaves diminuiu 1,73 pon-to percentual, para 79,30%.

    J a demanda por trans-porte internacional em abril teve queda de 3,6% sobre um ano antes, o se-gundo recuo consecutivo aps perodo de dois anos de alta. A oferta interna-cional, porm, caiu mais

    do que a demanda, 6,8% sobre um ano antes, o que fez a taxa de ocupao dos avies subir 2,7 pontos percentuais, para 81,41%.

    A aviao est absoluta-mente alinhada com o mo-mento econmico, afir-mou o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz. Enten-demos que em meados de 2017 poderemos voltar a ter nmeros positivos, par-tindo da premissa que a economia volte a funcio-nar, acrescentou. METRO

    Aviao. Demanda por voo domstico despenca 12,2%

    3,6%foi o recuo na demanda por viagens internacionais em abril. Foi a segunda queda consecutiva, informou a Abear

    A companhia alem de me-dicamentos e qumicos Ba-yer ofereceu US$ 62 bilhes em dinheiro para comprar a empresa norte-americana de gros transgnicos Mon-santo. A operao criaria a lder mundial do setor de pesticidas e adubos.

    A oferta no solicita-da, que inclui dvida, ser a maior aquisio de uma empresa alem no exterior, caso seja aceita. A Bayer ir oferecer US$ 122 por ao, um prmio de 37% sobre o preo da Monsanto.

    A proposta, que poderia su-perar a fuso planejada entre as unidades agrcolas de Dow Chemical e DuPont, foi feita apenas trs semanas depois de Werner Baumann assu-mir como presidente-execu-tivo da Bayer, e foi condena-da por importantes acionistas

    da empresas como uma ten-tativa arrogante de construir um imprio quando a not-cia surgiu na semana passada.

    Ns esperamos uma res-posta positiva do conselho de diretores da Monsanto, dis-se Baumann, descrevendo as crticas de alguns investido-res como reao ignorante na imprensa estimulada pe-lo elemento surpresa. METRO

    Werner Baumann, presidente daBayer | THILO SCHMUELGEN/REUTERS

    Negcios. Bayer oferece US$ 62 bi pela Monsanto

    Em meio crise criada pelo vazamento do udio envol-vendo o ministro Romero Juc (Planejamento), o go-verno deve anunciar hoje medidas de controle de des-pesas pblicas. Segundo o ministro da Fazenda, Hen-rique Meirelles, as propos-tas so de cunho legislativo e administrativo no mbito fiscal, que incluiro contro-le das despesas primrias, com foco na eficincia dos gastos pblicos.

    A ideia um plano de voo, com medidas que te-nham efeitos plurianuais e impactos permanentes. No estamos focando ape-nas no resultado deste ano, disse Meirelles, em discurso durante seminrio promovido pela revista Ve-ja, em So Paulo.

    O ministro afirmou que medidas de elevao da carga tributria foram amplamen-te usadas no passado, mas que essa receita no mais se aplica. Segundo ele, as medi-das que sero anunciadas ho-

    je tero como foco a reduo da dvida pblica. O aumen-to da carga tributria e con-teno de despesas discricio-nrias no so soluo, disse.

    Apesar de no detalhar, quais so os planos do go-verno, o ministro indicou que devem ocorrer mudan-as no atual sistema da Pre-vidncia Social. O impor-tante no apenas saber quando ter direito ao be-

    nefcio, mas saber que es-se benefcio ser pago, destacou, em relao s aposentadorias.

    Meirelles disse ainda que outras medidas de carter es-truturante sero definidas mais tarde, mas que elas re-sultaro em aumento da pro-dutividade. Assim, segundo ele, ser possvel recuperar a confiana das famlias e dos empresrios, que se dar em

    uma retomada das atividades, do emprego, do investimento e, por consequncia, da arre-cadao tributria.

    Votao da meta fiscalAcompanhado de minis-tros, o presidente interino Michel Temer foi ontem ao Congresso entregar a pro-posta de reduo da meta fiscal deste ano e foi recebi-do com protestos por mani-festantes ligados ao PT.

    Aps o encontro com o Te-mer, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), antecipou a sesso de hoje pa-ra analisar a matria para as 11 horas. O que est em jogo no o Michel (Temer), mas o interesse nacional, disse.

    Na semana passada, a equipe econmica do go-verno interino props alte-rar para R$ 170,5 bilhes a previso de rombo nas con-tas da Unio neste ano, va-lor R$ 96,7 bilhes superior ao informado pela equipe da presidente afastada Dil-ma Rousseff. METRO

    Troca de governo. Segundo Meirelles, propostas que devem ser apresentadas hoje passam tanto pelo campo administrativo quanto pelo legislativo. Foco ser a reduo da dvida pblica

    Ministro participou de evento ontem em So Paulo | NACHO DOCE/REUTERS

    Governo anuncia medidas para corte de gastos pblicos

    A ideia um plano de voo,

    com medidas que tenham efeitos

    plurianuais e impactos

    permanentes

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br {MUNDO} 09|

    Bombas mataram quase 150 pessoas e feriram pelo me-nos 200 ontem nas cidades srias de Jableh e Tartus, na costa do Mediterrneo, em uma rea controlada pelo governo que sedia foras da Rssia, disseram monitores do conflito. O Estado Islmi-co assumiu a responsabili-dade pelos ataques nas cida-des, que at ento estavam imunes a combates mais in-tensos, dizendo que visava membros da minoria alau-ta, seita de Bashar al-Assad.

    O Observatrio Srio pa-ra Direitos Humanos, com sede no Reino Unido, disse que 148 pessoas foram mor-tas nos ataques perpetrados por pelo menos cinco ho-mens-bomba e dois explo-sivos colocados em autom-veis. A mdia estatal disse que 78 pessoas morreram.

    As aes foram as primeiras desse tipo em Tartus, onde os russos, aliados de Damas-co, mantm uma instalao naval, e em Jableh.

    Um carro-bomba e dois

    homens-bomba atacaram um posto de combustvel em Tartus Em Jableh, uma das quatro exploses aconteceu perto de um hospital. Ima-gens divulgadas em redes so-

    ciais exibiram cadveres na traseira de caminhonetes e partes de corpos no cho.

    O Kremlin disse que as exploses reforam a ne-cessidade de pressionar por conversas de paz em Gene-bra, depois do colapso em abril de um acordo de ces-sar-fogo acertado em 27 de fevereiro devido a um acirra-mento da violncia, em uma guerra que j deixou cerca de 250 mil mortos. METRO

    Ao menos 200 feridos. Estado Islmico assumiu atentado nas cidades de Jableh e Tartus e disse que alvo eram membros da minoria alauta, seita do presidente srio, Bashar al-Assad

    Local onde aconteceram trs exploses em Tartus | SANA/REUTERS

    Exploses matam quase 150 na Sria

    Candidatos iro disputar o eleitor voto a voto, diz pesquisa | REUTERS

    Pesquisa divulgada ontem mostra que os dois prov-veis adversrios nas eleies presidenciais dos Estados Unidos, em novembro des-te ano, esto com uma dife-rena de apenas trs pontos percentuais, o que significa empate tcnico.

    Com isso, caiu bastan-te a folgada liderana que a provvel candidata do Partido Democrata Hillary Clinton tinha sobre o can-didato republicano Donald Trump, que era 11 pontos percentuais em abril.

    De acordo com a pesqui-sa, divulgada pelo jornal The Wall Street Journal e

    pela rede de televiso NBC, Hillary Clinton est com 46% de apoio, contra 43% de Donald Drump.

    O avano dos republica-nos ocorreu depois que ou-tros candidatos, no mbi-to da prpria agremiao, desistiram de disputar com Trump a indicao oficial do partido, em conveno pre-vista para julho prximo.

    RejeioOutra sondagem da rede NBC News/ Wall Street Jour-nal, divulgada no domingo, mostra a candidata demo-crata com 54% de rejeio, e Trump, com 58%. METRO

    EUA 2016. Hillary e Trump esto em empate tcnico

    O policial Edward Nero, da cidade norte-americana de Baltimore, foi absolvido on-tem de todas as acusaes relacionadas morte de Freddie Gray, um jovem ne-gro detido por ele em 2015, em incidente que desenca-deou tumultos e manifes-taes e alimentou o movi-mento Black Lives Matter.

    O juiz Barry Williams, do Tribunal do Circuito de Bal-timore, que ouviu o caso

    sem a presena de um jri, emitiu o veredicto perante uma corte lotada, afirman-do que os promotores no conseguiram provar seus argumentos.

    Nero, branco, 30 anos, foi acusado de prender Gray, negro, 25 anos, sem justificativa e no deix-lo em segurana em uma van da polcia, onde o jovem so-freu uma leso fatal na espi-nha. METRO

    EUA. Policial envolvido em morte de negro absolvido

    O presidente dos EUA, Ba-rack Obama, anunciou on-tem que Washington ir suspender totalmente um embargo venda de armas letais ao Vietn, reforando o avano nas relaes entre os dois ex-inimigos em meio a um cenrio de tenses cres-centes com Pequim por cau-sa do Mar do Sul da China.

    A deciso de encerrar o embargo de armas, que se deu aps um debate intenso dentro do governo Obama, leva a crer que as preocu-paes dos EUA com a in-fluncia da China na regio pesaram mais do que os ar-gumentos de que o Vietn no fez o suficiente para melhorar seu histrico de direitos humanos.

    Obama fez do reequil-brio estratgico com a re-gio um dos pilares de sua poltica externa. O Vietn, onde os EUA guerrearam de 1959 a 1975, se tornou uma parte essencial dessa estra-tgia em um pano de fundo de crescimento do poderio militar chins e de seus cla-mores de soberania no Mar do Sul da China. METRO

    Obama na sia. EUA voltaro a vender armas para o Vietn

    No Chile, homem fica nu e entra em jaula de leesUm homem com cerca de 20 anos foi ferido por um casal de lees aps entrar completamente nu no local que abriga os animais no Zoolgico Nacional do Chi-le, em Santiago.

    Segundo testemunhas, o jovem se despiu momentos antes de invadir o lugar, na manh do ltimo sbado. A

    princpio, disseram visitan-tes, os felinos comearam a brincar com ele, para, em seguida, atac-lo.

    Nesse momento, os dois lees foram mortos a ti-ros por um funcionrio do zoo, cuja direo informou ser protocolo abater qual-quer animal que oferea risco a visitantes.

    A direo informou ain-da que no foram usados tranquilizantes porque de-moram cerca de quatro mi-nutos para fazer efeito o que seria tarde demais.

    Segundo as autoridades, o rapaz foi levado ao hospi-tal com ferimentos graves. Em seu bolso foi encontrado um bilhete suicida. METRO

    Rainha de ores em LondresA rainha Elizabeth 2 observa arranjo floral no novo Mercado de Flores de Covent Garden, em Londres. O arranjo forma a imagem de perfil da monarca por meio de vrias camadas de flores de cores diferentes | ADRIAN DENNIS/REUTERS

    Presos mafi osos que manipulavam jogos de futebol

    A polcia da Itlia pren-deu em Npoles 10 pes-soas suspeitas de perten-cerem mfia como parte de uma investigao sobre um esquema de manipu-lao de resultados no fu-tebol. As prises foram fei-tas com base em provas relativas a dois jogos da se-gunda diviso italiana em 2014 que tiveram resulta-do manipulado. METRO

    Serra vaiado em primeira viagem ofi cial

    O ministro das Relaes Exteriores do Brasil, Jo-s Serra, foi recebido sob protestos ontem em Bue-nos Aires, onde desem-barcou no domingo para um encontro com o pre-sidente Mauricio Macri. O grupo gritava golpis-ta e no nos represen-ta. O ministro precisou entrar pela porta lateral do prdio. METRO

    Ambientalista vence raspando radical de direita

    A ustria escapou por pouco de se tornar o pri-meiro pas da Unio Eu-ropeia a eleger um candi-dato de extrema-direita.Votos pelo correio deci-diram um segundo tur-no presidencial apertado a favor de seu adversrio ambientalista. Alexander Van der Bellen teve 50,3% dos votos, e Norbert Ho-fer, 49,7%. METRO

    ustria Itlia Argentina

    ONDE FOI

    IRAQUE

    TURQUIA

    LBANO

    ISRAEL JORDNIA

    JABLEH

    TARTUS Sria

    Damasco

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 10| {CULTURA}

    2CULTURA

    MACC abre inscrio para oficina de fotoO MACC (Museu de Arte Con-tempornea de Campinas)abre inscries amanh para a oficina gratuita de fotogra-fia Construindo uma narra-tiva visual. Separada em dois mdulos, ter coordenao do fotgrafo Martinho Caires.

    A primeira fase dedica-da a abordar tipos de mqui-nas fotogrficas: controles da cmera, lentes, teoria da luz, histria da fotografia e foto-grafia digital. Na segunda ser traado um paralelo entre lin-guagem falada e escrita com

    relao a linguagem visual.O fotojornalista e editor de

    fotografia da Agncia Social de Notcias, Martinho Caires, responsvel por ministrar o curso, j participou em mais de 60 exposies individuais e coletivas. J foi contempla-

    do em editais da Funarte, que viabilizaram a circulao de suas fotos em espaos como Galeria Funarte (do Rio de Ja-neiro), Espao UFF de Fotogra-fia (de Niteri) e Galeria Ita (de Braslia e de So Paulo).

    Para participar, interessa-

    dos devem possuir mquina fotogrfica analgica ou digi-tal com controle manual. As inscries devem ser feitas no site (https://portalcultura.campinas.sp.gov.br) e ficam abertas at dia 8 de junho.

    METRO CAMPINAS

    A comunidade indie brasilei-ra est em polvorosa. Foi con-firmado ontem que a banda norte-americana Wilco, en-fim, vai voltar ao Brasil pa-ra show. A apresentao est marcada para o Popload Fes-tival, no dia 8 de outubro, no Urban Stage (Rua Voluntrios da Ptria, 498, Santana).

    Os ingressos j esto ven-da no site ticketload.com a preos de R$ 300 a R$ 700, mas vale ficar esperto: de acordo com o site pitchfork.com, h uma data extra pre-vista, para o dia 6 de outu-bro, mas que ainda no foi confirmada.

    Formado em 1994 sob for-

    te inspirao do folk, o sexte-to tem como lder o guitarris-ta e vocalista Jeff Tweedy. De l para c, o grupo de Chicago lanou dez discos, alguns de grande sucesso, como Yan-kee Hotel Foxtrot. Seu tra-balho mais recente Star Wars, lanado de surpresa

    no ano passado com opo de download gratuito no site da banda.

    Alm do Wilco, o festi-val ter a cantora brasileira de pop experimental Ava Ro-cha e o grupo de rock Battles, que flerta com o jazz e experi-mentalismos. METRO

    Popload Gig: Wilco vema So Paulo em outubro

    O delegado Flvio Grossi, que investiga a tentativa de homicdio contra Ana Hickmann, no ltimo s-bado, em Belo Horizonte, pretende ouvir a cunha-da da apresentadora ainda nesta semana.

    Segundo ele, a tendn-cia que o caso seja arqui-vado, uma vez que ficou evidente a autoria do cri-me praticado pelo suposto f da apresentadora, Ro-drigo de Pdua, que aca-bou morto pelo cunhado de Hickmann. A assesso-ra e cunhada dela, Giova-na Alves de Oliveira, levou dois tiros e permanece in-ternada em BH.

    Conforme boletim m-dico divulgado na tarde de ontem, ela est lcida e respira sem aparelhos. A expectativa da polcia que ela preste depoimento aps receber alta.

    Ontem, em entrevis-ta ao programa Hoje em Dia, da Record, Ana Hick-mann descartou mudar sua rotina nas redes so-ciais, onde tem 17 milhes de seguidores.

    Rede social uma for-ma de me aproximar das pessoas que gostam de mim. Daqui para frente vou rever os cuidados pes-soais ao sair de casa, dis-se Hickmann. METRO BH

    Investigao. Delegado deve ouvir cunhada de Hickmann

    O vocalista Jeff Tweedy ( frente) lidera o sexteto | DIVULGAO

    Ludmilla

    RacismoA cantora registrou ontem boletim de ocorrncia contra

    um homem que fez comentrios racistas

    na conta da artista no Instagram. Ainda na rede social, Ludmilla publicou as acusaes feitas contra

    ela e disse que, se for indenizada, vai doar o valor para instituies

    de combate ao racismo. Quero ajudar quem sofre com o mesmo problema

    que eu, disse.

    Em Shadows In The Night, lanado no ano passado, Bob Dylan selecionou dez msi-cas j cantadas por Frank Si-natra para prestar uma ho-menagem ao crooner. A ideia foi bem recebida, o que deve ter feito Dylan pensar: que tal continuar nessa? Assim nas-ceu Fallen Angels, mais um belo trabalho, que agora re-ne 14 clssicos americanos.

    Convenhamos que a pro-posta delicada. O conceito de regravaes poderia soar um tanto preguioso e pre-sunoso, mas aqui ele age ao avesso. A voz de Dylan est perfeita e embala delicadezas com sua rouquido, fazendo um contraponto com mui-tas das obras conhecidas pe-lo tom aveludado de Sinatra.

    importante lembrar que nenhuma das msicas do no-vo disco de Frank, afinal, ele nunca se deu muito bem com esse negcio de escrever. So canes bem famosas nos Es-tados Unidos, mas eterniza-

    das mesmo pela voz.Fallen Angels difere de

    seu antecessor, principalmen-te, em apostar mais nos hits. A pedrada comea com Young at Heart e todo seu roman-tismo. Pouco frente tem All the Way, outro sucesso, e Melancholy Mood, tudo acompanhado de uma bateria arrastada, um violino rasgado ou um piano contido...

    Nessa toada, o crooner Dy-lan embala o ouvinte de um jeito sedutor, no exatamente como o cara dos olhos azuis segurando um drinque chi-que, mas no estilo de um can-tor obscuro escondido pela fu-maa do cigarro no fundo do bar, tomando usque, cantan-do msicas que ele conhece como poucos. METRO

    Lanamento. Trovador segue conceito de seu lbum anterior e apresenta verses do cancioneiro americano em Fallen Angels

    Em novo lbum, cantor continua trabalho de regravao de standards imortalizados na voz de Frank Sinatra | DIVULGAO

    Dylan canta clssicos

    FALLEN ANGELS

    BOB DYLANSONY R$ 35

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 12| {PUBLIMETRO}

    Leitor fala

    Equipe econmicaA equipe econmica do governo interino Michel Temer est tecnicamente to bem escolhida para o momento que o pas vi-ve, que se o impeachment de Dilma for confirmado e o presidente interino tam-bm vier a ser afastado, tenho convic-o que a tnica da sociedade ser: Com ou sem Temer, na Lava Jato e na equipe econmica atual ningum pode mexer. THIAGO MOREIRA CAMPINAS, SP

    Corte de supersalriosSe o prefeito Jonas cumprir a determina-o do STF e cortar os supersalrios de 120 aposentados pelo teto (R$ 21.260,00), a economia de aproximadamente 1 mi-lho de reais ao ms ajudaria no reajuste salarial pretendido pelos servidores. PEDRO BALA CAMPINAS, SP

    Greve de servidores da prefeituraA pauta de propostas foi antecipada para dar maiores chances de negociao aos servidores em ano de eleio e foi proto-colada. O governo no atendeu a catego-ria, e a foi proposta pelo sindicato ao judicial com deferimento de liminar. A audincia foi realizada e antes da defla-grao de greve aconteceram seis reu-nies de negociao. Onde est a irracio-nalidade e forma prematura da greve?RICARDO MARRETI CAMPINAS, SP

    Quer mais?

    Clique metrojornal.com.br para acessar contedo exclusivo, atualizao de nossas reportagens, todos os nossos colunistas e galerias com as melhores imagens do dia.

    Para falar com a redao: [email protected] tambm no Facebook: www.facebook.com/metrojornal

    Momento especial para adquirir conhecimento com pessoas as quais convive,

    qualquer que seja o tipo de relao.

    Uma reflexo sobre seus valores ser importante e necessria. Boa ocasio para

    priorizar o essencial e desapegar do que no serve.

    Vnus ingressa em seu signo, influncia especial para mais cuidado consigo

    mesmo e para mais momentos sociais.

    Tendncias a mais envolvimento com causas coletivas ou assuntos de outras pessoas.

    Evite se sobrecarregar com temas que no so seus.

    A integrao com grupos e mesmo amizades ser mais intensa. Contatos diferentes

    e parcerias tendem a contribuir com o trabalho.

    A organizao de assuntos profissionais pendentes tomar mais seu empenho.

    Na vida afetiva, surpreenda com simplicidades.

    Este um momento importante para mudar a maneira de lidar com algumas relaes

    que tem dificuldade. Diplomacia ser essencial.

    Momento especial para divulgaes em trabalho ou algum projeto autnomo. Perodo

    especial para mais momentos sociais e com amigos.

    Os assuntos familiares so propensos a tomar empenho. Momento para pacincia e

    ateno com padres e costumes de quem convive.

    Perodo positivo para ampliar relaes profissionais e algum tipo de parceria

    que envolva esta rea.

    Regente de seu signo, Vnus ingressa em Gmeos, influncia especial para acentuar

    sua comunicao e para obter novos aprendizados.

    Procure ser mais conservador com questes financeiras e evite riscos diante de alguma

    negociao. Momento mais propcio para revises.

    Horscopo Est escrito nas estrelas www.estrelaguia.com.br

    Os invasores

    Cruzadas

    Sudoku

    Solues

    POR: GUILHERME SALVIANO

    Papo de propaganda

    JOO [email protected]

    Joo Faria jornalista e scio-diretor da Agncia Cidad

    PO COM CAFO Po de Acar estreia hoje sua cam-panha com destaque para o mundo dos cafs. A marca procurar ressaltar os diferenciais da rede, servios e co-mo as lojas se preparam para atender os clientes. Damiano Sanna, executi-vo de marketing do Po de Acar, fala com a coluna.

    Por que os cafs?Caf um dos temas explorados na campanha institucio-nal deste ano, Po de Acar: especialista em fazer voc fe-liz, que sintetiza uma histria de quase 60 anos da marca em atender com qualidade e oferecer um sortimento a par-tir de uma curadoria especializada, mantendo sempre o fo-co no gosto dos clientes. Trabalhamos inicialmente com trs categorias de produtos, propondo um filme e material de comunicao para loja em cada um deles: vinhos, quei-jos e cafs. Em cada um, utilizamos um dos nossos especia-listas. Especificamente em cafs, a rede referncia no as-sunto, desenvolvendo produtos e priorizando uma seleo cuidadosa do que vendido na loja. Para isso, contamos com a expertise de uma barista, a Eliana Relvas, que est no filme da marca.

    Qual o posicionamento da marca?A essncia da marca a felicidade, a rede trabalha com es-se tema h anos e busca levar isso com muita presena em sua comunicao. A partir disso, evoluiu em nossas mensa-gens, criando sempre proximidade com cliente e que refle-tindo os valores da marca, como a valorizao do bem-estar e da sade, a curadoria em gastronomia e a preocupao com o meio ambiente. E os diferencias da rede?Alm de um sortimento variado, que vai do bsico ao dife-renciado e premium, a rede conta com uma variedade de itens saudveis, como os produtos orgnicos, alm de uma seo dedicada a itens Sem Glten e Sem Lactose e Orgni-cos. Categorias como vinhos, queijos nobres, cervejas espe-ciais e bomboniere so sempre caprichadas e contam com algumas das melhores marcas do mercado.

    O que vem por a?Estamos realizando a ao Pitadas ao Vivo que traz um chef para realizar as receitas da revista Pitadas em lojas da rede. Vale conferir nosso Facebook a programao e par-ticipar gratuito. Este ano teremos aes para a disputa olmpica, j que patrocinamos mais de 60 atletas que ten-tam ndices para participar da competio; alm da rea-lizao do tradicional Circuito de Corridas Po de Acar (Maratona de Revezamento e Corrida Kids), uma das maio-res corridas de rua do pas; e o aniversrio da marca, em agosto, trazendo diversas ofertas e uma ao que premiar clientes da rede.

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br {DECORAO} 13|

    Certamente voc se lembra da casa da sua av ou de al-guma tia cuja decorao no deixava escapar o uso do ladrilho hidrulico. He-rana europeia, o uso des-ses revestimentos do sculo 19 esto em alta novamen-te, mas nem por isso pre-ciso sair por a garimpan-do todos os cemitrios de azulejo da cidade.

    Uma alternativa s pe-as hidrulicas so os ade-sivos que imitam este tipo de produto. Opo extre-mamente mais em con-

    ta, o material feito em vi-nil pode ser aplicado tanto sobre azulejos j instala-dos quanto sobre superf-cies lisas.

    Outra vantagem est na praticidade de aplica-o, que pode ser feita por

    qualquer pessoa. Alm dos tamanhos padro, algumas lojas especializadas tam-bm trabalham com enco-mendas sob medida, como o caso da Gecko.

    Com durabilidade que va-ria de 3 a 5 anos, o material deve ser evitado apenas em ambientes expostos direta-mente ao calor excessivo ou a chuva. Limpar com pano mido, sem produtos qumi-cos tambm ajuda na conser-vao, afirma Carlos Henri-que Lemos, da SkinForFun.

    METRO

    Ladrilhos. Alternativa garante economia e mesmo efeito do original

    Adesivos de azulejos ajudam a mudar a casa

    3 a 5anos a durabilidade do material, que deve ser evitado em locais expostos ao calor

    Evite reas prximas ao fogoAmbientes que sofrem com calor excessivo tambm podem prejudicar a aderncia do produto | DIVULGAO

    Cuidado quando for colocar perto da piaO ideal manter o cuidado de evitar contato direto de gua com a rea de aplicao | DIVULGAO

    Abuse em bancadasGarantem um excelente efeito decorativo ainda que aplicados em apenas uma parte do ambiente | DIVULGAO

    METRO2

    +

    Top 3

    Passo a passo

    1Limpe a superfcie

    2Descole o papel branco e use a esptula para evitar bolhas

    3Repita para fixar as demais partes

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br 14| {ESPORTE}

    3ESPORTE

    Oi pessoal, tudo bem? Pois , vou largar em 9 na Indy 500 do domingo e desde j convido a todos para assistir essa corrida histrica, ao vivo, pela Band, Band Sports e Portal da Band. A corrida comea s 12h, horrio de Indianapolis, 13h no Bra-sil, com narrao do To Jos e coment-rios do Felipe Giaffone.

    Obviamente que no foi o Pole Day que eu imaginava, mas largar em 9 tam-bm no ruim, pelo contrrio. Acontece que a gente fez opes e, vou ser honesto com vocs, acabou sendo um milagre eu ir para o Fast Nine.

    Digo isso porque os principais esfor-os foram dedicados a buscar um acerto de corrida. E isso, felizmente, consegui-mos. J para o Qualifying ficou evidente que nosso carro tinha uma deficincia de potncia. claro que o motor poderia ter sido trocado, era uma opo, mas decidi-mos por outro caminho.

    A o querido leitor pode perguntar: Castroneves, quer dizer que voc foi para o Qualifying com motor estraga-do? No bem assim. Foi um motor que j tinha uma boa quilometragem e uma deficincia de potncia, mas ainda tinha muito cho pela frente e a gente achou que daria conta do recado e dei-xamos o motor novo para a corrida. E foi o que fizemos.

    Ontem encerramos os treinos e hoje es-tou em Chicago para promover a prova. Antigamente, todos os 33 pilotos iam pa-ra Nova York, mas de uns tempos para c a IndyCar modificou o esquema. Isso signifi-ca dizer que cada um segue para um lugar diferente para divulgar.

    Enquanto isso, meus rapazes do Team Penske esto colocando o motor novo que vou usar na corrida. Na sex-ta haver um treino de uma hora, o l-timo, e depois s no dia da corrida. Se estou animado? Sim, super. Indianapo-lis um lugar mgico e no vejo a hora de voltar aqui na tera-feira para contar o que aconteceu.

    Forte abrao e vamos que vamos!

    TUDO PRONTO PARA A 100 INDY 500

    Opinio

    HELIO [email protected]

    Helio Castroneves, 41, nasceu em So Paulo e foi criado em Ribeiro Preto. o piloto brasileiro com mais vitrias na Indy, com 27 conquistas, e venceu trs edies da Indy 500 (2001, 2002 e 2009). Disputa em 2016 sua 19 temporada na categoria e 17 pelo Team Penske.

    Nas quartas de final do Cam-peonato Paulista, o So Pau-lo levou um baile do Audax e acabou eliminado com a derrota por 4 a 1. Naquele dia, o artilheiro do time de Osasco anotou dois e cha-mou a ateno do Tricolor, que acertou sua contrata-o. Ytalo, 28, foi apresenta-do ontem e ganhou a camisa 37, que foi usada por Amoro-so na campanha do Campeo-nato Brasileiro de 2005.

    Sobre o Amoroso, um grande jogador, ningum tem dvidas. Espero corresponder junto com a equipe ao que ele fez aqui. Mas eu sou o Ytalo e ele o Amoroso, disse o re-foro, que tem contrato at o final da temporada.

    Questionado se pode con-seguir o mesmo desempe-nho que teve no Audax com a camisa tricolor, ele ponde-

    rou: A resposta que eu pos-so dar dentro de campo. No s em termos tcnicos, mas em termo de luta tam-bm. O bom que no Audax fazamos vrias funes e, quando a gente precisar fa-zer isso em outros clubes, es-taremos preparados.

    Ytalo sabe, no entanto, que comea sua caminhada longe da vaga de titular. Calle-ri dono do comando de ata-

    que. Mas o novo jogador deve ter uma forcinha para ga-nhar suas oportunidades.

    O argentino tem contra-to com o clube do Morum-bi at 30 de junho deste ano. H um acordo, porm, pa-ra que ele fique enquanto o So Paulo estiver na Liberta-dores. Se o time chegar ao t-tulo, o pai do atleta j afir-mou que ele deve seguir para a disputa do Mundial de Clubes em dezembro. Caso contrrio, o camisa 12 que j tem acordo para defender o Tottenham, da Inglaterra, deve ir embora.

    Ao menos para Ytalo, di-ferentemente da torcida so--paulina, a sada seria boa: Seria uma chance, mas te-nho de esperar. Tem gente na minha frente. ter pacincia que vai chegar o dia da minha oportunidade. METRO

    Novo atacante tricolor foi apresentado ontem | MAURCIO RUMMENS /FOTOARENA/FOLHAPRESS

    9 So Paulo. Centroavante Ytalo,

    ex-Audax, chega ao So Paulo, que v Calleri acertar com Tottenham

    Fui bem recebido no So Paulo. Fiz dois pelo Audax, mas o nosso trabalho. Hoje estou a favor e vou trabalhar forte para ajudar no dia a dia e nos jogos YTALO, NOVO ATACANTE DO SO PAULO

    E ALGOZ DO TRICOLOR NAS QUARTAS

    DO PAULISTA, DEFENDENDO O AUDAX

    O CRAQUECalleri tem um acordo para defender o Tottenham (ING) na prxima temporada, disse o pai do atacante a conselheiros do So Paulo. A informao

    do jornalista Jorge Nicola, da Bradesco

    Esportes FM

    MA

    UR

    O H

    OR

    ITA/A

    GIF/FO

    LHA

    PRESS

    Troca?

    Peixe quer Marlone para ceder Damio

    O Santos aceita ceder Leandro Damio ao Corinthians. Para is-so, exige dois jogado-res. Um deles Marlo-ne. O nome do segundo mantido em sigilo. A informao da Bra-desco Esportes FM.

    METRO

    Aps arritmia

    Muricy pe em dvida retorno ao Flamengo

    Depois de sofrer uma arritmia e ser interna-do no Rio na semana passada, Muricy Rama-lho ainda no sabe se retornar ao Flamengo. Ainda tenho exames a fazer. E depois avalio se volto, comentouo treinador.

    METRO

    Vlei feminino

    Brasil cai no grupo da RssiaAtual bicampe ouro em Pequim-2008 e Lon-dres-2012 , a Seleo Brasileira feminina de vlei conheceu os ad-versrios da primeira fase: Rssia, Japo, Co-reia do Sul e Camares.

    METRO

    Roland Garros

    Bellucci perde na primeira rodada Os brasileiros deram adeus a Roland Garros logo na estreia. Tho-maz Bellucci caiu pa-ra Richard Gasquet por 3 sets a 0. Pelo mesmo placar, Rogrio Dutra Silva perdeu paraGilles Simon.

    METRO

    A PROVA DOS

    Olimpada Rio-2016

    Onde est a tocha hoje?

    Salvador (BA)

    Em dvida

    No sei se fico em 2017, porque tive

    procura da China para voltar. Meu contrato

    com o Palmeiras acaba no fim do ano, junto com o mandato do

    presidente Paulo Nobre. Tem eleio, sempre complicado. Se eu no ficar, fica a montagem para outro profissional no ter esse trabalho

    CUCA, TCNICO DO PALMEIRAS, EM

    ENTREVISTA AO DIRIO DE S. PAULO

  • CAMPINAS, TERA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2016www.metrojornal.com.br {ESPORTE} 15|

    A boa vitria diante do Pal-meiras por 2 a 1 no ltimo s-bado no fechou os olhos do tcnico Eduardo Baptista pa-ra a necessidade de reforos, mesmo que pontuais. O trei-nador ainda quer dois volan-tes e um atacante para o lado do campo, principalmente.

    A necessidade no meio campo se agravou com a contuso de Elton que fica-r dois meses de molho. Na ltima partida, por exem-plo, alm dos titulares Joo Vitor e Matheus Jesus, o trei-nador no tinha disposi-o mais ningum no banco para a posio, j que Jonas tambm no pode atuar.

    Na frente, as opes do treinador hoje so Felipe Azevedo, Clayson e Rhay-ner. Azevedo vem bem no

    time, mas Clayson e Rhay-ner no tm conseguido re-petir boas atuaes.

    O prprio Baptista sa-be da dificuldade em encon-trar essas peas no mercado a essa altura, ento, prefe-re esperar o desempenho de outros times nas primeiras rodadas. Os jogos vo pas-sar, e os atletas que no esto sendo aproveitados vo so-brar. Estamos atentos, disse.

    METRO CAMPINAS

    Contrataes. Tcnico Eduardo Baptista espera reforos pontuais para fechar elenco que brigar no Campeonato Brasileiro. Entre eles, volantes e um atacante para os lados

    Treinador espera reforos | EDUARDO CARMIM/ BRAZIL PHOTO PRESS/FOLHAPRESS

    Aps vitria, Ponte espera mais peas certo que apenas uma ro-dada se foi. E que o adver-

    srio da estreia no Brasilei-ro da Srie C tambm no era um dos mais fortes. Mas mesmo assim, o tcni-co Marcelo Chamusca sabe que no fcil golear uma equipe j na primeira par-tida da competio. Assim, aps quase dois meses de trabalho, o tcnico do Gua-rani entende que conse-guiu montar uma equipe competitiva.

    Contratamos jogadores de qualidade e que tambm so versteis, isso muito importante para o que que-remos. Outro fator o en-trosamento, por exemplo, da nossa dupla de zaga, que facilita muito, lembrou aps a goleada por 4 a 0 so-bre o Guaratinguet.

    Mesmo assim, a bus-ca por mais jogadores ain-da continua. Com o fracas-so nas negociaes para ter o centroavante Leandro, o Bugre j comeou a busca por outro nome. Alm disso, quer tambm um goleiro

    Gledson, do Campinense, pode chegar e dois zaguei-ros j em negociao.

    Na prxima rodada, no sbado, s 15h30, o advers-rio do Bugre o Tombense, fora de casa. Chance para assumir a liderana isola-da e provar que tem for-a para arrancar na frente.

    METRO CAMPINAS

    Bugre comeou com goleada | LUCIANO CLAUDINO/CDIGO19/FOLHAPRESS

    Guarani. Chamusca v elenco forte para subir

    4pontos tem a Ponte Preta na competio. Na 3 rodada, a equipe enfrenta o Corinthians, na quinta, 11h, em So Paulo

  • CA

    MP

    INA

    S, T

    ER

    A

    -FEIR

    A, 2

    4 D

    E M

    AIO

    DE 2

    01

    6w

    ww

    .met

    rojo

    rnal

    .com

    .br

    16ES

    PORT

    E

    Conc

    entr

    ao

    - su

    a n

    i-ca

    der

    rota

    aco

    ntec

    eu e

    m

    uma

    quei

    mad

    a de

    larg

    ada

    A pa

    rtir

    de h

    oje,

    e se

    man

    al-

    men

    te a

    t o

    inci

    o da

    Olim

    -p

    ada

    do R

    io, o

    Met

    ro Jo

    rnal

    ir

    pub

    licar

    um

    ps

    ter e

    x-cl

    usiv

    o co

    m a

    lgun

    s dos

    prin

    -ci

    pais

    supe

    ratle

    tas d

    os jo

    -go

    s em

    vr

    ias m

    odal

    idad

    es.

    Conf

    ira o

    s po

    dere

    s de

    cad

    a um

    e a

    com

    panh

    e no

    ssa

    ga-

    leria

    com

    ess

    es v

    erda

    deiro

    s he

    ris

    olm

    pico

    s.

    J re

    cord

    ista

    mun

    dial

    dos

    100

    m n

    a p

    oca,

    ele

    par

    tiu

    para

    o e

    std

    io N

    inho

    do

    Pss

    aro

    on

    de v

    iver

    ia u

    m

    dos d

    ias m

    ais f

    ant

    stic

    os d

    o at

    letis

    mo.

    N

    a fin

    al d

    a pr

    ova

    mai

    s esp

    erad

    a, a

    rran

    cou

    em p

    enl

    ti-m

    o. M

    as re

    agiu

    logo

    com

    suas

    long

    as p

    assa

    das.

    Com

    plet

    ou o

    s prim

    eiro

    s 50

    met

    ros e

    m 5

    ,6 se

    gund

    os.

    E a

    sust

    ento

    u 43

    ,9 k

    m/h

    por

    30

    met

    ros e

    com

    eou

    a

    desa

    cele

    rar,

    com

    a v

    itria

    gar

    antid

    a.

    Crav

    ou 9

    segu

    ndos

    e 6

    9 ce

    nts

    imos

    re

    cord

    e at

    ho

    je.

    Desd

    e en

    to,

    Bol

    t dom

    inou

    toda

    s as p

    rova

    s que

    dis-

    puto

    u do

    s 100

    m e

    200

    m e

    m M

    undi

    ais e

    Olim

    pad

    as

    al

    m d

    e aj

    udar

    o ti

    me

    jam

    aica

    no n

    o re

    veza

    men

    to.

    Com

    exc

    eo

    de

    uma

    nic

    a ve

    z, n

    o M

    undi

    al d

    e Da

    e-gu

    , Cor

    eia

    do S

    ul, e

    m 2

    011,

    qua

    ndo

    quei

    mou

    a la

    rga-

    da d

    os 1

    00m

    . H

    quem

    dig

    a, p

    orm

    , que

    ele

    ape

    nas

    foi m

    ais r

    pid

    o do

    que

    o so

    m d

    o tir

    o do

    juiz

    .

    Na

    noite

    do

    prx

    imo

    dia

    14 d

    e ag

    osto

    (dat

    a da

    fin

    al d

    os 1

    00m

    ), se

    ja n

    o es

    tdi

    o ol

    mpi

    co d

    o Ri

    o de

    Ja

    neiro

    ou

    pela

    TV,

    no

    saia

    do

    luga

    r qua

    ndo

    Usai

    n Bo

    lt co

    rrer

    . u

    m ra

    io q

    ue ca

    i sem

    pre

    no lu

    gar m

    ais

    alto

    do

    pdi

    o.

    No

    dia

    16 d

    e ag

    osto

    de

    2008

    , Usa

    in S

    t. Le

    o Bo

    lt ac

    or-

    dou

    tard

    e em

    um

    dia

    nub

    lado

    de

    Pequ

    im. F

    icou

    larg

    a-do

    no

    sof

    de

    seu

    apar

    tam

    ento

    na

    vila

    olm

    pica

    , ass

    is-tin

    do a

    um

    pro

    gram

    a ch

    ins

    na

    TV. A

    lmo

    ou u

    ma

    caix

    a co

    m 2

    0 nu

    gget

    s de

    frang

    o

    rotin

    a al

    imen

    tar q

    ue se

    -gu

    iu d

    uran

    te to

    da a

    com

    peti

    o. S

    egun

    do e

    le p

    rpr

    io,

    cheg

    ou a

    com

    er m

    ais d

    e m

    il em

    pana

    dos d

    e fra

    ngo

    em

    terr

    itrio

    chin

    s. D

    orm

    iu n

    ovam

    ente

    , aco

    rdou

    e co

    meu

    m

    ais n

    ugge

    ts. A

    sem

    elha

    na

    com

    um

    dia

    de

    uma

    pes-

    soa

    com

    um p

    arou

    por

    a.

    Com

    o um

    supe

    r-her

    i, B

    olt

    vest

    iu se

    u tr

    aje

    de v

    eloc

    ista

    e se

    tran

    sfor

    mou

    no

    hum

    a-no

    mai

    s rp

    ido

    do m

    undo

    .

    Us

    ain S

    t. Le

    o Bo

    lt

    Nas

    ceu

    em 2

    1 de

    ag

    osto

    de

    1986

    (2

    9 an

    os)

    QG

    : Ja

    mai

    ca

    PESO

    : 86

    kg

    ALT

    URA

    : 1,

    96 m

    POD

    ER:

    Velo

    cida

    de

    MIS

    SO

    : m

    ante

    r a

    hege

    mon

    ia

    jam

    aica

    na

    nos

    100m

    , 200

    m

    e do

    4x1

    00

    Cada

    pas

    so d

    e Bo

    lt te

    m, e

    m m

    dia

    , 2,

    5m d

    e co

    mpr

    imen

    to, 1

    3cm

    a m

    ais

    que

    os ri

    vais

    . Enq

    uant

    o os

    pri

    ncip

    ais

    velo

    cist

    as d

    o m

    undo

    com

    plet

    am o

    s 10

    0m ra

    sos

    com

    45

    pass

    os, B

    olt c

    on-

    segu

    e cr

    uzar

    a li

    nha

    de c

    hega

    da

    com

    41

    pass

    adas

    ARM

    A SE

    CRET

    A

    2,5m

    INIM

    IGO

    NM

    ERO

    1

    ALIA

    DO

    Just

    in G

    atlin

    a

    os 3

    4 an

    os, o

    cam

    peo

    ol

    mpi

    co d

    os 1

    00m

    de

    2004

    , em

    Ate

    nas,

    nu

    nca

    mai

    s re

    tom

    ou a

    cor

    oa a

    ps

    o su

    r-gi

    men

    to d

    e Bo

    lt. J

    foi p

    ego

    em e

    xam

    e an

    tidop

    ing

    em 2

    001

    e 20

    06. F

    oi m

    edal

    ha

    de p

    rata

    nos

    100

    m e

    200

    m n

    o M

    undi

    al

    de 2

    015,

    per

    dend

    o ju

    stam

    ente

    par

    a Bo

    lt

    O ja

    mai

    cano

    Yoh

    an B

    lake

    , se

    gund

    o ho

    mem

    mai

    s r

    pido

    do

    mun

    do

    na O

    limp

    ada

    de L

    ondr

    es

    Tim

    e do

    reve

    zam

    ento

    4x

    100

    da Ja

    mai

    ca,

    bica

    mpe

    o o

    lmpi

    co

    e te

    tra

    do M

    undi

    al

    Seis

    med

    alha

    s de

    ou-

    ro e

    m d

    uas

    Olim

    pad

    as;

    11 m

    edal

    has

    de o

    uro

    em

    Cam

    peon

    atos

    Mun

    diai

    s;

    Prim

    eiro

    e

    nico

    atle

    -ta

    jni

    or a

    cor

    rer 2

    00m

    em

    20

    segu

    ndos

    ; Pri

    mei

    -ro

    a d

    omin

    ar o

    s re

    cor-

    des

    mun

    diai

    s no

    s 10

    0 m

    e

    200

    m s

    imul

    tane

    amen

    te;

    Prim

    eiro

    a re

    petir

    vit

    rias

    e

    ganh

    ar m

    edal

    has

    de

    ouro

    nos

    200

    m e

    m Jo

    gos

    Olm

    pico

    s su

    cess

    ivos

    FEIT

    OS

    INCR

    VEI

    S

    SUPE

    REQ

    UIPEP

    ON

    TOS

    FRAC

    OS

    Esto

    u es

    pera

    nos

    o qu

    e no

    mom

    ento

    em

    que

    cheg

    ar l

    no

    Rio,

    o z

    ika

    vru

    s est

    ar

    sob

    cont

    role

    . Cas

    o co

    ntr

    rio, s

    ou r

    pido

    , m

    osqu

    itos n

    o

    cons

    egue

    m m

    e pe

    gar

    JULI

    OCA

    LMO

    NM

    ETRO

    RIO

    ART

    E: V

    ITOR IW

    ASS

    O/M

    ETRO