2ºB vespertino

download 2ºB vespertino

of 49

  • date post

    08-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    516
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of 2ºB vespertino

0

ESCOLA ESTADUAL ADVENTOR DIVINO DE ALMEIDA

Sociologia Jri Simulado -2011 Tema: Caso KlingenbergTrabalho apresentado como avaliao parcial nas disciplinas de Sociologia, Filosofia, Lngua Portuguesa e Histria.

Alunos: Luis Gabriel Palma Vieira N25 Lucas Ricardo Panizzi N24 Lucas Lemos Deyse Geovany Rhauan

Neste Documento Contem Informaes Referentes A uma reproduo de um tribunal de jri que ser Sobre o caso Klingenberg que aconteceu na Europa em 1975.

Campo Grande - MS 2011

1

Sumrio: Sumrio: ...............................................................................................................................1 Apresentao:.......................................................................................................................2 Justificativa: .........................................................................................................................3 Alunos Participantes:.......................................................................................................4 Histria do Jri simulado: ...................................................................................................5 Infncia.............................................................................................................................5 Tratamento psiquitrico.......................................................................................................5 O exorcismo ................................................................................................................6 A Virgem Maria e Anneliese..................................................................................7 Falecimento.............................................................................................................8 Julgamento..................................................................................................................8 Exumao.........................................................................................................................9 Cticas............................................................................................................................10 Critica Espirita ...............................................................................................................10 O Legado de Anneliese Michel ....................................................................................10 Declarao I Dr. Thomas ...............................................................................................12 Declarao II Dra. Brunner ...........................................................................................13 Declarao III Dr. Thomas ............................................................................................14 Provas da Reproduo: ......................................................................................................39 - Gravador utilizado pelo padre para gravar o exorcismo.................................................39 - Carta escrita por Anneliese antes da sua morte. ..............................................................39 - Evidncias que mostram Anneliese como era antes do exorcismo. ...............................40 - Foto Concedida pela Autpsia......................................................................................40 Orador I ..............................................................................................................................41 Orador II .............................................................................................................................42 Concluso: ..........................................................................................................................43 Bibliografia: .......................................................................................................................44 Integrantes do Juri Simulado ........................................................................................45 Relatrio de Participao...................................................................................... .......46 Tabela de Presena do dia da Apresentao.................................................................47 Distribuio das Posies..............................................................................................48

2

Apresentao:Este projeto foi elaborado pela professora orientadora Vanja marina Prates Abreu e conta com o apoio dos professores: Daiane Casagrande, Celso e Caio que lecionam sociologia no turno vespertino na escola Adventor Divino de Almeida. Ns alunos do 2 ano B, iremos reproduzir o caso Klingenberg que aconteceu na Europa e chocou a todos.

3

Justificativa:Este tema foi escolhido por ter sido um caso de grande veiculao e por durante o seu decorrer ter ocorrido um conflito entre religio e medicina onde ambos disputavam para um desfecho do caso. Obs. Devido a Falta de alunos para atuar na pea foram feitas algumas modificaes nos nomes de alguns personagens, e de algumas provas. Mas o Contexto real e o esclarecimento do Caso Klingenberg No Foi Alterado Para melhor entendimento dos espectadores no dia da apresentao.

4 Alunos Participantes:N Nome do Aluno: 25 24 02 03 06 07 08 09 10 12 13 14 16 19 20 21 23 27 28 29 32 34 35 36 37 38 40 42 43 44 46 47 49 50 51 52 53 54 04 Luis Gabriel Palma Vieira Lucas Ricardo Panizzi Ana Paula Borges Camila de Araujo Vaez Danyele dos Santos da Cunha Deyse Betania Dure Bogarim Edson Ernesto dos Santos Campozano Elizandra Alegre Torres Elton Santos da Silva Pedroso Geise Araujo de Souza Geovany Kulinski Alves Hector Fernando Ortiz dos Santos Iana Darete Csperes Pureza Jos Guilherme de Souza Tavares Jlia Benteo Maia Kesley Nat Gonalves Chamorro Lucas Lemos da Cruz Maryanne Assuno Cavalcante Nanthyelle de Moraes Torres Natalia Paniago Leiria Rhauan da Silva Cardoso Rbia da Silva do Vale Albuquerque Sawara Alvim Pereira Rosa Pires Sthepany Sunamita da Silva Macedo Thaylise Giordano Salomo Valdenice da Conceio da Silva Vincius de Arruda Carreiro Wisley Pierre de Oliveira Farias Castilho Yasmim Oliveira Gonsales Mary Hellen L. de Pinho Danielly Christy Moreira dos Santos Carolina Lopes da Silva Cordeiro Daieni Gonalves de Souza Jairo Ferreira Primo Lucas Miguel Lopes de Almeida Leticia Auxiliadora Domingos dos Santos Nairiely Aparecida Ribeiro Perez de Souza Rodrigo de Oliveira Correa Crislaine da Silva Oliveira

Lder de Classe: Luis Gabriel Palma Vieira N25 - ( Responsvel Pela Pea da Classe) Obs. Neste Documento h o nome de todos os alunos da Classe, mas; Gostaramos que o Avaliador Verificasse a Pag. 46 para visualizar os alunos que participaram de alguma forma no Trabalho.

5

Histria do Jri simulado:

Anneliese Michel (Leiblfing, Alemanha, 21 de setembro de 1952 Klingenberg am Main, 1 de julho de 1976) foi uma jovem alem de famlia catlica que acreditava ter sido possuda por uma legio de demnios, tendo sido submetida a uma intensa srie de sesses de exorcismo pelos padres Ernest Alt e Arnold Renz em 1975 e 1976. Sua Histria Abalou Toda a Europa na dcada de 70, e teve uma grande veiculao na mdia da poca. O caso Klingenberg, como passou a ser conhecido pelo grande pblico, deu origem a vrios estudos e pesquisas, tanto de natureza teolgica quanto cientfica, e serviu como inspirao para os filmes O Exorcismo de Emily Rose, dirigido pelo cineasta estadunidense/norte-americano Scott Derrickson, e Requiem, dirigido pelo polmico cineasta alemo Hans-Christian Schmid.

InfnciaAnneliese Michel nasceu em Leiblfing, no estado federal alemo da Baviera, mas foi criada com as suas trs irms no pequeno municpio de Klingenberg . Seus pais, Anna e Josef Michel, muito religiosos, lhe deram uma educao profundamente catlica. O pai de Anneliese mantinha a famlia trabalhando em uma serraria. Anneliese teve seu primeiro ataque epilptico em 1969.

Tratamento psiquitricoAnneliese comeou a ter alucinaes enquanto rezava. Ela tambm comeou a ouvir vozes, que lhe diziam que ela era amaldioada. Em 1973, Anneliese estava sofrendo de depresso e considerando o suicdio. O seu comportamento tornou-se cada vez mais bizarro. Ela andava nua pela casa, fazia suas necessidades em qualquer lugar, rasgava suas roupas, comia insetos como moscas e aranhas, carvo e chegou a lamber sua prpria urina.

6 Depois de ser admitida em um hospital psiquitrico a sade de Anneliese no melhorou. Alm disso, sua depresso comeou a se aprofundar. Ela comeou a ficar cada vez mais frustrada com a interveno mdica, que no melhorava a sua condio. Em longo termo, o tratamento mdico no foi bem sucedido, seu estado, incluindo a sua depresso, agravou-se com o tempo. Tendo centrado toda a sua vida em torno da f catlica, Anneliese comeou a atribuir sua condio psiquitrica possesso demonaca. Anneliese tornou-se intolerante a lugares e objetos sagrados, como crucifixos, o que contribuiu a idia de o que ela tinha ser possesso demonaca. Ao longo do curso dos ritos religiosos Anneliese sofreu muito. Foram prescritos a ela medicamentos anti-psicticos, que ela pode ou no ter parado de tomar. Em junho de 1970, Michel sofreu uma terceira convulso no hospital psiquitrico, neste momento foi prescrito pela primeira vez anticonvulsivante. O nome desta droga no conhecido e no trouxe alvio imediato aos sintomas de Michel. Ela continuou falando sobre o que ela chamou de "faces do diabo", visto por ela durante vrios momentos do dia. Michel ficou convencida de que a medicina convencional era de nenhuma ajuda. Acreditando cada vez mais que sua doena era de um tipo distrbio espiritual, ela recorreu Igreja para executar um exorcismo nela. Naquele mesmo ms, lhe foi prescrita outra droga, Aolept (pericyazine), que uma fenotiazina com propriedades gerais semelhantes s da clorpromazina: pericyazine usado no tratamento de psicoses diversas, incluindo esquizofrenia