3 Daniel Gomes

of 24 /24
Daniel Gomes [email protected] “Prepare- se” Departamento de Formação Permanente ISPA, 3 Julho 2009 Apresentação oral no âmbito do curso de "Metodologias de Pesquisa, Redacção e Apresentação de Trabalhos Científicos"

Embed Size (px)

description

Apresentação dos formandos sobre o livro "Comunicar" de Rego e Cunha (2005). Daniel Gomes apresenta o Cap. 3 - Prepare-se.

Transcript of 3 Daniel Gomes

Prepare-se!

Daniel [email protected] de Formao PermanenteISPA, 3 Julho 2009Apresentao oral no mbito do curso de "Metodologias de Pesquisa, Redaco e Apresentao de Trabalhos Cientficos"

1Quais as vantagens de estar preparado?2Reduo da ansiedade;A conscincia da preparao d segurana;Maior probabilidade transmitir com sucesso a mensagem pretendida.

Mas a confiana e o vontade para comunicar no surgem por gerao espontnea, necessitam de uma planificao atempada e de muita preparao!

233Preldio4

4"Preparem-se!"5Natureza do ConviteConhea a sua audinciaLocal da ApresentaoPreparao da ApresentaoO que tenho para dizerEstruturaConstruoEnsaioNotas Finais

5Natureza do Convite6Quem fez o convite?Organizao? Empresa? Escola?Quem so? Quem patrocina? Qual o tema do evento? expert na temtica?Est vontade?Nunca aborde um tema que no domina!Pode escolher a temtica a apresentar?Adapte o tema audincia e ao evento.Comunicao com os organizadores:Averiguar o programa em termos de horrio e intervenes.Averiguar se haver tempo para perguntas e respostas.

Recolha de dados essenciais para a futura preparao e adaptao da comunicao.6Conhea a sua AudinciaDimensoFormao Acadmica, Profissional e CulturalHomogeneidade ou HeterogeneidadeSexo, Formaes, background cultural, idades, etc.Dependendo das circunstncias, pode tentar saber-se alguns nomes;Motivos para estarem presentes;Antecipar possveis reaces de pessoas;Relao com o orador.

77Conhea a sua Audincia8Possveis razes pelas quais as pessoas esto a assistir:ObrigaoEntretenimentoAprendizagemPassar o TempoContactos SociaisImpressionarManipular PoliticamenteFurtar ideias8Local da Apresentao9O tipo e as especficidades do local afectam vrios aspectos da comunicao:O grau de (in)formalidade;O contacto visual;Interao entre o orador e os participantes;O destaque dado posio do orador.

9Local da Apresentao10Conhecer o local permite:Verificar condies de luminosidade e ergonomia;Pensar em estratgias de adaptao das nossas caractersticas pessoais ao local;Verificar a possibilidade de mudar a disposio do equipamento e materiais em funo do nmero de pessoas e tipo de apresentao;Verificar se tm os meios tcnicos (powerpoint, projector de slides, ardsia e giz, flip-chart) que necessitamos;Mudar de local de apresentao se possivel!10Exemplos tpicos de Locais11

11Algumas disposies alternativas12

Caso seja possvel, tente optar pela melhor disposio tendo em conta o nmero de participantes, o tipo de mensagem que quer transmitir e possveis limitaes fsicas e/ou materiais que existam.12Preparao da Apresentao13Algumas coisas a ter em conta:Adapte o estilo de apresentao face audincia;Pesquise o assunto (bibliotecas, internet, etc.);Recolha citaes, imagens, entradas humorsticas Seja criativo!;Pondere a utilidade de distribuir um texto.Elabore um currculo sinttico.

13Preparao da Apresentao14Algumas coisas a ter em conta:Metas que se pretende chegar com a comunicao;Criao de uma lista dos tpicos que se pretende abordar de forma a fazer um esboo estrutural;Averiguar o limite de tempo disponvel apresentao e estrutur-la com base nessa informao;Tentar negociar caso seja necessrio

Todos estes elementos so interdependentes.14Por exemplo, uma apresentao sobre Esbsco no curso de metodologia tem como objectivo dar a conhecer e ensinar a mexer com o recurso; uma apresentao sobre o Ebsco num congresso ter como meta dar a conhecer a suas potencialidades.

A estruturao da comunicao pode variar bastante caso seja um evento somente com 1 orador (ns), ou se, pelo contrrio, foi um evento generalista apresentaes de diversas reas e abordagens.

Ser certamente diferente apresentar uma comunicao sobre "Os benefcios da Psicanlise no tratamento da Depresso" para uma plateia de psicanalistas ou num congresso internacional sobre a depresso.

Neste caso, em eventos com vrios oradores, ser til ter uma noo geral das vrias temticas abordadas, moldando o a estrutura ou tipo de linguagem consoante esses factores.O que tenho para dizer15Toda a preparao, estruturao e organizao das ideias reside na essncia do seu discurso, na Ideia-Chave que tem a transmitir.Importa ter uma ideia-chave clara, concisa e rapidamente enuncivel.Ser esta essncia do seu discurso que, depois de adaptada s circunstncias (local, audincia, etc.), se materializar na sua comunicao.Para tal, dever ser estruturada.Tipos de estruturas de Apresentao16CronolgicoIdeal para abordar a evoluo de um conjunto de acontecimentos /fases.Diga o que vai a dizer;Diga o que tem a dizer;Diga o que disse.Big-BangPretende atrair a audincia utilizando o factor surpresa (revelao importante logo no incio).Exponha os resultados obtidos e recomendaes fundamentais;Exponha os procedimentos que levaram aos resultados;Termine com argumentaes que permitam compreender os resultados.

16Tipos de estruturas de Apresentao17TripartidoIdeal para ser utilizado como fio condutor; pode ser combinado com outros mtodos.Diga o que vai a dizer;Diga o que tem a dizer;Diga o que disse.Causa-EfeitoExpe o problema e depois debrua-se sobre as causas (ou vice-versa).Diga sucintamente o que vai dizer;Exponha as relaes de causa-efeito;Resuma o que afirmou;Sugira possveis resolues.

17Exemplo de uma estruturao1818O Ensaio19Habitualmente, preciso mais de trs semanas para preparar um bom discurso de improviso.Mark Twain

O Ensaio20Etapa fundamental para a preparao da comunicaoPermite testar "ao vivo" a apresentao, expondo suas lacunas e permitindo melhor-laFulcrais para apresentadores inexperientes e com pouca desenvoltura expositiva;Permite a confrontao com os limites temporais;Incutem alguma tranquilidade e confiana no orador, o que pode ser fundamental para diminuir os riscos de fracasso.

20O Ensaio21Dois tipos distintos de ensaios: Privados e PblicosEnsaios PrivadosSimulao Individual da apresentao com o recurso a meios auxiliares.Cronometragem do tempoEnsaios PblicosSemelhante ao privado, mas acrescido da presena de algum, semelhante ao pblico alvo, que de forma franca aponta possveis lacunas da comunicao.A gravao em Vdeo pode ser um instrumento complementarRecursos Auxiliares Vantagens e Desvantagens21Resumindo22PreparaoApresentaoAprendizagem pela Experincia22Ideias-Chave23O grau de preparao necessrio para uma comunicao depende de variadas circunstncias (tipo de eventos, objectivos dos organizadores, tipo de pblico, local, etc.), mas requer sempre, mesmo nas mais informais, um certo grau de preparao prvia para um adequado impacto comunicacional.

De entre as variadas questes a ter em conta, importa, acima de tudo, adaptar eficazmente o que queremos dizer (a nossa mensagem chave) ao pblico que nos ouve.

Por tal, ser necessrio estruturar devidamente a nossa comunicao e ensai-la atempadamente.

Seguindo estas preparaes mais probabilidades teremos de nos sentir confiantes e eficazes a desempenhar a nossa tarefa: comunicar!Fim24

Obrigado pela vossa ateno!

e Preparem-se!24