a bacia hidrográfica do tietê Jacaré estudo de caso em ...· estudos avançados 22 (63), 2008 161

download a bacia hidrográfica do tietê Jacaré estudo de caso em ...· estudos avançados 22 (63), 2008 161

of 14

  • date post

    13-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of a bacia hidrográfica do tietê Jacaré estudo de caso em ...· estudos avançados 22 (63), 2008 161

  • estudos avanados 22 (63), 2008 159

    a bacia hidrogrficado tiet/Jacar: estudo de casoem pesquisa e gerenciamentoJos Galizia Tundisi, Takako MaTsuMura-Tundisi, daniela CaMbeses ParesChi, anna Paula luzia,Paulo h. Von haelinG e eduardo h. Frollini

    Introduoacia hidrogrfica a unidade biogeofisiogrfica que drena para rio, lago, represa ou oceano. o conceito de bacia hidrogrfica como unidade de pesquisa, gerenciamento e aplicao das informaes bsicas, resul-

    tado de longa evoluo iniciada praticamente com a implementao do concei-to de carga por vollenweider (1968) e consolidado com os estudos de Likens (1984, 1992) demonstrando os experimentos e o trabalho de longa durao no Hubbard-Brook, uma pequena bacia hidrogrfica situada nos estados unidos.

    atualmente, portanto, esse conceito est bem estabelecido e consolidado, representando um grande processo de descentralizao da gesto baseada em pesquisa e inovao aplicada a cada bacia hidrogrfica. nesse contexto, escalas espaciais e temporais so fundamentais para considerar.

    Brepresa da uhe Carlos botelho (lobo/broa), uma das trs represas da bacia do Tiet/Jacar.

    Foto

    elia

    s G

    rim

    berg

  • estudos avanados 22 (63), 2008160

    a Figura 1 representa o conceito de bacia hidrogrfica com todos os prin-cipais componentes importantes para a pesquisa e o gerenciamento.

    neste trabalho, os autores sintetizam o conhecimento existente e a sua aplicao para gesto na bacia do tiet/Jacar, estado de so Paulo.

    Figura 1 a bacia hidrogrfica como unidade.

    A bacia hidrogrfica do Tiet/Jacare suas caractersticas principaiso estado de so Paulo tem atualmente 22 unidades de Gesto de Recur-

    sos Hdricos (22 ugrhis) que so as unidades necessitando de articulao entre pesquisa, gerenciamento e aplicao de inovaes. a Figura 2 mostra essas uni-dades de gesto e sua distribuio espacial no estado de so Paulo, destacando-se a unidade de gesto n.13 que a bacia do tiet/Jacar, localizada no centro do estado. a Figura 3 delineia as caractersticas principais da bacia hidrogrfica do tiet/Jacar com seus 34 municpios.

    Fonte: Modificada de dobson & Beck (1999).

  • estudos avanados 22 (63), 2008 161

    Figura 2as 22 unidades de Gesto de Recursos Hdricos do estado de so Paulo.

    a bacia do tiet/Jacar, n.13, localiza-se no centro do estado.

    Figura 3 Municpios da bacia hidrogrfica do tiet/Jacar.

  • estudos avanados 22 (63), 2008162

    essa bacia hidrogrfica, localizada no centro do estado de so Paulo (entre 4932 - 4730 longitude e 2137 - 2251 de latitude), engloba trs rios princi-pais, o Rio tiet (em um total de 150 km da barragem de Barra Bonita at a bar-ragem da Ibitinga), o Rio Jacar-Guau e o Rio Jacar Pepira. a essa unidade per-tencem trs reservatrios: Bariri, Ibitinga e uHe Carlos Botelho (Lobo/Broa). a rea de drenagem da bacia de 11.749 km2. o clima dessa unidade de gesto, pela classificao de Koppen, situa-se entre clima tropical mido (de outubro a maro) e inverno seco (de abril a setembro). o relevo varivel com o ponto mximo de altitude a 800 m na regio de so Carlos onde se encontram as numerosas nascen-tes que alimentam a bacia hidrogrfica. a unidade tiet/Jacar est na depresso Perifrica do estado de so Paulo e onde se encontram os aqferos Bauru/serra Geral/Botucatu. em sua maioria, a bacia formada por solos de areias quartzosas profundas a moderadas e em menores quantidades ocorre latossolo roxo eutrfico.

    a tabela 1 mostra a disponibilidade hdrica e os usos mltiplos da gua na bacia do tiet/Jacar.

    tabela 1 disponibilidade hdrica na bacia do tiet/Jacar e usos mltiplos da gua

    a Figura 4 mostra a principais sub-bacias.a Figura 5 mostra a mdia mensal da precipitao na bacia do Rio tiet/

    Jacar (ltimos vinte anos), verificando-se um perodo de precipitao mais in-tenso no vero e um perodo de menor precipitao no inverno. a precipitao anual da ordem de 4.400 mm.

  • estudos avanados 22 (63), 2008 163

    Figura 4 divises das sub-bacias principais da bacia do tiet/Jacar.

    Figura 5 Mdia mensal da precipitao nos ltimos 20 anos da bacia do tiet/Jacar.

    Fonte: Relatrio Finep/Cthidro (2007).

  • estudos avanados 22 (63), 2008164

    Metodologia de estudosdurante um perodo de trs anos, 2005 a 2007, o Instituto Internacional

    de ecologia realizou extensos estudos na bacia do tiet/Jacar. esses estudos foram aplicados na identificao dos principais problemas apoiados em diferen-tes tecnologias. uma sntese da metodologia apresentada:

    Geoprocessamento para identificao dos usos do solo, reas urbanas, rede hidrogrfica e reas de vegetao natural. Foram verificadas reas de maior suscetibilidade a eroso, e identificados os principais usos do solo.

    anlise da qualidade da gua dos principais rios com pontos de amostra-gem representativos em toda a bacia do tiet/Jacar (Figura 6). nessas anlises foram determinadas as condies fsicas, qumicas e biolgicas e identificadas as principais fontes pontuais de contaminao e eutrofizao. Foram identificadas cargas pontuais e no-pontuais de nutrientes, especial-mente n e P, a partir das anlises da qualidade da gua dos tributrios; foi estimada a contribuio do material em suspenso em razo dos usos do solo e da cobertura vegetal. a comunidade bentnica indicadora da quali-dade das guas foi tambm estudada. a avaliao do grau de contaminao com metais pesados, pesticidas e herbicidas tambm foi realizada.

    elaborao do banco de dados com as informaes hidrolgicas, dis-ponibilidade e demandas hdricas, usos do solo, dados climatolgicos e informaes econmicas sobre a bacia hidrogrfica, populao e usos mltiplos da gua.

    Figura 6 Pontos de coleta nas principais sub-bacias da bacia do tiet/Jacar. Fonte: Relatrio Finep/Cthidro (2007).

  • estudos avanados 22 (63), 2008 165

    Ocupao % da rea

    Pastagens 33,83

    Cana-de-acar 23,49

    Vegetao rasteira residual 16,21

    Reflorestamento 7,7

    Vegetao baixa residual 5,05

    Culturas temporrias 4,55

    Culturas perenes 3,41

    Cidades (acima de 30.000) 2,55

    Vrzea 1,3

    Cerrado 1,22

    Campo cerrado 0,32

    Floresta secundria 0,29

    Cerrado 0,09

    Usos do solo, atividades econmicase vulnerabilidades da bacia hidrogrfica do Tiet/Jacarnos 34 municpios da bacia hidrogrfica, com uma populao total de

    aproximadamente 1.200.000 habitantes, as principais atividades econmicas so o agronegcio (usinas de acar e lcool, minerao, curtumes e fundies). os usos do solo so, portanto, caracterizados por atividade agroindustrial e agro-pecuria.

    na zona rural predominam extensas culturas de cana-de-acar, laranja, pastagens e reas de reflorestamento com eucaliptus sp e Pinus sp. na bacia hidrogrfica restam apenas 11,31% de reas de vegetao nativa que consiste em cerrados e florestas riprias ao longo do curso dos tributrios.

    Como um exemplo representativo dos usos do solo, as tabelas 2 e 3 mos-tram, respectivamente, os diferente usos em porcentagem de ocupao do solo e das reas naturais em duas sub-bacias.

    tabela 2 reas percentuais de uso e ocupao do solo na Bacia do Rio Jacar-Guau

    a Figura 7 mostra os usos do solo na bacia tiet/Jacar.as principais vulnerabilidades da bacia do tiet/Jacar em razo dos usos

    do solo, atividades econmicas e das reas urbanas existentes so:

    despejos de resduos domsticos (esgotos) sem tratamento na maioria dos municpios da bacia hidrogrfica, agravando as condies de conta-minao e eutrofizao de rios e represas (Pamolare, 2001).

    Fonte: souza (1996).

  • estudos avanados 22 (63), 2008166

    tabela 3 reas percentuais de uso e ocupao do solo na bacia do Rio Ja

    Figura 7Percentual de reas utilizadas pelas atividades humanase reas de vegetao nativa na bacia do tiet/Jacar.

    extensas reas de ocupao do solo com culturas, produzindo grandes quantidades de matria em suspenso, o que causa perda de 20 ton x hectare-1 x ano -1 do solo, colmatando rios e represas e comprometendo a qualidade da gua. a aplicao de fertilizantes e pesticidas no solo aumenta a vulnerabilidade dos corpos de gua a estes contaminantes e aumenta os custos do tratamento das guas.

    aumento das fontes no-pontuais de nitrognio e fsforo.

    Ocupao % da rea

    Pastagens 68,24

    Cana-de-acar 23,04

    Caf 6,06

    Silvicultura 1,33

    Cidades 0,59

    Floresta 0,27

    Outros usos 0,27

    Cerrado 0,09

    Indstrias 0,05

    Culturas anuais 0,04

    Citrus 0,03

    Fonte: souza (1996).

    Fonte: Baseado em imagem Landsat (2004).

  • estudos avanados 22 (63), 2008 167

    a ausncia de vegetao em grande rea da bacia compromete o efeito tampo desta vegetao, aumentando a drenagem e carreando substn-cias e elementos para os corpos de gua (tundisi et al., 2006).

    as reas alagadas que tambm podem ter um efeito-tampo importante na bacia hidrogrfica (tundisi & Matsumura-tundisi, 2008) ficam com-prometidas pelo avano das reas agrcolas. a reduo dessas reas um das grandes vulnerabilidades da bacia hidrogrfica.

    Comprometimento dos rios urbanos em razo da degradao das reas urbanas e da m gesto ambiental nos municpios. esse comprometi-mento dos rios urbanos na maioria dos municpios atinge toda a bacia, despejando gua contaminada nos rios principais.

    aumento da demanda da gua nas regies urbanas e aumento dos usos da gua para irrigao, especialmente durante os perodos de seca e in-verno, agravando o dficit hdrico natural existente nesse perodo.

    Comprometimento dos aqferos pelo uso desordenado do solo, despe-jo de resduos. Comprometimento da recarga pela deficincia da vegeta-o e aumento da contaminao dos aqferos.

    Perda de espcies nativas terrestres e aquticas pela ausncia da vegeta-o, poluio das guas e introduo de espcies exticas de peixes nos reservatrios (Rocha et al., 2