A filosofia moral utilitarista de stuart mill

Click here to load reader

  • date post

    19-Dec-2014
  • Category

    Education

  • view

    6.361
  • download

    1

Embed Size (px)

description

 

Transcript of A filosofia moral utilitarista de stuart mill

  • 1. Filosofia 10. Ano Professora Isaura Silva

2. O que que faz com que uma aco seja boa? O que que, segundo Stuart Mill, torna as aces boas ou ms? Qual o critrio para as avaliar? Ela boa porque, uma vez realizada, promove o bem de algum? 3. HistriaO utilitarismo moderno, associado aos ideais liberais e democrticos, foi fundado por Jeremy Bentham (1748-1832) e Stuart Mill (1806-1873) e tornou-se uma das teorias morais e polticas mais importantes do sculo XIX Stuart Mill (1806-1873) 4. Consequencialismo Concepotica de ndole utilitarista que considera que a moralidade de uma aco depende unicamente das suas consequncias. Defende que devemos escolher a aco que tem as melhores consequncias globais.UtilitarismoTeoria que prope oPrincpio da Maior Felicidade como nico critrio de moralidade. 5. O princpio moral em que se baseia o utilitarismo o princpio da Utilidade ou da Maior Felicidade. Chama-se hedonismo (grego hdon, prazer) a este tipo de concepo (prazer entendido como felicidade para o maior nmero de pessoas). 6. Dizer a verdade e trair o amigoMentir e ajudar o amigo+ Consequncias positivas - Consequncias negativas - Consequncias positivas + Consequncias negativas Aco correcta porque traz mais vantagens do que desvantagens para todos os que esto envolvidos na aco. 7. O credo que aceita a Utilidade ou o Princpio da Maior Felicidade como fundamento da moral sustenta que:As aces so justas na proporo em que tendem a promover a felicidade e injustas enquanto tendem a produzir o contrrio da felicidade. Entende-se por felicidade o prazer e a ausncia de dor; por infelicidade a dor e a ausncia do prazer. O prazer e a ausncia de dor so as nicas coisas desejveis como fins; e todas as coisas desejveis so-no pelo prazer inerente a elas mesmas, ou como meios para a promoo do prazer e a preveno da dor. Stuart Mill 8. Uma aco boa quando promove a felicidade. A felicidade nica coisa desejvel como fim e, por isso, boa em si mesma. A felicidade um estado de bem-estar, de prazer e ausncia de dor ou sofrimento. Pg.168 9. Mas O que que causa maior felicidade ou prazer? Stuart Mill distingue: prazeres fsicosprazeres espirituais 10. Prazeres fsicos / prazeres espirituaisPrazeres fsicosOs prazeres sensoriais ligados s necessidades somticas, como beber, comer, sexo.Prazeres espirituais Ligados a necessidades intelectuais, sociais, morais estticas (ex.: apreciar um pr-do-sol, uma obra de arte, descobrir e criar, partilhar afectos ou conhecimentos, ajudar os outros) 11. prefervel um Homem insatisfeito a um porco satisfeito melhor um Scrates insatisfeito do que um tolo satisfeito Stuart Mill 12. Alguns crticos argumentaram que a teoria utilitarista era uma teoria que defendia o egosmo tico que s procurava a felicidade prpria. Pgs. 171 a 175 13. A distino presente no texto fundamental, porque:Permite que S. Mill se distancie de um hedonismo egosta e de um egosmo ticoA procura da felicidade tem um sentido altrusta e voltado para os outrosAo defender como nica regra directiva da conduta da humanidade o princpio da mxima felicidade, recusa toda a actuao que se exerce em funo exclusivamente das disposies e interesses individuais (egosmo tico) 14. a) Prope um ideal moral: a felicidade de todos os Homens, e no apenas a prpria b) Identifica o imperativo moral utilitarista com o mandamento cristo no faas aos outros o que no gostarias que te fizessem a ti e ama o teu prximo como a ti mesmo c) Indica um ideal jurdico-poltico: o bem comum ou a felicidade global d) Sugere um ideal pedaggico: a formao de indivduos solidrios, empenhados em promover o bem comum e a felicidade de todos 15. A finalidade da moralidade a felicidadeO critrio de moralidade das aces (o que torna uma aco boa) a sua utilidade, o seu contributo para criar a maior felicidadeFazer uma opo moral exige inventariao e avaliao das consequncias possveis para se poder escolher a que previsivelmente produzir mais felicidade ou bem-estar 16. Organograma conceptual A tica utilitarista de Stuart Mill Princpio da Utilidade ou Princpio da Maior Felicidade boa a aco que trouxer maior felicidade para o maior nmero A felicidade o prazer e a ausncia de dor, os nicos fins desejveis Concepo qualitativa do prazer prazeres espirituais ligados inteligncia e ao conhecimentoprazeres sensoriais ligados ao corpoPrincpio da imparcialidade ter em conta a felicidade prpria e a de todos os outrosImperativo moral age sempre de modo a produzir a maior felicidade para o maior nmero de pessoas Critrio de moralidade as consequncias previsveis da aco Aco moral ou boa a aco que traz mais felicidade ao maior nmero de pessoas