A importância da informação registada 1º trabalho.

download A importância da informação registada 1º trabalho.

If you can't read please download the document

  • date post

    06-Sep-2014
  • Category

    Education

  • view

    160
  • download

    0

Embed Size (px)

description

 

Transcript of A importância da informação registada 1º trabalho.

  • A IMPORTNCIA DA INFORMAO REGISTADA
  • A INFORMAO ESCRITA A escrita representa o armazenamento de informaes, permitindo a comunicao atravs do tempo e do espao. A sua difuso est relacionada, essencialmente, evoluo da memria. As grandes civilizaes como as da Mesopotmea, do Egito, da China, da Amrica pr colombiana usaram a memria escrita como Smbolo do progresso evolutivo. A escrita est na fonte de todo o progresso humano.
  • A escrita uma das coisas mais importantes e universais. Sem a escrita, a cultura, definida como uma inteligncia transmissvel, no existiria ( talvez existisse de forma rudimentar que mal se poderia reconhecer). A lei, a religio, O comrcio, a filosofia e a histria, todas as atividades que dependendem de certo grau de permanncia e de transmisso seriam, se no impossveis, bastante restritas. Mesmo tendo-se ampliado as possibilidades de transmisso oral h um ou dois sculos atrs, esta ainda est circunscrita a estreitos limites se comparada com os mundos abertos pelo uso da escrita.
  • EXEMPLOS DE ESCRITAS ANTIGAS INSCRIO RUPESTRE DE APROXIMADAMENTE 14,000 ANOS
  • ESCRITA CUNEIFORME SUMRIA
  • HIERGLIFOS A ESCRITA EGPCIA
  • FRAGMENTO DOS MANUSCRITOS DO MAR MORTO
  • O MUNDO NO PAPEL Todas as aces do homem esto postas no papel, a literatura, cincia, religio, comrcio etc. Tudo isso se constitui em artefactos da escrita. O homem, suas idias e seu mundo so vistos atravs desses artefactos.
  • DO LIVRO AO COMPUTADOR Do livro manuscrito ao livro impresso com a invenso da tipografia a circulao do livro ganhou outros limites, saindo do uso restrito de determinados crculos. O livro representa uma forma de socializao, o homem que l se difere do homem que no l.
  • O texto virtual Nos ltimos anos do sculo XX surge uma nova maneira das pessoas se comunicarem. As correspondncias pessoais, as antigas missivas manuscritas, e os textos oficiais comerciais datilografados foram substitudos pelas correspondncias virtuais. No entanto, o leitor da tela se assemelha ao leitor da Antigidade. Tanto o texto em rolo quanto o texto na tela fluem diante de si. Mas, o leitor da tela mais livre, pois o texto eletrnico lhe permite um maior distanciamento com relao ao escrito. O mesmo ocorre com quem escreve. No h uma relao corporal.
  • O HIPERTEXTO Hipertexto refere-se a um tipo de texto eletrnico no qual a escrita no seqencial. Nesse tipo de texto h uma bifurcao que permite que o leitor eleja e leia atravs de uma tela de computador. Trata-se, na verdade, de uma srie de blocos de textos interligados por ns, formando diferentes itinerrios para o usurio. Contudo, o hipertexto no exclusivo do mundo virtual. Leonardo da Vinci j fazia anotaes em seus textos, o que possibilitava ao leitor transitar por outros textos.
  • CONCLUSO A contemporaneidade vem delineando um mundo com novos limites ou, sem limites. Emerge da o Ciberespao, no qual a produo do conhecimento humano e a informao acontecem. Nesse novo mundo instala-se e reinstala-se uma rede viva de todas as memrias informatizadas. A revoluo provocada pela criao da imprensa, em 1450, a mesma que ocorre como uso dos computadores. Fala-se em morte do livro, em fim da escrita; no entanto, o que ocorre que cada instrumento utilizado pelo homem para se comunicar atende s necessidades do seu tempo: volumem, codex, livros, hipertextos representam o progresso cultural da humanidade.
  • REFERNCIAS FLIX, Loiva Otero. Histria e memria: a problemtica da pesquisa. Passo Fundo: Ediupf,1998. EISENSTEIN, Elisabeth L. A Revoluo da imprensa no incio da Europa moderna. SoPaulo: tica, 1996. LENDO O PASSADO: Do cuneiforme ao alfabeto a histria da escrita antiga. Introduode J. T. Hooker. So Paulo: Edusp, 1996. MARTINS, Wilson. A palavra escrita. 2. ed. ilust., rev. e atual. So Paulo: tica, 1996. OLSON, David R. O mundo no papel. So Paulo: tica, 1996. QUEIROZ, Rita. Manuscritos, livros e computador: o progresso cultural da humanidade. Tribuna Feirense, Feira de Santana, 21 nov. 2004. Tribuna Cultural, p.3.