Acesse nosso Catálogo de Produtos aqui. Catálogo de Produtos

Click here to load reader

  • date post

    10-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    245
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Acesse nosso Catálogo de Produtos aqui. Catálogo de Produtos

PRO-EXLINHA COMPLETA DE AMOSTRAS PARA

PRO-IN

CATLOGODE PRODUTOS Edio 2016/2017

PAINIS

Controle Externo da Qualidade

Controle Interno da Qualidade

Painis para Validao de Reagentes

O Catlogo de Produtos PNCQ apresenta a linha de Amostras para

Controle Externo e Controle Interno da Qualidade para Laboratrios Clnicos,

de Biologia Molecular, de Citopatologia, Bancos de Sangue e Servios de

Hemoterapia e de Toxicologia e Medicina do Trabalho.

Foram includas as orientaes necessrias para o correto processamento

das amostras-controle, visando garantir a qualidade dos resultados dos

exames laboratoriais de seus pacientes.

Nas pginas com bordas voc encontrar as informaes azuis

relacionadas ao Controle Externo da Qualidade - . PRO-EX

Nas pginas com bordas esto as informaes relacionadas ao amarelas

Controle Interno da Qualidade - . PRO-IN

Nas pginas com bordas esto as informaes sobre os Painis para rosas

Validao de Reagentes - .PAINIS

Tambm foram includas todas as ferramentas relacionadas,

disponibilizadas a todos os Laboratrios Participantes do gratuitamente

PNCQ.

Para obter mais informaes, entre em contato:

http://www.pncq.org.br | [email protected] | 55 (21) 2569-6867

Todos os Laboratrios Participantes recebem mensalmente um kit PRO-EX

conforme contrato e, sem nus, dois frascos de amostras-controle PRO-IN para

Bioqumica, em dois nveis;

O perodo de envio anual do PRO-EX se inicia no ms de outubro e termina no

ms de setembro do ano seguinte;

Para receber o Certicado de Participao Anual o laboratrio deve enviar no

mnimo, os resultados de 11 dos 12 lotes do PRO-EX ao PNCQ;

Caso ocorra algum problema durante o ano e o laboratrio deixe de enviar os

resultados de 11 lotes, pode solicitar um Kit Recuperao, que ser avaliado

parte. O custo deste kit de uma mensalidade do Programa Bsico e pode ser

solicitado, no mximo, uma vez por ano;

Caso o laboratrio deixe de processar amostras-controle de algum dos

Programas contratados em algum ms, deve informar o PNCQ, para que no

seja prejudicado na sua avaliao;

Quando os Responsveis Tcnicos dos laboratrios so scios da Sociedade

Brasileira de Anlises Clnicas SBAC, ou da Associao Brasileira de

Biomedicina ABBM, o laboratrio tem direito a um desconto de cerca de 33%

nos valores dos Programas do PRO-EX;

Informaes complementares podem ser encontradas no site do PNCQ,

disponibilizadas em portugus, ingls e espanhol, responsivo, isto , em formato

compatvel com computadores, tablets e smartphones.

INFORMAES IMPORTANTES

ASSESSORIA CIENTFICA

A equipe tcnico-cientfica do Programa Nacional de Controle de

Qualidade formada pelo Superintendente, Diretor Administrativo, Diretor

Tcnico, Diretor da Qualidade e 25 Assessores Cientficos. Estes profissionais

possuem conhecimentos comprovados nas diversas especialidades de

Anlises Clnicas, Controle, Garantia e Gesto da Qualidade.

Os Assessores Cientficos do PNCQ esto disposio para esclarecimento

de dvidas tcnicas, discusso de resultados das avaliaes e demais assuntos

relacionados rea laboratorial.

O atendimento fornecido gratuitamente a todos os associados por e-

mail, telefone, carta, pelos canais das redes sociais, de maneira presencial na

sede do PNCQ, bem como durante os Congressos Brasileiros de Anlises

Clnicas e eventos regionais.

Este catlogo, lanado no 43 Congresso Brasileiro de Anlises Clnicas, est disponvel para download em formato virtual (.pdf) em nosso site e ser atualizado sempre que a linha de produtos e servios for ampliada.

ltima Atualizao: 09/09/2016

NDICE

Controle Externo da Qualidade - PRO-EX

Orientaes ........................................................................................... 06

Anlises Clnicas

Programa Bsico ............................................................................. 08

Programas Avanados .................................................................... 11

Biologia Molecular................................................................................. 17

Citopatologia ......................................................................................... 18

Bancos de Sangue e Servios de Hemoterapia .................................... 19

Instrues para avaliao das Imagens Virtuais ................................. 20

Grfico Tendncia e Desvio Relativo Mdia DRM ........................... 22

Calendrio e periodicidade de envio de kits PRO-EX .......................... 24

Controle Interno da Qualidade - PRO-IN

Orientaes ........................................................................................... 26

Amostras-controle ................................................................................ 28

Instrues de Uso e Valores do PRO-IN ............................................... 38

PRO-IN em Tempo Real ........................................................................ 42

Painis para Validao de Reagentes - PAINIS

Orientaes ........................................................................................... 46

Painis .................................................................................................... 48

.....................................................................................................................

Tabelas de Converses de Unidades ................................................... 50

Certificado de Participao e Certificados de Excelncia .................... 53

Selo de Qualidade ................................................................................ 55

CONTROLE EXTERNODA QUALIDADE PRO-EX

ORIENTAES

De acordo com a Resoluo RDC 302:2005 da ANVISA o Controle

Externo da Qualidade CEQ, denido como a atividade de avaliao

do desempenho de sistemas analticos atravs de ensaios de

procincia e o laboratrio clnico deve realizar CEQ para todos os

exames realizados em sua rotina. O Programa Bsico e os Programas

Avanados de , Controle Externo da Qualidade do PNCQ PRO-EX

contemplam uma ampla linha de amostras-controle.

Para os exames no contemplados por Programas de Ensaios de

Procincia, o laboratrio deve adotar formas alternativas de Controle

Externo da Qualidade descritas em literatura cientca. Os Assessores

Cientcos do PNCQ esto disposio para esclarecer quaisquer dvidas

em relao aos mtodos alternativos recomendados, de acordo com o

documento do CLSI GP 29-A2.

Como a legislao tambm determina que as amostras de controle

externo da qualidade devem ser analisadas da mesma forma que as

amostras dos pacientes, o PNCQ orienta que os Laboratrios

Participantes, ao receberem o kit mensal do PRO-EX, cadastrem as

amostras-controle como um paciente da rotina no seu Sistema de

Informtica Laboratorial SIL, com a identicao do Lote, gerando os

habituais mapas de trabalho, etiquetas, prazos para liberao de

resultados e laudos, conferindo assim a rastreabilidade necessria de

todos os processos relacionados amostra-controle, como ocorre com os

pacientes.

A reconstituio das amostras liolizadas deve ser realizada de acordo

com as instrues de uso e as orientaes das planilhas de trabalho,

disponveis no Lote aberto, na rea restrita do site do PNCQ.

06

A amostra-controle do PRO-EX deve ser processada uma nica vez,

como so processadas as amostras dos pacientes, na rotina laboratorial.

Os critrios de avaliao dos resultados, repetio, etc., devem ser os

mesmos aplicados s amostras dos pacientes.

Desta maneira, o laboratrio obter a real avaliao do seu

desempenho e, consequentemente, alcanar a segurana necessria na

liberao dos resultados de todos os seus pacientes.

De acordo com clusulas contratuais, a data limite para que o

laboratrio envie os resultados do PRO-EX para o PNCQ o dia 5 do ms

seguinte ao envio do kit. medida que essa data se aproxima, o trfego em

nossos servidores naturalmente aumenta e, dependendo do tipo de

conexo do laboratrio, o envio dos resultados pode ser prejudicado. Para

evitar esse contratempo, basta preencher os resultados to logo sejam

obtidos aps o processamento das amostras, possibilitando a conferncia

de todos os dados digitados e possveis alteraes, quando necessrias.

Aps receber a avaliao mensal do PRO-EX, acessvel na rea restrita do

Laboratrio Participante pelo site do PNCQ, o laboratrio clnico deve,

ainda de acordo com a legislao vigente, analisar e registrar os resultados

do CEQ.

O PNCQ disponibiliza gratuitamente o Grfico Tendncia para

anlise do Desvio Relativo Mdia DRM, auxiliando os laboratrios

na anlise de seu desempenho. As informaes detalhadas para o uso

dessa ferramenta encontram-se neste catlogo.

Os resultados inadequados, a investigao das causas e as aes

tomadas para os resultados nos quais a procincia no foi obtida,

tambm devem ser registrados. A eccia destas aes deve ser vericada

na avaliao do ms seguinte.

Para receber as amostras do PRO-EX, entre em contato:[email protected] ou 55 (21) 2569-6867

07

AMOSTRAS PARA CONTROLE EXTERNODA QUALIDADE - PRO-EX

ANLISES CLNICAS

BIOQUMICA BSICAcido ltico, cido rico, Albumina, Aldolase, Alfa 1

glicoprotena cida, Amilase, Bilirrubina direta, Bilirrubina total, Clcio inico, Clcio total, CK, Cloretos, Colesterol total, Colinesterase, Creatinina, DLH, Ferritina, Ferro, Fosfatase cida prosttica, Fosfatase cida total, Fosfatase alcalina, Fsforo, Frutosamina, Gama glutamil transferase (GGT), Glicose, HDL Colesterol, LDL Colesterol, Lipase, Ltio, Magnsio, Mucoprotenas, Potssio, Protenas totais, Sdio, Transaminase glutmica oxalactica/Aspartato aminotransferase (TGO/AST), Transaminase glutmica pirvica/Alanina aminotransferase (TGP/ALT), TIBC, Transferrina, Triglicerdios e Ureia.

HEMATOLOGIA BSICA

Contagem de clulas: Hemcias, Leuccitos, Plaquetas e Reticulcitos;

Determinao: Hematcrito e Hemoglobina;

ndices hematimtricos: CHGM, HGM, RDW e VGM.

PROGRAMA BSICO

IMUNOLOGIA BSICA - ASO

IMUNOLOGIA BSICA - B-HCG

IMUNOLOGIA BSICA - CHAGAS

08

IMUNOLOGIA BSICA - HBSAG

IMUNOLOGIA BSICA - HIV

IMUNOLOGIA BSICA - SFILIS

IMUNOLOGIA BSICA - VDRL

MICROBIOLOGIA BSICA

Imagens virtuais para Bacterioscopia: BAAR e GRAM;

Cultura, Identicao e TSA.

PARASITOLOGIA BSICA

Imagens virtuais para a identicao de protozorios e helmintos intestinais.

RETICULCITOS VIRTUAL

Imagens virtuais de preparao de extenso sangunea, corada pelo azul de cresil brilhante, em lmina.

09

URINLISE BSICA

Pesquisa de Elementos Anormais;

Sedimento.

EDUCAO CONTINUADA - EDUCAC BSICA

Questionrio com 10 perguntas de mltipla escolha sobre as diferentes especialidades do laboratrio clnico.

ESPECTROFOTOMETRIA BSICA

Avaliao do desempenho dos espectrofotmetros e fotocolormetros (Opcional para os laboratrios que no possuem estes equipamentos).

10

PROGRAMAS AVANADOS

ALIMENTOS-MICROBIOLOGIA

Principais micro-organismos analisados em alimentos:

Bacillus cereus, Coliformes a 35 C ou totais, Coliformes

a 45 C ou termotolerantes, Clostridium sulto redutor a 46 C,

Salmonella sp, Staphylococcus coagulase positiva, Listeria

monocytogenes.

ANLISE FSICO QUMICA DE GUA

Cloro residual livre, Condutividade, pH, Resistividade,

Acidez, Alcalinidade, Silicatos e Substncias oxidveis.

AUTO-IMUNIDADE

Anti-citoplasma de neutrlos, Anti-DNA, Anti-gliadina-IgA,

Anti-gliadina IgG, Anti-Jo1, Anti-LKM1, Anti-microssomal

(Anti-TPO), Anti-mitocndria, Antimsculo estriado,

Anti-msculo liso, Anti-RNP, Anti-Scl-70, Anti-SM, Anti-SSA-Ro,

Anti-SSB-La, Anti-t ireoglobulina, ASCA IgA/IgG

e FAN (Hep2/2000).

CITOMETRIA DE FLUXO

CD3+; CD3+/CD4+; CD3+/CD8+; CD3-/CD16+

CD56+; CD19+; CD34 e CD45+.

COAGULAO

Tempo e atividade protrombnica (TAP);

Tempo de tromboplastina parcial (PTT);

Fibrinognio.

CISTATINA C

11

D-DMERO

DENGUE

IgG e IgM.

DENGUE NS1

NS1.

DROGAS DE ABUSO

cido lisrgico LSD, Etanol, Canabinides, Cocana,

Codena, D-Anfetamina, D-Metanfetamina, Desipramina,

Feniciclidina, MDA, MDEA, MDMA-Ecstasy, Metadona,

Metaqualone, Morna, Nordiazepan, Propoxifeno e

Secobarbital.

DROGAS EM CABELO, PESQUISA

Anfetamina, BEG, Codena, Fenpropex, MDA, MDEA,

MDMA, Metadona, Metanfetamina, Morna, THC-COOH.

DROGAS IMUNOSSUPRESSORAS

Tracolimus, Sirulimus e Ciclosporina.

DROGAS TERAPUTICAS

Acetoaminofeno, cido flico, cido valprico, Amicacina,

Carbamazepina, Digoxina, Fenitona, Fenobarbital,

Gentamicina, Primidona, Quinidina, Salicilato, Teolina,

Tobramicina e Vitamina B12.

ELETROFORESE DE HEMOGLOBINA

Hemcias em soluo estabilizadora.

ELETROFORESE DE PROTENAS

Protenas totais e Fracionamento eletrofortico.

12

ESPERMOGRAMA

Imagem virtual e vdeo para a avaliao da motilidade, morfologia, vitalidade e contagem global.

FATORES DA COAGULAO

Anti-trombina III, Fator I = Fibrinognio, Fator II = Protrombina, Fator III = Tromboplastina tecidual, Fator V = Fator lbil, Fator VII = Proconvertina, Fator VIII = Globulina anti-hemoflica A, Fator IX = Globulina anti-hemoflica B, Fator X = Stuart Power, Fator XI = Precursor da tromboplastina, Fator XII = Hageman, INR, TAP, Protena Ce PTT.

GASOMETRIA

Soluo para dosagens de Clcio inico, Cloreto, CO total, 2Glicose, HCO -, Lactato, PCO , pH, PO , Potssio e Sdio.3 2 2

GLICOSE TLR / POCT

Glicemia Capilar

HEMATOLOGIA II

Imagens virtuais de clulas sanguneas para identicao e contagem diferencial.

13

HEMOGLOBINA GLICADA

Sangue especco para hemoglobina glicada.

IMUNO-HEMATOLOGIACoombs direto e indireto, Fator Rh e Grupo sanguneo.

IMUNOLOGIA ESPECIALHantavrus, Inuenza, Febre maculosa e Sarampo.

IMUNOLOGIA I AVANADADoenas Infecciosas: Anti-HBe, Anti-HBs, Anti-HCV total,

Anti-HIV 1/2, CMV IgG, CMV IgM, HAV IgG, HAV IgM, HBc IgG, HBc IgM, HBeAg, HBsAg, Herpes IgG, Herpes IgM, Rubola IgG, Rubola IgM, Toxoplasmose IgGe Toxoplasmose IgM;

Provas reumticas: Fator Reumatide (Ltex ou Waaler Rose), Mononucleose e Protena C Reativa;

Imunoglobulinas: IgA, IgE, IgG e IgM;

Complementos: C3 e C4.

LEPTOSPIROSE, PESQUISA

LQUIDO CEFALORRAQUIDIANO - LCRAspectos fsicos, Cloretos, Glicose, GRAM, Leucometria

Total, Polimorfonuclear e Mononuclear, Protenas totais, Slis, Tinta da China e Ziehl Neelsen.

LQUIDOS CAVITRIOSAspectos fsicos, cido ltico, Albumina, Amilase,

Bilirrubina total, Colesterol, Creatinina, Densidade, Glicose, GRAM, LDH, Leucometria Total, Polimorfonuclear, e Mononuclear, pH, Protenas e Triglicerdeos.

HORMNIOS

ACTH, Aldosterona, Androstenediona, B-HCG, Calcitonina, Cortisol, DHEA, DHT, Estradiol, Estriol, Ferritina, FSH, GH, Insulina, LH, Progesterona, Prolactina, PTH, SDHEA, SHBG, T3 Livre, T3 Total, T4 Livre, T4 Total, Testosterona livre, Testosterona total e TSH.

HEMOPARASITOLOGIA

Imagens virtuais de amostra sangunea.

14

MEDICINA DO TRABALHO - Veja

TOXICOLOGIA/MEDICINA DO TRABALHO.

MICOLOGIA

Culturas, lminas e EDUCAC.

MICOLOGIA VIRTUAL (MICOLGICO DIRETO)

Imagens virtuais de tecido e cultura fngica.

MICROALBUMINRIA

MICROBIOLOGIA DE GUA

Principais micro-organismos analisados em gua: Escherichia coli e coliformes termotolerantes, Coliformes totais , Enterococos, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus.

MICROBIOLOGIA DE GUA (ABASTECIMENTO)

Principais micro-organismos analisados em gua: Escherichia coli e Coliformes totais.

MARCADORES CARDACOSBNP, CK Total, CK-MB Atividade, CK-MB Massa,

Homocistena, Mioglobina, Troponina I e Troponina T.

MARCADORES TUMORAISAFP, Beta 2 Microglobulina, CA 15-3, CA 19-9, CA 125,

CEA, Fosfatase cida prosttica, PSA e PSA livre.

15

MEDICINA ORTOMOLECULARAlumnio, Arsnio, Cdmio, Cobalto, Cobre, Cromo,

Mangans, Mercrio, Nquel, Prata, Selnio e Zinco em soro.

ROTAVRUS, PESQUISA

SANGUE OCULTOAmostra-controle representando o material biolgico.

TOXICOLOGIA/MEDICINA DO TRABALHOAmostra 01 (urina sinttica): cido delta-aminolevulnico,

Alumnio, Arsnico, Cdmio, Chumbo, Cobalto, Cobre, Creatinina, Cromo, Fluoreto, Mangans, Mercrio, Nquel, Prata, Selnio e Zinco;

Amostra 02 (urina sinttica): cido 2-tiotiazolidina, cido fenilglioxlico, cido hiprico, cido mandlico, cido metil-hiprico, cido trans-transmucnico, cido tricloroactico, Creatinina, Fenol, N-metil Formamida, p-Aminofenol, Tiocianato e Tricloro compostos totais;

Amostra 03 (urina sinttica): Acetona, Creatinina, Etanol, Hexanodiona, Metanol, Metiletilcetona e Metilisobutilcetona;

Amostra 4 (sangue total): Cdmio, Carboxihemoglobina, Chumbo, Mangans, Mercrio, Metahemoglobina e Selnio.

URINLISE II AVANADAcido rico, Clcio, Cloretos, Creatinina, Fsforo, Glicose,

Potssio, Protenas totais, Sdio e Ureia.

TRIAGEM NEONATAL17- OH Proges te rona, Fen i l ce tonr ia (PKU) ,

Hemoglobinopatias (Hb A1, Hb A2, Hb C, Hb D e Hb F), T4, Tripsina Imunoreativa, e TSH.

VELOCIDADE DE HEMOSSEDIMENTAO (VHS)Sangue estabilizado para VHS.

VITAMINA D

MICROBIOLOGIA DE COSMTICOSMicro-organismos aerbios, meslos, pesquisa de

coliformes fecais, coliformes totais, Clostridium sulto redutor, Pseudomona aeruginosa e Staphylococcus aureus.

16

MICROBIOLOGIA DE GUA PARA DILISE

Determinao de Endotoxina.

AMOSTRAS PARA CONTROLE EXTERNODA QUALIDADE - PRO-EX

BIOLOGIA MOLECULAR

DOENAS INFECCIOSAS

Chlamydia trachomatis qualitativo;

HBV qualitativo / quantitativo;

HCV qualitativo / quantitativo / genotipagem;

HIV qualitativo / quantitativo;

HPV qualitativo;

HSV qualitativo;

Mycobacterium tuberculosis/GeneXpert qualitativo;

Zika vrus qualitativo/quantitativo.

GENTICA

Forense;

Paternidade / Maternidade.

17

Imagens virtuais de esfregaos de secrees crvico-vaginais e de lquidos

biolgicos;

Questionrio EDUCAC, com 10 perguntas sobre a especialidade.

AMOSTRAS PARA CONTROLE EXTERNODA QUALIDADE - PRO-EX

CITOPATOLOGIA

18

HEMOCOMPONENTES

Fator VIII, Hemocultura, Hemograma completo (Hematcrito, Hemcias,

Hemoglobina, Leuccitos e Plaquetas) e PTT.

SOROLOGIA

18 amostras de soro com reatividade varivel para Anti-HBc, Anti-HCV,

Anti-HIV 1 + 2, Anti-HTLV I/II, Anti-T. cruzi (Chagas), HBsAg e Slis.

PROGRAMA DE NAT* NUCLEIC ACID TEST

HBV, HCV e HIV.

*Uso obrigatrio para triagem de doadores nos Bancos de Sangue do Brasil.

AMOSTRAS PARA CONTROLE EXTERNODA QUALIDADE - PRO-EX

BANCOS DE SANGUE E SERVIOS DE HEMOTERAPIA

PROGRAMA DE IMUNO-HEMATOLOGIA

Grupo sanguneo, Fator Rh, Coombs direto e indireto (PAI),

Identicao de anticorpo irregular (IAI), Fentipo Kell e Prova

cruzada.

19

INSTRUES PARA AVALIAODAS IMAGENS VIRTUAIS

Acompanhando as tendncias do desenvolvimento tecnolgico internacional e com

o objetivo de melhorar a homogeneidade das amostras dos Programas Avanados

do PRO-EX, o PNCQ disponibiliza algumas amostras-controle virtuais, que o

Laboratrio Participante acessa na rea Restrita, a partir do Lote Aberto.

Diferente das imagens estticas, utilizadas em atlas e livros, que no se assemelham

microscopia da rotina laboratorial, as amostras virtuais do PNCQ possibilitam

analisar as imagens de maneira similar s lminas de amostras dos pacientes.

As imagens so geradas no microscpio Olympus VS 120 de alta tecnologia, que

permite simular a visualizao de toda a lmina (movimento do charriot), usar o zoom

(com objetivas variveis de 0 a 100%), e foco do micromtrico com o uso dos botes

Z e Z.

Microscpio Olympus VS 120

20

As instrues detalhadas esto na rea da amostra-controle virtual e tambm em

um tutorial em vdeo que aparece na tela de todos os Programas Virtuais contratados.

Ao abrir a imagem est indicada, no canto superior esquerdo, a quantidade de

ajustes do foco (Frame 1 de 12, no exemplo abaixo).

21

GRFICO TENDNCIAE DESVIO RELATIVO MDIA - DRM

O Grco Tendncia disponibilizado gratuitamente ao Laboratrio Participante

para o acompanhamento e anlise de seu desempenho no PRO-EX, com a anlise do

Desvio Relativo Mdia (DRM).

O grco pode ser acessado de 2 maneiras:

A partir da tela principal do Lote Avaliado, clicar no boto correspondente,

selecionar o perodo da consulta, a especialidade e o constituinte:

A partir da Avaliao Mensal, clicando no cone do constituinte:

22

Das duas maneiras, o grco aparecer automaticamente e, posicionando o cursor

sobre o ponto do lote, so exibidos o DRM e o Conceito:

Desta maneira, possvel acompanhar o desempenho do laboratrio em cada

analito, possveis tendncias, perda de preciso e de exatido.

Permite ainda a impresso dos grcos com os respectivos valores de DRM e

conceitos.

23

CALENDRIO E PERIODICIDADEDE ENVIO DE KITS PRO-EX

Os kits com as amostras do PRO-EX so encaminhados pelo PNCQ aos mais de

4.900 Associados, na segunda e tera-feira da 1 ou 2 semana de cada ms,

conforme programao prvia.

Se o laboratrio no receber o kit em at 72 horas aps o dia do envio, deve entrar

em contato com o PNCQ, para as devidas providncias.

O calendrio com as datas e Programas pode ser acessado na rea Restrita do

Laboratrio Participante.

24

possvel conferir as datas de envio de cada lote dos kits PRO-EX no calendrio:

Todos os meses o Programa Bsico encaminhado a todos os Associados.

Alm disso, o laboratrio recebe os Programas Avanados contratados, nas

seguintes periodicidades: Hematologia II mensal (12 Kits por ano); Imunologia I

Doenas Infecciosas: bimestral (6 kits por ano); todos os demais trimestralmente (4

kits por ano).

25

CONTROLE INTERNODA QUALIDADE PRO-IN

ORIENTAES

De acordo com a Resoluo RDC 302:2005 da ANVISA, o Controle Interno da

Qualidade CIQ, denido como o conjunto de procedimentos conduzidos

em associao com o exame dos pacientes, para avaliar se o sistema

analtico est operando dentro dos limites pr-definidos.

O laboratrio clnico deve utilizar amostras controle comerciais,

regularizadas junto a ANVISA/MS e, quando estas no estiverem disponveis no

mercado, formas alternativas descritas na literatura podem ser utilizadas, desde

que permitam a avaliao da preciso do sistema analtico. O PNCQ oferece uma

ampla linha de Amostras para Controle Interno da Qualidade PRO-IN.

Os Assessores Cientcos do PNCQ esto disposio para esclarecer

quaisquer dvidas em relao aos mtodos alternativos recomendados, de

acordo com o documento do CLSI GP 29-A2.

A legislao determina que as amostras de controle interno da qualidade devem

ser analisadas da mesma forma que as amostras dos pacientes e tambm,

que a liberao ou rejeio dos resultados da rotina s pode ser feita aps

avaliao dos resultados das amostras de CIQ. Desta forma, o PNCQ orienta que

os laboratrios processem as amostras-controle no incio da rotina, sempre

seguindo as orientaes dos fabricantes e, dependendo do volume dirio,

tambm no decorrer do dia.

A quantidade de amostras controle, bem como a frequncia e os nveis indicados

para serem usados na rotina do laboratrio so sempre determinados nas

instrues de uso dos fabricantes.

26

importante que o Laboratrio Participante faa uma previso da quantidade de

amostras a serem utilizadas, de preferncia anualmente, o que possibilitar

utilizar o mesmo lote por um longo perodo.

As amostras-controle do PRO-IN podem ser adquiridas em quantidade mnima

de 12 frascos, diminuindo o custo referente ao envio (frete). O valor destas

amostras-controle pode ser parcelado em at 12 vezes e includo mensalmente

nos boletos mensais dos Associados, sem juros. Apenas o valor do frete ser

incluso integralmente no primeiro boleto.

O laboratrio clnico deve monitorar os seus processos pela anlise das

amostras de controle interno, com registro dos resultados e denio dos critrios

de aceitao e rejeio, por tipo de analito e de metodologia utilizada.

A avaliao dos resultados das amostras-controle deve ser estabelecida pelo

laboratrio, sendo o critrio de aceitao estabelecido em, no mximo, 2 Desvios

Padro (DP) em relao mdia. Alm disso, o laboratrio deve lanar os

resultados em Grco de Levey Jennings para avaliar seu desempenho em relao

exatido, preciso e tendncias.

O PNCQ disponibiliza gratuitamente o PRO-IN em Tempo Real, auxiliando

os laboratrios na anlise de seu desempenho. As informaes detalhadas para o

uso dessa ferramenta encontram-se neste catlogo.

Para receber as amostras do PRO-IN, entre em contato:[email protected] ou 55 (21) 2569-6867

27

AMOSTRAS PARA CONTROLE INTERNODA QUALIDADE - PRO-IN

ANTIESTREPTOLISINA O ASO Cdigo: ASOApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Elevado

AUTO-IMUNIDADECdigo: AIMUApresentao: Liolizado (2 mL)Nvel: 1 e 2

Anti-DNA, Anti-gliadina IgA, Anti-gliadina IgG, Anti-Jo1, Anti-LKM1, Anti-microssomal (Anti-TPO), Anti-mitocndria, Anti-RNP, Anti-Scl-70, Anti-SSA-Ro, Anti-SSB-La, Anti-SM e Anti-tireoglobulina, ASCA IgA/IgG e FAN (Hep2/2000).

Anti-HBe Cdigo: HBE Apresentao: Liolizado (2 mL)Nvel: Reagente

Anti-HBc IgG/IgMCdigo: HBCGM Apresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

ANTI-HIVCdigo: HIVApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

ANTI-HCVCdigo: BSHCVApresentao: Liolizado (2,0 mL)Nvel: Reagente

28

BIOLOGIA MOLECULARCdigos:CLABIOM Clamdia 0,5 mLHIVBIOM HIV 1,5 mLHCVBIOM HCV 1,5 mLHSVBIOM HSV 0,5 mLHPVBIOM HPV 0,5 mLHBVBIOM HBV 1,5 mLZIKA Zika Vrus 0,75 mLBMTB TUBERCULOSE 0,5 mL Apresentao: LiolizadoNvel: Reagente

BIOQUMICACdigo: BIOQApresentao: Liolizado (5 e 10 mL)Nvel: 1 e 2

cido ltico, cido rico, Albumina, Aldolase, Alfa 1 glicoprotena cida, Amilase, Bilirrubina direta, Bilirrubina total, Clcio, Clcio inico, Cloretos, Colesterol, Colinesterase, Creatinina, CK, DLH, Ferritina, Ferro, Fosfatase cida total, Fosfatase alcalina, Fsforo inorgnico, Frutosamina, Gama glutamil transferase (GGT), Glicose, HDL Colesterol, LDL Colesterol, Lipase, Ltio, Magnsio, Mucoprotenas, Potssio, Protenas Totais, Sdio, Transaminase glutmica oxalact ica/Aspartato aminotransferase (TGO/AST), Transaminase glutmica pirvica/Alanina aminotransferase (TGP/ALT), Transferrina, TIBC, Triglicerdios e Uria.

CITOMETRIA DE FLUXOCdigo: CFLUApresentao: Lquida (3 x 1 mL)Nvel: VarivelCD3+; CD3+/CD4+; CD3+/CD8+; CD3-/CD16+

CD56+; CD19+ e CD45+.

CMV - IgG/IgMCdigo: CITOMVApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

29

COAGULOGRAMACdigo: COAGApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: Normal Elevado

CO-OXIMETRIACdigo: COOXApresentao: Lquida (2,5 mL)Nvel: 1,2 e 3

COOMBS DIRETOCdigo: IMUHApresentao: Suspenso de hemcias (4 mL)

COOMBS INDIRETOCdigo: IMUHApresentao: Lquido soro (4 mL)

D-DMEROCdigo: DDIMApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: 1

DENGUE NS1Cdigo: NS1Apresentao: Liolizado (0,15 mL)Nvel: Reagente

DENGUE, PESQUISACdigo: DENGApresentao: Liolizado (0,6 mL)Nvel: Reagente No Reagente

Dengue IgG, Dengue IgM.

DROGAS DE ABUSO EM CABELOCdigo: DRCABApresentao: Slido, 100mgNvel: VarivelAnfetamina, BEG, Codena, Fenpropex, MDA, MDEA,

MDMA, Metadona, Metanfetamina, Morna, THC-COOH.

30

DROGAS IMUNOSSUPRESSORASCdigo: DIMUApresentao: Liolizado (2 mL)Nvel: 1, 2 e 3

Tacrolimus, Sirulimus e Ciclosporina.

DROGAS TERAPUTICASCdigo: DTERApresentao: Liolizado (2 mL)Nvel: 1, 2 e 3

Acetoaminofeno, cido flico, cido valprico, Carbamazepina, Digoxina, Fenitoina, Fenobarbital, Primidona, Quinidina, Salicilato, Teolina e Vitamina B12.

DROGAS DE ABUSO EM URINACdigo: DGABApresentao: Lquida (2,5 mL)Nvel: 1, 2 e 3

ELETROFORESE DE HEMOGLOBINACdigo: EHBApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: Varivel

ELETROFORESE DE PROTENASCdigo: EPTNApresentao: Liolizado (5 e 10 mL)Nvel: Varivel

Protenas Totais, Albumina, Globulina Alfa 1, Globulina Alfa 2, Globulina Beta e Globulina Gama.

ESPECTROFOTOMETRIACdigo: ESPBApresentao: Lquida (4 mL)

Avaliao do desempenho dos espectrofotmetros e fotocolormetros.

FANCdigo: FANApresentao: Liolizado (0,2 mL)Nvel: Normal

Padro nuclear, nucleolar e citoplasmtico

31

HAV IgG/IgMCdigo: HAVApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

HBeAgCdigo: HBEGApresentao: Lquida (2 mL)Nvel: Reagente

FATOR REUMATIDECdigo: FAREUApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

FATORES DA COAGULAOCdigo: FATCOApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: Normal

Anti-trombina III, Fator I = Fibrinognio, Fator II = Protrombina, Fator III = Tromboplastina tecidual, Fator V = Fator lbil, Fator VII = Proconvertina, Fator VIII = Globulina anti-hemoflica A, Fator IX = Globulina anti-hemoflica B, Fator X = Stuart Power, Fator XI = Precursor da tromboplastina, Fator XII = Hageman, INR e Protena C.

GASOMETRIACdigo: GASOApresentao: Lquida (2,5 mL)Nvel: 1, 2 e 3

++ + +HCO , Ca , Cl , CO Total, Glicose, K , Lactato, Na , 3 2pCO , pH, pO .2 2

GLICEMIA TLR (TESTE RPIDO)Cdigo: TLRPApresentao: Lquida (1,0 mL)Nvel: 1, 2 e 3

GRUPO SANGUNEO E FATOR RHCdigo: IMUHApresentao: Suspenso de hemcias (4 mL)

32

IMUNOHEMATOLOGIACdigo: IMHEApresentao: Lquida (4 mL)

IMUNOLOGIACdigo: IMUBApresentao: Liolizado (3 mL)Nvel: Varivel

Anti-HBc, ASO, B-HCG, C3, CHAGAS, CMV IgG, CMV IgM, Fator Reumatide, HAV IgG, HAV IgM, HBsAg, HCV, HIV, HTLV IgA, IgG, IgM, Mononucleose, Protina C Reativa, Rubola IgG, Rubola IgM, Slis, Toxoplasmose IgG e Toxoplasmose IgM.

HCG Cdigo: HCGApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

HEMATOLOGIA (Hemoglobina, Leuccitos e Plaquetas)Cdigo: CIHEMApresentao: Liolizado (1,5 mL)Nvel: 1 e 2

HEMOGLOBINA GLICADACdigo: HGLIApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: Normal Elevado

HEMOGLOBINA HEMOCUECdigo: HCUE 201 e 301Apresentao: Lquida (1 mL)Nvel: 1, 2 e 3

HORMNIOSCdigo: HORMApresentao: Liolizado (5 mL)Nvel: 1 e 2

ACTH, Aldosterona, B-HCG, Calcitonina, Cortisol, Estradiol, Estriol, Ferritina, FSH, Insulina, LH, Progesterona, Prolactina, PTH, T3 Livre, T3 Total, T4 Livre, T4 Total, Testosterona, Testosterona Livre e TSH.

33

MICROBIOLOGIACdigo: MICBApresentao: Liolizado (1 mL)

Cepas de diversas bactrias ATCC - Bacilos Gram Negativo e Cocos Gram Positivo.

LMINAS GRAMCdigo: GRAMApresentao: Extenso em lminasNvel: Varivel

LMINAS BAARCdigo: BAARApresentao: Extenso em lminasNvel: Varivel

LCR / LquorCdigo: LCRApresentao: Lquida ( 4mL)Nvel: Varivel

MARCADORES CARDACOSCdigo: MCARApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: 1 e 2

CK Total, CK-MB Atividade, CK-MB Massa, Homocistena, Mioglobina, Troponina I e Troponina T.

MARCADORES TUMORAISCdigo: MTUMApresentao: Liolizado (2 mL)Nvel: 1 e 2

AFP, Beta 2 Microglobulina, CA 15-3, CA 19-9, CA 125, CEA, Fosfatase cida prosttica, PSA e PSA Livre.

MEDICINA ORTOMOLECULARCdigo: ORTOApresentao: Liolizado (3 mL)Nvel: 1 e 2

34

PROTENA C REATIVA PCR Cdigo: PROTCRApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: 1 e 2

PTH Cdigo: PTHApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: 1,2 e 3

MICROALBUMINRIACdigo: MALAApresentao: Liolizado (1 mL)Nvel: 1,2 e 3

NUCLEIC ACID TEST (NAT) HBV, HCV E HIVCdigo: NATApresentao: Liolizado (1,5 mL)Nvel: Reagente No Reagente

ROTAVRUS, PESQUISACdigo: ROTAApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente No Reagente

RUBOLA - IgG/IgMCdigo: RUBEApresentao: Liolizado (0,3 mL)Nvel: Reagente

SFILISCdigo: TREPApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

SANGUE OCULTO, PESQUISACdigo: SGOCApresentao: Pastosa (2 g)Nvel: Negativo Positivo

35

SOROLOGIA PARA BANCO DE SANGUEApresentao: Liolizado

MR01 Anti-HIV 5 mLMR02 Chagas 5 mLMR03 Slis 2 mLMR04 HTLV 5 mLMR05 HCV 5 mLMR06 HBsAg / Anti-HBc 5 mLMNR No Reagente 5 mL

Amostras especcas para Architect:AMR01 Anti-HIV Architect 2 mLAMR02 Chagas Architect 2 mLAMR03 Slis Architect 2 mLAMR04 MR01 HTLV Architect 2 mLAMR05 HCV Architect 2 mLAMR06 HBsAg Architect 2 mLAMR07 Anti-HBc Architect 2 mL

SFILIS VDRLCdigo: VDRLApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

TOXICOLOGIA/MEDICINA DO TRABALHOCdigo: MEDTApresentao:Compostos Orgnicos em urina - Liolizado (10 mL)Compostos Inorgnicos metais em urina - Liolizado (10 mL)Metais em Sangue Total - Liolizado (5 mL)Volteis em Urina - Lquida (4 mL)Nvel: 1,2 e 3

TOXOPLASMOSE - IgG/IgMCdigo: TOXOMApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: Reagente

36

URINLISE TIRA REAGENTECdigo: URICIApresentao: Lquida (10 mL)Nvel: Reagente No Reagente

VITAMINA DCdigo: VITDApresentao: Liolizado (0,5 mL)Nvel: 1 e 2

URINLISE ANLISE BIOQUMICACdigo: URIAApresentao: Liolizado (5 mL)Nvel: 1 e 2

cido rico, Amilase, Clcio, Cloreto, Creatina, Fsforo, Glicose, Magnsio, Potssio, Protenas totais, Sdio e Uria.

37

INSTRUES DE USOE VALORES DO PRO-IN

As Amostras para Controle Interno da Qualidade PRO-IN possuem Instrues

de uso elaboradas com todas as informaes necessrias, incluindo as indicaes

sobre armazenamento, estabilidade, instrues para a correta reconstituio dos

materiais liolizados, Valores Mdios e Desvio Padro (DP) de cada constituinte, em

diversos mtodos. As Fichas de Informao de Segurana de Produtos Qumicos

FISPQ tambm esto disponveis.

As instrues de uso podem ser acessadas diretamente pelo site do PNCQ, bem

como pela rea restrita, conra abaixo:

Pelo site do PNCQ:

Basta posicionar o mouse na barra do menu principal sobre PRODUTOS E

SERVIOS e clicar em CATLOGO DE PRODUTOS:

38

Na listagem, localizar e clicar sobre a amostra desejada no exemplo abaixo,

HEMATOLOGIA uma tela abrir com os lotes disponveis. Clique sobre o lote para

abrir as instrues de uso:

Pela rea Restrita:

Entre na rea restrita com seu login e senha; clique em VALORES DO PRO-IN:

39

Na listagem, localizar a amostra desejada e clicar sobre o lote:

Independentemente do tipo de acesso, as Instrues de Uso abriro

automaticamente.

Na imagem, destacamos as informaes sobre armazenamento, estabilidade e

Instruo de Reconstituio da amostra-controle de hematologia:

40

Nas pginas seguintes, encontrar os Valores mdios e DP de cada constituinte, em

diversos mtodos:

Tambm possvel acessar a FISPQ:

41

PRO-IN EM TEMPO REAL

O PNCQ disponibiliza ao Laboratrio Participante, gratuitamente, a ferramenta

PRO-IN EM TEMPO REAL que auxilia na elaborao e avaliao do seu controle

interno com a preparao do Grco de Levey Jennings, automaticamente.

necessrio que o Laboratrio Participante estabelea suas prprias mdias, de

acordo com a variabilidade analtica existente em seu laboratrio.

Aps a incluso do valor encontrado para sua amostra do controle interno na rotina

diria possvel conhecer sua Mdia, Desvio Padro (DP) e Coeciente de Variao

(CV%), alm de comparar seu desempenho com os de outros participantes que

utilizam o mesmo mtodo e aplicar as regras de Westgard.

Basta clicar na aba PRO-IN EM TEMPO REAL, escolher o lote da amostra-controle e

clicar em LANAR RESULTADOS.

O Manual com o detalhamento do uso desta ferramenta est disponvel para

consulta, ao lado direito da tela principal.

O Laboratrio pode escolher a opo para denir as regras de lanamento para

compor os Valores Mdios. O tipo aqui selecionado ser a base dos clculos para

validar e montar os lanamentos, atravs da Mdia, DP e CV. Esses valores so

exibidos na tabela do Clculo de Mdias.

42

Aps estabelecer suas mdias, pode utilizar os valores de referncia prprios:

43

Aps selecionar o Constituinte, Equipamento, Reagente e Mtodo, basta escolher a

Data, digitar o Resultado e clicar em ADICIONAR para salvar o lanamento.

Os clculos so automticos:

44

Esta ferramenta possibilita a gerao do grco de Levey Jennings

automaticamente:

Tambm pode denir as regras de Westgard a serem aplicadas.

45

PAINIS PARA VALIDAODE REAGENTES PAINIS

ORIENTAES

A Validao pode ser denida como a evidncia documentada de que

um procedimento, processo, sistema ou mtodo realmente conduz aos

resultados esperados, frente a amostras e Painis de referncia,

conrmando sua sensibilidade, especicidade, reprodutibilidade e

estabilidade.

O PNCQ fabrica , oferece 3 Painis para Validao de Reagentes

formatos j padronizados de Painis para Validao de Kits para

Servios de Hemoterapia e outros, conforme necessidades do

mercado, sob consulta.

A RESOLUO RDC 34:2014 da ANVISA dispe sobre as Boas Prticas

no Ciclo do Sangue e determina que os Servios de Hemoterapia devem

realizar validao de processos considerados crticos para a garantia da

qualidade dos produtos e servios antes da sua introduo e revalid-los

sempre que forem alterados.

Os testes laboratoriais de qualicao no sangue do doador devem ser

realizados seguindo as instrues dos fabricantes de reagentes e qualquer

manipulao inerente ao procedimento metodolgico deve ser realizada

de acordo com as recomendaes, mediante processo devidamente

validado.

46

A Portaria 158:2016 do Ministrio da Sade redene o regulamento

tcnico de procedimentos hemoterpicos e estabelece que os kits

(conjuntos diagnsticos) devero ser aprovados antes da aquisio ou

incio de utilizao e durante a avaliao deve ser utilizado, no mnimo, um

lote do reagente em teste. Para tanto, devem ser utilizadas amostras de

sangue com resultados conhecidos e caracterizadas laboratorialmente ou

painis comerciais.

Estabelece tambm como obrigatrio o Controle de Qualidade de

Reagentes de Sorologia, com a realizao de exames laboratoriais de

alta sensibilidade a cada doao, para deteco de marcadores para as

seguintes infeces transmissveis pelo sangue: slis, doena de Chagas,

hepatite B, hepatite C, HIV e HTLV I/II com conjuntos diagnsticos (kits)

prprios para esta nalidade, registrados na ANVISA. Os kits devero ser

aprovados antes da aquisio ou do incio de sua utilizao, com amostras

de sangue com resultados conhecidos e caracterizadas laboratorialmente

ou painis comerciais nas mesmas condies e com os mesmos

procedimentos adotados na rotina.

Para receber as amostras de Painis, entre em contato:

[email protected] ou 55 (21) 2569-6867

47

PAINIS PARA VALIDAODE REAGENTES PAINIS

PAINIS ESPECFICOS

Para cada um dos parmetros da triagem sorolgica

(Anti-HIV 1+2, Anti-HTLV I/II, HBsAg, Anti-HBc,

Anti-HCV, Anti-T.cruzi, Slis.

Cada painel constitudo de 11 amostras reagentes e 1

no reagente para cada um dos parmetros

considerados.

48

49

PAINIS PARA AVALIAES LOTE A LOTE

Para cada um dos parmetros da triagem sorolgica

(Anti-HIV 1+2, Anti-HTLV I/II, HBsAg, Anti-HBc,

Anti-HCV, Anti-T.cruzi, Slis.

Corresponde utilizao de um conjunto de sete

painis de performance, sendo um para cada teste,

de cada parmetro da triagem sorolgica.

PAINIS DE PERFORMANCE

Para cada um dos parmetros da triagem sorolgica

(Anti-HIV 1+2, Anti-HTLV I/II, HBsAg, Anti-HBc,

Anti-HCV, Anti-T.cruzi, Slis.

Cada painel constitudo por 20 amostras-controle

com a seguinte distribuio: 7 amostras reagentes e

3 no reagentes, para o parmetro considerado e

10 amostras heterlogas.

TABELAS DE CONVERSES DE UNIDADES

Para facilitar o preenchimento das planilhas de resultados do PRO-EX, que varia em

relao s unidades e mtodos, o PNCQ disponibiliza vrias tabelas de converses

de unidades, bem como alguns exemplos de aplicaes.

Sistema de Pesos e Medidas

Tabela de Converso Unidade de Volume

50

Tabela de Converso Unidade de Peso

Quando houver somente uma unidade dos sistemas g (grama) ou L (litro) a ser

transformada, a consulta das tabelas dever ser sempre pela esquerda (na

horizontal).

Procura-se a linha da unidade a ser transformada e segue-se (na vertical) at

encontrar a outra unidade, onde se encontra o fator de multiplicao para a

transformao.

Exemplos:

51

Quando houver 2 unidades para transformao, uma no numerador e outra no

denominador (ex.: mg/mL), a unidade do numerador feita como acima (pela

esquerda, na horizontal, at encontrar a unidade, na vertical).

Para a unidade do denominador, a consulta da tabela deve iniciar por cima (na

vertical). Procura-se a coluna da unidade a ser transformada e segue-se at encontrar

(na horizontal) a outra unidade e o fator de multiplicao para a transformao.

Tabela de Converso Unidade de Peso

52

CERTIFICADO DE PARTICIPAOE CERTIFICADOS DE EXCELNCIA

Anualmente o PNCQ concede um Certicado com o conceito de seu desempenho,

conforme especicado no Manual do Laboratrio Participante. Este certicado

emitido gratuitamente em papel e tambm fornecido em placa de alumnio ou ao

escovado, a preo de custo.

De acordo com o perodo de participao consecutiva no PRO-EX, os laboratrios

tambm tm o direito de receber um Certicado de Excelncia, que pode ser

solicitado em sua rea restrita, veja:

53

5 anos: Prata

As categorias so:

15 anos: Platina

20 anos: Diamante

3 anos: Bronze

10 anos: Ouro

54

SELO DE QUALIDADE

Para os Laboratrios Participantes ativos que aps um ano de avaliao obtm a

classicao Excelente ou Boa, concedida a oportunidade de adquirir o Selo de

Qualidade do PNCQ/SBAC.

O selo pode ser xado nos laudos dos seus pacientes, divulgando sua participao

no Programa Nacional de Controle de Qualidade, criando um diferencial e

valorizando seu laboratrio no mercado.

Este selo fornecido pelo preo de custo, uma marca registrada do PNCQ e no

pode ser reproduzido ou impresso nos laudos.

A solicitao pode ser feita na pgina principal da rea restrita, preenchendo os

dados:

55

PNCQ no facebook Os profissionais da rea Laboratorial tm em nossa pgina uma fonte variada de temas relevantes.

Curta nossa pgina no facebook e faa parte da rede social

do PNCQ

Controle de qualidade

Notcias do setor

Informes importantes

Legislao

Eventos

Treinamentos

A

!

Q

Em mdia, 40% das pessoas que seguem nossa pgina interage efetivamente com as publicaes, compartilhando,

curtindo e comentando.

Alcance de 12.685 pessoas em mdia.

Em 1976, durante o V Congresso Brasileiro de Anlises Clnicas em Belo

Horizonte/MG, o Dr. Jos Abol Corra distribuiu frascos com soro liolizado a 20

proprietrios de laboratrios, para que fossem processadas determinadas

dosagens bioqumicas. Os resultados foram analisados, as mdias

estabelecidas e as avaliaes, na poca manuais, encaminhadas a estes

laboratrios.

Assim nasceu o Programa Nacional de Controle de Qualidade da Sociedade

Brasileira de Anlises Clnicas.

Posteriormente outras amostras-controle foram enviadas, dando incio a uma

fase de crescente ampliao e modernizao nos ltimos anos.

O PNCQ auto-sufciente na preparao das amostras-controle em sua sede

no Rio de Janeiro, atendendo aos mais rigorosos padres de qualidade.

Hoje, temos orgulho em ser o maior e melhor Provedor de Ensaio de

Procincia existente no Pas, com mais de 4.900 laboratrios associados,

representando o Brasil em diversas instituies nacionais e internacionais.

PNCQ: 40 anos de Qualidade!

Rua Vicente Licnio, 193 - TijucaRio de Janeiro - RJ - Brasil - CEP: 20270-340

Tel/Fax: 55 (21) 2569-6867E-mail: [email protected] | Site: www.pncq.org.br

Patrocinado pela Sociedade Brasileira de Anlises Clnicas