Afetividade comentado

of 31/31
  • date post

    09-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    424
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Afetividade comentado

Slide 1

AfetividadeNcleo de Formao e EspiritualidadeNUFESPO objetivo desta palestra apresentar a afetividade de forma simples, com a finalidade de que os participantes possam, alm de compreender, explicar a outras pessoas.1Afetividade O que ?NUFESP NCLEO DE FORMAO E ESPIRITUALIDADE2Primeira parte: O que afetividade.2Afetividade o que ?Afeto (Houaiss)Etimologia: subst. lat. affectus,us 'estado psquico ou moral (bom ou mau), afeio, disposio de alma, estado fsico, sentimento, vontade';Antnimos: ver desprezo e repulso Homnimos: afeto (fl. afetar)

3Apresentamos a definio de afetividade nos dicionrios como ponto de partida para o nosso assunto. nfase para estado psquico ou moral, disposio de alma, estado fsico. Esses trs aspectos so muito importantes para o que iremos apresentar adiante.A questo de ser bom ou mau tambm tem uma grande relevncia, porque o afeto exatamente isso ato de afetar a algum. Podemos afetar uma pessoa de maneira positiva (boa algo de bom) ou de maneira negativa (m algo de mau). ISSO APARECER NO SLIDE SEGUINTE NOVAMENTE COMO REFORO.Pelos antnimos possvel tambm concluir muito sobre o afeto, pois desprezo ou repulso mostram que uma forma de afastar aquilo que nos afeta ignorar a fonte. Logo, desprezar ou repudiar (repulsa) uma forma de fazermos cessar a ao afetiva.3

Somos afetados positivamente ou negativamente.Podemos afetar tambm da mesma forma.O afeto no tem a ver somente com o relacionamento com uma pessoa exclusivamente, como um namorado ou namorada, como muitas vezes pensamos, mas tem a ver com nossa forma de agir com todas as pessoas com as quais nos relacionamos todos os dias.O afeto est ligado a todos os estmulos externos (extra corporais) e internos (corporais).Afetividade o que ?4H trs afirmaes neste slide.Na primeira, reforamos a ideia exposta no slide anterior o Afeto pode ser positivo ou negativo;Na segunda afirmao: descaracterizamos um pequeno engano que algumas pessoas costumam enxergar por causa do amor romntico s sente ou oferece afeto quem relaciona-se a dois (namorados, esposos, amantes etc.). Isso no verdade. Existe afeto familiar e no meio da sociedade.Na terceira afirmao, iniciamos o assunto dos prximos slides: h aspectos externos e internos a ns que envolvem o afeto.4Afetividade o que ?Afetividade = afeto + atividadeSoma das nossas:EmoesSentimentosnimoEstado de espritoEspiritualidadeReligiosidadeConhecimento

5

A afetividade o afeto em ao, ou seja, exatamente o ato de afetar ou de ser afetado. Por afetividade podemos definir tanto a qualidade de quem receptivo aos afetos (positivos ou negativos) quanto capacidade de quem gera esses estmulos.E a temos que a afetividade um somatrio de todos os pontos expostos, porque a atividade de afetar envolve nosso ser por inteiro, desde nossas emoes e sentimentos at nosso racional (conhecimento), passando pelas nossas crenas e pela nossa relao com o divino (espiritualidade e religiosidade) e por nossa disposio (nimo).

5Afetividade o que ?6

Como afetamos as pessoas em nosso dia a dia?Diante disso, fica a pergunta: como afetamos as pessoas em nosso dia a dia. Como agimos conosco mesmo, com nossa famlia e no meio social onde interagimos?6Desenvolvimento da afetividadeNUFESP NCLEO DE FORMAO E ESPIRITUALIDADE7Aps uma apresentao sobre o que a afetividade, passaremos a expor sobre o desenvolvimento dessa atividade.7

Desenvolvimento da Afetividade8O afeto intra-tero:Da meDo paiDos parentes e amigos mais prximosToque no ventre;ConversaEla comea desde cedo, dentro do ventre de nossas mes. No difcil encontrarmos pessoas que tm problemas de desajustes inexplicados, como as pessoas que tm toda a ateno na vida, mas ainda assim no conseguem ajustar-se. Embora as pesquisas ainda no sejam consistentes, muitos estudiosos e especialistas trabalham com a hiptese do desenvolvimento da afetividade desde as primeiras ligaes neurais estabelecidas (mais bsicas ligadas ao desenvimento do bulbo cerebral) dentro do ventre materno. Embora no exista uma confirmao cientfica, possvel j observar alguns resultado positivos em trabalhos de psiclogos que trabalham com essa tese (como dr. Renate Jost).8

Desenvolvimento da AfetividadeBebs:Ateno, repetio, contato fsico, estmulos sensoriais, brincadeiras...Contato bastante estreito com os pais, familiares e outras crianas.9A fase dos 0 aos 6 anos imprescindvel para a formao dos caracteres bsicos do ser humano. O carter e a personalidade so formados nessa fase. Ainda que as crianas sejam novinhas, no fcil a tarefa de afet-los positivamente, por exemplo, com a educao para os limites. 9

Desenvolvimento da AfetividadeFilhos maiores:AmizadeAtenoInteraoInteresse no opressivoParticipao10

Aps os 6 anos, lapida-se o que foi instalado anteriormente. Se nada foi feito... O que vocs acham que poder ser feito nesta fase dos 7 aos 12 anos? E depois que eles chegam adolescncia?Se algum no conseguiu interagir na primeira fase da vida das crianas, pode ainda ajust-los, certamente, mas dispender muito mais energia nessa tarefa e os resultados dependero das 10Desenvolvimento da Afetividade11

Convvio socialConvvio familiarA afetividade tem sua origem na famlia. Ela vai ser sentida e exercitada na prpria famlia e no convvio social. Pessoas que possuem afeto (no sentido positivo) tendem a ter mais facilidade de superar os obstculos da vida e, consequentemente, interagem melhor com as outras pessoas. So os equilibrados ou bem ajustados.11Desenvolvimento da Afetividade12

O bem ajustado no depende do outro... feliz consigo mesmo, com as suas prprias conquistas, com o que possui... Aquele que recebeu mais afeto + que afeto tem mais auto-confiana e um amor prprio que o protege de muitos perigos do mundo.12Sombras e luzesNUFESP NCLEO DE FORMAO E ESPIRITUALIDADE13

Sombras e luzesComportamentos negativos:RejeioAbandonoMaus tratosRispidez no tratoFalta de atenoIndiferenaDescompromisso14

Sombras e luzes

Gera problemasDepressoDesesperoCarncia afetivaAfastamentoAumento do egosmo, do individualismo e do egocentrismoViolncia / agressividade15Sombras e luzesAfeto negativo que atrapalha o desenvolvimento da pessoa, a vida familiar e a estrutura do tecido social.

16

Sombras e luzes

O ganho da afetividade positiva para a sociedade grande.17

Sombras e luzesA famlia a base para a construo de uma afetividade positiva. O casal, cuidando de sua prpria afetividade, consegue testemunhar seu amor.18Sombras e luzes19

As famlias educam os filhos para uma afetividade positiva.

Sombras e luzes

Os filhos passam a ter alimentada a esperana e a f na famlia, nas instituies e na sociedade.20Sombras e luzes21

A afetividade positiva faz parte do aprendizado para o relacionamentoConcluindoAfetividade positivaSexualidade sadia e cristAprendizado para o relacionamentoEducao ao amor22

Por isso, partindo da afetividade, podemos perceber que a famlia tem como OBRIGAO natural educar os filhos para: (1) AFETIVIDADE, (2) para uma SEXUALIDADE SADIA E CRIST, (3) para os RELACIONAMENTOS e (4) para o AMOR.22ConcluindoPor qu no conseguimos realizar essa tarefa de educar para a afetividade, para a sexualidade, para os relacionamentos, para o amor?

23Um beagle(um bigw)

Concluindo O afeto de Deus

Como que Deus nos afeta?Ele a origem do afeto positivo24Do humano ao Divino para encerrar, que tal avaliar como Deus nos afeta durante nossa vida?24Concluindo O afeto de Deus25

Desde a criao do homem e da mulher Deus nos afeta. Hoje Ele nos cria ainda hoje. So bilhes de seres que j foram criados e h mais bilhes de seres que ainda sero criados. Todos diferentes. Todos nicos e irrepetveis. Isso afeto mais que positivo!25Concluindo O afeto de Deus

26No bastando nos criar, Deus nos oferece a Salvao. Mas para isso precisou de Maria. Ele a afetou positivamente, tanto que ela disse SIM. O afeto de Deus a cativou.26Concluindo O afeto de Deus27

Uma das expresses do afeto do Filho de Deus a Samaritana. Ele, Jesus, passou pelo mundo afetando positivamente as pessoas.27Concluindo O afeto de Deus

28O pice do afeto do Filho de Deus foi a cruz. Parecia o fim... Mas 28Concluindo O afeto de Deus

29Depois houve a Ressurreio. Cruz e Ressurreio so os dois lados de um mesmo afeto positivo.29Concluindo O afeto de Deus

30E, por fim, sinal permanente do Afeto de Deus o Pentecostes. Mas o Esprito Santo de Deus ainda se manifesta e realiza pequenos Pentecostes ainda hoje. Isso a permanncia do Afeto de Deus no meio de ns.30OBRIGADO A TODOS!Que Deus esteja sempre no meio de ns!31