Agente Urgente #91

of 56 /56
ANO XVIII Agosto / Setembro / Outubro 2011 - Nº 91 FEIRA DAS AMÉRICAS/ABAV 2011: Durante três dias, o turismo mundial estará no Rio com os olhos voltados para as mudanças que a Copa e as Olimpíadas trarão ao Brasil E MAIS: Celso Tesser é reeleito na ABAV-PR | A nova cara dos grandes eventos em Curitiba IluStrAçãO mOStrA cOmO deVerá fIcAr O eStádIO dO mArAcANã ApóS AS refOrmAS de mOderNIzAçãO. dIVerSOS pONtOS dA cIdAde, cOmO A BArrA dA tIjucA e O píer mAuá, tAmBém SerãO refOrmulAdOS.

Embed Size (px)

description

Revista da ABAV-PR

Transcript of Agente Urgente #91

  • ANO XVIIIAgosto / Setembro / Outubro

    2011 - N 91

    FEIRA DAS AMRICAS/ABAV 2011:

    Durante trs dias, o turismo mundial estar no Rio com os olhos voltados para as mudanas que a Copa e as Olimpadas traro ao Brasil

    E MAIS: Celso Tesser reeleito na ABAV-PR | A nova cara dos grandes eventos em Curitiba

    IluStrAO mOStrA cOmO deVer fIcAr O eStdIO dO mArAcAN ApS AS refOrmAS de mOderNIzAO.dIVerSOS pONtOS dA cIdAde, cOmO A BArrA dA tIjucA e O per mAu, tAmBm SerO refOrmulAdOS.

  • 4 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    Artigo: Conta Satlite do TurismoBrasileiro, por Faisal Saleh ........................ 12

    Opinio: A mil dias da Copa doMundo, por Jorge Luiz Pegoraro ................14

    Entrevista Liz Cramer: A bela queest mudando a cara do Paraguai .............16

    Os anjos da guarda dos viajantes ............22Aviao decola rumo ao interior .............24Rua 24 Horas: O retorno de um

    cone curitibano .........................................25A mudana no Ministrio ........................26Estmulo ao turismo de fronteira ............32Cataratas: Quase uma

    nova maravilha .......................................38Teatro do Paiol vai ganhar

    iluminao especial ...................................42Opinio: Desafios do turismo

    no Brasil, por Regina Rocha ......................46

    jornalista responsvel:Edson Gis Milito da Silva 490.445 V/Tredao e editorao eletrnica:RDR Comunicao - Diogo Dreyer eRudney Floresmdia: Fidelis Libero Grando Filhocomercializao:Edson Milito Publicidade. Av. Cndido de Abreu, 660 - cj. 1908 - 80530-000 - Curiti-ba/PR - Fone/fax: (41) 3252-1203 [email protected] comercial:Paulo Mosimanncolaborao: Flamma Comunicaofoto da capa:Empresa de Obras Pblicas do Estado do Rio de Janeiro (EMOP)/DivulgaoImpresso: Grfica Aptatiragem: 6.000 exemplares - distribuio gratuita, via mala diretawww.agenteurgente.com

    dIretOrIA: presidente: Celso Jos TesserVice-presidentes: Roberto Bacovis e Jos Roberto Ghisi. diretor Secretrio e Ad-ministrativo: Lisandro do Nascimento Vasconcelos. diretor financeiro e de pa-trimnio: Silvio Bertoldi. diretor de rela-es com o mercado: Geraldo Jos Zaidan Rocha. diretor de turismo receptivo: Fernando Ricott Valente. diretora de ca-pacitao profissional: Ana Paula Lacerda Garcia. diretor de Servios aos Associa-dos: Edson Luiz Wistuba

    cONSelhO delIBerAtIVO:titulares: Tricia Sander, Josanne Rizental Savas, Lucineide Nicolau da Silva, ngela Maria Neves Fellini e Claudia Martins de Lima Castro / Suplentes: Shudy Takekawa, Pedro Cristino Vega Falcn, e Gil Hailton Pereira de Miranda.

    cONSelhO fIScAl:titulares: Jeanine Degraf Enei, Eder Pa-van Berti e Luiz Ben Hur Rocha Loures / Suplentes: Joo Alceu Rigon Filho, Dirceu Alcides Tinti e Irene da Conceio Penna Ferreira.

    cONSelhO de tIcA:Celso de Souza Caron, Mauro E. Lopes e Shudy Takekawa.

    cONSelhO NA ABAV NAcIONAl:titulares: Antonio Joo Monteiro de Aze-vedo, Celso Jos Tesser, Roberto Bacovis, Felipe Santiago Gonzalez, Eraldo Palme-rini, Jos Roberto Ghisi, Geraldo Jos Zai-dan Rocha e Flvia Sandrechi ReisSuplentes: Tricia Sander, Fernando Ricott Valente e Pedro Cristino Vega Falcn.

    cONSelhO edItOrIAl:Antonio Joo Monteiro de Azevedo; Cel-so Jos Tesser; Roberto Bacovis; todos os demais diretores e delegados regionais; e Assessoria de Comunicao.

    correspondncias para a redao:Travessa Nestor de Castro, 247 - 1 andar - conjs. 16 a 20 - 80010.120 - CentroCuritiba/PR. Fone: 55 41 3223-3411Fax 55 41 3324-9242.E-mail: [email protected]

    EXPEDIENTE

    deStAqueS eSpecIAIS

    celso tesser reeleito presidente da ABAV-pr .......................... 10

    Chapa Expanso foi aclamada em assembleia geral

    Oportunidades e Novas Atitudespara o turismo ................................. 28-29

    Feira das Amricas e 39 Congresso da ABAV acontecem no Rio de Janeiro

    //ndice #91

    feStIVAl dAS cAtArAtAS

    Alcimar Ribeiro, Roberto Bacovis, Eraldo Palmerini, Heitor Bem-Hur Angeli e Celso Tesser confraternizam durante a 6 edio do Festival das Cataratas, que foi realizada entre os dias 16 e 18 de junho, em Foz do Iguau.

    DIV

    uLG

    A

    O

    /FLAM

    MA

    CO

    Mu

    NIC

    A

    O

    O novo panorama dos grandeseventos em curitiba ......................... 36-37

    Reformas no pavilho do Parque Barigui e nova configurao Estao Convention Center

    em busca das oportunidadesperdidas ........................................... 40-41

    Pesquisa faz um mapa do litoral paranaense e aponta onde investir na regio

    perIdIcAS

    Editorial .................................................... 5Notcias da ABAV-PR ...............................6-8Hotis ......................................................14Notcias de SC, por

    Paulo Mosimann ...................................18-19Notcias da Copa 2014.............................20Avies ......................................................24Dicas de viagem ......................................30Rotas Internacionais ................................32Navios ......................................................46Agncias cadastradas

    na ABAV-PR ...........................................48-49Notcias do Trade................................50-52

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 5

    Chegamos ao final da nossa pri-meira gesto frente ABAV-PR e a grande recompensa poder con-tinuar o trabalho frente Associa-o, em uma nova gesto. Esse um grande reconhecimento dos nos-sos colegas e mostra que estamos trabalhando em direo ao que as agncias buscam: concorrncia leal, turismo forte e melhores condies de qualificao dos profissionais.

    Ao longo destes dois anos, nossa diretoria conseguiu organizar de ou-tra maneira a ABAV-PR, otimizando recursos e valorizando as pessoas

    que cuidam do dia a dia da nossa en-tidade. Realizamos uma boa mdia de cursos de capacitao em Curi-tiba e tambm no interior do Para-n, congregamos 24 novas agncias associadas, lutamos por questes que incomodavam as agncias. Com a negociao com a Infraero, por exemplo, fechamos com chave de ouro nossa primeira gesto, pois ar-ticulamos uma reao junto a todo o trade turstico para alterar o calend-rio de obras que prejudicaria imen-samente a atividade das agncias de viagens e lesaria os nossos clientes.

    celso tesserPresidente ABAV-Pr

    Para o prximo binio, queremos implantar o planejamento

    estratgico que realizamos nesta gesto, tornando de fato a ABAV-PR

    uma entidade modelo.

    NOVA GESTO, NOVOS DESAFIOS

    Para o prximo binio, queremos implantar o planejamento estrat-gico que realizamos nesta gesto, tornando de fato a ABAV-PR uma entidade modelo. Nosso novo es-tatuto torna a entidade mais din-mica. Fora as questes administra-tivas, tambm temos o nosso Salo Paranaense de Turismo, que j tem data marcada para 13 e 14 de abril de 2012, no Expo unimed. A serieda-de e competncia de nosso trabalho tem atrado cada vez mais exposito-res de qualidade, elevando o nvel do evento, que considerado uma das

    principais vitrines do turismo no sul do Brasil e tambm para o Mercosul.

    Aproveito para convidar queles que j estiveram conosco no Salo Paranaense de Turismo e os que no conhecem ainda o evento, que com-paream. Os espaos j esto sendo comercializados e j estamos traba-lhando para que esse evento seja me-morvel e cada vez mais relevante.

    Atenciosamente,

    celso tesserpresidente ABAV-pr

    //editorial

  • 6 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    notcias da ABAV-pr

    Os executivos da ABAV-PR enca-bearam uma ao em todo o tra-de que ir favorecer o movimento dos aeroportos e os negcios dos agentes de viagem durantes as ne-cessrias obras do Aeroporto Afon-so Pena, em So Jos dos Pinhais, as quais foram iniciadas no dia 19 de setembro.

    Depois das reivindicaes da ABAV-PR, que endossou a propos-ta do Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aerovirias) e contou com apoio do Sindetur-PR, Institu-to Municipal de Turismo de Curi-tiba, Sindotel-PR, Skal Curitiba e ABIH-PR, as obras de recapeamen-to e substituio das luzes da pista principal do aeroporto, previstas para terminar em junho de 2012, vo acontecer nos seguintes pero-dos: de segunda-feira a sbado, da 0h15 s 6h15, e das 20h15 de sba-do at s 12h15 de domingo; nos feriados e festas de final de ano, as obras sero suspensas.

    Antes do movimento da ABAV-PR e demais entidades do trade, a previso era de que as obras acon-tecessem das 23h30 s 6 horas, de segunda a quinta-feira, e das 14 horas de sbado s 12 horas de do-mingo, o que prejudicaria e muito, passageiros, companhias areas e agentes de viagens.

    Para tentar minimizar o impac-to das obras no aeroporto, a dire-toria da ABAV-PR reuniu-se, no dia 10 de agosto, com Antnio Pallu, superintendente da Infraero no Pa-ran, discutindo alternativas que permitiriam a realizao das ben-feitorias sem atrapalhar o trabalho das agncias e areas ou causando prejuzo aos consumidores.

    No dia 18, a Infraero divulgou os novos horrios, atendendo os pedi-dos do trade. Estamos satisfeitos porque conseguimos unir o trade em prol de uma causa comum e conseguimos sensibilizar a Infraero para o impacto negativo que teria a interdio das pistas conforme proposto anteriormente, come-morou Celso Tesser, presidente da ABAV-PR.

    ABAV-PR AjuDA A AlTERAR CAlENDRIO DE REFORMAS DO AFONSO PENA

    GERALDO ROCHA (ESQ.), DIRETOR DA ABAV-PR, E CELSO TESSER (CENTRO), PRESIDENTE DA ABAV-PR, PARTICIPARAM DA RE-uNIO COM ANTNIO PALLu (DIR.), SuPERINTENDENTE DA INFRAERO. EM PAuTA, AS REFORMAS DO AEROPORTO AFONSO PENA.

    Ainda no comeo de agosto, a dire-toria da ABAV-PR j criticava a falta de dilogo sobre as mudanas no Afonso Pena, como publicou a reportagem Provvel suspenso de voos irrita agentes de viagem, do jornal Gaze-ta do Povo, no dia 2 de agosto. Por que a Infraero no consultou as enti-dades? Como vamos fazer com os bi-lhetes j emitidos?, questionou Celso Tesser.

    Ningum pensou no passageiro e nas agncias de viagens. A obra ne-cessria, mas devamos adequ-la aos voos de uma melhor maneira, com-pletou.

    Roberto Bacovis, vice-presidente

    da ABAV-PR, alertou que a realizao das obras no horrio determinado ini-cialmente era um grande problema para a indstria do turismo. Isso vai ocasionar aumento de preos para os passageiros e vamos perder muitas vendas. inconcebvel deixar o aero-porto fechado justamente no sbado e no domingo, comentou.

    J Ana Paula Garcia, diretora de capacitao da entidade, lembrou que os voos de pacotes tursticos ge-ralmente partem no fim de semana e que muitos precisariam ser remarca-dos ou at adiados.

    Ningum foi consultado e somen-te agora nos deparamos com a inter-

    rupo dos voos. O grande proble-ma so os pacotes j vendidos e as pessoas que j haviam se progra-mado, afirmou.

    Outro aeroporto que est me reforma no Paran o de Londri-na. Por conta das obras nas pistas, iniciadas no final de agosto e pre-vistas para terminar at maro de 2012, o terminal ficar fechado de segunda a sexta, da meia-noite s 6 horas, e das 19 horas de sbado s 11 horas de domingo.

    As obras tambm sero suspen-sas nos feriados e festas de final de ano.

    No dia 11 de agosto, foi realizado em Curitiba, o curso Conquistando o Cliente no Atendimento, uma promoo da ABAV-PR em parce-ria com o Iccabav (Instituto de Ca-pacitao e Certificao da ABAV). O treinamento foi ministrado por Julio Verna, consultor da Qualitas Travel Partner. O resultado da inicia-tiva o aumento da rentabilidade

    CuRSOS ABAV-PR/ICCABAVnos negcios. Para Ana Paula Garcia, diretora de capacitao da ABAV-PR, com a competitividade de hoje, o atendimento um dos principais di-ferenciais, fazendo com que o cliente decida pela agncia ou retorne a ela. O cliente bem atendido a nossa me-lhor propaganda.

    Tambm com promoo da ABAV-PR e Iccabav, e tambm ministrado

    por Jlio Verna, foi realizado na capital paranaense, no dia 21 de setembro, o curso Negociao para Agncias de Viagens.

    O objetivo da atividade foi demons-trar s agncias de viagens a oportu-nidade de obter resultados positivos como o principal intermediador de viagens de negcios entre os clientes corporativos e fornecedores dos ser-

    vios de viagens. Com este dife-rencial, garante-se a consolidao do cliente e resultados financeiros concretos, alm de demonstrar como agregar valor s ferramen-tas e tecnologias disponveis para a consolidao de clientes, gerando impacto com a produtividade.

    A mdia de cursos realizadas na ABAV-PR foi de dois por ms.

    DIV

    uLG

    A

    O

    /FLAM

    MA

    CO

    Mu

    NIC

    A

    O

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 7

    No dia 23 de setembro, a Secre-taria de Turismo de ushuaia, na Ar-gentina, em parceria com a ABAV-PR, realizou em Curitiba um curso de capacitao sobre a cidade ar-gentina. Participaram 43 agncias, que receberam informaes e fer-ramentas para comercializar ade-quadamente o destino.

    O evento, fez parte de uma srie de atividades que os argentinos or-ganizaram em setembro no Brasil com apoio da Aerolneas Argen-tinas, Inprotur (Instituto de Promo-cin Turstica Argentina) e ABAV Nacional para fortalecer a promo-o de ushuaia no trade brasileiro. No total, foram oito apresentaes (com os temas de vero ushuaia, um Paraso no Sul e Patagnia Fantstica) e sete capacitaes

    CAPACITAO E PROMOO DE uShuAIA

    AGENTES RECEBERAM CAPACITAO SOBRE O DESTINO uSHuAIA EM CuRITIBA.

    durante cinco dias, com um total de 314 agentes de viagens capaci-tados. Alm de Curitiba, acontece-ram encontros nas cidades de So Paulo, Ribeiro Preto, Bauru, Cam-pinas, So Jos dos Campos, todos contando com a presena de Daniel Leguizamn, secretrio de Turismo de ushuaia, e de Cristiane Cavalli, secretria de Assuntos Internacio-nais da cidade argentina. Ainda se-ro realizadas mais duas etapas de apresentaes e capacitaes para a promoo do vero em ushuaia, em outubro e novembro, cobrindo os principais focos emissores do Brasil de acordo ao solicitado pe-los principais operadores que co-mercializam o destino. A inteno chegar a mil agentes de viagens capacitados em 2011.

    No dia 27 de julho, Ana Paula Garcia (diretora de capacitao) e Fernanda Stachiu (assessora) representaram a ABAV na etapa paranaense do evento Promoo Internacional do Turismo no Bra-sil, iniciativa do Ministrio do Tu-rismo e da Embratur, em parceria com a Paran Turismo, Secretaria de Estado do Turismo do Paran e Sebrae-PR. O objetivo do encon-tro foi divulgar as aes adotadas para promover destinos brasileiros no exterior, divulgar as estratgias

    ABAV-PR NA PROMOO INTERNACIONAl DO TuRISMO NO BRASIl

    do Plano Aquarela 2020, alm de mostrar o que est sendo feito para atrair mais turistas para o pas. As apresentaes mostraram de que forma os produtos paranaenses es-to sendo divulgados no exterior. Atualmente, os principais produ-tos tursticos do estado so Foz do Iguau (ecoturismo, aventura e gol-fe), Curitiba (negcios e eventos) e Ilha do Mel (sol e praia). Em 2010, mais de 725 mil turistas internacio-nais desembarcaram no Paran, 9% a mais que o registrado em 2009.

    Em reunies realizadas em agos-to, nas cidades de Foz do Iguau, Londrina, Maring e Curitiba, re-presentantes da diretoria da ABAV-PR apresentaram aos associados as sugestes de alterao do esta-tuto da entidade, decorrentes das alteraes aprovadas no estatuto da ABAV Nacional. As mudanas foram aprovadas pelas agncias as-sociadas e o novo texto do estatuto

    NOVO ESTATuTOseguiu para redao jurdica final.

    Durante os encontros, Celso Tes-ser (presidente da ABAV-PR), Ro-berto Bacovis (vice-presidente) e Lisandro Vasconcelos (diretor admi-nistrativo), ao lado dos delegados regionais Fernando Valente (Foz do Iguau), Flvia Reis (Londrina) e Neide Nicolau (Maring), destaca-ram as realizaes da atual diretoria da associao.

    MARING FOI uMA DAS CIDADES DO ESTADO ONDE A DIRETORIA DA ABAV-PR APRESENTOu AS MuDANAS NO ESTATuTO DA ENTIDADE.

    Entre os dias 16 e 18 de junho, a diretoria da ABAV-PR marcou presena na 6 edio do Festival das Cataratas, realizado em Foz do Iguau.

    DIRETORIA NO FESTIVAl DAS CATARATAS

    ANTONIO AZEVEDO, CARLOS ALBERTO AMORIM, ROBERTO BACOVIS E TRCIA SANDER.

    CELSO TESSER E FAISAL SALEH, SECRETRIO DO TuRISMO DO PARAN.

    DIV

    uLG

    A

    O

    DIV

    uLG

    A

    O

    /AB

    AV

    -PR

    DIV

    uLG

    A

    O

    /FLAM

    MA

    CO

    Mu

    NIC

    A

    O

    DIV

    uLG

    A

    O

    /FLAM

    MA

    CO

    Mu

    NIC

    A

    O

  • 8 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    notcias da ABAV-prO ProAgncia II, uma parceira

    ABAV e Sebrae, com apoio tcnico da Fundao Getlio Vargas, orga-nizou em 2011 a pesquisa Matriz de Competitividade com gestores das agncias de viagens, resultan-do na Anlise Geral da Competiti-vidade do Setor de Agenciamento de Viagens Brasileiro, um estudo indito sobre a viso geral da com-petitividade do mercado.

    Seu objetivo primordial foi ge-rar um diagnstico completo da competitividade das agncias de todo o Brasil e que ser fundamen-tal s ABAVs e Sebraes na gerao de aes de capacitao e aprimo-ramento profissional mais direcio-nadas s necessidades especficas de cada mercado, explica Antonio Azevedo, diretor doIccabav/ProA-gncia.

    A pesquisa foi aplicada por meio de um questionrio online dispo-nvel nos portais da ABAV (www.abav.com.br) e Sebrae (www.se-brae.com.br) no perodo de 1 de maio a 3 de junho deste ano, ob-tendo um total de 967 empresas participantes.

    Os resultados apontaram para um cenrio de amadurecimento da competitividade das agncias de viagens nacionais, o que demons-tra que essas empresas esto apro-veitando as oportunidades que se apresentam para a atividade no pas.

    As empresas do setor tambm j perceberam que necessitam se desenvolver e aumentar sua com-petitividade para poderem con-tribuir de maneira definitiva para solidificar o desenvolvimento do turismo no Brasil, com foco no m-dio e no longo prazo.

    Este um trabalho inovador, do Sebrae e da ABAV para os agen-tes de viagens. Sendo a misso do Sebrae contribuir para o aumento da competitividade dos micro e pequenos negcios, o resultado deste trabalho vai colaborar para que os empreendedores possam estar cada vez mais preparados para a comercializao dos produ-tos e servios, especialmente para a Copa do Mundo de 2014, que acontecer em nosso pas, comen-ta Valria Barros, gestora do ProA-gncia no Sebrae Nacional.

    A pesquisa tambm apontou para a importncia de se trabalhar o desenvolvimento interno da em-presa, por meio da qualificao de

    PROAGNCIA REAlIzA ESTuDO INDITO SOBRE COMPETITIVIDADE

    A PESQuISA DEMONSTROu QuE AS AGNCIAS DE VIAGENS, EM SuA MAIORIA, J OFERECEM AOS SEuS CLIEN-TES ASSISTNCIA TELEFNICA 24 HORAS, SEJA POR MEIO DE SIGA-ME, CELuLAR DO AGENTE Ou POR CALL CENTER.

    seus funcionrios, da valorizao do processo de aprendizagem organiza-cional, ou seja, da transferncia de conhecimento entre as pessoas que trabalham na agncia de viagem.

    O desenvolvimento de plano de marketing integrado ainda uma pr-tica pouco utilizada entre as empre-sas do setor, que realizam atividades de Promoo e Vendas, mas ainda de forma espordica.

    A presena da empresa em feiras e eventos de turismo, por exemplo, geralmente feita pela participao dos funcionrios como visitantes; somen-te um nmero reduzido de empresas

    j participam como expositoras.Os resultados encontrados para a

    dimenso de Produtos e Servios de-monstrou que as agncias de viagens, em sua maioria, j oferecem aos seus clientes assistncia telefnica 24 ho-ras, seja por meio de siga-me, celular do agente ou por call center.

    Esse um dado positivo que apon-ta para a preocupao dos empres-rios em proporcionar segurana no servio e produto turstico oferecido.

    Em relao dimenso de Adminis-trao Financeira, percebe-se que as empresas buscam aprimorar suas pr-ticas de gesto financeira, porm, so

    poucas que j realizam oramento empresarial com base anual.

    O uso da Tecnologia da Infor-mao j bem difundido entre as agncias de viagens, contudo, essa dimenso ainda no vista como catalisadora de futuros negcios e identificao de oportunidades.

    Por exemplo, as empresas, na grande maioria, j possuem uma pgina institucional na internet, mas poucas so as que oferecem a possibilidade e e-commerce.

    Para conferir a anlise comple-ta, a pesquisa est disponvel nos portais da ABAV e do Sebrae.

    FOTO

    : CA

    RLO

    S CH

    AV

    EZ

    Seu NOVO cONceItO em lOcAO de VeculOS NA terrA dAS cAtArAtAS!

    Reserve j o seu: [email protected] - [email protected]: 45-3529-0500 / 45-9117-5000Av. das Cataratas 2420 - Sala 1. Nas dependncias do Hotel Viale Cataratas.Foz do Iguau - Paran.

  • FORTALEASUAS ALIANAS NO TURISMO

    EXPO UNIMED CURIT IBA

    13 e 14 A B R I L2 0 12

    MARQUE PRESENA NO18 SALO PARANAENSE DE TURISMO.Garanta j seu espao!

    Informaes e reservas:Tel.: 55 41 3223-3411 | Fax: 55 41 3324-9242

    [email protected]

    Valor - Associados ABAV-PR rea laranja: R$ 325,00/m2rea verde R$ 395,00/m2

    Valor No Associadosrea laranja : R$ 481,00/m2rea verde R$ 554,00/m2

    Trav. Nestor de Castro, 247 sl 16 | 80020-120 | Centro | Curitiba - PR.

    tel.: 55 41 3223-3411 | fax: 55 41 3324-9242

    [email protected] www.abav-pr.com.br

    42 Anos com o Agente de ViagensAgenteUrgente_mapa.indd 1 05/10/2011 14:49:45

  • 10 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    No dia 20 de setembro, foi realiza-da, na sede da ABAV-PR, em Curitiba, a Assembleia Geral para a eleio da nova diretoria para o binio 2012-2013. A chapa Expanso, encabeada por Celso Tesser, atual presidente da entidade, foi reeleita por aclamao, pois no houve chapa de oposio.

    Aps a confirmao de sua reelei-o, Tesser falou aos associados pre-sentes: No vou dizer que estes l-timos dois anos foram perfeitos, pois sempre h o que melhorar. Em nosso prximo mandato, faremos ainda me-lhor do que neste perodo juntos.

    A diretoria desta nova fase da en-

    DIRETORIApreSIdeNteCelso Jos Tesser - AerocondorVIce-preSIdeNteRoberto Bacovis - RotteroVIce-preSIdeNteFernando Valente - STTC TurismodIretOr SecretrIO e AdmINIStrAtIVOLisandro do Nascimento Vasconcelos - Green Peace Operadoradiretor financeiro e de patrimnioLuiz Benhur Loures - TranstupidIretOr de relAcIONAmeNtO cOm O mercAdOGeraldo Jos Zaidan Rocha - GR TurismodIretOr de turISmO receptIVOSilvio Bertoldi - Bertoldi TurismodIretOrA de cApAcItAO prOfISSIONAlAna Paula Garcia - Cdiz TurismodIretOr de SerVIOS AOS ASSOcIAdOSEdson Luiz Wistuba - Dnipro Gold

    CONSElhO DElIBERATIVOCelso Jos Tesser - AerocondorRoberto Bacovis - RotteroFernando Valente - STTC TurismoGeraldo Jos Zaidan Rocha - GR TurismoSilvio Bertoldi - Bertoldi TurismoAntonio Joo Monteiro de Azevedo - EventtourEraldo Palmerini - BrementurJosanne Rizental Savas - Trpoli TurismoFelipe Santiago Gonzalez - CassinoturMaria Lucineide Nicolau Silva - Pacific ViagensDirceu Luis Gambini - Asa TurismoPaulo Roberto Batista Stachowiak - Evidncia TurismoFlvia Sandreschi Reis- Terra Nova TurismoCludia Martins Lima Castro - Bella Vista Viagens e Turismo

    CONSElhO FISCAlIrene da Conceio Penna Ferreira - Saam Viagens e TurismoMauro Ehalt Lopes - VisittourJeanine Degraf Enei - J. DegrafSupleNteSPedro Kempe - Domus ViagensGil Hailton Pereira Miranda - Magic WayLcia Jandira Fontoura - Interlaken Turismo

    CONSElhO DE TICAJoo Alceu Rigon Filho - Rigon TurismoPedro Cristiano Vega Falcn - Personal Brasil Tour OperatorElaine Schneider - Orion TurismoSupleNteMeron Kuczuvel Filho - Tringulo Turismo

    DElEGADOS DO INTERIORFernando Valente - Foz do IguauFlvia Sandreschi Reis - LondrinaMaria Lucineide Nicolau Silva - Maring

    Celso Tesser reeleito presidente da ABAV-PR

    //gesto

    Chapa Expanso foi aclamada em assembleia geral, realizada no dia 20 de setembro

    tidade teve poucas alteraes em relao composio atual. Fernan-do Valente, atual delegado de Foz do Iguau, passa a ser tambm vice-pre-sidente da ABAV-PR; Luiz Benhur Lou-res assume a diretoria financeira e de patrimnio; e Silvio Bertoldi torna-se diretor de turismo receptivo.

    A posse da nova diretoria est pre-vista para o prximo dia 31 de outu-bro. Segundo Tesser, depois de apri-morar a estrutura da ABAV-PR hora de implantarmos vrias ideias que temos, em prol dos associados e tam-bm do segmento, que queremos que seja a cada dia mais forte.

    DIRETORIA REELEITA POSA PARA FOTO NO DIA DA ASSEM-BLEIA. POSSE EST PROGRAMADA PARA OCORRER J EM OuTuBRO.

    DIV

    uLG

    A

    O

    /FLAM

    MA

    CO

    Mu

    NIC

    A

    O

  • 12 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    //artigo

    Por Faisal salEh*

    Nos ltimos anos, o turismo tem surgido nos discursos de todos os candidatos presidncia dos pases latino-americanos, especialmente do Brasil e do Mercosul. Sinal claro de que o fortalecimento das alianas es-tratgicas do turismo forma parte do caminho da recuperao da economia e, por que no, da prpria governabi-lidade.

    Frente possibilidade de cen-rios de crises mundiais, a hora de reengenharia da atividade turstica, de aprofundar os diagnsticos sobre uma atividade que vem crescendo consideravelmente nos ltimos anos, e que espera bilhes de dlares em in-vestimentos privados, quer seja pelas suas grandes redes hoteleiras e outros equipamentos privados, quer seja pe-los investimentos pblicos destinados a melhoria das condies de infraes-trutura urbana e regional.

    Diante da correta compreenso da transversalidade atividade turstica na sociedade e na economia, importan-te defender a urgente construo das contas satlites do turismo para o Bra-sil, preparando-o para as grandes mu-danas no turismo mundial.

    o QUE UMa CoNTa saTliTE Do TUrisMo?

    A Conta Satlite Turismo (CST) um instrumento de medida dos impactos

    CONTA SATlITE DO TuRISMO BRASIlEIROdo turismo na economia, a partir de uma aproximao simplificada da ma-triz de insumo-produto, utilizada nas contas nacionais para calcular o PIB, de modo que ela: fornece informa-es fidedignas e consistentes dos im-pactos socioeconmicos desse setor; permite a comparabilidade desses im-pactos entre pases; e permite avaliar a importncia do turismo na econo-mia nacional e estabelecer relaes e comparaes com outros setores de atividade.

    A CST tem incio na estruturao da matriz de insumo-produto, servindo de base para a anlise do mercado de trabalho de um conjunto de ativida-des que, at ento, no encontravam um marco estatstico de referncia, para que o segmento turstico possa ser tratado de forma semelhante a outros setores da economia, como a agricultura ou a indstria. E o impac-to no mercado de trabalho o alicerce da atividade econmica do turismo e o principal gargalo, pois no se sabe ao certo o que ela representa.

    O Centro de Excelncia em Turismo da universidade de Braslia (CET-uNB), em parceria com a universidade de Nottigham, na Inglaterra, realizou, em 2006, uma pesquisa que mostra o im-pacto causado pelas atividades turs-ticas na economia brasileira e revela potencial de crescimento. Tal pesqui-sa tomou como base o ano de 2002 para construir a matriz de contabili-

    dade social (MCS) do Brasil e aplic-la na simulao das relaes do setor turstico com o restante da economia do pas, revelando que o turismo re-presenta 4,32% da produo total na economia brasileira (R$ 77,5 bilhes em valores de 2002), participa com 5,56% do PIB do pas e responsvel por 5,32% de impostos indiretos. Tudo isso, apesar de receber apenas 0,17% dos investimentos privados do pas.

    O turismo considerado um seg-mento do setor de servios cujo pro-duto particularmente complexo, dependendo de uma oferta extrema-mente fragmentada. Os atores em cada elo da cadeia (agncias de turis-mo, operadores tursticos, transpor-tadores, alojamento, lazer e outros) compem, cada um, uma parte do produto global: o produto turstico, que extremamente diversificado.

    Por outro lado, a diversidade do meio empresarial, dos atores pbli-cos e privados no setor turismo, a sua incidncia em numerosas atividades econmicas e a acentuada dimen-so social e emocional, bem como o consumo disperso e varivel dos seus produtos em termos geogrficos, d ao turismo um carter extremamente horizontal.

    A Associao Brasileira da Indstria de Hotis (Abih) afirma que os 10 mil meios de hospedagem existentes no pas so responsveis pela gerao de 720 mil empregos, sendo 180 mil di-retos. Isto significa que, a cada quar-to de hotel construdo, pode se gerar de 0,4 a 2 empregos diretos e tantos outros indiretos. No setor de restau-rantes, apenas uS$ 10 mil so neces-srios para gerar um emprego.

    A maior parte das atividades asso-ciadas ao turismo so intensivas em trabalho, desempenhando um papel fundamental no processo. A quali-dade dos servios tursticos direta-mente ligada qualidade da mo de obra empregada, sendo virtualmente impossvel cogitar a automatizao dos servios tursticos. Por isso, a ca-pacitao torna-se um ponto de infle-xo crtico para o sucesso da atividade turstica.

    A constatao de que a principal debilidade da indstria do turismo no pas a falta de enfoque estrat-gico sob o conceito territorial, pois a maioria das empresas dedicadas ao turismo prioritariamente micro, pequenas e mdias empresas, de ca-rter familiar reserva ao processo de capacitao um trabalho rduo de coordenao e articulao ao interior da cadeia produtiva, para alavancar a competitividade sistmica da cadeia como um todo.

    Assim, o Frum Nacional dos Se-cretrios e Dirigentes Estaduais de Tu-rismo (Formatur) entende que ainda persiste a grande tarefa de incentivo pesquisa pblica, que permita iden-tificar os efeitos que vem gerando a afluncia turstica nos diferentes am-

    bientes da realidade local, territorial, econmica, bem como identificar limi-tes da atividade turstica.

    Atravs do clculo da conta satlite, as mudanas propostas da construo de sries histricas de estatsticas de impacto podem fortalecer a continui-dade e crescimento do turismo e per-mitir a comparabilidade internacional e regional, pelo uso de definies e classificaes que sero introduzidas em nvel internacional para a identifi-cao de um sistema estatstico do tu-rismo integrado e baseado nas contas nacionais.

    Promover este nvel de pesquisa exige a ampliao e profissionalizao dos participantes do Programa de Re-gionalizao do Turismo, fortalecen-do os parceiros deste grande proces-so com a construo e execuo da Conta Satlite do Turismo do Brasil, numa efetiva participao regional e em especial no fomento criao dos institutos de cincia, tecnologia e ino-vao no turismo.

    Assim, essa ao pode vir a fortale-cer os organismos oficiais de turismo dos estados brasileiros, dotando-os de modelos metodolgicos, ampla ca-pacidade tcnica, de equipamentos e de tecnologias capazes de representar verdadeiramente os anseios nacionais no atendimento da Poltica Nacional de Turismo e de todas as aes con-tidas para o atendimento de suas de-mandas.

    Essa ao tambm pode conciliar o papel associativista e de cooperao das Instncias de Governana Regio-nais, contribuindo efetivamente para o amadurecimento das instituies com capacidade de articulao, remetendo sustentabilidade executiva e tcnica e, com isso, contribuindo ao desenvol-vimento das instituies cientficas e tecnolgicas do turismo, ou dos cha-mados Observatrios de Turismo, es-timulando a integrao institucional e setorial e o planejamento com foco na gesto competitiva, inovadora e cria-tiva.

    * o secretrio de Estado do Turis-mo do Paran, Faisal saleh, foi um dos debatedores na segunda mesa da 5 semana do Turismo, promovida pelas comisses de turismo do Congresso, que aconteceu no plenrio do sena-do Federal, em Braslia (DF), no dia 27 de setembro, em Comemorao ao Dia Mundial do Turismo. Durante o debate, Faisal falou sobre a impor-tncia da Conta satlite do Turismo para desenvolvimento do setor e me-lhor compreenso da transversalida-de do turismo na sociedade e na eco-nomia. Faisal representou o Frum Nacional dos secretrios e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur).

    leia a ntegra do texto acessando www.setu.pr.gov.br.

    FOTO

    : JO

    NA

    S O

    LIV

    EIR

    A/A

    ENO

    TIC

    IAS

    Frente a possibilidade de cenrios de crises mundiais, como o que vivemos hoje, a hora

    ento de reengenharia, de aprofundar os diag-nsticos sobre uma atividade que vem cres-cendo consideravelmente nos ltimos anos.

    fAisAl sAleh, secretrio do turismo do Pr

  • 14 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    Hotis

    BOurBON prOmOVe eXecutIVOSEm setembro, a Rede Bourbon anunciou a nomeao de uldenir Merlin como novo gerente do Bourbon Curitiba Convention Hotel, e de Odair Gonalves como gerente do Bourbon Joinville Business Hotel. Ambos os executivos j prestavam servios a em-presa.

    refOrmAS NO deVIlle eXpreSS GuArAAps o anncio de investimentos nas uni-dades de Porto Alegre, Salvador e Curitiba,a Rede Deville iniciou, em setembro, o pro-jeto de modernizao do Deville Express Guara, que passar por uma revitalizao das reas comuns e dos apartamentos. A unidade receber investimentos da ordem de R$ 600 mil. A concluso est prevista para o primeiro semestre de 2012. Outra mudana no empreendimento na admi-nistrao, que passa a ser de Manuel Ter-ron Garcia, anteriormente gerente geral das unidades da rede em Cascavel e Maring.

    peStANA em pOrtuGAlO Grupo Pestana definiu uma nova orga-nizao operacional para sua estrutura de Portugal, com a criao da rea Pestana Ho-telaria Portugal, que vai integrar as bandei-ras Pestana Hotels & Resorts e Pousadas de Portugal. A coordenao de todos os proce-dimentos est a cargo de Pedro Fernandez e de Pedro Fino, os novos diretores geral e financeiro, respectivamente, da Pestana Hotelaria Portugal.

    rVeIllON NO rAfAIN pAlAceO tradicional Rveillon do Rafain Palace Hotel & Convention Center programa para a edio deste ano eventos temticos ba-seados no Vilarejo Vimioso (Portugal), nos contos das Mil e uma Noites (uma Noite com Sherazad), no Mxico (Guadalajara em Festa) e na Grcia (Festa da Virada). A programao especial acontece entre 28 de dezembro de 2011 e 2 de janeiro de 2012. Para mais informaes e reservas, consul-tar o site www.rafainpalace.com.br ou ligar para 0800 645 3400.

    eStANplAzA BOA de BOlAA Rede Estanplaza de hotis criou um pro-moo especial para aficionados no futebol. Com foco nos grandes times paulistas (So Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos), o Pacote de Futebol inclui uma partida (de acordo com o campeonato e a tabela vigen-te), tour pelas dependncias internas do clube escolhido, ingresso para o Museu do Futebol (em So Paulo) e visitas loja Roxos e Doentes e ao bar O Torcedor (despesas parte). O pacote vlido somente para o final de semana e todos os passeios so acompanhados por guias. Para reservas ou mais informaes, ligar para 0800 726 1500 ou enviar e-mail para [email protected]

    Por JorgE lUiz PEgoraro*

    O Brasil se prepara para sediar um dos eventos mais importantes do mundo. O mais atraente campeonato mundial de futebol a Copa do Mun-do de 2014.

    Mais do que preparar sua seleo de canarinhos, o pas precisa com ur-gncia, sanar alguns gargalos estrutu-rais, tais como: estdios, aeroportos, estradas, entre outros.

    Resolver em menos de mil dias to-dos estes problemas tarefa das mais difceis, para no dizer impossvel, pois a falta de investimentos neste se-tor secular.

    Talvez tenha sido mais fcil ao nos-so rei Pel completar seu milsimo gol durante sua carreira futebolstica do que reformar e investir, neste pe-queno espao de tempo, em estdios de futebol e em toda a infraestrutura acessria ao mega evento.

    O governo brasileiro, atravs de seus ministros, diz que a tarefa ser conduzida da melhor maneira poss-vel, com liberao de recursos finan-ceiros e principalmente, com recursos da iniciativa privada: clubes de fute-bol, bancos, investidores e patrocina-dores.

    um evento mundial como este sempre bem vindo ao pas que o hospeda. Muitas vezes, coloca-se os demais problemas por debaixo do tapete, pelo menos durante o tempo que sero realizadas as disputas com a redonda.

    O Ministrio do Turismo estima que sero mais de 600 mil visitantes e tu-ristas estrangeiros que viro ao Brasil durante a competio e que os euros, dlares, pesos (ou qual for a moeda) sero bem vindas para aquecer ainda mais a economia do pas.

    Sem dvidas, o governo Lula deixou um legado muito importante para o Brasil: o controle da inflao, gerao de emprego e renda e, principalmen-te, um otimismo renovado no povo brasileiro. E, ainda dois importantes trunfos esportivos: a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olmpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

    Paralelamente a estas projees de futuro, na semana passada, o Minis-trio do Turismo, que acaba de trocar seu ministro por suspeitas de corrup-o, anunciou que a cidade de Foz do Iguau, onde se localiza o Parque Nacional do Iguau, com suas reco-nhecidas belezas cnicas e naturais, o segundo destino nacional a receber turistas estrangeiros do Brasil, depois apenas do Rio de Janeiro.

    Ttulo importante para esta cidade paranaense com 270 mil habitantes e para o Parque Nacional, pois se espera para o ano de 2011 aproximadamente 1,4 milhes de visitantes nas Cataratas do Iguau, um ndice superior a 10% do que as bilheterias anotaram no ano de 2010, considerado at ento, o re-corde histrico de visitantes.

    O Parque Nacional considerado o grande indutor do turismo da regio

    //opinio

    A MIl DIAS DA COPA DO MuNDO

    e do Estado do Paran, bem como se consolida cada vez mais como gran-de carreador de turistas estrangeiros ao pas. O que, sem dvidas, uma grande notcia. Somado ao crescimen-to interno do turismo, s no Parque so mais de 20% de brasileiros do que no mesmo perodo do ano passado, confirma-se a excelente fase que vive o turismo no Brasil e principalmente

    FOTO

    : GR

    AM

    PO

    CO

    Mu

    NIC

    A

    O

    Mais do que preparar sua seleo de cana-rinhos, o Pas precisa com urgncia, sanar

    alguns gargalos estruturais, tais como:estdios, aeroportos, estradas, entre outros.jorge luiz PegorAro, chfe do PArque nAcionAl do iguAu

    no Parque Nacional do Iguau, contri-buindo assim para sua conservao e sustentabilidade.

    *Jorge luiz Pegoraro Chefe do Parque Nacional do iguau. o arti-go publicado originalmente no site http://www.h2foz.com.br.

  • 16 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    O frenesi de consumo de Ciudad del Este, os inmeros sacoleiros apres-sados subindo e descendo ruas cheias de camels, as bolsas imensas lotadas de produtos de grife (ou falsificados) no representa mais o que o acontece no turismo paraguaio.

    O pas, que experimentou incr-veis 14,5% de crescimento do PIB em 2010, tambm conseguiu aumentar seus visitantes em 5,4% no mesmo perodo. E isso foi possvel graas ao trabalho da ministra Liz Cramer, que vem mostrando ao mundo um Para-guai um pouquinho alm da fronteira. E claro, frisa a ministra, muito se deve ao mercado brasileiro, que significa quase 40% do movimento do setor no Paraguai.

    E para que essas mudanas fun-cionem, a ministra vive o turismo de modo intenso, assim como sempre fez em sua prpria carreira profissional ( formada em hotelaria e turismo). Ela ocupa o cargo principal do turismo paraguaio desde 2006, sendo respon-svel pela execuo de uma poltica nacional de fortalecimento, promoo e desenvolvimento turstico.

    Como o turismo receptivo est se desenvolvendo no Paraguai?

    Ns temos um plano diretor para um perodo de 10 anos (2008-2018). Neste mbito, realizamos inmeras iniciativas que comearam a mostrar resultados. Olhando para as estats-ticas, vemos que, em 2010, 465 mil turistas visitaram o Paraguai, repre-sentando um crescimento de 5,4% em relao ao ano anterior. E esperamos que, em 2011, ocorra um crescimento entre 7 ou 8% em relao aos nme-ros do ano anterior. Para isso, h um forte investimento do setor privado em hotis, transportes, lojas e outros itens oficiais, alm de melhoria na in-fraestrutura rodoviria, na recupera-o do patrimnio histrico e cultural

    //entrevista

    A BElA QuE ESTMuDANDO A CARA DOPARAGuAIa ministra liz Cramer, uma das responsveis por transformar o pas outrora conhecido apenas pelas ruas cheias de camels de Ciudad del Este, explica as mudanas que esto colocando nossos vizinhos em evidncia no turismo sul-americano

    e uma maior complementaridade en-tre os setores pblico e privado para a implantao de aes de promoo do turismo.

    Como est o fluxo de turistas es-trangeiros para o Paraguai?

    Historicamente, os maiores emis-sores de turistas so Argentina e Bra-sil. Outros pases esto continuamen-te enviando visitantes so o uruguai, Chile e Estados unidos. Na Europa e outros continentes, temos registros, principalmente, de gente vinda da Alemanha, Espanha e Japo.

    Como o pas faz a promoo turs-tica no exterior para atrair turistas?

    Temos um sistema que inclui o se-tor privado na realizao de esforos promocionais no exterior. Primeiro, participamos de grandes feiras e reu-nies internacionais na regio, como a da ABAV, no Brasil, e a FIT (Feira Internacional de Turismo da Amrica Latina), em Buenos Aires, alm de ou-tras feiras nas provncias costeiras da Argentina. Outras feiras mundiais que frequentamos, por exemplo, so a Fi-tur (Feira Internacional do Turismo), na Espanha, e a ITB (Internazionale Tourismus Borse), na Alemanha.

    Quais so as principais atraes tursticas que o Paraguai oferece a-tualmente?

    Muito dos recursos tursticos do Paraguai esto concentrados na natu-reza. Existem condies ideais para o turismo rural, ecolgico e de aventu-ra. Na esfera cultural, pode-se falar da Rota dos Jesutas e a Franciscan Road. J Assuno e as cidades vizinhas aca-bam sendo o principal polo de eventos de turismo, sem descartar o turismo de compras. Assuno uma cidade geograficamente bem localizada, tem todos os elementos para oferecer pra-zer e conforto aos visitantes e uma

    das instalaes economicamente mais conveniente para os turistas de todo o mundo.

    a questo trplice fronteira - Ciu-dad del leste, Foz do iguau e iguazu (argentina) - sempre foi um polo de problemas para a regio. Como est se resolvendo esta situao?

    Graas a uma nova viso da admi-nistrao da Itaipu Binacional do lado paraguaio, de entender sua parte e investir uS$ 25 milhes com atrati-vos naturais e cnicos, as reservas, o Museu Guarany e Salto Bertoni, pos-sibilitando que possamos trabalhar no produto e na qualidade no que vamos vender ao turista vizinho ou ao que vem de longe e que, geralmente, atra-vessa para a compra de eletrnicos nas sete quadras. Hoje, temos hote-laria de nvel que no tnhamos anos

    atrs, a vida noturna foi intensificada, alm de bons restaurantes e casas de shows. Muita coisa est mudando. importante saber tambm que Ciudad del Leste sofre uma transformao importante nos ltimos cinco anos, na recuperao dos espaos pblicos. H tambm uma mudana que tem tudo a ver com o Brasil, cujo mercado consumidor evoluiu hoje quer marca e se dispe a pagar e a gastar, quer ir adquirir no shopping center, no est mais como o comprador de rua que era caracterstico. Assim, observamos que a quantidade de shoppings que esto sendo construdos na regio de fronteira impressionante. Estou falando de hectares e hectares, isto tambm vai mudar o aspecto catico que existia e que hoje tem a deman-da pedindo novidades, mais ateno, conforto e qualidade.

    DIV

    uLG

    A

    O

    Hoje temos hotelaria de nvel que no tnha-mos anos atrs, a vida noturna foi intensifi-

    cada, alm de bons restaurantes e casas de shows. Muita coisa est mudando. liz crAmer, ministrA do turismo do PArAguAi

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 17

  • 18 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    No dia 28 de setembro, mais de cem convidados prestigiaram o lanamento do Guia de Hotis SC, no Majestic Palace Hotel, em Flo-rianpolis. O guia fruto de uma parceria entre a Abih-SC e a Secre-taria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina.

    Alm dos associados da entida-de, a publicao traz a relao de todos os meios de hospedagem de SC, resultado de mais de trs anos de pesquisa.

    Cesar Souza Junior, secretrio de Turismo de Santa Catarina, pre-sente ao evento, destacou o valor da obra para o turismo do estado. uma valiosa fonte de informao para o turista. A nossa preocupa-o atrair um fluxo permanen-te de visitantes a Santa Catarina, garantindo a ocupao de hotis, restaurantes e bares durante o ano todo, lembrou.

    O lanamento foi liderado por Joo Eduardo Moritz, presidente

    lANAMENTO DO GuIA DE hOTIS SC

    VALDIR WALENDOWSKy (PRESIDENTE DA SANTuR), JOO EDuARDO MO-RITZ (PRESIDENTE DA ABIH-SC) E CESAR SOuZA JuNIOR. (SECRETRIO DE ESTADO DE TuRISMO, CuLTuRA E ESPORTE DE SANTA CATARINA).

    da Abih-SC, e tambm foi prestigiado por Valdir Walendowsky, presidente da Santur, por hoteleiros, pelos seto-res mais representativos do trade tu-rstico catarinense e pela imprensa.

    Walendowsky falou sobre o desa-fio do setor para atender aos 30 mi-lhes de pessoas das classes C e D, que representam hoje o maior con-tingente de consumidores no pas. Segundo ele, esse segmento deve injetar no mercado turstico cerca de R$ 11 milhes at o final do ano.

    O presidente da Santur sugere, entre outras medidas, a adoo pelo setor de cartes personalizados, como fazem grandes redes de lojas, facilitando o acesso ao credirio.

    Citou como exemplo o carto de fidelidade da companhia area TAM, que facilita a aquisio de passagens areas.

    Aos hotis, ele sugeriu que rea-lizem algumas alteraes nas aco-modaes para atender ao gosto do novo consumidor.

    um dos setores mais importan-tes da Santur a diretoria de mar-keting, especialmente no momento em que todas as aes adotadas so realizadas de acordo com o Plano Catarina, idealizado para or-ganizar e respaldar todos os movi-mentos de estrutura, promoo e divulgao do turismo catarinense. um plano to importante que tem seu planejamento pr-antecipado para os prximos 20 anos.

    Flvio Agustini, diretor de marke-ting da Santur, um servidor entu-siasmado, experiente, que se dedi-ca h 30 anos ao turismo do estado. Iniciou na rea de eventos e foi du-rante oito anos secretrio de turis-mo da cidade de Lages. Ficou cinco anos no planejamento da Santur e, nos ltimos quatro anos, responde pela direo de marketing. Ele tem atuao forte na nova realidade tu-rstica do estado, tendo participado diretamente da diviso de Santa Ca-tarina em dez regies tursticas.

    AGuSTINI: A FORA DO MARkETING DA SANTuR

    DIV

    uLG

    A

    O

    Tudo tem sido fruto de muito trabalho, da dedicao de muitas pessoas e da poltica atuante e de valorizao do turismo que vem do ex-governador Luiz Henrique, passou por Leonel Pavan e cresce com o incentivo do atual governa-dor Raimundo Colombo, acentua Agustini.

    Ele lembra que ouvir o trade turstico em todos os momentos tem sido a nossa maior misso. As-sim, tomamos atitudes em conjun-to, avanando e fazendo o turismo crescer em toda Santa Catarina.

    Flvio Agustini anuncia ainda para outubro uma novidade: Va-mos lanar um concurso nacional para a escolha da nova marca tu-rstica de Santa Catarina. Seguir as diretrizes do Plano Catarina uma forte convico do diretor de ma-rketing, para que o estado continue sendo sempre um dos destinos tu-rsticos mais admirados e visitados do Brasil.

    FLVIO AGuSTINI, DIRETOR DE MARKETING DA SANTuR: OuVIR SEMPRE O TRADE.

    notcias de Sc por paulo mosimann

    DIV

    uLG

    A

    O

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 19

    Carlos Humberto Silva, secret-rio de Turismo e Desenvolvimento Econmico de Balnerio Cambori, est confiante que o futuro Centro de Convenes de Balnerio Cam-bori, obra esperada h mais de uma dcada pelo trade da cidade, ir atender as expectativas de toda a regio. Para isso, o dirigente do tu-rismo municipal tambm trabalha para que o projeto seja adequado s reais necessidades colocadas em reunies e em mobilizao de enti-dades e empresrios.

    Essa posio foi colocada duran-te recente encontro realizado na Cmara de Vereadores de Balne-rio Cambori, no qual marcaram

    ADEQuAO DO PROjETO DO CENTRO DE CONVENES DE CAMBORI

    presena autoridades e profissionais envolvidos com o turismo. Eles es-peram que o Centro de Convenes seja iniciado, mas que, ao mesmo tempo, tambm contemple requisitos e venha a favorecer de fato o desen-volvimento do turismo de eventos e negcios da regio. Mais uma vez, o secretrio de estado de Turismo, C-sar Souza Jnior, nos certificou sobre o comprometimento de Santa Catarina com a construo do Centro de Con-venes de Balnerio Cambori, rati-ficando a liberao de R$ 32 milhes para a obra.

    Por sua vez, a prefeitura cidade, atravs do vice-prefeito Cludio Dal-vesco, garantiu recursos na ordem

    de R$ 10 milhes como participa-o e envolvimento do municpio com essa prioridade, analisa Carlos Humberto.

    Segundo ele, o novo espao de negcios de Balnerio Cambori deve contemplar um grande cen-tro para convenes, mas o proje-to apresentado eminentemente voltado s exposies. O governo estadual espera rapidamente a ade-quao do projeto, de maneira a no descaracteriz-lo e para que no percamos os prazos de licita-o. fundamental que esse centro possa atrair grandes eventos e que possamos concorrer com outros es-paos de convenes, finaliza.

    Empreendedores das grandes marcas e produtos do Brasil e do mundo, assim como importado-res e exportadores, se reuniro nos dias 24, 25 e 26 de novembro, em Florianpolis, para o FTN F-rum de Turismo de Negcios. O evento busca reunir no apenas as empresas diretamente ligadas ao turismo, mas tambm a in-dstria da moda, sade, beleza, o setor imobilirio, tecnolgico, entre outros, afim de estimular o turismo de negcios e garantir o network necessrio entre os par-ticipantes para fechar acordos na compra e venda de produtos ou servios.

    Sero ministrados, durante os trs dias do Frum, palestras e capacitaes com convidados in-ternacionais que abordaro ho-telaria, marketing, investimentos, importao e exportao, moda, sade, tecnologia, fontes de ener-gia, sustentabilidade e ecologia e vendas. Os temas sero trabalha-dos de forma que os participantes possam entender como aplicar o Turismo de Negcios em cada ramo de interesse. Alm das pa-lestras, haver duas reunies de negcios, dois desfiles de moda e uma feira, durante os trs dias, para a exposio e comercializa-o de produtos entre importa-dores e exportadores de todo o mundo.

    A comisso organizadora esti-ma receber 5,5 mil participantes.

    FNT EM FlORIANPOlIS

    O popular cantor Daniel vai en-cerrar o ano com chave de ouro no melhor Resort de praia do Bra-sil com duas apresentaes, mar-cando a abertura do vero 2012 do Costo do Santinho.

    O msico estar em cartaz no resort nos dias 15 e 18 de dezembro e promete animar e emocionar o pblico com o show exclusivo Daniel e Voc na Ilha da Magia, cantando seus gran-des sucessos. Foi preparada uma programao especial, na qual a emoo est includa no pacote e o sertanejo vai dar o tom para poucos privilegiados. Sero trs dias inesquecveis. Todos esto convidados a danar e cantar ao som deste grande cone da m-sica sertaneja.Em outubro, outro diferencial do Costo, ser levar seus clientes tradicional Okto-berfest de Blumenau. A ordem muita diverso no ritmo das ban-dinhas alems. Reservas e maio-res informaes: 0800 48 1000 www.costao.com.br.

    DANIEl NA IlhA DA MAGIA

    A Chcara Rio Jordo uma boa opo para reunir a famlia e amigos e viver momentos muito agradveis com mar, natureza, dunas, contato com animais, hospedagem, lazer e recreao em um ambiente tranqui-lo, localizado na regio de Ingleses do Rio Vermelho, no norte da Ilha de Santa Catarina, em Florianpolis. O atendimento durante todo o ano, com destaque para piscinas, chals de diversos tamanhos, churrasquei-ras individuais e salas para eventos, alm de pacotes especiais de natal e rveillon. Informaes: (48) 3269-3141; e-mail: [email protected]; site: www.chacara-riojordao.com.br.

    DICAS DE ESTADIA EM FlORIANPOlIS

    Outra opo na regio do Norte da Ilha de Santa Catarina o Resi-dencial Mosimann. Localizado na Rua dos Tubares, na praia de Ingle-ses, uma pousada aconchegante, administrada familiarmente e com a oferta de servios o ano inteiro. Distante cerca de 300 metros do mar, o residencial tem apartamen-tos com um, dois ou mais quartos, e oferece piscina e churrasqueira. Pacotes especiais para as festas de natal, rveillon e temporada de ve-ro. Informaes no fone (48) 3369-1172.

    RESIDENCIAL MOSIMANN, TAMBM LOCALIZADA NA PRAIA DE INGLESES, NA ILHA DE SANTA CATARINA.

    CHCARA RIO JORDO, LO-CALIZADA NA REGIO DE INGLESES DO RIO VERME-LHO, EM FLORIANPOLIS.

    DIV

    uLG

    A

    O

    DIV

    uLG

    A

    O

  • 20 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    //notcias da copa 2014

    O ministro do Esporte Orlando Sil-va, participou ao lado da presidenta Dilma Rousseff e do secretrio-geral da FIFA, Jrme Valcke, de importante encontro no ltimo dia 3 de outubro, em Bruxelas, na Belgica. Na reunio foi discutida a preparao do pas para a Copa do Mundo da FIFA de 2014.

    Falando ao Agente urgente em en-trevista aps o encontro, o ministro Orlando Silva afirmou que o governo brasileiro reafirmou seu compromisso com a organizao da Copa e com as garantias oferecidas FIFA. As duas partes tm o mesmo objetivo, de rea-lizar com sucesso o Mundial em 2014.

    Sobre um dos pontos discutidos, o projeto da Lei Geral da Copa, que est sendo analisado pelo Congresso Nacional, ficou acertado novo encon-tro, em Braslia, entre representantes da FIFA e do governo para continuar o debate sobre o tema. Relatamos tambm o balano do andamento de todas as obras ligadas ao evento, es-tdios, aeroportos, mobilidade, lem-brando que essas intervenes so importantes no apenas para a Copa, mas para o pas, afirmou o ministro.

    J Jrme Valcke ressaltou a im-portncia de manter o canal de dilo-go aberto e o trabalho pelo objetivo comum de organizar bem a Copa. O governo brasileiro e a FIFA esto tra-balhando juntos. Da parte da FIFA, re-

    Orlando Silva e Dilma reafirmam garantias diretoria da FIFA

    conhecemos e respeitamos as leis bra-sileiras, e o pas reconhece e respeita os acordos feitos para sediar o evento. Quero deixar claro que os brasileiros tero acesso aos jogos, no apenas os ricos, afirmou.

    Durante o encontro, tambm foi discutido o andamento das obras nos estdios. Na avaliao de Valcke, to-dos os estdios estaro prontos em 2014. Na prxima reunio da FIFA, ain-da em outubro, tomaremos a deciso sobre as cidades que sediaro a Copa das Confederaes, em 2013, e sobre onde acontecero a abertura e o en-cerramento da Copa em 2014.

    O secretrio-geral da FIFA fez ques-to de reafirmar sua confiana no Bra-sil: Nunca discutimos a possibilidade de tirar ou no a Copa do Brasil. Con-fiamos e queremos a Copa no Brasil.

    Segundo o ministro Orlando Silva, na reunio tambm ficou acertado que, at o fim do ano, o presidente da FIFA, Joseph Blatter, deve se encontrar com a presidenta Dilma Rousseff, em Braslia.

    MINISTRO ORLANDO SILVA, COM O SECRETRIO DE ASSuNTOS DA COPA NO PARAN, MRIO CELSO CuNHA E O ASSESSOR ESPECIAL DO MINISTRIO DOS ESPORTES, RICARDO GOMyDE.

    FOTO

    : FRA

    NC

    ISCO

    DE A

    SSIS

    Curitiba e o Paran esto tranqi-los e certos de xito absoluto na sua organizao como sede da Copa do Mundo de 2014. o que revelam os maiores responsveis pelos esforos para o preenchimento do caderno de encargos da FIFA, Mrio Celso Cunha (Governo estadual) e Luiz de Carvalho (Prefeitura de Curitiba).

    O maior passo neste sentido foi dado, nos primeiros dias deste ms, quando do lanamento da pedra fun-damental do reinicio das obras no estdio Joaquim Amrico (Arena da Baixada), que ser o palco dos jogos na Capital paranaense. To importan-te quanto, Curitiba se mostra rigoro-samente em dia com os processos visando o comeo das obras pblicas contempladas com o PAC da Copa do Mundo.

    At mesmo as eventuais preocupa-es com obras no Aeroporto Afonso Pena de responsabilidade do Gover-no Federal no se constituem em problema. A ampliao do terminal de passageiros e dos espaos para esta-cionamentos j constam oficialmente dos oramentos e logo sero licitadas.

    Alm dA cOpAPara Mrio Celso Cunha, funda-

    mental que Curitiba e o Paran este-jam unidos em prol da causa. Para ele, o evento Copa do Mundo tem uma importncia muito maior que alguns possam imaginar.

    A Copa do Mundo no apenas um torneio de futebol, mas uma enor-me janela de oportunidades e neg-cios, pois traz consigo um grande n-mero de benefcios, como visibilidade internacional, aumento do fluxo de turistas, aperfeioamento da infra-es-trutura, gerao de empregos e mui-tos investimentos para o Brasil, alm de deixar um enorme legado para a populao. Em termos de Paran, com o incio das obras de concluso

    Secretrios comemoram ritmo dos trabalhosda Arena da Baixada, estamos rigoro-samente em dia com todos os prazos do Caderno de Encargos da FIFA. Espe-ramos realizar uma excelente Copa do Mundo. E que o Paran seja destaque nesse mega evento, afirma o secret-rio de Estado para Assuntos da Copa.

    Para o responsvel pela Secretaria da Copa na Prefeitura de Curitiba, as obras pblicas deixaro um enorme legado e todas esto muito bem en-caminhadas. Embora seja um estdio privado, o estdio da Arena por si s j representar parte deste legado. Alm de se transformar num dos mais modernos do mundo, ser mais um atrativo turstico e ter utilidade para outros eventos, musicais, artsticos e culturais, destaca Luiz de Carvalho.

    Ele informa que o estdio ser o primeiro a ser inaugurado para a Copa do Mundo, devendo estar pronto em dezembro deste ano. No dia 29 de maro de 2013 vamos inaugur-lo, co-memorando os 320 anos de Curitiba.

    OBrAS pBlIcASQuanto s obras pblicas em Curi-

    tiba, Carvalho informa que timo o ritmo dos processos voltados revita-lizao do anel virio central (com ex-celente e moderno sistema de cme-ras de segurana e monitoramento), da rua Marechal Floriano, da Comen-dador Franco (avenida das Torres) e tambm a total remodelao da Esta-o Rodo-ferroviria da cidade. Existe ainda estudo para uma transformao na Avenida Candido de Abreu, que liga o centro ao Centro Cvico, rea que est em processo de tombamen-to. Estamos com os financiamentos do PAC da Copa j garantidos. A gran-de preocupao com a mobilidade urbana, com os transportes pblicos e a oferta dos melhores servios de acesso ao aeroporto, rodo-ferroviria e ligaes prticas e rpidas com os bairros, acrescenta Carvalhinho.

    FOTO

    : PR

    EFEITuR

    A D

    E Cu

    RITIB

    A

    SECRETRIO LuIZ DE CARVALHO E O PREFEITO LuCIANO DuCCI DuRANTE O LANAMENTO DASOBRAS NA ARENA DA BAIxADA.

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 21

  • 22 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    O presidente dos EuA, Barack Oba-ma, inadvertidamente iniciou uma bri-ga com os agentes de viagens daquele pas. Tudo porque o mandatrio, ao discursar sobre as mudanas pelas quais a economia passa na Amrica do Norte, deu a entender que a classe est obsoleta.

    Quando foi a ltima vez que al-gum foi a um caixa de banco ao invs de um banco automtico ou utilizou um agente de viagem ao invs de ape-nas acessar a internet? Muitos empre-gos que antes requeriam pessoas para serem feitos agora so automatiza-dos, discursou Obama.

    A resposta do setor foi imediata. A Sociedade Americana de Agentes de Viagem (ASTA, na sigla em ingls) en-dereou uma carta Casa Branca de-fendendo a indstria. A declarao do presidente mostra a necessidade de educar as pessoas sobre o importante papel que os agentes desenvolvem no mercado de viagens atual, rebateu o presidente da ASTA, Tony Gonchar. A ASTA j entrou em contato com o pre-sidente para garantir que ele entenda e contribua para o papel do agente de viagem na economia.

    Na carta endereada a Obama, a ASTA informa que, hoje, os EuA con-tam com cerca de 10 mil agncias de viagem, operando em cerca de 15 mil localidades. S em folha de pagamen-to, isso significa cerca de uS$ 6,3 bi-lhes. E, acima de tudo, o setor em-prega mais de 120 mil pessoas.

    A indstria de viagens continua um negcio muito baseado na relao entre as pessoas, acrescentou Gon-char. Os americanos tem o desejo de viajar e eles continuam indo a agentes experientes, que podem transformar estes sonhos em realidade.

    um estudo do Forrester Research revelou que, no primeira quarto de 2010, 28% de quem viajou por lazer e reservou suas passagens pela internet ainda tem interesse no trabalho de um bom agente de viagem. Em contrapar-tida, um estudo da ASTA revelou que 51% das agncias daquele pas teve aumento de ganhos em 2010 se com-parado a 2009.

    //polmica

    Os anjos da guarda dos viajantesEnquanto nos EUa agentes de viagem abrem guerra contra obama, que classificou classe como obsoleta, sindetur-Pr lana campanha para mostrar importncia do setor perante aqueles que gostam de viajar sem problemas

    Quando foi a ltima vez que algum foi a um caixa de banco ao invs de um banco auto-mtico ou utilizou um agente de viagem ao invs de apenas acessar a internet? Muitos

    empregos que antes requeriam pessoas para serem feitos agora so automatizados.

    BArAcK oBAmA, Presidente dos euA

    DIV

    uLG

    A

    O

    reAlIdAde BrASIleIrAViaje com Agente o slogan esco-

    lhido pelo Sindicato das Empresas de Turismo no Paran (Sindetur-PR). No lanamento da iniciativa que ocorreu no dia seis de outubro na Fecomrcio, o vice-presidente do sindicado, Paulo Cezar Pereira Gruber, fez a apresen-tao a respeito da organizao e do setor.

    A campanha utiliza a imagem de agentes que so como anjos da guarda e visa valorizar, o que segundo Gruber, o grande diferencial de se viajar pe-las agncias de viagem: a segurana.

    s ligar para o agente que ele resolve qualquer eventual problema, destaca. Ele tambm afirma que o r-go o grande defensor dos agentes de viagens e que no hesita em pro-teger os direitos da classe. O objetivo do Sindetur-PR permitir que o con-sumidor compreenda no apenas que o agente de viagens proporciona um servio de qualidade superior, com benefcios e garantias, mas que no se paga mais caro por essas vantagens.

    Os profissionais das 67 agncias associadas do Sinditur-PR so pre-parados para aconselhar o cliente na hora de escolher o destino, garantin-do trmites simples, preos baixos e tranquilidade da partida at a volta. Fundado em 1975, o Sindetur-PR foi criado para representar, defender e prestar servios categoria.

    A associao oferece cursos de ca-pacitao aos profissionais agentes de viagens, promove debates e pro-porciona convnios. Tambm pres-ta consultorias de natureza jurdica, econmica, tcnica e cultural, alm de conceder certides negativas para concorrncias pblicas.

    O presidente do Sistema Fecomer-cio-PR Darci Piana destacou a impor-tncia de aes desta natureza: o Sindetur tem sido muito atuante e conta com o nosso total apoio. Inicia-tivas como esta servem para estimular o trabalho dos agentes e operadores, peas fundamentais na engrenagem do turismo.

    Mais informaes no site http://sindeturpr.com.br/

    Isso representa mais de 50% do total de viagens negociadas nos EUA, incluindo cerca de 50% do

    total de passagens areas, 79% de todos os pacotes de viagens e 78%

    dos cruzeiros vendidos.

    o total de vendas anuais feitas por agentes de viagens nos EUA

    US$ 146 bi

    quanto este total representa em todas as viagens vendidas por l

    50%

    de AcOrdO cOm A AStA:

    AR

    Qu

    IVO

    FECO

    MER

    CIO

    -PR

    Iniciativas como esta do Sindetur-PRservem para estimular o trabalho dos

    agentes e operadores, peas fundamentais na engrenagem do turismo.

    dArci PiAnA, Presidente do fecomrcio

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 23

    joh

    ny

    s j

    uli

    o/m

    inis

    tr

    io d

    o t

    uris

    mo

  • 24 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    AVIeS

    WeBjet dA GOlDesde o dia 21 de setembro, a Gol passou a administrar a Webjet, depois que a Anac deu aprovao tcnica para a negociao de compra da ltima. Para a transao ser completada, falta o Cade avaliar a ques-to concorrencial. Em agosto, juntas, Gol e Webjet somaram 44,58% de market-share domstico, segundo dados da Anac. A Gol deve terminar com a marca Webjet e apro-veitar os slots da empresa para crescer ain-da mais no mercado domstico. Mas h um estudo para que a marca Webjet seja manti-da para as passagens mais baratas.

    NOVO perfIl tArIfrIO NA tAmNo final de setembro, a Tam disponibilizou um novo perfil tarifrio, o Relax, para dois voos entre os aeroportos de Guarulhos e Manaus. Entre as vantagens da nova opo, o passageiro poder viajar em um assento reclinvel em at 170, ter franquia extra de bagagem, alm da prioridade no check-in, no embarque e na entrega de bagagens. As rotas so operadas com aeronaves A330, com interior configurado em duas classes de servio, permitindo oferecer em rotas domsticas a mesma poltrona da classe executiva dos voos internacionais.

    VOOS eXtrAS NA AzulA Azul pediu autorizao Anac para operar voos extras nas regies Sul, Sudeste e Nor-deste durante a alta temporada. A solicita-o inclui ligaes da cidade de Campinas (SP) para Vitria, Porto Alegre, Navegantes (SC), Salvador e Fortaleza. Se aprovados, os voos iro operar entre 10 de dezembro de 2011 e 31 de janeiro de 2012.

    check-IN dIGItAl pASSAredOA Passaredo Linhas Areas passou a ofere-cer em setembro o servio de check-in on-line, que na empresa ser conhecido como Check-in Digital. Disponvel pelo site www.voepassaredo.com.br, o servio est dis-ponvel nos 22 aeroportos atendidos pela area. Com o check-in digital os passageiros podem imprimir seus cartes de embarque em casa, evitando filas.

    eNtreteNImeNtO cOm GOl NO ArA Gol j disponibiliza em 35 voos, princi-palmente da ponte area Rio-So Paulo, o sistema de entretenimento Gol no Ar, que pode ser acessado pelo passageiro atravs de smartphones, notebooks, ipods, ipads e similares equipados com tecnologia wi-fi. Esto disponveis materiais dos canais te-levisivos Globosat, de impressos da Editora Abril e de programas das rdios CBN e Glo-bo. O sistema tambm disponibiliza jogos para diverso. O contedo atualizado au-tomaticamente a cada pouso em nove aero-portos. A previso que, at o fim de 2011, 380 voos dirios estejam equipados com o programa Gol no Ar.

    O registro recorde de embarques e desembarques domsticos em julho e a pesquisa de expectativa de viagem apontam para a continuao do cres-cimento da demanda de passageiros e o consequente aumento no movimen-to em aeroportos regionais. Atento a esse movimento, o Ministrio do Tu-rismo (MTur) vem identificando locais prioritrios para investimentos em infraestrutura aeroporturia regional.

    O objetivo estimular o desenvol-vimento das rotas de baixa e mdia densidade de trfego e o aumento do nmero de cidades e municpios aten-didos pela aviao regional. Aproxi-mar essas distncias significa ampliar a gama de turistas para essas regies e alavancar o setor como um todo, pro-movendo expanso da hotelaria, dos restaurantes e dos atrativos tursticos.

    Desde 2003, o Ministrio do Tu-rismo destinou R$ 160 milhes para obras de infraestrutura nos aeropor-tos regionais brasileiros. Os repasses tiveram como objetivo a revitalizao de pistas, construo de terminais de embarque e desembarque, aquisio de equipamentos e outras realizaes fundamentais para a recuperao e modernizao aeroporturia, para elevar o potencial turstico em cidades de pequeno e mdio porte.

    O Programa Nacional de Desen-volvimento do Turismo (Prodetur) j levou aprovao do Cofiex uS$ 1,9 bilho em financiamentos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvi-mento e Corporao Andina de Fo-mento, para o atendimento a 24 reas tursticas prioritrias. Elas vo do Se-rid, no Rio Grande do Norte, Serra da Bodoquena, no Mato Grosso do Sul, passando pelo agreste paraibano, pelo Jalapo tocantinense e pela Serra fluminense.

    E o setor responde aos investimen-tos. Em 2010, 6,5 milhes de passagei-ros viajaram em voos das 13 compa-

    //aeroportos

    Aviao decola rumo ao interior

    o crescimento do mercado areo est ajudando a promover o desenvolvimento de regies atendidas por pequenos aeroportos em todo o pas

    nhias areas regionais, nmero 279% maior do que em 2005, quando foram registrados 1,7 milho de clientes em voos regionais. Dos 731 aeroportos pblicos do pas, 175 foram listados pelas empresas areas como de maior potencial turstico. Quatro, entre os cinco primeiros citados, esto locali-zados no Nordeste: Lenis e Porto Seguro (BA), Juazeiro do Norte (CE) e So Luis (MA).

    A aviao regional tem apresenta-do os mais altos ndices de crescimen-to do setor aerovirio, com resultados significativos nas operaes das com-panhias, que chegaram a 123,9% de crescimento no primeiro semestre de 2011, em relao ao mesmo perodo de 2010.

    O turISmO em NmerOSEm julho de 2011, foi registrado no

    Brasil recorde de 7,4 milhes de em-barques e desembarques em voos do-msticos crescimento de 22,05% em relao ao mesmo perodo de 2010,

    DIV

    uLG

    A

    O

    com 6 milhes de movimentaes. E a expectativa do mercado segue em alta: segundo pesquisa do Ministrio do Turismo, realizada pela Fundao Getlio Vargas, viajar nos prximos seis meses est nos planos de 33,7% dos pesquisados; 65% desses poten-ciais viajantes pretendem faz-lo de avio, 86,1% deles, acompanhados.

    DIV

    uLG

    A

    O

    INFR

    AER

    O

    AEROPORTO DE SO LuIS (MA): POTENCIAL TuRSTICO PODE ELEVAR OPERAO.

    Por definio, companhias areas regionais so aquelas que operam com aeronaves com at 120 assen-tos, em aeroportos secundrios, que podem ser classificados a partir do movimento de passageiros e de ae-ronaves, ou ainda por caractersticas do municpio.

    Por aerdromo entende-se toda a rea destinada a pouso, decolagem e movimentao de aeronaves de asa fixa ou rotativa. Podem ser compar-tilhados, militares, privados ou p-blicos e restritos. Aeroporto todo aerdromo dotado de instalaes e facilidades para apoio de operaes de aeronaves, embarque e desem-barque de pessoas e cargas.

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 25

    //rua 24 horas

    O retorno de um cone curitibanoCuritiba resgatar no prximo dia

    26 de outubro um de seus mais inte-ressantes cartes postais, a Rua 24 Ho-ras. Aps ficar alguns anos desativado, o espao idealizado pelo ex-prefeito e arquiteto Jaime Lerner ser colo-cado disposio dos curitibanos e turistas.

    Agora rebatizada como Nova Rua 24 Horas, ela retorna com muita for-a e com um estilo mais moderno e vrios diferenciais, que tm tudo para transform-la verdadeiramente num dos pontos de encontro mais festeja-dos da Capital paranaense.

    Esse resgate s fato concreto gra-as audcia e empreendedorismo da M. Camargo Corretora de Im-veis, liderada pelo empresrio Mar-cos Camargo, que conquistou o direi-to de concessionrio pelos prximos dez anos. Curitibano, tradicionalista e apaixonado pela sua cidade natal, Ca-margo estudou por dois anos a viabili-dade econmica para assumir a Nova Rua 24 Horas.

    Fez um projeto muito bem elabo-rado e confessa que foi para a concor-rncia, na Prefeitura de Curitiba, certo de conquistar a condio de conces-sionrio do espao. Participamos da concorrncia pblica e da licitao na certeza de que o nosso projeto seria o vencedor. Apresentamos um projeto pormenorizado e de alta valorizao. Nossa preocupao no s resgatar

    FOTO

    :PR

    EFEITuR

    A D

    E Cu

    RITIB

    A

    a Rua 24 Horas, mas cooperar com a oferta de lojas e servios que agrega-ro valores a todo o entorno da regio central, Batel e vizinhana. A Nova Rua 24 Horas ter alm das lojas em seu interior, Praa de Alimentao, es-pao para eventos culturais, educati-vos e artsticos, ligao e acesso direto a duas galerias de prdios comerciais em ruas vizinhas (Emiliano Perneta e Comendador Arajo) e reforo subs-tancial na diversidade de lojas e ofer-tas de produtos.

    A concessionria M. Camargo est desenvolvendo as locaes e defindo o mix em consonncia com a uRBS, que tem oferecido grande apoio tc-nico, assim como a Prefeitura de Curi-tiba e a Cmara dos Vereadores.

    Esta somatria de esforos faz sur-gir muitos diferenciais para o pblico. As principais esto voltadas para a se-gurana, monitoramento e conforto dos usurios. Toda a rua estar pro-tegida por cmeras que ficaro dia e noite interligadas com a Guarda Mu-nicipal.

    Outro detalhe importante ser o estacionamento coberto e acesso es-pecial a quem chegar de carro.

    Os 42 espaos foram divididos em 19 lojas, formando um mix ecltico, com excelente oferta de produtos e servios. A Praa de alimentao com bandeiras consolidadas tem tudo para ser um sucesso. Dentre as contrata-

    das esto a Sanduicheria Porco Nobre, SubWay, Sushi-Bar, Wing Sucos, Cho-pp da Brahma e o Restaurante e Pizza-ria Dom Casmurro.

    No setor de servios, estaro pre-sentes o Banco do Brasil e o Bradesco, com autoatendimento e mini-agn-cias, Correios, lavanderia 24h, cafe-teria, revistaria, lan-house e lojas de presentes e bijouterias, chocolates e convenincia.

    Em sua nova fase, a Rua 24 Horas tem como foco prioritrio se trans-formar em ponto de encontro das famlias curitibanas. Este projeto direcionado primeiro aos moradores da cidade. Desejamos que a rua seja o prprio esprito de quem mora em Curitiba. Ofereceremos para isso um excelente mix de lojas, segurana e conforto para que as pessoas venham com seus familiares usufruir do nosso

    carto postal. Para que ela se torne de fato um lugar agradvel da manifesta-o cultural, da arte e do jeito de ser da nossa gente. essa a Rua 24 Horas que pretendemos compartilhar com os turistas e visitantes, acrescenta Marcos Camargo.

    uma das maiores expectativas do pblico saber se a Nova Rua 24 ho-ras vai funcionar mesmo noite e dia. Discutimos bastante com os lojistas esta questo. O objetivo que ela seja o mais prximo possvel, uma rua que atenda as necessidades dos consumi-dores nas 24 horas do dia. No existe obrigatoriedade contratual para este funcionamento. Mas ns vamos dar estrutura para que as lojas funcionem mais horas dentro da medida do pos-svel. Mais informaes pelos telefo-nes (41) 3363-4429 30199101 ou no site www.camargoimoveis.com.br.

  • 26 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    //panorama poltico

    A escolha de ministros e secret-rios deveria ser baseada em critrios polticos acima dos tcnicos? A mu-dana no Ministrio do Turismo exps a prtica, muito comum no Brasil, que mesmo apimentada por denncias de m utilizao de dinheiro pblico, continua a nortear as escolhas de tais cargos.

    A prpria eleio da presidente Dilma Roussef, com passado de ocu-paes com carter mais gerencial e administrativo, parecia apontar na di-reo oposta. Contudo, aps a sada do ex-ministro do turismo Pedro No-vais que pediu demisso por denn-cias de uso de recursos pblicos para fins privados e a escolha do deputa-do Gasto Vieira para o cargo por in-dicao do PMDB, o panorama parece continuar na mesma direo.

    Ao dar posse ao novo ministro do Turismo, a presidenta Dilma ressalvou que as escolhas feitas por critrios po-lticos no desmerecem um governo. Escolhas polticas no desmerecem nenhum governo. com polticos, com partidos polticos, tcnicos e es-pecialistas que se governa um pas to complexo como o Brasil. A poltica bem exercida uma atividade nobre e imprescindvel atividade democrti-ca, disse a presidente.

    Mesmo assim, a posse de Gasto Vieira ocorreu em uma cerimnia discreta, com a presena de poucas

    pessoas na sala de audincias da Pre-sidncia da Repblica. Normalmente, as cerimnias de posse ocorrem nos sales do Palcio do Planalto, com muitos convidados.

    Gasto Vieira, que vem da Cmara dos Deputados, onde representava o PMDB do Maranho, assume res-saltando a necessidade de pensar as polticas para o desenvolvimento do turismo no Brasil integradas com os demais programas sociais hoje j de-senvolvidos pelo governo.

    Para o novo ministro, o turismo tem o potencial de incluir famlias de menor renda, como as que, pelo Bolsa Famlia, venham a se integrar ao mer-cado consumidor. Temos que fazer com que essas pessoas, na transio do Bolsa Famlia para o mercado de consumo, possam utilizar esse conhe-cimento, disse.

    Segundo ele, o setor pode ajudar no enfrentamento da crise financeira internacional. Em momentos de crise bom ser prudente e a grande alter-nativa do Brasil sempre foi olhar para seu mercado interno. Eu vou lutar para incorporar essa massa brasileira essa atividade.

    Sobre as denncias que derruba-ram seu antecessor, o ministro do Turismo admitiu que emendas de tu-rismo so usadas para construo de praas em cidades onde no h la-zer. Mas disse que agora, no coman-

    do da pasta, deve rever esse tipo de ao.

    J sobre os critrios de escolha, o novo ministro acredita que experin-cia poltica se traduz em qualidade tcnica. Com cinco mandatos, eu sou, de certa forma, uma pessoa com muita atividade poltica. Fui secretrio no meu estado trs vezes. Absoluta-mente no me considero um minis-tro genrico. Pelo contrrio, sou uma pessoa que se preparou ao longo da vida para enfrentar desafios, afirmou Galvo em entrevista Rdio Eldora-do ESPN.

    O novo ministro garantiu que vai es-cutar os tcnicos da pasta para tomar decises. Voc trabalha com bons assessores. H uma equipe tcnica no Ministrio do Turismo que elogiada por todos. Voc ser ministro e gover-nar tomar a melhor deciso para o pas. E, portanto, vou me valer, nesse incio, da experincia acumulada (dos

    tcnicos). Creio que no h nenhum mistrio. assim que acontece.

    NOVAeSJ o ex-ministro Pedro Novais reas-

    sumiu o mandato de deputado fede-ral tendo que enfrentar as denncias que o derrubaram. A Procuradoria da Repblica no Distrito Federal abriu inqurito civil contra o ex-ministro. O MP vai apurar se houve crime de im-probidade administrativa na contrata-o de Doralice Bento de Souza como servidora da Cmara dos Deputados, j que ela dava expediente como em-pregada domstica de Novais.

    A procuradoria no DF s respon-svel por averiguar se houve ou no improbidade administrativa. A anlise de possveis implicaes criminais das atividades do ex-ministro ficar a car-go da Procuradoria-Geral da Repbli-ca, j que Novais tem foro privilegiado por ser deputado federal.

    FOTO

    : VA

    LTER

    CA

    MPA

    NA

    TO/A

    BR

    aps pedido de demisso de Pedro Novaes, que ficou apenas oito meses no cargo, presidente Dilma roussef acata indicao poltica em nova escolha

    eNtrA GAStO VIeIrA, deputAdO dO pmdB dO mArANhO, INdIcAdO pelO pArtIdO pArA OcupAr A VAGA.

    SAI pedrO NOVAeS, tAmBm depu-tAdO dO pmdB dO mArANhO, que NO SupOrtOu deNNcIAS de m utIlIzAO de dINheIrO pBlIcO pelA pAStA e pelO GABINete.

    FOTO

    : VA

    LTER C

    AM

    PAN

    ATO

    /AB

    R

    Absolutamente no me considero umministro genrico. Pelo contrrio, sou uma

    pessoa que se preparou ao longo da vida para enfrentar desafios.

    gAsto VieirA, ministro do turismo

    A MuDANA NO MINISTRIO

  • 28 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    OPORTuNIDADES E NOVAS ATITuDES PARA O TuRISMOEntre os dias 19 e 21 de outubro, o

    Centro de Convenes do Rio Centro, no Rio de Janeiro ser palco da tra-dicional Feira das Amricas e do 39 Congresso da Associao Brasileira de Agncias de Viagens (ABAV), que jun-tos formam o maior evento do turis-mo no continente americano.

    O congresso ter um novo formato em 2011, com mudanas que comea-ram a ser implementadas a partir de 2009 e que refletem o atual momento ABAV Nacional. O salo de exposies teve sua comercializao terceirizada e intensificou seu processo de inter-nacionalizao. Ao todo, sero 52 ofi-cinas e trs plenrias.

    O tema do 39 Congresso da ABAV ser O Brasil Bem Sucedido: Opor-tunidades e Novas Atitudes para o Turismo?. De acordo com Carlos Al-berto Amorim Ferreira, o Kak, presi-dente da ABAV, o agente de viagens vive em constantes desafios e precisa, com urgncia, de ferramentas corre-tas para responder adequadamente s demandas do novo tempo. Esta-mos organizando um evento diferen-te no s no formato mas tambm na sua essncia, com palestras e debates que vo quebrar paradigmas e propor caminhos para nossos associados na busca de solues para sua empresa, por menor que ela seja. afirma.

    A essncia das inovaes do Con-gresso da ABAV tem como premissa

    Durante trs dias, o rio de Janeiro sediar o mais tradicional evento de turismo do continente americano, que nesta edio vir intensificado

    provocar no agente de viagens um novo olhar sobre seu negcio. Mais do que dar informaes sobre hist-rias de sucessos, os temas das oficinas foram pensados para inspirar uma ati-tude positiva. A ideia que os agen-tes ousem buscar, cada um, a soluo criativa para o seu negcio, motivan-do quem participa. No queremos ensinar a pescar. Queremos que eles tenham o desejo de pescar, cada um com a ferramenta ideal para seus de-safios, explica Kak.

    Para o presidente, a ABAV, como associao e como detentora do maior evento de turismo do continente ame-ricano, precisou adotar novas atitudes para no envelhecer e no perder seu espao. O agente de viagem tambm tem buscado se reinventar a cada dia para se adaptar s diferentes realida-des que o mercado apresenta a cada momento. E, se estamos em sintonia com essa realidade, ento, pensamos em muni-lo de informao do que h de mais vanguarda no mercado, mostr-lo as prticas bem-sucedidas e exercit-las, comenta. Segundo ele, o maior objetivo se fazer com que o agente de viagem participe mais da parte tcnica do evento.

    feIrA + cONGreSSOAo contrrio dos anos anteriores,

    o 39 Congresso Brasileiro da ABAV ser realizado no perodo da tarde, em

    conjunto com a Feira das Amricas. Com a mudana de formato, o salo de exposio abrir mais cedo, s 11 horas, e permanecer aberto at s 18 horas. A estratgia permitir que o congressista chegue primeiro Feira, circule pelos estandes e depois esco-lha uma das atividades do Congresso.

    Para Kak, as novidades otimizam o tempo dos congressistas e permitem um melhor aproveitamento do even-to. Acreditamos que os novos hor-rios e formatos vo beneficiar tanto o Congresso quanto a Feira. Com as Rodadas Simultneas mais curtas, o congressista tem mais liberdade de ir e vir, criando uma interao produti-va entre os dois eventos, afirma. As palestras acontecero todos os dias e, em seguida, sero realizadas as Roda-das Simultneas de Oficinas da ABAV.

    A inscrio para a Feira d acesso, automaticamente, ao Congresso, que apresenta outra novidade: algumas oficinas sero apresentadas duas ve-zes em dias diferentes, permitindo que mais pessoas tenham acesso ao seu contedo.

    Abrindo cada dia de Rodada de Oficinas, a ABAV destacar plenrias de maior abrangncia temtica, com 45 minutos de durao estas esto programadas para comear sempre s 12h30. O primeiro painel, no dia 19, ser com o antroplogo Roberto Da-Matta falando sobre tica no Poder

    A Histria, Cultura e o Comportamen-to do Brasileiro; no dia 20, a vez do painel O Segredo dos Melhores Promotores do Brasil, que ter como moderador Gustavo Syllos (Forma e Contedo) e os participantes Claudia Brazil (Esferatur), Ivan Mauro (Costa Cruzeiros) e Mlvia Santos (TAM); no dia 21, ser realizado um ecltico en-contro sobre Blog de Viagem O Po-der de Influenciar Escolha de Destinos e Roteiros, tendo Artur Luiz Andrade (Blog Panrotas) como mediador e a participao de Caco de Paula (editor chefe da Abril/Turismo), do publici-trio Francisco Ancona Lopez, de Ro-mina Rozensztajn (Tripadvisor), e de Deusa Rodrigues (Designer Tours).

    J as oficinas vo durar meia hora e acontecero em seis salas diferentes. Intervalos de 15 minutos permitiro que o pblico troque de oficina e apro-veite a oportunidade para atualizar-se profissionalmente em vrias assuntos.

    Os temas foram estruturados para atrair trs nveis de pblico o estra-tgico, o gerencial e as pessoas da li-nha de frente. Quem participar ter a oportunidade de ouvir as recomen-daes de experts da academia e de profissionais do mercado sobre pro-moo, distribuio e desenvolvimen-to de produtos, tecnologia, estratgia, comunicao, marketing, vendas, di-reitos do consumidor, entre outros as-suntos inditos no Congresso.

    AO CONTRRIO DOS ANOS ANTERIORES, O 39 CONGRESSO BRASILEIRO DA ABAV SER REALIZADO NO PERODO DA TARDE, EM CONJuNTO COM A FEIRA DAS AMRICAS. A ESTRATGIA PERMITIR QuE O CONGRESSISTA CHEGuE PRIMEIRO FEIRA, CIRCuLE PELOS ESTANDES E DEPOIS ESCOLHA uMA DAS ATIVIDADES DO CONGRESSO.

    DIV

    uLG

    A

    O

    DIV

    uLG

    A

    O

  • agosto/setembro/outubro 2011 //informativo agente urgente 29

    OPORTuNIDADES E NOVAS ATITuDES PARA O TuRISMO

    O CONGRESSO DA ABAV TER uM NOVO FORMATO EM 2011, COM MuDANAS QuE COMEARAM A SER IMPLEMENTADAS A PARTIR DE 2009 E QuE REFLETEM O ATuAL MOMENTO ENTIDADE NACIONAL.

    confira alguns destaques do 39 congresso da ABAV:

    Dia 19/10Painel: tica no Poder a histria, Cultura e o Comportamento do Brasileiro, com o antroplogo roberto DaMatta.oficinas: relao Fornecedores e Distribuidores de Viagens: Voc sabe Negociar?; o impacto e as Tendncias das Fuses no Turismo; o lucrativo

    e Exigente segmento de Viagens de incentivo: aprenda com o Manual dos Experts; sites Vendas Coletivas: oportunidade ou ameaa para o agente de Viagens?; a Nova atitude do agente de Viagens: Vendedor ou Conselheiro?.

    Dia 20/10Painel: o segredo dos Melhores Promotores do Brasil, como moderao de gustavo syllos (Forma e Contedo) e participao de Claudia Brazil (Esfera-

    tur), ivan Mauro (Costa Cruzeiros) e Mlvia santos (TaM).oficinas: o Poder do Boca-a-Boca Virtual; Como Tornar as inovaes rentveis; Estratgia e Promoo do Brasil os Novos rumos e Planos do Turis-

    mo para os Prximos anos; o seu Negcio Conhece o Perfil do Viajante Estrangeiro? e relaes de Consumo : atitudes que afetam as agncias de Viagens.

    Dia 21/10Painel: Blog de Viagem o Poder de influenciar Escolha de Destinos e roteiros, com mediao de artur luiz andrade (Blog Panrotas) e participao

    de Caco de Paula (editor chefe da abril/Turismo), do publicitrio Francisco ancona lopez, de romina rozensztajn (Tripadvisor) e Deusa rodrigues (Designer Tours).

    oficinas: Turismo de sade Um segmento Que Cresce Cada Vez mais no Brasil; oportunidades em Cruzeiros Martimos: Como Promover e atrair Diferentes Tipos de Passageiros; Mercado gls: Como atender este segmento; as olimpadas 2016 a acessibilidade de Transporte no rio de Janeiro impacta o seu Negcio.

    Veja a programao completa e horrios do evento no site www.feiradasamericas.com.br.

    a taxa de crescimento anual da Feira, nmero que os organizadores

    esperam manter

    5%

    estamos organizando um evento diferente no s no formato mas tambm na sua essncia, com palestras e debates que vo quebrar

    paradigmas e propor caminhos para nossos associados na busca de solues para sua empresa, por menor que ela seja.

    KAK Amorim, Presidente dA ABAV

    expositores so aguardados para este ano

    800

    a rea total que a Feira e o congresso ocuparo em 2011

    35 mil m2

    A FEIRA EM NMEROS

    DIV

    uLG

    A

    O

    PROGRAMACO

  • 30 //informativo agente urgente agosto/setembro/outubro 2011

    Viagemdicas de

    Fonte: www.anac.gov.br

    Meu voo foi cancelado.E agora?

    FOTO

    : OV

    E TP

    FER

    De acordo com a ANAC (Agncia Nacional de Aviao Civil), em casos de atrasos, cancelamentos ou mesmo de preterio de embarque, o passa-geiro que se apresentar para embar-que, dependendo das circunstncias, ter direito a assistncias gratuitas como comunicao, alimentao e at acomodao. Essas assistncias so fornecidas aos poucos de acordo com o tempo de atraso:

    a partir de 1 hora de atraso: o passageiro tem direito comunicao, seja ela por meio de telefonemas ou acesso internet;

    a partir de 2 horas de atraso: nesse momento, o passageiro adqui-re tambm o direito alimentao; a companhia pode dar algum lanche, lev-lo