Alcançar 07

Click here to load reader

  • date post

    07-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    217
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Alcançar 07

  • Alcancar07A N O 0 2

    Boletim Informativo da Cmara Municipal de Moimenta da BeiraOutubro de 2011

    Ma de Moimenta

    Dia do Municpio Mais charme na feira de S. Mateus

    Paradinha e Peravelha

    Freguesias

    Setembro ms da apanha

  • 03 Nota de Abertura

    04 Aconteceu

    12 Acontece

    13 Acontecer

    14 Destaque - A campanha da ma

    16 Mais Desporto - Portugal/Srvia em Andebol

    18 Mais Investimento - Obras Municipais

    21 Mais Moimenta - Dia do Municpio em Viseu

    22 Mais Negcios - Empresa mpar

    23 Mais Vida - Idosa do Arcozelo fez 100 anos

    24 Freguesias - Paradinha - Peravelha

    28 Empresas - Socimateus

    30 Memrias - Aquilino por Veiga Leito

    31 Histria - Moimenta e a Repblica em livro

    32 Instituies - Centro Comunitrio de Alvite

    34 A Fechar - ltimas Notcias

    35 Assembleia Municipal - Palavras ditas

    36 Deliberaes - Actas da Cmara

    38 Informaes - Contactos teis

    39 Ficha Tcnica

    index

    Alcanar | index

  • | 03

    Nota de AberturaQuando assistimos, e participamos, nas actividades concretas que as pessoas e as empresas realizam todos os dias, percebemos melhor que h mais do que um pas. Uma parte de ns olha para tudo de forma distante, apreensiva e at receosa. A outra parte no tem tempo para olhar, nem para comentar: tem que fazer!

    A escolha do nosso posicionamento depende de cada um de ns, da nossa cultura, das nossas vivncias, mas tambm do nosso querer. Obtemos assim a perspectiva que teremos da vida, do que vale mais a pena e do que pode no valer, de todo, a pena.

    A azfama das colheitas, a que temos assistido nesta regio, bem elucidativa da forma como podemos reagir a grandes adversidades, com o somatrio de muitos pequenos esforos. As pessoas e as em-presas do a melhor resposta s dificuldades, que maioritariamente no criaram, mas esto bem empenhadas em ultrapassar.

    neste mundo real que temos que apostar, feito de terra, mquinas, homens, vontades e desejos. Sim, desejos sem os quais nunca nada verdadeiramente avanar. na economia real, vista e aplicada em cada pequena produo ou micro negcio, sem medo da dificuldade, criando riqueza, ainda que pequena, mas verdadeira.

    Estou cada vez mais certo da necessidade de encararmos de frente o nosso futuro, como actores locais com responsabilidades e condi-es de influenciar o que acontece no mundo, sem qualquer tipo de pretensiosismo, mas no admitindo prescindir da afirmao dos

    nossos valores, como povo, que podem ser exportados, para o pas e para o mundo.

    S o que verdadeiro perdurar. A crise financeira prova exausti-vamente que a riqueza que no assente em aumento de produo, que reparta um pouco dos proveitos por toda a cadeia que participa na sua formao efmera e acabar por cair, arrastando consigo milhes de inocentes, que apenas seguem os seus lderes.

    Este tambm o tempo de reforar a confiana nas lideranas, sem a qual todo o processo de ajustamento ser mais difcil e doloroso. Podemos partilhar o caminho, mas s seguimos verdadeiramente aqueles em quem confiamos.

    Jos Eduardo Ferreira (Presidente da Cmara)

    nota de abertura | Alcanar

  • A autarquia de Moimenta da Beira assi-nalou a 25 de Setembro o Dia Mundial do Corao com um cartaz matinal dedicado actividade fsica. O programa de exerccios teve incio s 9h30 no Pavilho Municipal, com alongamentos

    primeiro e uma marcha a seguir. Depois da caminhada, houve aula de hidroginstica na Piscina Municipal. Para quem preferiu ape-nas a actividade dentro de gua e de forma livre, a piscina esteve aberta e disponvel entre as 10h00 e as 12h30.

    Anualmente, as doenas cardiovasculares matam 17 milhes de pessoas em todo o globo, constituindo a principal causa de morte no mundo. Em Portugal so respons-veis por cerca de 40% dos bitos.

    Assinalado Dia Mundial do Corao

    Feira Social repete sucesso A II Feira Social de Moimenta da Beira traduziu-se em mais um acto solidrio que ps prova a mobilizao dos moimen-tenses para causas sociais. O desafio foi ultrapassado com sucesso e os muncipes aderiram como se esperava.O evento realizou-se a 9 de Outubro, um domingo solarengo que muitas dezenas de pessoas aproveitaram para passar pelo espao, montado no mercado municipal. A venda de vesturio e calado em segunda mo, a preos simblicos, foi o chamariz para aqueles que no resistem s pechin-chas. Por detrs das inmeras bancas de roupa estiveram tambm os voluntrios do Banco Local de Voluntariado (BVL).No total foram vendidos cerca 300 artigos e amealhadas muitas centenas de euros, uma quantia que deixa a vereadora da Aco Social, Alexandra Marques, bastante

    aconteceu

    Alcanar | aconteceu

    satisfeita. A verba ir ajudar famlias do concelho a mitigar as situaes de pobreza em que vivem e a melhorar as condies de vida, nomeadamente habitacional.

    Os artigos que ficaram nas prateleiras tero ainda outras oportunidades para serem ven-didos. A data ainda no est decidida, mas a terceira Feira Social dever ocorrer durante o primeiro semestre do prximo ano.

  • | 05

    Centena e meia de alunos e familiares do antigo Externato Infante D. Henrique de Moimenta da Beira estiveram presentes em mais um encontro anual, o stimo, que se realizou este ano a 10 de Setembro. O prximo, ficou marcado para dia 15 de Setembro de 2012.O evento tem permitido a partilha de momentos e recordaes entre todos os que frequentaram o Externato. E foram muitas geraes de moimentenses que passaram e formaram-se nos bancos daquele estabelecimento de ensino privado, criado em 1943 pelo dr. Joo Alves de Lima Gomes e mais tarde adquirido e dirigido pelo padre Antnio Bento da Guia, dr. Amadeu Baptista Ferro e dr. Antnio Lemos Gomes.Jovens provenientes dos concelhos vizinhos de Sernancelhe, Tabua-o, Armamar, Vila Nova de Paiva, Tarouca, entre outros, frequenta-ram tambm o antigo Externato e, muitos deles marcaram tambm presena no convvio deste ano.O programa teve incio s 9h30 com a concentrao no auditrio mu-nicipal e, s 10h30 houve uma prova de vinhos na Praceta Coman-dante Requeijo. s 11h15, visitas Feirinha da Terra, biblioteca e ao pavilho. O almoo convvio, s 13h00, e a tarde recreativa e de convvio, tiveram lugar na escola secundria.

    Foi a primeira desfolhada a animar uma Feirinha da Terra, evento que se realiza, desde a estreia, no espao do Mercado Municipal. Dezena e meia de homens e mulheres do Grupo Etnogrfico e Folclrico Quando os Lobos Uivam, fundado no lugar do Senhor dos Aflitos, em Caria, recuperaram uma tradio secular dos campos e do trabalho agrcola, e animaram a Feirinha de 10 de Setembro,

    dia em que a iniciativa recebeu cerca de duas centenas de alunos do antigo Externato Infante D. Henrique, que se reuniram para mais um encontro anual em Moimenta da Beira.A desfolhada decorreu ao ritmo e ao som do Grupo de Concertinas da mesma agremiao de Caria. O pblico, esse gostou e aplaudiu.

    Encontro de alunos do antigo Externato

    Desfolhada anima Feirinha da Terra

    A freguesia de Caria recebeu no dia 21 de Agosto mais um festival de folclore, o quinto, um evento que animou e que foi um genuno desfile de usos, costumes e ritmos bem tradicionais. Participaram quatro grupos que garantiram animao durante toda a tarde: o Grupo Etnogrfico e Folclrico Quando os Lobos Uivam, o

    Grupo Etnogrfico da Granja do Tedo, o Rancho Etnogrfico Neveiros de Montejunto e o Grupo Folclrico Humanitrio de Sesimbra. O festival decorreu no lugar dos Senhor dos Aflitos junto sede da Associao Lobos Uivam, a promotora da iniciativa.Os organizadores garantem repetio em 2012.

    Festival de Folclore em Caria

    aconteceu

    aconteceu | Alcanar

  • Perto de 1650 alunos do ensino pblico, dos quais 197 do pr-escolar, 412 do primeiro ciclo, 251 do 2 ciclo, 368 do 3 ciclo, 317 do ensino secundrio, 54 do CEF e 48 dos cursos profissio-

    nais do concelho de Moimenta da Beira, regressaram s aulas a 12 de Setembro, dia de apresen-taes. As actividades lectivas normais para todos os nveis de ensino iniciaram-se a 13.

    A 14 foi a vez da Escola Profissional Tecnolgica e Agrria a abrir portas. Foram mais 163 alunos a retomar as aulas neste estabelecimento de ensino cooperativo que est a

    comemorar duas dcadas de existncia. Ao todo, entre o p-blico e o cooperativo, somam-se 1810 estudantes.

    Abertura do ano lectivo com 1810 alunos

    Cerca de um milhar de pes-soas passaram pela I Feira de Caa da Nave, em Alvite, no dia 7 de Agosto, onde pela primeira vez foi realizada uma prova de trabalho de co coelheiro.Num campo fechado com cerca de 1000m2 foram recriadas as condies naturais para a prova que contou com 40 parelhas de ces a concurso. Coube ao jri avaliar o desempenho e astcia dos animais na caa ao coelho.Para alm destas provas que atraram participantes de todo o pas, houve ainda uma exposio relacionada com a actividade cinegtica, que decorreu no campo de futebol da vila. No re-

    cinto mais de 300 ces de caa estiveram venda, aos quais se juntou uma mostra da fauna selvagem com o coelho bravo, a perdiz vermelha e o javali.No discurso de abertura da feira, o presidente da autarquia Jos Eduardo Ferreira realou a mais-valia econmica do evento que promete repetir-se no prximo ano. Devemos continuar a divertir-nos com a caa mas devemos tambm aproveit-la do ponto de vista econmico porque esta uma regio privilegiada. De acordo com o autarca o certame valoriza acima de tudo os recursos do territrio. A caa um bem econmico com um

    Feira de Caa da Nave em Alvite

    Alcanar | aconteceu

    valor significativo e um factor de valorizao da nossa zona. Temos belssimas serras, temos de aproveitar os nossos recursos

    e integr-los nos roteiros tursti-cos, afirmou.

  • | 07

    A Fundao Aquilino Ri