Amiguinhos ling port-4

of 152/152
Mais de mil autocolantes divertidos e coloridos, especial- mente concebidos para serem colocados nos trabalhos das crianças, de modo a estimular a aquisição de conhecimentos, competências e valores. Caderno de Autocolantes Capa mole A4 Férias - Passaporte do 4.º para o 5.º ano Dois livros em jaqueta de plástico, para as férias. Inclui um Livro de Actividades (que permite à criança consolidar os conhecimentos do ano lec- tivo anterior e preparar-se para o seguinte) e um Álbum de Férias (no qual, em integração com o Livro de Actividades, a criança se diverte criando registos das suas férias). Capa mole com jaqueta de plástico 32 págs. + 32 págs. cada A4 Hello, Kids! Livro do Aluno: Capa mole com jaqueta de plástico 64 págs. A4 Inclui CD áudio Pasta do Aluno: Inclui Livro do Aluno, CD Áudio e Livro de Actividades Concebido para que as crian- ças aprendam facilmente uma língua estrangeira, este é um projecto completo e dinâmico que vai ao encon- tro da actual política de im- plementação do ensino da Língua Inglesa nas escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Acompanha e ajuda as crian- ças a progredir durante o ano escolar nas competências da Matemática e da Língua Por- tuguesa. Em cada ficha, uma estrutura muito clara: exem- plos, explicação e exercícios com diferentes graus de difi- culdade. Inclui soluções e conselhos para os pais. 10 Minutos Com o Seu Filho 4.º Ano Capa mole 32 págs. A4
  • date post

    18-Dec-2014
  • Category

    Education

  • view

    8.794
  • download

    5

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Amiguinhos ling port-4

  • 1. 10 Minutos Com o Seu Filho 4. Ano Acompanha e ajuda as crian- as a progredir durante o ano escolar nas competncias da Matemtica e da Lngua Por- tuguesa. Em cada ficha, uma estrutura muito clara: exem- plos, explicao e exerccios com diferentes graus de difi- culdade. Inclui solues eFrias - Passaporte do 4. para o 5. ano conselhos para os pais.Dois livros em jaqueta de Capa moleplstico, para as frias. Inclui 32 pgs.um Livro de Actividades (que A4permite criana consolidaros conhecimentos do ano lec-tivo anterior e preparar-se parao seguinte) e um lbum deFrias (no qual, em integraocom o Livro de Actividades,a criana se diverte criandoregistos das suas frias).Capa molecom jaqueta de plstico32 pgs. + 32 pgs. cada Hello, Kids!A4 Concebido para que as crian- Livro do Aluno: as aprendam facilmente Capa mole uma lngua estrangeira, este com jaqueta de plstico um projecto completo e 64 pgs. dinmico que vai ao encon- A4 tro da actual poltica de im- Inclui CD udioCaderno de Autocolantes plementao do ensino da Pasta do Aluno: Lngua Inglesa nas escolas do Inclui Livro do Aluno,Mais de mil autocolantes 1. Ciclo do Ensino Bsico. CD udio e Livro de Actividadesdivertidos e coloridos, especial-mente concebidos para seremcolocados nos trabalhos dascrianas, de modo a estimulara aquisio de conhecimentos,competncias e valores.Capa moleA4
  • 2. Aos Professores, Pais e Educadores Ao darmos continuidade ao projecto AMIGUINHOS, pensmo-lo como um instrumentofacilitador de trabalho, complementar a todo o processo de ensino-aprendizagem. O projecto articula as trs principais reas curriculares Lngua Portuguesa, Matemtica eEstudo do Meio e as propostas de trabalho, quer dos manuais, quer das fichas, tmpor base nove unidade temticas, comuns a todo o projecto, promovendo uma efectivainterdisciplinaridade. Organizado em torno de nove temas transversais, o Manual de Lngua Portuguesaapresenta uma estrutura e prope um caminho pedaggico prprios. Todos os textos so trabalhados em trs rubricas principais, ao longo de quatro pginas: ANTES DO TEXTO atravs de exerccios diversificados, so criadas situaes depr-leitura, proporcionando ao aluno uma antecipao da temtica, criando apetncia ecuriosidade para a leitura do texto. DENTRO DO TEXTO apresentado um texto, seguido de um conjunto diversificadode questes que favorecem a apropriao do sentido do mesmo. ALM DO TEXTO conduz o aluno a exerccios que extrapolam o sentido do textosendo apresentado, logo de seguida, um novo texto RELACIONAR TEXTOS , prefe-rencialmente num registo diferente do primeiro, permitindo-lhe estabelecer comparaes,identificando semelhanas e diferenas e, ao mesmo tempo, tomar contacto com diver-sas formas de comunicao: banda desenhada; pintura; programas; horrios, etc. A rubricaGRAMATICANDO surge aps a explorao dos dois textos e, de uma forma articulada,permite ao aluno a aquisio de conhecimentos na rea do funcionamento da lngua,com exerccios de aplicao. A rubrica termina com uma proposta de PRODUO DETEXTO, procurando que o aluno aplique os conhecimentos adquiridos, potenciando, deuma forma motivadora, a sua criatividade. Cada unidade termina com o SER QUE J SEI?, rubrica organizada na linha das pro-vas de aferio na qual se sistematizam conhecimentos e onde o aluno, atravs da auto--avaliao, tomar conhecimento das suas eventuais dificuldades e da sua posturarelativamente a algumas atitudes e comportamentos. Como complemento ao Manual, oferecido ao aluno um Caderno de Biografias levando-o, de uma forma interactiva, a conhecer alguns dos nossos escritores infanto--juvenis , assim como um conjunto de Fichas de Avaliao Trimestral. Gostaramos de salientar e agradecer a participao de dois conceituados escritores lvaro Magalhes e Lusa Ducla Soares que escreveram, cada um, nove textos inditospara a abertura das unidades temticas, enriquecendo este instrumento de trabalho coma sua notvel criatividade, ritmo e sensibilidade, que certamente faro as delcias dosnossos alunos, abrindo-lhes horizontes para o gosto pela leitura e pela escrita. Trata-se, certamente, de um projecto potenciador de boas prticas, proporcionando ogosto pela descoberta da aprendizagem. Desejamos a todos um bom trabalho. Os Autores
  • 3. Pginas exemplificativas do ManualAntes do texto Alm do textoCriao de apetncia Exerccios de articulaoe curiosidade para de conhecimentosa leitura do texto. e competncias, fazendo a ligao ao quotidiano e a situaes concretas.Dentro do textoLeitura do textoe exerccios de interpretao. Relacionar textos Propostas de textos num registo diferente do primeiro,Procura no dicionrio permitindo estabelecerEstmulo para a pesquisa comparaes.no dicionrio.GramaticandoIntroduo e prticados tpicos essenciaisdo funcionamento da lngua. Produo de texto Tpicos para a prtica deSou cidado escrita criativa, comRubrica temtica reservada motivao para a utilizao reflexo e educao cvica. das novas tecnologias. Auto-avaliao e avaliao de outras competncias.Ser que j sei?Exerccios de sistematizaoe reviso, organizados nalinha das provas de aferio,que proporcionam umaavaliao formativano final de cada unidade. Estmulo para o auto-conhecimento e para a partilha de procedimentos.
  • 4. PROGRAMAO Lngua Portuguesa 4.o ano TEXTOS ACTIVIDADES UNIDADES PGS. FICHAS CONTEDOS DE APOIO TRANSVERSAIS Os amigos O regresso 6 Ficha 1 Gramaticando: Elaborao de um CARTAZ regressam O regresso s 8 o texto potico e o poema para afixar na sala de aula aulas o texto oral e o texto escrito onde constem os principais (Setembro) Conversa 10 Ficha 2 Produo de texto: direitos e deveres dos alu- (Pgs. 6 a 13) nos. amena com apresentao os alunos Sou cidado: Notcia 12 elaborao de um regulamento de turma Os amigos O esqueleto 14 Ficha 3 Gramaticando: A partir da planta da sala dee o seu corpo ambulante expanso da frase aula e da escola (pode ser O esqueleto 16 reduo da frase feita pelos alunos), elaborar (Outubro) inquieto frase afirmativa e frase negativa um PLANO DE EVACUA- (Pgs. 14 a 29) mobilidade dos elementos da O de emergncia, com a Texto informativo 18 Ficha 4 Grelha de 20 frase indicao da sinaltica de programao Produo de texto: sada e ponto de encontro. Negra 22 Ficha 5 narrativa Receita culinria 24 apresentao de um programa televisivo Esprito 26 Ficha 6 desportista pesquisa e investigao sobre desporto Cartaz 28 informativo Sou cidado: Ser que j sei? reflexo sobre o respeito pela (Pgs. 30 a 33) diferena Os amigos E Portugalera 34 Ficha 7 Gramaticando: VISITA DE ESTUDO a um uma vez significado das palavras. monumento escolhido nahistoriadores Assim nasceu 36 Sinnimos turma com interesse histri- (Novembro) Portugal consulta do dicionrio co local ou nacional. (Pgs. 34 a 53) Ficha 8 relao de significado entre as Voar em 38 Guimares palavras. Antnimos Folheto 40 famlia de palavras informativo sinais de pontuao e auxiliares O milagre das 42 Ficha 9 de escrita rosas Produo de texto: As rosas brancas 44 dilogo sobre a formao de do Natal Portugal As naus de verde 46 Ficha 10 narrativa de um sonho pinho reconto de uma lenda Bartolomeu 48 entrevista sobre o 25 de Abril marinheiro Ficha 11 Sou cidado: Ser que j sei? Era a liberdade! 50 reflexo sobre preveno (Pgs. 54 a 57) Banda 52 rodoviria desenhada Os amigos Um cubo de 58 Ficha 12 Gramaticando: TRABALHO DE GRUPO e os gelo friorento nomes comuns e nomes com informaes recolhidas A chover e a 60 prprios sobre os principais rios e fenmenos fazer sol nomes colectivos elevaes de Portugal. da Natureza Histria de uma 62 Ficha 13 nome: variao em gnero e (Dezembro) gota de gua nmero (Pgs. 58 a 73) Previso 64 nome: variao em grau meteorolgica Produo de texto: Lenda da serra 66 Ficha 14 pesquisa sobre a chuva da Estrela narrativa de uma aventura Peguei na serra narrativa de uma aventura 68 da Estrela espacial O circo da Lua 70 Ficha 15 Sou cidado: Ser que j sei? reflexo sobre a amizade Fases da Lua 72 (Pgs. 74 a 78)
  • 5. TEXTOS ACTIVIDADES UNIDADES DE APOIO PGS. FICHAS CONTEDOS TRANSVERSAIS Os amigos Na praia da 78 Ficha 16 Gramaticando: Construo de uma MAQUE- entre a terra Gal adjectivos qualificativos TA em pasta de papel*, e o mar A nau Aventura 80 seleccionar adjectivos representando os principais Uma onda 82 Ficha 17 adjectivo: variao em gnero, aspectos da costa estuda- (Janeiro) curiosa nmero e grau dos, colocando um farol no (Pgs. 78 a 89) local mais adequado. Notcia Praias 84 Produo de texto: mais limpas continuao de uma histria A menina 86 Ficha 18 concluso de um conto do mar Sou cidado: * Pasta de papel (ver manual Ser que j sei? Texto cientfico 88 elaborao de um cartaz sobre de Estudo do Meio do 3. (Pgs. 90 a 93) as espcies marinhas ano, pg. 72) Os amigos Os caminhos da 94 Ficha 19 Gramaticando: Realizao de uma ENTRE- minha vida numerais cardinais e ordinais VISTA ao presidente da cidados A histria do 96 pronomes pessoais Junta de Freguesia (ou se do Mundo senhor Pascoal determinantes e pronomes possvel ao vereador(a) da (Fevereiro) 98 Ficha 20 educao) sobre os princi- O que a Sou cidado: (Pgs. 94 a 101) cidadania? descrio de uma profisso pais problemas existentes Os direitos das 100 na comunidade. Elaborar Sou cidado: crianas previamente um guio. Ser que j sei? reflexo sobre direitos e deveres (Pgs. 102 a 105) Os amigos A pequena 106 Ficha 21 Gramaticando: Elaborao de um DOS- cientista verbo: flexo em pessoa SIER com as experincias adoram O perguntador 108 e nmero realizadas na aula, com oexperincias verbo: flexo em tempo respectivo registo escrito e O engenhocas 110 Ficha 22 (Maro) conjugaes verbais fotogrfico das diversas eta- do meu bairro (Pgs. 106 a 115) Colossos de 112 Produo de texto: pas. ferro descrio de uma experincia Cientista 114 Ficha 23 descrio de um invento Ser que j sei? O que h atrs 116 (Pgs. 118 a 121) da porta? Os amigos Duas 122 Ficha 24 Gramaticando: Elaborao de um FOLHE- sementes ditongos: sons voclicos oraise a produo TO TURSTICO da localidade, Poema aos 124 e nasais nacional agricultores ditongos nasais e orais. Dgrafos com indicao dos principais (Abril) pontos de interesse, fotogra- O diabo e o 126 Ficha 25 onomatopeias fias, roteiro,etc. (Pgs. 122 a 133) lavrador Produo de texto: O que um 128 escrita e leitura de um poema conto popular? narrativa e ilustrao de uma O caranguejo 130 Ficha 26 aventura em frias Sou cidado: Ser que j sei? Frias na Serra 132 reflexo sobre o egosmo (Pgs. 134 a 137) da Estrela Ficha 27Os eco-amigos A Terra est 138 Ficha 28 Gramaticando: Aproveitando o Dia Mundial doente a frase: funes sintcticas do Ambiente (5 de Junho), em aco O antiecologista 140 a slaba: slaba tnica e slaba escrever MENSAGENS alu- (Maio) na praia tona sivas sua preservao. (Pgs. 138 a 149) 142 Ficha 29 acento grfico e acento fnico. Distribu-las pela comunida- O incndio Um fsforo? 144 Sinais grficos de acentuao de educativa. Produo de texto: A poluio 146 Ficha 30 elaborao de uma banda Rio na sombra 148 desenhada conversa entre animais Sou cidado: Ser que j sei? reflexo sobre a preservao do (Pgs. 150 a 152) ambiente
  • 6. Os amigos regressam Antes do texto Entrevista o(a) teu(tua) colega mais prximo(a) e regista a entrevista no teu caderno. Apresen- ta-o(a) turma, baseando-te nos dados que recolheste sobre ele(a). nome idade cor preferida animal de estimao actividades desportivas programas de visitas de estudo interessantes leituras preferidas televiso favoritos projectos de escola organizao de exposies outros Dentro do texto O regresso Adeus frias, dias compridos de sol e brincadeira pegada. Passaram a correr, sem eu dar por nada e agora regresso mais uma vez escola, onde ainda tenho muito que aprender. A vida assim. Tudo acaba para poder, mais tarde, recomear. Como se apaga a noite para o Sol brilhar, e se apaga depois o dia para que a noite volte a estender as estrelas no lenol do ar. 5 A Terra d uma volta todos os dias e ns, que estamos nela, damos tambm. E dessas voltas se faz a vida que cada um tem. tambm por isso que no primeiro dia de aulas de cada ano tudo igual, pelo menos parecido, ao que havia no ano anterior. muito tranquilizador. E tambm 10 tudo diferente (livros, salas, carteiras, colegas, empregados, professores). assustador. No primeiro dia de aulas, h o cheiro e o sabor das coisas novas, prontas a estrear, e tambm o das outras, j conhecidas, e que15 adoramos reencontrar. nossa espera est tudo o que ainda iremos saber, seja isso o que for. E muitas coisas que espreitam: a amizade, a partilha, a brincadeira, e talvez o primeiro amor. lvaro Magalhes (texto indito) Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces. 6 _____ /_____ /_____
  • 7. 1. Assinala a opo correcta. O texto refere-se ao regresso: s frias. a casa. escola. Justifica a tua escolha, transcrevendo uma frase do texto. __________________________________________________________________________________________________________2. Assinala a opo correcta. No segundo pargrafo do texto, o narrador refere que na vida: tudo comea mas nunca acaba. tudo o que comea acaba e volta a repetir-se como um ciclo. Concordas com o narrador? Justifica a tua resposta. __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________3. Completa, de acordo com o terceiro pargrafo do texto. tudo ______________ , ou parecido, ao ano muito _________________ . anterior. No primeiro dia tudo _____________________________ (livros, de aulas _________________ , carteiras, ________________ , muito _________________ . _________________ , _________________).4. Assinala as opes correctas. No primeiro dia de aulas h o cheiro e o sabor das coisas: velhas. conhecidas. novas, prontas a estrear.5. Transcreve do texto a frase que diz respeito ao relacionamento entre os colegas de escola. __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________6. D um outro ttulo ao texto (lembra-te que um bom ttulo deve ser curto e sugestivo, pois deve exprimir o essencial da histria em poucas palavras). _______________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 7
  • 8. Alm do texto O que esperas encontrar neste novo ano escolar? ______________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________ O regresso s aulas Adeus frias do Vero, Ah, vou brincar no recreio, adeus campos, adeus mar! fartar-me de conversar. Chegou o ms de Setembro, Vou descobrir coisas novas est na hora de voltar. na aventura de estudar. A porta da escola abriu Adeus frias do Vero, de manh, de par em par, adeus campos, adeus mar! e l esperam meus amigos J tinha tantas saudades, prontos para me abraar. como bom, to bom voltar. Lusa Ducla Soares Como a professora (texto indito) que agora me vai calhar? Irei ter a mesma sala ou acham que irei mudar? Compara este texto com o da pgina 6 e responde no teu caderno. 1. Transcreve as duas palavras com as quais os dois autores iniciam os seus textos. 2. Em ambos os textos, os autores despedem-se das frias porque algo est para chegar. Transcreve os versos deste poema que fazem referncia a esse acontecimento. 3. Como pensa a narradora do poema que vai ser recebida pelos amigos? Justifica a tua resposta com os versos adequados. 4. Como bom, to bom voltar, diz a narradora. E tu, como te sentes? Escreve uma expresso que traduza os teus sentimentos ao regressares escola.8 _____ /_____ /_____
  • 9. O texto potico e o poema H textos em prosa, sem versos, a que chamamos textos poticos porque transmitem ideias de forma agradvel e com ritmo. No texto potico descobrimos novos sentidos para as palavras. 1. Rel o texto da pgina 6 (linha 4) e explica o sentido das seguintes expresses: a) e se apaga depois o dia _________________________________________________________________________________________________ b) para que a noite volte a estender as estrelas no lenol do ar. _________________________________________________________________________________________________ Num poema tambm h liberdade para inventarmos novos sentidos para as palavras, mas estas esto agrupadas de forma diferente: em versos e estrofes. Cada linha de um poema um verso. Cada grupo de versos chama-se estrofe. A uma estrofe com quatro versos d-se o nome de quadra. Nos poemas, muitas vezes, h rima (sons que se repetem). 2. Rel o texto da pgina 8. 2.1 Transcreve: um verso uma quadra 2.2 Transcreve, de cada quadra do poema, as palavras que rimam. ___________________ e ___________________ ___________________ e ___________________ ___________________ e ___________________ ___________________ e ___________________ ___________________ e ___________________ 2.3 Completa a frase. Neste poema todas as palavras que rimam terminam com o som ___________ . Imagina que s o(a) professor(a) da tua turma. O que dirias aos teus alunos no primeiro dia de aulas? Escreve, no teu caderno, as ideias mais importantes que gostarias de lhes transmitir nesse dia. Podes fazer esta actividade no computador da escola._____ /_____ /_____ 9
  • 10. Antes do texto L o ttulo do texto e relaciona-o com a ilustrao. Dentro do texto Sobe o pano, mais um ano Doze pancadas e sobe o pano. Comea a pea: mais um ano. Pano vazio Que ser? A pea boa? boa ou m? Nunca se sabe, leitor amigo, Mas ouve bem o que te digo. Falando a srio, sem fantasias: Um ano feito de muitos dias. Para lev-lo direito ao fim, Para ganh-lo procede assim: Sempre que um dia novo comea Faz a ti mesmo esta promessa: O dia de hoje vai ser cheio, Horas de estudo ou de recreio, Nas escolas, em casa, por toda a parte, Dia que passa, quero ganhar-te. E mos obra, sem mais demoras, Pensas que h tempo, que no h pressa Que um dia feito de muitas horas. Ah! No te iludas! Vamos, comea! Mas se uma hora for mal gasta, Comea agora! Comea hoje Estraga-se o dia, que tanto basta Que enquanto esperas o tempo foge. Dia aps dia, ms aps ms, Leitor amigo J sobe o pano! L vai o ano e era uma vez! Vive o teu dia! Ganha o teu ano! Esther de Lemos, in revista Janela Aberta Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces.10 _____ /_____ /_____
  • 11. 1. Volta a ler os dois primeiros versos do texto. 1.1 Transcreve-os. ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ 1.2 Assinala a opo correcta. A autora relaciona as doze pancadas com: os dias da semana. os meses do ano. os dias do ms. 1.3 Assinala a opo correcta. O pano sobe porque comea um novo: ano lectivo. dia. ms. Justifica a tua escolha com um verso do texto. _____________________________________________________________________________________________________2. O que aconselha a narradora aos alunos? Transcreve as estrofes correspondentes. ________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________3. Explica, por palavras tuas, o significado das seguintes estrofes: Mas se uma hora for mal gasta, Estraga-se o dia, que tanto basta Dia aps dia, ms aps ms, L vai o ano e era uma vez! __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________4. Transcreve o dstico (conjunto de dois versos) com que a autora termina este poema. ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________5. Assinala o que consideras correcto. O que poderias fazer para rentabilizar o teu dia-a-dia? Fazer s o que te apetece. No ter horrios para cumprir. Planificar o teu dia de modo a poderes cumprir as tuas obrigaes e ocupar os teus tem- pos livres de forma agradvel._____ /_____ /_____ 11
  • 12. Alm do texto Elabora um horrio semanal, de modo a registares as tuas actividades durante esse perodo(tempo lectivo, horrio de estudo, ocupao de tempos livres, horrio para dormir e levantar). Mostra o teu horrio aos colegas e observa os deles. Na China, em certas regies vai-se escola todos os dias, incluindo aos No Paquisto a escola , mui- domingos, desde as 7h00 da tas vezes, ao ar livre ou em manh. Muitos alunos, se moram contentores transformados em longe, ficam na escola e arranjam a escolas. sua prpria comida uma tigela de arroz por dia. Na Bolvia h meninos que percorrem muitos quilmetros a p ou de bicicleta para irem Em Portugal, como em muitos outros escola. pases do mundo, todas as crianas tm direito educao e esta obri- Em Madagscar, muitas esco- gatria at ao 9.o ano de escolaridade. las no tm portas nem janelas J h poucos meninos a sentir srias e os meninos no tm material dificuldades em ir escola. escolar. Revista Amiguinho n.o 228, Setembro de 2005 (adaptado) Compara este artigo sobre a escola no Mundo com o texto da pgina 10 e responde no teu caderno. 1. De que tratam os dois textos? 2. O artigo refere que: ir escola uma tarefa fcil para todas as crianas do mundo. em muitas regies do mundo difcil ir escola. 3. Sentes algumas destas ou outras dificuldades? Refere quais. 4. Todas as crianas tm direito educao. Concordas com esta afirmao? Justifica a tua resposta.12 _____ /_____ /_____
  • 13. O texto oral e o texto escrito Um texto tudo aquilo que dizemos e ouvimos (texto oral), mas tambm tudo o que lemos e escrevemos (texto escrito). 1. Escreve, em cada balo de fala, o que imaginas que dizem os meninos da imagem. ____________________ ____________________________________________ ________________________________________________ ________________________ _______________ _______________ 2. Liga correctamente. Quando lemos ou escrevemos texto oral a mensagem nos bales de fala. Quando os meninos falam ou texto escrito ouvem. 3. Atribui um ttulo imagem. Regista-o. ___________________________________________________________________________________ Um regulamento de turma um documento negociado entre alunos e professor(a), no qual constam os direitos e os deveres que todos devem cumprir e fazer cumprir para que, ao longo do ano, possa haver bom relacionamento e bom ambiente de trabalho. Em trabalho de grupo, elabora uma proposta do regulamento da turma. Podes fazer esta actividade no computador da escola._____ /_____ /_____ 13
  • 14. Os amigos e o seu corpo Antes do texto Como podes corrigir a tua postura para evitar deformaes sseas? Assinala as atitudes correctas.Aproximar a cadeira da No carregar a mochila de Andar sempre com a No cruzar as pernas emesa e apoiar bem as um s lado do corpo, mas cabea inclinada para apoiar bem os ps nocostas no encosto. como mostra a figura. baixo. cho. Dentro do texto O esqueleto ambulanteA menina Catarina, Nas costas magras, s tiras,olhem, s tem pele e osso. j lhe contei as costelas,Para ficar elegante todas presas colunano come nada ao almoo. que salta no meio delas.Ningum a quer namorar Furou as luvas de lporque pica como um espeto. com a fina falangeta.Mas boa para estudar Os ossos do cotoveloa lio do esqueleto. rasgaram-lhe a blusa preta.Seus olhos negros, to negros, No tem barriga da pernaso estrelinhas metidas mas a tbia e o perniono fundo de duas rbitas ai, do cada canelada,descarnadas e sadas. so levados do demnio.Em vez da ma do rosto Se no costuma almoar,s tem o osso malar ao menos, menina, jante.e l, no lugar do queixo, No queira ficar assimv-se bem o maxilar. um esqueleto ambulante.As omoplatas parecem Lusa Ducla Soaresdois poleiros ideais. (texto indito)Neles pousam tardinhaos pombos e os pardais. Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces.14 _____ /_____ /_____
  • 15. 1. A quem se refere a expresso esqueleto ambulante? __________________________________________________________________________________________________________2. Assinala as expresses sinnimas de esqueleto ambulante. trinca-espinhas fala-barato cara-de-pau magricela palito pele e osso3. Como que a menina Catarina consegue ficar to magra? Transcreve o verso que justifica a tua resposta. ________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________4. Por que refere a autora que a Catarina boa para estudar a lio do esqueleto? __________________________________________________________________________________________________________5. Faz o retrato fsico da Catarina, utilizando expresses do texto. __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________6. Transcreve a quadra onde a autora refere a magreza das costas da Catarina. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________7. Refere alguns conselhos que darias Catarina para ela melhorar a sua condio fsica. __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 15
  • 16. Alm do texto O que para ti uma alimentao equilibrada? _________________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________________ O esqueleto inquieto Era uma vez um esqueleto que vivia numa sala de aulas, sempre quieto, sem ter nada que fazer. Tinha sido o esqueleto de algum que no gostava de estar quieto e custava-lhe estar ali assim, sem se mexer. Um dia, no intervalo das aulas, saiu disparado para o recreio, onde os rapazes jogavam 5 bola com alarido e fervor. Tinha saudades, coitado. Parece que, em tempos, tinha sido o esqueleto de um grande jogador. Os rapazes que no acharam graa e fugiram a correr. Haviam de os ver. Todos grita- vam e nenhum foi capaz de olhar para trs. S ficou a bola, que no tinha pernas. Ainda tentou rolar, mas o esqueleto foi atrs dela e aplicou-lhe um pontap. Zs!10 Foi um chuto em cheio, fenomenal, e esse que foi o mal. Foi a bola e foi o p, com os seus vinte e seis ossinhos, mais uma tbia, uma rtula, um pernio, e tambm uma clavcula. Os ossos do esqueleto espalharam-se no recreio. Havia vrias costelas, um fmur, um cbito, um rdio e uma omoplata. A coluna vertebral ficou no meio. Tivemos de apanhar os ossos e remontar o esqueleto para a professora no se zangar.15 Ele tinha vindo pelos prprios ps, mas quem iria acreditar? Foi uma trabalheira fenomenal, mas quando tocou a campainha s faltava uma vrtebra dorsal. Tinha-a levado o Pintas, que o co da escola. Trouxemos outro que estava na casota dele, meio abandonado. Era um osso rodo, j em mau estado. Cheirava um bocadinho mal, mas ficou muito bem a fazer de vrtebra dorsal.20 E pronto, o esqueleto estava outra vez de p, quieto, muito parado, talvez arrependido, ou talvez dorido e magoado. Quanto bola, nunca mais a vimos. Desapareceu. Que grande pontap! Este esqueleto foi de certeza o esqueleto de um grande joga- dor, disse eu. Depois olhei 25 para ele e vi-o sorrir, satisfeito, com os dentes todos mostra. lvaro Magalhes (texto indito) Compara este texto com o da pgina 14 e responde no teu caderno. 1. Identifica a personagem principal de cada texto. 2. Que relao existe entre os dois textos?16 _____ /_____ /_____
  • 17. Expanso da frase O grupo nominal (GN) e o grupo verbal (GV) so elementos essenciais na frase e, como tal, no se podem retirar. Quando expandimos uma frase acrescentamos-lhe grupos de palavras que a enriquecem e que so respostas s seguintes perguntas: O qu? Quando? Onde? Como? Porqu? 1. Consulta as linhas 4 e 5 do texto O esqueleto inquieto e completa a frase. O qu? ____________________________________________ Os rapazes jogavam Como? ____________________________________________ 2. Expande as frases, tornando-as mais ricas e esclarecedoras. a) Os rapazes jogavam ___________________________________ ___________________________________ . b) Os rapazes jogavam bola ______________________________________________________________ . 3. Acrescenta frase Um dia o esqueleto saiu as expresses do quadro: para o recreio. disparado. no intervalo das aulas. a) Como? Um dia o esqueleto saiu ______________________________________________________ . b) Para onde? Um dia o esqueleto saiu _________________________________________________ . c) Quando? Um dia o esqueleto saiu _______________________________________________________ . Quando o esqueleto viu o Pintas, sorriu com todos os dentes mostra. O co que no achou graa nenhuma e Escreve, no teu caderno, uma histria imagi- nando o que teria acontecido. Podes fazer esta actividade no computador da escola._____ /_____ /_____ 17
  • 18. Antes do texto Um texto explicativo ou informativo explica um assunto ou fornece informaes sobre ele. Assinala os textos que so explicativos/informativos. receita de cozinha poesia regras de um jogo conto folheto de instrues lengalenga Dentro do texto _____________________________________________________________ So os ossos, os msculos e a pele que do forma ao nosso corpo. Eles funcionam comouma estrutura firme e flexvel. Apesar de todos termos a mesma estrutura, a nossa pele, cor eforma do corpo variam tanto que no h duas pessoas exactamente iguais. O esqueleto suporta o peso do nosso corpo e de tudo o que trans- portamos connosco. Msculos poderosos puxam os nossos ossos para nos podermos mover e virar em vrias direces. A cobrir os msculos est o maior rgo do corpo a pele. Na idade adulta, ela pesa cerca de 5 kg. Atra- vs dela podemos sentir calor, frio, forma, textura e tambm dor. Juntos, a pele, os msculos e os ossos protegem as vsceras, no interior do corpo. Adaptado de Corpo Humano O Corpo Visto Por Dentro, Texto Editores Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces.18 _____ /_____ /_____
  • 19. 1. Que ttulo atribuirias ao texto anterior? Escreve-o no local apropriado.2. De onde foi retirado o texto? ___________________________________________________________________________________________________________3. Este um exemplo de um texto explicativo ou informativo. Explica porqu. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________4. De acordo com o texto, indica o que d a forma ao nosso corpo. ___________________________________________________________________________________________________________5. Por que razo no h duas pessoas exactamente iguais? ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________6. Completa o crucigrama. 1 1. Suporta o peso do corpo. 2. o maior rgo do corpo humano. 4 3. Peso aproximado da pele, em kg. 4. Facilitam o movimento dos ossos em vrias direces. 2 37. O que podemos sentir atravs da pele? ___________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________8. Os msculos, os ossos e a pele tm uma funo protectora. Indica o nome de alguns rgos que so protegidos por estes trs elementos. __________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________9. D exemplos de alguns textos explicativos e/ou informativos que costumes ler ou consultar. ___________________________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 19
  • 20. Alm do texto O teu corpo um bem precioso que tens na vida. Depende de ti trat-lo bem. Escreve o que fazes diariamente para cuidar do teu corpo. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ L a programao de televiso apresentada e responde no teu caderno. 1. Se quisesses aprender algo mais sobre o teu corpo, qual seria o programa de televiso que escolherias? Regista o seu nome e horrio. 2. Qual a durao do programa que escolheste? 3. Que assuntos pensas que seriam tratados nesse programa? 4. Desta programao, quais seriam os teus programas preferidos? Justifica a tua escolha.20 _____ /_____ /_____
  • 21. Reduo da frase Quando reduzimos uma frase, retiramos-lhe grupos de palavras, reduzindo-a aos seus elementos essenciais: o grupo nominal (GN) e o grupo verbal (GV). 1. Repara na seguinte frase: O esqueleto humano constitudo por 206 ossos que se encontram ligados. 1.1 Retira da frase anterior o grupo de palavras que no essencial e reescreve-a. _____________________________________________________________________________________________ 1.2 O que aconteceu ao sentido da frase? Alterou-se completamente. No se alterou. 2. Reduz agora as frases seguintes aos seus elementos essenciais. a) O Jornal da Tarde transmite notcias, tanto nacionais como estrangeiras. _______________________________________________________________________________________________ b) O Corpo Humano um documentrio sobre o funcionamento dos rgos. _______________________________________________________________________________________________ 3. L a frase seguinte: O esqueleto inquieto estava numa sala de aula. 3.1 Reescreve a frase, retirando as palavras destacadas. _____________________________________________________________________________________________ 3.2 O que aconteceu frase? _____________________________________________________________________________________________ 3.3 Os elementos que foram retirados so: essenciais. facultativos. Justifica a tua escolha. _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ Imagina que s o(a) apresentador(a) de um programa de televiso. Constri um texto introdutrio que sirva para apresentar, em poucas palavras, tudo o que se vai poder ver durante o programa. Podes fazer esta actividade no computador da escola._____ /_____ /_____ 21
  • 22. Antes do texto Procura, no dicionrio, o significado da palavra melanina. Conversa, na tua turma, sobre o modo como esta palavra se relaciona com o ttulo do textoque se segue. Dentro do texto Negra Vs chamais-me moreninha Mas eu morena no sou, Sou to negra como a noite E a estrada por onde vou. Tenho olhos de azeitona, Minha pele de pantera, Meu corpo tem um traado gil e negro de fera. Negra frica me corre Dentro das veias, num rio. S o meu sorriso branco Como as velas de um navio. No me chamem moreninha Porque eu morena no sou, Sou negra como o orgulho De ser aquilo que sou. Lusa Ducla Soares, A Cavalo no Tempo, Livraria Civilizao Editora Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces.22 _____ /_____ /_____
  • 23. 1. Por que nome conhecida a personagem principal deste texto? ___________________________________________________________________________________________________________2. Por que a chamam assim? ___________________________________________________________________________________________________________3. Na primeira quadra, a que se compara a narradora? Porqu? ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________4. Negra frica me corre Dentro das veias, num rio. O que quer dizer a narradora nestes versos? Que gosta do calor de frica. Que tem as suas origens em frica.5. Completa, de acordo com o sentido do texto. A narradora compara os seus olhos com as __________________________________ . O seu sorriso _____________________________ como as velas de um _____________________________ .6. A narradora gosta que lhe chamem moreninha? Justifica a tua resposta com alguns versos do poema. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________7. Risca as palavras que no interessam. O ttulo do texto est / no est adequado ao pensamento da narradora porque ela no sente / sente orgulho de ser como .8. Que mensagem achas que a narradora quer transmitir com este texto? ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________9. Faz o retrato fsico e psicolgico da narradora. ________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 23
  • 24. Alm do texto1. Imagina que chega tua turma um aluno de uma outra nacionalidade. O que farias para que esse colega se sentisse bem integrado? ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________2. Regista um conjunto de questes que gostarias de lhe colocar. _________________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________________ Moreninhas Ingredientes: 1 1 e chvena de farinha 4 1 1 e chvena de acar 4 1 chvena de leite 2 2 colheres de sopa de cacau 3 colheres de sopa de manteiga 2 colheres de ch de fermento raspa de 1 laranja 2 ovos Modo de preparao: Bate-se a manteiga com o acar. Junta-se em seguida a farinha com o fermento e o cacau, alternando com o leite. Bate-se as claras em castelo e adiciona-se massa. Final- mente mistura-se as gemas e a raspa da laranja. Vai ao forno em tabuleiro untado com manteiga e polvilhado com farinha durante cerca de 30 minutos. Quando estiverem cozidas, partem-se aos quadrados e polvilham-se com acar em p. Compara este texto com o da pgina 22 e responde no teu caderno. 1. Por que tero chamado a esta receita Moreninhas? 2. De que forma se relacionam os dois textos?24 _____ /_____ /_____
  • 25. Frase afirmativa e frase negativa afirmativa quando se confirma uma ideia. Ex.: Sou negra como o orgulho Frase negativa quando se nega uma ideia. Ex.: Mas eu morena no sou. Nota: Para reforar a forma negativa, por vezes usamos as palavras nunca, jamais, nem As frases afirmativas e as frases negativas podem transformar-se em frases interrogativas. 1. Completa o quadro. Frase Frase afirmativa- Frase negativa- Frase negativa afirmativa -interrogativa -interrogativa Tenho olhos de No tenho olhos azeitona. de azeitona? No me chamem moreninha. Porque eu morena no sou. Minha pele de pantera? Negra frica me corre. 2. Transforma as seguintes frases em frases negativas. a) Come tudo. ______________________________________________________________ b) Vem comigo. _____________________________________________________________ c) Tem sempre cuidado. _____________________________________________________ d) Vai escola. _________________________________________________________________ Conversa, na tua turma, sobre a seguinte mensagem e, em grande grupo, constri um texto expressando as ideias acerca deste assunto. Podes fazer esta actividade no computador da escola._____ /_____ /_____ 25
  • 26. Antes do texto L o ttulo do texto e conversa, na turma, sobre o seu significado. Regista todos os significados encontrados por ti e pelos teus colegas. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________ Dentro do texto Esprito desportista Um Preparem-se! gritou o rbitro. Dois Ateno! Trs Partida! Joo debruou-se na portinhola, cheio de interesse. No se lembra de ter visto coisa alguma semelhante ao espectculo oferecido pelo seu amigo Manuel, lanado em corrida, a devorar terreno com toda a velocidade das geis pernas, os punhos cerrados, a cabea direita, o rosto 5 contrado A rapidez com que as suas pernas de pegas vermelhas avanavam, o grito dos rapazes e os esforos desesperados das pernas morenas do outro concorrente Depois de vencer a corrida, o Manuel aproximou-se do outro concorrente, com evidente inteno de lhe adoar a sensao de derrota:10 Estou convencido de que ganhei porque as minhas pernas so um pouco mais compri- das do que as tuas. Foi por isso, com certeza. E, alm disso, sou mais velho do que tu trs dias, o que tambm uma vantagem. O outro comeou a sorrir e tomou um ar quase to triunfante como se, na realidade, tivesse ganho a corrida, em vez de a ter perdido. Frances Burnett, O Pequeno Lorde, Colares Editora (adaptado) Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces.26 _____ /_____ /_____
  • 27. 1. Qual a prova desportiva referida no texto? Transcreve uma frase que justifique a tua resposta. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________2. Quem observava tudo isto com muito interesse? ___________________________________________________________________________________________________________3. a devorar terreno com toda a velocidade (linhas 3-4) Explica, por palavras tuas, o significado desta expresso. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________4. Completa, de acordo com o texto. O rapaz corria com as suas geis ________________ , os ________________ cerrados, a ________________ direita e o rosto ________________ .5. O que disse o vencedor da prova ao outro concorrente? ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________6. Achas que foi por esses motivos que ele ganhou a corrida? ___________________________________________________________________________________________________________7. Imagina e escreve algumas hipteses que podero ter levado o Manuel a vencer a corrida. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________8. Qual foi a atitude do concorrente vencido? Zangou-se. Sorriu. Chorou. Gritou.9. Parece-te que o ttulo do texto adequado ao comportamento do menino que perdeu a corri- da? E ao que a ganhou? Justifica a resposta. ___________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 27
  • 28. Alm do texto Escreve o que pensas acerca da afirmao: Perder ou ganhar no importa. O importante participar!____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Compara este cartaz com o texto da pgina 26 e responde no teu caderno. 1. Procura, no dicionrio, o significado da palavra academia. 2. Qual a modalidade desportiva a que se refere o cartaz? 3. Em que ano nasceste? 4. Se quisesses inscrever-te nesta academia, a que escalo pertencerias? 5. De que forma se relacionam o texto Esprito desportista e este cartaz?28 _____ /_____ /_____
  • 29. Mobilidade dos elementos da frase H elementos na frase que podem mudar de lugar sem alterar o sentido dessa frase. 1. L as frases e sublinha: a azul, o sujeito das frases. a vermelho, o predicado das frases. a) Praticar desporto saudvel. b) As pernas so rpidas. c) Os meninos gritavam. d) O vencido foi desportista. 2. Escreve novamente as frases, mudando a posio dos grupos de palavras. a) ______________________________________________________________________________________________ b) _______________________________________________________________________________________________ c) _______________________________________________________________________________________________ d) _______________________________________________________________________________________________ H ainda elementos facultativos (podem ou no existir) e que tambm se podem mover na frase sem alterar o seu sentido. 3. Sublinha o elemento mvel das frases. a) Os alunos correm rapidamente. b) Rapidamente, os alunos correm. c) Os alunos, rapidamente, correm. Investiga sobre uma modalidade desportiva de que gostes e regista as informaes que encontraste: quando e como surgiu, quem foi o seu impulsionador, qual o tipo de espao onde se pratica, que regras lhe esto associadas Podes fazer esta actividade no computador da escola._____ /_____ /_____ 29
  • 30. Ser que j sei?L o texto com muita ateno. Uma histria solta Voltava eu para casa, depois de um dia muito afadigado, e, ao subir a minha rua, que vejo? Um carro de bombeiros, muita gente roda, principalmente garotada, muita gente debruada nas janelas e uma escada que subia, subia, em direco aos telhados. Mudei de passeio, estendi o pescoo, contei os prdios e verifiquei com susto que a escada ia apoiar-se fachada 5 do 3.o andar, esquerdo, que onde eu moro, no sei se j disse. Corri para o amontoado de gente e puxei pela manga do primeiro bombeiro que vi. Fogo? perguntei eu, com voz trmula. No senhor Macaco respondeu ele, e foi ajudar os companheiros. Assim despachada a resposta, sem pausa onde coubesse um ponto final, pareceu-me bastante ofensiva. Ia pedir10 explicaes ao bombeiro e perguntar-lhe, talvez com maus modos, que bicho era ele para me tratar por senhor macaco, quando um garoto, que por ali andava, esquecido dos recados que a me lhe encomendara, me deu os esclarecimentos que me faltavam: Foi o macaco da D. Esmeralda que fugiu para o15 telhado. Andam a ver se o caam. Ah! Ento era isso. Antnio Torrado, Histrias de Animais e Outras Que Tais, Livraria Civilizao EditoraResponde ao que te pedido sobre o texto que acabaste de ler.1. Quem o autor desta histria? ________________________________________________________________________________________________________2. Onde se passa a aco? ________________________________________________________________________________________________________3. O que pensou o narrador que se estava a passar naquele momento? Justifica a tua resposta com uma frase do texto. ________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________30 _____ /_____ /_____
  • 31. 4. Quem o esclareceu sobre o que estava a acontecer? ________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________5. Ah! Ento era isso. (linha 16) Por que ficou o narrador descansado ao ser esclarecido pelo garoto? ________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________L, agora, o seguinte texto. O bombeiro Ele apaga todos os fogos mesmo o do corao da amada. S que esse um fogo doce que ele est sempre a apagar para o voltar a atear. Como ele mesmo diria esse incndio uma alegria. Onde ele no muito bem visto no inferno. L nenhum bombeiro tem hospedagem uma grande vantagem. lvaro Magalhes, Reino Perdido, Edies Asa6. Neste texto o poeta menciona um fogo doce, um incndio que uma alegria. A que se refere o autor? ________________________________________________________________________________________________________7. O poeta brinca com as palavras, dizendo que no inferno nenhum bombeiro tem hospeda- gem (alojamento). Explica porqu. ________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________8. Com este texto o autor pretende relembrar o papel, to importante, dos bombeiros. Refere algumas tarefas executadas pelos bombeiros. ________________________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 31
  • 32. Responde, agora, ao que te pedido sobre o funcionamento da lngua. 9. Reduz as frases, riscando os grupos de palavras que no so essenciais. a) Eu moro no 3.o andar, no sei se j disse. b) O macaco fugiu para o telhado naquela tarde.10. Expande as frases, acrescentando expresses que respondam s questes. a) O bombeiro apaga o fogo Quando? ________________________________________________________________________________________ b) Nenhum bombeiro tem hospedagem Onde?___________________________________________________________________________________________11. Completa o quadro. Frase afirmativa Os bombeiros combatem os incndios. Frase afirmativa-interrogativa Frase negativa Frase negativa-interrogativaAgora vais escrever um pequeno texto no teu caderno.12. Investiga acerca do trabalho realizado pelos bombeiros da localidade onde vives. Escreve um texto que explique: onde se localiza a sua sede; quantas pessoas compem a corporao (qual o nmero de bombeiros que prestam servio de voluntariado); que veculos so usados (e se esto ou no em bom estado de conservao); que tipo de servios prestam comunidade; de que tipo de apoios necessitam; que iniciativas tomam para ultrapassar as suas dificuldades.32 _____ /_____ /_____
  • 33. Auto-avaliao com facilidade. com alguma com muita dificuldade. dificuldade. Li os textos... Compreendi os textos... Respondi s questes de interpretao... Apliquei os conhecimentos sobre o funcionamento da lngua Produzi um texto...Depois de conversares na turma sobre a tua avaliao, indica os aspectos que deves melhorar: ______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Como proceder durante a realizao das fichasde avaliao?Para obteres bons resultados nas fichas de avaliao, h certas regras que deves cumprir. L as opes apresentadase assinala as que melhor traduzem o teu procedimento. Sim No Antes de comear a ficha de avaliao leio todas as perguntas com ateno. Controlo o tempo previsto para a realizao da ficha. Se no entendo uma questo, peo ao() professor(a) que me esclarea. Quando no entendo uma palavra, procuro-a no dicionrio e escrevo o seu significado. Se encontro uma questo mais difcil, deixo-a para o fim para no me atrasar. No final revejo todas as respostas dadas. Se respondeste Sim a todas as questes, tens grande probabilidade de obter bons resultados nas fichas de avaliao, pois s atento(a) e cuidadoso(a). Se respondeste No a algumas questes, deves ser mais atento(a) e seguir os procedimentos acima._____ /_____ /_____ 33
  • 34. Os amigos historiadores Antes do texto Contar e ouvir histrias sempre fez parte da vida do ser humano. Em tempos mais longnquos as histrias eram contadas oralmente pelos mais velhos aos mais novos e assim passavam de gera- o em gerao. No teu caderno, relembra uma histria que tenha tido um significado especial para ti e explica porqu. Dentro do texto E Portugal... era uma vez Em tempos que j l vo, mais ou menos no princpio do sculo XII, ainda no havia Portugal. O que havia ento? Apenas um condado chamado Portucalense e que era gover- nado pelo cavaleiro D. Henrique, que o recebeu de presente do 5 rei de Leo e Castela. E ento? Calma, que a histria mal comeou. D. Henrique tinha um sonho que sempre sonhou. Queria ser rei de um pas que no existia e que s ele via quando percorria a cavalo o seu condado. Lutou por isso, e muito, mas no chegou a10 ver o sonho realizado. E Portugal? Calma, que a histria no acabou. O filho de D. Henrique, o jovem Afonso, sonhou o mesmo sonho que o pai sonhou. E esse sonho era a sua lei: um pas independente, o primeiro da Europa; e ele o seu primeiro rei.15 E assim seria, pois ento. Afonso zangou-se com a me, D. Teresa, que governava o condado. Ela era filha do rei de Leo e Castela, a quem servia; ele queria ver nascer uma nao. Foi um grande sarilho. E quem diria que um pas poderia comear com uma zanga entre me e filho?20 E Portugal? Como que Portugal aconteceu? As tropas de Afonso e as de sua me encontraram-se na batalha de S. Mamede e ele venceu. Foi em 1128, perto de Guimares. Quinze anos depois, pelo Tratado de Zamora, D. Afonso25 Henriques era coroado rei. Foi em 1143 e Portugal era uma vez. lvaro Magalhes (texto indito) Procura no dicionrio o significado das palavras que desconheces. 34 _____ /_____ /_____
  • 35. 1. Localiza o texto que acabaste de ler: a) no tempo (quando) _______________________________________________________________________________ b) no espao (onde) _______________________________________________________________________________________2. Ordena os acontecimentos. D. Henrique tinha um sonho: queria ser rei de um pas que no existia. Afonso, o filho de D. Henrique, tinha o mesmo sonho do pai. O rei de Leo e Castela ofereceu o Condado Portucalense a D. Henrique. A batalha de S. Mamede travou-se em 1128 e Afonso venceu. D. Henrique morreu sem ver o seu sonho realizado. Afonso zangou-se com D. Teresa, sua me, que governava o condado. Em 1143, D. Afonso Henriques foi coroado rei. Copia-os, ordenados, para o teu caderno.3. Perto de que cidade se deu a batalha de S. Mamede? __________________________________________________________________________________________________________4. Quantos anos se passaram depois da batalha de S. Mamede para que D. Afonso Henriques fosse coroado rei? __________________________________________________________________________________________________________5. Qual o nome do tratado que permitiu a coroao de D. Afonso Henriques? __________________________________________________________________________________________________________6. Que pas nasceu em 1143? __________________________________________________________________________________________________________7. H quantos anos existe esse pas? __________________________________________________________________________________________________________8. Assinala a afirmao correcta. Este texto relata: como se formou o Condado Portucalense. a vida de D. Afonso Henriques. como foi a batalha de S. Mamede. como se formou Portugal.9. Qual o nome do autor deste texto? _______________________________________________________________________________________________________________ /_____ /_____ 35
  • 36. Alm do texto Completa o crucigrama. 1 P O 1. O rei de Leo ofereceu o Condado 2 R T 2. Ao conde D. 3 U 3. A batalha de S. Mamede G travou-se perto de 4 A 4. foi coroado rei em 1143. L Assim nasceu Portugal muito, muito e deu-lhe o verde Pouco tempo era antiga condado passado, a histria que vou contar junto com a sua mo. no pao de e comeou num condado Guimares junto Galiza e ao mar. os condes de Portucale Montado no seu cavalo, estavam de veio um fidalgo de Frana parabns. para combater a mourama com golpes de espada e Nascera Afonso lana. Henriques, que viria a ser rei, Ao ver tamanha bravura, pela fora da coragem no pelejar, vontade, o velho rei D. Afonso impondo a sua lei. pensou logo em o casar. Lutou contra a Com sua filha Teresa, prpria me a princesa de Leo, mais o primo de Compara este texto com o da pgina 34 e responde no teu caderno. 1. Indica: a) duas semelhanas. b) duas diferenas. 2. Faz a ilustrao deste poema.36 _____ /_____ /_____
  • 37. Significados das palavras. Sinnimos Para compreenderes bem o que ls, tens de saber o significado das palavras. A Francisca estava a reinar com o D. Afonso Henriques queria reinar num Joo. pas independente. Conforme a frase e o texto onde se encontra (contexto), a mesma palavra pode ter signi- ficados diferentes. divertir-se reinar governar 1. L o caracol de palavras e escreve as palavras que tm o mesmo significado de histria. ________________________________________________________ ________________________________________________________ 2. Organiza as palavras do quadro em pares com o mesmo significado. coragem limite Sinnimos confuso batalhar lutar barulho fronteira bravura Leste dois textos que contam vrios episdios relacionados com a formao de Portugal. Escolhe o episdio de que mais gostaste. Imagina e escreve um dilogo entre as suas personagens. No te esqueas de lhe dar um ttulo.