Apostila - Administração Geral + Exercícios

Click here to load reader

  • date post

    30-Oct-2015
  • Category

    Documents

  • view

    233
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Apostila - Administração Geral + Exercícios

  • ADMINISTRAO GERAL 1 PARTE

    SUMRIO RESUMIDO TPICO PG

    Teoria das organizaes 01 Taylorismo 05 Fayolismo 11 Teoria Humanstica 16 Teoria Comportamental 18 Teoria da Burocracia 19 Teoria Estruturalista 27 Teoria Sistmica 29 Teoria do Desenvolvimento Organizacional 33 Teoria Contingencial 38 Adhocracia 43 Lista de Exerccios 50

  • TEORIA GERAL DA ADMINISTRAO PRINCIPAIS ESCOLAS

    1.Origens da Abordagem Clssica

    As origens da Abordagem Clssica da Administrao remontam s conseqncias geradas pela Revoluo Industrial e que podem ser resumidas em dois fatos bastante genricos, a saber:

    O crescimento acelerado e desorganizado das empresas, ocasionando uma gradativa complexidade na sua administrao e exigindo uma abordagem cientfica e mais apurada que substitusse o empirismo e a improvisao at ento dominantes. O aumento da dimenso das empresas no perodo da 2 Revoluo Industrial leva a uma substituio das teorias de carter totalizante e global por teorias microindustriais de alcance mdio e parcial.

    Com a grande empresa de dimenses mais amplas, surgem as condies iniciais de planejamento a longo prazo da produo, reduzindo a instabilidade e a improvisao.

    A necessidade de aumentar a eficincia e a competncia das organizaes, no sentido de obter o melhor rendimento possvel dos seus recursos e fazer face concorrncia e competio que se avolumam entre as empresas.

    Com a substituio do capitalismo liberal pelos monoplios, instala-se nos Estados Unidos, entre 1880 e 1890, a produo em massa, aumentando o nmero de assalariados nas indstrias: torna-se necessrio evitar o desperdcio e economizar mo-de-obra. Surge o incio da diviso de trabalho entre os que pensam e os que executam. Os primeiros fixam os padres de produo, descrevem os cargos, fixam funes, estudam mtodos de administrao e normas de trabalho, criando as condies econmicas e tcnicas para o surgimento do taylorismo nos Estados Unidos e do fayolismo na Europa.

    O panorama industrial no incio do sculo passado tinha todas as caractersticas e elementos para inspirar uma cincia da Administrao: uma variedade incrvel de empresas, com tamanhos altamente diferenciados, problemas de baixo rendimento da maquinaria utilizada, desperdcio, insatisfao generalizada entre os operrios, concorrncia intensa, mas com tendncias pouco definidas, elevado volume de perdas quando as decises eram mal formuladas, etc. Inicialmente, os autores clssicos pretenderam desenvolver uma cincia da Administrao, cujos princpios, em substituio s leis cientficas, pudessem ser aplicados para resolver os problemas da organizao.

    TERMINOLOGIA UTILIZADA

    Aristteles: filsofo grego (383-322 a.C.), discpulo de Plato, foi o criador da Metafsica, Lgica, Poltica e outras cincias que fizeram parte da filosofia at a Filosofia Moderna.

    Artesanato: regime de produo individual ou grupal (com diviso do trabalho elementar, na qual o arteso executa todas as etapas da produo) em que o trabalhador o dono dos meios de produo (geralmente instrumentos rudimentares) e do produto do seu trabalho.

    2

  • Assessoria: o mesmo que Estado-maior de especialistas que compem o staff. Ver staff.

    Bacon, Francis: filsofo ingls (1561-1626), considerado o fundador da Lgica Moderna baseada no mtodo experimental e indutivo a Cincia Moderna.

    Capitalismo: sistema econmico e social predominante nos pases industrializados ou em industrializao. A economia se baseia na separao entre trabalhadores que dispem da fora de trabalho e a vendem em troca de salrio, e capitalistas, que so proprietrios dos meios de produo e contratam os trabalhadores para produzir mercadorias visando obteno de lucros.

    Centralizao do comando: as decises so concentradas na cpula da organizao.

    Companhia: nome geralmente dado s sociedades annimas ou s grandes empresas.

    Corporaes de ofcio: associaes profissionais de comerciantes ou arteses da Idade Mdia. Recebiam o nome de confrarias, grmios, fraternidades ou guildas, situavam-se nas cidades e comunas medievais e eram organizaes fechadas, cujos membros monopolizavam o exerccio da profisso ou atividade comercial. At os mendigos tinham suas corporaes.

    Criadores de imprios: ou empire builders eram os empreendedores financeiros do final do sculo XIX que adquiriam empresas (concorrentes, fornecedoras ou vendedoras) e que as integravam aos seus negcios, deixando sua administrao por conta dos ex-proprietrios.

    Descentralizao da execuo: significa que as tarefas so descentralizadas e delegadas para o pessoal que trabalha na base da organizao, ou seja, no nvel operacional.

    Empresa: o organizao destinada produo e/ou comercializao de bens e servios tendo como objetivo o lucro. E quatro categorias de empresas conforme o tipo de produo: agrcolas, industriais, comerciais e financeiras, cada qual com um modo de funcionamento prprio.

    Estado-maior: o conjunto de assessores especializados que compem o staff da organizao.Estrutura orgnica: o mesmo que estrutura organizacional, tal como representada no organograma.

    Gerentes profissionais: eram os primeiros profissionais assalariados e especializados em organizar as fbricas tornando-as mais produtivas, no final do sculo XIX.Hierarquia de autoridade: significa os estratos de autoridade existentes em toda organizao humana, na qual os superiores comandam os inferiores.

    Liberalismo econmico: doutrina que serviu de base ideolgica para as revolues antiabsolutistas na Europa e a independncia dos Estados Unidos. Defende a liberdade individual, a democracia representativa, o direito propriedade e a livre iniciativa e concorrncia como meios para harmonizar os interesses individuais e coletivos.

    Linha: significa a autoridade de comando e de ao que decorre da posio hierrquica ocupada.

    3

  • Manufatura: estabelecimento fabril em que a produo artesanal e h uma diviso do trabalho que desempenhado por grande nmero de operrios sob a direo do empresrio.

    Materialismo histrico: concepo marxista da histria que trata dos modos de produo historicamente determinados (o das comunidades primitivas, da antiguidade, o escravista, o asitico, o feudal, o capitalista e o socialista), sua gnese, transio e sucesso de um modo de produo para outro.

    Mecanizao: substituio do trabalho do homem pela mquina. Foi a inovao tecnolgica da Revoluo Industrial, quando a mquina a vapor, a energia eltrica e o motor a exploso passaram a mover mquinas nas fbricas de tecidos, minas transportes e na agricultura.

    Mercado: designa um grupo de compradores e vendedores em contato suficientemente prximo para que as trocas entre eles afetem as condies de compra e venda dos demais. O mercado pode ser o local fsico, terico ou no, do encontro regular entre compradores e vendedores de uma determinada economia.

    Mtodo cartesiano: o mtodo cientfico de Descartes e baseados em quatro princpios: dvida sistemtica, anlise ou decomposio, sntese ou composio e enumerao ou verificao. Influenciou poderosamente a maneira de abordar e solucionar os problemas cientficos.

    Plato: filsofo grego (428-348 a.C.) que defendeu o reformismo social da poca.

    Princpio da unidade de comando: estabelece que cada pessoa tem um chefe apenas um chefe.

    Revoluo industrial: conjunto de transformaes tecnolgicas, econmicas e sociais ocorridas na Europa (principalmente na Inglaterra) nos sculos XVIII e XIX e que deram origem ao sistema fabril do modo de produo capitalista. Surgiu com o aperfeioamento de mquinas de fiao e tecelagem e pela inveno da mquina a vapor, da locomotiva e de mquinas-ferramentas.

    Sindicalismo: conjunto de doutrinas sobre a atuao e organizao do movimento sindical. Com a Revoluo Industrial, as primeiras organizaes operrias na Europa (principalmente na Inglaterra) foram influenciadas pelas teorias polticas, sobretudo, de correntes socialistas.

    Smith, Adam: economista escocs ((1723-1790)), foi o criador da economia clssica e analisou os efeitos da diviso do trabalho sobre a produtividade.

    Socialismo: conjunto de doutrinas sobre a atuao e organizao do movimento sindical. Com a Revoluo Industrial, as primeiras organizaes operrias, tendo como objetivo uma sociedade na qual no haja propriedade privada dos meios de produo.

    Staff: o conjunto de rgos e pessoas que trabalha no gabinete para assessorar, aconselhar e dar consultoria e recomendao sobre assuntos diversos.

    2. ABORDAGEM CLSSICA

    4

  • No despontar do Sculo XX, dois engenheiros desenvolveram os primeiros trabalhos pioneiros a respeito da Administrao.

    Um era americano, Frederick Winslow Taylor, e veio a criar a chamada Escola de Administrao Cientfica, preocupada em aumentar a eficincia da indstria, inicialmente pela racionalizao do trabalho do operrio.

    O outro era europeu, Henri Fayol, e veio a desenvolver a chamada Escola de Anatomia e Fisiologia da Organizao, preocupada em aumentar a eficincia da empresa por meio da sua organizao e da aplicao de princpios gerais da Administrao em bases cientficas.

    Muito embora no tenham se comunicado entre si e tenham partido de pontos de vista diferentes e mesmo opostos, o certo que as suas idias constituem as bases da chamada Teoria Clssica ou Teoria Tradicional da Administrao, cujos postulados dominaram aproximadamente as quatro primeiras dcadas deste sculo no panorama administrativo das organizaes.

    Assim, de um modo geral, a Teoria Clssica da