Armando Levy -Teorias da Comunicação

Click here to load reader

  • date post

    09-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    96
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Armando Levy -Teorias da Comunicação

Histria das

TEORIAS DA COMUNICAOPor Armando Levy

Esta apresentao tem como base bibliogrfica o livro Histria das Teorias da Comunicao de Armand e Michle Mattelart

So Paulo: Loyola, 1999

Colocar o livro aqui

Introduo

O que comunicao?

A palavra COMUNICAO usada em muitos sentidosQual o seu?

Conversar

Ler

Escrever

Enviar carta ou mensagem

Filmar Gravar

Voc disse...

Ler jornal

Falar ao telefone

Cincia hbrida...

...encruzilhada

TV comunicao?

COMUNICAO tem problema de LEGITIMIDADE

Legitimidade

Boa parte das teorias de comunicao foi adaptada de modelos das cincias da natureza (Matemtica, Estatstica, Biologia, Fsica)

Auge entre 1915 e 1935 Sociedade resultado de

Escola de Chicago

Uma populao organizada em um territrio Cujos membros vivem relao simbitica

A comunicao resulta da diversidade humana Teoria de carter biolgico

Comunicao interpessoal comunicao?

Mass Communication Research

Auge entre os anos 40 e 50 Origem: Propaganda Techniques in World War, de Harold Lasswell, de 1927 Propaganda o nico meio de conquistar a adeso das massas Audincia alvo amorfo Mtodo

Anncio da Coca Cola dos anos 50, registrado por Iv Ren Franzoli m

Quem diz o que, atravs de que canal e com que efeito?

Propaganda comunicao?

Lasswell acreditava que o processo de comunicao cumpre 3 funes

Vigiar o meio social

Revelando o que poderia ameaar a comunidade

O rdio comunicao? Ele determina a vida das pessoas?

Estabelecer relaes sociais

Transmitir a herana social

Funes da comunicao

A invaso dos mundos

s oito horas da noite do Dia das Bruxas, em 31 de outubro de 1938, Orson Welles comeou a transmitir uma dramatizao de "A Guerra dos Mundos" de H.G. Wells pela estao de rdio CBS. Milhares de ouvintes acharam que os marcianos estavam de fato invadindo a Terra. O nosso mundo estava sendo aniquilado, mas essa era apenas uma travessura de Halloween de Welles.

O povo fez at barricadas para se defender dos marcianos invasores

Entretenimento

Paul Lazarsfeld e Roberto Merton acrescentam s funes de Lasswell uma quarta:

Entretenimento

Lazarsfeld cria a mquina de perfis, um aparelho que registra as reaes do ouvinte

Aprovao, averso ou indiferena

O cinema como entretenimento cumpre funes de comunicao?

Mtodo

Avaliao matemtica dos efeitos da comunicao

Nos 50 a 60, Lazarsfeld comea a explorar aspectos de manipulao da conduta das pessoas atravs da propaganda Vrios de seus alunos se tornaram gurus da poderosa indstria publicitria norte-americana

Manipulao

Ernst Ditcher, pesquisa de motivao Herta Herzog, pesquisa de consumo Um dos primeiros anncios de cigarro voltados para mulheres lanado nos anos 50 pela Lucky Strike

O melhor da vida

Propaganda recente construda com base na teoria da Mass Communication Research

O que est em jogo aqui?

Em 1948 Claude Shannon publica uma monografia intitulada A Teoria Matemtica da Comunicao Prope um sistema geral de comunicao Cria os termos:

Transmisso de informao Codificao, decodificao e recodificao Redundncia, rudo e liberdade de escolha

Visa explicar aspectos tcnicos da transmisso de mensagens

Interesse de Shannon, que trabalhava para os Laboratrios Bell, era a transmisso de mensagens via sistema telefnico

Teoria Matemtica da Comunicao

Teoria matemtica, passou a ser usada para explicar fenmenos de comunicao humana Para compor teoria, Shannon fez emprstimos da bilogia do sistema nervoso Modelo de Shannon induziu a uma abordagem tcnica da comunicao Comunicao foi resumida a instrumento

Voc saberia dizer se esta teoria ainda est em uso?

Da fonte ao receptor

Ciberntica, controle e comunicao

Em 1948, Norbert Wiener, criador da palavra ciberntica, lana a tese de que a informao ser a matria prima do futuro

Comea a surgir o conceito de sociedade da informao

Wiener acreditava que a comunicao visa apenas o controle de mquinas e pessoas

Wiener acredita que uma mquina com a mesma fluidez mecnica do homem, poderia pensar como o homem Nasce a conceitualizao terica da Inteligncia Artificial

As idias de Wiener alimentam, ainda hoje, a cultura dos andrides e a indstria da inteligncia artificial

A humanide Actroid DER-2 sorri enquanto observada por cantora

Rob-enfermeira produzido no Japo

Cena do filme O caador de andrides, de Ridley Scott, que difundiu a teoria de Wiener

Andrides

Escola de Frankfurt

Theodor Adorno

Os tericos da Escola de Frankfurt inserem a comunicao no universo da explorao capitalista De origem alem, a maioria deles foge da Alemanha com a ascenso do nazismo e segue carreira nos EUA

Max Horkheimer

Herbert Marcuse

Meios de comunicao criam escala de valores Diferenas so cunhadas e difundidas artificialmente Hierarquia de qualidades em srie serve apenas para quantificao Meios de comunicao impem valores, hbitos e comportamento Pessoas so reduzidas a material estatstico Liberdade resume-se a opo por produtos diferentes A Indstria Cultural trabalha para submeter a humanidadeBasic Training, trecho do documentrio A Corporao, que expe a ao manipulatria das corporaes no uso da propaganda de massa

Teoria Crtica

Considerado herdeiro da Teoria Crtica, Jrgen Habermas, filsofo alemo, prope a Teoria da Ao Comunicativa Trs vrtices orientam a formao da razo:

Mesmo que a propaganda prometa um novo estilo de vida...

TCNICO, que impe diretrizes PRTICO, que resulta da interpretao do mundo EMANCIPATRIO, que nasce da busca do bem-estar

...a sociedade vai descobrir que cigarro danoso sade e vai reagir, atacando seu consumo.

Ao Comunicativa

O estruturalismo

Entre 1906 e 1911, Ferdinand de Saussure promove cursos de lingstica que se tornam a base do estruturalismo O estruturalismo prope o estudo o estudo das palavras no interior da vida social

Para Saussure,o sentido das palavras se d no nvel da linguagem e para que a comunicao possa acontecer preciso que os interlocutores sejam capazes de distinguir entre nuances e sentidos das palavras

As palavras no esto relacionadas ao que querem significar

A significao dada pelo uso social da linguagem

Roland Barthes escreve em 1964 o artigo Elementos de Semiologia levando adiante a viso de Saussure Das idias de Barthes, dois binmios revelam-se importantes para o estudo do discurso dos veculos de comunicao:

Significante>Significado Denotao>Conotao

Barthes evidencia que a ideologia dominante usa as palavras cotidianas para se expressar

Elementos de semiologia

Veja 2 exempos a seguir>

INVASO

OCUPAO

O Poder Relacional

Michel Foucault, tambm considerado estruturalista, evidencia uma comunicaopoder em seu livro Vigiar e Punir, de 1975 Ele prope uma concepo de poder relacional onde as pessoas dominadas presidirios, loucos e trabalhadores participam de sua dominaoPara Foucault a sociedade continua a interditar uma srie de discursos, especialmente os da sexualidade e da poltica. Nem todos podem dizer tudo o que pensam.

Foucault mostra o panptico de Jeremy Bentham e assinala que este princpio de controle evidencia uma Sociedade de Controle que vigia os indivduos e busca impor comportamentosUma torre no centro de uma construo controla todos os gestos. Da torre tudo se v, mas estando-se fora dela, no possvel vislumbrar seu interior

O panptico

Nos anos 1960 e 70, surgem alguns estudos de comunicao na forma de ensaios culturais Autores como Frank Leavis, Terry Eagleton, Richard Hoggart e Raymond Williams passam a examinar com mais ateno os fenmenos culturais Eles recusam a idia de que a cultura seja algo exterior sociedade, o que traz implicaes bvias para estudos de comunicao

Terry Eagleton: Cultura o que todo mundo sabe, sem saber que sabe.

Estudos Culturais

Gramsci

Os fundamentos tericos dos estudos culturais de comunicao fornecido por Antnio Gramsci, marxista italiano morto em 1937 O principal conceito adotado o de hegemonia, ou seja, a habilidade que a classe dominante tem de impor uma direo intelectual e moral para o resto da sociedade

Gramsci prope que uma determinada classe constri um sistema de alianas sociais no apenas atravs do poder econmico, mas de aspectos culturais e ideolgicos, que ele chamou de Bloco Histrico

Stuart Hall defende que a situao social dos indivduos fator decisivo no modo como as pessoas lem, vem e ouvem os produtos da mdia

Os estudos culturais comeam a questionar no os veculos de comunicao em si e as mensagens que eles emitem, mas o modo como as pessoas recebem estas mensagens, dando origem aos estudos de recepo

O estudo de Stuart Hall, sobre o papel ideolgico da mdia e a natureza da ideologia, um marco nesse aspecto

Recepo

Jesus Martn-Barbero, principal terico latino-americano dos estudos de recepo, prope em seu livro Dos Meios s Mediaes, de 1987, uma nova forma de enxergar os processos de comunicao No apenas a emisso, no apenas a recepo, mas as mediaes no processo comunicacional

A anlise das mediaes proposta por MartnBarbero implica avaliar no apenas difuso e recepo de informao, mas tambm as condies de produo e as condies de recepo

Dos meios s mediaes

Modelo para Estudo das Mediaes

Martn-Barbero na TV Cultura: Temos uma televiso bastarda, que no se corresponde, no interage com a profunda diversidade cultural de nossas sociedades

Alguns tericos comeam