Aula 1, 2 e 3: Princípios Básicos Princípios Básicos Tipos ...· •Se uma peça de um conjunto

download Aula 1, 2 e 3: Princípios Básicos Princípios Básicos Tipos ...· •Se uma peça de um conjunto

of 37

  • date post

    01-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Aula 1, 2 e 3: Princípios Básicos Princípios Básicos Tipos ...· •Se uma peça de um conjunto

  • Aula 1, 2 e 3: Princpios Bsicos

    Princpios Bsicos

    Tipos de Manuteno

    CEPEP - Escola Tcnica

    Prof.: Kaio Hemerson Dutra

  • Conjunto de cuidados tcnicos indispensveisao funcionamento regular e permanente demquinas, equipamentos, ferramentas einstalaes. Esses cuidados envolvem ainstalaes. Esses cuidados envolvem aconservao, adequao, a restaurao, asubstituio e a preveno.

  • Manter equipamentos e mquinas emcondies de pleno funcionamento paragarantir a produo normal e a qualidade dosprodutos;produtos;

    Prevenir provveis falhas ou quebras doselementos das mquinas;

    Obter confiabilidade no equipamento.

  • Definio: Verificao/vistoria feita em umequipamento nas condies normais de uso;

    Objetivo: Identificar princpios de falha eanalisar condies de uso do equipamento;analisar condies de uso do equipamento;

    Verificaes: Anlise visual;

    Anlise de sons;

    Anlise de desgastes;

    ...

  • Quem deve fazer? Operador;

    Equipe de Manuteno.

    Obs.: A responsabilidade pelos servios de rotinano somente do pessoal da manuteno, masObs.: A responsabilidade pelos servios de rotinano somente do pessoal da manuteno, mastambm de todos os operadores da mquina

    Obs.: O acompanhamento e o registro do estadoda mquina, bem como dos reparos feitos, sofatores importantes em qualquer programa demanuteno.

  • Planejada

    Preventiva

    Preditiva

    TPM TPM

    No Planejada

    Corretiva;

    De ocasio

  • Planejar Conhecer o trabalho e suascondies, os recursos para execut-lo etomar as devidas decises;

    Programar Determinar pessoal e tempo para Programar Determinar pessoal e tempo paraexecutar as intervenes;

    Controle Acompanhar a execuo e aevoluo do equipamento.

  • Como? Servio a ser executado e mtodo

    O qu? Onde ser feito o servio

    Em quanto tempo? Perodo da interveno

    Quem? Equipe necessria Quem? Equipe necessria

    Quando? - Data

    Quanto? Custo financeiro

  • Manuteno corretiva aquela deatendimento imediato ao equipamentoproduo. Esse tipo de manuteno baseia-sena seguinte filosofia: equipamento parou,na seguinte filosofia: equipamento parou,manuteno conserta imediatamente.

  • Como as ocorrncias de emergncia soinevitveis, sempre haver necessidade deuma equipe para esses atendimentos, mesmoporque, no se deve ter 100% deporque, no se deve ter 100% demanuteno preventiva. Dependendo doequipamento, s vezes mais conveniente,por motivos econmicos, deix-lo parar eresolver o problema por atendimento deemergncia.

  • Mesmo em empresas que no podem teremergncias, s vezes elas ocorrem comresultados geralmente catastrficos. Exemplo:empresas areas, termoeltricas.empresas areas, termoeltricas.

    Emergncias no ocorrem, so causadas. Elimine a causa e voc no ter novamente a

    mesma emergncia.

  • Mesmo em empresas que no podem teremergncias, s vezes elas ocorrem comresultados geralmente catastrficos. Exemplo:empresas areas, termoeltricas.empresas areas, termoeltricas.

    Emergncias no ocorrem, so causadas. Elimine a causa e voc no ter novamente a

    mesma emergncia.

  • Sempre, ao final de qualquer interveno noequipamento (com parada ou no) necessriorelatar.

    Principais informaes:Equipamento, conjunto, subconjunto, elemento...; Equipamento, conjunto, subconjunto, elemento...;

    Interveno realizada e motivo;

    A interveno causou parada do equipamento?

    Consequncias da falha.

    Como foi solucionado?

    Recursos utilizados.

  • Exemplo: 10/12/2004 - local Perfuratriz modelo 320D (PD 102), Motor Diesel,

    sistema de combustvel, unidades injetoras; Substituio das unidades injetoras. Equipamento no parou. Equipamento no parou. Queda de potencia do equipamento. Foi substitudo as unidades com calibragem,

    sincronismo do motor e testes de eficincia deinjeo.

    6 unidades injetoras com vedaes, Ferramentas desincronismo, computador com programa de testes eajustes.

  • A manuteno preventiva obedece a um padropreviamente esquematizado, que estabeleceparadas peridicas com a finalidade de permitir atroca de peas gastas por novas, assegurandoassim o funcionamento perfeito da mquina porassim o funcionamento perfeito da mquina porum perodo predeterminado.

    O mtodo preventivo proporciona umdeterminado ritmo de trabalho, assegurando oequilbrio necessrio ao bom andamento dasatividades.

  • Se uma pea de um conjunto que constitui ummecanismo estiver executando seu trabalho deforma irregular, ela estabelecer, fatalmente,uma sobrecarga nas demais peas que estointeragindo com ela. Como consequncia, ainteragindo com ela. Como consequncia, asobrecarga provocar a diminuio da vida tildas demais peas do conjunto. O problema spode ser resolvido com a troca da peaproblemtica, com antecedncia, para preservaras demais peas.

  • Reduo de custos

    Qualidade do produto

    Aumento de produo

    Efeitos no meio ambiente Efeitos no meio ambiente

    Aumento da Vida til dos equipamentos

    Reduo nos acidentes do trabalho

  • Fazer um levantamento de quais equipamentostero a manuteno preventiva;

    Redigir o histrico dos equipamentos e os custosque manuteno;

    Elaborar manuais e procedimentos para Elaborar manuais e procedimentos paraarquivamento nas pastas;

    Fazer levantamento de todos os recursosnecessrios para cada manuteno;

    Treinar pessoal para executar as preventivas;

  • Indica as condies reais de funcionamentodas mquinas com base em dados queinformam o seu desgaste ou processo dedegradao. Trata-se da manuteno quedegradao. Trata-se da manuteno queprediz o tempo de vida til dos componentesdas mquinas e equipamentos e as condiespara que esse tempo de vida seja bemaproveitado.

  • determinar, antecipadamente, a necessidade deservios de manuteno numa pea especfica de umequipamento;

    eliminar desmontagens desnecessrias para inspeo; aumentar o tempo de disponibilidade dos

    equipamentos; aumentar o tempo de disponibilidade dos

    equipamentos; reduzir o trabalho de emergncia no planejado; impedir o aumento dos danos; aumentar o grau de confiana no desempenho de um

    equipamento ou linha de produo;

  • Vibraes das mquinas;

    Anlise de leo;

    Presso;

    Temperatura; Temperatura;

    Desempenho.

  • Todas as mquinas em funcionamentoproduzem vibraes que, aos poucos, levam-nas a um processo de deteriorizao. Essadeteriorizao caracterizada por umadeteriorizao caracterizada por umamodificao da distribuio de energiavibratria pelo conjunto dos elementos queconstituem a mquina.

  • Elementos que podemos verificar a presena de falha: rolamentos deteriorados;

    Engrenagens defeituosas;

    Acoplamentos desalinhados;

    Rotores desbalanceados; Rotores desbalanceados;

    Vnculos desajustados;

    Eixos deformados;

    Lubrificao deficiente;

    Folga excessiva em buchas;

    Problemas aerodinmicos;

    Problemas hidrulicos;

  • Os objetivos da anlise dos leos so dois:

    Economizar lubrificantes;

    Sanar defeitos.

    A economia obtida regulando-se o grau de A economia obtida regulando-se o grau dedegradao ou de contaminao dos leos.Essa regulagem permite a otimizao dosintervalos das trocas.

  • Principais propriedades avaliadas: ndice de viscosidade;

    ndice de acidez;

    ndice de alcalinidade;

    Ponto de fulgor; Ponto de fulgor;

    Ponto de congelamento.

    Em termos de contaminao dos leos: Resduos de carbono;

    Partculas metlicas;

    gua.

  • Durante muito tempo as indstriasfuncionaram com o sistema de manutenocorretiva. Com isso, ocorriam desperdcios,retrabalhos, perda de tempo e de esforosretrabalhos, perda de tempo e de esforoshumanos, alm de prejuzos financeiros.

    A partir de uma anlise desse problema,passou-se a dar nfase na manutenopreventiva.

  • Os cinco pilares da TPM so as bases sobre asquais construmos um programa de TPM,envolvendo toda a empresa e habilitando-apara encontrar metas, tais como defeito zero,para encontrar metas, tais como defeito zero,falhas zero, aumento da disponibilidade deequipamento e lucratividade.

  • eficincia; Atividades que aumentam a eficincia do equipamento.

    Auto-reparo; Estabelecimento de um sistema de manuteno autnomo

    pelos operadores.

    Planejamento; Planejamento; Estabelecimento de um sistema planejado de manuteno.

    Treinamento; Estabelecimento de um sistema de treinamento objetivando

    aumentar as habilidades tcnicas do pessoal.

    Ciclo de vida. Estabelecimento de um sistema de gerenciamento do

    equipamento.

  • O objetivo global da TPM a melhoria daestrutura da empresa em termos materiais(mquinas, equipamentos, ferramentas,matria-prima, produtos etc.) e em termosmatria-prima, produtos etc.) e em termoshumanos (aprimoramento das capacitaespessoais envolvendo conhecimentos,habilidades e atitudes). A meta a seralcanada o rendimento operacional global.

  • Capacitar os operadores para conduzir amanuteno de forma voluntria.

    Capacitar os mantenedores a serem polivalentes,isto , atuarem em equipamentos mecatrnicos.

    Capacitar os engenheiros a projetarem Capacitar os engenheiros a projetaremequipamentos que dispensem manuteno, isto, o ideal da mquina descartvel.

    Incentivar estudos e sugestes para modificaodos equipamentos existentes a fim de melhorarseu rendimento.