(Aula - Fundações Diretas [Modo de Compatibilidade]).pdf

download (Aula - Fundações Diretas [Modo de Compatibilidade]).pdf

of 18

  • date post

    01-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    6
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of (Aula - Fundações Diretas [Modo de Compatibilidade]).pdf

  • 1Construo Civil IConstruo Civil IConstruo Civil IConstruo Civil I

    Execuo de Fundaes DiretasExecuo de Fundaes DiretasExecuo de Fundaes DiretasExecuo de Fundaes Diretas

    Escolha do tipo de fundaoEscolha do tipo de fundaoEscolha do tipo de fundaoEscolha do tipo de fundao

    Custo da etapa de fundaes varia entre 3% e 7%do custo total do empreendimento;

    Escolha da fundao: anlise tcnica e econmica; Geotecnia local; Viabilidade executiva; Mo de obra especializada; Verificao de edificaes vizinhas obra; Controle de qualidade: melhor soluo,

    detalhamento e controle de execuo.

    IntroduoIntroduoIntroduoIntroduo

  • 2IntroduoIntroduoIntroduoIntroduo

    TIPOS DE FUNDAES

    DIRETAS

    RASAS Blocos e alicerces

    Sapatas

    CorridaIsolada

    AssociadaAlavanca

    Radiers

    PROFUNDAS TubulesCu aberto

    Ar comprimido

    INDIRETAS

    BrocasEstacas de madeira

    Estacas de aoEstacas de concreto pr-moldadas

    Estacas de concreto moldadas in loco

    StraussFrankiRaiz

    Estaco

    DIFERENAS BSICAS

    FUNDAES RASAS FUNDAES PROFUNDAS

  • 3Fundaes Rasas: CONCEITOS BSICOS Elementos de fundao em que a carga transmitida ao

    terreno, predominantemente pelas presses distribudassob a base da fundao, e em que a profundidade deassentamento em relao ao terreno adjacente inferior a3,0 metros ou a duas vezes a menor dimenso dafundao.

    Incluem-se neste tipo de fundao: as sapatas, os blocos,os radiers, as sapatas associadas, as vigas de fundao e assapatas corridas.

    Bloco de Fundao

    Bloco escalonado; Alturas elevadas; Excelente resistncia compresso.

  • 4Sapata

    Sapatas (isoladas ou associadas): So elementos de apoio deconcreto, de menor altura que os blocos, que resistemprincipalmente por flexo.

    Sapata Associada

  • 5Radier

    Quando todos pilares de uma estrutura transmitirem as cargas ao soloatravs de uma nica laje ou sapata.Este tipo de fundao envolve grande volume de concreto, relativamenteonerosa e de difcil execuo.Quando a rea das sapatas ocuparem cerca de 70 % da rea coberta pelaconstruo ou quando se deseja reduzir ao mximo os recalques diferenciais.

    So elementos estruturais de fundaes profundas, de grande porte, que transmitem a cargaao solo resistente atravs da escavao de um fuste cilndrico de base alargada tronco-cnica.

    TubulesTubulesTubulesTubules

  • 6 Custos de mobilizao e de desmobilizao so menores que os de bate-estacas eoutro equipamentos;

    Vibraes e rudos provenientes do processo construtivo so de baixaintensidade;

    Permite observar e classificar o solo retirado durante a escavao e compar-los condies do subsolo previstas no projeto;

    As dimenses do tubulo podem ser alteradas durante a escavao paracompensar condies do subsolo diferentes das previstas;

    possvel apoiar cada pilar em um nico fuste, em lugar de diversas estacas,eliminando a necessidade de bloco de coroamento.

    Vantagens do uso de tubulesVantagens do uso de tubulesVantagens do uso de tubulesVantagens do uso de tubules

    Tubulo a cu aberto: O fuste escavado at a cota desejada, a base alargada eposteriormente preenchida com concreto.

    TubulesTubulesTubulesTubules

  • 7Check list Check list Check list Check list incio dos serviosincio dos serviosincio dos serviosincio dos servios

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    Itens Sim No Observaes

    1. Servios Preliminares no canteiro-de-obras

    a. Fora trifsica

    b. Bomba de recalque

    c. Bancada de armao e carpintaria

    d. Equipamento para escavao manual

    e. Areia, brita, cimento, madeira, ao

    f. Vibrador

    g. Instalaes sanitrias

    2. Projeto de Fundaesa. Locao do fuste do tubulo em relao ao C.G. do pilar

    b. Indicao das vigas de travamento e alavancas

    c. Dimenses dos tubules

    d. Previso de cota de apoio e tenso admissvel adotada no projetoe. Locao de sondagens

    f. Detalhe da armao do fuste dos tubules

    g. Quantitativos da armaoh. Especificao do concreto e do ao

    i. Indicao de interferncias com plano de escavao dos taludes provisrios

    j. Seqencial executivo de abertura e concretagem dos tubules

    Check list Check list Check list Check list incio dos serviosincio dos serviosincio dos serviosincio dos servios

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    Itens Sim No Observaes

    3. Projeto de estrutura de concreto armadoa. Locao em planta dos pilares e blocos de coroamento

    b. Cota de arrasamento dos tubules

    c. Detalhe dos blocos (arrasamento, altura, largura, comprimento)d. Armao dos blocos e arranque dos pilares

    e. Quantitativos de armaof. Detalhe tpico da interface do tubulo com o bloco

  • 8Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    MARCAO DO EIXO DA PEA

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    ESCAVAO DO POO

  • 9Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    ESCAVAO DO POO

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    ALARGAMENTO DA BASE

  • 10

    CUIDADOS NA ETAPA DE ALARGAMENTO DA BASE (NBR 6122/1996):

    Injeo de nata de cimento, aplicaes superficiais de argamassa de cimento ou escoramento; Limpeza da borda da escavao; Tempo entre alargamento da base e concretagem: < 24 horas; Inspeo SEMPRE antes da concretagem; Limpeza do fundo da escavao; Concretagem com calha ou tremonha; Evitar choque do concreto com a armadura; Evitar execuo simultnea de tubules muito prximos; Prever tratamento na cabea do tubulo.

    TubulesTubulesTubulesTubules

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    COLOCAO DA ARMADURA

  • 11

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    CONCRETAGEM

    Check list Check list Check list Check list conferncia dos serviosconferncia dos serviosconferncia dos serviosconferncia dos servios

    Tubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu abertoTubules a cu aberto

    Itens Sim No Observaes

    4. Execuo dos tubules

    a. Locao dos tubules

    b. Boletim de controle de execuo contendo:

    Nome e local da obra

    Identificao e dimenses tericas do tubulo

    Cota de apoio

    Verificao da locao

    Comprimento escavado e concretado

    Dimenses finais da base

    Consumo real de concreto

    Identificao do caminho betoneira por tubulo

    Slump e resistncia do concreto

    Excentricidades

    c. Definio da cota de apoio pelo engenheiro

    d. Inspeo do solo de apoio pelo engenheiro

    e. Inspeo da base para a liberao da concretagem do tubulo

    f. Posicionamento da armao

    g. Moldagem de corpos-de-prova para rompimento aos 7, 14 e 28 dias

    h. Slump test (91 cm)i. Poceiro adensa e espalha o concreto na base, pisoteando-o

    j. Concretagem at a cota de arrasamento do tubulo acrescida de 5 cm

  • 12

    Tubulo a ar comprimido: A injeo de ar comprimido nos tubules impede a entrada degua, permitindo que a execuo dos trabalhos de escavao, alargamento do fuste econcretagem.

    TubulesTubulesTubulesTubules

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    MTODO CLSSICO: Concretagem de um tubo de concreto; Retirada das formas; Escavao at que o topo do tubo chegue ao nvel do solo; Um novo tubo ento concretado sobre o primeiro e assim por diante.

    Tubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimido

  • 13

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    MTODO CLSSICO: Prosseguimento das

    operaes at que sejaatingido o N.A.;

    Possibilidade de continuar aescavao por determinadaprofundidade, fazendo-se aretirada da gua, atravs debombeamento;

    Quando no for maispossvel prosseguir com aescavao, instala-se acampnula, equipamentocom o qual se introduz o arcomprimido.

    Tubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimido

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimido

  • 14

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimido

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimido

  • 15

    Metodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executivaMetodologia executiva

    Tubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimidoTubules a ar comprimido

    Manifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivo

    Incompatibilidade entre o material da base do tubulo e a tenso de projeto adotada; Dimenses e geometria incorretas dos elementos de fundao (comum em tubules no circulares tenses

    incompatveis com a estrutura ou solo); Instabilidade do solo durante a execuo (elementos concretados sobre material instvel aps liberao da

    base do tubulo mau desempenho da fundao);

    TubulesTubulesTubulesTubules

  • 16

    Manifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivo

    Presena de gua durante a concretagem; Adensamento ineficiente (peas sem a geometria ou integridade projetadas e falta de cobrimento da

    armadura) soluo: concreto auto-adensvel; Armaduras mal posicionadas ou insuficientes, comprometendo a integridade a longo prazo ou no

    atendendo s necessidades das solicitaes;

    TubulesTubulesTubulesTubules

    Manifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivoManifestaes patolgicas devidas a inconformidades no processo executivo

    Qualidade inadequada do concreto (tenso caracterstica inferior de projeto e abatimento inadequado snecessidades de lanamento e adensamento);

    Colocao de pedra marroada no fuste dos tubules para reduo de custos, originando elementos sem adevida integridade.

    TubulesTubulesTubulesTubules

  • 17

    Principais Desvantagens/RiscosPrincipais Desvantagens/RiscosPrincipais Desvantagens/RiscosPrincipais Desvantagens/Riscos

    Queda de pessoas pela abertura dos tubules;

    Soterramento dos trabalhadores;

    Queda de ferramentas e equipamentos;

    Infeces;

    Asfixia ou intoxicao com gases;

    Afogamento (inundao);

    Processo de descompresso para os poceiros (tubules a ar comprimido).

    Execuo de TubulesExecuo de TubulesExecuo de TubulesExecuo de Tubules

    Consideraes Finais Consideraes Finais Consideraes Finais Consideraes Finais Etapas de Controle na ExecuoEtapas de Controle na ExecuoEtapas de Controle na ExecuoEtapas de Controle na Execuo

    Locao do centro do tubulo;

    Cota do fundo da base do tubulo;

    Verticalidade da escavao;

    Alargamento da base;

    Posicionamento da armadura, quando houver, e da armadura de ligao;

    Dimenses (dimetro) do tubulo;

    Concretagem (no misturar o solo com o concreto e evitar que se formem vazios na base alargada);

    Tubulo a ar comprimido: presso do ar no interior do tubulo e risco de acidentes.

    TubulesTubulesTubulesTubules

  • 18

    Bibliografia Bibliografia Bibliografia Bibliografia

    ALONSO, U. R.; GOLOMBEK, S. Tubules e caixes. In: HACHICH, W.; FALCONI, F. F.; SAES, J. L.;FROTA, R. G. Q.; CARVALHO, C. S.; NIYAMA, S. (Coord.) Fundaes: teoria e prtica. 2. ed. SoPaulo: Pini, 1998.

    ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS. NBR 6122: Projeto e execuo de fundaes.Rio de Janeiro, 1996.

    AZEREDO, H. O edifcio at sua cobertura. 2. ed. So Paulo: Ed. Edgard Blcher, 2004. 188 p.

    JOPPERT JUNIOR, I. Fundaes e contenes em edifcios: qualidade total na gesto do projeto eexecuo. So Paulo: Pini, 2007.

    MILITITSKY, J.; CONSOLI, N. C.; SCHNAID, F. Patologia das fundaes. So Paulo: Oficina de Textos:2005.

    MIRANDA, M. C.; MARTINS, J. G. Fundaes e conteno lateral de solos: execuo de estacas.Documento digital. Disponvel em:http://www2.ufp.pt/~jguerra/PDF/Fundacoes/Cortinas%20de%20Estacas_web.pdf

    Fotografias e ilustraes extradas de: http://www.feciv.ufu.br/disciplinas/TCC1/Aula06Fundacoes.pdf

    Execuo de Fundao em TubulesExecuo de Fundao em TubulesExecuo de Fundao em TubulesExecuo de Fundao em Tubules