Avaliação Da Aprendizagem

Click here to load reader

  • date post

    08-Oct-2015
  • Category

    Documents

  • view

    12
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Avaliação da Aprendizagem

Transcript of Avaliação Da Aprendizagem

  • Avaliao das Aprendizagens

    Referencial de Formao Pedaggica Contnua de Formadores

    Centro Nacional de Formao de Formadores

  • Guia de Desenvolvimento .................................................................................................................................................................................................. 3

    1. Enquadramento A formao em avaliao:

    uma necessidade para uma aprendizagem mais eficiente ............................................................................................ 5

    2. Finalidade ..................................................................................................................................................................................................................................... 6

    3. Objectivos Gerais/Competncias Visadas

    A formao em avaliao: as competncias a desenvolver e a adquirir ...................................................... 6

    4. Contedos, Estrutura e Competncias Especficas

    A formao em avaliao: a estrutura de formao

    Quadro de Referncia do Programa ......................................................................................................................................................... 6

    5. Metodologias de Desenvolvimento A formao em avaliao:

    um modelo centrado nas representaes e prticas dos formadores ........................................................... 8

    6. Avaliao das Aprendizagens A formao em avaliao: avaliao das aprendizagens .. 9

    7. Planificao da Formao ........................................................................................................................................................................................ 10

    8. Bibliografia .................................................................................................................................................................................................................................. 11

    Roteiros de Trabalho ................................................................................................................................................................................................................ 13

    Ficha de Avaliao Final .................................................................................................................................................................................................... 23

    ndice

  • Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

    Edio

    Instituto do Emprego e Formao Profissional

    Coleco

    Referenciais de Formao Pedaggica Contnua de Formadores

    Ttulo

    Avaliao das Aprendizagens

    Coordenao Tcnica

    Centro Nacional de Formao de Formadores

    Ncleo de Inovao e Desenvolvimento

    Autores

    Maria Leonor de Almeida Domingues dos Santos

    Jorge Manuel Bento Pinto

    Design

    Fase 4

    ISBN

    972-732-808-3

    Data de Edio

    Junho de 2003

  • Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

    Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

  • Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

  • Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

    1. Enquadramento

    A formao em avaliao: uma necessidade para uma aprendizagem mais eficiente

    A avaliao tem vindo nos ltimos tempos a ganhar maior destaque nos debates sobre Educao/Formao. Este debate nem sempre tem sido proveitoso no que respeita tomada de conscincia e clarificao do que a avaliao, mas ao afirm-la como uma necessidade obriga a que, pelo menos, no a possamos ignorar. De facto, por detrs da designao de avaliao escondem-se ideias e prticas muito diversas que importa trazer a primeiro plano, para ento, se poder clarificar do que se est efectivamente a falar.

    Durante quase um sculo, a avaliao foi vista apenas como uma medida, como uma tcnica, tendo uma finalidade meri-tocrtica, isto , construir e revelar hierarquias do melhor ao pior. este tipo de avaliao que a maior parte das pessoas viveram. No admira assim, que sejam estas as ideias dominantes em avaliao. Esta forma de pensar a avaliao faz es-quecer, para alm de outras coisas, que mais importante que a avaliao so as aprendizagens, e que estas no esto directamente relacionadas com a quantidade de avaliaes que se realizam, mas sim com a sua qualidade.

    Neste quadro, qualidade no significa tcnicas mais sofisticadas, mas antes assenta na relao de formao, onde a avaliao desempenha um papel decisivo. A avaliao, independentemente da sua natureza, faz-se no quadro de uma relao interpessoal complexa. Formandos e formadores no so peas de uma mquina, mas actores capazes de construir contextos e processos formativos especficos, facilitadores ou inibidores da eficcia dos processos de ensino e de aprendizagem.

    Assim, desenvolvem-se hoje novos olhares para a avaliao, pondo a tnica nas suas funes e tambm na tica; nos conhecimentos adquiridos e tambm nos processos de trabalho, nas relaes entre os actores e nos seus processos de comunicao.

    Em suma, tenta-se encarar a avaliao no apenas como uma medida do saber, mas como um processo com potencial para gerar aprendizagem.

    Muito embora no oferea grandes dificuldades a adeso intelectual a este novo olhar sobre a avaliao, o mes-mo j no se poder dizer quanto sua concretizao ao nvel das prticas. A formao pode constituir um contributo para minimizar esta contradio.

    O Instituto do Emprego e Formao Profissional (IEFP), consciente da importncia da formao dos formadores neste domnio, concebeu e validou, no mbito do Centro Nacional de Formao de Formadores, o presente Re-ferencial de Formao Pedaggica Contnua de Formadores em Avaliao das Aprendizagens, sendo agora disponibilizado a fim de integrar a oferta formativa da sua Rede de Centros de Formao Profissional e de entidades formativas que o solicitem.

  • Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

    2. Finalidade

    Face a este enquadramento, o presente Referencial de Formao Pedaggica Contnua de Formadores em Avaliao das Aprendizagens visa propiciar o desenvolvimento e a aquisio de competncias dos formadores que intervm nos diferentes processos de ensino e de aprendizagem, em contextos de Educao/Formao, no domnio da Avaliao das Aprendizagens.

    3. Objectivos Gerais/Competncias Visadas

    A formao em avaliao: as competncias a desenvolver e a adquirir:

    l Ser capaz de perceber e tomar posio, de uma forma fundamentada, sobre as vrias perspectivas de ava-liao;

    l Ser capaz de conceber um dispositivo de avaliao das aprendizagens;l Ser capaz de construir e usar instrumentos de recolha de informao adequados aos objectivos

    pretendidos;l Ser capaz de construir um sistema de informao dos resultados, mobilizador e incentivador para os

    formandos;l Adoptar uma tica centrada no respeito pelo trabalho pedaggico e pelo projecto pessoal do formando;l Ser capaz de reflectir sobre as suas vivncias de formao.

    4. Contedos, Estrutura e Competncias Especficas

    Toda a elaborao de um programa construda com base em escolhas sobre o que se pretende que os formandos aprendam e o modo como aprendem.

    Dado a natureza do curso e a sua durao, 30 Horas, entendemos que as aprendizagens dos formandos se devem organizar em redor de quatro plos:

    l as teorias implcitas sobre avaliao, porque sem a sua consciencializao no pode haver mudana; l os instrumentos de avaliao e os seus usos, porque s conhecendo-os se podem usar de uma forma

    adequada aos fins pretendidos; l os usos da informao avaliativa, porque a avaliao tem repercusses individuais e sociais;l a tica subjacente a uma relao de formao porque atravs dela que os diversos actores se posicionam no

    terreno da formao.

  • Rot

    eiro

    s de

    Tra

    balh

    oFi

    cha

    de A

    valia

    o

    Gui

    a de

    Des

    envo

    lvim

    ento

    A formao em avaliao: a estrutura de formao

    O Quadro de Referncia do Programa que a seguir se apresenta, resume os principais eixos organizadores deste programa.

    Na coluna da esquerda destaca-se a competncia que est a ser objecto de trabalho, muito embora todas as competncias estejam articuladas entre si.

    Na coluna do centro apresenta-se a situao de trabalho a desenvolver, apresentada como um problema a resolver. Estas tarefas podem ser trabalhadas, quer individualmente, quer em grupo, embora se aponte para um primeiro momento de trabalho individual e, posteriormente, em grupo.

    Na coluna da direita esto indicados alguns saberes ou noes que podem funcionar como recursos para a resoluo das tarefas em curso.

    Quadro de Referncia do Programa

    continua

    Competncias a Desenvolver

    l Ser capaz de perceber e tomar posio de forma fundamentada sobre as vrias perspectivas de avaliao.

    l Ser capaz de conceber um dispositivo de avaliao das aprendizagens.

    l Ser capaz de construir e usar instrumentos de recolha de informao adequados aos objectivos pretendidos.

    R