Biblia Trinitariana

of 13/13
PORQUE HÁ DIFERENÇA ENTRE A ARC E ACF CORRIGIDA DA SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL (ARC) a partir de 1948 E A ALMEIDA CORRIGIDA E FIEL (ACF) DA SOCIEDADE BÍBLICA TRINITARIANA DO BRASIL ? (análise apenas do Novo Testamento, já que no Velho não há muita diferença ainda) Diferença na história Vejamos a seguinte linha do tempo
  • date post

    21-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    833
  • download

    26

Embed Size (px)

Transcript of Biblia Trinitariana

PORQUE H DIFERENA ENTRE A ARC E ACF CORRIGIDA DA SOCIEDADE BBLICA DO BRASIL (ARC) a partir de 1948 E A ALMEIDA CORRIGIDA E FIEL (ACF) DA

SOCIEDADE BBLICA TRINITARIANA DO BRASIL ?(anlise apenas do Novo Testamento, j que no Velho no h muita diferena ainda)

Diferena na histria Vejamos a seguinte linha do tempo

Diferena no texto baseA Bblia ACF, sendo uma traduo FIEL do Textus Receptus (SETAS VERMELHAS DAS FIGURAS ACIMA), segue a linha e orientao dos telogos ortodoxos Protestantes que criam na INSPIRAO VERBAL e na INFALIBILIDADE das Escrituras. O outro nome do TEXTUS RECEPTUS era o TEXTO MAJORITRIO, usado como sinnimo daquele. Aps o lamentvel advento do Texto Crtico (1881), entretanto, comearam a se multiplicar as verses baseadas nele (em ingls: Revised Version, American Standard; em portugus: Atualizada, Revisada, BLH). Se multiplicou tambm, na primeira metade do sculo 20, a mania de se misturar as duas fontes, criando dezenas de rios de fontes misturadas. A Imprensa Bblica Brasileira IBB (fundada em 1940) editou e imprimiu pela primeira vez no Brasil, em agosto de 1944, a Bblia Revista e Corrigida de Almeida, baseada no Texto Recebido. As presses dos liberais, entretanto, conseguiram misturar algumas leituras corruptas do Texto Crtico de Westcott e Hort na Bblia Revista e Corrigida (ARC) j pelos idos de 1948. Quem possui uma ARC antes dessa data, pode facilmente comprovar esse fato. Mais tarde, em 1982, dois crticos textuais, querendo usar a razo humana para enfraquecer a autoridade do Textus Receptus, inventaram um outro texto e o batizaram indevidamente de Texto Majoritrio, nome que j era usado como sinnimo do Textus Receptus! Esse novo elemento foi inserido oficialmente em 1982, quando esses dois crticos textuais, Zane Clark Hodges (1930? ) e Arthur L. Farstad (1935 1998) publicaram esta obra nova em folha, chamada The Greek New Testament According to the Majority Text (1982), publicada pela Thomas Nelson Publishers, New York. Arthur Farstad era responsvel pela desencaminhadora New King James Bible cheia de desinformaes no texto, leituras falsas e indues erradas nas notas de rodap. O Dr. Hodges (B.Th. em Wheaton College e M.Th. de Dallas Theological Seminary), que defendia o Textus Receptus, foi gradativamente se contaminando e se

enfeitiando com as teorias herticas de Westcott e Hort, QUE ELE MESMO CONDENAVA. Partiu, ento, para a busca de um texto perdido. Em 1977, Nelson Publishers publicou as seguintes palavras escritas por Wilbur Pickering e aprovadas por Zane Hodges em seu prefcio:Ento, como ns identificamos as palavras originais? Primeiro devemos juntar as evidncias disponveisessas incluem [1] Mss Gregos [2] (incluir os lecionrios), [3] Pais, e [4] verses. Ento, devemos avaliar a evidncia para ter certeza qual forma de texto goza o atestado de mais antigo, mais completo, mais variado, e mais respeitvel. (Identidade do Texto do Novo Testamento, op. cit., edio de 1977, pg. 137).

Essa citao acima, autentica o Texto Recebido, mas 5 anos depois, Hodges abandona esses critrios e parte para a aventura de um novo texto, o novo Majoritrio, que nada mais que a ressurreio de um texto produzido em 1913 por um crtico alemo chamado Hermann vonSoden. Aps um retoque e uma maquiagem, Zane Hodges e A.L. Farstad, produziram esse texto que roubou o nome Majoritrio que por sua vez era sinnimo e pertencia nica e exclusivamente ao Texto Recebido. Esse texto, que difere em 1.800 palavras do Texto Recebido, apenas mais uma tentativa humana de produzir uma Bblia! Considere o que est na pg. x da segunda edio do TMaj: ...deve-se ter em mente que o presente trabalho... ao mesmo tempo preliminar e provisrio. (Pasmem!) Esse texto no considera as fontes altamente relevantes que Hodges mesmo aprovara (3 pargrafo acima). As omisses das seguintes fontes DESQUALIFICAM O (novo) TEXTO MAJORITRIO: 1. LECIONRIOS 2. CITAES DOS PAIS DA IGREJA 3. VERSES ANTIGAS (item [2] acima) (item [3] acima) (item [4] acima)

Veja essse quadro comparativo dos textos do Novo Testamento:

ACF: ARC: ARA: TR: TMaj: TC:

ALMEIDA CORRIGIDA E FIEL ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA TEXTO RECEBIDO TEXTO MAJORITRIO TEXTO CRTICO

(159.837 PALAVRAS PORTUGUESAS) (159.363 PALAVRAS PORTUGUESAS) (157.284 PALAVRAS PORTUGUESAS) (140.521 PALAVRAS GREGAS) (140.083 PALAVRAS GREGAS) (137.635 PALAVRAS GREGAS)

Diferenas em 1.800 palavras (438 palavras a menos do que o T.R.)

So usadas EM ALGUMAS PARTES na Almeida Revista e Corrigida (ARC), pelo menos a partir de 1948, algumas das 1.800 palavras diferentes entre o Textus Receptus e o [novo] Texto Majoritrio (ou ento algumas das 9.970 palavras modificadas do Texto Crtico). Verifiquemos apenas 20 versos importantes, onde ela (ARC) seguiu um caminho errado se afastando do Textus Receptus [logicamente tambm da ACF] e se aproximou do corrupto Texto Crtico: Nesse quadro comparativo ACF / ARC / ARA pode-se ver que a tendncia da ARC foi a de seguir o TC nos textos mencionados. Note que a tendncia sempre de enfraquecer a doutrina. Talvez essa contaminao tenha entrado pela influncia de crticos da Conveno Batista Brasileira, que j estavam comprometidos com o fermento do Criticismo Textual. Confira no Dicionrio do Novo Testamento Grego (JUERP, 1983, Introduo, pg. 5) de William Carey Taylor, Th.D. (1886-1971), como ele menciona A.T. Robertson e confessa que se baseia no texto de Westcott e Hort, a infame Dupla Dinmica. Confira como Robert G. Bratcher, Th.D., Missionrio da Conveno Batista Brasileira, um modernista-liberal da ecumnica Sociedade Bblica do Brasil e se baseia em mtodos totalmente herticos de traduo Bblica. Esse tipo de fermento resultou nas mudanas que podemos ver a seguir:

ARC

ARA(1 EDIO 1959)

20 VERSOS

ACF(A PARTIR DE 1948)

Texto Recebido (TR)Como est escrito nos profetas...

Texto Crtico (TC) WH

1

Mc. 1:2

Como est escrito no profeta Isaas...

Como est escrito na profecia de Isaas...

en tois profetais

en to hesaia

2

Jo. 6:69

...tu s o Cristo, o Filho do Deus vivente.

...tu s o Cristo, o Filho de Deus.

...tu s o Santo de Deus.

theou zontos

agios tou theou

3

Jo. 14:28

...porque meu Pai maior do que eu...

...porque o Pai maior do que eu...

...pois o Pai maior do que eu...

pater mou

o pater

4

At. 9:29

E falava ousadamente no nome do Senhor Jesus...

E falava ousadamente no nome de Jesus...

...pregando ousadamente em nome do Senhor...

kuriou Iesou

tou kuriou

5

Gl. 5:19

Porque as obras da carne so manifestas, as quais so: adultrio, fornicao...estin moicheia porneia

Porque as obras da carne so manifestas, as quais so: fornicao...

Ora, as obras da carne so conhecidas e so: fornicao...

estin porneia

6

Ef. 3:9

... esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;panta ktisanti dia Iesou Kristou

... esteve oculto em Deus, que tudo criou;

... oculto em Deus, que criou todas as cousas,

panta ktisanti

7

Ef. 5:30

Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e do seus ossos.sarkos autou kai ek ton osteon autou

porque somos Porque somos membros do seu membros do seu corpo. corpo.tou somatos

8

Fl 4:13

Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.me christo

Posso todas as coisas naquele que me fortalece.en to

tudo posso naquele que me fortalece.

9

1Tm. 1:17

...ao nico Deus sbio seja honra e glria...

...ao nico Deus seja honra e glria...

...Deus nico, honra e glria...

mono sopho theo

mono theo

10

1Tm. 3:16

...Deus se manifestou em carne...theos ephanerothe

...Aquele que se manifestou em carne...

...Aquele que foi manifestado na carne...

hos epharnerothe

11

1Pe. 1:22

Purificando as vossas almas pelo Esprito na obedincia verdade...

Purificando as vossas almas na obedincia verdade...

Tendo purificado as vossas almas pela vossa obedincia verdade...

dia pneumatos

upakon tes alepheias eis

12

2Pe. 3:2

...e do nosso mandamento como apstolos do Senhor...

...e do mandamento do Senhor e Salvador...

...bem como do mandamento do Senhor e Salvador...

apostolos hemon entoles

entoles tou kurie

13

Jd. 1

...aos chamados, santificados em Deus Pai...hegiasmenois

...aos chamados, queridos em Deus Pai...

...aos chamados, amados em Deus Pai...

hegapemenois

14

Jd. 25

Ao nico Deus sbio, Salvador nosso...

Ao nico Deus, Salvador nosso...

ao nico Deus, nosso Salvador...

sopho theo soteri

theo soteri

15

Ap. 1:11

Que dizia: Eu sou o Alfa e o mega, o primeiro e Que dizia: O que vs... dizendo: O que vs... o derradeiro; e o que vs...legouses ego eimi to A kai to S, ho protos kai ho eschatos, kai ho blepeis

legouses ho blepeis

16

Ap. 20:9

...e de Deus desceu fogo do cu, e os devorou.pur apo tou theou ek tou uoranou

...mas desceu fogo do cu, e os devorou.

...desceu, porm, fogo do cu e os consumiu.

pur ek tou uoranou

17

Ap. 20:12

E vi os mortos, grandes E vi os mortos, grandes e pequenos que estavam e pequenos que estavam diante de Deus... diante do trono...

Vi tambm os mortos, os grandes e os pequenos, postos em p diante do trono...

enopion tou theou

enopion tou thronou

18

Ap. 21:24

E as naes dos salvos andaro sua luz...

E as naes andaro sua luz...

As naes andaro mediante a sua luz...

kai ta ethen ton sozomenon

peripatesousin ta ethen

19

Ap. 22:14

Bem aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos...

Bem aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro...

Bem aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras [no sangue do Cordeiro]...

poiountes tas entolas

plunontes tas stolas

...Deus tirar a sua parte do livro da vida...

20

Ap. 22:19

...Deus tirar a sua parte da rvore da vida...

...Deus tirar a sua parte da rvore da vida...

biblou tes zoes

xulon tes zoes

CONCLUSO:A Bblia Almeida Revista e Corrigida (ARC) na grafia simplificada, 99% bem traduzida do Textus Receptus, porm possui alguma mistura de ingredientes do Texto Crtico (O FERMENTO DOS FARISEUS MODERNOS), que infelizmente a contamina em passagens muito importantes tornando-a desqualificada e no confivel. Isso certamente afeta DOUTRINA, por isso no deve ser recomendada. A nica Bblia pura para os crentes de lngua portuguesa a ACF Almeida Corrigida e Fiel da Sociedade Bblica Trinitariana do Brasil. Esta Sociedade Bblica a que verdadeiramente se identifica com os textos preservados pelos protestantes e que tem se separado de qualquer empreendimento ecumnico e apstata desde a sua fundao em 1831.

Sociedade Bblica Trinitariana do BrasilA Necessidade de Tradues Dignas de ConfianaHavendo a necessidade de um claro testemunho, e com isso sem comprometer a autoridade da Sagradas Escrituras e a sua inspirao, a Sociedade Bblica Trinitariana do Brasil tem por alvo prioritrio preservar a pureza da Palavra, no que tange sua traduo, e tambm promover a produo e a distribuio de tradues dignas de confiana. Ao dizer dignas de confiana, queremos dizer, "Tradues da Bblia em todas as lnguas baseadas nas lnguas originais da Bblia, isto , do Velho Testamento usando o Texto Massortico, e do Novo Testamento usando o texto grego conhecido como Textus Receptus. Este texto conhecido como Texto Tradicional, por ser o texto tradicionalmente aceito, e tambm conhecido como o Texto Majoritrio, por estar de acordo com mais de noventa e oito por cento (98%) de todos os manuscritos que existem! O texto Massortico j estava em uso comum mesmo no tempo de Jesus, e foi padronizado pelos massoretas (escribas judaicos). Agora, foi entre o quinto e sexto sculo que os massoretas introduziram as vogais na lngua. Na antiguidade, o texto hebraico foi cuidadosamente guardado pelas sagradas leis dos escribas, atravs do Talmude e houve regras acerca do tipo de peles que poderiam ser usadas, o tamanho das colunas, e somente tintas especiais poderiam ser usadas, e tambm os espaos entre letras e palavras foram especificados. O escriba no poderia escrever nada de memria. As linhas, e at as letras, sempre foram contadas. Tudo isto, e muito mais, foi feito para evitar quaisquer tipo de erro. Se um manuscrito apresentasse erros calgrafos, eles seriam obrigados a destru-lo. A descoberta dos rolos do Mar Morto s confirmam a existncia e a confiabilidade do texto hebraico Massortico. Ao chegar no Novo Testamento e no Textus Receptus, chegamos tambm na rea mais polmica, pois alm do Textus Receptus existem tambm vrios outros textos.

Desde o ministrio de Cristo at mais ou menos o ano 100 d.C., os manuscritos originais do Novo Testamento foram escritos na lngua grega, chegando ao ano 400 d.C. o Novo Testamento foi compilado. Foi assim que no ano 160 d.C., que vinte livros do Novo Testamento j haviam sido aceitos entre os cristos, e at o ano 400 d.C. os 27 livros que compe o Novo Testamento j eram reconhecidos como cannicos. O Esprito Santo guiou homens a escolherem somente livros genunos e guiou-os tambm na seleo de manuscritos puros. Os livros e manuscritos falsos foram rejeitados. Com o passar do tempo, e com o manuseio destes manuscritos originais, ou seja, o constante uso para leitura e para fazer cpias, fizeram com que estes manuscritos originais se perdessem. Com todo este uso foram perdidos tambm as primeiras geraes de cpias, mas, so cpias destas que hoje podemos comparar e saber que possumos cpias fiis dos manuscritos originais. Durante o perodo Bizantino nos anos 312 - 1453 d.C., o Textus Receptus foi usado pela Igreja Grega. Por isso o texto tambm conhecido como o Texto Bizantino. Podemos ver como o Esprito Santo guiou-os na preservao e no uso deste texto. Veio deste mesmo texto, a Peshita, a Itlica, a Cltica, a Gaulesa, e a Bblia Gtica. Na idade mdia as verses dos Waldenses, dos Albigenses e outras verses, foram suprimidas por Roma. No ano 1516, Desidrio Erasmo editou a primeira impresso do Novo Testamento Grego. Esse texto estava de acordo com o Textus Receptus. No ano de 1522, Martinho Lutero completou a sua traduo do Novo Testamento alemo. Quatro anos depois na Alemanha, o ingls William Tyndale, completou a sua traduo do Novo Testamento em ingls. Estes dois homens usaram o Textus Receptus. Dez anos mais tarde, William Tyndale foi morto, sendo colocado numa estaca e queimado vivo tornando-se um mrtir. Tudo isto s porque ele havia imprimido a Bblia na verso inglesa. Em 1546, 1549, 1550, e 1551, o novo Testamento grego de Robert Stephens foi publicado em Paris. A edio de 1551 conhecida como a Editio Regia (Edio Real), seguiu o texto das edies de 1527 e 1535 de Erasmo. Teodoro Beza, publicou em Genebra, quatro edies em flios do texto grego de Stephens com algumas pequenas mudanas e com uma traduo dele no latim nos anos 1565, 1582, 1588, e 1598. Ele publicou vrias outras edies, mas particularmente a sua edio de 1598 e as duas ltimas edies de Stephens, que foram usadas principalmente na Verso Autorizada de 1611, e para a verso Joo Ferreira de Almeida, de 1681. Foi Boaventura e Abrao Elzevir, scios de uma publicadora, que publicaram edies do texto grego em Leyden em 1624, 1633, e 1641 seguindo a edio de 1565 de Beza. No prefcio da edio de 1633 foi escrito Textum ergo habes, nunc ab omnibus receptum... foi assim que surgiu o nome Textus Receptus a esta forma de texto. este texto que se tornou a base para Verso Autorizada e tambm a traduo Statemvertaling de 1637 da Holanda, e todas as verses protestantes do perodo da Reforma na Sculo XVI. As edies de Stephens, Beza e os dois Elzevir, estes todos apresentam substancialmente o mesmo texto, ou seja, o Textus Receptus. Em 1611 a Verso Autorizada da Bblia foi traduzida do Textus Receptus no Novo Testamento e do Texto Massortico hebraico no Velho Testamento. A histria da Verso Autorizada muito interessante. Em 1604 o Rei James I da Inglaterra autorizou um comit de aproximadamente 50 sbios com timos conhecimentos nas duas lnguas, a saber, o grego e o hebraico, para preparar uma reviso das tradues no ingls mais antigo. Foi a beleza e a graa desta traduo que estabeleceram a King James Version ou Autorized Version como um dos maiores tesouros de lngua inglesa. Foi neste perodo que a Bblia Genebra foi produzida, e tambm a Bblia francesa por Olivetan. No ano de 1681, Joo Ferreira de Almeida completou sua traduo do Novo Testamento na lngua portuguesa, tambm baseada no Textus Receptus. Em 1741 ele faleceu sem haver concludo a traduo do Velho Testamento. Contudo, esta tem sido a mais popular verso j traduzida na lngua portuguesa. Muitas vezes esta traduo tem sido comparada com a Verso Autorizada em Ingls. O texto de Joo Ferreira de Almeida foi revisado e reimpresso em 1693 e em 1711. Desde as mudanas ortogrficas da lngua portuguesa em 1946, saram vrias novas edies e por isto ns conhecemos as verses Corrigida, Revisada & Corrigida, Revista & Atualizada, e outros. Recentemente surgiram novas verses. Estas verses quando comparadas com as antigas edies (e at certas destas edies), notamos com surpresas que h muitas mudanas. Elas esto omitindo ou alterando radicalmente passagens das Escrituras. A razo bsica de tais mudanas nas recentes edies da traduo de Joo Ferreira de Almeida, e das tradues modernas, que novos textos gregos esto sendo usados. Quase todos (se no todos) os Seminrios aqui

no Brasil esto usando nas suas aulas da lngua grega, o texto Nestl-Aland, e mais recentemente o texto grego das Sociedades Bblicas Unidas. Nossos alunos esto lendo as suas Bblias com a traduo de Joo Ferreira de Almeida baseado no Textus Receptus, mas nas suas aulas eles esto estudando a lngua grega usando outro texto grego! Torna-se necessrio perguntar se a nova ou a velha traduo tem mais atestao nos manuscritos. Agora, com todas as modernas verses e com todas as diferenas entre elas, podemos nos tornar confusos. Chegamos ento hora de perguntar: "O que est errado com o texto que est por baixo das verses modernas?" Para se ver isto, temos que estudar a cronologia destes outros textos. Foi assim, que enquanto os verdadeiros livros do Novo Testamento estavam sendo escritos, certos falsos profetas tambm estavam escrevendo evangelhos corruptos e outros livros. Paulo menciona isto em II Corntios 2:17, "Porque ns no somos, como muitos, falsificadores da Palavra de Deus...." Sob a direo do Esprito Santo, estes manuscritos falsos ou corrompidos foram rejeitados e no foram reconhecidos com o Textus Receptus. Em 331 d.c., o Imperador Constantino ordenou que se escrevesse uma Bblia "ecumnica", e que a mesma fosse aceita por todo tipo de cristos sob sua jurisdio. Ento um certo homem chamado Eusbio foi designado para dirigir est obra. Um fato interessante que Eusbio era seguidor de Orgenes, o qual rejeitava a deidade de Cristo. Ele alegava que Cristo era meramente um ser humano, e ento criado. Os "Testemunhas de Jeov" hoje alegam a mesma heresia. Esse erro chama-se: a heresia de Ariano. Em 1481 um manuscrito foi descoberto na Biblioteca Vaticana. Tal manuscrito chama se: Vaticano ou Cdice B, tratase de um manuscrito corrupto que repetidamente joga fora a Deidade de Cristo. Reflete ento sobre o Arianismo de Orgenes em que alguns pensam que este pode ser um dos manuscritos que sobreviveu, e que fora feito por Eusbio designado pelo Imperador Constantino. Ser que s coincidncia que sua data coincida com a da "Bblia Ecumnica" de Constantino? Em 1844 o manuscrito Sinatico foi descoberto no Mosteiro de Santa Catarina no monte Sinai. Este texto tem por nome Cdice Sinatico, e tambm conhecido pela primeira letra do alfabeto hebraico "?" (lef), sendo identificado tambm como um manuscrito que concorda com o Vaticano e minimiza a Deidade de Cristo, e a sua natureza Ariana. Alguns sugeriram que este texto est ligado a Bblia que fora feita para o Imperador Constantino. Em 1881 o texto grego "Wescott e Hort" foi introduzido ele aparta-se do Textus Receptus para seguir os corruptos textos, Vaticano e Sinatico. interessante que com 23 anos, Fenton John Anthony Hort mostrou sua determinao em depor o que ele chamava "aquele vil Textus Receptus". Foi s no ano seguinte que ele e Brooke Foss Wescott comearam ento o plano de revisar o texto grego. Demorou 28 anos, mas seu texto saiu. Para conseguir este alvo, eles tinham que desacreditar no Textus Receptus. A maior parte das pessoas estudadas em todos os aspectos da cristandade, sabendo ou no, tem promovido o texto de Wescott & Hort desde ento. A Bblia dos "Testemunhas de Jeov" chamada a Traduo do Novo Mundo das Escrituras Sagradas foi traduzida do texto de Wescott & Hort. Sua amizade com este texto grego no surpreendente. Eles tambm rejeitam a Deidade de Cristo e ganham fora por este texto grego no surpreendente. Eles tambm rejeitam a Deidade de Cristo e ganham fora por este texto corrupto. Na pgina introdutria diz: "Traduo da verso inglesa de 1961 mediante consulta constante ao antigo texto hebraico, aramaico e grego". Pela maior parte, se no por todas, as tradues modernas da Bblia fazem a mesma coisa, pois seguem a trilha dos piores manuscritos existentes. O Textus Receptus desprezado, e mesmo que no fosse desprezado, as escolas ainda assim, tem usado algum outro texto grego, e no o Textus Receptus. No necessrio falar sobre a Bblia na Linguagem de Hoje. O nosso irmo Dr. Leonard Meznar tem escrito muito acerca deste livro perigoso na srie de artigos do jornal O Presbiteriano Bblico chamado, " A Bblia na Linguagem de Hoje: Um livro Anticristo." Basta observarmos nas Escrituras o versculo de I Pedro 2:2 na Bblia Corrigida. Pois declara: "Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, no falsificado, para que por ele vades crescendo. "O sentido deste versculo bem claro. Aqueles que tem sido nascidos de novo (por ter recebido o Senhor Jesus) devem alimentar-se da Palavra de Deus para ento desenvolver-se na graa de Cristo e na vida crist. Este crescimento no tem nada a ver com a salvao inicial. Em primeiro lugar vem a salvao, e em seguida, o crescimento espiritual do crente. Note bem que a Bblia na Linguagem de Hoje abre a porta para uma salvao gradual, ou seja, uma salvao atravs das obras. "Sejam como criancinhas recm-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, cresam e sejam salvos."

Concluindo, gostaria de apresentar uma advertncia: Joo Ferreira de Almeida usou o Textus Receptus para fazer sua traduo, mas pouco a pouco com as novas edies, este texto vem sendo corrompido pelas editoras brasileiras, onde elas esto atacando a Pessoa de Jesus Cristo por omitirem os ttulos referente ao Senhor Jesus Cristo tais quais: "Cristo", "Senhor", e "Sangue" como mostrado na passagem de Colossenses 1:14. Certos versculos esto omitidos, e outros esto colocados entre colchetes com uma explicao que gera dvidas acerca de sua autenticao e autoridade. Como isto est sendo feito? Eles tem tomado esta traduo baseado no Textus Receptus, e esto usando estes outros textos gregos como textos de maior autoridade e at dizem que usam textos "melhores" e mais "antigos". Dou graas a Deus pela salvao que ele me tem dado, e pela preservao providencial de Sua Palavra escrita, onde confiadamente podemos fazer uso da mesma para nosso crescimento espiritual. Podemos agradecer a Deus por termos um texto completamente fiel que passa de gerao a gerao. Pr. Robert Gerald Kilko Discurso feito na inaugurao das novas instalaes da Sociedade Bblica Trinitariana do Brasil em 25/05/1991.

Qual a declarao de f de GotQuestions.org?

Seo 1: A Bblia Acreditamos que a Bblia, composta do Antigo e Novo Testamentos, a inspirada, infalvel e autoritria Palavra de Deus (Mateus 5:18; 2 Timteo 3:16-17). Em f acreditamos que a Bblia inerrante em seus escritos originais, inspirada por Deus e a autoridade completa e final para conduta e doutrina (2 Timteo 3:16-17). Mesmo usando os estilos individuais dos autores humanos, o Esprito Santo os guiou perfeitamente para garantir que escrevessem exatamente o que Deus queria, sem erros ou omisses (2 Pedro 1:21). Seo 2: Deus Cremos em um Deus, que o Criador de tudo que h (Deuteronmio 6:4; Colossenses 1:16), o qual revelou-se em trs Pessoas distintas: Pai, Filho e Esprito Santo (2 Corntios 13:14), ao mesmo tempo sendo apenas um em seu ser, essncia e glria (Joo 10:30). Deus eterno (Salmos 90:2), infinito (1 Timteo 1:17) e soberano (Salmos 93:1). Deus onisciente (Salmos 139:1-6), onipresente (Salmo 139:7-13), onipotente (Apocalipse 19:6) e imutvel (Malaquias 3:6). Deus santo (Isaas 6:3), justo (Deuteronmio 32:4) e reto (xodo 9:27). Deus amor (1 Joo 4:8), gracioso (Efsios 2:8), misericordioso (1 Pedro 1:3) e bom (Romanos 8:28). Seo 3: Jesus Cristo

Acreditamos na divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele Deus encarnado, Deus em forma humana, a expressa imagem do Pai, que, sem deixar de ser Deus, se fez homem para que pudesse ento demonstrar quem Deus , assim como providenciar o meio de salvao para a humanidade (Mateus 1:21; Joo 1:18, Colossenses 1:15). Acreditamos que Jesus Cristo foi concebido do Esprito Santo e nasceu da Virgem Maria; que Ele verdadeiramente e plenamente Deus e ao mesmo tempo verdadeiramente e plenamente homem; que Ele viveu uma vida perfeita e sem pecado; que todos os Seus ensinamentos so verdadeiros (Isaas 14; Mateus 1:23). Acreditamos que o Senhor Jesus Cristo morreu na cruz por toda a humanidade (1 Joo 2:2) como um sacrifcio substitucionrio (Isaas 53:5-6). Afirmamos que Sua morte suficiente para fornecer salvao para todos os que O recebem como Salvador (Joo 1:12, Atos 16:31); que nossa justificao fundamentada no derramamento de Seu sangue (Romanos 5:9; Efsios 1:17), e que comprovada pela sua ressurreio literal e fsica dos mortos (Mateus 28:6; 1 Pedro 1:3). Acreditamos que o Senhor Jesus Cristo ascendeu ao Cu em Seu corpo glorificado (Atos 1:910) e est agora sentado direita de Deus como nosso Sumo Sacerdote e Advogado (Romanos 8:34, Hebreus 7:25). Seo 4: O Esprito Santo Acreditamos na divindade e personalidade do Esprito Santo (Atos 5:3-4). Ele regenera os pecadores (Tito 3:5) e habita nos fiis (Romanos 8:9). Ele o agente pelo qual Cristo batiza todos os crentes em Seu corpo (1 Corntios 12:12-14). Ele o selo atravs do qual o Pai garante a salvao dos fiis at o dia da redeno (Efsios 1:13-14). Ele o Mestre Divino que ilumina os coraes e mentes dos crentes medida que estudam a Palavra de Deus (1 Corntios 2:9-12). Acreditamos que o Esprito Santo soberano e o nico responsvel pela distribuio dos dons espirituais (1 Corntios 12:11). Acreditamos que os dons miraculosos do Esprito, enquanto no estejam foram da habilidade do Esprito de realizao, no mais funcionam como no incio do desenvolvimento da igreja (1 Corntios 12:4-11; 2 Corntios 12:12; Efsios 2:20; 4:7-12). Seo 5: Anjos e Demnios Acreditamos na realidade e personalidade dos anjos. Ns acreditamos que Deus criou os anjos para serem Seus servos e mensageiros (Neemias 9:6; Salmos 148:2; Hebreus 1:14). Acreditamos na existncia e personalidade de Satans e seus demnios. Satans um anjo cado do cu que levou um grupo de anjos a rebelar-se contra Deus (Isaas 14:12-17; Ezequiel 28:12-15). Ele o grande inimigo de Deus e do homem, e os demnios so seus agentes no mal. Ele e seus demnios sero eternamente punidos no lago de fogo (Mateus 25:41; Apocalipse 20:10). Seo 6: Humanidade Acreditamos que a humanidade passou a existir atravs da criao direta de Deus e que a humanidade exclusivamente feita imagem e semelhana de Deus (Gnesis 1:26-27). Acreditamos que toda a humanidade, em virtude da queda de Ado, herdou uma natureza pecaminosa; que todos os seres humanos escolhem pecar (Romanos 3:23); e que todo o pecado extremamente ofensivo a Deus (Romanos 6:23). A humanidade absolutamente

incapaz de corrigir seu estado cado e pecaminoso (Efsios 2:1-5,12). Seo 7: Salvao Acreditamos que a salvao um dom da graa de Deus atravs da f na obra completa de Jesus Cristo na cruz (Efsios 2:8-9). A morte de Cristo realizou por completo a justificao atravs da f, assim como a redeno do pecado. Cristo morreu em nosso lugar (Romanos 5:8-9) e carregou os nossos pecados no Seu prprio corpo (1 Pedro 2:24). Acreditamos que a salvao recebida apenas atravs da graa, apenas atravs da f em Cristo e s nEle. Boas obras e obedincia so resultados da salvao, e no exigncias para a salvao. Devido grandeza, suficincia e perfeio do sacrifcio de Cristo, todos aqueles que tm verdadeiramente recebido a Cristo como Salvador esto eternamente seguros na salvao, a qual protegida pelo poder de Deus e garantida e selada em Cristo para sempre (Joo 6:37-40 ; 10:27-30; Romanos 8:1, 38-39; Efsios 1:13-14; 1 Pedro 1:5; Judas 24). Assim como a salvao no pode ser recebida atravs de boas obras, ela tambm no precisa de boas obras para ser mantida ou sustentada. Boas obras e vidas transformadas so resultados inevitveis da salvao (Tiago 2). Seo 8: A Igreja Acreditamos que a Igreja, o Corpo de Cristo, um organismo espiritual composto de todos os crentes da presente era (1 Corntios 12:12-14; 2 Corntios 11:2; Efsios 1:22-23, 5:25-27). Acreditamos nas ordenanas do batismo do crente por imerso em gua como um testemunho de Cristo e da sua identificao com Ele; e da Ceia do Senhor como uma lembrana da morte de Cristo e do Seu sangue derramado (Mateus 28:19-20; Atos 2 :41-42, 18:8, 1 Corntios 11:23-26). Atravs da igreja, crentes devem ser ensinados a obedecer ao Senhor e a testemunhar sobre a sua f em Cristo como Salvador; e honr-lO com uma vida santa. Acreditamos na Grande Comisso como a principal misso da Igreja. a obrigao de todos os crentes de ser um testemunho, atravs de palavra e ao, das verdades da Palavra de Deus. O evangelho da graa de Deus para ser pregado para todo o mundo (Mateus 28:19-20; Atos 1:8, 2 Corntios 5:19-20). Seo 9: Coisas por vir Acreditamos na bem-aventurada esperana (Tito 2:13), na vinda pessoal e iminente do Senhor Jesus Cristo para arrebatar Seus santos (1 Tessalonicenses 4:13-18). Acreditamos no retorno visvel e corporal de Cristo terra com Seus santos para estabelecer Seu prometido reino milenar (Zacarias 14:4-11; 1 Tessalonicenses 1:10; Apocalipse 3:10, 19:11-16, 20:1 -6). Acreditamos na ressurreio fsica de todos os homens- dos santos alegria e felicidade eterna sobre a Nova Terra, e dos mpios ao castigo eterno no lago de fogo (Mateus 25:46, Joo 5:28-29; Apocalipse 20:5 -6, 12/13). Acreditamos que as almas dos fiis so, no momento da morte, ausentes do corpo e presentes com o Senhor, onde aguardam a sua ressurreio, quando esprito, alma e corpo so reunificados para serem glorificados para sempre com o Senhor (Lucas 23:43; 2 Corntios 5:8, Filipenses 1:23, 3:21, 1 Tessalonicenses 4:16-17). Acreditamos que as almas dos incrdulos permanecem, aps a morte, em misria consciente at sua ressurreio, quando, com a alma e o corpo reunificados, aparecero no julgamento do grande Trono Branco e sero lanados no lago de fogo para sofrer castigo eterno (Mateus 25:41-46; Marcos 9:43-48, Lucas 16:19-26; 2 Tessalonicenses 1:7-9; Apocalipse 20:11-15).