Calculos e Drogas 2009

download Calculos e Drogas 2009

of 85

  • date post

    26-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    2.030
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Calculos e Drogas 2009

Clculo e Administrao de MedicamentosEnf Patricia Coelho Braga

Definio

Medicamento a droga ou conjunto de drogas de ao farmacolgica benfica, quando utilizada de acordo com suas indicaes e propriedades.

Clculo e Diluio de Medicamentos

Clculo e Diluio de MedicamentosEfeito desejado Excipiente: substncia que serve para ligar, dissolver ou modificar o gosto ou aspecto. Em geral, acompanha o princpio ativo.

Dose Correta

Frmula

Princpio Ativo: componente principal de um medicamento

Clculo e Diluio de MedicamentosTECIDOS VIVOS DROGAS

Constitudos por molculas. Unio das molculas resulta:

Ao das drogas em locais especficos (efeitos desejados).

Clculo e Diluio de Medicamentos

FarmacocinticaAbsoro: a passagem do frmaco do local da administrao at a corrente sangunea.Distribuio: como o frmaco se encaminha dissolvido no plasma por todo o organismo.

Clculo e Diluio de MedicamentosDistribuio Tecidos

local de ao (frao da droga)

todos os outros rgos

Clculo e Diluio de Medicamentos

Biotransformao: a alterao qumica que o organismo faz ao frmaco como objetivo de elimin-lo (metabolizao). Excreo: a eliminao dos frmacos de forma inalterada ou de seus metablitos, sendo feito por diferentes vias como renal e heptica.

Clculo e Diluio de Medicamentos

Farmacodinmica

Sinergismo: maximizao do efeito esperado. Antagonismo: alterao ou eliminao do efeito esperado.

Clculo e Diluio de MedicamentosFatores que alteram os efeitos dos medicamentos

Fatores intrnsecos:

Idade Peso Sexo Estados patolgicos nutricionais

Fatores extrnsecos:

Formulao farmacutica (V.O. diferente de E.V.). Condies de uso (conservao inadequada).

SUBLINGUALVIA ORAL

INTRAMUSCULARENDOVENOSA

INTRATECALOUTRAS

SLIDO

SEMI SLIDO

LQUIDO

GASOSO

Solues - concentraes

O termo osmolaridade define a quantidade de soluto existente numa poro definida de solvente. A classificao das solues feita segundo sua osmolaridade, e podem ser de trs tipos:

Isotnica: Soluo de osmolaridade igual do sangue. Ex: soluo fisiolgica, que contm 0,9% de NaCl; As solues de SG5% e SF0,9% so consideradas isotnicas. Acima destes nmeros, so hipertnicas, e abaixo, hipotnicas. Hipertnica: Soluo de osmolaridade maior que a do sangue. Ex: soluo de NaCl superior a 0,9%. Hipotnica: Soluo de osmolaridade menor que a do sangue. Ex: gua destilada.

Clculo e Diluio de MedicamentosSoluo Isotnica: uma soluo com umaconcentrao igual ou mais prximo possvel do plasma.

Soluo Hipertnica: uma soluo com maiorconcentrao do que o plasma.

Soluo Hipotnica: uma soluo com menorconcentrao do que o plasma.

Solues - conceitos

Soluto: a substncia adicionada (no caso, o medicamento) ao solvente para o preparo da soluo. A quantidade de soluto dentro de uma soluo pode ser indicada diretamente ou expressa em porcentagem ou em soluo. Solvente: o lquido (gua destilada ou soro fisiolgico) no qual o soluto dissolvido. Soluo: a unio do soluto com o solvente. A soluo uma mistura homognea, ou seja, h a dissoluo total do soluto no solvente.

Clculo e Diluio de Medicamentos

Consideraes ticas e LegaisCdigo de tica dos Profissionais de Enfermagem

Resoluo COFEN n 160, de 12 de maio de 1993

Clculo e Diluio de Medicamentos

Das responsabilidadesArt. 16 - Assegurar ao cliente uma assistncia de enfermagemlivre de danos decorrentes de impercia, negligncia e imprudncia.

Art. 17 - Avaliar atenciosamente sua competncia tcnica e legal esomente aceitar encargos e atribuies desempenho seguro para si e para clientela. quando capaz de

Clculo e Diluio de Medicamentos

Dos deveres

Art. 24 Prestar a clientela um assistncia de enfermagemlivre de riscos imprudncia. decorrentes de impercia, negligncia e

Clculo e Diluio de Medicamentos

Das proibiesArt. 47 Administrar medicamentos sem certificar-se da natureza das drogas que o compem e da existncia de risco para o cliente.Art. 48 Prescrever medicamentos ou praticar ato cirrgico, exceto os previstos na legislao vigente e em caso de emergncia. Art. 50 Executar prescries teraputicas quando contrrias segurana do cliente.

Cuidados de EnfermagemLavar

sempre as mos antes e depois do preparo e administrao de medicamentos; Preparar o medicamento em ambiente com boa iluminao; Concentrar-se no preparo, evitando distrair a ateno com atividades paralelas; Realizar o preparo somente quando tiver a certeza do medicamento prescrito, dosagem e via de administrao;

Cuidados de EnfermagemObservar

o aspecto e caractersticas da medicao, antes de

prepar-la; Deixar o local de preparo de medicao em ordem e limpo, utilizando lcool a 70% para desinfetar a bancada; Utilizar bandeja ou carrinho de medicao devidamente limpos (desinfeco); Identificar o medicamento preparado com o nome do paciente, nmero do leito, nome da medicao, via de administrao e horrio;

Cuidados de EnfermagemLer

e conferir o rtulo do medicamento trs vezes: ao pegar o frasco, ampola ou envelope de medicamento; antes de colocar o medicamento no recipiente prprio para administrao; ao recolocar o recipiente na prateleira ou descartar a ampola/frasco ou outra embalagem. Quanto ao preparo de medicamentos para mais de um paciente, conveniente organizar a bandeja dispondo-os na seqncia de administrao e utilizar uma cuba rim exclusiva para desprezar o material utilizado.

Cuidados na AdministraoManter

a bandeja ou o carrinho de medicao sempre vista; No tocar com a mo em comprimidos, cpsulas, drgeas, pastilhas; Durante a administrao, nunca deixe-os sozinhos junto ao paciente; Antes de administrar o medicamento, esclarecer o paciente sobre os medicamentos que ir receber, de maneira clara e compreensvel, bem como conferir cuidadosamente a identidade do mesmo, para certificar-se de que est administrando o medicamento pessoa certa;

Cuidados na AdministraoPermanecer

junto ao paciente at que o mesmo tome o medicamento. Nunca despreze o material utilizado no quarto do paciente, tudo dever ser desprezado no expurgo/posto. Efetuar o registro do que foi fornecido ao paciente, aps administrar medicamento; Todo medicamento administrado deve ser registrado e rubricado, na prescrio. Nas aplicaes parenterais importante anotar o local de administrao.

Regras GeraisTodo

medicamento deve ser prescrito pelo mdico. A prescrio deve ser escrita e assinada. Somente em caso de emergncia a enfermagem pode atender prescrio verbal, que dever ser transcrita pelo mdico logo que possvel. Nunca administrar medicamento sem rtulo. Verificar data de validade do medicamento antes de abri-lo. No administrar medicamentos preparados por outras pessoas.

Regras GeraisInterar-se

sobre as diversas drogas, para conhecer cuidados especficos e efeitos colaterais: melhor horrio; diluio formas, tempo de validade; ingesto com gua, leite, sucos; antes, durante ou aps as refeies ou em jejum; incompatibilidade ou no de mistura de drogas;

Tendo dvida sobre o medicamento, no administr-lo. Manter controle sobre medicamentos disponveis. Alguns medicamentos, como antibiticos, vitaminas e sulfas, precisam ser guardados corretamente, pois se alteram na presena da luz, do ar ou do calor.

Clculo e Diluio de Medicamentos

Principais Conceitos

Soluo: uma mistura homognea composta desolvente e soluto.

Solvente: a poro lquida da soluo.Soluto: a poro slida da soluo.

Clculo e Diluio de Medicamentos

Conservao dos Medicamentos

Umidade

Luz

Sujidade

Calor

Clculo de medicamentos

Uma das atividades que o Tcnico/Auxiliar de enfermagem realiza com mais freqncia a administrao de medicamentos. Para faz-lo corretamente, na dose exata, muitas vezes ele deve efetuar clculos matemticos, porque nem sempre a dose prescrita corresponde contida no frasco. Os clculos, todavia, no so muito complicados. Quase sempre podem ser feitos com base na regra de trs simples.

Clculo e Diluio de Medicamentos

Porcentagem

a relao de g/ml, ou seja, 5% = 5 gramas por 100 ml de solvente

Clculo e Diluio de Medicamentos

Exemplo: Quantos gramas de glicose existem na ampola de glicose?Glicose 25% 10 ml

Clculo e Diluio de Medicamentos

O que significa 25%?

Significa que existem 25 gramas de glicose em 100ml. Portanto: 25g ________________ 100 ml X g _________________ 10 ml X= 2,5 gramas

Clculo e Diluio de Medicamentos1 g= 1000mg1l = 1000ml

1ml= 20 gotas

N de gts= volume 3. t

N de micro = volume t N de micro= V. 60 t (min)

N de gts= V.20__ t(min)

1 gota = 3 microgotas

Operao matemtica com nmeros decimais ADIOQuando somamos nmeros decimais, as vrgulas so colocadas uma embaixo da outra. Por exemplo: 5,178 + 3,34 + 1,2 5,178 3,34 + 1,2 9,718

SUBTRAO

Quando subtramos nmeros decimais, tambm s coloca vrgula embaixo de vrgula. Por exemplo: 7,48 2,37,48 2,3 5,18

MULTIPLICAO Aqui a vrgula NO precisa ficar embaixo da outra, mas necessrio efetuarmos a multiplicao dos nmeros, somar as casas decimais direita do multiplicador e do multiplicando, quando for colocar a resposta, e ento colocar a vrgula de acordo com o total de casas decimais D. Por exemplo: 5,383 (multiplicando) x 2,41 (multiplicador) 12,973

Multiplicao por decimais mltiplos de 10 (10, 100 , 1000, etc...)

Ex: 3,211 x 10 = 32,11 3,211 x 100 = 321,1 3,211 x 1000 = 3.211 Ento, para efetuarmos a multiplicao de um n decimal, devemos deslocar a vrgula para a D uma, duas ou trs casas e assim por diante.

DIVISO Para dividir um nmero decimal ml