Campo Grande

Click here to load reader

  • date post

    25-Sep-2015
  • Category

    Documents

  • view

    3
  • download

    1

Embed Size (px)

description

A praça sempre desempenhou um papel importante ao longo da história. Com o crescimento dos centros urbanos ocorreram mudanças sociais, culturais e de costumes. Com essas mudanças e o aumento da violência urbana, as praças vêm perdendo lugar para os shoppings centers e condomínios fechados, sendo também alvo de abandono, degradação e falta de investimentos públicos.

Transcript of Campo Grande

  • Sumrio

    RESUMO ........................................................................................................................................ 2

    INTRODUO ................................................................................................................................ 3

    OBJETIVOS DA PESQUISA .............................................................................................................. 4

    OBJETIVO GERAL ....................................................................................................................... 4

    OBJETIVOS ESPECFICOS ............................................................................................................ 4

    QUALIDADE AMBIENTAL URBANA E QUALIDADE DE VIDA ........................................................... 5

    PRAAS PBLICAS ......................................................................................................................... 6

    A PRAA NO BRASIL ...................................................................................................................... 6

    PRAAS PBLICAS DE SALVADOR ................................................................................................. 6

    A PRAA DOIS DE JULHO CAMPO GRANDE .............................................................................. 10

    Localizao da Praa Dois de Julho - Campo Grande .............................................................. 10

    Histrico da Praa Dois de Julho - Campo Grande .................................................................. 10

    METODOLOGIA............................................................................................................................ 11

    A BUSCA POR UMA METODOLOGIA ....................................................................................... 11

    PROCEDIMENTO METODOLGICO ESCOLHIDO ...................................................................... 11

    PROCEDIMENTOS METODOLGICOS APLICADOS AO CAMPO GRANDE ................................ 11

    ANLISE DA QUALIDADE AMBIENTAL URBANA DA PRAA DOIS DE JULHO ........................... 12

    PLANTA BAIXA PRAA DOIS DE JULHO - CAMPO GRANDE ......................................................... 13

    ENTREVISTAS ............................................................................................................................... 14

    PERFIL DOS USURIOS ................................................................................................................ 14

    A PRAA E SUA DINMICA .......................................................................................................... 23

    A PRAA COMO ESPAO DE VANDALISMO E FALTA DE MANUTENO .................................... 23

    CONCLUSES ............................................................................................................................... 25

    REFERNCIAS ............................................................................................................................... 26

    APNDICES .................................................................................................................................. 27

    ANEXO ......................................................................................................................................... 29

  • 2

    RESUMO

    A praa sempre desempenhou um papel importante ao longo da histria. Com o crescimento dos centros urbanos ocorreram mudanas sociais, culturais e de costumes. Com essas mudanas e o aumento da violncia urbana, as praas vm perdendo lugar para os shoppings centers e condomnios fechados, sendo tambm alvo de abandono, degradao e falta de investimentos pblicos. Este estudo de caso concentra-se na Praa Dois de Julho - Campo Grande, maior praa de Salvador, localizada na rea central da cidade, possui grande valor, histrico, ambiental e cultural. Aps anos de abandono a praa passou por uma grande reforma. Observar e vivenciar a dinmica da praa, entender a relao do usurio com o ambiente, o uso e apropriao do espao, e como esse espao com seus componentes fsicos e ambientais contribuem para a qualidade de vida dos usurios e para a qualidade ambiental urbana de Salvador, foram essenciais para analisar a qualidade ambiental urbana da praa. As descobertas da pesquisa contriburam para conhecer os pontos positivos e negativos da praa atravs da percepo dos usurios.

  • 3

    INTRODUO

    A proposta desta pesquisa foi analisar a qualidade ambiental urbana da Praa Dois de Julho - Campo Grande (maior praa de Salvador) atravs da percepo dos usurios, com o objetivo de compreender atravs de indicativos de quem usa, o desempenho desse espao, o nvel de satisfao dos usurios e seu papel na qualidade ambiental urbana. A percepo foi o recurso utilizado para o conhecimento da praa e o usurio o elemento principal da pesquisa, ele vive e experincia os espaos e tem a capacidade de avaliar criticamente a qualidade do ambiente, identificando erros e acertos que podero servir para realimentao do espao, direcionamento de uma reforma, revitalizao, alm de servir como referencial para novos projetos. Existem inmeros conceitos para qualidade ambiental, qualidade ambiental urbana e qualidade de vida. A abrangncia do conceito de qualidade ambiental se deve a vastido do meio ambiente e suas peculiaridades. J o conceito de qualidade ambiental urbana est diretamente relacionado aos ambientes construdos e qualidade de vida que esses ambientes proporcionam para as pessoas, uma vez que os espaos urbanos construdos, criados pelo homem, podem repercutir de forma positiva ou negativa na qualidade de vida das pessoas. A pesquisa buscou analisar a qualidade ambiental, atravs do comportamento do usurio no ambiente, identificando o sentimento que tem ao frequentar a praa e em o que esse meio fsico contribui para a sensao de bem estar, seja ao fazer caminhadas matinais, contemplar a paisagem, passear com crianas, encontrar com amigos ou outras funes que a praa pode oferecer. Para que o ambiente seja agradvel para quem frequenta necessrio que esse meio fsico atenda s necessidades dos usurios, para isso foram considerados fatores negativos como sujeira, desconforto, degradao, inadequao de usos, falta de manuteno. E positivos como arborizao abundante, pista de cooper, equipamentos conservados, segurana, entre outros.

  • 4

    OBJETIVOS DA PESQUISA

    OBJETIVO GERAL

    Analisar a qualidade ambiental urbana da Praa do Campo Grande atravs da percepo dos usurios.

    OBJETIVOS ESPECFICOS

    1. Analisar a contribuio da Praa do Campo Grande para a melhoria da qualidade de vida dos seus usurios.

    2. Analisar como os aspectos fsicos da Praa, tais como: piso, bancos, iluminao,

    equipamentos para atividades fsicas, arborizao, equipamentos para crianas contribui para a qualidade do ambiente.

    3. Analisar, atravs da percepo dos usurios, a satisfao em relao Praa do

    Campo Grande aps a reforma, levando em considerao os aspectos fsicos e ambientais.

  • 5

    QUALIDADE AMBIENTAL URBANA E QUALIDADE DE VIDA

    Nesta pesquisa para que uma praa possua boa qualidade ambiental urbana ser necessrio que o conjunto de fatores descritos abaixo contribuam para um ambiente saudvel. Conforto - trmico, fsico e acstico. O conforto trmico a sensao de bem estar dos usurios proporcionada por ventilao, sol, sombra, presena de rvores. O conforto fsico proporcionado quando os elementos construdos que compem o ambiente como bancos, pisos, postes de iluminao, cabine telefnica, possuem boa qualidade e materiais adequados. O conforto acstico - a sensao de bem estar proporcionada aos usurios quando a calma e tranquilidade do ambiente no sofrem interferncia de fatores externos como rudos, buzinas, som alto.

    Segurana - fsica e pblica. A segurana fsica possvel quando os elementos que compem o ambiente, como rvores, postes de iluminao, cabine telefnica, piso regular e antiderrapante, mobilirios como bancos, parque, equipamentos para atividades fsicas, acessibilidade para portadores de necessidades especiais, so adequados e apresentam bom estado de conservao, possuem manuteno frequente e no coloca em risco a integridade fsica dos usurios contribuindo para a sensao de bem estar. Elementos estticos - quando o conjunto de elementos formado pelo ambiente construdo e natural atrai os usurios proporcionando prazer e bem estar, convidando-os a contemplao. Elementos fsicos os elementos fsicos que compem o ambiente como piso, bancos, telefones pblicos, sanitrios, mobilirio, vegetao, paisagismo, iluminao, quando apresentam qualidade, adequao de material, manuteno e limpeza contribuem para a qualidade do ambiente. Elementos biolgicos so elementos da natureza como fauna e flora que contribuem para equilibrar o ambiente construdo proporcionando satisfao aos usurios. Convvio social - um ambiente democrtico, seguro, acessvel, esteticamente atraente com elementos fsicos e biolgicos satisfatrios, favorecem o convvio social.

  • 6

    PRAAS PBLICAS

    A PRAA NO BRASIL

    A maioria dos estudos sobre praas brasileiras comea descrevendo o surgimento desses espaos nos primeiros assentamentos do Brasil colnia. No entanto, quando os portugueses chegaram ao Brasil j encontraram os ndios com seus costumes e cultura. Livros de histria retratam, atravs de gravuras, ocas ao redor de um grande espao vazio central onde os ndios praticavam diversas atividades, o que sugere ser o incio do conceito desses espaos no Brasil. A evoluo da praa no contexto urbano brasileiro demonstra a capacidade de assimilao desses espaos s novas possibilidades de usos e atividades impostas pelo crescimento das cidades