Capa Polui§£o Atmosf©rica - ABQ - ASSOCIA‡ƒO ... emiss£o dos gases...

download Capa Polui§£o Atmosf©rica - ABQ - ASSOCIA‡ƒO ... emiss£o dos gases que agravam o ... a partir

of 12

  • date post

    18-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Capa Polui§£o Atmosf©rica - ABQ - ASSOCIA‡ƒO ... emiss£o dos gases...

  • RQI - 1 trimestre 2017 3

    urantemuitotempo,achaminefoium

    Dsmbolo de transformaao de umaregiao devido a industrializaao.Esperanadeumamelhorqualidadedevida,essa

    transformaaoeraumdospilaresdaquiloquese

    convencionouchamar"progresso".Contudo,como

    passardotempo,osimpactosdemuitasatividades

    industriaissobreomeioambienteeaspessoasque

    viviamnoentornodasfabricascomearamadar

    seus sinais, devido a falta de planejamento e a

    maneiradesordenadacomquesedeuapassagem

    de uma sociedade agraria rural para uma

    sociedadeurbanaindustrial.Justamente,devidoa

    possibilidade de visualizaao a distancia, a

    poluiao atmosferica foi a primeira a ganhar

    grandedestaquedamdia,janadecadade1950.

    Na decada de 1980, a poluiao ambiental

    passouadominarocenariodaspreocupaoesdos

    ambientalistas. O aumento da concentraao de

    gases conhecidos como "causadores do efeito

    estufa" (especialmente dioxido de carbono e

    metano) e a reduao da camada de ozonio

    decorrente da aao dos clorofluorocarbonos

    (CFCs) usados como fluido de refrigeraao, sao

    exemplos de termas que exigiram reunioes e

    conferenciasdenvelinternacional.Oprotocolode

    Montreal, assinado em 1987, e um tratado

    internacional em que os pases signatarios

    comprometiam-se a regular a produao e o

    consumodeprodutosdestruidoresdacamadade

    ozonio.Aprincipalmetafoiacabarcomousodos

    15tiposdeCFCqueeramasprincipaisfontesde

    destruiaodoozonio(O ).Eleentrouemvigorem3o

    1 dejaneirode1989.Eleteveadesaode150pases

    efoirevisadoem1990,1992,1995,1997e1999.

    Devidoaessagrandeadesaomundial,Kofi

    Annan(entaosecretario-geraldaOrganizaaodas

    NaoesUnidas,elaureadocomoNobeldaPazem

    2001) disse: "Talvez seja o mais bem sucedido

    acordo internacionalde todosos tempos".Outro

    resultado desse esforo internacional foi o

    Protocolo de Quioto, tratado internacional com

    compromissos mais rgidos para a reduao da

    emissao dos gases que agravam o efeito estufa,

    considerados, de acordo com a maioria das

    investigaoes cient f icas, como causa do

    aquecimento global motivada pelo homem.

    DiscutidoenegociadoememQuioto,noJapao,em

    1997, foi aberto para assinaturas em dezembro

    daqueleano,eratificadoem15demarode1999.

    Para que o tratado entrasse em vigor, era

    necessarioque55pases,quejuntos,produzissem

    55% das emissoes, o ratificassem. O Protocolo

    entrouemvigorem16defevereirode2005,depois

    queaRussiaoratificouemnovembrode2004.

    Apartirdadecadade1960,aRQIpassoua

    darespaoapoluiaoatmosferica,principalmente

    focada em notcias de novas tecnologias para

    reduao desse tipo de poluiao e de estudos de

    casodeefeitossobreoambienteecomunidades

    vizinhas as industrias causados por poluentes

    atmosfericos.Faceaosdesafiosambientaisquea

    humanidadevemenfrentandonosultimosanos,a

    RQ I ab re e spao pa ra do i s renomados

    pesquisadoresempoluiaoatmosferica:Graciela

    Arbilla de Klachquin, Professora Titular do

    Departamento de Fsico-Qumica do Instituto de

    QumicadaUniversidadeFederaldoRiodeJaneiro,

    e Coordenadora do Laboratorio de Cinetica

    Aplicada a Qumica Atmosferica e Poluiao;

    C ley ton Mar t ins da S i lva , Pro fessor da

    UniversidadeVeigadeAlmeida,PesquisadoreVice

    Coordenador do Grupo de Pesquisa de Cinetica

    Aplicada a Qumica Atmosferica e Poluiao. Eles

    nos fa larao sobre importantes aspectos

    relacionadosapoluiaoatmosferica.

    Poluio AtmosfricaPoluio Atmosfrica

    D

    Capa

  • RQI - 1 trimestre 2017

    Agnaldo Arroio

    4

    RQI - Qual a importncia do estudo da poluio

    atmosfrica nos dias atuais?

    Graciela e Cleyton - A poluio do ar acontece

    quando o ambiente contaminado com qualquer

    agente qumico, fsico ou biolgico que modifica as

    caractersticas naturais da atmosfera, podendo

    assim, afetar a vida dos seres vivos e o equilbrio

    natural do planeta. Em 2016, a Organizao Mundial

    da Sade (OMS) publicou um relatrio onde mostra

    que 92% da populao mundial mora em locais onde

    as concentraes dos poluentes excedem os valores

    mximos recomendados por essa Organizao.

    A qualidade do ar considerada um requisito

    bsico para a sade das pessoas, e para a

    manuteno da vida sobre a Terra, pelo menos da

    forma que conhecemos atualmente.

    Atravs do estudo do problema da poluio do

    ar, possvel estabelecer as fontes de poluio,

    elucidar os mecanismos atravs dos quais esses

    poluentes interagem e estabelecer estratgias de

    controle para diminuir a emisso de poluentes.

    Uma vez que as massas de ar so

    transportadas, inclusive entre continentes, os

    problemas da qualidade do ar, suas consequncias

    sobre a sade e bem-estar dos seres vivos e sobre o

    clima, so assuntos globais que interessam a todos

    os pases. Por outro lado, s possvel estabelecer

    medidas de controle e preveno quando a situao

    bem conhecida e os processos so compreendidos.

    Dessa forma se faz necessrio o monitoramento do

    ar, o estudo dos processos qumicos e fsicos

    envolvidos e a construo de inventrios de emisso

    para os diferentes locais.

    RQI - Quais so as principais fontes de poluio?

    Graciela e Cleyton - As principais fontes de poluio

    so as emisses veiculares e industriais, os

    processos de queima de combustvel (para a

    produo de energia e aquecimento domiciliar), a

    agricultura, construo, a disposio de resduos e a

    queima de biomassa. No entanto, em ambientes

    urbanos, os inventrios de emisses mostram que a

    principal fonte de poluio proveniente dos veculos

    automotivos. A qualidade e composio dos

    combustveis, a tecnologia dos veculos e as

    caractersticas do trnsito determinam quais os

    poluentes que sero emitidos e quais as taxas de

    emisso.

    RQI - Que grupos de substncias so relevantes para

    caracterizar a poluio atmosfrica?

    Graciela e Cleyton - Os poluentes esto sujeitos a

    processos de transporte, deposio e reaes

    qumicas, que levam formao de poluentes

    secundrios. A poluio atmosfrica caracterizada

    a partir de um conjunto de poluentes para os quais

    existe uma legislao que determina os nveis

    mximos tolerveis. No Brasil, esses poluentes

    regulamentados so partculas totais em suspenso

    (PTS), fumaa, material particulado at 10 m (PM ), 10

    SO , NO e O . Porm, outros poluentes so 2 2 3

    importantes: a maior parte dos xidos de nitrognio

    so emitidos como NO, o material particulado at 2,5

    m (PM ) mais prejudicial sade que o PM e os 2,5 10

    compostos orgnicos volteis (COVs) participam das

    reaes de foto-oxidao que levam a formao de

    oznio na presena de oxignio, luz e xidos de

    nitrognio.

    Algumas estaes de monitoramento

    ambiental dispem atualmente de medidores de

    PM e hidrocarbonetos no-metano (HCNM), ou2,5

    Graciela Arbilla e Cleyton Martins

  • RQI - 1 trimestre 2017 5

    A esquerda: Amostrador de material particulado. A direita: Canister

    (bujo de ao-inox) para coleta de ar ambiente. Ambos em coleta

    no Jardim Botnico, no Rio de Janeiro

    alguns deles em particular, com compostos

    aromticos BTEX (benzeno, tolueno, metilbenzeno e

    xilenos), ou alguns compostos carbonlicos com

    formaldedo e acetaldedo. Outros grupos de

    compostos importantes so os compostos orgnicos

    semi-volteis e os metais trao associados ao

    material particulado.

    RQI - Que consequncias podem ser relatadas

    decorrentes da poluio atmosfrica?

    Graciela e Cleyton - De acordo com a OMS cada ano

    acon tecem ma is de 3 ,5

    milhes de mortes prematuras

    c o m o c o n s e q u n c i a d a

    poluio do ar em ambientes

    externos, pr incipalmente

    oznio e partculas finas de

    menos de 2,5 m (PM ), e um 2.5

    nmero equivalente pela

    poluio de interiores. Em

    geral, esse problema mais

    g r a v e n o s p a s e s e m

    desenvolv imento. Alguns

    modelos preditivos estimam

    que esse nmero deve dobrar

    at 2050.

    D i v e r s o s e s t u d o s

    associam a poluio do ar,

    especialmente nos grandes

    c e n t r o s u r b a n o s , a o

    agravamento de doenas

    respiratrias, cardiovasculares

    e neurolgicas, especialmente na populao mais

    vulnervel (crianas e idosos). Tambm existem

    evidncias da correlao entre a exposio a alguns

    poluentes e a ocorrncia de diferentes tipos de

    cncer.

    A deposio dos poluentes pode ocasionar a

    acidificao das guas da chuva e da poeira,

    contaminando os corpos d'gua, o solo e as plantas,

    levando reduo da capacidade fotossinttica e, de

    forma geral, afetando todos os biomas.

    Podem ser mencionados, tambm, impactos

    negativos sob a perspectiva econmica e social,

    como o aumento dos custos dos sistemas de sade

    com as internaes hospitalares, a diminuio da

    produtividade dos trabalhadores por diversas

    doenas, a queda da produtividade agrcola e a

    degradao do patrimnio pblico.

    J observando o problema de uma forma mais

    ampla, a degradao da qualidade do ar extrapola

    fronteiras, e a emisso de poluentes de origem

    antrpica produz um desequilbrio no clima e nos

    ciclos dos seres vivos. Assim, a ao humana, em

    especial desde o sculo XX, desequilibrou o ciclo do

    carbono com uma emisso massiva de CO