Capitulo 7

Click here to load reader

  • date post

    01-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    808
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Capitulo 7

  • 1. Sumario Invaso europeia. Legado Holands. Outras atividades de expanso territorial. Colonizao no interior. A ocupao do nordeste na regio amaznica. Pecuria no sul e no nordeste da colnia. Ocupao da regio amaznica Expanso bandeirante. Conquista do sul.

2. Invaso da nao europia Desde a chegada de Cabral, o domnio portugus na colnia da America foi ameaado por outros pases europeus. Nem mesmo a instaurao dos governos-gerais em 1549 e a implantao bem sucedida do empreendimento aucareiro evitou isso, pelo contrario no sculo XVI e XVII essas incurses aumentaram. 3. Unio ibricaA unio ibrica (1580-1640), perodo ondePortugal e suas colnias passou a integracolnias espanholas, assim atraindo inimigoseuropeus descontente com a hegemonia dePortugal principalmente Holanda e Espanha. 4. Frana: aps eles terem realizado ocontrabando do pau Brasil no litoralbrasileiro no inicio do sculo XVI, iniciouuma colnia no rio de janeiro chamadofrana antrtica. Foram exploses pelogoverno-geral Mem S em 1567. Com isso afrana intensificou seus domnios para onordeste tentando uma colnia no Maranhochamada equinocial. Tambm essa tentativafracassou. 5. Holanda: com a unio ibrica os holandesesestenderam essa inimizade pelos espanhisas colnias .enfraqueceu o poderio espanhol. Aps deuma trgua, os pases baixos retonaram aofensiva militar, fundado, em 1621companhia das ndias ocidentais destinada acontrolar o comercio do acar brasileiro eapossa se dos domnios ibricos na costaAmerica e africana. 6. Depois de uma tentativa frustrada deinvadir salvador em, 1630, osholandeses organizaram uma grandeexpedio que atacou a principal reaaucareira da America portuguesas aregio de recife e Olinda, ondepermaneceram por mais de 25 anosdeixando legados culturais vastos. 7. Mapa do domnio Holands: 8. Legado Holands A presena holandesa na colnia deixouinmeros legados culturais como:monumentos arquitetnicos comopalcios, igrejas e pontes as referenciasque ainda hoje permanecem na culturapopular, como letras imagenscarnavalescas, os registros artsticos,cientistas cartgrafos, pintores outromembros da comitiva de Nassau. 9. Outras atividades de expanso territorialA subordinao a metrpole no impediu que houvessecerto dinamismo nas relaes econmicas na Americaportuguesa. Houve ate mesmo um comercio direto comas reas que no pertenciam ao domnio portugus,com a regio do rio da prata, sul da America, e comregio africanas, na angola, costa da mina eMoambique, alem de Goa e Macau na sia. Tambm otrafico de escravos, vrios comerciantes que abasteciasde escravos a colnia portuguesa, tambm o comerciointerno e o emprstimo. Alguns ainda se dedicavam emcobrar imposto em nome da coroa, mediante contratosmos leiloes da coroa. 10. Alem da atividade comercial a colnia tambmcultivava produtos como mandioca, arroz, milho,feijo, tabaco e algodo produzia gua ardente erapadura.A mandioca era a base da alimentao,especialmente dos escravos assim de evitarcrises alimentares, que podia afetar a populaoO fumo era a principal moeda de trocas deescravos na regio africana. 11. A produo da gua ardente e da rapadura mesmosendo reduzida tambm era muito importante para ocomercio de escravos.O algodo mais intensificado no maranho estavaligado diretamente na confeco de roupas paraescravos pois os senhores e suas famlias usavamtecidos vindo da Europa. 12. Colonizao do interiorDevido a grande briga de colonizado dos grandescentros colonos tiveram que fazer procura ao interior doBrasil, por procura de metais preciosos e indgenas.Nesses deslocamentos, os colonos enfrentaramdiversas fronteiras e era comum os colonos levarindgenas como guia e para a alimentao saqueavamplantaes de outros grupos indgenas ou plantavamgneros alimentcios para colher na volta da expedio .Os perigos das viagens era muitos , animais ferozes ouvenenosos, insetos, carrapatos , morcegos e aranhas eassim como a resistncia de grupos indgenasmanifestada em ataque e emboscada . Os Caiapschegaram a viver de ataque e saque e expediocomerciais fluviais que se embrenhavam pelo interior. 13. A ocupao do Nordeste e da Regio Amaznica.A criao de gado era feita perto dos Engenhos, comocomplemento da produo aucareira, e aos poucos deixouo litoral e se deslocou para o interior das capitanias donordeste, sendo um grande fator de ocupao dasmesmas. A pecuria oferecia: Fora motriz dosengenhos,transporte, alimento e couro usado na confecode roupas e calados, mveis e etc.A criao de gado soltonas terras precisava sempre de novas pastagens, o quelevou ao avano pelo serto. No sculo 17, o gadoalcanava as capitanias do Cear e Maranho ao norte eas margens do rio So Francisco ao sul, onde surgiramimportantes fazendas de gado(currais).A criao de gadose deslocou ao nordeste em busca no s de melhorespastagens, mas tambm para evitar que os animaisdestrussem os canaviais.Atividade pecuarista utilizavatrabalhadores livres (negros, indgenas e mestios). 14. Pecuria no Nordeste e no Sul da Colnia:Foi impulsionada pela necessidade deabastecimento alimentar e de transporte paraa empresa mineradora no centro-sul dacolnia.O combate aos estrangeiros tambmcontribuiu para a ocupao do interior donordeste e da regio amaznica.As fortificaes construdas para combaterinvasores transformaram-se como tempo emimportantes cidades como Fortaleza, Filipia deNossa Senhora das Neves (atual Joo Pessoa)entre outras. 15. Ocupao da RegioAmaznica:Quando comparada a outras partes da AmricaPortuguesa,sua conquista e ocupao foi tarde, apenasna poca da Unio Ibrica. Com as dificuldades decomunicao entre o Maranho e o resto do Brasil, surgiua idia de criar um Estado Independente. Por deciso dorei da Espanha, foi criado o estado do Maranho. Belmpassou a ser uma base para repelir as investidasestrangeiras que colocavam em risco as minas de prataespanholas da regio do Peru. As terras do atualAmazonas contou com apresadores de indgenas eJesutas que fundaram aldeias de catequese. 16. A expanso bandeirantePara entendermos o fenmeno do bandeirantismo to ligado formao do territrio brasileiro, temos de entender melhor a situaoda capitnia de So Vicente.A capitnia de So Vicente conheceu um perodo de prosperidadecom a introduo da cultura de cana-de-acar e dos primeirosengenhos, em 1549. O solo pobre e a distncia da metrpole fizeramcom que a preferncia dos colonos se voltasse para as frteis terrasde Pernambuco e da Bahia. A economia vicentina entrou numprocesso de estagnao. Os colonos da regio comearam a subir oplanalto em busca de condies para sobreviver.A partir de So Vicente, os colonos subiriam a serra fundando SantoAndr da Borda do Campo. Em 1554, deu-se a fundao do ColgioSo Paulo, no campo de Piratininga, formando um ncleo depovoamento. Os colonos fixaram-se em So Paulo e da partiam para acaa de ndios, pedras e metais preciosos. So Paulo passou a ser umplo de atrao, pois oferecia timas condies de defesa. Em 1560,foi elevada condio de vila, adquirindo alguns direitos junto metrpole. 17. Conquista do sul O domnio portugus estendeu se pelo sul da colnia, com a destruio das misses jesutas pelas bandeiras De apresamento de indgenas e com a fundao, prximo a cidade de Buenos Aires, da colnia do sacramento, em 1680, constituda a fim de denominasos limites meridional para garantir a posse sobreohistuaro derio da prata .