Categorias Da Narrativa

of 28/28
Categorias da Narrativa
  • date post

    09-Aug-2015
  • Category

    Documents

  • view

    1.014
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of Categorias Da Narrativa

  1. 1. Categorias da Narrativa
  2. 2. Aco
  3. 3. Relevncia dos acontecimentos a importncia que os mesmos assumem. So principais quando so determinantes para a aco. E so secundrios quando no so determinantes para a aco mas contribuem para o desenvolvimento.
  4. 4. Organizao dos acontecimentos dada pela ordenao do plano real e do plano textual. Um acontecimento passado que vem memria de uma personagem ou narrador contado depois de outros que so mais recentes.
  5. 5. O processo de encandeamento Surge quando as sequncias ou unidades narrativas se encadeiam segundo uma ordem cronolgica, havendo uma coincidncia entre uma ordem real e uma ordem textual.
  6. 6. Processo de alternncia Surge quando as sequncias ou unidades narrativas vo alternando e s posteriormente mostram pertencer mesma histria.
  7. 7. Processo de encaixe Surge quando uma ou mais sequencias ou unidades narrativas so encaixadas no encadeamento cronolgico das restantes.
  8. 8. Momentos da aco Introduo: pode motivar o desenvolvimento, apresentar personagens, dar informaes sobre espao, tempo ou antecedentes.
  9. 9. Momentos da aco Desenvolvimento: encerra a sucesso de peripcias ou acontecimentos mais marcantes;
  10. 10. Momentos da aco Concluso ou desenlace: pode ser um desfecho ou simplesmente a sequncia final.
  11. 11. Personagens
  12. 12. Personagem principal: a narrativa realizada em torno da personagem principal, sendo a sua aco determinante para o desenrolar da mesma.
  13. 13. Personagem secundria: outras personagens que actuam em torno da principal, sendo a sua aco importante para o desenrolar da narrativa.
  14. 14. Figurante: As personagens que no so importantes para o desenrolar da narrativa mas servem para a composio do cenrio ou para uma interaco espordica com as personagens principal ou secundrias.
  15. 15. Relevo dado pelo destaque que a personagem apresenta no desenvolvimento da aco.
  16. 16. Concepo: dada pela dimenso e complexidade psicolgica da personagem.
  17. 17. O narrador pode conceber uma personagem modelada ou redonda, ou seja, revelar aspectos relacionados com a profisso, vida privada, entre outros, e a personagem vai, modificando o seu comportamento e mostrando-se cada vez mais complexa e psicologicamente dinmica.
  18. 18. Se o narrador concebe uma personagem que no evolui nem revela densidade psicolgica, dizemos que a personagem plana, pois no tem dinamismo interior.
  19. 19. Tempo da aco
  20. 20. O tempo cronolgico dado por expresses de contagem de tempo, como por exemplo: naquele dia; ontem; entre outras. Estas so notaes temporais.
  21. 21. Tempo psicolgico mais curto ou longo do que o tempo cronolgico, depende da vivncia especial do tempo. Este condicionado pelo estado emocional das personagens, e pode ser breve quando se tem muito que fazer e a o tempo passa rpido, ou pode ser longo quando se espera uma boa noticia e ela nunca mais chega.
  22. 22. Espao da aco
  23. 23. O espao fsico onde decorre a aco, o nome de cidade ou a referncia a uma casa ou rua do indicaes do espao da aco, so notaes espaciais.
  24. 24. Elementos caracterizadores do ambiente e condies econmicas das personagens, estamos perante o espao social. Se forem dadas a conhecer vivncias especiais condicionadas pelo estado emocional das personagens, o espao denomina-se por espao psicolgico
  25. 25. Narador
  26. 26. Tem a funo de contar a histria, coordena as personagens orienta os acontecimentos Pode ser participante na aco se personagem principal ou secundria. Tambm pode ser no participante se estiver ausente na aco.
  27. 27. Um narrador objectivo quando relata acontecimentos sem os cometer ou juzos de valor. Um narrador subjectivo quem comenta e valoriza ou desvaloriza situaes, personagens ou acontecimentos.
  28. 28. Fim