CBMS News 2014.1

Click here to load reader

  • date post

    22-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    223
  • download

    2

Embed Size (px)

description

Colégio Brasileiro de Medicina e Saúde CBMS News Março 2014 - Ano I - Edição 1

Transcript of CBMS News 2014.1

  • Colgio Brasileiro de Medicina e Sade | Maro de 2014 Ano I - Edio 1

    news

    O envelhecimento cutneo - O que sofre a derme?Dermatologia -

    Novas turmasEm Fevereiro, o CBMS recebeu asnovas turmas das Ps-Graduaesem Dermatologia Clnica,Reumatologia e Gastroenterologia

    CBMS e DeVry BrasilGraas a esta parceria,

    os nossos alunospodem desfrutar do confortoda estrutura DeVry Brasil/FBV

    ReumatologiaConcluso da primeira

    turma da Ps-GraduaoLato Sensu em Reumatologia

    de Pernambuco

  • CBMS

    2CBMS | Maro de 2014

    Editorial

    ndice

    Expediente

    0305040809

    Novas turmas da Ps-Graduao

    Reumatologia

    Envelhecimento Cutneo

    Gastroenterologia

    Dermatologia

    ....................................

    ....................................

    ....................................

    ....................................

    ....................................

    Presidente: Prof. Thiago [email protected]

    Diretoria de Marketing: Dieggo Morgan e Lenyssa [email protected]

    Projeto Grfico: Dilen [email protected]

    Veiculao: Mdias DigitaisInformativo Online

    Periodicidade: MensalEnvio: 150.000 leitores

    Diretoria Financeira: Katharina [email protected]

    Em sua edio de estreia, o CBMS News uma publicao do Colgio Brasileiro de Medicina eSade deixa claro o seu principal objetivo: minimizar o constante afastamento do profissionalda medicina do setor acadmico, promovendo discusses cientficas, ampliando ecompartilhando o conhecimento entre os seus membros. E faz isso destacando em sua capaum interessante artigo sobre o Envelhecimento Cutneo.

    Esta edio traz tambm as novidades e os recentes acontecimentos que envolvem o CBMS,destacando os seus avanos e conquistas, bem como a importncia dos seus membros nesteprocesso de crescimento.

    Voc ver ainda os projetos futuros do CBMS e ter a oportunidade de conhecer um poucomais sobre esta Instituio de Ensino Mdico que tem se destacado em todo o Nordeste, graasao seu comprometimento com a tica e o Academicismo.

    Boa leitura e at a prxima edio!

  • 3CBMS | Maro de 2014

    Durante o ms de Fevereiroa Equipe CBMScomemorou a aberturade novas turmas daPs-Graduao CBMS/DeVry Brasil.

    Os novos alunos foramrecepcionados e endossadospelos seus padrinhosDieggo Morgan eLenyssa Nunes,responsveis peloDepartamento de Marketingdo CBMS.As aulas aconteceram naFaculdade Boa Viagem,DeVry Brasil, onde seroministradas as especializaes.

  • 4CBMS | Maro de 2014

    Os alunos contam comsalas climatizadas, assentos adequados,estacionamento amplo e uma equipe pronta a servir.

    A parceria com a FBVvem tornando nossas aulascada vez mais estimulantes.Neste ms sero inauguradasmais 08 salas para aps-graduao, beneficiandoo CBMS e seus alunos,nos espaos bem aparelhadose confortveis.

  • 5CBMS | Maro de 2014

    REUMATOLOGIA No dia 08 foi iniciada a Segunda Turmade Ps-Graduao Lato Sensu em Reumatologia, com a aula inaugural doProf. PhD Marcos Brioschi (SP), Coordenador do Curso. No mdulo, foram realizadasas discusses necessrias ao entendimento da Semiologia Reumatolgica.

    Ps-Graduao em Reumatologia624 horas |26 mdulos

    O Prof. Me. Nilton Salles,

    primeira turma de Ps-Graduao Lato Sensu em Reumatologiade Pernambuco.

    Coordenador da Reumatologia, realizou oencerramento do perodo de aulas da Turma I da especialidade, apartir das apresentaes de trabalhos de concluso dos alunos, que jesto envolvidos com o sentimento de saudade do curso que tevecomo proposta a mudana da vida profissional de cada um de seusparticipantes. Falamos em saudade, porque tambm esse osentimento que fica na nossa Equipe, j acostumada ao contato comaqueles que nos trouxeram tambm a sua experincia, dedicao econfiana. A eles o nosso MUITO OBRIGADO por acreditarem nonosso sonho acadmico e por nos permitirem a responsabilidade deabrir a

  • 6CBMS | Maro de 2014

    O EnvelhecimentoCutneoO quesofrea derme?Por Prof. Me. Thiago Gondim

  • 7CBMS | Maro de 2014

    No que tange ao envelhecimentod a p e l e , c o n h e c e m o s ocronolgico ou intrnseco, quetem determinao gentica, e o extrnseco,provocado pela relao entre o organismo emeio ambiente, tambm chamado, quandor e f e r i d o a o t e c i d o c u t n e o , d efotoenvelhecimento. Esse ltimo ocorre assimpor exposio s radiaes solares e outrostraumas, esses associados produo deespcimes reativas do metabolismo dooxignio. O fotoenve-lhecimento provoca naderme a formao de uma larga faixa dematerial eosinofilico, denominada Zona GrenzNa derme ainda h deposio de um materialelasttico constitudo por massa amorfabasoflicas, correspondendo ao acmulo defibras elsticas. J os fibroblastos mostramquantitativo reduzido, e as fibras colgenasperdem a espessura normal. Do outro lado, oenvelhecimento intrnseco assevera a atrofiada pele, tambm com diminuio dotamanho dos fibroblastos. No rosto, o tecidocutneo ainda sofrer, em contribuio aofotoenvelhecimento, com a gravidade, comos movimentos da musculatura constituinte doSMAS (sistema msculo aponeurticosuperficial - que trabalham a mmica facial) ecom a acomodao dos tecidos quando doposicionamento ao dormir. O envelhecimentocronolgico, dito intrnseco, acontece poruma programao gentica, resultando emprocesso atrfico da derme, com perda daelasticidade. Especificamente na derme seobserva a diminuio de espessura, oachatamento da juno dermo-epidrmica eperda de vascularizao, bem como oespessamento e perda de fibras elsticas e adiminuio do nmero e da atividade dosfibroblastos, as clulas responsveis porproduzirem fibras colgenas, elsticas e amatriz extra-celular .

    O envelhecimento cutneo pode serevidenciado clinicamente pela constataoda atrofia, traduzida pelo adelgaamentodifuso e pregueamento da pele. A coloraonotada no tecido se apresenta com certo tomde amarelo. A pele perde turgor eelasticidade. Os pelos esto diminudos emvolume, nmero, e apresentam perda dacolorao melnica. Na derme h notadaperda de gua, com posterior ressecamento,o que somado diminuio da atividade deglndulas sebceas e sudorparas. Tambm

    .

    ,

    h perda do volume sseo e visualizao dequeda dos tecidos do tero inferior da face,por ao gravitacional, o que se mostraagravada pela associao s rtidesprovocadas pela expresso da mmica faciale pela perda do quantitativo de tecido celularsubcutneo .

    A traduo do processo de envelhe-cimento finda por apresentar irregularidadesno relevo superficial da pele, aspereza,despigmentao heterognea e enruga-mento conhecido por rtide actnica. Aomesmo tempo h uma diminuio notada davasculatura cutnea e o aparecimento detelangiectasias. O tom da pele amarelo-cintrino. A ctis romboidalis nuchae encontrada em casos importantes deenvelhecimento .

    O envelhecimento termina pordesvendar um conjunto de alteraesfisiolgicas, morfolgicas e bioqumicas,acontecidas de forma inevitvel durante todaa vida .

    1.Elson, ML. Treatment of photoaging: a personal comment and open study ofthe use of glycolic acid. J Dermatol. 1993; 4:215-8.

    2.Tsuji, T; Hamada, T. Age-related changes in human dermal elastic fibres. Br.J. Dermatol. 1981; v.105, n.1, p.57-63.

    3.Odom, RB. Topical tretinoin for the treatment of photo clamaged skin. In:Weelmd RG, editor. Cutaneous surgery. Philadelphia: Saunders. 1994; p.28-9.

    4.Lapire, CM. The ageing dermis: the main cause for the appearance of 'old'skin. Br. J. Dermatol. 1990; v.122, suppl.35, p.5-11.

    5.Margelin, D; Fourtanier, A; Thevenin, T; Medaisko, C; Breton, M; Picard, J.Alterations of proteoglycans in ultraviolet-irradiated skin. Photochem.Photobiol. 1993; v.58, n.2, p.211-218.

    6.Bernstein, EF; Chen, YQ; Kopp, JB. Long-term sun exposure alters thecollagen of the papillary dermis. Comparison of sun-protected andphotoaged skin by northern analysis, immunohistochemical staining, andconfocal laser scanning microscopy. J. Am. Acad. Dermatol. 1996; v.34,p.209-218.

    7.Gilcherest, BA. 5km aging and photoaging: and overview. J Am AcadDermatol. 1989; 21:610-3.

    8.Batistela, MA; Chorilli, M; Leonardi, GR. Abordagens no estudo doenvelhecimento cutneo em diferentes etnias. Rev. Bras. Farm. 2007; v.88, n.2,p.59-62.

    9.Maurel, E; Bouissou, H; Pieraggi, MT.; Julian, M. Age dependent biochemicalchanges in dermal connective tissue. Relationship to histological andultrastructural observations. Connect. Tissue Res. 1980; v.8, n.1, p.33-39.

    10.Fusco, FJ. The aging face and skin: common signs and treatment. Clin PlastSurg. 2001; 28:1-12.

    11.Coleman, WP. Cirurgia cosmtica: princpios e tcnicas. Rio de Janeiro:Revinter. 2000; p.7-l7.

    12.Roenigk, HH. Jr. Treatment ofthe aging face. Dermatol Clin. 1995; 13:245-61.

    13.Kadunc, BV. Acido pirvico: tcnica da padronizao para uso emesfoliaes qumicas atravs do estudo experimental [tese de doutorado].So Paulo: Faculdade de Medicina, Universidade de So Paulo, 1998.

    14.Garmyn, M; Yaar, M; Boileav, N; Backendorf, C; Gilchrest, BA. Effect ofaging and habitual sun exposure ou the genetic response of cultured humanKeratinocytes to solar: simulated irradiation. J Invest Dermatol. 1992; 99:743-8.

    15.Ribeiro, CJ. Cosmetologia aplicada a dermatoesttica. 1 Ed. So Paulo:Pharmabooks, 2006.

    1-9

    10-12

    10,12-14

    15

  • 8CBMS | Maro de 2014

    GASTROENTEROLOGIA{

    Gastroenterologia

    Agastroenterologista, ministrou aulasobre Patologias da Vescula Biliarno sbado (dia 08), enquanto o

    P r o f a . A n d r e a S i m o n e ,

    Prof. Msc. Antnio Douglas,

    oncologista, fez apresentao em Neoplasias de Estmago e Esfago.No ltimo sbado, dia 22, o inaugurou asegunda turma de Gastroenterologia, com o tema Introduo Gastroenterologia, no mdulo que tambm foi brindado pela brilhanteapresentao da em Biotica.

    Prof. Me.