Clipping de Varejo - 07/03/2016

Click here to load reader

  • date post

    26-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    220
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Clipping de Março

Transcript of Clipping de Varejo - 07/03/2016

  • CLIPPING DO VAREJO

  • verdade que vivemos uma crise econmica, poltica e social aguda e que essa crise ameaa a sobrevivncia de muitos varejistas, mas por outro lado verdade tambm que em paralelo crise brasileira, existe uma crise provocada por profundas transformaes na forma de se relacionar e atender consumidores, principalmente os que aderem s novos aplicativos de compra existentes nos smartphones.Em meio a este cenrio catico, novas empresas surgem, outras crescem movidas por diferentes maneiras de fazer aquilo que vem sendo feito como h dcadas, ou sem inovao.Pensando nisso, realizaremos em abril um seminrio que debater o Varejo pelas ticas da crise e da disrupo, com o objetivo de provocar insights nos participantes e motiv-los a pensar em sadas disruptivas e dar a esta crise um bom propsito, pois paradoxalmente, um momento dramtico como vivemos pode provocar criatividade e muita inovao.Em breve, mais informaes, aguarde!Boa Leitura!

    Ricardo Pastore, Prof. MscCoordenador do Ncleo de Estudos e Negcios do Varejo - ESPM

    CAROS LEITORES

  • COMPRAS, VENDAS E LOGSTICA NO VAREJO http://varejo.espm.br/cursos-2

    Marketing do Varejo Fashion Marketing para Shopping Centers E-commerce: Os Novos Caminhos do Varejo Marketing do Varejo Farma: Estratgia e Execuo Shopper Marketing: a Influncia no Momento da CompraInscries abertas

    http://goo.gl/0HGCvb

  • MERCADO

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 1

    O executivo Enas Pestana tem larga experincia no varejo, onde atuou nas mais relevantes empresas do setor, como Po de Acar, Carrefour e Mquina de Vendas. Mas, em meados de fevereiro, surpreendeu o mercado ao ser anunciado como presidente da operao sul-americana da JBS, o maior frigorfico do mundo. Fui convidado pela minha experincia como executivo e gestor, disse ele DINHEIRO, em uma sala improvisada na JBS, em So Paulo, onde est dando seu novo expediente. Nesta entrevista, Pestana que ainda mantm sua consultoria, embora esteja afastado do dia-a-dia , fala sobre a crise do varejo brasileiro e analisa as perspectivas de recuperao no curto prazo. E suas previses no so nada otimistas. Ele prev, por exemplo, que 2016 ser mais difcil ainda do que o ano passado. Hoje, a grande ordem nas empresas

    sobreviver, diz. E, na medida em que alonga esse perodo de crise, dificulta ainda mais essa sobrevivncia.DINHEIRO O ano de 2015 foi muito ruim para o varejo brasileiro: as vendas caram, prejuzos se acumularam e milhares de lojas fecharam. Como o sr. imagina que ser este ano: igual, melhor ou pior?ENAS PESTANA Era previsvel que 2015 seria muito ruim para o varejo. E foi. E, ao longo do ano, s piorou.DINHEIRO Por que era previsvel?PESTANA Desde o incio do ano, as vendas estavam muito ruins e j se comeava a sentir que seria difcil ter aumento de vendas. O cliente comeava a sumir e os varejistas perdiam trfego de pessoas nas lojas. Isso o resultado do que temos passado. O desemprego estava subindo.

    A taxa de inflao e os juros, tambm. Com tudo isso, dava para saber que 2015 seria muito ruim. E foi, de fato, um ano pssimo. Um dos piores que eu j vi para o varejo. E, no final do ano, piorou.(ISTO Dinheiro - Ralphe Manzoni Jr. 04/03/2016) Notcia completa em ISTO Dinheiro

    Pode ocorrer uma quebradeira generalizada no varejo

  • MERCADO

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 3

    A empresa do setor de higiene e beleza vem encarando dificuldades nos ltimos anos, agravadas pela piora no cenrio macroeconmico em 2015 e impactada diretamente pela alta do dlar. Com resultados negativos cada vez mais expressivos, a empresa admitiu ao Portal Giro News passar por um processo de reestruturao para voltar ao trilho de crescimento, mas que ainda no produziu nenhum resultado efetivo sobre mudanas no mix ou em qualquer outro aspecto da operao da companhia. De maneira veemente, a empresa negou qualquer chance de um processo de recuperao judicial e enviou um comunicado para reforar a negativa.Confira Nota da Bombril na ntegraA Bombril nega qualquer especulao no que diz respeito a um possvel pedido de recuperao judicial. A

    empresa esclarece que est em um processo de anlise de sua estrutura de capital para adequ-la s condies atuais de mercado e preservar a sua sade financeira. A companhia refora que todas as estratgias desenvolvidas pertencem a um plano estruturado direcionado ao crescimento sustentvel dos negcios e perpetuao do sucesso da Bombril, uma das maiores e mais tradicionais empresas brasileiras do setor de higiene e limpezaAcmulo de Maus ResultadosS existem dados consolidados dos nove primeiros meses de 2015, quando a Bombril atingiu um prejuzo de R$ 240 milhes - no terceiro trimestre de 2014 era de R$ 50,2 milhes. Um acrscimo tmido de 1,02% na receita bruta no foi suficiente para evitar um desempenho de queda. Alm da alta no prejuzo, o volume de produtos vendidos no terceiro trimestre, que atingiu

    o montante de 117.463 mil toneladas, apresentou uma diminuio de 9,5%. O endividamento bancrio lquido (excluindo-se o saldo em caixa e equivalentes de caixa) tambm cresceu e encerrou o terceiro trimestre de 2015 em R$ 150,3 milhes, versus R$ 90,4 milhes em dezembro de 2014.(Giro News 29/02/2016)

    Bombril Admite Processo de Reestruturao

  • MERCADO

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 4

    A internet no tem diminudo a relevncia dos vendedores na hora da compra. Quando o consumidor brasileiro se desloca at uma loja fsica, ele prefere falar diretamente com o atendente em vez de recorrer aos smartphones para esclarecer dvidas ou buscar informaes, revelou a pesquisa Total Retail 2016, realizada pela PwC em parceria com a Research 2 Insight, que traa um panorama global sobre hbitos de consumo. Foram ouvidos 22 mil consumidores em 25 pases.No Brasil, 48% dos entrevistados acreditam que o atendimento diferenciado, prestado por uma equipe de vendas com conhecimento sobre os produtos e capaz de conceder ofertas personalizadas, faz diferena em sua experincia de compra. Ainda segundo

    esse levantamento, 33% das pessoas ouvidas no veem benefcios em usar o smartphone dentro da loja e 31% preferem atendimento olho no olho.Voltamos ao bsico. A execuo faz toda a diferena para a converso em vendas, diz Ricardo Neves, scio da Pwc e lder da rea de Varejo e Consumo. Segundo o executivo, uma equipe de vendas preparada e um sistema de entrega gil e eficiente so alguns dos predicados que ajudam a atrair e fidelizar os clientes. Os vendedores passaram a ser consultores. A Apple um exemplo disso, ela no remunera o vendedor por compra, mas pela satisfao do cliente, acrescenta. Entre os brasileiros entrevistados, 45% optam por comprar do varejista no qual confiam.O consumidor est mais exigente em todos os canais

    e continua priorizando os bons preos. O e-commerce visto por ele como uma boa ferramenta para pesquisar e comparar valores, principalmente junto aos demais consumidores de pases emergentes. Dos brasileiros entrevistados, 54% disseram que consideram este canal mais barato. Essa relevncia ainda maior para a compra de eletrnicos (70%) e eletrodomsticos (59%). Eles se informa no meio digital, mas preferem fazer a compra no varejo off-line, que o favorito para 32% e 41%, respectivamente, dos que compram essas duas ltimas categorias.(Eletrolar.com - Igor Carvalho 01/03/2016) Notcia completa em varejo.espm.br

    Internet no diminui a relevncia do vendedor na converso das vendas

  • MERCADO

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 5

    A rede de eletroeletrnicos Magazina Luiza fechou o ano de 2015 com menos R$ 65,6 milhes, segundo anunciou a varejista, aps ter registrado um lucro de R$ 128,6 milhes no ano anterior.No ltimo trimestre de 2015, a empresa viu sua receita totalizar R$ 2,53 bilhes, 8,7% abaixo dos R$ 2,77 bilhes registrados no mesmo perodo de 2014.A reduo foi considerada reflexo de uma queda de 11,6% nas vendas no conceito mesmas lojas (+19,1% no e-commerce e -17,6% nas lojas fsicas).Em 12 meses, a variao na receita acompanhou a tendncia de queda (-8,2%), ficando em R$ 8,97 bilhes (abaixo dos R$ 9,77 bilhes em 2014). J as vendas do e-commerce cresceram 19,1%, representando 21,1% das vendas totais, e foram impulsionadas pela melhoria do sortimento e pelo lanamento do novo

    aplicativo para smartphones, que j conta com mais de 1 milho de usurios.No comunicado imprensa, a Magazine Luiza declarou que sua principal estratgia para os prximos cinco anos a transformao digital. Esta transformao consiste em passar a vender produtos de outros varejistas, distribuidores ou at mesmo de canais de venda direta de indstrias no modelo marketplace.Nosso objetivo transformar o Magazine Luiza, passando de uma empresa de varejo tradicional com uma forte plataforma digital, para uma empresa digital, com pontos fsicos e calor humano, escreveram os diretores da companhia.Segundo a rede, a estratgia tem o potencial de aumentar o mix de produtos vendidos em at 10x ao longo dos prximos anos. A implantao da nova plataforma de marketplace

    est prevista para o primeiro trimestre de 2016, e ter como seu primeiro parceiro a poca Cosmticos, subsidiria integral do Magazine Luiza.(NoVarejo - Escrito por Danilo Barba 01/03/2016)

    Magazine Luza tem prejuzo de R$ 65 milhes em 2015

  • MERCADO

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 6

    O preo ainda muito importante para a deciso de compra, apesar de vivermos na era do valor, aponta a pesquisa Total Retail 2016, realizada pela PwC em parceria com a Research 2 Insight. 59% dos consu