Clipping do Varejo - 06/04/2015

of 14/14
CLIPPING DO VAREJO
  • date post

    21-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    222
  • download

    6

Embed Size (px)

description

Clipping de Abril

Transcript of Clipping do Varejo - 06/04/2015

  • CLIPPING DO VAREJO

  • muito comum observarmos novas teorias sobre o futuro do varejo com certa descrena, afinal as lojas convencionais vo muito bem, crescem e continuam atendendo os seus clientes. Ento, por qu introduzir inovaes, principalmente as tecnolgicas e desconfigurar totalmente o formato existente? As respostas ainda no so to claras, mas lojas inovadoras nem sempre vendem mais, porm so muito mais lucrativas. Certa vez, visitando loja pertencente a uma rede reconhecida por sua liderana e inovao, fui questionado por um empresrio do setor sobre o faturamento daquela unidade. Respondi com um valor por aproximao, o que no causou nenhum espanto, muito pelo contrrio, afinal o empresrio que me acompanhava julgou baixo o faturamento. Mas na segunda pergunta, a coisa mudou quanto ao resultado final. Ao receber a resposta tambm por valor aproximado, a sim ficou espantado; era quase o triplo do resultado que obtinha em sua rede.

    Modelos inovadores servem para rentabilizar o acionista e satisfazer clientes mais exigentes. Se voc ainda tem dvida sobre as mudanas que chegam para transformar o varejo, bom rever os seus conceitos.

    Boa Leitura!

    Ricardo Pastore, Prof. MscCoordenador do Ncleo de Estudos e Negcios do Varejo - ESPM

    CAROS LEITORES

  • CURSOSAs vendas no varejo pela internet crescem a nveis surpreendentes, sempre acima da mdia das vendas no varejo tradicional. Esse fenmeno mundial e inserem, a cada dia, mais empresas em um revolucionrio canal de negcios.Para atuar nesse contexto, as organizaes buscam profissionais com viso estratgica e capacidade de adaptao aos novos desafios e oportunidades proporcionadas pelo ambiente digital, que agreguem valor s estruturas existentes e inovem constantemente. Para empreendedores, uma oportunidade de planejar o desenvolvimento dos negcios sobre bases de conhecimentos mais slidos. Data: 20/05/2015 Local: Vila Olmpia Inscries Abertas: http://goo.gl/YDsBPG

    E-commerce: Os Novos Caminhos do Varejo

  • CURSOSO Curso Marketing para Shopping Centers, oferecido pelo Ncleo de Estudos e Negcios do Varejo da ESPM, surgiu h 7 anos, a partir da necessidade de oferecer uma viso mais aprofundada e atualizada sobre os conceitos de marketing aplicados especificamente ao segmento de shopping centers.

    Atualmente, a funo do marketing nos shoppings vai alm da gesto da comunicao, da promoo de vendas e inclui atividades como planejamento estratgico, CRM, gesto de crise, pesquisa de comportamento de compras, marketing de varejo, mdias sociais e uso de novas tecnologias interativas. Esses programas que inova e se renova a cada ano, inclui a presena de palestrantes convidados, aulas no Retail Lab e visitas externas no espao denominado Retail Tour.

    Data: 23/04/2015 Local: Vila Olmpia Inscries Abertas: http://goo.gl/BxLHWC

    Marketing para Shopping Centers

  • CURSOSPara todo e qualquer varejo, as aes de marketing devem estar de acordo com as necessidades do pblico-alvo e do mercado.No mercado de moda, o nmero de marcas que esto migrando para o varejo cada vez maior e, portanto, faz-se condio primordial o bom gerenciamento e planejamento do composto de marketing varejista.As lojas so fruto de planejamento estratgico e de gesto aprimorada para garantir a construo da imagem desejada pela empresa e o resultado necessrio para manter e expandir o negcio.Os formatos so os mais variados para esse segmento, comconcept stores, pop-up stores, boutiques, magazines, on-line, e a exigncia do consumidor final cada vez mais ,para que todos os canais e propostas estejam em harmonia e integrados, e que gerem a experincia de compra esperada pelos consumidores atuais. Data: 13/04/2015 Local: Joaquim Tvora Inscries Abertas: http://goo.gl/wrhqCb

    Marketing do Varejo Fashion

  • CURSOSA deciso de escolha de um produto e/ou marca efetiva-se no ponto de venda sendo esse um momento importante de concentrar esforos de marketing. Para tanto, preciso compreender bem como pensa e agem as pessoas durante o ato de compra num ponto de venda.O shopper a pessoa que realiza uma compra, independente de ela ser consumidora ou no. Entender como o shopper se comporta na loja, suas atitudes, onde quer investir o seu tempo e gastar sua energia pode ser um guia importante para dar suporte s decises estratgicas.Shopper marketing descrito por especialistas como o prximo grande passo do marketing estratgico de varejo. Seus fundamentos esto na gerao de insights e na filosofia de gerenciamento por categorias, tendo o potencial de melhorar a criatividade e a efetividade das aes de ponto de venda. Data: 04/05/2015 Local: Joaquim Tvora Inscries Abertas: http://goo.gl/kUAMRY

    Shopper Marketing: a Influncia no Momento da Compra

  • A Horizon Pharma anunciou a aquisio da Hyperion

    Therapeutics por US$ 1,1

    bilho. A farmacutica

    ofereceu US$ 46 por ao, um

    aumento de 7,6% em relao ao valor de fechamento das aes da Hyperion.Segundo o Wall Street Journal, o acordo ir contribuir com US$ 100 milhes ao Ebitda da

    Horizon j em 2016, sendo US$ 50 milhes em cortes de custos.A aquisio ir incluir dois

    tratamentos para condies raras ao portflio da Horizon. Os dois remdios, Ravicti

    e Buphenyl, trouxeram

    US$144,4 milhes em vendas no ano passado.O negcio tambm ir ampliar a infraestrutura para doenas rfs, segundo o presidente

    da Horizon, Timothy P.

    Walbert. Doenas rfs so condies raras, nas quais companhias farmacuticas no costumam investir.

    A transao foi aceita pelas duas empresas e deve ser finalizada no fim do segundo trimestre.Em setembro, a Horizon mudou sua sede para Dublin, na Irlanda, para reduzir o pagamento de impostos. Essa mudana possibilitou a compra da irlandesa Vidara Therapeutics International,

    por US$ 587 milhes.(Exame 31/03/2015)

    Horizon Pharma adquire farmacutica por US$ 1,1 bilho

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 1

    CANAL FARMA

  • O Carrefour no Brasil apresentou faturamento bruto de R$ 37,9 bilhes

    em suas 258 lojas no

    Brasil e ocupa, ento, a

    primeira posio entre os supermercadistas, superando, novamente, o varejo alimentar do Grupo Po de Acar, representado

    pelas marcas Extra, Po de Acar e o atacado Assa, e que apresentou receita de R$ 34,741 bilhes.O valor de faturamento bruto do Carrefour Brasil foi divulgado em ranking da Abras (Associao Brasileira

    de Supermercados). Pelo ranking, porm, o GPA aparece na primeira colocao, com 2.143 lojas e um faturamento bruto de R$ 72,3 bilhes. No entanto, esse valor inclui as operaes no-alimentares, de varejo eletroeletrnico, como a Via Varejo e Cnova. Excluindo essas operaes, o Carrefour passa a primeiro colocado.O ranking ainda traz o Wal-mart Brasil na terceira colocao, com R$ 29,6 bilhes em faturamento bruto em 2014 e 544 lojas. O Cencosud, por sua vez,

    aparece na quarta posio, com 220 lojas no Pas e faturamento de R$ 9,7 bilhes. Em seguida, aparece o Zaffari, com 30 lojas e R$ 4,2 bilhes de faturamento, como possvel verificar no quadro abaixo.* importante ressaltar que a Abras no faz distino entre as demais operaes das companhias, considerando os varejos eletroeletrnico das empresas e tambm o atacado.(NoVarejo - Escrito por Camila Mendona 01/04/2015) *Grfico no site varejo.espm.br

    Carrefour supera GPA em 2014

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 2

    SUPER & HIPER

  • A receita da varejista chilena Cenconsud cresceu 5,5% no acumulado do

    ano, alcanando CLP 10,9 bilhes (pesos chilenos), devido a maiores receitas em todas as unidades de negcio do grupo. Durante 2014, o crescimento dos supermercados contornou 6,6%. A receita nessa Diviso

    no quatro trimestre cresceu 7,7% ano a ano, alcanando

    CLP 2.242.506 milhes. O crescimento foi resultado da abertura de 12 novas lojas e um aumento na SSS (Same Store Sales) em todos os mercados em que a Cencosud opera.De acordo com relatrio divulgado na sexta-feira

    (27/3), o lucro anual, por sua vez, chegou a CLP 191,024

    milhes, 16,9% inferior ao de 2013, o que explicado, principalmente, pelo impacto da desvalorizao do peso

    chileno em relao ao dlar

    e pelo aumento da inflao domstica no Chile.(Supermercado Moderno 31/03/2015)

    Receita do Cencosud sobe 5,5% em 2014

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 4

    SUPER & HIPER

  • Entre idas e vindas, quatro anos aps a sano da lei, desta vez parece que para valer: os estabelecimentos comerciais de So Paulo

    esto proibidos de vender ou distribuir as tradicionais sacolas plsticas a partir deste domingo, 5. Em substituio,

    os comrcios podero disponibilizar, gratuitamente ou no, embalagens nas cores verde e cinza, de origem vegetal e, portanto, menos prejudiciais ao meio ambiente. As embalagens verdes s devero ser usadas para descartar lixo reciclvel e as de cor cinza, para lixo comum. Quem no respeitar as cores ser multado.O descumprimento da lei, que de 2011 e foi regulamentada em janeiro, pode render multa de R$ 500 a R$ 2 milhes aos estabelecimentos, segundo a gravidade e o impacto do dano provocado ao meio

    ambiente. O cidado que no cumprir as regras poder receber advertncia. Em caso de reincidncia, poder pagar multa com valor entre R$ 50 e R$ 500. A multa vale apenas para quem colocar lixo orgnico no saco verde. No ser multado quem colocar resduos slidos secos na sacola cinza.O secretrio municipal de Servios Simo Pedro explica

    que os estabelecimentos no

    so obrigados a disponibilizar aos consumidores as sacolas verde e cinza. Ficar a cargo de cada comrcio a deciso de distribu-las. Alguns j cobram pelas novas sacolas, mas no vamos entrar

    nessa discusso. Essa uma

    relao de mercado. Alguns

    vo cobrar R$ 0,08, outras,

    R$ 0,50. uma deciso dele (estabelecimento) com o cliente dele, afirmou.

    Segundo Simo Pedro, os

    grande supermercados so responsveis por cerca de 70% das sacolas plsticas distribudas na capital. O titular explica que as sacolas autorizadas pela Prefeitura so biodegradveis, compostas por 51% de matria-prima vegetal e, por isso, menos agressivas ao meio ambiente. Essa sacola nova feita de uma forma renovvel. Um vegetal voc planta e colhe, o petrleo no. Voc s extrai

    e no tem reposio na

    natureza.

    (Estado 06/01/2015) Notcia completa em varejo.espm.br

    Sacolas plsticas no podem mais ser distribudas em pontos comerciais de So Paulo

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 5

    MERCADO

  • Dois indicadores econmicos divulgados na semana passada a previso de que

    a inflao pode ficar acima de

    8% este ano e a maior taxa de desemprego para fevereiro desde 2011 reforam o comportamento ainda mais cauteloso do consumidor.Para segurar os gastos, na hora de ir ao supermercado, ele est mais disposto a experimentar, como mostra uma pesquisa do instituto Data Popular.A mudana de comportamento pode beneficiar empresas que investem em produtos mais baratos, alm de aumentar a participao das marcas prprias de grandes varejistas.Entre as companhias que esto buscando abocanhar fatia de mercado nesses tempos de crise est a fabricante de bens de consumo Hypermarcas. o momento da escolha inteligente, diz o presidente

    da empresa Claudio Bergamo. a hora de melhorar a relao custo-benefcio dos produtos. E estamos com uma srie de propostas nesse sentido.

    A Hypermarcas disputa mercado em segmentos em que Unilever, Procter & Gamble, Johnson & Johnson so consideradas marcas

    premium.No segmento de fraldas, por exemplo, lanou uma linha da marca Pompom que garante um beb sequinho por at 14 horas benefcio que ser usado para brigar em p de igualdade com opes mais caras nas prateleiras de farmcias e supermercados.Ao longo do ano passado, lembra Bergamo, a empresa repaginou marcas como Monange (beleza feminina), Bozzano (beleza masculina) e Cenoura & Bronze (protetores solares). Os esmaltes Risqu tambm ganharam

    nova frmula, que agora hipoalergnica.A gente j vinha com essa viso (de oferecer um bom

    custo-benefcio). Achamos

    que, em 2015, isso vai ficar

    mais disseminado.

    A Hypermarcas no a nica que est se mexendo para oferecer opes que caibam no bolso do consumidor.O Grupo Po de Acar est investindo pesadamente na ampliao de seu portflio de marcas prprias especialmente nos supermercados e hipermercados Extra, bandeira voltada classe C.A companhia j oferecia desde 2008 a marca Qualit, tambm presente nas lojas Po de Acar, a um preo 15% mais baixo do que a mdia das lderes das categorias em que atua.(Exame 31/03/2015) Notcia completa em varejo.espm.br

    Em tempos de aperto, marcas mais baratas ganham fora

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 6

    MERCADO

  • A gigante da eletrnica Philips anunciou nesta tera-feira a venda de suas atividades de iluminao a um grupo de investidores, em mais uma etapa para intensificar sua

    especializao na tecnologia mdica.A Philips assinou um acordo com o consrcio liderado pela GO Scale Capital, que vai comprar 80,1% das aes da Philips na atividade de iluminao, afirma a empresa em um comunicado.O grupo holands espera receber 2,8 bilhes de dlares e um pagamento condicional de outros 100 milhes de dlares.

    Em setembro do ano passado, a Philips anunciou a inteno de dividir-se em duas empresas distintas.De um lado as lmpadas de LED e faris de automvel e do outro o setor de sade e objetos de cuidado pessoal e do lar.Aps a operao, a nova empresa continuar com o nome de Lumileds e ser dirigida por Pierre-Yves Lesaicherre.A Philips continuar sendo um importante cliente da Lumileds, acrescentou o

    grupo, que conservar 19,9% das aes.A Philips, que tem 112.000

    funcionrios, se dedicou durante muitos anos fabricao de aparelhos

    de televiso e produtos eletrodomsticos, mas h uma dcada investe especialmente na produo de equipamento mdico de alta tecnologia, como aparelhos de ressonncia magntica.A empresa tambm investe nos produtos de cuidado pessoal, um mercado com alta margem de lucro, pouco exposto concorrncia das economias emergentes.(Exame 31/03/2015)

    Philips vende atividades de iluminao por US$ 2,8 bilhes

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 7

    MERCADO

  • NO grupo italiano Yoox confirmou a aquisio da londrina Net-a-Porter, comrcio eletrnico de moda de luxo, por US$ 775 milhes.

    A fuso criar a maior varejista online de bens de luxo do mundo, com valor de mercado de mais de US$ 2,5 bilhes.

    As duas empresas afirmaram que estavam em conversas ontem e confirmaram a

    fuso nesta tera-feira em comunicado. A Net-a-Porter j era conhecida como Amazon de luxo, por causa do seu tamanho e influncia no setor.A nova empresa se chamar Yoox Net-A-Porter Group e ser listada na bolsa italiana, onde a Yoox j opera como companhia aberta.A empresa criada com a fuso ter mais fora para competir no mercado online. Diversas lojas de departamento esto investindo em comrcio eletrnico e varejistas como a Amazon.com esto criando

    sees especficas para luxo, acirrando a concorrncia. E m p r e e n d i m e n t o s estabelecidos esto sendo cada vez mais perturbados por gigantes tecnolgicos, disse

    Johann Rupert, chaiman do

    grupo Richemont. com isso em mente que acreditamos que importante aumentar a liderana e tamanho, para proteger a singularidade da indstria de luxo.Hoje, abrimos as portas para a maior loja de moda de luxo, disse Natalie Massenet, fundadora da Net-a-Porter, em um comunicado.Ser uma loja que nunca fecha, sem fronteiras geogrficas, uma loja que conecta e inspira milhes de consumidores globais preocupados com estilo, oferecendo acesso para as grifes de estilistas mais finas.

    O grupo Richemont ter

    50% da nova empresa. No entanto, os seus direitos de

    voto se limitaro a 25% para preservar a independncia da companhia.Natalie Massenet ser chairman executiva da nova empresa, enquanto Federico Marchetti, fundador e CEO do Yoox, ser o presidente. O negcio ainda depende da aprovao dos acionistas do grupo Yoox, o que deve ocorrer em junho de 2015. A aquisio deve estar completa em setembro de 2015.Depois disso, a companhia deve lanar uma oferta pblica de aes para levantar cerca de 200 milhes de euros para aumentar o caixa.As negociaes entre Richemont e Yoox comearam em 2013, segundo aBloomberg.(Exame 31/03/2015)Notcia completa em varejo.espm.br

    Grupo italiano compra a Amazon de luxo e cria lder do setor

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 8

    E-COMMERCE

  • CLIPPING DO VAREJO

    Este informativo destinado comunidade de interesse sobre varejo, formada por alunos, ex alunos, professores e funcionrios de empresas parceiras do Retail Lab, o laboratrio de Varejo do Ncleo de Estudos de Varejo da ESPM.

    Produzido por: Raphael Sparvoli

    Joo do Carmo

    Coordenao:

    Prof. Ricardo Pastore

    06/04/2015