Clipping do Varejo - 07/12/2015

Click here to load reader

  • date post

    24-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    221
  • download

    3

Embed Size (px)

description

Clipping de Dezembro

Transcript of Clipping do Varejo - 07/12/2015

  • CLIPPING DO VAREJO

  • O Ncleo de Estudos Varejo da ESPM est com 2016 pronto para voc! Em janeiro vamos mais uma vez para a NRF Big Show, o maior evento de varejo do mundo, afim de trazer insights a serem utilizados neste momento de mudanas do nosso mercado. Logo em seguida, teremos mais uma edio dos Cursos de Frias, entre eles o Marketing de Varejo - da Estratgia Execuo, como foco no plano de execuo de PDV.

    Ao longo do semestre, sero vrias opes:

    MBA em Trade Marketing

    Cursos de Atualizao em E-Commerce, Shopper Marketing, Varejo Farma, Varejo Fashion e Marketing para Shopping Centers.

    Programe-se conosco; voc sempre ter aqui uma excelente opo para enriquecer o seu currculo.

    Boa Leitura!

    Ricardo Pastore, Prof. MscCoordenador do Ncleo de Estudos e Negcios do Varejo - ESPM

    CAROS LEITORES

  • COMPRAS, VENDAS E LOGSTICA NO VAREJOCURSOSEm um mundo cada vez mais competitivo, torna-se imprescindvel que os profissionais das reas de marketing, vendas, comunicao entre outras, aprimorem suas tcnicas para o alcance do sucesso na comercializao de seus produtos e servios. As novas relaes entre empresas e seus canais e o surgimento de clientes cada vez mais exigentes so alguns dos aspectos que demandam do gestor de trade marketing maior preparo na elaborao de estratgias e no planejamento de aes.

    Para atender a essa demanda, o curso MBA em Trade Marketing visa preparar gestores para administrar com eficcia a rea de trade marketing das organizaes, capacitando-os para as demandas mercadolgicas do sculo XXI.

    Inscries Abertas http://goo.gl/LGa55g

    MBA em Trade Marketing

  • As redes varejistas Casino e

    Dia fecharam um acordo para criar uma estrutura nica de compras e negociaes

    com fornecedoras globais, a

    ICDC Services. O intuito das empresas ampliar seu poder de barganha em relao s

    fornecedoras globais. A expectativa que a parceria comece a funcionar no prximo ano.

    De acordo com as companhias,

    o negcio poder alcanar

    50% do volume de marca

    prpria de ambas as empresas

    na Europa. Ainda no foi

    estabelecido pelas redes um

    prazo para que isso ocorra.

    A joint venture no envolve

    a operao do Dia na Frana,

    controlada pelo Carrefour.Questionado se o Brasil far parte deste acordo

    internacional, o Grupo Po

    de Acar, controlado pelo

    Casino, informa que ele no

    envolve o Pas neste momento.

    A companhia no esclarece,

    porm, se h um plano futuro de parceria para as duas companhias no mercado

    nacional.

    A aliana ainda aguarda a

    aprovao das autoridades

    de concorrncia. As duas

    empresas continuaro a operar de forma independente, com os preos sendo definidos

    separadamente.

    (Supermercado Moderno 04/12/2015)

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 1

    SUPER & HIPERCasino e Dia fecham parceria

  • O Carrefour vai transformar

    o hipermercado Pamplona,

    localizado nos Jardins, em So

    Paulo, em um shopping com 60

    lojas, restaurantes e servios.

    O grupo anunciou que o

    empreendimento deve abrir as portas no ltimo trimestre de 2016, sem detalhar os

    valores investidos. A unidade,

    que ter cinco andares, ser voltada para consumidores de renda mais elevada e moradores da regio.

    A reforma do prdio foi

    iniciada h duas semanas,

    de acordo com Fernando

    Lunardini, diretor-presidente

    do Carrefour Property

    Division no Brasil rea

    responsvel pelos negcios

    imobilirios do grupo.No trreo e no primeiro andar, dever funcionar a

    nova loja do Carrefour, com

    6.000 m 2.000 a mais do

    que a unidade atual. A oferta de produtos importados

    deve ser ampliada com itens principalmente de marcas prprias que o Carrefour j

    tem fora do Pas. No primeiro

    andar, haver continuidade

    da loja Carrefour, com itens

    no alimentares.

    Ser um empreendimento

    100% do Carrefour, afirma

    Lunardini. o maior

    investimento do grupo,

    no mundo, em um projeto

    nico. Demanda uma quantia

    significativa de dinheiro por

    ser uma obra de engenharia

    complexa.

    O segundo andar deve ser

    ocupado por lojas de moda

    e roupas. No prximo piso,

    deve funcionar uma praa de

    alimentao com 11 opes de

    redes de fast food e academia.

    O empreendimento contar

    ainda com um espao aberto,

    com jardins, destinado a

    bares e restaurantes.

    Outras inauguraes

    At o primeiro semestre

    de 2016, o Carrefour deve

    inaugurar tambm uma

    nova loja no Cosmopolitano

    Shopping, no Cambuci. O

    shopping deve ser inaugurado

    at maio de 2017. O grupo

    francs dono de 50% do

    shopping.

    Na marginal Pinheiros, o

    Carrefour ter um terceiro

    shopping, em parceria com

    a Odebrecht. A previso de

    abertura de dois anos. Alm

    do hipermercado, haver

    hotel, prdio comercial e

    galeria com lojas. Outros

    trs shoppings devem ser

    anunciados pelo grupo.

    (Supermercado Moderno 04/12/2015)

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 2

    SUPER & HIPERCarrefour vai transformar hipermercado em shopping center

  • ECONOMIADe acordo com um levantamento nacional feito pela Boa Vista SCPC, mais da metade dos consumidores inadimplentes pertence

    classe C. Essa parcela alcanou

    o nvel recorde de 59%.

    A anlise do perfil dos inadimplentes mostra que, desde 2012, a classe C a que

    tem a maior porcentagem

    de consumidores que no

    conseguem pagar suas

    contas. Essa fatia cresceu de

    50% no ano passado para os

    atuais 59% registrados no

    trimestre de 2015.Nas outras faixas de renda, a pesquisa da Boa Vista SCPC mostra variaes

    menores. Nas classes

    D/E, a porcentagem de

    inadimplentes oscilou de 6%

    no ano passado para 7% este

    ano. A classe B apresentou

    queda de 42% para 31% no

    perodo. J a classe A, por

    sua vez, teve variao de 2%

    para 3% em 12 meses.

    (Supermercado Moderno 01/12/2015)

    59% dos inadimplentes so da classe C

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 3

  • Com vendas estimadas de

    R$ 1,5 bilho, em 2015, um

    aumento de 53% em relao

    ao ano passado, a Black Friday

    caiu no gosto do brasileiro.

    E o Magazine Luiza resolveu

    tornar a data no s um sucesso

    de vendas, mas tambm em um marco para a experincia dos clientes com a marca nas redes sociais. A fora-tarefa

    contou at com a presena de

    diretores de diversas reas

    colocando a mo na massa,

    para responder 100% de

    todas as dvidas, solicitaes

    de ofertas e reclamaes feitas

    nos perfis oficiais da empresa.

    A experincia de conversar diretamente com os clientes, atravs da Lu, pelas redes sociais trouxe a oportunidade para os diretores identificarem

    elogios e pontos de melhorias

    das suas prprias reas,

    alm de poder atender bem os clientes, o que muito forte na cultura da empresa, conta o diretor executivo de E-commerce, Eduardo

    Galanternick, que tambm

    participou da operao.

    Para Ilca Sierra, diretora

    de Marketing Multicanal e

    responsvel pelas redes sociais

    da companhia, a operao

    especial da Black Friday

    uma estratgia que vem sendo desenvolvida desde a primeira edio e gradativamente tem sido aprimorada para desempenhar cada vez

    melhor o atendimento aos

    clientes. O Magazine Luiza

    tem em seu DNA o bom atendimento aos clientes em todos os canais, inclusive nas redes sociais. Em operaes

    como essa temos o objetivo

    entregar este diferencial,

    alm de gerar engajamento e

    relacionamento com a marca

    completou, Ilca.

    Essa no a primeira vez

    que executivos do Magazine

    Luiza participa de interaes diretamente com clientes em redes sociais. Luiza Helena

    Trajano, atual presidente da companhia, atua

    pessoalmente em seu perfil

    do Twitter respondendo aos

    clientes e seguidores.

    O planto especial organizado

    para a Black Friday comeou

    dias antes da data oficial, e se

    estendeu at o final do evento.

    No ranking de engajamento com os consumidores, elaborado pela Torabit, o

    Magazine Luiza foi a melhor colocada entre e-commerces de grande porte. Na pesquisa

    foram analisados dados de 13

    a 27 de novembro.

    Seguindo a estratgia de

    multicanalidade, a campanha esteve presente em todos os canais de vendas da companhia, garantindo grande

    movimentao nas lojas,

    aumento de fluxo de acessos ao site e destaque para o aplicativo da companhia, que

    ofereceu frete grtis para todo

    Brasil, e j conta com mais de

    um milho de downloads.

    (Grupo CDI 02/12/2015)

    Notcia completa em vaerejo.espm.br

    Varejo perde mais de US$ 1,75 trilho com erros de estoque

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 4

    MERCADO

  • A Coca-Cola Brasil, por

    meio da Leo Alimentos e

    Bebidas, assinou um contrato

    de inteno de compra da

    fabricante mineira de lcteos

    Verde Campo. A operao representa o primeiro passo da Coca-Cola para competir

    no mercado brasileiro de

    produtos lcteos -segmento no qual a concorrente Pepsico, por exemplo, atua desde 2000

    com a marca Toddynho.

    A inteno da Coca-Cola

    entrar em segmentos de produtos com maior valor agregado, como iogurtes,

    queijos e sorvetes. Leites no

    esto no foco da companhia.

    O valor da transao mantido

    em sigilo. A Coca-Cola informou

    somente que a negociao est

    em curso e ainda no tem prazo

    estabelecido para a concluso.

    A operao foi aprovada pelo

    Cade (Conselho Administrativo

    de Defesa Econmica).

    A Verde Campo, fundada h 15

    anos em Lavras (MG), produz

    iogurtes e queijos, incluindo

    linhas sem lactose, dietticas

    e com baixo nvel de gorduras,

    vendidas sob a marca Lacfree.

    (Supermercado Moderno 04/12/2015)

    Coca-Cola quer disputar setor lcteo

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 5

    MERCADO

  • A Anheuser-Busch InBev NV,

    maior fabricante de cervejas

    do mundo, planeja vender duas

    das marcas mais conhecidas

    da SABMiller PLC para tentar

    facilitar que os reguladores europeus aprovem o acordo de compra da rival.

    A AB InBev planeja vender

    a Grolsch e a Peroni, ambas

    marcas globais da SABMiller,

    segundo uma pessoa a par do

    assunto. Nenhum acordo foi

    fechado e uma venda no

    certa, diz a pessoa.

    Os direitos de marca da

    Grolsch e da Peroni nos

    Estados Unidos permanecero

    com a MillerCoors LLC.

    Como parte do acordo de

    compra da SABMiller, a AB

    InBev concordou em vender

    a fatia de 58% da SABMiller

    na joint venture MillerCoors

    para a Molson Coors Brewing

    Co., scia da SABMiller na

    MillerCoors.

    No incio deste ms, a AB

    InBev aceitou comprar a

    SABMiller por cerca de US$

    108 bilhes, um negcio

    que ir criar uma cervejaria colossal que domina cerca de 30% do mercado mundial de

    cerveja.

    O analista Trevor Stirling, da

    firma de servios financeiros

    Bernstein, observa que,

    na Europa Ocidental, a AB

    InBev e a SABMiller tm

    possveis sobreposies na

    Itlia e na Holanda, onde suas

    participaes de mercado

    conjuntas so de 30% e

    27%, respectivamente. Elas

    tambm possuem, juntas,

    uma fatia de 20% no Reino e

    na Hungria. Os reguladores europeus usam como referncia, informalmente, uma participao de mercado

    de 30% quando analisam se uma parceria entre duas empresas daria a qualquer uma delas um poder excessivo sobre o mercado.

    Entre as outras marcas globais

    da SABMiller esto a Miller

    Genuine Draft e a Pilsner

    Urquell. O jornal britnico

    Sunday Times foi o primeiro

    veculo a divulgar a possvel

    venda da Peroni e da Grolsch.

    Analistas do Susquehanna

    Financial Group LLLP esperavam que, para eliminar preocupaes regulatrias,

    a AB InBev fosse optar por

    vender marcas locais, e no

    globais como a Peroni e a

    Grolsch. Mas a venda de

    marcas globais deve permitir

    empresa enfrentar os

    problemas regulatrios de

    forma mais rpida e levantar recursos adicionais para reduzir a dvida de US$ 75

    bilhes que ela est assumindo

    para financiar a compra da

    SABMiller.

    (The Wall Street Journal 30/11/2015)

    Notcia completa em varejo.espm.br

    AB InBev planeja vender marcas globais para facilitar aprovao da compra da SABMiller

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 6

    MERCADO

  • MERCADOAs vendas de Natal do

    comrcio varejista no Estado

    de So Paulo devero ter queda

    de 7,2% em comparao ao

    mesmo perodo de 2014, o que representa o valor de R$ 53 bilhes. A estimativa foi

    divulgada pela FecomercioSP.

    Os nicos segmentos que

    tero aumento em vendas

    so supermercados (4,9%)

    e farmcias e perfumarias

    (1,8%). As projees levam

    em conta queda na renda, aumento do desemprego e

    inflao persistente.

    Se o resultado for confirmado,

    So Paulo ter o pior Natal das ltimas duas dcadas, segundo Victor Augusto Meira

    Frana, assessor econmico

    da FecomercioSP. Para ele, o Natal fraco pode motivar o varejo a fazer novas

    demisses no incio de 2016.

    A perspectiva de um ajuste

    forte a partir de janeiro.

    A entidade tambm analisou o comportamento do consumidor no perodo de compras de fim de ano. Os

    consumidores vo procurar se endividar pouco e fazer compras pequenas, afirma

    Antonio Carlos Borges, diretor-

    executivo da FecomercioSP.

    (Valor Econmico 07/12/2015)

    Natal em SP deve ser o pior em duas dcadas

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 7

  • MERCADOA Superintendncia Geral do

    Conselho Administrativo de

    Defesa Econmica (Cade)

    aprovou, sem restries,

    a operao de aquisio

    de controle entre a Adidas

    International, B.V. e Reebok Produtos Esportivos do Brasil Ltda.

    Segundo informaes

    disponibilizadas pelo Cade,

    trata-se de uma operao que

    envolve a resciso do joint

    venture agreement celebrado

    entre a Adidas e a Vulcabrs,

    que criou a unio em maro

    de 2008 e que expira em 31 de

    dezembro de 2015.

    O acordo regula a participao

    conjunta de ambas no negcio

    de distribuio e varejo dos

    produtos Reebok no Brasil.

    Com a resciso, a Adidas ir adquirir a totalidade das quotas detidas pela Vulcabrs

    no capital social da Reebok,

    participao remanescente de

    0,01% deste, antes do fim da

    joint venture, e assumir os

    negcios da Reebok no Brasil.Ressalte-se que a presente operao, apesar de ter por

    objeto a aquisio de apenas

    0,01% da empresa-objeto,

    refere-se a uma aquisio de

    controle unitrio, haja vista

    que o controle da Reebok

    era compartilhado entre a

    Adidas e a Vulcabrs, sendo

    que esta ltima detinha

    poderes de gesto e controle das principais atividades

    comerciais da empresa-objeto, diz o parecer do Cade.

    A Adidas um dos membros

    do grupo alemo Adidas que desenvolve, produz e comercializa produtos esportivos. A Reebok

    conjuntamente detida pelo

    grupo Adidas, que detm mais

    de 99,99% das quotas, e pela

    Vulcabrs Azaleia CE Calados

    e Artigos, que detm 0,01%

    das quotas.

    A Reebok detm ou gerencia

    algumas lojas de varejo

    que, segundo o Cade, sero

    transferidas para a Adidas ou

    encerraro suas atividades e

    fecharo.

    (Exame 07/12/2015)

    Cade aprova operao de aquisio entre Adidas e Reebok

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 8

  • E-COMMERCE

    N C L E O D E E S T U D O S E N E G C I O S D O V A R E J O P A G . 9

    A edio 2015 da Black

    Friday injetou no e-commerce

    brasileiro R$ 3,02 bilhes, considerando o perodo que vai da quinta-feira anterior

    Black Friday (26/11) at a a

    Cyber Monday (30/11). O valor representa um crescimento de 44% em relao a 2014. Foram

    realizados 5,8 milhes de pedidos no total, um volume 24% maior que no mesmo

    perodo de 2014, com ticket

    mdio de R$ 521, alta de 16%.

    Mesmo diante de um cenrio

    econmico desfavorvel no

    Brasil, podemos afirmar

    que a Black Friday foi um sucesso no e-commerce em 2015. O ritmo de compras foi intenso durante todos os dias do evento. Apenas na sexta-

    feira, mais de 1,6 milho de consumidores aproveitaram as ofertas, com um gasto

    mdio de R$ 980 por pessoa,

    afirma Andr Ricardo Dias,

    diretor executivo da E-bit.

    A E-bit apurou tambm que a

    satisfao dos e-consumidores

    em relao ao preo do

    produto aumentou, se

    comparado a outubro. Os

    73% de satisfeitos e muito

    satisfeitos subiram para

    77%, nesses dias de ofertas especiais (perodo de quinta a segunda-feira).Notamos que os consumidores definitivamente adotaram os dispositivos mveis durante a Black Friday. No total, mais

    de 11% das vendas foram

    realizadas por smartphones

    ou tablets, sendo que durante

    alguns perodos do dia o

    percentual chegou a 17% das

    vendas, afirma o executivo.

    Cyber Monday

    Somente nesta segunda-feira, o resultado das vendas foi de R$ 294 milhes, um

    crescimento nominal de 56%

    em relao Cyber Monday do

    ano passado, segundo a e-Bit.

    Com 679 mil pedidos (alta de

    24%), o ticket mdio ficou em

    R$ 433 (26% maior).

    O curioso foi que, apesar de

    a Cyber Monday ter surgido para elevar as vendas em produtos de Eletrnicos, as outras categorias se

    sobressaram nas vendas, o que mostra que muitas pessoas ainda aproveitaram esse dia extra alm da Black

    Friday para comprar o que

    no havia conseguido nos

    dias anteriores, comenta o

    executivo.

    O nmero maior que o

    divulgado pela ClearSale, que

    se baseia apenas no movimento

    das lojas cadastradas pela

    Busca Desconto, organizadora

    de ambos os eventos, Black

    Friday e Cyber Monday.

    (Varejista 02/12/2015)

    Notcia completa em varejo.espm.br

    E-Commerce fatura R$ 3,02 bi nos ltimos 5 dias de novembro

  • CLIPPING DO VAREJO

    Este informativo destinado comunidade de interesse

    sobre varejo, formada por alunos, ex alunos, professores e

    funcionrios de empresas parceiras do Retail Lab, o laboratrio

    de Varejo do Ncleo de Estudos de Varejo da ESPM.

    Produzido por:

    Raphael Sparvoli

    Joo do Carmo

    Coordenao:

    Prof. Ricardo Pastore

    07/12/2015