Comunicação Organizacional

Click here to load reader

  • date post

    11-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    298
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Comunicação Organizacional

COMUNICAO ORGANIZACIONALRITA VERSSIMOAluno N 2001100

SLVIA ESPERTOAluno N 21150356

RESUMO: A Comunicao existe desde h centenas de milhar de anos, quando j o Homo Sapiens comunicava, exteriorizava ideias, necessidades e desejos a partir do seu prprio corpo. A Comunicao eficaz importante nas organizaes por duas razes principais: Em primeiro lugar, porque o processo atravs do qual as prprias funes de gesto - Planeamento, Organizao, Liderana e Controlo - so exercidas. Em segundo lugar, porque a Comunicao a actividade qual os gestores destinam a maior parte do seu tempo.

INSTITUTO POLITCNICO DE COIMBRAINSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL MAIO DE 2008

1

1. INTRODUO3 2. COMUNICAO42.1. O Nvel Interpessoal da Comunicao.....................................................42.1.1. Elementos do Processo de Comunicao....................................................4 2.1.2. Estrutura do Processo de Comunicao......................................................7 2.1.3. A eficcia da comunicao.........................................................................8 2.1.4. A comunicao como relao....................................................................10

2.2. O Nvel Grupal da Comunicao...........................................................122.2.1. Caractersticas do Grupo e do seu Contexto que Influenciam a Comunicao.................................................................................................13 2.2.2. Processos Comunicacionais......................................................................14 2.2.3. Constrangimentos Comunicao nos Grupos.........................................16 2.2.4. Metforas da Comunicao.......................................................................17 2.3. O Nvel Organizacional da Comunicao.............................................19 2.3.1. Comunicao Organizacional....................................................................19 2.4. Comunicao Formal...............................................................................19 2.4.1. O Trajecto Descendente............................................................................20 2.4.2. O Trajecto Ascendente..............................................................................20 2.4.3. O Trajecto Horizontal e Lateral.................................................................21

2.5. Comunicao Informal............................................................................22

3. CONCLUSO........................................................................................24 4. BIBLIOGRAFIA...................................................................................25

2

1. INTRODUOO tema comunicao muito vasto e ser normal no abordar todas as suas vertentes, pois poderamos falar da evoluo dos meios de comunicao, de comunicao social na vertente jornalstica, empresarial, de polticas de comunicao e outros. Sendo assim iremos abordar o nvel interpessoal da comunicao, o nvel grupal da comunicao e o nvel organizacional da comunicao.

3

2. COMUNICAO

Definir comunicao no uma tarefa fcil, pois mediante a profisso, cultura ou credo esse conceito altera-se. Mas, como resultado da investigao efectuada por este grupo, o termo significa: transmisso duma mensagem com o fim de evocar uma resposta especfica. Comunicao no significa apenas falar s pessoas, mas tambm, ouvi-las. Na verdade, se no ouvirmos eficazmente as pessoas, no lhes poderemos tambm falar de modo eficaz. Comunicao no significa apenas a transmisso de uma mensagem, sem o desejo de originar o tipo de resposta que se procura. Alguns vendedores talvez ponham em relevo o tipo negativo de resposta. Podem, por exemplo, no se importar com uma reaco acertada ou compreensiva aos anncios. Precisamente porque noutras circunstncias no nos preocupamos em obter reaces diferenciadas, ou porque, ao tent-lo, nem sequer o conseguimos, que h tantas frustraes nas nossas tarefas e nas nossas relaes. Muitas vezes quando nos encontramos num caf ou noutro lugar pblico, em que estamos rodeados de gente, ou que no estamos isolados, conversamos unicamente porque falta de educao estarmos em silncio. Normalmente se encontramos algum num bar a beber sozinho sem conversar, esse algum corre o risco de ser conotado como bebedor solitrio (ex.: os bares que aparecem em filmes americanos quando algum est deprimido, em que aparece uma pessoa por mesa muito desgostosa). Para no se sentir isolado tem que consentir em conversar. Pode no ter importncia o que ele diz; se num caf ou numa sala, ou no compartimento dum comboio, algum anotasse o que as pessoas dizem, descobriria que, no fim de contas, a maior parte das vezes no dizem nada. Numa situao meramente social podemos conversar sem a finalidade especfica de nos informarmos. No entanto, nos negcios, falamos porque temos uma razo para o fazer. particularmente neste caso que somos obrigados a trazer a linguagem do nvel instintivo e intuitivo para o nvel racional. Se falarmos racionalmente, falamos, em primeiro lugar, porque desejamos despertar interesse pelo que dizemos. Em segundo lugar, falamos porque desejamos que compreendam aquilo que dizemos. Ento as palavras tornam-se definidas. Isto significa que, em certos casos, temos de definir o sentido das nossas. Assim, para que nos entendam claramente, vem a ser necessria a definio prvia.

2.1. O Nvel Interpessoal da Comunicao2.1.1. Elementos do Processo de Comunicao

com base na fonte que se inicia a comunicao, que codifica um significado intencional numa mensagem, a qual enviada por um canal. O receptor descodifica a mensagem no significado percebido e transmite, um feedback fonte. O que nem sempre acontece, existe o chamado rudo, isto , perturbaes neste processo, as quais distorcem e interferem na transmisso da mensagem.

4

A Fonte A Fonte da informao a pessoa que tenta comunicar com outra pessoa, ou seja, a mensagem que o emissor pretende enviar ao receptor. Esta fonte tem a inteno de dar uma informao ou de modificar comportamento e as atitudes da pessoa a quem dirige a sua mensagem. Esta vontade transformada num conjunto de smbolos com significado, que permite a codificao da mensagem. Por exemplo: Um chefe pretende transmitir a um subordinado informao sobre uma determinada tarefa e recorre a um conjunto instrues verbais e gestos exemplificativos. Um colega pode pretender modificar a percepo de outro, sobre o grau de justia na atribuio de recompensa no interior da organizao. O que altera o sentido da mensagem que a fonte pretende referir e interpretar situao de forma diferente.

A Mensagem A Mensagem transmitida pela fonte pode ser verbal, escrita e no verbal. Entende-se por comunicao no verbal qualquer comunicao que no inclua a lngua falada ou escrita.

O Canal O Canal o meio atravs do qual a mensagem navega. A mensagem pode ser enviada por diversificados meios ou canais. A escolha do canal tem um forte impacto no processo de comunicao, porque diferentes pessoas podem ter diferentes competncias na utilizao de diferentes canais e diferentes mensagens tm adequaes distintas a diferentes canais.

O canal adequado a situaes diferentes dentro de uma organizao: Para mensagens mais complexas, devemos utilizar os canais mais precisos, nomeadamente os encontros face-a-face, porque ao permitirem uma resposta imediata do receptor, so indispensveis para que a comunicao se efectue. Este canal tem a vantagem de permitir o contacto pessoal, a resposta imediata do receptor e aumentar a hiptese de surgirem novas ideias, questes e solues para eventuais problemas colocados na organizao. Por exemplo: Se um empregado tem dvida sobre o resultado do trabalho de outro colega, o qual interfere na realizao do seu prprio trabalho, pode utilizar este canal para esclarecer esta dvida.

5

Para mensagens que implicam diversas pessoas, a utilizao das cartas, memorandos ou de boletins informativos tem a vantagem de ser formal e de ser difundida facilmente, economizando tempo. Por exemplo: A organizao pode preparar reunies, nas quais as chefias informam os seus subordinados sobre a introduo de novas tecnologias e recolhe opinies e sugestes para a introduo desta mudana.

A Descodificao A Descodificao, um dos elementos do processo de comunicao que permite, que a mensagem recebida interpretada pelo receptor, atravs da atribuio de um significado a essa mensagem. Esta interpretao pode fazer com que o significado dado a esta mensagem pelo receptor seja diferente daquela que o emissor tinha inteno de transmitir. Por exemplo: Um chefe pode transmitir uma mensagem dando informao sobre os erros cometidos por um subordinado, procurando corrigir ao fazer que este indivduo aprenda, mas a sua mensagem pode ser interpretada pelo receptor como forma utilizada de destacar a distncia que os separa pela diferena estatutos.

O Feedback O Feedback, a ltima ligao do processo de comunicao, em que se verifica se o que foi recibo corresponde ao que foi transmitido. Permite ao emissor a percepo da diferena entre a mensagem interpretada pelo receptor e a que tinha inteno de transmitir. Torna possvel melhorar a comunicao porque aumenta a certeza e a compreenso das mensagens transmitidas e a confiana dos emissores e dos receptores no processo de comunicao, o que facilita relaes futuras porque intensifica a motivao.

6

2.1.2. Estrutura do Processo de Comunicao

1. Estgio - Transmisso 2. Estgio - Recuperao M1. Mensagem codificada M2. Mensagem difundida M3. Mensagem transmitida M4. Mensagem recuperada M5. Mensagem reaproveitadaFig.1: Estruturas do Processo de Comunicao

7

O ciclo exemplificado demonstra que a comunicao o processo de transmisso e recuperao de informao. Estas fases do processo, so dois estgios distintos que apresentam uma interaco cclica.