Conab Previsão de Safra

Click here to load reader

  • date post

    21-Feb-2016
  • Category

    Documents

  • view

    225
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Conab Previsão de Safra

Transcript of Conab Previsão de Safra

  • Safra 2010/2011Terceiro Levantamento

    Janeiro/2011

    Safra 2011Segunda Estimativa

    Maio/2011

  • Ministrio da Agricultura, Pecuria e AbastecimentoSecretaria de Produo e Agroenergia SPAE

    Departamento do Caf DCAFCompanhia Nacional de Abastecimento CONAB

    Diretoria de Poltica Agrcola e Informaes DIPAISuperintendncia de Informaes do Agronegcio SUINF

    Superintendncia de Gesto da Oferta SUGOF

    Responsveis Tcnicos

    SILVIO ISOPO PORTOAIRTON CAMARGO PACHECO DA SILVA

    CARLOS ROBERTO BESTTTI

    Gerncia de Levantamento e Avaliao de Safra GEASA

    ELEDON PEREIRA DE OLIVEIRAFRANCISCO DAS CHAGAS COSTA

    JOS CAVALCANTE DE NEGREIROSJUAREZ BATISTA DE OLIVEIRA

    MARIA BEATRIZ ARAJO DE ALMEIDAROBERTO ALVES DE ANDRADE

    Colaborao:Superintendncias de Minas Gerais, Esprito Santo, So Paulo, Paran, Bahia,

    Rondnia, Rio de Janeiro, Par e Mato Grosso.

    Projeto Visual Grfico

    THAS LORENZINI

    Ficha Catalogrfica: ADELINA MARIA RODRIGUES CRB 1/1739

    633.61C212 Acompanhamento da Safra Brasileira Caf Safra 2011 segunda estimativa, maio/2011 / Companhia Nacional de Abastecimento. - Braslia: Conab, 2011

    1. Caf. 2. Safra. I. Companhia Nacional de Abastecimento. II. Ttulo.

  • Safra 2010/2011Terceiro Levantamento

    Janeiro/2011

  • SUMRIO

    RESUMO EXECUTIVO ....................................................................................................5

    1. INTRODUO.................................................................................................................6

    2. PRODUO.....................................................................................................................7

    3. REA CULTIVADA...........................................................................................................7

    4. SITUAO CLIMTICA...................................................................................................8

    5. AVALIAO POR ESTADO.............................................................................................8

    5.1. Minas Gerais ..............................................................................................................8

    5.2. Esprito Santo............................................................................................................12

    5.3. So Paulo.................................................................................................................12

    5.4. Paran......................................................................................................................17

    5.5. Bahia........................................................................................................................17

    5.6. Rondnia.................................................................................................................18

    6. TABELAS E GRFICOS DOS RESULTADOS OBTIDOS NO LEVANTAMENTO...... 19

  • RESUMO EXECUTIVO

    A segunda estimativa de produo de caf (arbica e conilon) para 2011, indica

    que o Pas dever colher 43,54 milhes de sacas de 60 quilos do produto beneficiado,

    com reduo de 9,5%, quando comparada com a produo obtida na temporada anterior.

    A rea total estimada de 2.282,1 mil hectares, ou seja 0,31% inferior cultivada

    na safra passada.

    A produo de caf em 2011 representa o ano de baixa bienalidade.

    As condies climticas foi uma das variveis observadas que esto contribuindo

    para que esta safra seja a maior produo, quando considerados os anos de baixa

    bienalidade, superando o volume obtido em 2009, quando a produo atingiu 39,47

    milhes de sacas.

    Importante comentar que em determinadas regies de Minas Gerais a adoo de

    medidas tcnicas tem influenciado a inverso da bienalidade, ou seja, a reduo da

    oscilao da produo de uma safra para outra. Pode-se destacar a adoo de forma

    sistemtica de manejo diferenciado com diversos tipos de poda, novos tipos de manejo e

    renovao gradual das lavouras tem minimizado a sazonalidade das safras de caf.

    No Esprito Santo, o Programa de Renovao e Revigoramento do Caf

    proporciona um menor efeito da bienalidade, mesmo em ano de safra brasileira mais

    baixa. O programa orienta a substituio de lavouras envelhecidas e depauperadas, por

    lavouras adensadas, com variedades com maior potencial produtivo, que associadas

    outras tecnologias, tm proporcionado a incremento de produtividade e produo muito

    expressivos.

    Em So Paulo pode-se destacar que os preos atuais podem contribuir na

    reverso da longa tendncia de reduo de rea cultivada no Estado e caso sejam

    intensificados os esforos desenvolvidos para a melhoria da qualidade da bebida, a regio

    no Sudoeste de Ourinhos/Avar, poder se firmar como um dos polos mais dinmicos da

    cafeicultura paulista.

    Na Bahia, as condies climticas e a entrada de novas lavouras do caf conilon

    aumentaram a safra do produto em relao ao perodo anterior de baixa bienalidade.

    Nos ltimos anos tem-se constatado aumento significativo da rea em formao no

    Estado do Paran. A justificativa se ampara no processo de podas com objetivo de

    renovar o potencial de produo, zerando assim a produo no ano seguinte e elevando,

    substancialmente, as produtividades posteriores, popularmente denominado de safra

  • zero ou safra 100.

    Em Rondnia, os baixos ndices pluviomtricos e problemas estruturais (sistema de

    cultivo, solo, custos crdito etc) refletiram na baixa produtividade e na qualidade do caf

    tornando os produtores pouco competitivos em nvel nacional.

    As tabelas e grficos elaborados e disponveis no final do trabalho tem informaes

    da da estimativa de produo de caf para 2011.

    1 INTRODUO

    O levantamento da safra nacional de caf realizado pela Conab e pelas seguintes

    instituies parceiras:

    - Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de So Paulo-SAA/CATI/IEA (SP);

    - Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistncia Tcnica e Extenso Rural Incaper (ES);

    - Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrcola S/A EBDA (BA);

    - Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paran - SEAB -

    Departamento de Economia Rural Deral (PR);

    - Associao de Assistncia Tcnica, Extenso Rural do Estado de Rondnia Emater

    (RO).

    Foram consultados tambm escritrios e tcnicos do Instituto Brasileiro de

    Geografia e Estatstica IBGE, no somente para obter estatsticas dos demais Estados

    com menores propores de produo, como, principalmente, compatibilizar os nmeros

    globais dos Estados de maior produo, com o objetivo de que os nmeros globais se

    aproximem ao mximo.

    O trabalho conjunto agrega e rene interesses mtuos, aproveitando o

    conhecimento local dos tcnicos dessas instituies, que ao longo dos anos realizam esta

    atividade de avaliao das safras cafeeiras com muita dedicao, aos quais, na

    oportunidade, a Conab registra os seus agradecimentos, cujo apoios tem sido decisivo

    para a qualidade e credibilidade das informaes divulgadas.

    As informaes disponibilizadas neste relatrio se referem aos trabalhos realizados

    no perodo entre 03 e 29 de abril, quando foram visitados os municpios dos principais

    Estados produtores (Minas Gerais, Esprito Santo, So Paulo, Bahia, Paran, Rondnia e

    Rio de Janeiro), que correspondem a 98% da produo nacional.

    Foram realizadas entrevistas e aplicao de questionrios junto a informantes

    previamente selecionados.

  • As boas condies climticas, a melhoria no manejo, as alteraes no processo de

    poda e renovao do caf, favoreceram o desenvolvimento da cultura e, considerando os

    anos de baixa bienalidade, como o caso desta safra, o volume estimado pode ser

    considerado o maior desde o incio do levantamento pela Conab.

    2 - PRODUO

    A primeira estimativa de produo de caf (arbica e conilon) para a safra 2011,

    indica que o Pas dever colher 43,54 milhes de sacas de 60 quilos do produto

    beneficiado.

    O resultado representa uma reduo de 9,5%, quando comparada com a produo

    obtida na temporada anterior. Essa reduo se deve ao ano de baixa bienalidade.

    A maior reduo se dar na produo de caf arbica, com queda de 12,6%

    (reduo de 4,64 milhes de sacas). Para a produo do robusta (conilon), a previso

    aponta crescimento de 0,8%, correspondendo a 90,7 mil sacas.

    A produo do caf arbica representa 73,9% (32,18 milhes de sacas) da

    produo do Pas, e tem como maior produtor o Estado de Minas Gerais, com 67,9%

    (21,85 milhes de sacas) de caf beneficiado.

    O robusta participa da produo nacional com 26,1% de caf beneficiado. O

    Estado do Esprito Santo se destaca como o maior produtor dessa espcie, com 71,2%

    (8,1 milhes de sacas) de caf beneficiado.

    3 - REA CULTIVADA

    A rea total estimada de 2.282,1 mil hectares, ou seja, 0,31% inferior a cultivada

    na safra passada.

    A rea em produo totalizada em 2.057,8 mil hectares, inferior em 0,9% safra

    2010, enquanto que a rea de caf em formao, ou seja, aquela que ainda no entrou no

    processo produtivo, apresenta crescimento de 6,0% em comparao com a safra

    passada.

    4. CONDIES CLIMTICASEm janeiro e fevereiro choveu pouco no nordeste de Minas Gerais, no centro-sul e

    sul da Bahia e em todo o Espr