Concurso Público para Provimento de Cargos Técnico … · 2014-01-04 · Técnico de...

Click here to load reader

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Concurso Público para Provimento de Cargos Técnico … · 2014-01-04 · Técnico de...

  • CARGO

    Inscrio Sala

    Coloque, de imediato, o seu nmero de inscrio e o nmero de sua sala

    nos retngulos abaixo.

    Data: 20 de outubro de 2013.

    Durao: 04 horas

    Concurso Pblico para Provimento de Cargos

    Tcnico-Administrativos em Educao

    EDITAL N 334/2013

    Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano

    PROVA I Lngua Portuguesa Questes de 01 a 20

    PROVA II Conhecimentos Especficos Questes de 21 a 50

    CADERNO DE PROVAS

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEAR COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Lngua Portuguesa Pg. 2 de 12

    Prova I Lngua Portuguesa 20 questes

    TEXTO 1

    01 02

    03

    04

    05 06

    07

    08 09

    10

    11 12

    13

    14

    15 16

    17

    18 19

    20

    21

    22 23

    24

    25 26

    27

    28 29

    30

    31

    32 33

    34

    35 36

    37

    38 39

    40

    41

    42 43

    44

    45 46

    H duas pocas na vida, infncia e velhice, em que a felicidade est numa caixa de bombons", j asseverava Carlos Drummond de Andrade. Distante da era em que ter mais de 60 anos significava

    deixar para trs uma alma jovem, a produtividade e a qualidade de vida, e estar sentado num sof

    assistindo televiso, a terceira idade hoje ganha espao no mercado de trabalho, aproveita as horas de

    lazer no s com os netos, mas busca opes mais arrojadas como dana, viagens e passeios com os amigos. Se o conhecimento leva colheita da sabedoria, esses 23,5 milhes de brasileiros, na casa

    das pessoas com mais de 60 anos, o dobro do registrado em 1991, quando a faixa etria contabilizava

    10,7 milhes de pessoas, buscam alternativas para uma vida mais saudvel e feliz. A populao no Brasil est envelhecendo. Entre 2009 e 2011 este grupo da terceira idade aumentou em 7,6%, ou

    seja, alcanando a casa de 21,7 milhes de pessoas naquele referido perodo.

    Em 2050, 30% da populao brasileira ter mais de 60 anos se aproximando neste item ao modelo europeu e americano no que diz respeito terceira idade, com aumento nas preferncias at

    mesmo de agncias de viagens, com pacotes especficos para os mesmos, bem como outras

    possibilidades de entretenimento, com consumos compatveis aos vrios nveis sociais. No que se

    refere ao mercado de trabalho j no tm inteno de se aposentar to cedo, e mesmo quando ocorre este fato continuam na ativa, buscando outras ocupaes. Na verdade, o mercado laboral tem horrios

    mais flexveis e mais nmero de pessoas com ofcios em casa, cada vez mais autnomos nos

    trabalhos mais distintos e setores diversos. A inteno minimizar a jornada de trabalho sem necessitar da aposentadoria

    O Ministrio do Trabalho informa que no ano de 2010 o nmero de trabalhadores assalariados

    com mais de 65 anos cresceu 12%, o dobro da mdia dos anos anteriores. Tambm aumenta o

    nmero de pessoas que depois dos 50 anos querem provar um ofcio diferente, ainda que com contratos por tempo limitado, ou prestao de servios. Esse mercado tambm tem absorvido maior

    nmero de pessoas com mais de 60 anos, haja vista que a populao est envelhecendo. Assim,

    pessoas da terceira idade, em geral aposentados, com qualificao e especializao so chamadas a ocupar espaos no mercado de trabalho, j que em algumas reas faltam profissionais experientes.

    A iniciativa privada j est atenta s oportunidades originadas pelo envelhecimento da

    populao. Nos Estados Unidos, o Massachusetts Institute of Technology (MIT), criou, no final da dcada de 90, o AgeLab, um verdadeiro laboratrio de estudos voltado para a longevidade,

    desenvolvendo instrumentos para orientar as indstrias na confeco de novos produtos para esta

    faixa etria, ocupando outros nichos na economia.

    Paradigmas da idade so quebrados, sobretudo na rea do turismo no Brasil. No programa criado pelo governo federal Viaja Mais Melhor Idade, do Ministrio do Turismo, entre 2007 e 2010, dados

    levantados demonstram que mais de 600 mil pacotes tursticos foram vendidos para a melhor idade.

    Sade, vida social e segurana financeira se destacam nos quesitos mais valorizados pelos idosos. Estar bem com o prprio corpo, sabendo das barreiras, mas procurando ultrapassar limitaes

    questo fundamental, se valendo de exerccios fsicos e alimentao equilibrada e benfica.

    Dados estatsticos apontam que a longevidade brasileira aumenta a cada ano. Se em 1990 a expectativa de vida era de 66,9 anos, a previso para o ano de 2050 de 81,3 anos, um nmero

    bastante significativo. Entre os itens que mais prejudicam a longevidade esto: os alimentos

    gordurosos, sedentarismo, estresse, sobrepeso e a higiene oral. Mais de 70% da populao idosa

    depende do sistema pblico de sade. Por volta de 2015, a populao idosa economicamente ativa deve crescer em torno de 3,6% ao ano. Carlos Drummond de Andrade estava certo: na velhice, a

    felicidade pode estar numa caixa de bombons, mas tambm pode estar na sade, na segurana de

    estar amparado pela famlia e os amigos tendo a oportunidade de escancarar as janelas e sentir a vida tal qual ela : Mgica. S depende de ns.

    LISITA, Bruno. Envelhecer rejuvenescendo. Dirio da Manh, 15/05/2013. Adaptado. Disponvel em:

    . Acesso em 02 out. 2013.

    http://www.dm.com.br/texto/112841-envelhecer-rejuvenescendo
  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Lngua Portuguesa Pg. 3 de 12

    01. Segundo o texto 1, correto afirmar que atualmente a terceira idade:

    A) destina todo o tempo livre s diverses com os amigos. B) conquista espao no mercado e boas opes de lazer. C) busca tratamentos alternativos para uma vida longa. D) dedica o tempo livre s brincadeiras com os netos. E) torna-se improdutiva e sem qualidade de vida.

    02. No trecho Na verdade, o mercado laboral tem horrios mais flexveis (linhas 16-17), o adjetivo

    sublinhado pode ser substitudo, sem modificar o sentido da frase, por:

    A) de turismo. B) de controle. C) de diverso. D) de trabalho. E) de produo.

    03. Assinale a alternativa cujos itens, segundo o texto, so prioritrios para uma velhice tranquila.

    A) Sade, alimentos gordurosos, vida social. B) Vida social, sade, segurana financeira. C) Sedentarismo, sade, alimentos gordurosos. D) Segurana financeira, viagens, sedentarismo. E) Alimentos gordurosos, sedentarismo e viagens.

    04. Considerando o texto acima em relao a seu propsito comunicativo, correto afirmar que se trata de:

    A) um dilogo proposto por Drummond entre a juventude e a velhice. B) um relato das experincias das pessoas que chegam terceira idade. C) um artigo informativo sobre as pessoas que chegam melhor idade. D) uma explicao dos fatores que influenciam o bem-estar dos idosos. E) um texto de opinio acerca dos benefcios obtidos pela longevidade.

    05. Assinale a alternativa cujo trecho exibe recursos expressivos com sentido conotativo da linguagem.

    A) H duas pocas na vida, infncia e velhice, em que a felicidade est numa caixa de bombons (linha 01). B) (...) a terceira idade hoje ganha espao no mercado de trabalho, aproveita as horas de lazer no s

    com os netos, mas busca opes mais arrojadas como dana, viagens e passeios com os amigos

    (linhas 04-06).

    C) No que se refere ao mercado de trabalho j no tm inteno de se aposentar to cedo, e mesmo quando ocorre este fato continuam na ativa, buscando outras ocupaes (linhas 14-16).

    D) O Ministrio do Trabalho informa que no ano de 2010 o nmero de trabalhadores assalariados com mais de 65 anos cresceu 12%, o dobro da mdia dos anos anteriores (linhas 20-21).

    E) (...) na velhice, a felicidade pode estar numa caixa de bombons, mas tambm pode estar na sade, na segurana de estar amparado pela famlia e os amigos tendo a oportunidade de escancarar as janelas e sentir a vida tal qual ela (linhas 43-46).

    06. Assinale a alternativa em que as palavras tm o mesmo nmero de letras e fonemas.

    A) Conhecimento. B) Aproximando. C) Prejudicam. D) Estresse. E) Velhice.

    Com base no texto 1, responda s questes 01 a 11. .

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Lngua Portuguesa Pg. 4 de 12

    07. Assinale a alternativa em que o complemento verbal sublinhado em estar sentado num sof assistindo

    televiso (linhas 03-04), comum na lngua oral, deveria ser substitudo pelo pronome correspondente,

    de acordo com a norma padro.

    A) estar sentado num sof assistindo ela. B) estar sentado num sof lhe assistindo. C) estar sentado num sof assistindo a ela. D) estar sentado num sof assistindo nela. E) estar sentado num sof assistindo-lhe.

    08. No trecho A iniciativa privada j est atenta s oportunidades originadas pelo envelhecimento da

    populao (linhas 27-28), o termo sublinhado exerce a funo sinttica de ncleo do:

    A) complemento nominal. B) adjunto adnominal. C) objeto indireto. D) substantivo. E) adjetivo.

    09. Assinale a alternativa em que o se apresenta a mesma classificao que em Se o conhecimento leva

    colheita da sabedoria... (linha 06).

    A) 30% da populao brasileira ter mais de 60 anos se aproximando neste item ao modelo europeu (linhas 11-12).

    B) No que se refere ao mercado de trabalho... (linhas 14-15). C) j no tm inteno de se aposentar to cedo (linha 15). D) se valendo de exerccios fsicos e alimentao equilibrada e benfica (linha 37). E) Se em 1990 a expectativa de vida era de 66,9 anos... (linhas 38-39).

    10. Acerca da pontuao do trecho: No que se refere ao mercado de trabalho j no tm inteno de se

    aposentar to cedo, e mesmo quando ocorre este fato continuam na ativa, buscando outras ocupaes

    (linhas 14-16), observa-se corretamente que:

    A) deveria haver vrgula aps o trecho mercado de trabalho. B) isolar mesmo quando ocorre este fato entre vrgulas opcional. C) falta uma vrgula entre inteno e a orao completiva nominal. D) apesar de longo, todo o perodo poderia dispensar qualquer vrgula. E) a vrgula aps cedo obrigatria por anteceder orao coordenada.

    11. Assinale a alternativa em que a concordncia verbal admite mais de uma flexo.

    A) 30% dos brasileiros tero mais de 60 anos. B) 1% da populao brasileira ter mais de 60 anos. C) 30% da populao brasileira tero mais de 60 anos. D) Os 30% da populao brasileira tero mais de 60 anos. E) Aqueles 30% da populao brasileira tero mais de 60 anos.

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Lngua Portuguesa Pg. 5 de 12

    TEXTO 2

    01 02

    03

    04 05

    06

    07

    08 09

    10

    11 12

    13

    14

    15 16

    17

    18 19

    20

    21 22

    23

    24

    25 26

    27

    28 29

    30

    31 32

    33

    34

    35 36

    37

    38 39

    40

    41

    42 43

    44

    45 46

    A indignao aparentemente sem objeto, levando a manifestaes de massa espontneas, sem liderana e sem organizao, finalmente chegou ao Brasil. Surpreendente que tardasse a chegar por

    aqui.

    Esses levantes de indignao tm algumas caractersticas comuns e outras singulares, ligadas conjuntura de cada pas. Autocracia aqui, crise econmica ali, corrupo acol. Muitas vezes um

    tanto de tudo isso junto. Em comum, tm a espontaneidade, o uso das redes sociais para alastrar a

    convocao e a articulao das manifestaes, a insatisfao, a desconfiana, a ausncia de lideranas

    e os alvos mltiplos: poder, imprensa, empresas. De todos se diz que no tm um objeto claro. No tm mesmo, eles refletem pautas fragmentadas de sociedades fragmentadas. As pessoas no se juntam

    porque seguem liderana coletiva, ou para demandar itens de uma pauta coletivamente acordada em

    algum espao institucionalizado. Vo para as ruas por contgio. O espao pblico se transforma em um palco onde pautas singularizadas promovem encontros espontneos e transitrios entre indivduos

    movidos por sentimentos, valores e vises diferentes. Essa individualizao do movimento de massas

    desconcerta e espanta.

    (...) Eles se colocam por fora e por cima dos governos, dos partidos e das outras instituies de

    representao ou agregao de interesses organizadas. Todos se oligarquizaram, criaram barreiras

    entrada e impuseram pautas autoconcebidas a pessoas cada vez mais descrentes e mais individualizadas.

    Um dos pontos que impressiona que aparentemente a reao social parece, s vezes,

    desproporcional sua motivao aparente. No existe essa contrariedade. So muitas as motivaes. Algo como micro-ofensas que provocam macrorreaes. A soma de indignaes individualizadas se

    transforma em um tsunami arrasador de protestos.

    Evidentemente que as tarifas de nibus foram e no foram causa da sublevao que ocupa as

    ruas das principais cidades brasileiras. Qualquer aumento de preos, com a inflao em alta e preos essenciais, como os dos alimentos e dos servios bsicos subindo acima da mdia, provoca

    desconforto e irritao. Algumas pessoas talvez se lembrem que o governo atrasou o reajuste de

    tarifas, marcado para janeiro, para segurar a inflao. E que acabou autorizando-o em momento ainda pior, por impercia e pela inevitvel acelerao dos preos diante da inrcia da poltica

    econmica, excessivamente tolerante com a inflao sempre no topo da meta. O atraso no surtiu

    efeito algum, a elevao fora do tempo s piorou as coisas. No s a tarifa do nibus, o preo do po francs ou do tomate. Tem o engarrafamento. O

    nibus, o trem e o metr lotados. A desateno dos prestadores de servios. Tem o sistema de sade

    que no funciona. O pronto-socorro atulhado, a fila das cirurgias, todas urgentes e atrasadas. A escola

    aos frangalhos, os professores desmotivados. O desemprego de jovens mais que o dobro do desemprego mdio. Tem o poltico sem reputao ou escrpulo mandando e desmandando, impune e

    imune rejeio majoritria. O marketing mentiroso, pblico e privado. O estdio superfaturado e de

    desenho mais elitista. As decises ou ameaas de decises ao avesso da opinio dominante na sociedade. O fastio com a corrupo impune. O desencanto com polticos que eram portadores da

    esperana de mudana e deram os braos aos oligarcas de sempre. Enfim, motivo para indignao h

    de sobra, h muito tempo.

    (...) O melhor cenrio que da reiterao dessas manifestaes surjam novos tipos de liderana e

    novas formas de identidade entre indivduos com autonomia e coletividade, ou sentido de

    coletividade. Que da fora da indignao social venha a mudana real. E que a conjugao entre novas lideranas e novas identidades coletivas d rumo e objeto mais direto e concreto mudana.

    ABRANCHES, Srgio. O Vem para a rua sem leno e sem documento. Anlise, 19/06/2013. Adaptado. Disponvel em

    . Acesso em 02 out. 2013.

    http://www.ecopolitica.com.br/
  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Lngua Portuguesa Pg. 6 de 12

    12. Na frase Muitas vezes um tanto de tudo isso junto (linhas 05-06), a expresso sublinhada indica que h

    uma referncia anterior a ser recuperada. Assinale a alternativa em que a substituio dessa expresso

    por outro elemento coesivo melhor se ajusta ao contexto.

    A) a indignao dos levantes. B) a conjuntura de cada pas. C) a revolta dos manifestantes. D) a mistura de todas as coisas. E) as caractersticas das revoltas.

    13. A partir da opinio do autor em relao s manifestaes, correto inferir que ele:

    A) est surpreso porque as manifestaes chegaram ao Brasil. B) est desconcertado porque as manifestaes no tm um lder. C) tem conscincia de que os manifestantes desvirtuam o movimento. D) parece motivado a lutar por uma sociedade mais justa e democrtica. E) est impressionado com o fato de a reao social parecer desproporcional.

    14. Assinale a alternativa cujo sentido est de acordo com o que a expresso sem leno e sem documento

    apresenta no ttulo do texto.

    A) As manifestaes promovem encontros entre indivduos com vises diferentes. B) As manifestaes no lutam pela passagem do nibus, nem pelo preo do tomate. C) As manifestaes so protestos livres e espontneos que no tm uma causa. D) As manifestaes so realizadas por moradores de rua sem documentos. E) As manifestaes reivindicam apenas o direito de protestar livremente.

    15. Segundo o texto, O fastio com a corrupo impune (linha 39) :

    A) a causa central das manifestaes. B) a causa de averso aos polticos. C) o avesso da opinio da sociedade. D) uma das razes para a indignao das pessoas. E) o motivo principal do desencanto com os polticos.

    16. De acordo com o texto, correto afirmar que, em relao s manifestaes, o autor espera que:

    A) novas lideranas apaream, para que possam controlar as manifestaes. B) os manifestantes continuem indignados, a fim de que consigam fazer as mudanas. C) novas alianas sejam feitas entre os manifestantes, para que novos protestos ocorram. D) manifestantes e governantes pensem novas formas de liderana e de organizao da coletividade. E) novas lideranas apaream no cenrio nacional, a fim de que novas formas de identidade entre

    indivduos se estabeleam.

    17. Assinale a alternativa cuja palavra dividida em slabas com base no mesmo critrio da diviso silbica

    da palavra meio.

    A) transatlntico. B) octaedro. C) feldspato. D) cobaia. E) hiato.

    18. Assinale a alternativa em que o verbo impor est conjugado no mesmo tempo do verbo da frase Todos

    (...) impuseram pautas autoconcebidas a pessoas cada vez mais descrentes... (linhas 17-18).

    A) Sou muito bravo para me imporem alguma ordem insensata. B) Quando chefe, Joo sempre imps a todos o que queria fazer. C) Eu j impusera aos outros ordens que eu mesmo nunca cumpriria. D) Se impusssemos ordens sensatas, seramos obedecidos imediatamente. E) Se, algum dia, eu impuser aos outros uma ordem absurda, que no a cumpram.

    Com base no texto 2, responda s questes 12 a 20. .

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Lngua Portuguesa Pg. 7 de 12

    19. Assinale a alternativa em que a frase Algumas pessoas talvez se lembrem que o governo atrasou o

    reajuste de tarifas (linhas 27-28) est reescrita segundo a norma padro, sem qualquer alterao de

    sentido.

    A) Algumas pessoas talvez se lembrem de que o governo atrasou o reajuste de tarifas. B) Algumas pessoas talvez se lembrem para que o governo atrasou o reajuste de tarifas. C) Algumas pessoas talvez se lembrem a que o governo atrasou o reajuste de tarifas. D) Algumas pessoas talvez lembrem de que o governo atrasou o reajuste de tarifas. E) Algumas pessoas talvez se lembre que o governo atrasou o reajuste de tarifas.

    20. H total coincidncia morfolgica e sinttica do que da frase Algo como micro-ofensas que provocam

    macrorreaes (linha 22) com o da alternativa:

    A) De todos se diz que no tm um objeto claro. (linha 08). B) Evidentemente que as tarifas de nibus foram e no foram causa da sublevao (linha 24). C) Algumas pessoas talvez se lembrem que o governo atrasou o reajuste de tarifas (linhas 27-28). D) O desencanto com polticos que eram portadores da esperana de mudana (linhas 39-40). E) O melhor cenrio que da reiterao dessas manifestaes surjam novos tipos de lideranas (linha 43).

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Conhecimentos Especficos Pg. 8 de 12

    Prova II Conhecimentos Especficos 30 questes

    21. O baropodmetro um instrumento utilizado com a finalidade de avaliar:

    A) a presso plantar. B) a presso arterial. C) a ativao muscular. D) o torque interno articular. E) a amplitude do movimento articular.

    22. Assinale a alternativa que traz informaes corretas sobre o baropodmetro.

    A) O baropodmetro um equipamento que pode conter somente captadores capacitivos. B) A estabilometria avalia a presso plantar durante a marcha. C) Existem trs tipos de baropodmetros eletrnicos: as plataformas, as pistas de marchas e as palmilhas

    com captores.

    D) Este instrumento pode tambm avaliar os parmetros biomecnicos relacionados ao equilbrio corporal postural em diferentes posturas, atravs da baropodometria esttica.

    E) Equipamentos com captadores capacitivos podem apresentar alteraes de sensibilidade depois de uso assduo, e ento no apresentam mais valores confiveis, precisando ser recalibrados.

    23. Sobre cinemetria, marque o item correto.

    A) Os sensores de fora registram a fora aplicada nas direes mdio-lateral (X), ntero-posterior (Y) e vertical (Z).

    B) Consiste na anlise de parmetros cinticos, tendo por base a mensurao do torque interno muscular e a sua posterior anlise.

    C) Os equipamentos necessrios para esta anlise so: plataformas com sensores piezeltricos, computador e sistema operacional Windows.

    D) Para correta avaliao, a plataforma colocada no cho, de tal forma que a sua superfcie superior esteja nivelada com o cho para que seja possvel andar normalmente sobre ela.

    E) a anlise da distncia, do tempo, da velocidade e da acelerao, obtida por um dado segmento corporal ou pelo centro de massa do sujeito ao realizar um determinado gesto motor.

    24. Sobre a medio da fora de reao do solo, marque o item correto.

    A) realizada por plataformas sensveis ao torque interno muscular. B) Fornece um sinal eltrico proporcional amplitude de movimento articular. C) Utilizamos um eletrogonimetro de paralelogramo duplo que permite acompanhar a trajetria da

    articulao anatmica. D) A plataforma de fora consiste de duas superfcies rgidas, uma superior e uma inferior, que so

    interligadas por sensores de fora.

    E) Consiste na anlise de parmetros cinemticos, tendo por base a mensurao do torque interno muscular e a sua posterior anlise.

    25. Sobre os dispositivos de mensurao de fora, marque o item correto.

    A) O dinammetro isocintico mede o torque interno produzido e a variao da velocidade angular da articulao.

    B) O dinammetro isocintico um dispositivo eletromagntico para mensurar o torque interno em uma articulao especfica.

    C) So exemplos de dispositivos eletromecnicos de mensurao de amplitude de movimento: balana, dinammetro de fora de aperto e dinammetro manual.

    D) O peso corporal no exerce influncia sobre a magnitude dos parmetros fornecidos pelo teste isocintico. Portanto desnecessrio normalizar os valores de torque e trabalho pelo peso corporal

    para permitir comparaes entre indivduos.

    E) Neste tipo de avaliao pontos anatmicos estratgicos so identificados com a colocao de marcadores reflexivos, deixando desta forma os eixos internos dos segmentos selecionados mais visveis para captura das imagens programa de computador.

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Conhecimentos Especficos Pg. 9 de 12

    26. Sobre a eletromiografia (EMG), marque a alternativa correta.

    A) O sistema de coleta na EMG consiste de eletrodos, amplificadores, filtros e um dispositivo de registros.

    B) Os sinais eletromiogrficos em EMG de superfcie so captados por eletrodos de borracha com gel condutor.

    C) O eletrodo de referncia, permite a interferncia do rudo eltrico externo, como o rudo causado por lmpadas fluorescentes.

    D) A eletromiografia tem a capacidade de detectar a amplitude da fora do msculo e dessa forma detectar qual musculatura est sendo mais potente naquele momento.

    E) A escolha do tipo e a posio de eletrodo, no interferiro na captao do sinal eletromiogrfico, pois para msculos pequenos, a literatura recomenda a colocao de qualquer tamanho de eletrodos.

    27. Ao conjunto de operaes que criam, sob determinadas circunstncias, a correspondncia entre valores

    indicados por um instrumento ou sistema de medio ou por valores representados por uma medida

    material de referncia, e os valores correspondentes realizados por padres, a definio de:

    A) Amostra. B) Certificado. C) Calibrao. D) Componente. E) Capacidade do laboratrio.

    28. Segundo os principais elementos para o preparo do plano de limpeza e desinfeco de laboratrio,

    marque o item correto.

    A) Filtro de ar-condicionado deve ser limpo mensalmente ou quando houver necessidade, atravs de limpeza mecnica.

    B) Aparelhos ou equipamentos devem ser limpos trimestralmente com gua e sabo. C) As bancadas s devem ser limpas mensalmente ou quando houver necessidade. D) Paredes devem ser limpas semanalmente com lcool a 70%. E) As pias devem ser limpas semanalmente com saponceo.

    29. A funo de um tcnico de laboratrio :

    A) Exercer funes de coordenao no laboratrio. B) Ministrar as aulas prticas e estgios com alunos da graduao. C) Preparar os equipamentos e aparelhos do laboratrio para utilizao em aulas prticas. D) Orientao de estagirios e alunos de ps-graduao na execuo de metodologias. E) Elaborar os planos de aulas prticas desenvolvidas no laboratrio.

    30. Laboratrio clnico que tambm utilizado para fins didticos ou de treinamento denominado:

    A) Laboratrio de apoio. B) Laboratrio de ensino. C) Laboratrio de referncia. D) Laboratrio independente. E) Laboratrio especializado.

    31. Assinale a alternativa correta que contemple os equipamentos que devem ser utilizados durante uma aula

    prtica de fototerapia.

    A) Laser, Infravermelho e Ultravioleta. B) Ultrassom, Ondas Curtas e Ultravioleta. C) Eletroestimulador, Laser e Forno de Bier. D) Ultrassom, Infravermelho e Ondas Curtas. E) Micro-ondas, Ondas Curtas e Eletroestimulador.

    32. No equipamento de microondas, as ondas eletromagnticas so emitidas atravs de:

    A) Um refletor esfrico. B) Dois eletrodos do tipo agulha. C) Dois eletrodos de placa do tipo Schieliephake. D) Dois eletrodos flexveis do tipo de borracha de silicone. E) Dois eletrodos do tipo caneta com borracha de silicone nas pontas.

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Conhecimentos Especficos Pg. 10 de 12

    33. Sobre a forma mais adequada de armazenamento de materiais e produtos no laboratrio de

    eletrotermofototerapia, assinale a alternativa correta.

    A) A parafina deve ser armazenada em estado lquido para no perder suas propriedades teraputicas, desta forma, o equipamento de banho de parafina mantido ligado constantemente h uma

    temperatura de 40C. B) Os eletrodos em formato de placa revestidos com borracha, utilizados em associao com o

    equipamento de ondas curtas, podem ser manuseados e armazenados em local seco logo aps sua

    utilizao, sem risco de queimadura.

    C) A caneta emissora de raio Laser deve ser mantida sob resfriamento, uma vez que na temperatura ambiente h diminuio na sua capacidade de transmisso energtica.

    D) A lmpada de infravermelho pode ser manuseada sem a necessidade de luvas trmicas e guardada em caixa de papelo especfica, logo aps sua utilizao, j que no aquece durante a emisso dos raios luminosos.

    E) Aps a sua utilizao, o transdutor do equipamento de ultrassom teraputico deve ser desmontado e o cristal piezoeltrico guardado em caixa fechada, livre de luz, para que no haja descalibrao do mesmo.

    34. Assinale a alternativa que descreve a forma correta de verificar se o transdutor do equipamento de

    ultrassom teraputico est emitindo as ondas sonoras.

    A) Ligar o aparelho, selecionar o modo pulsado, colocar algumas gotas de gua na face de alumnio do transdutor, aumentar a intensidade da estimulao e identificar o aquecimento da gua.

    B) Ligar o aparelho, selecionar o modo contnuo, aumentar a intensidade da estimulao e posicionar o transdutor prximo ao ouvido verificando a presena da onda sonora.

    C) Ligar o aparelho, selecionar o modo pulsado, aplicar gel na parte de alumnio do transdutor, colocando-o em contato com a pele, aumentar a intensidade da estimulao e verificar a presena de aquecimento na regio estimulada pelo equipamento.

    D) Ligar o aparelho, selecionar o modo contnuo, colocar algumas gotas de gua na face de alumnio do transdutor, aumentar a intensidade da estimulao e identificar o efeito de nebulizao da gua.

    E) Ligar o aparelho, selecionar o modo contnuo, colocar gel na face de alumnio do transdutor, aumentar a intensidade de estimulao e verificar a presena da solubilizao do gel, transformando-o em material lquido.

    35. A limpeza dos eletrodos de borracha utilizados nas aulas prticas de eletroterapia deve ser realizada da seguinte forma:

    A) Imergir os eletrodos em soluo de hipoclorito de sdio, por 20 minutos. B) Retirar o excesso de gel com soluo custica e limpar os eletrodos com um pano seco. C) Lavar em gua corrente e sabonete anti-sptico, e em seguida enxugar com papel toalha. D) Retirar o excesso de gel, embrulhar em papel jornal e colocar no forno por 20 minutos, 180C. E) Limpar com um pano seco, colocar todos em um vidro, vedar bem o mesmo e colocar em autoclave

    por 30 minutos, 200C.

    36. Assinale a alternativa que corresponda ao tipo de eletrodo mais indicado para ser utilizado durante uma aula

    prtica de eletroestimulao cujo objetivo seja a contrao de grandes msculos dos membros inferiores.

    A) Eletrodos tipo agulha. B) Eletrodos de vidro de 5 x7 cm ( 35 cm2 de rea). C) Eletrodos de borracha de 3x1 cm (aproximadamente 3 cm2 de rea). D) Eletrodos de borracha de 10 x 5 cm (aproximadamente 50 cm2 de rea). E) Eletrodos do tipo caneta com borracha de silicone condutiva conectada na ponta.

    37. Qual dos Equipamentos de Proteo Individual abaixo necessrio para proteo do indivduo contra os

    raios LASER, durante uma aula prtica de fototerapia citados?

    A) Luva nitrlica. B) Protetor auricular. C) culos de proteo para comprimento de onda especfico. D) Mscaras de proteo de boca e nariz. E) Luva de ltex descartvel.

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Conhecimentos Especficos Pg. 11 de 12

    38. Qual dos agentes qumicos abaixo poderia ser utilizado para a esterilizao de catteres e tubos de

    poliestireno, deixando o material livre de bactrias gram (+), Baclo da tuberculose, fungos, vrus e esporos.

    A) Quaternrio de amnia B) Glutaraldedo 2% C) lcool 70% D) Sabo E) Cloro

    39. De acordo com a classificao dos laboratrios segundo o nvel de biossegurana, pela Agncia Nacional

    de Vigilncia Sanitria (ANVISA), os laboratrios em que as prticas, o equipamento de segurana e o

    projeto das instalaes so apropriados para o treinamento educacional secundrio ou para o treinamento

    de tcnicos e de professores de tcnicas laboratoriais, so descritos como:

    A) Nvel 1 de biossegurana. B) Nvel 2 de biossegurana. C) Nvel 3 de biossegurana. D) Nvel 4 de biossegurana. E) Nvel 5 de biossegurana.

    40. De acordo com os smbolos de segurana em laboratrio, assinale a alternativa que contenha o

    significado do seguinte smbolo.

    A) Risco de incndio. B) Risco de exploso. C) Risco de choque eltrico. D) Risco de contaminao biolgica. E) Risco de contaminao radioativa.

    41. Qual aparelho abaixo utilizado para avaliar a fora muscular respiratria?

    A) Peak flow. B) Threshould. C) Espirmetro. D) Ventilmetro. E) Manovacumetro.

    42. Durante a avaliao cardiorrespiratria fundamental a aferio dos sinais vitais. Um deles a Presso

    Arterial. Diante disso, quais materiais so necessrios para a verificao da mesma?

    A) Estetoscpio e Esfigmomanmetro. B) Ventilmetro e Esfigmomanmetro. C) Estetoscpio e Espirmetro. D) Esfigmomanmetro. E) Estetoscpio.

    43. Quais os principais parmetros avaliados no Exame da Espirometria?

    A) CVF, VEF1 e Volume Corrente. B) Fora muscular respiratria, CVF, VEF1. C) CVF, ndice de Tobin e ndice de Tiffeneau. D) VEF1, Capacidade Vital Forada (CVF) e ndice de Tiffeneau. E) Volume Expiratrio forado no primeiro segundo (VEF1), ndice de Tobin e Fluxo mximo expiratrio.

  • Tcnico de Laboratrio/Movimento Humano Conhecimentos Especficos Pg. 12 de 12

    44. Qual dos itens abaixo se refere apenas a materiais utilizados na Avaliao Cardiopulmonar?

    A) Baropodmetro, Espirmetro, Martelo neurolgico, Manovacumetro. B) Espirmetro , Peak Flow, Ventilmetro, Martelo neurolgico. C) Estetoscpio, Baropodmetro, Espirmetro e Peak Flow. D) Espirmetro , Peak Flow, Threshould, Baropodmetro. E) Fita mtrica, Espirmetro , Peak Flow e Ventilmetro.

    45. A principal funo do Ventilmetro :

    A) Verificar o fluxo expiratrio do paciente e a Fora muscular do paciente. B) Averiguar o Volume corrente, Volume minuto e ndice de Tobb do paciente. C) Calcular o Volume corrente, o volume minuto e a Saturao do paciente. D) Avaliar a expansibilidade torcica e o Volume corrente do paciente. E) Mensurar o ndice de Oxigenao do paciente.

    46. Em relao parada cardiorrespiratria (PCR), marque o item correto.

    A) As ventilaes nunca devero ser realizadas. B) As ventilaes sempre devero ser realizadas. C) Mesmo sem ter conhecimento da tcnica, quem presenciar uma PCR deve tentar realizar a massagem

    cardaca.

    D) Deveremos sempre obedecer a uma quantidade limite para cada ciclo de respiraes e massagem cardaca, na faixa de 15 massagens para 2 respiraes.

    E) Uma massagem bem eficaz descarta a necessidade de ventilaes, j que pode ser um risco para o socorrista aplicar ventilao boca a boca em qualquer pessoa.

    47. No caso de convulso, qual a medida mais adequada?

    A) No devemos fazer nada, s observar a crise passar. B) Tentar puxar com o dedo a lngua da vtima e vir-la de lado. C) Devemos conter a crise, tentado impedir os movimentos involuntrios. D) Afastar curiosos. Proteger a cabea e vir-la do lado e afrouxar a roupa. E) Afastar curiosos, proteger a cabea e vir-la de lado, colocar um pano na boca da vtima e afrouxar a roupa.

    48. No caso de engasgamento, a manobra de Heimlich refere-se a:

    A) Deitar a vtima de costas e aplicar tapotagens por toda regio do trax. B) Deixar a vtima sentada, levantar seus braos e aplicar percusses em todo seu trax. C) Realizar a mesma conduta com do tem anterior, mas a mo deve ser na regio do esterno. D) Abraar a vtima por trs e posicionar uma mo fechada logo abaixo do esterno,e realizar compresso forte

    e rpida.

    E) Abraar a vtima por trs e posicionar uma mo aberta logo abaixo do esterno, e realizar compresso fraca e lenta.

    49. A conduta a ser utilizada no caso de FEBRE, a seguinte:

    A) Apenas abafar o paciente. B) Usar qualquer tipo de antitrmico indiscriminadamente. C) Devemos evitar qualquer corrente de vento abafando a vtima. D) No realizar conduta nenhuma e procurar imediatamente o mdico. E) Resfriar o corpo com banho morno demorado, compressas fria,ventiladores, e procurar assistncia mdica

    caso a febre persista.

    50. Baseado nos conceitos bsicos de primeiros socorros marque a opo correta sobre o mtodo S.T.A.R.T (Triagem simples e tratamento rpido).

    A) Observa apenas a respirao e o nvel de conscincia. B) Cor laranja corresponde a pacientes com leses leves e baixo nvel de risco. C) Identifica as vtimas atravs de cores: azul, vermelho, amarelo, laranja, branco e preto. D) A cor vermelha indica vtima menos grave, onde o paciente no tem risco de morte eminente. E) A cor amarela indica feridos graves, porm sem risco eminente de morte e que sua sobrevivncia

    independe de cuidados imediatos.