Contabilidade gerencial prof

download Contabilidade gerencial  prof

of 32

  • date post

    18-Dec-2014
  • Category

    Documents

  • view

    1.704
  • download

    22

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Contabilidade gerencial prof

  • 1. ____________________________________________ APOSTILA CONTABILIDADE CONTABILIDADE GERENCIAL
  • 2. EXPOSITOR: LEONARDO PINTO APRESENTAO A contabilidade Gerencial um mix das reas contbeis e financeiras. O contador gerencial tem por objetivo analisar comportamentos em diversos nveis de produo e opinar sobre os efeitos dos tributos nas vendas at os sistemas de rateio dos custos aos produtos, pois estes afetam diretamente o custo unitrio de fabricao. Compreende a ele tambm a formao de preos de venda de produtos, elaborao de oramentos e planejamento financeiro. Em decorrncia a estes fatos, esta apostila de Contabilidade Gerencial est dividida em 4 reas, a saber: Contabilidade Tributria, Contabilidade de Custos, Oramento Empresarial e finalmente Contabilidade Gerencial que a aplicao das reas tributrias e de custos para a tomada de deciso. No h como falar de gerenciamento empresarial sem antes conhecer os tributos, as formas de rateio de custos e o oramento empresarial. Esta singela apostila foi elaborada com as melhores referncias bibliogrficas no assunto de contabilidade gerencial. No final da apostila consta a relao da referncia bibliogrfica para aqueles que queiram se aprofundar nesta rea. Bom estudo! Quanto mais o homem vence e se apura no saber, mais se humilha e se convence, que tem muito que aprender. Mrio Barreto Frana. 2
  • 3. I. CONTABILIDADE TRIBUTRIA 1. INTRODUO A contabilidade tributria o ramo contbil pelo qual apura-se resultados para a aplicao das alquotas pertinentes para a apurao dos tributos. Define a CTN o tributo em seus artigos 3 a 5: Tributo toda a prestao pecuniria compulsria, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que no constitua sano por ato ilcito, instituda em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Tributos a arrecadao proveniente de fatos geradores pelo qual quem auferir estar sujeito. Exemplo: Imposto de Renda Pessoa Fsica. S est sujeito a contribuir quem com este imposto a pessoa fsica que alcanar a renda mnima mensal de R$1.056 mensais. Imposto de Renda Pessoa Jurdica. S est sujeito a este tributo a entidade que auferir lucro. Como tambm s estar sujeito ao pagamento do IPVA quem possuir veculo. E assim temos diversos casos de tributos, onde existe o efeito e a causa. 2. TRIBUTOS PERTINENTES AS EMPRESAS Podemos destacar diversos tipos de tributos na empresa como: IRPJ, CSSLL, PIS e COFINS. Cada um destes tributos est vinculada a uma base de clculo diferente da outra. TRIBUTOS BASE DE CLCULO ALQUOTA - IRPJ Lucro Fiscal em empresas 15% + 10% de adicional com apurao Lucro Real. sobre o lucros excedente de Receita Bruta de Vendas R$20.000, mensais em empresas com apurao de Lucro Presumido. - CSSLL Lucro Antes do Imposto de 8% + 1% adicional Renda em empresas com totalizando 9%. apurao Lucro Real. 12% da Receita Bruta a Pelo Lucro Presumido Base de Clculo p/ empresas no Lucro Presumido. - PIS Receita Bruta 0,65% - COFINS Receita Bruta 3% 3. CONCEITOS DE LUCROS Existem 3 tipos de lucros. 3.1 Lucro Contbil aquele apurado pela Demonstrao de Resultado do Exerccio. 3.2 Lucro Fiscal aquele apurado pelo livro LALUR aps as excluses e adies pertinentes pela legislao fiscal. O Lucro Fiscal s usado para empresas com apurao de resultados pelo Lucro Real. 3.3 Lucro Ajustado aquele apurado aps as reverses de reservas para a distribuio dos lucros. De acordo com a lei 6.404/76 as sociedades annimas podem constituir reservas para em tempo oportuno revert-las como resultado para a distribuio de lucros. Como exemplo podemos citar a Reserva de Lucros, o qual pode a qualquer tempo, de acordo com assemblia geral da empresa designar para compensar baixa remunerao de capital aplicado pelos acionistas. 3
  • 4. 4. COMO APURAR RESULTADOS (LUCROS)? O FISCO permite 3 tipos de apurao nas entidades em exceo as empresas enquadradas no SIMPLES. Apurao de resultados pelo Lucro Real, Lucro Presumido e Lucro Arbitrado. 4.1 LUCRO REAL Lucro Real aquele que aps as adies e excluses permitidas pela legislao do Imposto de Renda, aufere-se uma nova base de clculo, aplicando-se ento a alquota do Imposto de Renda. Esto obrigadas a tributao com base no lucro real as empresas com faturamentos anuais superior a R$24.000.000,00 (vinte e quatro milhes). Quando chega-se a LAIR (Lucro Antes do Imposto de Renda) apresentado na D.R.E. (Demonstrao do Resultado do Exerccio) transporta-se este valor para o LALUR (Livro de Apurao Pelo Lucro Real). 4.1.1 ADIO Adio toda despesa pertinente na Demonstrao de Resultados, o qual no aceita pelo FISCO como redutora da base de clculo para a aplicao da alquota do Imposto de Renda, fazendo com que a base fique maior para a aplicao da alquota, logo pagando-se mais IRPJ. Exemplos de adio: Despesas c/ Multas de Trnsito. Esta despesa no aceita para a reduo da base de clculo do Imposto de Renda pois o FISCO considera que esta no faz parte das operaes normais da empresa e sim uma despesa por infrao das leis de trnsito. 4.1.2 EXCLUSO Excluso toda receita pertinente na Demonstrao de Resultados, o qual no pode integrar ao lucro para a aplicao da alquota do Imposto de Renda, fazendo com que a base de clculo fique menor para a aplicao da alquota do Imposto de Renda, logo pagando-se menos IRPJ. Exemplos de excluso: Receitas de dividendos. Presume-se que a empresa que gerou lucros pagou o Imposto de Renda antes de distribu-los e por isto no pode ser aceito como uma receita na empresa investidora. 4.1.3 LALUR O Livro de Apurao do Lucro Real (LALUR) onde so escrituradas as excluses e as adies, bem como a compensao de crditos fiscais. Na parte A do LALUR so controladas as adies e excluses e na parte B do LALUR so controladas a compensao de crditos fiscais. O FISCO permite que prejuzos anteriores sejam compensados ou reduzidos da base redutora para o pagamento do Imposto de Renda. Este percentual de at 30% da base de clculo tributvel. 4.2 LUCRO PRESUMIDO O Lucro Presumido uma modalidade optativa de apurar resultados e consequentemente o Imposto de Renda. Optativa porque a empresa que no auferir uma Receita Bruta de Vendas superior a R$24.0000.000 pode escolher entre o Lucro real e o Lucro Presumido. Para a apurao do Lucro Presumido no necessrio a utilizao do LALUR, pois para esta modalidade de apurao no h adies nem excluses. Para apurar o Imposto de Renda de acordo com o Lucro Presumido necessrio aplicar sobre o total da Receita Bruta de Vendas uma alquota conhecida como percentual de presuno. Exemplo: Uma empresa comercial aufere uma Receita Bruta pela venda de mercadorias de R$180.000. Sobre esta base de clculo (R$180.000,) aplica-se a alquota de 8% referente a presuno de ganhos. Estes 8% representa um lucro o qual a empresa est presumindo que ter. O clculo do Imposto de Renda para esta modalidade mais simples, no exemplo acima a base de clculo para a aplicao da alquota do IRPJ seria de R$14.400 (Lucro Presumido) X a alquota do I.R. 15% = R$2.160. Vale lembrar que no 4
  • 5. final do perodo (31/12) a empresa dever fazer um ajuste real de ganhos para pagar a diferena ou at reter como crdito o valor pago a mais de IRPJ. A alquota de presuno varia de acordo com a modalidade da empresa. Se a empresa for comercial aplica-se 8% de presuno e se ela for prestadora de servios aplica-se 32% de presuno. A base de clculo da CSSLL de 12%. No exemplo acima teramos: Receita Bruta de Vendas R$180.00 X 12% = R$21.600 (Base de Clculo) X 9% (alquota CSSLL) = R$ 1.944 CSSLL. 4.3 LUCRO ARBITRADO Est obrigado a apurar resultados, para o pagamento do Imposto de Renda pelo Lucro Arbitrado a empresa obrigada a tributar sobre o Lucro Real, que no exerccio vindouro no mantm ou manteve escriturao comercial adequada e organizada capaz de apurar os resultados em tempos hbeis (at o dia do vencimento). O FISCO por sua vez arbitra um lucro, para que a empresa tenha um valor referencial pagar o IRPJ. Esta arbitrariedade imposta pelo FISCO aleatria e muito pesada sendo as diversas bases de clculos. Como a empresa no apresenta uma escrita contbil adequada, o lucro no de fcil acesso. Logo, o FISCO arbitra dentre diversos componentes conhecidos na entidade uma base de clculo e a respectiva alquota. Vejamos a tabela: BASE DE CLCULO ALQUOTA - Lucro Real auferido no ltimo perodo em que a empresa 1,5 mantinha escriturao contbil em boa ordem. - Valor do aluguel trimestral.