Custo Brasil e Taxa de Câmbio na Indústria de Transformação 2013

Click here to load reader

Embed Size (px)

description

Departamento de Competitividade e Tecnologia da Fiesp (Decomtec)

Transcript of Custo Brasil e Taxa de Câmbio na Indústria de Transformação 2013

  • 1. DECOMTEC 1 DECOMTEC Departamento de Competitividade e Tecnologia Junho de 2014
  • 2. DECOMTEC 2 Almir Daier Abdalla Cassio Jordo Motta Vecchiatti Cludio Grineberg Cludio Sidnei Moura Cristiano Veneri Freitas Miano (Representante do CJE) Denis Perez Martins Eduardo Berkovitz Ferreira Eduardo Camillo Pachikoski Elias Miguel Haddad Fernando Bueno Francisco Florindo Sanz Esteban Jorge Eduardo Suplicy Funaro Luiz Carlos Tripodo Manoel Canosa Miguez Marcelo Jos Medela Marco Aurlio Militelli Mario William Esper Mauricio Marcondes Dias de Almeida Olvio Manuel de Souza vila Rafael Cervone Netto Robert Willian Velsquez Salvador (Representante do CJE) Ronaldo da Rocha Tarsis Amoroso Walter Bartels Departamento de Competitividade e Tecnologia EQUIPE TCNICA GERENTE Renato Corona Fernandes EQUIPE TCNICA Adriano Giacomini Morais Albino Fernando Colantuono Andr Kalup Vasconcelos Clia Regina Murad Daniele Nogueira Milani Debora Belucci Modolo Cintra Egdio Zardo Junior rica Marques Mendona Fernando Momesso Pelai Juliana de Souza Luis Menon Jos Paulo Cesar Morceiro Paulo Sergio Pereira da Rocha Silas Lozano Paz Vinicius Rena Pereira ESTAGIRIO Franco Vissotto Zolin Gustavo Manzotti Simes APOIO Maria Cristina Bhering Monteiro Flores Luis Menon Jos Federao das Indstrias do Estado de So Paulo - FIESP PRESIDENTE EM EXERCCIO Benjamin Steinbruch Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC DIRETOR TITULAR Jos Ricardo Roriz Coelho DIRETOR TITULAR ADJUNTO Pierangelo Rossetti
  • 3. DECOMTEC 3 Estrutura 1 Introduo e objetivos do estudo 2 A economia brasileira e a indstria de transformao 3 Metodologia de clculo do Custo Brasil 4 Diferencial de preos e Custo Brasil por fator do ambiente de negcios 5 A influncia da Taxa de Cmbio nos preos 6 Custo Brasil e diferencial de preos em 2013 7 Consideraes Finais
  • 4. DECOMTEC 4 Estrutura 1 Introduo e objetivos do estudo 2 A economia brasileira e a indstria de transformao 3 Metodologia de clculo do Custo Brasil 4 Diferencial de preos e Custo Brasil por fator do ambiente de negcios 5 A influncia da Taxa de Cmbio nos preos 6 Custo Brasil e diferencial de preos em 2013 7 Consideraes Finais
  • 5. DECOMTEC 5 1. Introduo e objetivos do estudo Apesar de recorrentemente mencionado como a principal causa da perda de competitividade da economia, no existiam recentemente quantificaes do Custo Brasil e de seu impacto sobre os preos dos produtos industriais. Em 2013, o DECOMTEC, por meio de um estudo indito, Custo Brasil na Indstria de Transformao em 2012, sanou essa lacuna ao verificar que um produto industrializado nacional era, em mdia, 34,2% mais caro que um produto importado em decorrncia do Custo Brasil e da Valorizao do Real. Objetivos do Estudo: Calcular o Custo Brasil 2013, e Quantificar a diferena de preos entre os produtos industrializados brasileiros e os produtos importados.
  • 6. DECOMTEC 6 O que Custo Brasil? O Custo Brasil um termo recorrentemente apontado como a principal causa da perda de competitividade da economia, e sobretudo, da perda de competitividade da indstria de transformao. Apesar da importncia atribuda ao Custo Brasil, trata-se de um conceito pouco compreendido. O Custo Brasil rene distintos custos vigentes na economia brasileira. Esses custos decorrem de deficincias em diversos fatores relevantes para a competitividade industrial. Nas principais economias que concorrem com o Brasil, esses custos so menos expressivos. Por isso, o Custo Brasil apontado como o principal fator da perda de competitividade da economia e, em especial, da perda de competitividade da indstria de transformao. O Custo Brasil independe de estratgias empresariais, pois decorre de deficincias em fatores sistmicos, que somente podero ser mitigadas com polticas de Estado. 1. Introduo e objetivos do estudo
  • 7. DECOMTEC 7 Estrutura 1 Introduo e objetivos do estudo 2 A economia brasileira e a indstria de transformao 3 Metodologia de clculo do Custo Brasil 4 Diferencial de preos e Custo Brasil por fator do ambiente de negcios 5 A influncia da Taxa de Cmbio nos preos 6 Custo Brasil e diferencial de preos em 2013 7 Consideraes Finais
  • 8. DECOMTEC 8 Desde a crise financeira internacional os desempenhos da economia brasileira e da indstria de transformao no so bons. O crescimento do PIB do pas est abaixo da mdia do crescimento do PIB dos pases emergentes o A economia brasileira cresceu muito pouco nos ltimos trs anos: 2,7% em 2011 1,0% em 2012 2,3% em 2013 .A indstria de transformao, que deveria dinamizar a economia, est estagnada. o O crescimento do PIB da indstria de transformao nos trs anos foi de: 0,1% em 2011 - 2,4% em 2012 1,9% em 2013 2. A economia brasileira e a indstria de transformao
  • 9. DECOMTEC 9 A Indstria de Transformao no se recuperou aps a crise financeira internacional de 2008. A produo fsica da indstria est estagnada desde 2010, e no se observa uma tendncia firme de recuperao. Em 2013, a produo fsica da indstria de transformao cresceu apenas 1,6% em relao a 2012, desempenho insuficiente frente s potencialidades do mercado nacional. 2. A economia brasileira e a indstria de transformao
  • 10. DECOMTEC 10 O incremento do consumo interno foi suprido primordialmente por produtos importados. O dinamismo recente do consumo no foi acompanhado pela produo industrial, de 2003 a 2013, o volume das vendas no comrcio cresceu 118%, enquanto a produo fsica da indstria de transformao aumentou 27%. O Custo Brasil e a valorizao do real foram os responsveis pela perda de competitividade do setor industrial. 2. A economia brasileira e a indstria de transformao Participao dos importados no crescimento do consumo de bens industriais: 2008 e 2010 = 40% 2011 = 100% 2013 = 89,3% Fonte: Banco Central do Brasil - Relatrio de inflao: junho/2012, e Derex/FIESP -Coeficientes de Exportao e Importao, fev/2014. Participao dos importados no crescimento do consumo de bens industriais: 2008 e 2010 = 40% 2011 = 100% 2013 = 89,3% Fonte: Banco Central do Brasil - Relatrio de inflao: junho/2012, e Derex/FIESP -Coeficientes de Exportao e Importao, fev/2014. Base: mdia de 2003 = 100 Fonte: PIM; PMC - Srie dessazonalizadas. (IBGE). Elaborao: DECOMTEC/FIESP.
  • 11. DECOMTEC 11 Em 2013, a cada quatro produtos industrializados vendidos em territrio brasileiro, um foi produzido fora do pas. O coeficiente de penetrao das importaes na indstria de transformao passou de 10,5% em 2003, para 23,7% em 2013, como consequncia do Custo Brasil e de anos seguidos com o cmbio apreciado. 2. A economia brasileira e a indstria de transformao
  • 12. DECOMTEC 12 O crescimento do coeficiente de penetrao das importaes na maioria das atividades industriais retrata a perda de competitividade do pas. Os produtos importados respondem por mais da metade do consumo de equipamentos mdico-hospitalares, informtica, mquinas e equipamentos e material eletrnico e de comunicao. 2. A economia brasileira e a indstria de transformao
  • 13. DECOMTEC 13 Como resultado de anos de cmbio apreciado e do Custo Brasil, a participao da Indstria no PIB regrediu a 13,0% em 2013, o menor patamar dos ltimos 50 anos. Se nada for feito, a participao da indstria poder reduzir ainda mais, e poder chegar a apenas 9,3% do PIB em 2029. 2. A economia brasileira e a indstria de transformao
  • 14. DECOMTEC 14 Ao comprometer o crescimento da indstria, o Brasil afeta o componente com maior efeito multiplicador da economia Maior multiplicador do crescimento, R$ 1,00 em suas vendas movimentam R$ 2,22 na economia. A mais intensiva em investimento produtivo Produtividade: 31% superior a mdia da economia, logo, quanto maior a participao da IT no PIB, maior a produtividade. Origem e difusora de Inovaes: no setor privado a IT realiza 70,5% de todos os gastos em P&D, e 80,3% das atividades inovativas. Os anos de melhor desempenho econmico do pas foram aqueles em que a IT obteve maior crescimento. Demandante Ofertante No inclui setores institucionais Relao entre a participao da indstria de transformao no PIB e a evoluo da PTF Investimento produtivo Fonte: IBGE. Elaborao: DECOMTEC/FIESP. 2. A economia brasileira e a indstria de transformao
  • 15. DECOMTEC 15 Estrutura 1 Introduo e objetivos do estudo 2 A economia brasileira e a indstria de transformao 3 Metodologia de clculo do Custo Brasil 4 Diferencial de preos e Custo Brasil por fator do ambiente de negcios 5 A influncia da Taxa de Cmbio nos preos 6 Custo Brasil e diferencial de preos em 2013 7 Consideraes finais
  • 16. DECOMTEC 16 3 Metodologia de clculo do Custo Brasil Estrutura Produtiva A estrutura de produo considerada a da indstria de transformao brasileira e, portanto, reflete as