DESENVOLVENDO CRITICIDADE E CRIATIVIDADE COM ... ... primeira moto e que, mesmo de longe, me trouxe...

Click here to load reader

  • date post

    07-Aug-2020
  • Category

    Documents

  • view

    1
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of DESENVOLVENDO CRITICIDADE E CRIATIVIDADE COM ... ... primeira moto e que, mesmo de longe, me trouxe...

  • 1

    Cássio Luiz Vidigal

    DESENVOLVENDO CRITICIDADE E CRIATIVIDADE COM ESTUDANTES DE GEOGRAFIA POR MEIO DE

    MODELAGEM

    Ouro Preto 2013

  • 2

  • 3

    Cássio Luiz Vidigal

    DESENVOLVENDO CRITICIDADE E CRIATIVIDADE COM ESTUDANTES DE GEOGRAFIA POR MEIO DE

    MODELAGEM Dissertação apresentada à Banca Examinadora, como exigência parcial à obtenção do Título de Mestre em Educação Matemática pelo Mestrado Profissional em Educação Matemática da Universidade Federal de Ouro Preto, sob orientação do Professor Dale Bean.

    Ouro Preto

    2013

  • 4

    Catalogação: [email protected]

    V653d Vidigal, Cássio Luiz.

    Desenvolvendo criticidade e criatividade com estudantes de geografia por

    meio de modelagem [manuscrito] / Cássio Luiz Vidigal – 2013.

    148f.: il.; color.; tab.; mapas.

    Orientador: Prof. Dr. Dale William Bean.

    Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Ouro Preto. Instituto

    de Ciências Exatas e Biológicas. Departamento de Matemática. Programa de

    Mestrado Profissional em Educação Matemática.

    Área de concentração: Educação Matemática.

    1. Criatividade (Educação) - Teses. 2. Geografia - Teses. 3. Abstração

    matemática - Aplicações educacionais - Teses. I. Bean, Dale William. II.

    Universidade Federal de Ouro Preto. III. Título.

    CDU: 51:37.015.3

    CDU: 669.162.16

    mailto:[email protected]

  • 5

  • 6

  • 7

    AGRADECIMENTOS

    Desde as primeiras palavras que escrevi para esta dissertação, já pensava em

    como seria o momento de escrever estes agradecimentos. A cada contribuição que

    recebia, pensava que este é mais um nome para constar da lista. Mas hoje, na hora de

    escrevê-la, não sei se lembrarei de todos então, começarei pedindo desculpas se

    esqueci de alguém.

    Meu primeiro agradecimento, acima de tudo, vai pra Deus que me sustentou

    em momentos de fraqueza e me permitiu chegar a este momento.

    Em seguida, ao meu Pai, que não pode estar lendo este linha dedicada a ele

    mas que, certamente teria muito orgulho se estivesse entre nós neste momento. Sinto

    saudades!

    À Mamãe, que desde cedo me ensinou a ler, escrever, fazer contas, que

    passou tantas noites em claro quando adoecia mas que na manhã seguinte estava de

    pé, pronta pra mais um dia de mãe. Que levou pra escola no primeiro dia, que levou

    pra fazer inscrição pro vestibular, que levou ao púlpito na formatura, que levou à praia

    nas férias, que levou ao altar no casamento, que levou à concessionária pra comprar a

    primeira moto e que, mesmo de longe, me trouxe até o que sou hoje.

    Aos meus irmãos Caio e João Vitor pela paciência das negativas aos seus

    pedidos de ir à casa deles principalmente na reta final deste trabalho.

    À Raquel pelo constante apoio e incentivo na realização do mestrado e na

    escrita desta dissertação.

    Ao Dale, pela disponibilidade nas tardes de domingo, noites de terças-feiras,

    manhas de quintas e a qualquer outro momento, mas também, pela eficiência nas

    orientações e pela exigência de que tudo deveria estar perfeito.

    Aos professores Milton Rosa, Eduardo Paulon Girard e Leônia Negrelli que

    aceitaram os convites para composição das bancas.

    À professora Regina que me ouviu em momento desabafo e que tranqüilizou

    no momento mais difícil desta jornada.

  • 8

  • 9

    Ao Fred, que sempre incentivou com o seu “Brouw, seu trabalho é muito bom”

    Aos colegas do mestrado, mas com destaque ao Leo que encontrou um livro

    julgando poder me ajudar um pouco e hoje é parte do referencial. Serviu Leo.

    Aos colegas do GEPMMAE pelas contribuições sempre importantes aos textos

    submetidos ao grupo.

    Ao IFMG que me abriu as portas para realização da pesquisa e que investe na

    carreira do docente fomentando participação em congressos e outros eventos.

    Aos colegas da CODAMAT que vez ou outra davam um palpite e, sem

    notarem, era usado de alguma forma.

    Aos colegas da Direção do IFMG-OP em especial ao amigo Bruno mas

    também ao Arthur, Flávio e Maria Cristina.

    Aos colegas colaboradores da GIC pela convivência nestes últimos dois anos.

    Aos alunos do curso de Geografia que ingressaram em 2012 e que são parte

    integrante deste trabalho

    Às alunas do IFMG que me ajudaram na transcrição dos áudios. Trabalho

    chato mas essencial.

    E ao meu afilhado João Vitor e seus pais, João Marcos, e Andresa. Dizem

    que amigo é quem te atura num momento de fossa ou de bebedeira, ou ainda que te

    chama pra ir numa festa, viajar, sem querer fazê-lo mas só pra lhe agradar. Que é

    figurinha certa a te ligar no dia do seu aniversário... enfim... mas nada disso supera o

    dia que o cara chega pra você e lhe convida pra batizar o filho dele. Só quem já

    passou por isso sabe!!!

    A todos, o meu mais sincero MUITO OBRIGADO!!!

  • 10

  • 11

    RESUMO

    Esta pesquisa visou responder à questão acerca de como a realização de atividades

    envolvendo modelagem, concebida como a construção de modelos com base na

    adoção de premissas e formulação de pressupostos (BEAN, 2009, 2012a, 2012b),

    pode estimular o desenvolvimento da criticidade e da criatividade nos estudantes. A

    pesquisa de campo foi realizada com alunos de um curso de Licenciatura em

    Geografia com o desenvolvimento de cinco atividades preliminares (envolvendo

    modelagem com ou sem o uso da matemática) e uma atividade final (construção de

    um mapa do campus onde os alunos estudam). A pesquisa, pautada por uma

    abordagem qualitativa, visou que os estudantes desenvolvessem criticidade e

    criatividade ao construir modelos em um ambiente colaborativo onde são promovidos

    discussão e debate. A pesquisa está fundamentada no tripé modelagem, criticidade e

    criatividade. O aporte principal para modelagem é Bean (2009, 2012a, 2012b).

    Criticidade é ancorado em geografia crítica (GIRARDI, 2008, 2011; MORAES, 2007;

    HARLEY, 1989) uma vez que as atividades de campo seriam realizadas com

    estudantes de Licenciatura em Geografia. Finalmente, Ostrower (2010) e Vigostsky

    (2010) fundamentam nosso entendimento de criatividade. Utilizamos métodos da

    análise de conteúdo (CHARMAZ, 2009) para analisar dos dados obtidos durante a

    realização da pesquisa. Concluímos que os estudantes desenvolveram uma

    compreensão sobre modelagem como a construção de modelos por meio da adoção

    de premissas e formulação de pressupostos. Também, houve desenvolvimento de

    criticidade e criatividade.

    Palavras Chave: Modelagem matemática, Premissas, Pressupostos, Criticidade,

    Criatividade.

  • 12

  • 13

    ABSTRACT

    This research aimed to answer the question about how activities involving modeling,

    conceived as the construction of models based on the adoption of premises and the

    formulation of assumptions (BEAN, 2009, 2012a and 2012b), can stimulate the

    development of the students’ critical outlook and creativity. The field research was

    carried out with students of a teachers education program in Geography and consisted

    of the development of five preliminary activities (involving modeling using and not using

    of mathematics) and a final activity (construction of a map of the campus where

    students study). The research, based on a qualitative approach, had for objective that

    the students develop a critical outlook and creativity through the construction of models

    in a collaborative classroom environment in which discussion and debate is promoted.

    The research is based on three axes: modeling, criticality and creativity. The principal

    reference for modeling is Bean (2009, 2012a, 2012b). Critical outlook is anchored in

    critical geography (GIRARDI, 2008, 2011; MORAES, 2007; HARLEY, 1989) since the

    field activities would be carried out with undergraduate students in Geography. Finally,

    Ostrower (2010) and Vigostsky (2010) provide the foundation for our understanding of

    creativity. We use methods of content analysis (CHARMAZ, 2009) for the analysis of

    data obtained during the research. We conclude that the students developed an

    understanding of modeling as the construction of models by means of adopting

    premises and formulation of assumptions. Also, there was a development of a critical

    outlook and