DISCIPLINA ENSINO DO FUTSAL CH80h Prof: Ms. Célio Souza Mestrando em Desenvolvimento Infantil...

download DISCIPLINA ENSINO DO FUTSAL CH80h Prof: Ms. Célio Souza Mestrando em Desenvolvimento Infantil Especialização Esporte Educacional Especialização Fisiologia.

of 32

  • date post

    18-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    103
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of DISCIPLINA ENSINO DO FUTSAL CH80h Prof: Ms. Célio Souza Mestrando em Desenvolvimento Infantil...

  • Slide 1
  • DISCIPLINA ENSINO DO FUTSAL CH80h Prof: Ms. Clio Souza Mestrando em Desenvolvimento Infantil Especializao Esporte Educacional Especializao Fisiologia do Exerccio e do Desporto
  • Slide 2
  • ENSINO DO FUTSAL Objetivos das aulas: Entender o conceito de filosofia; Compreender o pensamento platnico e socrtico; Relacionar filosofia e educao.
  • Slide 3
  • A PALAVRA FILOSOFIA GREGA. FHILO: Aquele ou aquela que tem sentimento amigvel SHOFPIA: Sabedoria FILOSOFIA significa: Amizade pela sabedoria.
  • Slide 4
  • Mas afinal o que FILOSOFIA? O que a filosofia seno um modo de refletir, no tanto sobre aquilo que verdadeiro e aquilo que falso, mas sobre a nossa relao com a verdade?(...) No h nenhuma filosofia soberana, verdade, mas h uma filosofia ou, melhor, h filosofia em atividade. A filosofia o movimento pelo qual nos libertamos- com esforos, hesitaes, sonhos e iluses daquilo que passa por verdadeiro, afim de buscar outras regras do jogo. A filosofia o deslocamento e a transformao das molduras de pensamento, a modificao dos valores estabelecidos, e todo o trabalho que se faz diversamente, para tornar-se outro do que se (...) Michel Focault
  • Slide 5
  • Mas afinal o que FILOSOFIA? A filosofia critica da ideologia, enquanto forma ilusria de conhecimento que visa manuteno de privilgios. Maria Lcia de Arruda Aranha.
  • Slide 6
  • Mas afinal o que FILOSOFIA? Uma vida sem questionamentos, no vale a pena ser vivida (Scrates)
  • Slide 7
  • O primeiro filsofo foi Tales de Mileto. Os mitos foram a matria inicial da reflexo dos filsofos. So criados a partir do momento que homens buscam explicaes para os mistrios (Fenmeno que no conseguimos entender).
  • Slide 8
  • Scrates: O humano como tema e problema CONHECE-TE A TI MESMO
  • Slide 9
  • A ARTE DE TRAZER LUZ IRONIA TCNICA USADA POR SCRATES PARA ABALAR, OS CONHECIMENTOS DOS SEUS INTERLOCUTORES. ATACAVA DE FORMA IMPLACAVEL AS RESPOSTAS DE SEUS INTERLOCUTORES. MAIUTICA - MOMENTO DO DILOGO EM QUE SCRATES AJUDAVA SEUS INTERLOCUTORES A CONCEBEREM NOVAS E PRPRIAS IDIAS. Mtodo Socrtico
  • Slide 10
  • O que a natureza ou a realidade ltima do HOMEM? O HOMEM a sua ALMA
  • Slide 11
  • ALMA para Scrates a nossa RAZO e a SEDE de nossa ATIVIDADE PENSANTE e ETICAMENTE OPERANTE; e o que nos distingue de todas as outras coisas.
  • Slide 12
  • Ou seja; para SCRATES a Alma o EU CONSCIENTE, a CONSCINCIA E A PERSONALIDADE INTELECTUAL E MORAL.
  • Slide 13
  • Base da tica Socrtica:Conhece-te a Si Mesmo e Cuidar de si Mesmo. Portanto, uma tica Antropocntrica.
  • Slide 14
  • Conhecer-te: examinar interiormente e conhecer a prpria ALMA. Cuidar-se: no do corpo, mas da ALMA.
  • Slide 15
  • Portanto para Scrates, Ensinar os homens a conhecer e a cuidar de si mesmo a tarefa suprema da qual, ele, Scrates, considera ter sido investido por DEUS. Segundo Scrates, o conceito de educao era a busca da verdade, da essncia do homem, fazer o ser voltar-se para si mesmo, a busca da espiritualidade.
  • Slide 16
  • VIRTUDE, para Scrates cincia ouconhecimento, o contrrio disso VCIO, ou seja, privao de cincia e conhecimento.
  • Slide 17
  • CONHECIMENTO: No um estado, mas um processo, uma busca pela VERDADE.
  • Slide 18
  • O Valor SUPREMO para os HOMENS: O CONHECIMENTO, ou seja, aquilo que faz com que a ALMA seja do modo que ela deva ser.
  • Slide 19
  • Dessa forma: Ningum peca voluntariamente, mas quem faz o mal, faz por ignorncia do bem.
  • Slide 20
  • No se apresenta como professor; Elabora questionamentos por meio de dilogos em busca da verdade; Separa opinio e verdade; a aparncia e realidade; percepo sensorial e pensamento; Busca sair da multiplicidade de aparncia e chegar ideia. Para Scrates
  • Slide 21
  • PLATOo nascimento da razo ocidental Plato (Aristcles) 427 347 a.C. Discpulo de Scrates, fundador da Academia, criador do idealismo.
  • Slide 22
  • tica platnica Qual a concepo de mundo para PLATO? Seu mundo Dualista 1 Mundo das Idias 2 Mundo das Coisas.
  • Slide 23
  • A concepo platnica de HOMEM tambm dualista. H CORPO E ALMA. ALMA para Plato a causa da vida e portanto IMORTAL. ALMAS PLATNICA: 1 Racional (situada no crebro); 2 Irascvel (situada no trax, inseparvel do corpo mortal); 3 Apetitiva (situada no abdmen mortal).
  • Slide 24
  • O MITO DA CAVERNA: fundamentos socrticos analogia entre conhecer e ver Mito da Caverna: Pronunciado por Scrates e escrito por Plato. Scrates: Estabeleceu a diferena entre Conhecer e Ver Ver depende dos olhos (faculdade da viso); Ver depende das cores (as cores desenham a figura, o volume e outras qualidades da coisa visvel) Ver ainda depende da luz (a luz o que faz com que o olho veja a cor e que a cor seja vista pelo olho).
  • Slide 25
  • Por que as coisas podem ser vistas? Por que a cor filha da luz; Por que os olhos so capazes de ver? Porque so filhos do Sol (so faris ou luzes que iluminam as coisas para que se tornem visveis). CONHECER a VERDADE ver com os olhos da alma ou com os olhos da inteligncia. MUNDO SENSVELMUNDO INTELIGVEL SOLBEM LUZVERDADE CORESIDEIAS OLHOSALMA RACIONAL OU INTELIGNCIA VISOINTUIO TREVA, CEGUEIRA, PRIVAO DA LUZ IGNORNCIA, OPINIO, PRIVAO DE VERDADE
  • Slide 26
  • MITO DA CAVERNA:Livro VII da REPBLICA CAVERNAMUNDO SENSVEL ONDE VIVEMOS FOGO QUE PROJETA AS SOMBRAS NA PAREDEREFLEXO DA LUZ VERDADEIRA (DO BEM E DAS IDEIAS) SOBRE O MUNDO SENSVEL HOMENS ACORRENTADOS (PRISIONEIROS)SOMOS TODOS NS SOMBRASCOISAS SENSVEIS QUE TOMAMOS COMO VERDADEIRAS GRILHES (CORRENTES)SO OS PRECONCEITOS, CONFIANA NOS SENTIDOS, NOSSAS PAIXES E OPINIES INSTRUMENTO QUE QUEBRA OS GRILHESDIALTICA PRISIONEIRO CURIOSO QUE ESCAPAFILSOFO LUZ (DA FOGUEIRA) E DEPOISLUZ PLENA DO SER, ISTO , O BEM VOLTA CAVERNA PARA TENTAR LIBERTAR OS OUTROS PRISIONEIROS DILOGO FILOSFICO INSTRUMENTO COM O QUAL QUEBRA OS GRILHESESFORO DA ALMA PARA LIBERTAR-SE
  • Slide 27
  • A ARTE para PLATO PONTOS FUNDAMENTAIS NA CONCEPO PLATNICA DE ARTE A ARTE NO AUTNOMA OBJETIVO DE PLATO COM RELAO A ARTE: ESTABELECER SEU VALOR DE VERDADE, OU SEJA, SE A ARTE APROXIMA O HOMEM DA VERDADE; SE O TORNA MELHOR;
  • Slide 28
  • Qual a resposta de Plato para todas as perguntas... PARA PLATO: A ARTE NO REVELA, MAS ESCONDE A VERDADE; NO MELHORA O HOMEM, MAS O CORROMPE, PORQUE MENTIROSA; NO EDUCA, MAS DESEDUCA.
  • Slide 29
  • O que educao? Conceituao: A palavra educao tem a sua origem nos verbos Latinos: Educare (alimentar, criar) e educere ( conduzir para fora, fazer sair) Conceituao: A palavra educao tem a sua origem nos verbos Latinos: Educare (alimentar, criar) e educere ( conduzir para fora, fazer sair) Educao produto social. Educao produto social. Educao processo de desenvolvimento Educao processo de desenvolvimento Educao processo de interao individuo-sociedade. Educao processo de interao individuo-sociedade.
  • Slide 30
  • Conceitos A educao uma constitutiva do ser humano. Homens e mulheres se educam em sua relaes com o mundo A educao uma constitutiva do ser humano. Homens e mulheres se educam em sua relaes com o mundo Ivanilde Apoluceno. No possvel fazer uma reflexo sobre o que educao sem refletir sobre o prprio homem No possvel fazer uma reflexo sobre o que educao sem refletir sobre o prprio homem Paulo Freire.
  • Slide 31
  • Uso da Educao. A educao sempre existiu primeiramente como um inventrio amplo das relaes entre os elementos de uma sociedade, e continua existindo atravs de um espao escolar, normalmente definido por um sistema pedaggico sendo este usualmente controlado por um poder externo a ele, definindo-se assim, finalmente como todas as demais prticas sociais, um interesse poltico de controle A educao sempre existiu primeiramente como um inventrio amplo das relaes entre os elementos de uma sociedade, e continua existindo atravs de um espao escolar, normalmente definido por um sistema pedaggico sendo este usualmente controlado por um poder externo a ele, definindo-se assim, finalmente como todas as demais prticas sociais, um interesse poltico de controle
  • Slide 32
  • RELACIONE O TRABALHO DOCENTE DO PROFESSOR COM A HISTRIA DE MAURICIO DE SOUZA, DESTACANDO OS SEGUINTES PONTOS : A) Quem o Piteco representa? Como voc encontrou est afirmao? B) Quem so os homens aprisionados na caverna? O que os aprisiona? C) O que a sombra e a luz? D) Por elas no voltam para a caverna? E) O que a televiso representa?