Economias de Escala e Comércio Internacional Parte II – Economias Externas de Escala.

Click here to load reader

  • date post

    17-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    143
  • download

    3

Embed Size (px)

Transcript of Economias de Escala e Comércio Internacional Parte II – Economias Externas de Escala.

  • Slide 1
  • Economias de Escala e Comrcio Internacional Parte II Economias Externas de Escala
  • Slide 2
  • Economias Internas de Escala - Memo Economias de escala permitem reduzir o CMe com a elevao da produo. Quando so internas s empresas, podem surgir por causa de: Economias tcnicas; Economias gerenciais; Economias financeiras; Economias de marketing; Economias na compra dos insumos e na distribuio dos produtos; Economias em P&D.
  • Slide 3
  • Economias Externas H economias externas s empresas quando a produo de uma indstria (Semi-condutores no Vale do Silcio) ou servio (Cinema em Hollywood), concentrada em certas localizaes geogrficas (clusters), permite reduzir custos e aumentar a taxa de inovao das empresas relacionadas. So path-dependent: sua reproduo difcil (Confiana entre os parceiros fundamental). So elemento-chave para entender a competitividade das empresa desses setores: tornam possvel o surgimento de vantagens competitivas especficas das empresas pertencentes ao cluster.
  • Slide 4
  • Economias Externas A teoria das economias externas remonta a Alfred Marshall, que fornece trs razes para justificar a aglomerao das empresas em Distritos Industriais na Inglaterra do sculo XIX, como era o caso da cutelaria em Sheffield: Fornecedores especializados; Mercado de trabalho comum; Transbordamento do conhecimento.
  • Slide 5
  • Economias Externas No so as nicas fontes de economias externas. Uma localizao geogrfica com um bom sistema de transportes e, de forma mais geral, infra-estrutura adequada e qualidade de vida elevada, pode ter vantagens competitivas na produo de determinados bens e servios.
  • Slide 6
  • Fornecedores Especializados A produo de bens e servios costuma requerer o apoio de equipamentos ou servios especializados e de instituies relacionadas atividade principal, governamentais e privadas, que promovem educao, treinamento, disseminao da informao, pesquisa, apoio tcnico, certificao, parcerias, financiamento etc. Um grupo de empresas de uma mesma indstria concentradas numa regio geogrfica pode fornecer um mercado amplo o suficiente para incubar, desenvolver e manter fornecedores especializados.
  • Slide 7
  • Fornecedores Especializados Uma densa rede de fornecedores especializados pode dar s firmas do cluster algumas vantagens competitivas: acesso a insumos-chave mais baratos (menor custo de distribuio); desenvolvimento de novos equipamentos, materiais ou processos adequados necessidade do cluster.
  • Slide 8
  • Mercado Comum de Trabalho Treinar e atrair mo-de-obra altamente qualificada e especializada: menor escassez desta mo-de-obra.
  • Slide 9
  • Transbordamento do Conhecimento Importncia crescente do Conhecimento na produo; Papel fundamental das Universidades de pesquisa e dos laboratrios privados nos clusters para gerar um ambiente propcio inovao: concentrao de tcnicos e pesquisadores que partilham informaes e percepes das trajetrias tecnolgicas (relacionamento pessoal informal).
  • Slide 10
  • Benefcios dos Clusters Melhor acesso a dados, pessoal especializado, bens pblicos e informao (menores custos de transao); Reduzir custos de desenvolver novos produtos e servios pela complementao das atividades das empresas e outras instituies (em especial, criar um ambiente de inovao contnua); Maior comunicao e fortes relaes de concorrncia e cooperao dos rivais locais: difuso rpida das inovaes e best practices; Desenvolver ligaes que gerem relacionamentos- chave (Confiana!) que sustentem inovaes e estratgias empresariais coooperativas.
  • Slide 11
  • Slide 12
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Economias Externas Geram Barreiras Entrada de Novos Rivais por meio de maior produtividade ou menores custos: oOs custos de uma indstria sero tanto mais baixos, quanto maior for a indstria: as curvas de oferta de uma indstria so negativamente inclinadas: quanto maior a produo, mais baixo pode ser o preo de venda: pases pioneiros tem vantagens. oOs custos de produo da indstria de dependem da experincia (medida em produo acumulada): h uma curva de aprendizagem que deve ser enfrentada pelos novos rivais: h rendimentos crescentes dinmicos.
  • Slide 15
  • Figure 6-9 External Economics and Specialization
  • Slide 16
  • Rendimentos Crescentes Dinmicos Economias externas podem surgir do acmulo de conhecimento, medida pela produo acumulada do setor: learning by doing e learning by using. Curva de aprendizagem resume esta idia. Pode justificar teoricamente o protecionismo. Na prtica, os autores so descrentes das possibilidades dinmicas de proteo das indstrias nascentes.
  • Slide 17
  • Figure 6-11 The Learning Curve
  • Slide 18
  • Comrcio e Bem-Estar com Economias Externas Efeitos ambguos sobre o Bem-Estar nacional com abertura ao comrcio: pode haver ganhos para a economia mundial pela concentrao da produo em locais especficos (para obter economias externas e reduzir preos). No h garantias de que todos os pases produziro bens sujeitos s economias externas: Programas de competitividade so necessrios nos pases em desenvolvimento. Barreiras entrada de novos rivais so altas. Podem haver situaes de perdas com comrcio.
  • Slide 19
  • Figure 6-10 External Economies and Losses from Trade