Efeitos da poluição atmosférica na saúde

download Efeitos da poluição atmosférica na saúde

of 50

Embed Size (px)

Transcript of Efeitos da poluição atmosférica na saúde

EFEITOS DA POLUIO ATMOSFRICA NA SADE

EFEITOS DA POLUIO ATMOSFRICA NA SADEi

APRESENTAO GTI RESPIRA VITRIACMARA MUNICIPAL DE VITRIA05/02/2013Valdrio do Valle DettoniMdico PneumologistaProfesor Adjunto Departamento de Clnica Mdica CCS/UFES

POLUIO ATMOSFRICAAMBIENTE EXTERNO

AMBIENTE INTERNOFONTES

PRINCIPAIS FONTES DE POLUENTES

APARELHO MUCOCILIAR EM BRNQUIO NORMALAPARELHO MUCOCILIAR EM PACIENTE COM BRONQUITE CRNICA CONTENDO PARTCULAS INALADAS DEPOSITADAS NA MUCOSA

EFEITOS VARIAM DE ACORDO COM:

NATUREZA DOS POLUENTESCONCENTRAO DOS POLUENTESCONDIES EM QUE OCORREM AS EXPOSIESCONDIES PRVIAS DE SADE DOS INDIVDUOS EXPOSTOSPOPULAES ESPECFICAS (IDOSOS, CRIANAS, GESTANTES, etc)EFEITOS NOCIVOS DA POLUIO ATMOSFRICA NA SADEA doena como sinal

Fonte: WALDMAN, Eliseu Alves. Vigilncia em Sade Pblica. So Paulo: Faculdade de Sade Pblica da Universidade de So Paulo, 1998. Srie Sade e Cidadania, v. 7, p. 63.Efeitos da exposio aguda(horas e dias aps a elevao da poluio)

Aumento da mortalidade Exacerbao dos sintomas em indivduos com DPOC e asma Aumento da mortalidade por doenas respiratrias Maior frequncia de infeces respiratrias agudas Aumento do nmero de internaes hospitalares por pneumonia Aumento da prevalncia de sintomas e sinais de irritao nos olhos, narinas e garganta Aumento da prevalncia de sintomas respiratrios agudos (sibilncia, tosse e expectorao) Necessidade de aumentar a dose de uso de medicamentos Alteraes agudas na funo pulmonar Aumento do nmero de consultas mdicas, de atendimentos de emergncia e de internaes Maior taxa de absentesmo no trabalho e na escola FEV1(L)4.0

3.8

3.6

3.4

3.2

3.0B 1 2 3 4ArOznioTempo hCHEST 107:621-628,1995Variao mdia do VEF1 em 66 indivduos aps exposio a O3 (0,2ppm) e ar. A reduo do VEF1 no se correlaciona com o teste da metacolina.

Poluio atmosfrica devido queima de biomassa florestal e atendimentos de emergncia por doena respiratriaem Rio Branco, Brasil - Setembro, 2005*Mrcio Dnis Medeiros Mascarenhas1, Lcia Costa Vieira1, Tatiana Miranda Lanzieri2, Ana Paula Pinho Rodrigues Leal3, Alejandro Fonseca Duarte4, Douglas Lloyd Hatch5J Bras Pneumol. 2008;34(1):42-46

J Bras Pneumol. 2008;34(1):42-46Efeitos da exposio crnica (anos de exposio crnica) Aumento da mortalidade por doenas respiratrias Aumento da incidncia e prevalncia de asma e DPOC Aumento da incidncia e mortalidade por cncer de pulmo Aumento da incidncia e de mortalidade por pneumonia e influenza Alteraes crnicas na funo pulmonar Reduo crnica do VEF1 e CVF Menor desenvolvimento pulmonar em crianas e jovens Aumento da prevalncia de pessoas com VEF1 abaixo da normalidade Aumento na taxa de declnio do VEF1 Outros efeitos

Retardo no desenvolvimento intra-uterinoRecm-nascidos com baixo pesoPartos prematuros Anomalias congnitas ou morte fetalAlterao no desenvolvimento cognitivo das crianas

POPULAES MAIS SUSCETVEISCRIANAS

Maturao pulmonarDesenvolvimento do sistema imunolgicoRelao peso corporal e ventilao/minuto

POPULAES MAIS SUSCETVEISIDOSOSDeclnio da funo pulmonarMenor eficincia do sistema imunolgicoCo-morbidadesPORTADORES DE DOENAS CRNICAS (qualquer idade)SUSCETIBILIDADE GENTICAGlutation S-transferase, Superxido dismutase, catalase, tocoferol,cido rico e cido ascrbico (anti-oxidantes)

Estudo de meta-anlise de publicaes de 1994 a 2003 10g/m de PM10 aumenta 5% mortalidade ps-natal por qualquer causa e 22% na mortalidade por doena respiratria

Lacasaa M, Esplugues A, Ballester F. Exposure to ambient air pollution and prenatal and early childhood health effects. Eur J Epidemiol. 2005;20(2):183-99.

Logan WP. Mortality in the London fog incident, 1952. Lancet. 1953;1(7):336-8.Pope CA 3rd, Burnett RT, Thun MJ, Calle EE, Krewski D, Ito K, et al. Lung cancer, cardiopulmonary mortality, and long term exposure to fine particulate air pollution.JAMA. 2002;287(9):1132-41.2006: OMS torna mais restritivos os padres de qualidade do ar por reconhecer o dano ocasionado pela poluio crnica com mais de 2 milhes de mortes por ano em todo o mundo.Nossos padres de qualidade do ar traduzem o conhecimentodisponvel no incio dos anos 1990, quando menos de 10% dos trabalhos sobre poluio do ar e sade humana haviam sido publicados. como se houvesse uma dissociao entre a sade humana e a poltica ambiental.Os efeitos adversos dos poluentes atmosfricos manifestam-se com maior intensidade em crianas, idosos, indivduos portadores de doenas respiratrias e cardiovascularescrnicas e, especialmente, nos segmentos maisdesfavorecidos do ponto de vista scio-econmico. Esta uma situao na qual os que mais sofrem so aqueles quemenos contribuem para a emisso de poluentes, caracterizandoum contexto de injustia ambiental, para a qual noexiste justificativa tica ou moral.

Prof. Dr. Paulo Saldiva. J Bras Pneumol. 2008;34(1):1Dr. Luiz Amador Pereira, 2005.O aprimoramento de tcnicas de anlise estatstica tem alterado conceitos previamente existentes.

A adoo dos critrios de qualidade do ar, foram baseados em conhecimentos existentes at aquele momento. (1990)

Contudo, estudos mais recentes mostram que podemos encontrar efeitos graves sobre a sade mesmo quando os poluentes se encontram dentro dos padres de segurana.

OBRIGADO PELA ATENO!FIMLong-Term Ambient Air Pollution and Respiratory Symptoms in Adults (SAPALDIA Study)ELIZABETH ZEMP, SERGE ELSASSER, CHRISTIAN SCHINDLER, NINO KNZLI, ANDR P. PERRUCHOUD, GUIDO DOMENIGHETTI, TULLIO MEDICI, URSULA ACKERMANN-LIEBRICH, PHILIPP LEUENBERGER, CHRISTIAN MONN, GIANFRANCO BOLOGNINI, JEAN-PIERRE BONGARD, OTTO BRNDLI, WERNER KARRER, ROLAND KELLER, MARTIN H. SCHNI, JEAN-MARIE TSCHOPP, BEA VILLIGER, JEAN-PIERRE ZELLWEGER, and the SAPALDIA TeamInstitute of Social and Preventive Medicine, University of Basel, Basel; Division of Pneumology, University of Lausanne, Lausanne;Federal Institute of Technology, Zrich, Switzerland; and the SAPALDIA TeamAM J RESPIR CRIT CARE MED 1999;159:12571266.Estudo multicntrico, cerca de 10.000 pessoas, acompanhamento com questionrio de sintomas, correlao dos sintomas crnicos tosse, expectorao, opresso torcica durante o dia, com aumentos de 10g/m na mdia anual de PM10 em fumantes e no-fumantes. A poluio do ar e o sistema respiratrio*

Marcos Abdo Arbex, Ubiratan de Paula Santos, Lourdes Conceio Martins, Paulo Hilrio Nascimento Saldiva, Luiz Alberto Amador Pereira, Alfsio Luis Ferreira Braga J Bras Pneumol. 2012;38(5):643-655 * Trabalho realizado no Ncleo de Estudos em Epidemiologia Ambiental, Laboratrio de Poluio Atmosfrica Experimental, Departamento de Patologia, Faculdade de Medicina, Universidade de So Paulo, So Paulo (SP) Brasil.

Quadro 1 - Principais poluentes atmosfricos, suas fontes, reas de ao no sistema respiratrio e efeitos sobre a sade humana.

Quadro 1 - Principais poluentes atmosfricos, suas fontes, reas de ao no sistema respiratrio e efeitos sobre a sade humana.

Quadro 1 - Principais poluentes atmosfricos, suas fontes, reas de ao no sistema respiratrio e efeitos sobre a sade humana.