Em defesa das Lagoas: os primeiros cinco anos

Click here to load reader

  • date post

    27-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    256
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Registo dos primeiros cinco anos em defesa das Lagoas da ilha de São Miguel, Açores.

Transcript of Em defesa das Lagoas: os primeiros cinco anos

  • Tefilo Jos Soares de Braga

    Lagoa dos Nenfares, 1991

    Em defesa das lagoas: os primeiros

    cinco anos (1988-1992)

    11 de Setembro de 2011

  • Em defesa das lagoas: os primeiros

    cinco anos (1988-1992)

    Tefilo Jos Soares de Braga

    Nota Prvia

    O texto, que abaixo apresento, no pretende ser a histria do movimento de defesa das

    lagoas j que no tenho disponibilidade nem formao para tal.

    Pretendo to s o dar meu modesto contributo para dar a conhecer uma parte muito

    incompleta do que ter ocorrido ao longo dos primeiros cinco anos de luta em defesa

    das lagoas da ilha de So Miguel.

    As limitaes deste trabalho prendem-se com o facto do mesmo ter sido foi elaborado

    apenas com recurso ao meu arquivo pessoal e ao que foi divulgado pelos jornais.

    Pretendo, se me for possvel, enriquecer o que agora divulgo, os primeiros cinco anos de

    luta em defesa das lagoas de So Miguel, e continuar a relatar o que ter ocorrido pelo

    menos at ao final do sculo passado.

    Os primeiros passos: da denncia pblica do problema ao surgimento

    do SOS Lagoas

    Em Julho de 1988, pela mo da ento denominada associao Amigos da Terra foi

    pela primeira vez denunciado publicamente o facto de algumas lagoas de So Miguel,

    nomeadamente a das Furnas e a das Sete Cidades, apresentarem sintomas de

    eutrofizao. Na ocasio, a direco1 daquela organizao apelou, em comunicado

    1 Em 1988 a direco dos Amigos da Terra era composta por Tefilo Jos Soares de Braga (hoje,

    professor na Escola Secundria das Laranjeiras e activista do movimento ecologista e de proteco dos

    animais, foi uma das pessoas que esteve na origem do SOS Lagoas), Francisco Manuel Sousa Botelho

    (actualmente vogal do Conselho de Administrao da EDA e membro da Assembleia Municipal da

    Ribeira Grande, eleito em lista do Partido Socialista), Lcia Maria Oliveira Ventura (hoje lecciona na

  • publicado na imprensa de So Miguel e em ofcio dirigido a diversas entidades

    governamentais ou no para que unissem esforos com vista implementao de

    aces de carcter tcnico, formativo e informativo tendentes a melhorar o cada vez

    mais degradante estado da gua de algumas das nossas lagoas.

    A posio dos Amigos dos Aores teve como suporte a informao prestada por

    diversos cientistas e tcnicos que tinham visitado os Aores, a observao do estado da

    gua de algumas delas, durante os passeios pedestres organizados, e o acesso a um

    estudo da bacia hidrogrfica da Caldeira das Sete Cidades, da autoria da Eng do

    Ambiente Regina T. da Cunha2 que apontava um conjunto de medidas para a

    recuperao das lagoas, cuja aplicao ordenada e adequada importa iniciar, logo que

    possvel, numa atitude de responsabilidade perante o lamentvel e degradante estado das

    guas daquelas lagoas.

    O apelo lanado pelos Amigos da Terra caiu em saco roto pois nenhuma das entidades

    contactadas (SRES, SREC, Universidade dos Aores, Cmaras Municipais, Associaes

    de Agricultores/Lavradores, ACRA, Associaes Culturais e Recreativas e Associaes

    de Escuteiros), se deu trabalho de dar qualquer resposta ao ofcio enviado.

    A 20 de Agosto de 1988, o jornal Aoriano Oriental publica um texto da Secretaria

    Regional do Equipamento Social que refere que havia solicitado ao DCEA -

    Departamento de Cincias e Engenharia da Faculdade de Cincias e Tecnologia da

    Universidade Nova de Lisboa uma avaliao do estado trfico das lagoas das Furnas,

    Sete Cidades e Fogo e que s aps a realizao do estudo poderia equacionar medidas

    preventivas e/ou curativas para o controlo a curto e a longo prazo da eutrofizao. O

    mesmo comunicado informa, ainda, que, entre os dias 7 e 9 de Abril do mesmo ano,

    uma equipa de tcnicos do DCEA tinha estado em So Miguel, tendo efectuado uma

    apreciao sumria das trs lagoas atrs mencionadas.

    Escola Secundria da Lagoa), George Robert Eyre Hayes (actualmente aposentado) e Jos Antnio Vieira

    da Silva Contente (hoje Secretrio Regional da Cincia, Tecnologia e Equipamentos. Tanto quanto do

    meu conhecimento nenhum dos membros da direco dos Amigos dos Aores, em 1988 tinha qualquer

    ligao partidria.

    2 Hoje, Professora Assistente do Departamento de Biologia da Universidade dos Aores.

  • A 20 de Outubro de 1988, o Eng. Lus Eduardo Moura3, em artigo publicado no jornal

    Aoriano Oriental, depois de afirmar que o problema da eutrofizao no podia ficar

    espera de resultados de longos estudos visto a destruio estar a acontecer a um ritmo

    exponencial, defendeu que, de imediato, deviam ser tomadas as seguintes medidas:

    1- Impedir o influxo de esgotos, pesticidas, adubos e outros produtos ricos em

    nutrientes para as lagoas;

    2- Educar a populao no sentido de no usar as lagoas como quartos de banho,

    zonas de despejo ou cozinhas;

    3- Impedir o acesso s margens das lagoas ao gado por intermdio de vedaes;

    4- Reduzir o acesso s margens das lagoas a campistas, piqueniquistas e

    veraneantes.

    A 13 de Abril de 1989, o jornal Aoriano Oriental publica um pequeno texto intitulado

    Lagoas das Furnas e Sete Cidades poludas indica estudo do Departamento de

    Cincias e Engenharia do Ambiente que nada acrescenta ao texto publicado no mesmo

    jornal, a 20 de Agosto do ano anterior. Distraco do jornalista ou manobra de diverso,

    por parte da tutela, com o objectivo de demonstrar que o assunto estava a ser tratado?

    Numa reportagem da autoria de Ana Paula Fonseca, publicada no jornal Aoriano

    Oriental, de 28 de Fevereiro de 1991, o presidente da Junta de Freguesia das Sete

    Cidades, Artur Freitas, afirmou o seguinte: o mais grave que a prpria lagoa est

    poluda devido ao escoamento de adubos vindos dos terrenos agrcolas e grande

    quantidade de limos e informou que a Junta de Freguesia j havia contacto os servios

    Florestais e a Direco de Hidrulica e aquelas entidades declinaram a sua competncia

    para a resoluo do problema.

    A 14 de Abril de 1991, em resposta a uma solicitao do Presidente do Governo

    Regional dos Aores, Dr. Joo Bosco Mota Amaral, uma delegao da Direco dos

    3 Filho do Eng. Eduardo Moura e da Dr. Otlia Moura, antiga professora na Escola Secundria Antero de

    Quental, hoje radicado nos Estados Unidos da Amrica.

  • Amigos dos Aores4, composta por Tefilo Braga, George Hayes e Weber Borges,

    participou num passeio de barco na Lagoa das Furnas5, tendo aproveitado a ocasio para

    entregar ao Chefe do Governo o documento/apelo intitulado Salvemos as nossas

    Lagoas onde menciona que, em 1988, j havia manifestado a sua preocupao pelo

    avano do estado de degradao das lagoas das Furnas e Sete Cidades e se havia

    disponibilizado para participar numa campanha em sua defesa e que a sua proposta no

    havia recebido qualquer resposta. Para memria futura, deixamos aqui um extracto do

    documento:

    Aproveitamos a oportunidade deste passeio na Lagoa das Furnas para apelar

    a V. Ex. no sentido do seu empenho pessoal e do seu Governo para

    implementar, quanto antes, todas as aces de carcter tcnico, formativo e

    informativo tendentes a solucionar aquele grave problema. Amanh poder j

    ser tarde demais

    A 6 de Novembro de 1991, o Eng. Eduardo Moura6, como membro da comisso que

    estava a estudar a eutrofizao das lagoas da ilha de So Miguel anunciou, atravs de

    reportagem publicada no Aoriano Oriental, a construo de uma barreira por baixo da

    ponte da lagoa das Sete Cidades, procedendo assim separao da Lagoa Verde da

    Lagoa Azul. Assim, seria possvel estudar com mais pormenor a Lagoa Azul que era a

    mais poluda.

    Como primeira medida, para as Sete Cidades, foi apontada a construo de uma rede de

    saneamento bsico que desviaria os esgotos da freguesia para os Mosteiros, atravs do

    tnel. A segunda medida era a construo de bebedouros para o gado de modo a no

    permitir que fossem beber gua directamente das lagoas. A terceira medida seria a

    construo de bacias de reteno e a compra de terrenos localizados de 50 a 100 m da

    lagoa para serem arborizados. Por ltimo, seria a aquisio de novos terrenos para a

    4 Em 1991 a direco dos Amigos dos Aores era composta por Tefilo Jos Soares de Braga, Francisco

    Manuel Sousa Botelho, Lcia Maria Oliveira Ventura, Weber Eduardo da Rocha Borges, Joo Manuel

    Gonalves Cabral e George Robert Eyre Hayes. 5 Alguns membros dos rgos sociais dos Amigos dos Aores, incluindo da direco, acharam que a

    aceitao deste convite significou uma perda de independncia dos Amigos dos Aores e uma cedncia ao Presidente do Governo. Mal sabamos ns que eles j estavam a preparar a sua vida futura ao servio

    de um ento partido da oposio. 6 Foi quadro superior da EDA e Director Regional das Infra-estruturas Porturias e Aeroporturias da

    Secretaria Regional da Habitao e Obras Pblicas

  • construo do parque de campismo. Com excepo da primeira, todas as outras medidas

    tambm seriam implementadas nas Furnas.

    A 16 de Novembro de 1991, Afonso Pimentel, jornalista da Agncia Lusa, em texto

    publicado no Correio dos Aores, d a conhecer que o estudo efectuado