Escavadeira e Mão Hidráulica. Kawana- Monique -Roseli Junho 2013

download Escavadeira e Mão Hidráulica. Kawana- Monique -Roseli Junho 2013

of 17

  • date post

    29-Oct-2015
  • Category

    Documents

  • view

    334
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Escavadeira e Mão Hidráulica. Kawana- Monique -Roseli Junho 2013

Apresentao do PowerPoint

Alunas: Kawana Rodrigues AzevedoMonique Anatalia MelloRoseli A. DefassioOrientado por:

Valdemir AntunesEscavadeira HidrulicaeMo HidrulicaDisciplina de Fenmenos de Transporte

Nasceu em Clermont- Ferrand,Frana, em 19 de junho de 1623. Faleceu em Paris, no dia 19 de agosto de 1662. Trabalhou como filsofo religioso, fsico e matemtico. Pascal contribuiu bastante para as Cincias Naturais Aplicadas, destacando-se os estudos sobre fluidos, presso, e vcuo.Aos dezoito anos buscou construir uma mquina de calcular, aos 25 anos interessou-se pela hidrosttica.Depois dos 30 anos, redigiu a Obra Completa sobre Cnicas.Nesta poca inicia os estudos para a moderna teoria das probabilidades em relao ao tringulo aritmtico, conhecido como Tringulo de Pascal.A partir de 23 de novembro de 1654, passou a se dedicar somente Teologia.

Blaise PascalSegundo o princpio de Pascal, que fora enunciado em 1652 por Blaise Pascal (1623-1662), demonstra que uma variao na presso aplicada em um fludo ideal (incompressvel) confinado transmitida integralmente para todas as posies do fludo e para as paredes do recipiente que o contm. Princpio de Pascal

Desde os cortadoresde lenha at s enormes mquinas que voc v em canteiros de obras, as mquinas hidrulicas so impressionantes em temos de fora e agilidade. Em qualquer construo voc as mquinasoperadas hidraulicamente, como exemplo, escavadeirasmecnicas, retroescavadeiras,carregadeiras, empilhadeiras eguindastes. Os sistemasde controle em qualqueraviotambm so acionados hidraulicamente. Voc v a hidrulica nas oficinas mecnicas, erguendo os carros para que os mecnicos possam trabalhar embaixo deles, e muitos elevadores so operados hidraulicamente usando a mesma tcnica.Tanto como na escavadeira quanto na mo temos ento seringas que empurram e receptam o fludo (gua) o que nos d seguinte equao:

PressoAssim, a F2 s ser menor que a F1 se A2 for menor que A1 , mesmo estando em equilbrio.

Por outro lado, admitindo-se que no existam perdas no sistema, o trabalho motor realizado pela fora F1 igual ao trabalho resistente realizado pela F2. Desse modo, os deslocamentos so inversamente proporcionais s reas dos mbolos:TIPOS DE MOVIMENTOSMultiplicador de foraSe quisermos que o brao levante objetos, interessante criarmos um multiplicador de foras, portanto a seringa maior deve ficar no brao mecnico hidrulico.

Multiplicador de velocidadeComo este brao est sobre um rolamento, portanto exige pouca fora para gir-lo, pode ser uma estratgia interessante criar um multiplicador de velocidades. Assim o operador pode executar um giro mais veloz no brao, portando a seringa menor deve atuar no eixo de rotao do brao mecnico hidrulico.

Movimento sincronoOu simplesmente podemos querer que o sistema no multiplique o valor dessas grandezas. Se quisermos ter um movimento sncrono no "atuador de dois dedos" podemos usar esta opo com duas seringas iguais.

- Clculo da presso no cilindro (movimento vertical do brao).

Obs.: usaremos como base para calcular a presso e a fora exercida pelos cilindros para movimentar a retroescavadeira Mecnica uma fora de 5 N (0,5102 kgf), para simular o acrscimo de fora produzida pelos cilindros de diferentes dimetros, pelo fato da fora aplicada pelo operador ser diferente dependendo do peso do objeto a ser levantado.

F = A . P

F =(3,3979.10-4). (8963,62607)

F = 3,046 N

(fora transmitida para o cilindro fixo no brao)- Clculo da presso no cilindro (movimento vertical do antebrao e movimento da p)Cilindro 10 ml controlado pelo operador

Cilindro 20 ml fixo no brao- Peso mximo suportado pela p:

d2

d1VDEO