ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - Objetiva Concursos · Automotivo - 01 Técnico em Automotivo e...

of 48 /48
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Realização Página 1 de 48 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EDITAL DE CONCURSO Nº 001/2010 REALIZAÇÃO: OBJETIVA CONCURSOS LTDA MARIA INÊS UTZIG ZULKE, Diretora Executiva da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, de acordo com a autorização contida no Processo Administrativo nº 002528- 19.56/09-5, FAZ SABER, por este Edital, que realizará CONCURSO PÚBLICO, através de provas de caráter competitivo, sob a coordenação técnico-administrativa da empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, para o provimento de vagas legais e de reserva técnica para seu Quadro de Cargos Permanentes, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O Concurso reger-se-á pelas disposições contidas neste Edital, que se fundamentam especialmente nas normas constitucionais e legais relativas aos Concursos Públicos e ao provimento de cargos, empregos e funções públicas, presentes no ordenamento jurídico nacional e estadual e, ainda, nas estipulações presentes no Decreto nº 43.911/05, de 13 de julho de 2005, que regulamenta os Concursos Públicos, no Decreto nº 44.300/2006, alterado através do Decreto nº 46.656/2009, que dispõe sobre a participação da Pessoa Portadora de Deficiência, em Concursos Públicos, bem como pelo Plano de Cargos e Salários da FUNDAÇÃO LIBERATO, criado pela Resolução nº 979 de 29 de dezembro de 1988, homologada em 09 de agosto de 1996. A divulgação oficial do inteiro teor deste Edital dar-se-á com a publicação no “DOE – Diário Oficial do Estado“ e com a afixação no Painel de Publicações da Fundação, podendo, também, ser divulgado no “Jornal NH” sob forma de extrato. As demais etapas do certame serão publicadas, total ou parcialmente, no “DOE” e/ou no “Jornal NH”. Também, em caráter meramente informativo, a divulgação dar- se-á na internet, pelos sites www.objetivas.com.br e www.liberato.com.br . É obrigação do candidato acompanhar todos os editais referentes ao andamento do presente Concurso Público. CAPÍTULO I - DOS CARGOS E VAGAS 1.1. DAS VAGAS: 1.1.1. O Concurso Público destina-se ao provimento, na Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, de vagas legais existentes e de reserva técnica, de acordo com a tabela de cargos abaixo e, ainda, das que vierem a existir no prazo de validade do Concurso. 1.1.2. A habilitação no Concurso Público não assegura ao candidato a contratação imediata, mas apenas a expectativa de ser admitido segundo as vagas existentes, de acordo com as necessidades da Fundação, respeitada a ordem de classificaçãoe a validade do concurso. 1.1.3 Tabelas de Cargos: (#) Retificado conforme Edital de Retificação nº 002/2010 1.1.3.1. Professores: Cargos Vagas Legais Reserva Técnica Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na contratação Carga Horária semanal (#) Salário Básico Junho /10 Maio/10 R$ Valor de Inscrição R$ Automotivo 01 - Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecânica ou Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecânica Automotiva ou Esquema II - em Mecânica ou Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecatrônica ou em engenharias afins. Todos com registro no CREA). (1) (2) 20 horas 1.699,45 115,09

Embed Size (px)

Transcript of ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - Objetiva Concursos · Automotivo - 01 Técnico em Automotivo e...

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 1 de 48

    CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EDITAL DE CONCURSO N 001/2010

    REALIZAO: OBJETIVA CONCURSOS LTDA

    MARIA INS UTZIG ZULKE, Diretora Executiva da Fundao Escola Tcnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, de acordo com a autorizao contida no Processo Administrativo n 002528-19.56/09-5, FAZ SABER, por este Edital, que realizar CONCURSO PBLICO, atravs de provas de carter competitivo, sob a coordenao tcnico-administrativa da empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, para o provimento de vagas legais e de reserva tcnica para seu Quadro de Cargos Permanentes, sob o regime da Consolidao das Leis do Trabalho (CLT). O Concurso reger-se- pelas disposies contidas neste Edital, que se fundamentam especialmente nas normas constitucionais e legais relativas aos Concursos Pblicos e ao provimento de cargos, empregos e funes pblicas, presentes no ordenamento jurdico nacional e estadual e, ainda, nas estipulaes presentes no Decreto n 43.911/05, de 13 de julho de 2005, que regulamenta os Concursos Pblicos, no Decreto n 44.300/2006, alterado atravs do Decreto n 46.656/2009, que dispe sobre a participao da Pessoa Portadora de Deficincia, em Concursos Pblicos, bem como pelo Plano de Cargos e Salrios da FUNDAO LIBERATO, criado pela Resoluo n 979 de 29 de dezembro de 1988, homologada em 09 de agosto de 1996.

    A divulgao oficial do inteiro teor deste Edital dar-se- com a publicao no DOE Dirio

    Oficial do Estado e com a afixao no Painel de Publicaes da Fundao, podendo, tambm, ser divulgado no Jornal NH sob forma de extrato. As demais etapas do certame sero publicadas, total ou parcialmente, no DOE e/ou no Jornal NH. Tambm, em carter meramente informativo, a divulgao dar-se- na internet, pelos sites www.objetivas.com.br e www.liberato.com.br .

    obrigao do candidato acompanhar todos os editais referentes ao andamento do presente Concurso Pblico.

    CAPTULO I - DOS CARGOS E VAGAS

    1.1. DAS VAGAS: 1.1.1. O Concurso Pblico destina-se ao provimento, na Fundao Escola Tcnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, de vagas legais existentes e de reserva tcnica, de acordo com a tabela de cargos abaixo e, ainda, das que vierem a existir no prazo de validade do Concurso.

    1.1.2. A habilitao no Concurso Pblico no assegura ao candidato a contratao imediata, mas apenas a expectativa de ser admitido segundo as vagas existentes, de acordo com as necessidades da Fundao, respeitada a ordem de classificaoe a validade do concurso. 1.1.3 Tabelas de Cargos:

    (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 1.1.3.1. Professores:

    Cargos Vagas Legais

    Reserva Tcnica

    Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na contratao

    Carga Horria semanal

    (#) Salrio Bsico

    Junho/10 Maio/10

    R$

    Valor de Inscrio

    R$

    Automotivo

    01 - Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecnica ou Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecnica Automotiva ou Esquema II - em Mecnica ou Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecatrnica ou em engenharias afins. Todos com

    registro no CREA). (1) (2)

    20 horas 1.699,45 115,09

    http://www.objetivas.com.br/http://www.liberato.com.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 2 de 48

    Biologia - 01 Licenciatura Plena em Biologia ou Curso Superior de Bacharelado em Biologia.

    (#) (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Cincia da Computao - 01 Graduao em Informtica ou em Sistemas da Informao ou em Cincia da Computao ou em Tecnologia em Processamento de Dados ou em Engenharia da Computao ou em reas

    afins.(1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Desenho - 01 Licenciatura Plena em Educao Artstica com Habilitao em Desenho ou Licenciatura Plena em Desenho ou Diploma Superior em Arquitetura e Urbanismo com

    Registro no respectivo conselho. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Design 01 - Bacharelado em Design ou em Tecnlogo em Design ou em Arquitetura e Urbanismo ou Bacharelado em Comunicao Visual. (1) (2)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Educao Artstica - 01 Licenciatura Plena em Educao Artstica

    ou Bacharelado em Educao Artstica (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Educao Fsica - 01 Licenciatura Plena em Educao Fsica e registro no Conselho Regional de Educao Fsica CREF/RS, conforme Lei n. 9.696/98.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Eletrnica

    01 - Diploma de Curso Superior em Engenharia Eletrnica ou Diploma do Curso Superior em Engenharia Eltrica com nfase em Eletrnica ou Diploma do Curso Superior em Engenharia de Telecomunicaes ou Diploma de Curso Superior em Engenharia de Automao e/ou Controle ou Esquema II em Eletrnica ou Diploma de Curso Superior em Tecnologia de Automao Industrial ou em engenharias afins.Todos

    com registro no CREA. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Eletrotcnica

    01 - Diploma de Curso Superior em Engenharia Eltrica ou Diploma Superior de Engenharia enfase em Energia ou Diploma do Curso Superior em Engenharia Eletrnica ou Esquema II em Eletricidade ou Diploma de Curso Superior em Tecnologia em Automao Industrial ou em engenharia

    afins.Todos com registro no CREA. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Enfermagem do Trabalho

    - 01 Licenciatura Plena em Enfermagem ou Curso Superior de Bacharelado em Enfermagem com especializao em Enfermagem do Trabalho e registro no

    respectivo Conselho. (1)

    (2)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Filosofia 01 - Licenciatura Plena em Filosofia ou

    Bacharelado em Filosofia. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Fsica - 01 Licenciatura Plena em Fsica ou Curso

    Superior de Bacharelado em Fisica. (#) (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Geografia - 01 Licenciatura Plena em Geografia ou Curso Superior de Bacharelado em Geografia.

    (#) (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Gesto e Empreendedorismo

    - 01 Graduao em Administrao ou em Economia ou em Cincias Contbeis. Todos com registro no respectivo

    Conselho. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Histria - 01 Licenciatura Plena em Histria ou Curso Superior de Bacharelado em Histria.

    (#) (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Lngua Espanhola - 01 Licenciatura Plena em Letras- Portugus/Espanhol.

    20 horas 1.699,45 115,09

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 3 de 48

    Lngua Inglesa - 01 Licenciatura Plena em Letras Portugus/Ingls.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Lngua Portuguesa - 01 Licenciatura Plena em Letras Portugus/Literatura

    20 horas 1.699,45 115,09

    Matemtica - 01 Licenciatura Plena em Matemtica ou Curso Superior de Bacharelado em

    Matemtica. (#) (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Mecnica

    01 - Diploma de Curso Superior em Engenharia Mecnica ou Diploma do Curso Superior em Engenharia Metalrgica ou Diploma de Curso Superior em Engenharia de Produo ou Esquema II em Mecnica ou em engenharias afins. Todos com registro

    no CREA. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Medicina do Trabalho - 01 Diploma de Medicina com especializao em Medicina do Trabalho e registro no

    respectivo Conselho. (1) (2)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Msica - 01 Licenciatura Plena em Educao Musical ou Bacharelado em Msica Regncia, ambos com inscrio no Conselho Regional

    da Ordem dos Msicos do Brasil OMB. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Qumica 01 - Licenciatura Plena em Qumica ou Bacharelado em Qumica ou Diploma Superior em Engenharia Qumica ou Diploma Superior em Engenharia Industrial ou em Engenharia Ambiental ou Esquema II em Qumica ou em reas afins. Todos

    com Registro no respectivo Conselho.(1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Segurana do Trabalho

    - 01 Diploma Superior em Engenharia ou em Arquitetura com Especializao em Engenharia de Segurana do Trabalho, nos termos da Lei 7.410/85 e registro no CREA. (1) (2)

    20 horas 1.699,45 115,09

    Sociologia 01 - Licenciatura Plena em Sociologia ou

    Bacharelado em Sociologia. (1)

    20 horas 1.699,45 115,09

    (1) Os candidatos aos cargos de PROFESSOR que no possurem formao pedaggica assumem, no ato da contratao, o

    compromisso de providenciar tal formao, matriculando-se no prazo de um ano, a contar da data da contratao. (2)

    Cargos para atuao exclusiva no turno noturno.

    (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 1.1.3.2. Auxiliares de Ensino:

    Cargos Vagas Legais

    Reserva Tcnica

    Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na

    contratao

    Carga Horria semanal

    (#) Salrio Bsico

    Junho/10 Maio/10

    R$

    Valor de Inscrio

    R$

    Automotivo - 01 Tcnico em Automotivo e registro no

    respectivo conselho de classe. (2)

    40 horas 2.235,93 50,46

    Design - 01 Tcnico em Design ou Curso Tcnico em Design, com nfase em moda, mobilirio, calado e grfico ou Tcnico em Decorao ou reas afins. Registro no respectivo conselho de

    classe. (2)

    40 horas 2.235,93 50,46

    Eletrnica - 01 Tcnico em Eletrnica ou reas afins, com registro no respectivo conselho de classe.

    40 horas 2.235,93 50,46

    Eletrotcnica - 01 Tcnico em Eletrotcnica ou em Eletromecnica. Registro no respectivo conselho de classe.

    40 horas 2.235,93 50,46

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 4 de 48

    Fsica - 01 Tcnico em Mecnica ou em

    Eletrotcnica ou em Eletrnica ou em Fsica. Registro no respectivo conselho de classe.

    40 horas 2.235,93 50,46

    Mecnica - 01 Tcnico em Mecnica ou em Eletromecnica. Registro no respectivo conselho de classe.

    40 horas 2.235,93 50,46

    Qumica

    - 01 Tcnico em Qumica e registro no respectivo conselho de classe.

    40 horas 2.235,93 50,46

    Segurana do Trabalho - 01 Tcnico de Segurana do Trabalho e registro no respectivo conselho de

    classe. (2)

    40 horas 2.235,93 50,46

    (2)

    Cargos para atuao exclusiva no turno noturno. (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 1.1.3.3. Cargos Administrativos: Superior, Tcnico, Mdio e Fundamental: Cargos Administrativos: Superior, Tcnico e Mdio:

    Cargos Vagas Legais

    Reserva Tcnica

    Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na

    contratao

    Carga Horria semanal

    (#) Salrio Bsico

    Junho/10 Maio/10

    R$

    Valor de Inscrio

    R$

    Nvel Superior

    Advogado - 01 Curso superior em Direito e registro na OAB.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Analista de Sistemas - 01 Curso Superior completo de Analista de Sistemas ou Informtica ou Sistemas da Informao ou Cincia da Computao ou Tecnologia em Processamento de Dados. Registro no Ministrio do Trabalho e Emprego.

    40 horas 3.398,91 115,09

    Assessor de Comunicao Social

    - 01 Curso de graduao de nvel Superior em Comunicao Social com habilitao em Jornalismo, Relaes Publicas ou Publicidade e Propaganda reconhecidos pelo Ministrio da Educao, pelas Secretarias ou pelos Conselhos Estaduais de Educao. Registro no Ministrio do Trabalho e Emprego ou registro no Conselho Regional da categoria profissional.

    40 horas 3.398,91 115,09

    Assistente Social - 01 Curso Superior de Servio Social e registro no Conselho Regional da categoria profissional.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Bibliotecrio - 01 Curso Superior de Biblioteconomia e registro no Conselho Regional da categoria profissional.

    40 horas 3.398,91 115,09

    Contador - 01 Curso Superior de Cincias Contbeis e registro no Conselho Regional da categoria profissional.

    40 horas 3.398,91 115,09

    Orientador Educacional - 01 Licenciatura em Pedagogia com habilitao em Orientao Educacional.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Psiclogo - 01 Curso Superior de Psicologia e registro no Conselho Regional da categoria profissional.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Supervisor Escolar - 01 Licenciatura em Pedagogia com habilitao em Superviso Escolar.

    20 horas 1.699,45 115,09

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 5 de 48

    Tcnico em Educao - 01 Curso Superior na rea da Educao com especializao em Administrao de Sistemas Escolares, Gesto Escolar, Planejamento organizacional ou reas afins.

    20 horas 1.699,45 115,09

    Nvel Tcnico

    Secretrio de Escola - 01 Curso Mdio com Habilitao em Secretariado ou Curso Mdio com Curso de Complementao em Secretariado de Escola 360 horas.

    40 horas 1.908,31 50,46

    Tcnico em Informtica 01 - Tcnico em Informtica ou Tcnico em Eletrnica.

    40 horas 1.908,31 50,46

    Nvel Mdio

    Agente Administrativo 01 - Ensino Mdio. 40 horas 1.638,64 50,46 Motorista - 01 Ensino Mdio, com habilitao

    especfica para o desempenho da funo (CNH tipo C) e experincia

    de 2 (dois) anos na funo (3) (4)

    .

    40 horas 890,44 50,46

    (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 (3)

    Para o cargo de MOTORISTA, obrigatria a apresentao da Carteira Nacional de Habilitao tipo C, conforme exigncia do

    cargo, por ocasio da contratao. Na realizao da Prova Prtica o candidato dever apresentar habilitao CNH compatvel com o veculo ou equipamento a ser utilizado na realizao dos testes. (No sero aceitos protocolos ou encaminhamentos da mesma, nem Permisso para Dirigir). (3)

    Para o cargo de MOTORISTA, obrigatria a apresentao da Carteira Nacional de Habilitao tipo C, conforme exigncia do

    cargo, por ocasio da contratao. (4)

    Experincia comprovada mediante Carteira de Trabalho, Certido ou Atestado fornecido por rgo pblico ou pessoa Jurdica ou

    fsica responsvel, designando as atribuies relacionadas ao cargo. ATENO todos os cargos estaro sujeitos a cumprir carga horria nos turnos manh e/ou tarde e/ou noite, com exceo dos cargos assinalados com a observao (2).

    1.2. DAS ATRIBUIES DOS CARGOS: 1.2.1. As atribuies dos cargos esto definidas no ANEXO I do presente Edital.

    CAPTULO II - DAS INSCRIES

    2.1. A inscrio no Concurso Pblico implica, desde logo, o conhecimento e tcita aceitao pelo candidato, das condies estabelecidas neste Edital.

    2.2. Os candidatos devero inscrever-se somente em um cargo, tendo em vista aque a prova para todos os cargos ocorrer na mesma data e horrio.

    2.3. As inscries sero efetuadas somente pela Internet. . 2.4. As inscries devero ser realizadas no PERODO: 07/06/2010 a 21/06/2010. 2.5. So requisitos para inscrio:

    a) tomar conhecimento deste Edital e de seus Anexos, antes de recolher o valor da taxa de inscrio, a fim de certificar-se de que preenche os requisitos obrigatrios e as condies exigidas para posterior contratao, que constam nas tabelas do subitem 1.1.3 deste Edital;

    b) ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, desde que o candidato esteja amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento de gozo de direitos polticos, no termos do pargrafo 1, Art. 12, da Constituio Federal e do Decreto n 70.436/72;

    c) ter, no mnimo, 18 (dezoito) anos completos na data de encerramento das inscries; d) estar quites, na data de encerramento das inscries,com as obrigaes eleitorais e militares (esta

    ltima para candidatos do sexo masculino);

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 6 de 48

    e) ter aptido fsica e mental para o exerccio das atribuies do cargo; f) no ter registros de antecedentes criminais, achando-se em pleno gozo de seus direitos civis e

    polticos na data da contratao; g) candidatos com deficincia verificar captulo prprio, neste Edital.

    2.5.1. ATENO: O candidato, por ocasio da CONTRATAO, dever comprovar todos os requisitos acima elencados. A no apresentao dos comprovantes exigidos, tornar sem efeito a aprovao obtida pelo candidato, anulando-se todos os atos ou efeitos decorrentes da inscrio no Concurso.

    2.6. DA INSCRIO PELA INTERNET:

    2.6.1. As inscries via Internet podero ser realizadas a partir das 9h do dia 07 de junho de 2010 at s 24h do dia 21 de junho de 2010, pelo site www.objetivas.com.br .

    2.6.2. A OBJETIVA no se responsabiliza por solicitao de inscrio via Internet no recebida por motivos de ordem tcnica dos computadores, falhas de comunicao, congestionamentos de linha, ou outros fatores de ordem tcnica que impossibilitem a transferncia de dados. 2.6.3. Aps o preenchimento do formulrio eletrnico de inscrio, o candidato dever imprimir o documento (registro provisrio de inscrio) para efetuar o pagamento da taxa de inscrio. 2.6.4. O pagamento da inscrio dever ser efetuado atravs do documento impresso em qualquer agncia bancria ou terminal de auto-atendimento, at o dia 22 de junho de 2010. (NO ser aceito pagamento por meio de agendamento, depsito ou transferncia entre contas). 2.6.4.1. Somente ser deferido o pedido de inscrio com pagamento feito com cheque, aps a respectiva compensao. 2.6.5. A OBJETIVA, em nenhuma hiptese, processar qualquer registro de pagamento com data posterior ao dia 22 de junho de 2010. As solicitaes de inscries realizadas com pagamento aps esta data no sero acatadas. 2.6.6. O candidato ter sua inscrio homologada somente aps o recebimento, pela empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA da confirmao, pelo Banco, do pagamento de sua inscrio, no valor estipulado neste Edital. Como todo o procedimento realizado por via eletrnica, o candidato NO deve remeter OBJETIVA cpia de sua documentao, sendo de sua exclusiva responsabilidade a informao dos dados no ato de inscrio, sob as penas da lei. 2.6.7. Os candidatos interessados nas vagas para pessoas portadoras de deficincia, devero verificar Captulo prprio neste Edital, para conhecimento dos documentos necessrios inscrio.

    2.6.8. Caso o Candidato no possua acesso Internet, ser disponibilizado computador, na Fundao Liberato, sito na Rua Inconfidentes n 395, Bairro Primavera, Novo Hamburgo/RS, no horrio das 8h s 12h e das 13h30min s 17h, de 2 a 6 feira, em dias teis, no perodo de 07/06/2010 a 21/06/2010 para efetuar sua inscrio. 2.6.9. DO PEDIDO DE ISENO 2.6.9.1. Os candidatos interessados e que atenderem as condies estabelecidas na Lei n 13.153, de 16 de abril de 2009 que Isenta as pessoas com deficincia do pagamento de taxa de inscrio em concursos pblicos, podero solicitar iseno da taxa de inscrio OBJETIVA Concursos Ltda, atravs do preenchimento da Ficha de Solicitao de Iseno anexa a este Edital e que ser disponibilizada no site www.objetivas.com.br.

    http://www.objetivas.com.br/http://www.objetivas.com.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 7 de 48

    2.6.9.2. O benefcio da referida lei ser concedido queles que tiverem renda mensal de at um salrio mnimo e meio nacional per capita familiar, a ser comprovado mediante: I - apresentao da CTPS - Carteira de Trabalho e Previdncia Social ou cpia do ltimo contracheque. Caso o candidato dependa financeiramente de outra(s) pessoa(s), dever apresentar o comprovante de renda mensal dessa(s) pessoa(s); II cpia (e original para simples conferncia) da Certido de Nascimento/Casamento dos dependentes. 2.6.9.3. A comprovao da condio de pessoa portadora de deficincia se dar no ato da inscrio, mediante a apresentao dos seguintes documentos: I cpia (e original para simples conferncia) da Carteira de Identidade; II Atestado Mdico, fornecido por profissional cadastrado pelo Sistema nico de Sade (SUS), que comprove a deficincia, podendo ser laudo identico ao solicitado no captulo prprio para os candidatos portadores de deficincias. 2.6.9.4. Solicitao de Iseno do valor da inscrio: 2.6.9.4.1. No perodo de 07 a 09/06/2010, impreterivelmente, os candidatos interessados em obter iseno da taxa de inscrio devero efetuar a inscrio pela Internet, preenchendo o campo destinado iseno, imprimindo o boleto bancrio com o valor total da inscrio e guardando o mesmo para o caso de ter seu pedido indeferido. 2.6.9.4.2. A ficha de solicitao, preenchida e impressa, acompanhada dos comprovantes referidos nos itens 2.6.9.2 e 2.6.9.3 deste Edital, dever ser protocolada na Fundao Escola Tcnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, sito na Rua Inconfidentes n 395, Novo Hamburgo/RS, at o dia 10/06/2010, no horrio das 8h s 12h e das 13h30min s 17h, de 2 6 feira, em dias teis. 2.6.9.4.3. A no apresentao de qualquer documento para comprovar a condio de que trata os subitens 2.6.9.2 e 2.6.9.3 ou a apresentao dos documentos fora dos padres e forma solicitada, implicar no indeferimento do pedido de iseno. 2.6.9.4.4. O resultado da anlise da documentao para solicitao de iseno do pagamento da taxa de inscrio ser divulgado a partir do dia 17 de junho de 2010 pelo site www.objetivas.com.br. 2.6.9.4.5. Os candidatos com iseno concedida tero a inscrio automaticamente efetivada. Os candidatos que tiverem indeferida sua solicitao de inscrio com iseno da taxa, devero providenciar o pagamento do boleto impresso no momento da inscrio ou providenciar, no site www.objetivas.com.br, a impresso de 2 via do boleto de pagamento e quit-lo dentro do prazo estipulado, para permanecerem participando do certame. 2.6.4.6. Os candidatos, portadores de deficincia, ao fazerem sua inscrio pela Internet devero verificar captulo prprio neste Edital, para encaminhamento de documentos necessrios.

    2.6.4.7. Caso o Candidato no possua acesso Internet, ser disponibilizado computador para acesso, na Fundao Liberato, sito na Rua Inconfidentes n 395, Bairro Primavera, Novo Hamburgo/RS, no horrio das 8h s 12h e das 13h30min s 17h, de 2 6 feira, em dias teis, no perodo de 07/06/2010 a 21/06/2010. 2.7. DAS DISPOSIES GERAIS SOBRE A INSCRIO NO CONCURSO PBLICO: 2.7.1. No sero aceitas inscries com falta de documentos, por via postal, por telex ou via fax, e-mail, extemporneas e/ou condicionais.

    http://www.objetivas.com.br/http://www.objetivas.com.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 8 de 48

    2.7.2. Antes de efetuar o pagamento da inscrio, o candidato dever certificar-se de que possui todas as condies e pr-requisitos para inscrio. No haver devoluo do valor da inscrio, salvo se for cancelada a realizao do Concurso Pblico. 2.7.3. So considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurana Pblica, pelos Institutos de Identificao e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos rgos fiscalizadores de exerccio profissional (Ordens, Conselhos, etc); passaporte brasileiro, certificado de reservista, carteiras funcionais do Ministrio Pblico; carteiras funcionais expedidas por rgo pblico que, por Lei Federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitao (somente o modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei n 9.503, de 23 de setembro de 1997). 2.7.4. No sero aceitos como documentos de identidade: certides de nascimento, ttulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras funcionais, sem valor de identidade, documentos ilegveis, no-identificveis ou danificados. 2.7.5. Para efetivar sua inscrio, imprescindvel que o candidato possua nmero de CPF Cadastro de Pessoa Fsica, regularizado. 2.7.6. O candidato que no possuir CPF dever solicit-lo nos postos credenciados - Banco do Brasil, Caixa Econmica Federal, Correios ou Receita Federal, em tempo de conseguir o registro e o respectivo nmero, antes do trmino do perodo de inscries. 2.7.7. Ter sua inscrio cancelada e ser automaticamente eliminado do concurso pblico o candidato que utilizar o CPF de terceiro. 2.7.8. Aps o encerramento do perodo de inscries, no sero aceitos pedidos de alteraes das opes de cargo. 2.7.9. As informaes prestadas na ficha de inscrio, bem como o preenchimento dos requisitos exigidos sero de total responsabilidade do candidato. 2.8. DA HOMOLOGAO DAS INSCRIES: 2.8.1. Em 22/07/2010 ser divulgado edital de homologao das inscries 2.8.2. O candidato dever observar nesse edital a data prevista para divulgao da relao dos candidatos que tiveram suas inscries homologadas.caso sua inscrio no tenha sido homologada ou processada, o mesmo poder em at 03(trs) dias teis, contados da data imediatamente subsequente a da divulgao, impetrar pedido de recurso, conforme determinado neste Edital, a fim de poder prestar o Concurso.. 2.8.3. Se mantida a no homologao ou o no processamento, o candidato ser eliminado do Concurso, no obtendo direito devoluo do valor da inscrio. 2.8.4. Os candidatos que solicitarem vagas como pessoas portadoras de deficincia, conforme captulo III deste Edital, tero a definio de sua opo aps anlise da Comisso Especial e a divulgao do resultado dessa anlise ser no decorrer do certame. 2.8.5. O candidato ter acesso ao edital de homologao, com a respectiva relao de inscritos, diretamente pelos sites www.objetivas.com.br e www.liberato.com.br ou, ainda, no Painel de Publicaes da Fundao Liberato.

    http://www.objetivas.com.br/http://www.liberato.com.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 9 de 48

    CAPTULO III - DAS DISPOSIES PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICINCIA 3.1. s pessoas portadoras de deficincia (fsica, visual, auditiva e mltipla), assegurado o direito de inscrio no presente Concurso, para os cargos cujas atribuies sejam compatveis com a deficincia de que so portadoras, num percentual de 10% (dez por cento) das vagas para cada cargo, do total das vagas oferecidas, de acordo com o artigo 37, inciso VIII da Constituio Federal e com a Lei n 10.228, de 06/07/1994, regulamentada pelo Decreto n 44.300, de 20/02/2006, alterado pelo Decreto n 46.656, de 01/10/2009. 3.1.1. Caso a aplicao do percentual acima referido resulte em nmero fracionado, o mesmo dever ser elevado at o primeiro nmero inteiro subsequente. 3.1.2. A cada chamamento de dez candidatos, um dever ser portador de deficincia. 3.1.3. Quando o nmero de vagas oferecidas impossibilite a obteno desse percentual citado no item 3.1, no mnimo uma delas ser destinada a canditado portador de deficincia . No se aplica tal procedimento, se o candidato portador de deficincia tiver obtido melhor classificao que autorize sua chamada imediata. Ocorrendo o primeiro chamamento para as vagas oferecidas nesse Edital, dentre os admitidos dever constar um candidato portador de deficincia. 3.1.4. As vagas reservadas aos candidatos portadores de deficincia que no venham a ser preenchidas, aps o chamamento de todos os portadores de deficincia aprovados, passam automaticamente a ser ocupadas pelos demais candidatos aprovados, conforme a ordem de classificao. 3.2. O candidato, ao inscrever-se nesta condio, dever escolher o cargo a que concorre e marcar a opo Pessoas Portadoras de Deficincia, bem como dever protocolar, no perodo de 07/06/2010 a 21/06/2010, na Fundao Liberato, sito na Rua Inconfidentes, 395, Bairro Primavera, Novo Hamburgo, RS, CEP 93340-140, no horrio das 8h s 12h e das 13h30min s 17h, de 2 6 feira, em dias teis, os seguintes documentos:

    a) laudo mdico (original ou cpia legvel autenticada) emitido, no mximo, noventa dias antes da data de publicao de Edital de abertura das inscries, atestando a espcie e o grau de deficincia, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doena - CID, bem como da provvel causa da deficincia, devendo ser legvel e conter nome, assinatura e nmero do CRM do Mdico, sob pena de no ser considerado vlido.

    b) requerimento, solicitando vaga especial, constando o tipo de deficincia e a necessidade de

    condio ou prova especial, se for o caso (conforme modelo Anexo V deste Edital). O pedido de condio ou prova especial, formalizado por escrito empresa executora, ser examinado para verificao das possibilidades operacionais de atendimento, obedecendo a critrios de viabilidade e de razoabilidade.

    3.2.1. O laudo mdico referido na alnea a poder ser apresentado at quinze dias aps o encerramento das inscries. 3.2.2. A documentao referida nas alneas a e b, ainda, poder ser encaminhada por SEDEX, para o mesmo endereo e prazo referidos no item 3.2, sendo vlida, para confirmao deste prazo, a postagem efetuada at s 17h do ltimo dia.

    3.3. O deficiente mental dever apresentar, no mesmo endereo e prazo referidos no item 3.2 deste Edital, certificado de habilitao especfica para o cargo a exercer, fornecido por entidade oficial reconhecida ou Carteira de Trabalho assinada no referido cargo pelo tempo mnimo de um ano.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 10 de 48

    3.4. Os deficientes mentais e os demais portadores de deficincia, com comprovada dificuldade de aprendizagem escolar compatveis coma deficincia, sero submetidos a teste prtico a ser realizado no rgo em que iro desempenhar sua atividades, ficando dispensados de realizarem a prova escrita. 3.5. A pessoa portadora de deficincia mental ou com dificuldades de aprendizagem poder ser dispensada da apresentao de ttulo de qualificao ou formao, o qual poder ser substitudo por comprovante de habilitao de escola ou de entidade devidamente credenciada ou carteira de trabalho assinada, que comprove a experincia mnima de um ano na ocupao postulada, ressalvados os casos previstos na Legislao Federal.

    3.6. Caso o candidato no encaminhe laudo mdico e respectivo requerimento, at o prazo determinado, no ser considerado como pessoa portadora de deficincia para concorrer s vagas reservadas, no tendo direito vaga especial, bem como prova especial, seja qual for o motivo alegado, mesmo que tenha assinalado tal opo na Ficha de Inscrio. 3.7. No sero considerados como deficincia os distrbios de acuidade visual passveis de correo simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congneres. 3.8. As solicitaes de condies especiais, bem como de recursos especiais, sero atendidas obedecendo a critrios de viabilidade e de razoabilidade. 3.9. Os candidatos inscritos nessa condio participaro do concurso pblico em igualdade de condies com os demais candidatos, no que se refere s provas aplicadas, ao contedo das mesmas, avaliao, aos critrios de aprovao, ao horrio e local de aplicao das provas e nota mnima exigida para todos os demais candidatos, resguardadas as condies especiais previstas na legislao prpria. 3.10. Os candidatos aprovados no concurso pblico sero submetidos a exames mdicos e complementares, que iro avaliar a sua condio fsica e mental.

    CAPTULO IV - DAS PROVAS 4.1. Para todos os cargos, o Concurso constar de PROVA OBJETIVA, de carter eliminatrio/classificatrio, em primeira etapa, com questes objetivas, de mltipla escolha, compatveis com o nvel de escolaridade, com a formao acadmica exigida e com as atribuies dos cargos. 4.2. Sero considerados aprovados em PRIMEIRA ETAPA e/ou HABILITADOS etapa seguinte, os candidatos que obtiverem 50% (cinqenta por cento) ou mais na nota final da prova objetiva. 4.3. PROVA DE TTULOS - para os candidatos aos cargos de PROFESSOR (Todos) e ADMINISTRATIVOS (Nvel Superior) ADVOGADO, ANALISTA DE SISTEMAS, ASSESSOR DE COMUNICAO SOCIAL, ASSISTENTE SOCIAL, BIBLIOTECRIO, CONTADOR, ORIENTADOR EDUCACIONAL,

    PSICLOGO, SUPERVISOR ESCOLAR e TCNICO EM EDUCAO, desde que habilitados na prova eliminatria, haver PROVA DE TTULOS, conforme Captulo VI, do presente Edital, de carter classificatrio. 4.4. CONTEDOS E PONTUAO:

    CARGO PROVA DISCIPLINA N Questes

    Valor por questo

    PESO TOTAL

    TABELA A

    PROFESSORES:

    Todos

    CARGOS ADMINISTRATIVOS: NVEL SUPERIOR:

    Todos

    Objetiva

    Ttulos

    Lngua Portuguesa

    Conhecimentos Gerais

    Conhecimentos Especficos

    10

    05

    35

    1,70

    1,05

    1,65

    17,00

    05,25

    57,75

    20,00

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 11 de 48

    TABELA B

    AUXILIARES DE ENSINO:

    Todos

    CARGOS ADMINISTRATIVOS: NVEL TCNICO: Secretrio de Escola

    Tcnico em Informtica

    Objetiva Lngua Portuguesa

    Matemtica

    Conhecimentos Especficos

    10

    05

    35

    2,00

    2,00

    2,00

    20,00

    10,00

    70,00

    TABELA C

    CARGO ADMINISTRATIVO: NVEL MDIO:

    Agente Administrativo

    Objetiva Lngua Portuguesa

    Matemtica

    Informtica

    20

    20

    10

    2,00

    2,00

    2,00

    40,00

    40,00

    20,00

    TABELA D

    CARGO ADMINISTRATIVO: NVEL MDIO:

    Motorista

    Objetiva Lngua Portuguesa

    Conhecimentos Especficos

    10

    30

    2,50

    2,50

    25,00

    75,00

    4.5. Os pontos por disciplina correspondem ao nmero de acertos multiplicado pelo peso de cada questo da mesma. A NOTA DA PROVA OBJETIVA ser o somatrio dos pontos obtidos em cada disciplina. 4.6. No haver prova fora do local designado, nem em datas e/ou horrios diferentes. No ser admitido prova, o candidato que se apresentar aps o horrio estabelecido para o incio da mesma. Em nenhuma hiptese haver segunda chamada, seja qual for o motivo alegado. 4.7. O ingresso na sala de provas s ser permitido ao candidato que apresentar o documento de identidade que originou a inscrio. 4.8. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realizao da prova, os documentos originais, por motivo de perda, furto ou roubo, dever apresentar documento que ateste o registro da ocorrncia em rgo policial, expedido h, no mximo 30 (trinta) dias, ocasio em que poder ser submetido identificao especial, compreendendo coleta de assinaturas e de impresso digital em formulrio prprio. 4.9. O candidato dever apresentar no dia da realizao da prova o documento de inscrio (boleto bancrio). 4.10. A identificao especial tambm poder ser exigida do candidato, cujo documento de identificao apresente dvidas relativas fisionomia ou assinatura do portador. 4.11. Ao ingressar na sala de provas, o candidato receber um saco plstico, no qual dever colocar seu celular desligado e com a bateria retirada. Este saco plstico ser fechado e dever ser colocado no cho, embaixo da cadeira/classe do candidato.

    4.12. Na sala de provas no ser permitido ao candidato usar culos escuros e acessrios de chapelaria tais como: bon, chapu, gorro, bem como cachecol ou manta e luvas e, ainda, entrar ou permanecer com armas ou aparelhos eletrnicos (bip, telefone celular, relgio do tipo data bank, walkman, agenda eletrnica, notebook, palmtop, receptor, gravador, etc.). Caso o candidato leve arma ou qualquer aparelho eletrnico, dever deposit-lo na Coordenao. O descumprimento desta determinao implicar na eliminao do candidato, caracterizando-se como tentativa de fraude. 4.13. A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realizao da prova dever levar acompanhante, que ficar em sala reservada para essa finalidade e que ser responsvel pela guarda da criana. A candidata que no levar acompanhante no realizar a prova. 4.14. Ser excludo do concurso pblico o candidato que:

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 12 de 48

    a) tornar-se culpado por incorreo ou descortesia para com qualquer dos fiscais, executores e seus auxiliares ou autoridades presentes;

    b) for surpreendido, durante a realizao da prova, em comunicao com outro candidato ou terceiros, bem como utilizando-se de livros, notas, impressos ou equipamentos no permitidos;

    c) afastar-se do recinto da prova sem o acompanhamento do fiscal; d) recusar-se a entregar o material das provas ao trmino do tempo destinado a sua realizao.

    4.15. Candidatos com deficincia ver Captulo prprio sobre solicitao de condio ou prova especial (caso necessrio). 4.16. A identificao correta do dia, local e horrio da realizao da prova, bem como seu comparecimento, de responsabilidade exclusiva do candidato.

    4.17. Os casos de alteraes psicolgicas ou fisiolgicas (perodos menstruais, gravidez, contuses, luxaes, etc.) que impossibilitem o candidato de submeter-se aos testes, ou de neles prosseguir ou que lhe diminuam a capacidade fsico-orgnica, no sero considerados para fins de tratamento diferenciado ou nova prova.

    CAPTULO V - DA PROVA OBJETIVA

    5.1. A Prova Objetiva, para todos os cargos ser aplicada em 08/08/2010, no Municpio de Novo Hamburgo/RS, em local e horrio a serem divulgados quando da homologao das inscries em 22/07/2010. 5.2. A Fundao Liberato reserva-se o direito de indicar nova data para a realizao da Prova Objetiva, em caso de necessidade de alterao desta j publicada, mediante nova publicao, que ser efetuada conforme descrito no prembulo deste Edital, com antecedncia mnima de 8 (oito) dias da realizao da prova. 5.3. A Objetiva Concursos Ltda remeter ao candidato comunicao complementar informando data, local e horrio da prova, por meio do endereo eletrnico (e-mail) indicado pelo mesmo na ficha de inscrio. No haver encaminhamento de comunicao via postal ou telefnica. 5.3.1. A remessa da comunicao, via e-mail, no exime o candidato da responsabilidade de acompanhamento de todos os atos referentes a este concurso pblico, atravs de edital, bem como de obter as informaes necessrias pelo site ou por telefone da empresa Objetiva Concursos Ltda. 5.4. O programa da prova objetiva de cada cargo, o constante no ANEXO II do presente Edital. 5.5. O tempo de durao da prova objetiva ser de at 3 horas. 5.6. Desde j, ficam os candidatos convocados a comparecerem com antecedncia de 1 (uma) hora ao local das provas, munidos de caneta esferogrfica azul ou preta ponta grossa. 5.7. Durante as provas, no ser permitida comunicao entre candidatos, nem a utilizao de mquina calculadora e/ou similares, livros, anotaes, rguas de clculo, impressos ou qualquer outro material de consulta. 5.8. Para a segurana dos candidatos e a garantia da lisura dos Concursos Pblicos, a OBJETIVA CONCURSOS proceder, como forma de identificao, coleta da impresso digital de todos os candidatos no dia de realizao das provas, bem como usar detector de metais.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 13 de 48

    5.9. O caderno de questes o espao no qual o candidato poder desenvolver todas as tcnicas para chegar resposta adequada, permitindo-se o rabisco e a rasura em qualquer folha, EXCETO no CARTO DE RESPOSTAS. 5.10. A correo das provas ser feita por meio eletrnico - leitura tica, sendo o CARTO DE RESPOSTAS o nico documento vlido e utilizado para esta correo. Este deve ser preenchido com bastante ateno. Ele no poder ser substitudo, tendo em vista sua codificao, sendo o candidato o nico responsvel pela entrega do mesmo devidamente preenchido e assinado. A no entrega do carto de respostas implicar na automtica eliminao do candidato do certame. A falta de assinatura no carto poder tambm implicar na eliminao do candidato do certame. 5.10.1. Tendo em vista as disposies do Decreto n 43.911 - Art.17 6 e, ainda, de ser o processo de correo de provas por meio eletrnico - leitura tica, no haver desidentificao de provas. 5.11. Ser atribuda nota 0 (zero) resposta que, no carto de respostas estiver em desconformidade com as instrues, no estiver assinalada ou que contiver mais de uma alternativa assinalada, emenda, rasura ou alternativa marcada a lpis, ainda que legvel. 5.12. Em nenhuma hiptese, ser considerado para correo e respectiva pontuao o caderno de questes. 5.13. O candidato, ao terminar a prova objetiva, devolver ao fiscal da sala, juntamente com o carto de respostas, o caderno de questes, tendo em vista a obrigatoriedade de arquivo na Fundao Liberato. 5.14. Ser permitido aos candidatos copiar seu carto de respostas, para conferncia com o gabarito oficial. 5.15. Por razes de ordem tcnica, de segurana e de direitos autorais, no sero fornecidas cpias das provas a candidatos ou instituies de direito pblico ou privado, mesmo aps o encerramento do Processo. 5.16. Na data da prova objetiva, os candidatos interessados podero ter vista da prova padro, sob fiscalizao. 5.17. Ao final da prova objetiva, os trs ltimos candidatos devero permanecer no recinto, a fim de acompanhar os fiscais at a coordenao para o lacre dos envelopes, sendo liberados quando concludo.

    CAPTULO VI - DA PROVA DE TTULOS Somente para os cargos de PROFESSOR (Todos) e ADMINISTRATIVOS (Nvel Superior) ADVOGADO, ANALISTA DE SISTEMAS, ASSESSOR DE COMUNICAO SOCIAL, ASSISTENTE SOCIAL, BIBLIOTECRIO, CONTADOR, ORIENTADOR EDUCACIONAL, PSICLOGO, SUPERVISOR ESCOLAR e TCNICO EM EDUCAO 6.1. Para concorrer a esta etapa, aps a divulgao de notas da prova objetiva, no prazo e local a serem estipulados por Edital, os candidatos que lograram aprovao, devero entregar pessoalmente (no horrio das 9h s 11h30min e das 14h s 17h) ou encaminhar somente via SEDEX (postado at s 17h do ltimo dia do prazo) os ttulos. Em ambas as formas, sero entregues/encaminhados para - Fundao Liberato Salzano, sito na Rua Inconfidentes n 395, Bairro Primavera, Novo Hamburgo/RS, CEP 93340-140. 6.2. Essa Prova de carter classificatrio, O candidato aprovado, que deixar de entregar/encaminhar seus ttulos, no ser eliminado do concurso. No entanto, no ter somados prova objetiva os pontos correspondentes a essa etapa.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 14 de 48

    6.3. GRADE DE PONTUAO DOS TTULOS:

    Itens Pontuao 1. Ps-graduao Especializao na rea de atuao ou em Educao

    Mestrado

    Doutorado

    (todos concludos)

    3,0

    4,0

    5,0

    2. Graduao Curso superior e/ou Licenciatura Plena (concludo)

    Exceto o curso de exigncia do cargo

    1,0

    3. Experincia Profissional: I - De magistrio, no cargo de inscrio neste Concurso 0,25 ponto por ano completo II - De magistrio, como instrutor ou regente de classe - 0,25 ponto por ano completo III - Relacionada com a rea do cargo de inscrio neste Concurso - 0,25 ponto por ano completo (contar 1 ano por frao superior a 6 meses)

    2,0 1,0 1,0

    (pontuao mxima)

    4. Outros Cursos de aperfeioamento ou atualizao na rea da formao, relacionada ao cargo de inscrio, pontuados conforme tabela abaixo: I. At 39 horas........................................... II. De 40 a 79 horas.................................... III. De 80 a 119 horas.................................... IV. Acima de 120 horas................................ (no sero considerados cursos de preparao para concursos pblicos)

    0,5 1,0 1,5 2,0

    5. Participao como ministrante na rea da formao, relacionada ao cargo de inscrio, pontuados conforme tabela abaixo: I. At 19 horas........................................... II. De 20 a 39 horas.................................... III. De 40 a 79 horas.................................... IV. De 80h a 119 horas................................ V. Acima de 120 horas................................

    0,3 0,4 0,5 0,6 0,7

    6. Apresentao de trabalhos em eventos, relacionados ao cargo de inscrio rea de atuao (participante ou

    palestrante, painelista ou organizador), tais como: congressos, seminrios, simpsios, workshops, jornadas,

    treinamentos, oficinas, ou similares, com ou sem publicao de resumo. (Pontuao por trabalho)

    2,5

    7. Publicaes, pontuadas conforme segue:

    I. Publicaes Tcnicas de revistas, jornais, coletneas, anais e peridicos em geral, como autor ou co-autor.......

    II. Livros ou captulos de livros publicados como autor e co-autor...........................................................................

    (Pontuao por trabalho)

    1,5

    2,5

    8. Mximo de 20 (vinte) pontos nesta prova e mximo de 10 (dez) ttulos por candidato.

    9. Todos os ttulos referenciados nos itens 3, 4, 5, 6 e 7 desta Grade, devero ser realizados aps a data de concluso do curso de exigncia do cargo de inscrio e, ainda, devero estar com data de emisso do comprovante dentro dos ltimos cinco anos, contados da data de encerramento das inscries.

    10. O curso de exigncia do cargo no ser utilizado para pontuao. Ttulos de formao de nvel mdio no sero pontuados. Ttulos de graduao ou ps-graduao, alm do de exigncia tero pontuao conforme item 1 e 2. Candidatos que ainda no concluram o curso de graduao e/ou ps-graduao exigidos para o cargo, no tero os ttulos pontuados.

    11. Ttulos sem contedo especificado no sero pontuados, caso no se possa aferir a relao com o cargo.

    12. Para comprovao dos itens 3, 4, 5, 6 e 7 desta Grade, o comprovante dever ser diploma, certificado de concluso do curso, declarao ou atestado, em papel com timbre da entidade promotora, devendo ser expedido pela mesma. No sero pontuados boletim de matrcula, histrico escolar ou outra forma que no a determinada acima, no devendo o candidato entregar documentos que no estejam na forma exigida. A comprovao de experincia profissional ser feita mediante apresentao de: a) cpia da CTPS (folha de identificao, na qual consta nmero e srie, folha de contrato de trabalho); b) declarao ou certido do rgo, instituio ou empresa. Em caso de rgo, instituio ou empresa extinta, apresentar tambm documentao comprobatria da extino.

    13. Os diplomas de Graduao curso superior ou licenciatura plena e os de ps-graduao em nvel de especializao, mestrado ou doutorado devem estar devidamente registrados e acompanhados do histrico escolar do candidato, no qual conste o nmero de crditos obtidos, as disciplinas em que foi aprovado e as respectivas menes, o resultado dos exames e do julgamento da dissertao ou tese. Para todos os diplomas, no sero aceitos somente histricos escolares, declaraes ou atestados de concluso do curso ou das respectivas disciplinas.

    14. Cursos com carga horria definida em dias ou meses sero considerados na seguinte proporo:01 dia: 08 horas-01 ms: 80 horas.

    15. Cursos sem carga horria definida no recebero pontuao.

    16. Cursos de lngua estrangeira, relaes humanas e informtica sero pontuados para todos, quando apresentados, dentro do disposto no item 4, onde ser inserido.

    17. Os documentos, em lngua estrangeira, de cursos realizados, somente sero considerados quando traduzidos para a Lngua Portuguesa, por tradutor juramentado e revalidados por instituio brasileira.

    18. Os diplomas ou certificados de cursos de Ps-graduao, expedidos por universidades estrangeiras, devero estar revalidados por universidades pblicas brasileiras que tenham curso do mesmo nvel e rea ou equivalente, respeitando-se os acordos internacionais de reciprocidade ou equiparao (Art. 48, 2. e 3., da Lei Federal n. 9.394/96).

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 15 de 48

    6.4. APRESENTAO DOS TTULOS: 6.4.1. Caso no sejam encaminhados via SEDEX, os ttulos sero entregues pelo prprio candidato, que dever apresentar seu documento de identidade original. 6.4.1.1 Os ttulos no encaminhados por SEDEX, ainda podero ser entregues por procurao (conforme Anexo VI deste Edital), devendo ser apresentado documento de Identidade do procurador e entregue o instrumento de mandato outorgado atravs de instrumento pblico ou particular, contendo poder especfico para a entrega dos ttulos. H necessidade de reconhecimento de firma em cartrio, pelo outorgante, com apresentao dos documentos indispensveis prova de ttulos. 6.4.2. O candidato dever apresentar uma fotocpia de cada ttulo, bem como o ttulo original, sendo que o funcionrio encarregado pelo recebimento dos mesmos dever conferir cada cpia apresentada com o ttulo original para autenticao ou poder ser apresentado atravs de cpia autenticada em cartrio, dispensando-se a apresentao do ttulo original. 6.4.2.1. As fotocpias apresentadas que no estiverem autenticadas em cartrio, no sero consideradas para efeito de pontuao. 6.4.2.2. As fotocpias autenticadas em cartrio apresentadas no sero devolvidas em hiptese alguma e, caso seja(m) encaminhado(s) ttulo(s) original(is), o mesmo procedimento ser adotado, ou seja, no haver devoluo em hiptese alguma. 6.4.3. Juntamente com os ttulos, dever ser apresentada relao dos mesmos, em formulrio prprio, conforme modelo anexo a este edital. Esta relao ser preenchida em duas vias; destas, uma ser devolvida ao candidato devidamente rubricada pelo funcionrio encarregado pelo recebimento e a outra ser encaminhada Banca Avaliadora da OBJETIVA CONCURSOS LTDA. Nesta relao devero ser encaminhados apenas os 10 (dez) ttulos listados para entrega. Caso o candidato entregue nmero de ttulos superior, sero desconsiderados a partir do dcimo primeiro. 6.4.4. Na relao dos ttulos, o candidato declarar expressamente o curso que possui ou que esteja em andamento, como requisito de habilitao para o cargo, devendo anexar seu comprovante junto aos demais ttulos. Caso o curso de habilitao esteja em andamento, poder ser apresentado atestado da Instituio responsvel pela formao. 6.4.5. Os ttulos e respectiva relao sero entregues ou encaminhados via SEDEX em envelope, devidamente identificado com seu nome, nmero de inscrio e cargo. 6.4.6. Os documentos comprobatrios de ttulos no podem apresentar rasuras, emendas ou entrelinhas, sob pena de no serem pontuados. 6.4.7. O candidato que possuir alterao de nome (casamento, separao, etc...) dever anexar cpia do documento de identidade, bem como do documento comprobatrio da alterao, sob pena de no ter pontuados ttulos com nome diferente da inscrio e/ou identidade. 6.4.8. Comprovada em qualquer tempo, irregularidade ou ilegalidade na obteno dos ttulos do candidato, bem como encaminhamento de um mesmo ttulo em duplicidade, com o fim de obter dupla pontuao, o candidato ter anulada a totalidade de pontos desta prova. Comprovada a culpa do candidato este ser excludo do concurso. 6.4.9. No sero recebidos ttulos de eventos datados anteriormente ao disposto na grade, bem como no sero pontuados os ttulos que excederem ao mximo em quantidade e pontos, conforme disposio supra.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 16 de 48

    CAPTULO VII - DOS RECURSOS

    7.1. Ser admitido recurso quanto:

    a) Ao indeferimento/no processamento de inscrio; b) formulao das questes, respectivos quesitos e gabarito das mesmas; c) Aos resultados parciais e finais do Concurso Pblico.

    7.2. Todos os recursos, devero ser interpostos em at 3 (trs) dias teis, a contar da data imediatamente subsequente da divulgao por edital de cada evento. (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 7.3. Os mesmos devero ser protocolados junto Fundao Liberato, no prazo marcado por Edital, na forma de requerimento, conforme modelo Anexo III deste Edital e devero conter os seguintes elementos:

    a) Nome Completo e N de Inscrio; b) Concurso de referncia - rgo; c) Cargo ao qual concorre; d) Circunstanciada exposio a respeito das questes, pontos ou ttulos, para as quais, em face s

    normas do certame, contidas no Edital, da natureza do cargo a ser provido ou do critrio adotado, deveria ser atribudo maior grau ou nmero de pontos;

    e) Razes do pedido de reviso, bem como o total dos pontos pleiteados. 7.3. Os mesmos devero ser protocolados junto Fundao Liberato, no prazo marcado por Edital, na forma de requerimento, conforme modelo Anexo III deste Edital e devero conter os seguintes elementos:

    a) N de Inscrio; b) Concurso de referncia - rgo; c) Cargo ao qual concorre; d) Circunstanciada exposio a respeito das questes, pontos ou ttulos, para as quais, em face s

    normas do certame, contidas no Edital, da natureza do cargo a ser provido ou do critrio adotado, deveria ser atribudo maior grau ou nmero de pontos;

    e) Razes do pedido de reviso, bem como o total dos pontos pleiteados. 7.3.1. Tambm sero aceitos recursos enviados por SEDEX, para o endereo da Fundao Liberato, j citado em itens anteriores, desde que tenham sido respeitadas as normas deste Captulo e tenham sido postados at s 17h do ltimo dia do prazo recursal. 7.3.2. Recurso por procurao: Sero aceitos recursos por procurao desde que apresentado o documento de Identidade do procurador e entregue o instrumento de mandato outorgado atravs de instrumento pblico ou particular, contendo poder especfico para o pedido de recurso, conforme anexo VI deste edital. H necessidade de reconhecimento de firma em cartrio, pelo outorgante, com apresentao dos documentos necessrios, original e cpia para autenticao no local, ou cpia autenticada em cartrio. 7.4. Os recursos que forem apresentados devero obedecer rigorosamente os preceitos que seguem e sero dirigidos Fundao Liberato. 7.5. No se reconhecero os recursos que no contenham os dados acima e os fundamentos do pedido, inclusive os pedidos de simples reviso da prova ou nota. 7.6. Sero desconsiderados os recursos interpostos fora do prazo, enviados por via postal, fax ou meio eletrnico (e-mail) ou em desacordo com este Edital.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 17 de 48

    7.7. Em caso de haver questes que possam vir a ser anuladas por deciso da Comisso Executora do Concurso, as mesmas sero consideradas como respondidas corretamente por todos candidatos, independente de terem recorrido, quando sero computados os pontos respectivos, exceto para os que j receberam a pontuao. 7.8. Se houver alguma alterao de gabarito oficial, por fora de impugnaes, as provas sero corrigidas de acordo com a alterao.

    CAPTULO VIII - DA APROVAO E CLASSIFICAO 8.1. A nota final, para efeito de classificao dos candidatos, ser igual soma das notas obtidas na prova objetiva e na prova de ttulos, conforme aplicada ao cargo. 8.2. A classificao final do Concurso a ser publicada por edital, apresentar apenas os candidatos aprovados por cargo, em ordem decrescente de pontos e ser composta de duas listas. A primeira lista conter a pontuao de todos os candidatos, inclusive a das pessoas portadores de deficincia e, a segunda, somente a pontuao destes ltimos, se houver aprovados. 8.3. Na hiptese de igualdade no total de pontos entre os aprovados, o desempate de notas processar-se- com os seguintes critrios: 8.3.1. Para TODOS os cargos em que houver candidatos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, em conformidade com o art. 27, pargrafo nico, da Lei 10741/2003 - Estatuto do Idoso, ser ultilizado o critrio da maior idade. 8.3.2. Aps a aplicao deste critrio, o desempate ocorrer, conforme segue: 8.3.2.1. Para os cargos da TABELA A:

    a) obtiver maior nota na prova objetiva; b) obtiver maior nota em conhecimentos especficos; c) obtiver maior nota em lngua portuguesa; d) sorteio.

    8.3.2.2. Para os cargos da TABELA B:

    a) obtiver maior nota em conhecimentos especficos; b) obtiver maior nota em lngua portuguesa; c) sorteio.

    8.3.2.3. Para o cargo da TABELA C:

    a) obtiver maior nota em lngua portuguesa; b) obtiver maior nota em Matemtica c) sorteio

    8.3.2.4. Para o cargo da TABELA D: a) obtiver maior nota em conhecimentos especficos; b) sorteio.

    8.4. No caso de sorteio ser realizado em ato pblico, a ser divulgado por edital e seu resultado far parte da classificao final do Concurso.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 18 de 48

    CAPTULO IX - DO PROVIMENTO DOS CARGOS 9.1. O provimento dos cargos obedecer, rigorosamente, ordem de classificao dos candidatos aprovados. 9.2. O candidato aprovado obriga-se a manter atualizado seu telefone e endereo junto Fundao Liberato. 9.3. O candidato ser convocado para a contratao atravs do servio de remessa expressa de documentos SEDEX, com aviso de recebimento, enviado para o endereo informado no Formulrio de Inscrio ou, posteriormente, atualizado e ter o prazo de 05 (cinco) dias teis, a contar da data de recebimento desse sedex, para se apresentar na Diretoria de Recursos Humanos da FUNDAO LIBERATO e oficializar seu interesse em relao contratao. Nesta convocao estar estabelecido o endereo, o prazo e horrios para comparecimento. 9.4. No impedimento de assumir a vaga quando da convocao, o candidato poder formalizar solicitao de remanejamento para o final da Lista de Classificao, a fim de ser convocado novamente mais uma nica vez, desde que o Concurso se encontre dentro do prazo de validade e todos os candidatos do respectivo Concurso tenham sido convocados em primeira chamada. 9.5. No caso de no comparecimento do candidato na data estabelecida na correspondncia de convocao ou de no ocorrncia da solicitao de remanejamento para o final da lista de classificao do respectivo concurso, ficar o candidato automaticamente excludo do Concurso. 9.6. O candidato ter, a partir da apresentao citada no item 9.3, o prazo de 15 (quinze) dias para apresentar a comprovao de estar apto respectiva contratao, sob pena de perder o direito vaga e de a FUNDAO LIBERATO convocar o prximo candidato classificado para o cargo. 9.7. O Concurso ter validade por 2 (dois) anos a partir da data de homologao do resultado final, prorrogvel por mais 2 (dois) anos, a critrio da Fundao Liberato. 9.8. Ficam advertidos os candidatos de que, no caso de admisso, a contratao no cargo s lhes ser deferida no caso de exibirem:

    a) documentao comprobatria das condies previstas no Captulo II - item 2.5, deste Edital acompanhada de fotocpia;

    b) atestado de boa sade fsica e mental a ser fornecido, por Mdico ou Junta Mdica da Fundao ou ainda, por esta designada, mediante exame mdico, que comprove aptido necessria para o exerccio do cargo, bem como a compatibilidade para os casos de deficincia fsica.

    9.9. A no apresentao dos documentos acima, por ocasio da contratao, implicar na impossibilidade de aproveitamento do candidato aprovado, anulando-se todos os atos e efeitos decorrentes da inscrio no Concurso. 9.10. Os candidatos com deficincia, se aprovados e classificados, sero submetidos a uma Junta Mdica Oficial para a verificao da deficincia, bem como da compatibilidade de sua deficincia com o exerccio das atribuies do cargo. 9.11 O candidato a cargo de PROFESSOR, no ato da contratao, assumir o compromisso de ministrar aulas na sua rea de aprovao no concurso e em outras na grande rea do conhecimento, dependendo da necessidade da Fundao Liberato, independente da especificidade da disciplina, obedecendo s necessidades e ao interesse desta instituio. 9.12 Outras exigncias estabelecidas em lei ou nas normas da Fundao Liberato podero ser solicitadas para o desempenho das atribuies do cargo.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 19 de 48

    CAPTULO X - DAS DISPOSIES FINAIS

    10.1. A inexatido das informaes, falta e/ou irregularidades de documentos, ainda que verificadas posteriormente, eliminaro o candidato do Concurso, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrio. 10.2. Os casos omissos sero resolvidos pela Fundao Liberato, em conjunto com a OBJETIVA Concursos Ltda, empresa responsvel pela realizao do Concurso Pblico. 10.3. Faz parte do presente Edital: Anexo I - Descritivo das Atribuies dos Cargos; Anexo II - Contedos Programticos; Anexo III - Modelo de Formulrio de Recurso; Anexo IV - Modelo de Relao de Ttulos; Anexo V - Modelo de Requerimento Pessoas com Deficincia; Anexo VI - Modelo de Procurao; Anexo VII - Ficha de Solicitao de Iseno, para Pessoas com Deficincia, do Pagamento da Taxa de Inscrio.

    Novo Hamburgo, 04 de junho de 2010.

    MARIA INS UTZIG ZULKE Diretora Executiva da FUNDAO LIBERATO

    Registre-se e publique-se.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 20 de 48

    ANEXO I

    DESCRITIVO DAS ATRIBUIES DOS CARGOS PROFESSORES: (todos) Descrio sinttica: Desenvolver atividades docentes de natureza terica, terico-prtica e prtica. Descrio analtica: Ministrar aulas tericas e prticas das disciplinas que constituem o currculo do ensino, de acordo

    com a orientao tcnico-pedaggica emanada da legislao especfica em vigor; planejar aulas, conduzir a sua execuo e avali-las; manter-se atualizado no conhecimento da legislao do ensino e nos assuntos pertinentes a sua rea de atuao; acatar as orientaes e os procedimentos pedaggicos previstos no Projeto Pedaggico da escola; tratar de problemas disciplinares relativos ao processo ensino-aprendizagem; usar material didtico adequado ao ensino ministrado; efetuar os registros pertinentes e deles prestar contas quando necessrio ou solicitado; participar da elaborao/atualizao do projeto pedaggico da escola e do curso; atuar em reunies administrativas e pedaggicas; participar de reunies de conselho de classe e outras convocadas pela Direo; sugerir medidas que visem melhoria e ao aperfeioamento do ensino-aprendizagem; comparecer s comemoraes previstas em Calendrio Escolar; executar atividades extra-classe de complementao curricular; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. AUXILIARES DE ENSINO: (todos) Descrio sinttica: Auxiliar professores e especialistas nas atividades docentes. Descrio analtica: Auxiliar o professor, realizando trabalhos prticos segundo sua orientao; desempenhar funes

    de auxiliar de pesquisa; preparar materiais para exames e ensaios de laboratrio, fazer anlises rotineiras de produtos e executar trabalhos de aplicao da disciplina; executar a limpeza e a manuteno de instrumentos, mquinas, equipamentos e utenslios de laboratrios e oficinas; zelar pela conservao e guarda de todo o material didtico, de laboratrio e de oficinas; manter-se atualizado no conhecimento tcnico das disciplinas relacionadas s atividades que executa; usar material didtico adequado s atividades executadas; efetuar os registros pertinentes e deles prestar contas quando necessrio ou solicitado; participar de reunies administrativas e outras; sugerir medidas que visem melhoria e ao aperfeioamento dos sistemas de ensino; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. CARGOS ADMINISTRATIVOS: NVEL SUPERIOR: ADVOGADO Descrio sinttica: Atuar nos mbitos da advocacia preventiva e contenciosa; propor e acompanhar aes judiciais;

    prestar consultoria s Diretorias e aos Conselhos da Fundao por meio de pareceres e pesquisas. Descrio analtica: Representar a Fundao em juzo e acompanhar o andamento de processos judiciais (cveis,

    penais, trabalhistas e tributrios) e administrativos; comparecer a audincias; analisar documentos e despachos; redigir peties; elaborar recursos; cumprir determinaes legais, judiciais e administrativas; acompanhar expedientes de aquisio de bens e servios; auxiliar na redao de contratos, convnios, aditivos, ofcios, ordens de servio, resolues e orientaes; acompanhar processos junto ao Tribunal de Contas do Estado, auxiliando na prestao de informaes e na resposta a questionamentos; realizar pareceres e pesquisas; participar de comisses de sindicncia, comisses permanentes e comisses eventuais da Fundao; executar tarefas afins. ANALISTA DE SISTEMAS Descrio sinttica: Atuar em atividades de planejamento, elaborao, coordenao, acompanhamento,

    assessoramento, pesquisa e execuo de programas relativas rea de anlise de informtica. Descrio analtica: Fazer levantamento de dados junto ao usurio, identificando suas necessidades de sistemas,

    visando a dimensionar e definir caractersticas, anlise de viabilidade tcnica e custo/benefcio; elaborar anteprojeto de sistemas, definindo sua abrangncia, recursos necessrios e alternativas tcnicas de funcionamento e operao, visando a verificar a viabilidade de sua implantao e submet-lo aprovao do usurio; elaborar o projeto dos sistemas, definindo os arquivos de entrada e sada, programas e demais caractersticas; acompanhar a implantao dos sistemas, executando testes simulados at que estejam confiveis; prestar todas as informaes necessrias elaborao ou atualizao da documentao dos sistemas sob sua responsabilidade, zelando pela sua exatido; atualizar, desenvolver e prestar servios de manuteno nos sistemas j implantados, identificando falhas e problemas ocorridos, definindo e propondo alternativas tcnicas de funcionamento, visando a otimizar o processamento de dados; analisar a qualidade e a convenincia da aquisio de novos equipamentos, programas ou trocas de verses, mediante parecer tcnico; configurar e manter a rede de teleprocessamento da instalao; orientar programadores e operadores no sentido de otimizar os recursos de hardware e software; administrar bancos de dados; realizar treinamento na rea de

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 21 de 48

    atuao, quando solicitado; prestar suporte tcnico voltado manuteno de software bsico e segurana fsica e lgica de dados; desenvolver e implantar mtodos e fluxos de trabalho voltados otimizao das atividades operacionais; manter organizados, limpos e conservados os materiais, mquinas, equipamentos e local de trabalho que estiverem sob sua responsabilidade; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. ASSESSOR DE COMUNICAO SOCIAL Descrio sinttica: Assessorar a Diretoria Executiva nas atividades relativas a Comunicao Social da Fundao. Descrio analtica: Atribuies: Acompanhar, participar e executar o planejamento e a execuo de campanhas, de

    programas, de projetos e de atividades de comunicao institucional e mercadolgica voltados construo e ao fortalecimento da marca e da imagem da FETLSVC, de seus servios, bem como do relacionamento com seus pblicos de interesse. : Levantamento de dados, mapas, grficos, indicativos numricos, pesquisa complementar (livros, textos); Veculos de comunicao internos e externos (house organ, revista, newsletter), Clipping, clipping eletrnico; Produo de releases, comunicados e notas oficiais. ASSISTENTE SOCIAL Descrio sinttica: Prestar servios sociais, orientando alunos, famlias e comunidade sobre direitos e deveres

    (normas, cdigos e legislao), recursos sociais e programas de educao. Descrio analtica: Planejar, coordenar e avaliar planos, programas e projetos sociais em diferentes reas de atuao

    profissional (seguridade, educao, trabalho, jurdica, habitao e outras); assessorar as atividades de ensino, pesquisa e extenso; encaminhar providncias e prestar orientao social comunidade escolar em geral; informar comunidade sobre os programas sociais disponveis, orientando o acesso a esses programas; planejar a execuo e a avaliao de pesquisas scio-econmicas, de vistorias, percias tcnicas, laudos periciais, informaes e pareceres sobre matria da rea; prestar assessoria e consultoria Direo e aos especialistas da educao; elaborar, coordenar, executar e avaliar programas e projetos na rea da assistncia social; realizar visitas domiciliares, sempre que necessrio, de modo a constituir um canal aberto entre os familiares e a instituio, acolhendo e discutindo as dificuldades e facilitando a reflexo sobre as situaes apresentadas; investigar a situao cultural, ambiental, social, pessoal e econmica dos familiares, a fim de identificar problemas que possam interferir no trabalho ou na aprendizagem dos alunos; coordenar seminrios, encontros, congressos e eventos assemelhados sobre assuntos de assistncia social; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. BIBLIOTECRIO Descrio sinttica: Organizar e administrar a Biblioteca da Fundao. Descrio analtica: Indicar e selecionar o material bibliogrfico a ser adquirido; registrar, catalogar e classificar os

    livros; utilizar os recursos de processamento de dados nos sistemas de biblioteca, centros de documentao e servios de informaes; realizar estudos, pesquisas, relatrios, pareceres, resumos, ndices e bibliografias sobre assuntos compreendidos no seu campo profissional; selecionar o material destinado encadernao e reparao de danos; encaminhar a baixa do material desativado ou avariado; orientar os usurios na escolha de livros, peridicos e demais documentos; considerar sugestes dos usurios e recomendar a aquisio de livros e peridicos; registrar e apresentar dados estatsticos relativos movimentao em geral; orientar o servio de limpeza e conservao dos livros; estabelecer servios de intercmbio para atualizao do acervo bibliogrfico; acompanhar a legislao pertinente; manter intercmbio de informaes com outras bibliotecas e instituies; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. CONTADOR Descrio sinttica: Planejar, supervisionar, orientar, executar e organizar trabalhos inerentes contabilidade da

    Fundao, de acordo com a legislao vigente. Descrio analtica: Elaborar e coordenar normas relativas aos trabalhos de contabilidade; executar ou orientar a

    escriturao contbil sistemtica atravs dos lanamentos dos atos e fatos contbeis; elaborar e manter atualizados relatrios contbeis; promover a prestao, acertos e conciliao de contas; participar da implantao e execuo das normas e rotinas de controle interno; elaborar e acompanhar a execuo do oramento; elaborar demonstraes contbeis exigidas por lei e demais normas legais e a prestao de contas anual do rgo; prestar assessoria e preparar informaes econmico-financeiras para a Direo da Fundao; atender s demandas dos rgos fiscalizadores e realizar percia; assessorar nas atividades de ensino, pesquisa e extenso naquilo que for de sua competncia; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. ORIENTADOR EDUCACIONAL Descrio sinttica: Proceder ao desenvolvimento e ajustamento das relaes aluno-escola-famlia-comunidade. Descrio analtica: Coletar dados sobre o aluno, em geral; estudar, atender e acompanhar casos; realizar entrevistas

    individuais e reunies com alunos, professores, pais e demais pessoas envolvidas com a escola; articular-se com

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 22 de 48

    mdicos, psiclogos, clnicas e servios; estudar e encaminhar os casos que extrapolam a esfera escolar; assistir s turmas de alunos das ltimas sries, no sentido de auxili-las no prosseguimento do seu aperfeioamento, colocao profissional e em problemas que envolvam escolhas ou decises; programar e desenvolver sesses coletivas e palestras para os alunos dos cursos; sugerir medidas que visem melhoria e ao aperfeioamento dos sistemas de ensino; colaborar na prestao de servios e setores da Fundao que envolvam diretamente o aluno; auxiliar a Diretoria na soluo de problemas de relaes humanas; auxiliar na integrao da Fundao comunidade da qual faz parte; estimular os professores a avaliarem seu desempenho; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. PSICLOGO Descrio sinttica: Proceder ao estudo e avaliao dos mecanismos de comportamento humano, elaborando e

    aplicando tcnicas psicolgicas, como testes para a determinao de caractersticas afetivas, intelectuais, sensoriais ou motoras, e outros mtodos de verificao para possibilitar a orientao, seleo e treinamento no campo profissional, inclusive o diagnstico e encaminhamento para terapias clnicas. Descrio analtica: Entrevistar o aluno para analisar os fatos que atuam sobre ele, consultando sua ficha de

    atendimento, aplicando testes e elaborando psicodiagnsticos; atuar no mbito da Psicologia nos programas, projetos e servios scio-assistenciais e educacionais, procedendo a estudos, elaborando e aplicando tcnicas e mtodos de verificao, possibilitando orientaes aos alunos e a suas famlias; reunir informaes para fornecer subsdios indispensveis ao diagnstico e tratamento das respectivas enfermidades que levem promoo do ajustamento do aluno e correo dos distrbios psquicos e ao restabelecimento dos padres normais de comportamento e relacionamento humano; desenvolver espao de debate e interlocuo, visando interao de conhecimentos e prticas, na perspectiva da interdisciplinaridade; atuar no campo educacional, estudando a importncia da motivao no ensino, novos mtodos de ensino e treinamento, a fim de contribuir para o estabelecimento de currculos escolares e tcnicas de ensino adequadas; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. SUPERVISOR ESCOLAR Descrio sinttica: Executar ou orientar trabalhos, estudos e pesquisas sobre tcnicas educacionais, instrumentos e

    processos de aprendizagem e elaborar e aplicar instrumentos de medida de natureza tcnica sobre problemas educacionais. Descrio analtica: Realizar investigaes e estudos pedaggicos e sociais, com a finalidade de manter o ensino em

    bases cientficas; efetuar estudos sobre tcnicas educacionais, instrumentos e processos de aprendizagem; elaborar, acompanhar e reestruturar a aplicao de instrumentos de medida e aferio de rendimento escolar e orientar sua aplicao; realizar estudos com vistas ao controle do rendimento do ensino e determinao das causas de reprovaes, emitir parecer sobre o professorado, sua formao, distribuio e atuao; analisar planos e projetos de ensino, para determinar sua validade e adequao; elaborar programas para orientao de professores; manter-se atualizado no conhecimento dos problemas fundamentais da administrao dos servios de educao, visando a racionaliz-los e torn-los adequados aos fins da educao; sugerir medidas que visem a solucionar os problemas da organizao escolar, material didtico, horrios, instituies complementares e outros; emitir parecer sobre obras didticas e de literatura; elaborar ou preparar para publicao boletins sobre assuntos da atualidade pedaggica e outras de interesse para o ensino; organizar e coordenar seminrios e outras atividades semelhantes e delas participar quando necessrio ou solicitado; orientar e coordenar o trabalho de equipes de auxiliares empenhados na realizao de pesquisas e orientao educacional; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. TCNICO EM EDUCAO Descrio sinttica: Assessorar e assistir tcnica, administrativa e pedagogicamente as diferentes Diretorias da

    Fundao. Descrio analtica: Coordenar a elaborao do Plano e das Avaliaes gerais da Instituio; coordenar em nvel da

    instituio, a elaborao do Plano de Governo do Estado, acompanhando sua execuo, elaborando relatrios e conhecendo a legislao vigente; assessorar e assistir s diferentes Diretorias na implementao do Plano Estratgico da Instituio, bem como na elaborao, acompanhamento e avaliao de seus Planos de Trabalho especficos; assessorar em projetos e atividades tcnico-administrativas de ensino, pesquisa e extenso; assessorar o Diretor Executivo na execuo de atividades especficas, sempre que solicitado; manter-se informado da execuo de projetos e aes institucionais priorizadas pela administrao, acompanhando seu desenvolvimento; acrescentar/atualizar dispositivos omissos/superados em documentos normativos legais da Fundao, aps aprovao superior; executar outras tarefas de mesma natureza e nvel de complexidade associadas ao ambiente organizacional.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 23 de 48

    NVEL TCNICO: SECRETRIO DE ESCOLA Descrio sinttica: Organizar, coordenar e supervisionar os servios da Secretaria, assegurando e agilizando o fluxo

    da documentao dos alunos. Descrio analtica: Superintender os servios da Secretaria da escola de acordo com a orientao para o setor;

    manter atualizados os registros referentes ao corpo docente e discente; manter em dia a escriturao escolar; manter-se atualizado com a legislao do ensino; extrair certides, atestados, fichas, histricos escolares, boletins e demais documentos que se refiram vida escolar dos alunos; transcrever as avaliaes dos alunos, efetuando a apurao dos resultados finais; preencher boletins estatsticos; preparar ou revisar listas de chamadas, atas e relatrios; lavrar termos de abertura e encerramento dos livros de escriturao escolar; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. TCNICO EM INFORMTICA Descrio sinttica: Analisar, detectar, diagnosticar e resolver problemas em geral referentes a servios de informtica. Descrio analtica: Participar de projeto, construo, implantao e documentao no que tange ao desenvolvimento

    de sistemas; manuteno e configurao de equipamentos de rede (intranet e Internet); estudar as especificaes de programas, visando a sua instalao; elaborar programas de computao; instalar, configurar e dar manuteno em sistemas operacionais, softwares aplicativos e sistemas gestores de bancos de dados; deve ter noes bsicas de eltrica e eletrnica; depurar novos produtos, bem como sua documentao; preparar, operar, manipular, acompanhar e verificar os resultados dos processamentos de rotinas ou de programas de aplicaes; manter e dar suporte em sistemas e treinamentos; prestar atendimento tcnico, bem como dar suporte ao usurio; zelar pela guarda, conservao, manuteno e limpeza dos equipamentos e materiais peculiares ao trabalho; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. NVEL MDIO: AGENTE ADMINISTRATIVO Descrio sinttica: Executar servios de apoio administrativo nos setores da Fundao. Descrio analtica: Interpretar normas administrativas e da legislao vigente; elaborar, digitar, receber, expedir,

    classificar, registrar e arquivar documentos e expedientes; atender ao pblico interno e externo; zelar pela guarda e conservao de materiais de consumo, mveis, mquinas e equipamentos do setor a que estiver vinculado; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins. MOTORISTA Descrio sinttica: Executar servios de direo, manuteno, limpeza e conservao de veculos automotores da

    Fundao. Descrio analtica: Dirigir, devidamente habilitado, automveis e caminhonetes utilizados no transporte de pessoas e

    materiais; recolher os veculos garagem quando concluir o servio do dia; zelar pela limpeza, manuteno e conservao dos veculos; controlar a documentao dos veculos para que esteja sempre em ordem; auxiliar no carregamento e descarregamento de materiais; buscar e entregar correspondncias e encomendas; respeitar as regras de trnsito e as ordens de servio recebidas; comunicar a seu superior imediato qualquer anomalia verificada; participar de comisses permanentes e eventuais da Fundao; executar tarefas afins.

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO

    FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

    Realizao Pgina 24 de 48

    ANEXO II

    CONTEDOS PROGRAMTICOS

    (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 Para os cargos da TABELA A PROFESSORES (Todos) e CARGOS ADMINISTRATIVOS NVEL SUPERIOR (Todos): LNGUA PORTUGUESA Comum a todos Contedo:

    Anlise de textos; relao lgica de idias; pontuao, acentuao; concordncia verbal e nominal; conjugao verbal; construo frasal; ortografia; regncia verbal e nominal; crase.

    CONHECIMENTOS GERAIS Comum a todos Contedo:

    Domnio de tpicos atuais e relevantes de diversas reas, tais como poltica, economia, sociedade (movimentos sociais, organizaes no governamentais), educao, tecnologia, energia, ecologia, relaes internacionais, desenvolvimento sustentvel e segurana pblica e suas inter-relaes.

    CONHECIMENTOS ESPECFICOS Somente para os cargos de PROFESSOR (Todos) PROFESSOR AUTOMOTIVO Contedo:

    Mecnica Automotiva I: Unidades de comprimento, massa, fora, potncia, acelerao, presso, etc; Motor a gasolina e lcool a 4 tempos, 2 tempos e Diesel; Bloco, cabeote, cilindro, cmaras de combusto, mbolo, vlvulas, bielas, rvore de manivelas, crter, mancais, etc.; Carburador e seus circuitos, injeo mecnica e eletrnica; Componentes do sistema eltrico (ignio) convencional e eletrnico; Sistema de lubrificao, sistema escapamento, trocadores de calor, tipos de troca de calor entre fluidos, sensores, circulao natural e forada, tipos de lubrificantes, catalizadores e resduos gasosos. Mecnica Automotiva II: Carroaria e aerodinmica; Direo e alinhamento de rodas; ngulos de alinhamento de rodas; Embreagem e caixa de cmbio; Servio da embreagem; Caixa de cmbio; Conversor de torque; Transmisso automtica e diferencial; Suspenso, amortecedores; Sistemas de suspenso traseira; Freios e Sistemas Antibloqueio; Rodas, pneumticos e trao total; Eletrnica Automotiva: Potencimetro; Sensores de Temperatura; Sensores de Presso; Sensores de Rotao; Sensores de Detonao; Sensores de Oxignio; Sensores de Vazo; Atuador Eletrovlvula; Atuador - Motores Eltricos; Atuador - Bobina de Ignio; Ignio Eletrnica; Acelerador Eletrnico; Combustvel Flexvel; Rede CAN; Imobilizadores; Combusto; Emisses Automotivas; Alimentao de Combustvel; Gerenciamento de Sistemas de Eletrnica Embarcada; Gerenciamento Eletrnico do Motor; Mtodos de Medio da Massa e Fluxo de Ar; Dosagem de Combustvel nos Sistemas de Injeo; Mtodos de Controle em Malha Fechada; Subsistema de Combustvel; Verificaes no Subsistema de Combustvel; Subsistema de Ar; Subsistema de Controle Eletrnico; Sistema de Ignio; Ignio Eletrnica; Ignio Esttica Detonao; Mdulo de Ignio.

    (#) Retificado conforme Edital de Retificao n 002/2010 PROFESSOR BIOLOGIA Contedo:

    ECOLOGIA: 1) Conceito, histrico. 2) Ecossistema, conceito. 3) Caractersticas do ambiente terrestre e aqutico. 4) Climticas e fisiogrficas. 5) Fluxo de energia - conceito. 6) Conceito de nveis trficos. 7) Pirmides trficas. 8) Cadeias e teias alimentares. 9) Eficincia ecolgica. 10) Produo primria - conceito. 11) Produo primria em ambientes terrestres. 12) Produo primria em ambientes aquticos. 13) Produo secundria - conceitos. 14) Decomposio - conceitos. 15) O uso de energia pelo homem. 16) Ciclos biogeoqumicos - conceitos. 17) Ciclos gasosos. 18) Ciclos sedimentares. 19) O uso de nutrientes pelo homem. 20) Fatores limitantes em diferentes ecossistemas. 21) Leis do mnimo e da tolerncia. 22) Luz, temperatura, gua, fatores qumicos. 23) Fatores mecnicos, fogo. 24) Populaes - conceitos: nicho, habitat, seleo e adaptao ao habitat. 2