ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE … · tutário - Lei nº 051/97 para...

of 29/29
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EDITAL DE CONCURSO Nº 001/2009 REALIZAÇÃO: OBJETIVA CONCURSOS LTDA. ROSANE GRABIA, Prefeita Municipal de Sete de Setembro, através da Secretaria de Admi- nistração e Planejamento, no uso de suas atribuições legais, nos termos do art. 37 da Constituição Federal e Lei Orgânica Municipal e Emenda, TORNA PÚBLICO que realizará CONCURSO PÚBLICO sob regime esta- tutário - Lei nº 051/97 para provimento de vagas do quadro geral dos servidores da Prefeitura Municipal, com a execução técnico-administrativa da empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, o qual reger-se-á pelas Ins- truções Especiais contidas neste Edital, pelo Decreto nº 704/09 - Regulamento de Concursos e pelas demais disposições legais vigentes. A divulgação oficial do inteiro teor deste Edital e os demais editais, relativos às etapas deste Concurso Público dar-se-á com a afixação no Painel de Publicação da Prefeitura Municipal e/ou seus extratos serão publicados no Jornal “Integração”, de Cerro Largo e/ou “Diário Oficial do Estado” e/ou na Rádio Guaramano. Também em caráter meramente informativo na internet, pelos sites www.objetivas.com.br e www.setedesetembro.rs.cnm.org.br . É obrigação do candidato acompanhar todos os editais referentes ao andamento do presente Concurso Público. CAPÍTULO I - DOS CARGOS E VAGAS 1.1. DAS VAGAS: 1.1.1. O concurso público destina-se ao provimento das vagas existentes, de acordo com a tabela de cargos abaixo e ainda das que vierem a existir no prazo de validade do Concurso. 1.1.2. A habilitação no Concurso Público não assegura ao candidato a contratação imediata, mas apenas a expectativa de ser admitido segundo as vagas existentes, de acordo com as necessidades da Administração Municipal, respeitada a ordem de classificação. 1.1.3 – Tabela de Cargos: Cargos Vagas legais Escolaridade e/ou outros requisitos exigidos para o cargo na posse Carga Horária semanal Vencimento novembro/09 R$ Valor de inscrição R$ Auxiliar Administrativo 01 Ensino Fundamental completo (1º grau). 40 horas 843,40 37,13 Auxiliar de Consultório Dentário 01 Ensino Médio com habilitação legal específica para o exercício da profissão de Auxiliar de Consultório Dentário e inscrição no CRO. 40 horas 607,24 55,68 Médico - 20 horas 01 Superior completo com habilitação legal para o exercício da profissão de Médico e registro no CRM. 20 horas 2.725,87 98,97 Médico - 40 horas 01 Superior completo com habilitação legal para o exercício da profissão de Médico e registro no CRM. 40 horas 5.451,74 (2) 98,97 Motorista 01 4ª série do Ensino Fundamental e CNH categoria “D” (1). 40 horas 843,40 37,13 Operador de Máquinas Rodoviárias 01 4ª série do Ensino Fundamental e CNH categoria “D” (1) . 40 horas 1.012,08 37,13 Operário 01 4ª série do Ensino Fundamental. 40 horas 506,04 37,13 Realização Página 1 de 29
  • date post

    09-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE … · tutário - Lei nº 051/97 para...

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOSEDITAL DE CONCURSO N 001/2009

    REALIZAO: OBJETIVA CONCURSOS LTDA.

    ROSANE GRABIA, Prefeita Municipal de Sete de Setembro, atravs da Secretaria de Admi-nistrao e Planejamento, no uso de suas atribuies legais, nos termos do art. 37 da Constituio Federal e Lei Orgnica Municipal e Emenda, TORNA PBLICO que realizar CONCURSO PBLICO sob regime esta-tutrio - Lei n 051/97 para provimento de vagas do quadro geral dos servidores da Prefeitura Municipal, com a execuo tcnico-administrativa da empresa OBJETIVA CONCURSOS LTDA, o qual reger-se- pelas Ins-trues Especiais contidas neste Edital, pelo Decreto n 704/09 - Regulamento de Concursos e pelas demais disposies legais vigentes.

    A divulgao oficial do inteiro teor deste Edital e os demais editais, relativos s etapas deste Concurso Pblico dar-se- com a afixao no Painel de Publicao da Prefeitura Municipal e/ou seus extratos sero publicados no Jornal Integrao, de Cerro Largo e/ou Dirio Oficial do Estado e/ou na Rdio Guaramano. Tambm em carter meramente informativo na internet, pelos sites www.objetivas.com.br e www.setedesetembro.rs.cnm.org.br.

    obrigao do candidato acompanhar todos os editais referentes ao andamento do presente Concurso Pblico.

    CAPTULO I - DOS CARGOS E VAGAS

    1.1. DAS VAGAS:

    1.1.1. O concurso pblico destina-se ao provimento das vagas existentes, de acordo com a tabela de cargos abaixo e ainda das que vierem a existir no prazo de validade do Concurso.

    1.1.2. A habilitao no Concurso Pblico no assegura ao candidato a contratao imediata, mas apenas a expectativa de ser admitido segundo as vagas existentes, de acordo com as necessidades da Administrao Municipal, respeitada a ordem de classificao.

    1.1.3 Tabela de Cargos:Cargos Vagas

    legaisEscolaridade e/ou outros

    requisitos exigidos para o cargo na posse

    Carga Horria semanal

    Vencimento novembro/09

    R$

    Valor de inscrio

    R$Auxiliar Administrativo 01 Ensino Fundamental completo

    (1 grau).40 horas 843,40 37,13

    Auxiliar de Consultrio Dentrio 01 Ensino Mdio com habilitao legal especfica para o exerccio da profisso de Auxiliar de Consultrio Dentrio e inscrio no CRO.

    40 horas 607,24 55,68

    Mdico - 20 horas 01 Superior completo com habilitao legal para o exerccio da profisso de Mdico e registro no CRM.

    20 horas 2.725,87 98,97

    Mdico - 40 horas 01 Superior completo com habilitao legal para o exerccio da profisso de Mdico e registro no CRM.

    40 horas 5.451,74(2) 98,97

    Motorista 01 4 srie do Ensino Fundamental e CNH categoria D (1).

    40 horas 843,40 37,13

    Operador de Mquinas Rodovirias

    01 4 srie do Ensino Fundamental e CNH categoria D (1).

    40 horas 1.012,08 37,13

    Operrio 01 4 srie do Ensino Fundamental. 40 horas 506,04 37,13

    Realizao Pgina 1 de 29

    http://www.setedesetembro.rs.cnm.org.br/http://www.objetivas.com.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    Professor Educao Infantil 01 Habilitao especfica em Curso Normal Superior de Licenciatura Plena ou Pedagogia com habilitao para Educao Infantil

    20 horas 964,85 98,97

    Professor do Ensino Fundamental Sries Iniciais

    Cadastro Reserva

    Habilitao especfica em Curso Normal Superior de Licenciatura Plena ou Pedagogia com habilitao para Sries Iniciais

    20 horas 964,85 98,97

    (1) Para os cargos de Motorista e Operador de Mquinas Rodovirias, obrigatria a apresentao da Carteira Nacional de Habilitao, conforme exigncia do cargo, por ocasio da posse. Na realizao da Prova Prtica o candidato dever apresentar habilitao CNH compatvel com o veculo ou equipamento a ser utilizado na realizao dos testes. (No sero aceitos protocolos ou encaminhamentos da mesma, nem Permisso para Dirigir). (2) Conforme a Lei Municipal n 656/09, o profissional mdico 40h/semanais, poder receber gratificao especial de R$ 3.373,60 (10PMS), se desempenhar atribuies relativas ao Programa Estratgia Sade da Famlia ESF.

    1.2. DAS ATRIBUIES DOS CARGOS:

    AUXILIAR ADMINISTRATIVODescrio Sinttica: Executar trabalhos administrativos e datilogrficos, aplicando a legislao pertinente aos servios municipais.Descrio Analtica: Redigir e datilografar expedientes administrativos tais como: memorandos, ofcios, informaes, relatrios e outros; secretariar reunies e lavrar atas; efetuar registros e clculos relativos s reas tributria, patrimonial, financeira, de pessoal e outras; elaborar e manter atualizados fichrios e arquivos manuais; consultar e atualizar arquivos magnticos de dados cadastrais atravs de terminais eletrnicos; operar com mquinas calculadoras, leitora de microfilmes, registradora e de contabilidade; auxiliar na escrituao de livros contbeis; elaborar documentos referentes assentamentos funcionais; proceder a classificao, separao e distribuio de expedientes; obter informaes e fornec-las aos interessados; auxiliar no trabalho de aperfeioamento e implantao de rotinas; proceder a conferncia dos servios executados na rea de sua competncia; executar tarefas afins.

    AUXILIAR DE CONSULTRIO DENTRIODescrio Sinttica: Auxiliar no servio odontolgico, sob a superviso do cirurgio dentista, durante os atendimentos dentrios realizados no municpio.Descrio Analtica: Sob a superviso do cirurgio dentista, participar do processo de planejamento, acompanhamento e avaliao das aes desenvolvidas no territrio de abrangncia das unidades bsicas de sade da famlia; proceder desinfeco e esterilizao de materiais e instrumentos utilizados, garantindo condies de biossegurana; realizar procedimentos educativo-preventivos como evidenciao da placa bacteriana, orientaes escovao com o uso de fio dental; preparar o instrumental e material para uso (sugador, espelho, sonda e demais materiais necessrios para o trabalho); instrumentar o cirurgio-dentista durante a realizao de procedimentos clnicos; cuidar da manuteno e conservao dos equipamentos odontolgicos; agendar e orientar o paciente quanto ao retorno para manuteno do tratamento; acompanhar e apoiar o desenvolvimento dos trabalhos da equipe de sade da famlia no tocante sade bucal; realizar procedimentos coletivos de escovao supervisionada, evidenciao de placa bacteriana e bochechos de flor nas escolas e espaos sociais identificados; registrar os procedimentos realizados dentro de sua rea de competncia em formulrio provisrio da PAISB/SES; executar tarefas afins.

    MDICO (todos)Descrio Sinttica: Prestar assistncia mdica, cirrgica e e preventiva em ambulatrios, escolas, hospitais ou rgos afins; fazer inspeo de sade em servidores municipais, bem como em candidatos ingresso no servio pblico municipal.Descrio Analtica: Efetuar exames mdicos, fazer diagnsticos, prescrever e ministrar tratamentos para diversas doenas, perturbaes e leses do organismo humano e aplicar mtodos de medicina preventiva; praticar intervenes cirrgicas; ministrar cursos e palestras sobre medicina preventiva nas entidades assistenciais e comunitrias; preencher e visar mapas de produo, ficha mdica com diagnstico e tratamento; atender os casos urgentes de internamento hospitalar; preencher relatrios comprobatrios de atendimento; atender consultas mdicas em ambulatrios, hospitais e outros estabelecimentos pblicos municipais; examinar funcionrios para fins de licena, readaptao, aposentadoria e reverso; examinar candidatos a auxlios; fazer inspeo mdica para fins de ingresso no servio pblico; emitir laudos; prescrever exames laboratoriais; supervisionar a vacinao e indicar medidas de higiene pessoal e coletiva; responsabilizar-se por equipes auxiliares necessrias a execuo das atividades prprias do cargo; executar tarefas afins, inclusive as editadas no respectivo regulamento da profisso.

    Realizao Pgina 2 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    MOTORISTADescrio Sinttica: Conduzir e zelar pela conservao de veculos automotores em geral.Descrio Analtica: Conduzir veculos automotores destinados ao transporte de passageiros e cargas, recolher veculo garagem ou local destinado quando concluda a jornada do dia, comunicando qualquer defeito porventura existente; manter os veculos em perfeitas condies de funcionamento; fazer reparos de emergncia, zelar pela conservao do veculo que lhe for entregue; encarregar-se do transporte e entrega de correspondncia ou de carga que lhe for confiada; promover o abastecimento de combustveis, gua e leo; verificar o funcionamento do sistema eltrico, lmpadas, faris, sinaleiras, buzinas e indicadores de direo; providenciar a lubrificao quando indicada; verificar o grau de densidade e nvel da gua da bateria, bem como a calibrao dos pneus; executar tarefas afins.

    OPERADOR DE MQUINAS RODOVIRIASDescrio Sinttica: Operar mquinas rodovirias, agrcolas, tratores e equipamentos mveis.Descrio Analtica: Operar veculos motorizados especiais, tais como: guinchos, guindastes, mquinas de limpeza de rede de esgoto, retroescavadeira, carro-plataforma, mquinas rodovirias, agrcolas, tratores e outros; abrir valetas e cortar taludes; proceder escavaes, transporte de terra, compactao, aterro e trabalhos semelhantes; auxiliar no conserto de mquinas; lavrar e discar terras, obedecendo as curvas de nveis; cuidar da limpeza e conservao das mquinas. Zelando pelo seu bom funcionamento; ajustar as correias transportadoras pilha-pulmo do conjunto de britagem; executar tarefas afins.

    OPERRIODescrio Sinttica: Realizar trabalhos braais em geral ou que exijam alguma especializao.Descrio Analtca: Carregar e descarregar veculos em geral, transportar, arrumar e elevar mercadorias, materiais de construo e outros; fazer mudanas, proceder a abertura de valas, efetuar servios de capina em geral, varrer, escovar, lavar e remover lixos e detritos de vias pblicas e prprios municipais; zelar pela conservao e limpeza dos sanitrios; auxiliar em tarefas de contruo, calamento e pavimentao em geral; auxiliar no recebimento, entrega, pesagem e contagem de materiais; auxiliar nos servios de abastecimento de veculos; cavar sepulturas e auxiliar nos sepultamentos; cuidar de currais, terrenos baldios e praas; alimentar animais sob superviso; proceder a lavagem de mquinas e veculos de qualquer natureza, bem como a limpeza de peas e oficinas; conduzir ao local de trabalho equipamentos tcnicos; executar tarefas auxiliares tais como: fabricao e colocao de cabos em ferramentas, montagem e desmontagem de motores, mquinas e caldeiras; confeco e conserto de capas e equipamentos; operar, entre outras, mquinas de pequeno porte, serras, cortador de grama, mquinas de fabricar telas de arame e similares; acender forjas; auxiliar servios de jardinagem; cuidar de rvores frutferas; lavar, lubrificar e abastecer veculos e motores; limpar esttuas e monumentos; vulcanizar e recauchutar pneus e cmaras; abastecer mquinas; auxiliar na preparao de asfalto; manejar instrumentos agrcolas; executar servios de lavoura (plantio, colheita, preparo de terreno, adubaes, pulverizaes, etc.); aplicar inseticidas e fungicidas; zelar pelo funcionamento e limpeza de equipamentos utilizados ou em uso; executar tarefas afins.

    PROFESSOR (todos)Descrio Sinttica: Participar do processo de planejamento e elaborao de proposta pedaggica da escola; orientar a aprendizagem dos alunos fornecendo-lhes meios para progredir em estudos posteriores; organizar as operaes inerentes ao processo ensino-aprendizagem; contribuir para o aprimoramento da qualidade do ensino, aperfeioar-se continuamente.Descrio Analtica: Elaborar e cumprir o plano de trabalho segundo a proposta pedaggica da escola; levantar e interpretar os dados relativos realidade da sua classe; zelar pela aprendizagem do aluno, associando teoria e prtica; estabelecer os mecanismos de avaliao; implementar estratgias de recuperao para os alunos de menor rendimento; organizar registros de observao dos alunos; participar de atividades extra-classe; realizar trabalho integrado com o apoio pedaggico; participar dos perodos dedicados ao planejamento, avaliao e ao desenvolvimento profissional; ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos; colaborar com as atividades e articulao da escola com as famlias e a comunidade; integrar rgos complementares da escola; executar tarefas afins com a educao.

    CAPTULO II - DAS INSCRIES

    2.1. A inscrio no Concurso Pblico implica, desde logo, o conhecimento e tcita aceitao pelo candidato, das condies estabelecidas neste Edital.

    2.2. Os candidatos devero inscrever-se somente em um cargo, tendo em vista a possibilidade de realizao das provas para todos os cargos na mesma data e horrio.

    2.3. As inscries sero somente Presenciais

    2.4. PERODO: 09/11/2009 a 09/12/2009

    Realizao Pgina 3 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    2.5. So requisitos para ingresso no servio pblico, a serem apresentados quando da posse:a) Estar devidamente aprovado no concurso pblico e classificado dentro das vagas estabelecidas

    neste Edital;b) Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, desde que o candidato esteja amparado pelo estatuto de

    igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento de gozo de direitos polticos, nos ter-mos do pargrafo 1, Art. 12, da Constituio Federal e do Decreto n 70.436/72;

    c) Ter no mnimo 18 (dezoito) anos completos na data de abertura das inscries;d) Estar quite com as obrigaes eleitorais e militares (esta ltima para candidatos do sexo masculino);e) Gozar de boa sade fsica e mental, comprovada na inspeo de sade, podendo, ainda, serem

    solicitados exames complementares, s expensas do candidato, a ser determinado pelo Servio Mdico do Municpio;

    f) Possuir habilitao para o cargo pretendido, conforme o disposto na tabela de cargos, na data da posse;

    g) Candidatos com deficincia verificar Captulo prprio, neste Edital.

    2.5.1. ATENO: O candidato, por ocasio da POSSE, dever comprovar todos os requisitos acima elencados. A no apresentao dos comprovantes exigidos, tornar sem efeito a aprovao obtida pelo candidato, anulando-se todos os atos ou efeitos decorrentes da inscrio no Concurso.

    2.6. DA INSCRIO PRESENCIAL:

    2.6.1. LOCAL e HORRIO: de segunda sexta-feira, em dias teis, das 08h s 12h e das 13h30min s 17h, na Prefeitura Municipal de Sete de Setembro, sito na Rua Edmundo Grassel, 1245 - Centro, Sete de Setembro-RS.

    2.6.2. Para inscrever-se, o candidato dever:

    a) Comparecer no local das inscries para preencher e entregar formulrio de Inscrio;b) Pagar o valor correspondente taxa de inscrio na Prefeitura Municipal, em moeda nacional

    corrente ou cheque do prprio candidato, a importncia referente taxa de inscrio estipulada neste Edital;

    c) Apresentar o comprovante do recolhimento do valor da inscrio, que ficar retido junto ao formulrio de inscrio;

    d) Apresentar cpia legvel (frente e verso), que ser retida, recente e em bom estado do documento de Identidade ou Carteira Profissional, bem como o original, para simples conferncia. No ser aceito protocolo deste documento ou ainda cpia autenticada em cartrio;

    e) Apresentar cpia legvel do CPF ou do Protocolo do mesmo, que ser retida (para o caso em que no conste o referido CPF no documento de identidade), bem como o original do documento apresentado, para simples conferncia ou ainda cpia autenticada em cartrio;

    f) Para os cargos de MOTORISTA e OPERADOR DE MQUINAS RODOVIRIAS, apresentar cpia legvel (frente e verso) em bom estado, da Carteira Nacional de Habilitao, conforme a exigncia do cargo, acompanhada do documento original, para simples conferncia. Caso o candidato no a possua na inscrio, ser obrigatria a apresentao quando da realizao da Prova Prtica;

    g) Candidatos com deficincia verificar Captulo prprio, neste Edital.

    2.6.3. Inscrio por procurao: Dever ser apresentado documento de Identidade do procurador e entregue o instrumento de mandato outorgado atravs de instrumento pblico ou particular, contendo poder especfico para a inscrio no concurso pblico, conforme Anexo V deste Edital. No h necessidade de

    Realizao Pgina 4 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    reconhecimento de firma em cartrio, pelo outorgante, com apresentao dos documentos indispensveis inscrio, orignal e cpia para autenticao no local, ou cpia autenticada em cartrio.

    obrigao do candidato ou seu procurador conferir as informaes contidas na Ficha de Inscrio, bem como tomar conhecimento do local, data e horrio de realizao de cada etapa do concurso pblico, ficando sob sua inteira responsabilidade as informaes prestadas, arcando com as consequncias de eventuais erros de preenchimento da ficha ou sua entrega.

    2.7. DAS DISPOSIES GERAIS SOBRE A INSCRIO NO CONCURSO PBLICO:

    2.7.1. Os candidatos devero inscrever-se somente em um cargo, tendo em vista a possibilidade de realizao das provas para todos os cargos na mesma data e horrio.

    2.7.2. No sero aceitas inscries: com falta de documentos; por via postal; por telex ou via fax; e-mail; extemporneas e/ou condicionais.

    2.7.3. Antes de efetuar o pagamento da inscrio, o candidato dever certificar-se de que possui todas as condies e pr-requisitos para inscrio. No haver devoluo do valor da inscrio, salvo se for cancelada a realizao do Concurso Pblico.

    2.7.4. So considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurana Pblicas, pelos Institutos de Identificao e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas pelos rgos fiscalizadores de exerccio profissional (Ordens, Conselhos, etc); passaporte brasileiro, certificado de reservista, carteiras funcionais do Ministrio Pblico; carteiras funcionais expedidas por rgo pblico que, por Lei Federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitao (somente o modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei n 9.503, de 23 de setembro de 1997).

    2.7.5. No sero aceitos como documentos de identidade: certides de nascimento, ttulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras funcionais, sem valor de identidade, nem documentos ilegveis, no-identificveis ou danificados.

    2.7.6. Para efetivar sua inscrio, imprescindvel que o candidato possua nmero de CPF Cadastro de Pessoa Fsica, regularizado.

    2.7.7. O candidato que no possuir CPF dever solicit-lo nos postos credenciados - Banco do Brasil, Caixa Econmica Federal, Correios ou Receita Federal, em tempo de conseguir o registro e o respectivo nmero antes do trmino do perodo de inscries.

    2.7.8. Ter sua inscrio cancelada e ser automaticamente eliminado do processo seletivo o candidato que utilizar o CPF de terceiro.

    2.7.9. Aps o encerramento do perodo de inscries, no sero aceitos pedidos de alteraes das opes de cargo.

    2.7.10. As informaes prestadas na ficha de inscrio, bem como o preenchimento dos requisitos exigidos sero de total responsabilidade do candidato ou seu procurador.

    2.8. DA HOMOLOGAO DAS INSCRIES:

    2.8.1. Em 25/12/2009 ser divulgado edital de homologao das inscries.

    Realizao Pgina 5 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    2.8.2. O candidato dever acompanhar esse edital, bem como a relao de candidatos homologados para confirmar sua inscrio, caso sua inscrio no tenha sido homologada ou processada, o mesmo no poder prestar provas, podendo impetrar pedido de recurso, conforme determinado neste Edital.

    2.8.3. Se mantida a no homologao ou o no processamento, o candidato ser eliminado do Concurso, no assistindo direito devoluo do valor da inscrio.

    2.8.4. O candidato ter acesso ao edital de homologao, com a respectiva relao de inscritos, diretamente pelo site www.objetivas.com.br ou ainda no Painel de Publicao da Prefeitura Municipal.

    CAPTULO III - DAS DISPOSIES PARA PESSOAS COM DEFICINCIA

    3.1. s pessoas com deficincia, assegurado o direito de inscrio no presente Concurso, para os cargos cujas atribuies sejam compatveis com a deficincia de que so portadores, num percentual de 20% (vinte por cento) das vagas para cada cargo, de acordo com o artigo 37, inciso VIII da Constituio Federal e art. 21 da Lei Orgnica do Municpio.

    3.2. O candidato ao inscrever-se nesta condio, dever escolher o cargo a que concorre e marcar a opo Pessoas com Deficincia, bem como dever entregar no ato da inscrio:

    a) laudo mdico (original ou cpia legvel autenticada) emitido h menos de um ano atestando a espcie e o grau de deficincia, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doena - CID, bem como da provvel causa da deficincia.

    b) requerimento, solicitando vaga especial, constando o tipo de deficincia e a necessidade de condio ou prova especial, se for o caso (conforme modelo Anexo IV deste Edital). O pedido de condio ou prova especial, formalizado por escrito empresa executora, ser examinado para verificao das possibilidades operacionais de atendimento, obedecendo a critrios de viabilidade e de razoabilidade.

    3.3. Caso o candidato no encaminhe o laudo mdico e o respectivo requerimento, at o prazo determinado, no ser considerado como pessoa com deficincia para concorrer s vagas reservadas, no tendo direito vaga especial, bem como prova especial, seja qual for o motivo alegado, mesmo que tenha assinalado tal opo na Ficha de Inscrio.

    3.4. No sero considerados como deficincia os distrbios de acuidade visual passveis de correo simples do tipo miopia, astigmatismo, estrabismo e congneres.

    3.5. Os candidatos inscritos nessa condio participaro do concurso pblico em igualdade de condies com os demais candidatos, no que se refere s provas aplicadas, ao contedo das mesmas, avaliao, aos critrios de aprovao, ao horrio e local de aplicao das provas e nota mnima exigida para todos os demais candidatos, resguardadas as condies especiais previstas na legislao prpria.

    3.6. Os candidatos aprovados no concurso pblico sero submetidos a exames mdicos e complementares, que iro avaliar a sua condio fsica e mental.

    3.7. Na falta de candidatos aprovados para as vagas reservadas, estas sero preenchidas pelos demais can-didatos com estrita observncia da ordem classificatria.

    Realizao Pgina 6 de 29

    http://www.objetivas.com.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    CAPTULO IV - DAS PROVAS

    4.1. Para todos os cargos, o Concurso constar de PROVA ESCRITA, de carter eliminatrio/classificatrio, em primeira etapa, com questes objetivas, de mltipla escolha, compatveis com o nvel de escolaridade, com a formao acadmica exigida e com as atribuies dos cargos.

    4.2. Sero considerados aprovados em PRIMEIRA ETAPA e/ou HABILITADOS etapa seguinte, os candidatos que obtiverem 50% (cinquenta por cento) ou mais na nota final da prova escrita.

    4.3. PROVA PRTICA: Ser realizada em segunda etapa, de carter eliminatrio/classificatrio para os car-gos de MOTORISTA, OPERADOR DE MQUINAS RODOVIRIAS e OPERRIO, conforme Captulo VI, do presente Edital.

    4.4. PROVA DE TTULOS: Para os candidatos ao cargo de PROFESSOR EDUCAO INFANTIL E PRO-FESSOR DO ENSINO FUNDAMENTAL SRIES INICIAIS, desde que habilitados na prova eliminatria, ha-ver PROVA DE TTULOS, conforme Captulo VII, do presente Edital, de carter classificatrio.

    4.5. CONTEDOS E PONTUAO:CARGO PROVA DISCIPLINA N

    QuestesValor por questo

    PESO TOTAL

    TABELA AMdico 20 horasMdico 40 horas

    Escrita PortugusLegislao e Conhecimentos Especficos

    1030

    1,752,75

    17,5082,50

    TABELA BProfessor Educao Infantil Professor do Ensino Fundamental Sries Iniciais

    Escrita

    Ttulos

    PortugusMatemticaLegislao, Estrutura e Func do EnsinoDidtica

    10101010

    2,251,051,453,25

    22,5010,5014,5032,50

    20,00TABELA C

    Auxiliar AdministrativoAuxiliar de Consultrio Dentrio

    Escrita PortugusMatemticaInformticaLegislao e Conhecimentos Especficos

    10100515

    2,351,851,253,45

    23,5018,5006,2551,75

    TABELA DMotoristaOperador de Mquinas Rodovirias

    Escrita

    Prtica

    PortugusMatemticaLegislao

    101010

    1,201,051,75

    12,0010,5017,50

    60,00TABELA E

    Operrio Escrita

    Prtica

    PortugusMatemtica

    Conhecimentos Especficos

    1010 10

    1,201,051,75

    12,0010,5017,50

    60,00

    4.6. Os pontos por disciplina correspondem ao nmero de acertos multiplicado pelo peso de cada questo da mesma. A NOTA DA PROVA ESCRITA ser o somatrio dos pontos obtidos em cada disciplina.

    4.7. A Prova Prtica, conforme aplicada ao cargo, ter sua nota somada nota obtida na Prova Escrita, para composio da NOTA FINAL.

    Realizao Pgina 7 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    4.8. No haver prova fora do local designado, nem em datas e/ou horrios diferentes. No ser admitido prova, o candidato que se apresentar aps o horrio estabelecido para o incio da mesma; em nenhuma hi-ptese haver segunda chamada, seja qual for o motivo alegado. 4.9. O ingresso na sala de provas s ser permitido ao candidato que apresentar o documento de identidade que originou a inscrio.4.10. Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia da realizao da prova, os documentos originais, por motivo de perda, furto ou roubo, dever apresentar documento que ateste o registro da ocorrn-cia em rgo policial, expedido h, no mximo 30 (trinta) dias, ocasio em que poder ser submetido iden-tificao especial, compreendendo coleta de assinaturas e de impresso digital em formulrio prprio.

    4.11. O candidato dever apresentar no dia da realizao da prova o documento de inscrio. A critrio da organizao do concurso este poder ser dispensado, desde que comprovada a efetiva homologao da inscrio do candidato.

    4.12. A identificao especial tambm poder ser exigida do candidato, cujo documento de identificao apresente dvidas relativas fisionomia ou assinatura do portador. 4.13. No recinto de provas no ser permitido ao candidato entrar ou permanecer com armas ou aparelhos eletrnicos (bip, telefone celular, relgio do tipo data bank, walkman, agenda eletrnica, notebook, palmtop, receptor, gravador, etc.). Caso o candidato leve arma ou qualquer aparelho eletrnico, dever deposit-lo na Coordenao, exceto no caso de telefone celular que dever ser desligado e poder ser depositado junto mesa de fiscalizao at o final das provas. O descumprimento desta determinao implicar na eliminao do candidato, caracterizando-se como tentativa de fraude. 4.14. A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realizao da prova dever levar acompa-nhante, que ficar em sala reservada para essa finalidade e que ser responsvel pela guarda da criana. A candidata que no levar acompanhante no realizar a prova. 4.15. Ser excludo do processo seletivo o candidato que:

    a) tornar-se culpado por incorreo ou descortesia para com qualquer dos fiscais, executores e seus auxiliares ou autoridades presentes;b) for surpreendido, durante a realizao da prova, em comunicao com outro candidato ou terceiros, bem como utilizando-se de livros, notas, impressos ou equipamentos no permitidos;c) afastar-se do recinto da prova sem o acompanhamento do fiscal;d) recusar-se a entregar o material das provas ao trmino do tempo destinado a sua realizao.

    4.16. Candidatos com deficincia ver Captulo prprio sobre solicitao de condio ou prova especial (caso necessrio). 4.17. As solicitaes de condies especiais, bem como de recursos especiais, sero atendidas obedecendo a critrios de viabilidade e de razoabilidade. 4.18. A identificao correta do dia, local e horrio da realizao das provas, bem como seu comparecimen-to, de responsabilidade exclusiva do candidato. 4.19. O candidato que deixar de comparecer a qualquer uma das provas determinadas, ser considerado re-provado.

    Realizao Pgina 8 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    4.20. Os casos de alteraes psicolgicas ou fisiolgicas (perodos menstruais, gravidez, contuses, luxa-es, etc.) que impossibilitem o candidato de submeter-se aos testes, ou de neles prosseguir ou que lhe di-minuam a capacidade fsico-orgnica, no sero considerados para fins de tratamento diferenciado ou nova prova.

    CAPTULO V - DA PROVA ESCRITA

    5.1. A Prova Escrita, para todos os cargos ser aplicada em 16/01/2010, em local e horrio a serem divulgados quando da homologao das inscries em 25/12/2009.

    5.2. O Municpio, reserva-se o direito de indicar nova data para a realizao da Prova Escrita, em caso de necessidade de alterao desta j publicada, mediante publicao em jornal de circulao local, com antecedncia mnima de 8 (oito) dias da realizao das mesmas.

    5.3. Os programas e/ou referncias bibliogrficas da prova escrita de cada cargo, so os constantes no ANEXO I do presente Edital.

    5.4. O tempo de durao da prova escrita ser de at 3 horas.

    5.5. Desde j, ficam os candidatos convocados a comparecerem com antecedncia de 1 (uma) hora ao local das provas, munidos de caneta esferogrfica azul ou preta ponta grossa.

    5.6. Durante as provas, no ser permitida comunicao entre candidatos, nem a utilizao de mquina calculadora e/ou similares, livros, anotaes, rguas de clculo, impressos ou qualquer outro material de consulta.

    5.7. Para a segurana dos candidatos e a garantia da lisura dos Concursos Pblicos, a OBJETIVA CON-CURSOS poder proceder, como forma de identificao, coleta da impresso digital de todos os candida-tos no dia de realizao das provas, bem como usar detector de metais.

    5.8. O caderno de questes o espao no qual o candidato poder desenvolver todas as tcnicas para chegar resposta adequada, permitindo-se o rabisco e a rasura em qualquer folha, EXCETO no CARTO DE RESPOSTAS.

    5.9. A correo das provas ser feita por meio eletrnico - leitura tica, sendo o CARTO DE RESPOSTAS o nico documento vlido e utilizado para esta correo. Este deve ser preenchido com bastante ateno. Ele no poder ser substitudo, tendo em vista sua codificao, sendo o candidato o nico responsvel pela en-trega do mesmo devidamente preenchido e assinado. A no entrega do carto de respostas ou a falta de as-sinatura do mesmo, implicar na automtica eliminao do candidato do certame.

    5.9.1. Tendo em vista as disposies do Decreto Municipal n 704/2009 - Art. 33 e ainda de ser o processo de correo de provas por meio eletrnico - leitura tica, no haver desidentificao de provas.

    5.10. Ser atribuda nota 0 (zero) resposta que, no carto de respostas estiver em desconformidade com as instrues, no estiver assinalada ou que contiver mais de uma alternativa assinalada, emenda, rasura ou alternativa marcada a lpis, ainda que legvel.

    5.11. Em nenhuma hiptese, ser considerado para correo e respectiva pontuao o caderno de questes.

    5.12. O candidato, ao terminar a prova escrita, devolver ao fiscal da sala, juntamente com o carto de respostas, o caderno de questes, tendo em vista a obrigatoriedade de arquivo no Municpio.

    Realizao Pgina 9 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    5.13. Ser permitido aos candidatos copiar seu carto de respostas, para conferncia com o gabarito oficial.

    5.14. Por razes de ordem tcnica, de segurana e de direitos autorais no sero fornecidas cpias das provas a candidatos ou instituies de direito pblico ou privado, mesmo aps o encerramento do Processo.

    5.15. Na mesma data da prova escrita ou em data a ser informada quando da prova escrita, os candidatos interessados podero ter vista da prova padro, sob fiscalizao.

    5.16. Ao final da prova escrita, os trs ltimos candidatos devero permanecer no recinto, a fim de acompanhar os fiscais at a coordenao para o lacre dos envelopes, sendo liberados quando concludo.

    CAPTULO VI - DA PROVA PRTICA Somente para os cargos de MOTORISTA, OPERADOR DE MQUINAS RODOVIRIAS E OPERRIO

    6.1. A Prova Prtica destina-se a avaliar os conhecimentos prticos que os candidatos possuem no desem-penho de atividades que so inerentes ao cargo pleiteado, constando de demonstrao prtica de sua habili-tao na execuo das atribuies do cargo.

    6.2. A Prova Prtica poder ser aplicada na mesma data da Prova Escrita ou em data a ser informada por edital.

    6.3. De acordo com o nmero de candidatos inscritos e das condies de realizao da mesma, podero ser chamados a prestar a Prova Prtica todos os candidatos que prestaram a prova escrita ou somente os candi-datos aprovados na primeira etapa do concurso e ainda apenas os que tenham sido classificados, por cargo, at os limites a seguir descritos:

    a) Motorista: 15 primeiros classificadosb) Operador de Mquinas Rodovirias: 15 primeiros classificadosc) Operrio: 15 primeiros classificados

    6.3.1. Os candidatos que no atingirem esta classificao tambm sero considerados reprovados no con-curso, no prestando esta prova.

    6.3.2. Em caso de empate na ltima nota classificada, sero chamados todos os casos de empate com a mesma. 6.4. Se aplicada a todos os candidatos que prestaram a Prova Escrita a mesma ser avaliada apenas aos candidatos aprovados na primeira etapa e ainda aos classificados, conforme acima descrito. 6.5. Realizada a Prova Prtica, ser considerado aprovado o candidato que obtiver nota igual ou superior a 70,00% (setenta por cento) na soma de notas da Prova Escrita e Prtica.

    6.6. A prova ser aplicada nos equipamentos e nas especificaes que seguem, podendo haver alterao de equipamento, em caso de comprovada necessidade:

    6.6.1. Para o cargo de MOTORISTA: Caminho e/ou Micro-nibus. A prova prtica de direo veicular con-sistir na conduo de um ou dos veculos motorizados acima elencados e ser composta de duas partes, quais sejam: manobras em local determinado e direo de veculo em percurso na via pblica.

    6.6.2. Para o cargo de OPERADOR DE MQUINAS RODOVIRIAS: Trator de Esteira e/ou Motoniveladora e/ou Retroescavadeira.

    Realizao Pgina 10 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    6.6.3 Para o cargo de OPERRIO, a prova consistir na realizao de atividades, de acordo com as atribui-es do cargo.

    6.7. Na aplicao da prova, com utilizao de equipamentos de elevado valor, pertencentes ou sob a responsabilidade do Municpio ou da entidade que realiza o certame, poder ser procedida, a critrio da Banca de aplicao, a imediata excluso do candidato que demonstre no possuir a necessria capacidade no seu manejo, sem risco de danific-los.

    6.8. Haver um tempo mximo para a realizao de cada item/quesito da prova, que ser fixado pela comisso de provas, considerando a dificuldade e demais aspectos necessrios para o desempenho satisfatrio dos testes, por parte dos candidatos.

    6.9. O candidato, ao terminar a prova prtica, dever se retirar do local de aplicao da prova a fim de no prejudicar o andamento do processo avaliatrio bem como no intervir psicologicamente na avaliao do prximo candidato.

    6.10. Todos os candidatos devero apresentar-se com trinta minutos de antecedncia, em trajes apropriados para o teste, portando cdula de identidade, documento de inscrio e Carteira Nacional de Habilitao - CNH compatvel com o veculo ou equipamento a ser utilizado na realizao dos testes (No sero aceitos protocolos ou encaminhamentos da mesma, nem Permisso para Dirigir).

    CAPTULO VII DA PROVA DE TTULOSSomente para os cargos de PROFESSOR EDUCAO INFANTIL E PROFESSOR DO ENSINO

    FUNDAMENTAL SERIES INICIAIS

    7.1. Aps a divulgao de notas da prova escrita, no prazo estipulado por Edital, os candidatos que lograram aprovao, devero apresentar os ttulos para concorrer a esta etapa.

    7.2. Essa Prova ser somente classificatria, sendo que o candidato aprovado/habilitado que deixar de entregar seus ttulos no ter somados os pontos correspondentes a essa etapa, mas no ficar eliminado do concurso, pela no entrega.

    Realizao Pgina 11 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    7.3. GRADE DE PONTUAO DOS TTULOS:Itens Pontuao

    1. Ps graduao Especializao (todos concludos) Mestrado Doutorado

    4,06,08,0

    2. Graduao Curso superior e/ou Licenciatura Plena (concludo) Exceto o curso de exigncia do cargo

    2,0

    3. Cursos, Seminrios, Jornadas, Treinamentos, Oficinas, Worshops, Simpsios, Congressos, etc. desde que relacionados com o cargo de inscrio (participante ou palestrante, painelista ou organizador) com data de emisso do comprovante dentro dos ltimos cinco anos, contados da data de abertura das inscries, de acordo com o descrito abaixo I. At 20 horas............................................II. De 21 a 40 horas....................................III. De 41 a 60 horas...................................IV. De 61 a 100 horas.................................V. De 101 a 300 horas................................VI. Acima de 301 horas..............................

    0,30,40,50,60,81,0

    4. Publicao impressa. 0,15. Mximo de 20 (vinte) pontos nesta prova e mximo de 10 (dez) ttulos por candidato. 6. O curso de exigncia do cargo no ser utilizado para pontuao. Ttulos de formao de nvel mdio no sero pontuados. Ttulos de graduao ou ps-graduao, alm do de exigncia tero pontuao conforme item 1 e 2. 7. Ttulos sem contedo especificado no sero pontuados, caso no se possa aferir a relao com o cargo.8. Para comprovao do item 3 desta Grade, o comprovante dever ser diploma, certificado de concluso do curso, declarao ou atestado, em papel com timbre da entidade promotora, devendo ser expedido pela mesma. No sero pontuados boletim de matrcula, histrico escolar ou outra forma que no a determinada acima, no devendo o candidato entregar documentos que no estejam na forma exigida. 9. Os diplomas de Graduao curso superior ou licenciatura plena e os de ps-graduao em nvel de especializao, mestrado ou doutorado devem estar devidamente registrados e para estes no sero aceitos histricos escolares, declaraes ou atestados de concluso do curso ou das respectivas disciplinas.10. Cursos com carga horria definida em dias ou meses sero considerados na seguinte proporo: 01 dia: 08 horas - 01 ms: 80 horas.11. Cursos sem carga horria definida no recebero pontuao.12. Cursos de lngua estrangeira, relaes humanas e informtica sero pontuados para todos, quando apresentados, dentro do disposto no item 3, onde ser inserido. 13. Os documentos, em lngua estrangeira, de cursos realizados, somente sero considerados quando traduzidos para a Lngua Portuguesa, por tradutor juramentado e revalidados por instituio brasileira. 14. No sero pontuados ttulos relativos a quaisquer servios prestados, remunerados ou no, inclusive tempo de servio pblico ou privado, estgios ou monitorias.

    7.4. APRESENTAO DOS TTULOS:

    7.4.1. Os ttulos sero entregues pelo prprio candidato, que dever apresentar seu documento de identidade original.

    7.4.1.1 Os ttulos ainda podero ser entregues por procurao, devendo ser apresentado documento de Identidade do procurador e entregue o instrumento de mandato outorgado atravs de instrumento pblico ou particular, contendo poder especfico para a entrega dos ttulos, conforme Anexo V deste edital. No h necessidade de reconhecimento de firma em cartrio, pelo outorgante, com apresentao dos documentos indispensveis prova de ttulos.

    7.4.2. O candidato dever apresentar uma fotocpia de cada ttulo, bem como o ttulo original, sendo que o funcionrio encarregado do recebimento dos mesmos dever conferir cada cpia apresentada com o ttulo original para autenticao ou poder ser apresentado atravs de cpia autenticada em cartrio, dispensando-se a apresentao do ttulo original.

    Realizao Pgina 12 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    7.4.3. Juntamente com os ttulos, dever ser apresentada relao dos mesmos, em formulrio prprio, conforme modelo no Anexo III deste edital. Esta relao ser preenchida em duas vias; destas, uma ser devolvida ao candidato devidamente rubricada pelo funcionrio encarregado pelo recebimento e a outra ser encaminhada Banca Avaliadora da OBJETIVA CONCURSOS LTDA. Nesta relao devero ser encaminhados apenas os 10 (dez) ttulos listados para entrega. Caso o candidato entregar nmero de ttulos superior, sero desconsiderados a partir do dcimo primeiro.

    7.4.4. Na relao dos ttulos, o candidato declarar expressamente o curso que possui ou que esteja em andamento, como requisito de habilitao para o cargo, devendo anexar seu comprovante junto aos demais ttulos. Caso o curso de habilitao esteja em andamento, poder ser apresentado atestado da Instituio responsvel pela formao.

    7.4.5. Os ttulos e respectiva relao sero entregues em envelope, devidamente identificado com seu nome, nmero de inscrio e cargo.

    7.4.6. Os documentos comprobatrios de ttulos no podem apresentar rasuras, emendas ou entrelinhas, sob pena de no serem pontuados.

    7.4.7. O candidato que possuir alterao de nome (casamento, separao, etc...) dever anexar cpia do documento comprobatrio da alterao sob pena de no ter pontuados ttulos com nome diferente da inscrio e/ou identidade.

    7.4.8. Comprovada em qualquer tempo, irregularidade ou ilegalidade na obteno dos ttulos do candidato, bem como encaminhamento de um mesmo ttulo em duplicidade, com o fim de obter dupla pontuao, o candidato ter anulada a totalidade de pontos desta prova. Comprovada a culpa do candidato este ser excludo do concurso.

    7.4.9. No sero recebidos ttulos de eventos datados anteriormente ao disposto na grade, bem como no sero pontuados os ttulos que excederem ao mximo em quantidade e pontos, conforme disposio supra.

    CAPTULO VIII - DOS RECURSOS

    8.1. Ser admitido recurso quanto:

    a) Ao indeferimento/no processamento de inscrio;b) formulao das questes, respectivos quesitos e gabarito das mesmas;c) Aos resultados parciais e finais do Concurso Pblico.

    8.2. Todos os recursos, devero ser interpostos at 3 (trs) dias teis, a contar da divulgao por edital, de cada evento.

    8.3. Os mesmos devero ser protocolados junto Prefeitura Municipal, no prazo marcado por Edital, na forma de requerimento, conforme modelo Anexo II deste Edital e devero conter os seguintes elementos:

    a) N de Inscrio;b) Concurso de referncia - rgo/Municpio;c) Cargo ao qual concorre;d) Circunstanciada exposio a respeito das questes, pontos ou ttulos, para as quais, em face s

    normas do certame, contidas no Edital, da natureza do cargo a ser provido ou do critrio adotado, deveria ser atribudo maior grau ou nmero de pontos;

    e) Razes do pedido de reviso, bem como o total dos pontos pleiteados.

    Realizao Pgina 13 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    8.3.1. Recurso por procurao: Sero aceitos recursos por procurao desde que apresentado o documento de Identidade do procurador e entregue o instrumento de mandato outorgado atravs de instrumento pblico ou particular, contendo poder especfico para o pedido de recurso, conforme Anexo V deste edital. No h necessidade de reconhecimento de firma em cartrio, pelo outorgante, com apresentao dos documentos necessrios, orignal e cpia para autenticao no local, ou cpia autenticada em cartrio.

    8.4. Os recursos que forem apresentados devero obedecer rigorosamente os preceitos que seguem e sero dirigidos Objetiva Concursos Ltda, empresa designada para realizao do concurso.

    8.5. No se conhecero os recursos que no contenham os dados acima e os fundamentos do pedido, inclusive os pedidos de simples reviso da prova ou nota.

    8.6. Sero desconsiderados os recursos interpostos fora do prazo, enviados por via postal, fax ou meio eletrnico (e-mail) ou em desacordo com este Edital.

    8.7. Em caso de haver questes que possam vir a ser anuladas por deciso da Comisso Executora do Concurso, as mesmas sero consideradas como respondidas corretamente por todos candidatos, independente de terem recorrido, quando sero computados os pontos respectivos, exceto para os que j receberam a pontuao.

    8.8. Se houver alguma alterao de gabarito oficial, por fora de impugnaes, as provas sero corrigidas de acordo com a alterao.

    CAPTULO IX - DA APROVAO E CLASSIFICAO

    9.1. A nota final, para efeito de classificao dos candidatos, ser igual soma das notas obtidas na prova escrita, prova de ttulos e prova prtica, conforme aplicada ao cargo.

    9.2. A classificao final do Concurso ser publicada por edital, apresentar apenas os candidatos aprovados por cargo, em ordem decrescente de pontos e ser composta de duas listas, contendo a primeira, a pontua-o de todos os candidatos, inclusive a das pessoas com deficincia e a segunda somente a pontuao des-tes ltimos, se houver aprovados.

    9.3. Na hiptese de igualdade no total de pontos entre os aprovados, o desempate de notas processar-se- com os seguintes critrios:

    9.3.1. Para TODOS os cargos, em que houver candidatos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, em conformidade com o art. 27, pargrafo nico, da Lei 10741/2003 - Estatuto do Idoso, ser ultilizado o critrio da maior idade.

    9.3.2. Aps a aplicao deste critrio, o desempate ocorrer, conforme segue:

    9.3.2.1. Para os cargos da TABELA A:

    a) obtiver maior nota em legislao e conhecimentos especficos;b) sorteio.

    9.3.2.2. Para os cargos da TABELA B:a) obtiver maior nota na prova escrita;b) obtiver maior nota em legislao, estrutura e funcionamento de ensino;c) obtiver maior nota em didtica;

    Realizao Pgina 14 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    d) obtiver maior nota em portugus;e) sorteio.

    9.3.2.3. Para os cargos da TABELA C:a) obtiver maior nota em legislao e conhecimentos especficos;b) obtiver maior nota em portugus;c) obtiver maior nota em matemtica;d) sorteio.

    9.3.2.4. Para os cargos da TABELA D:a) obtiver maior nota na prova escrita;b) obtiver maior nota em legislao;c) obtiver maior nota em portugus;d) sorteio.

    9.3.2.5. Para o cargo da TABELA E:a) obtiver maior nota na prova escrita;b) obtiver maior nota em conhecimentos especficos;c) obtiver maior nota em portugus;d) sorteio.

    9.4. O sorteio, se necessrio, ser realizado em ato pblico, a ser divulgado por edital e seu resultado far parte da classificao final do Concurso.

    CAPTULO X - DO PROVIMENTO DOS CARGOS

    10.1. O provimento dos cargos obedecer, rigorosamente, ordem de classificao dos candidatos aprovados.

    10.2. O candidato aprovado obriga-se a manter atualizado seu telefone e endereo junto Prefeitura Municipal. 10.3. A publicao da nomeao dos candidatos ser feita por Edital, publicado junto ao Painel de Publicao da Prefeitura Municipal, e, paralelamente, ser feita comunicao ao candidato, via postal, no endereo informado na ficha de inscrio ou posteriormente atualizado. responsabilidade exclusiva do candidato manter atualizado o referido endereo.

    10.4. Os candidatos aprovados nomeados no servio pblico municipal tero o prazo mximo de 10 (dez) dias contados da publicao do Ato de nomeao para tomar posse e 05 (cinco) dias para entrar em exerccio, contados da data da posse. Ser tornado sem efeito o Ato de nomeao se no ocorrer a posse e/ou exerccio nos prazos legais, sendo que o candidato perder automaticamente a vaga, facultando ao Municpio o direito de convocar o prximo candidato por ordem de classificao.

    10.5. Caso o candidato no deseje assumir de imediato, poder, mediante requerimento prprio, solicitar para passar para o final da lista dos aprovados e, para concorrer, observada sempre a ordem de classificao e a validade do Concurso, a novo chamamento uma s vez.

    10.6. O Concurso ter validade por 2 (dois) anos a partir da data de homologao dos resultados, prorrogvel por mais 2 (dois) anos, a critrio da Prefeitura Municipal.

    10.7. Ficam advertidos os candidatos de que, no caso de nomeao, a posse no cargo s lhes ser deferida no caso de exibirem:

    Realizao Pgina 15 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    a) A documentao comprobatria das condies previstas no Captulo II - item 2.5 deste Edital acompanhada de fotocpia;

    b) Atestado de boa sade fsica e mental a ser fornecido, por Mdico ou Junta Mdica do Municpio ou ainda, por esta designada, mediante exame mdico, que comprove aptido necessria para o exerccio do cargo, bem como a compatibilidade para os casos de deficincia fsica;

    c) Declarao negativa de acumulao de cargo, emprego ou funo pblica, conforme disciplina a Constituio Federal/1988, em seu Artigo 37, XVI e suas Emendas;

    d) Certido Negativa Criminal de que o candidato no foi condenado por crimes contra o Patrimnio, contra os Costumes, contra a F Pblica e contra a Administrao Pblica, com sentena transitada em julgado;

    e) Certido Negativa Cvel de que no foi condenado em processos de execuo de qualquer natureza e execues fiscais, bem como pertinentes a privao de seus direitos civis, com sentena transita-da em julgado, expedidas pela distribuio do FORUM da Comarca onde for ou esteve domiciliado o candidato nos ltimos 05 (cinco) anos, a fim de comprovar o pleno exerccio de seus direito civis e no registrar antecedentes criminais e cveis antes mencionados;

    f) Certido Negativa de que o candidato se encontra no pleno exerccio de seus direitos polticos, expe-dida pela Justia Eleitoral onde o candidato for ou esteve domiciliado nos ltimos 05 (cinco) anos;

    g) Cadastro das Pessoas Fsicas da Secretaria da Receita Federal (CPF);h) Certido de Nascimento e/ou Casamento;i) Certido dos filhos at 14 (quatorze) anos;j) Carteira de Identidade;k) Carto do PIS ou PASEP;l) Uma foto (3x4), recente e sem uso prvio;m) Declarao de Bens e Valores;n) Declarao de Dependentes para Imposto de Renda;o) EXAMES EXIGIDOS PARA INGRESSO NO SERVIO PBLICO MUNICIPAL, conforme Decreto n

    701/2009: Exames Laboratoriais (Hemograma, Glicemia, Uria, cido rico, EQU-exame comum de urina, fator reumtico, PCR); avaliao oftalmolgica; avaliao psicolgica; teste ergomtrico (estei-ra); raio X de coluna (cervical, torxico e lombar) com laudo radiolgico; raio X de trax-AP com lau-do radiolgico; ecografia abdominal; e eletrocardiograma.

    10.8. A no apresentao dos documentos acima, por ocasio da posse, implicar na impossibilidade de aproveitamento do candidato aprovado, anulando-se todos os atos e efeitos decorrentes da inscrio no Concurso.

    10.9. Os candidatos com deficincia, se aprovados e classificados, sero submetidos a uma Junta Mdica Oficial para a verificao da deficincia, bem como da compatibilidade de sua deficincia com o exerccio das atribuies do cargo.

    CAPTULO XI - DAS DISPOSIES FINAIS

    11.1. Os candidatos, desde j ficam cientes das disposies constitucionais, especialmente Art. 40, 1 - III, que determina a obrigatoriedade de cumprimento do tempo mnimo de 10 anos de efetivo exerccio no servio pblico e 5 anos no cargo efetivo, para fins de aposentadoria, observadas as demais disposies elencadas naquele dispositivo.

    11.2. A inexatido das informaes, falta e/ou irregularidades de documentos, ainda que verificadas posteriormente, eliminaro o candidato do Concurso, anulando-se todos os atos decorrentes da inscrio.

    11.3. Os casos omissos sero resolvidos pela Prefeitura Municipal de Sete de Setembro, em conjunto com a Objetiva Concursos Ltda.

    Realizao Pgina 16 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    11.4. Faz parte do presente Edital:

    Anexo I Contedos Programticos e/ou Referncias Bibliogrficas;Anexo II Modelo de Formulrio de Recurso;Anexo III Modelo de Relao de Ttulos;Anexo IV Modelo de Requerimento Pessoas com Deficincia;Anexo V Modelo de Procurao.

    Prefeitura Municipal de Sete de Setembro, 06 de novembro de 2009.

    ROSANE GRABIAPrefeita Municipal

    Registre-se e publique-se

    Realizao Pgina 17 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    ANEXO ICONTEDOS PROGRAMTICOS E/OU REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS:

    Para os cargos da Tabela A MDICO 20 HORAS e MDICO 40 HORAS

    PORTUGUS Comum a todos os cargosContedo:1) LEITURA E ANLISE DO TEXTO: compreenso do texto, significado contextual das palavras e expresses. Sinonmia, antonmia, homonmia e paronmia. Coeso, clareza e conciso. Vocabulrio. 2) FONTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificao dos fonemas. Encontros voclicos e consonantais. Dgrafo. Diviso silbica, acentuao grfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificao e flexes. Estrutura e formao de palavras. 4) SINTAXE: introduo sintaxe (frase, orao e perodo). Termos da orao. Perodo simples e composto. Pontuao. Concordncia Verbal e Nominal. Regncia Verbal e Nominal. Colocao Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LNGUA CULTA: uso do porqu, que/qu, onde/aonde, mal/mau, seno/se no, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/h, acerca de/h cerca de, ao invs de/em vez de, -toa/ toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/to pouco, mas/mais, a par/ao par, cesso/sesso/seco e uso do hfen. LEGISLAO e CONHECIMENTOS ESPECFICOS Comum a todos os cargosContedo:- BRASIL. Constituio da Repblica Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Ga-

    rantias Fundamentais - Art. 5 a 11. Da nacionalidade Art. 12 e 13. Da Organizao do Estado - Art. 29 a 41. Da Or-ganizao dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 Art. 225. Do Meio Ambiente Art. 226 a 230. Da Famlia, da Criana, do Adolescente e do Idoso).

    - BRASIL. Lei n 8.080, de 19 de setembro de 1990 e alteraes Dispe sobre as condies para a promoo e recuperao da sade e d outras providncias.

    - BRASIL. Lei n 8.142, de 28 de dezembro de 1990 e alteraes Dispe sobre a participao da comunidade na gesto do SUS e d outras providncias.

    - SETE DE SETEMBRO Lei Orgnica Municipal e alteraes (Art. 14 a 35; Art. 167 a 176 e Art.182 a 199).- SETE DE SETEMBRO. Lei Municipal n 051 de 25 de Novembro de 1997. Regime Jurdico dos Servidores Pblicos

    do Municpio.Medicina Geral:1) Doenas do Aparelho Cardiovascular.2) Doenas do Aparelho Respiratrio. 3) Pneumonias.4) Transfuses de sangue e derivados. 5) Doenas do Tecido Conjuntivo e Musculoesquelticas. 6) Afeces Doenas do Aparelho Digestivo. 7) Doenas Renais e do Trato Urinrio. 8) Doenas Endcrinas e do Metabolismo. 9) Doenas Hematolgicas e Oncolgicas 10) Doenas Neurolgicas. 11) Doenas Psiquitricas. 12) Doenas Infecciosas. 13) Doenas Dermatolgicas. 14) Doenas Oculares. 15) Doenas do Nariz, Ouvido e Garganta. 16) Ginecologia e Obstetrcia. Legislao e Sade Pblica:1) Conceitos de sade pblica e sade coletiva. 2) Conceitos dos princpios da Reforma Sanitria. 3) Educao em sade. 4) SUS e poltica nacional de sade. 5) Aes de ateno sade da criana, escolar, adolescente, mulher, homem, idoso. 6) DST/AIDS, mental, tuberculose, hansenase. 7) Aes de Ateno Vigilncia em Sade: a) Vigilncia Epidemiolgica; b) Vigilncia Sanitria e Ambiental; c) Vigilncia Sade do Trabalhador. 8) tica Profissional. Legislao disponvel no site www.saude.gov.br.Referncias Bibliogrficas:- BRASIL: Ministrio da Sade http://www.saude.gov.br- BRASIL: Ministrio da Sade. Departamento de Aes Programticas Estratgicas. Manual de Hipertenso arterial

    e Diabetes mellitus. Braslia, 2002. - Disponvel no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/miolo2002.pdf - BRASIL: Ministrio da Sade. Departamento de Ateno Bsica. Guia para o controle da Hansenase. Braslia,

    2002.- BRASIL: Ministrio da Sade. Departamento de Ateno Bsica. Manual Tcnico para o Controle da Tuberculose:

    cadernos de ateno bsica. Braslia, 2002.- BRASIL: Ministrio da Sade. Departamento de Ateno Bsica. Revista Brasileira de Sade da Famlia. Braslia,

    2005.

    Realizao Pgina 18 de 29

    http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/miolo2002.pdfhttp://portal.saude.gov.br/portal/saude/http://www.saude.gov.br/

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    - BRASIL: Ministrio da Sade. Departamento de Ateno Bsica. SIAB Manual do Sistema de Informao de Ateno Bsica. Braslia, 2000.

    - BRASIL: Ministrio da Sade. Fundao Nacional de Sade. Sade dentro de casa: programa de sade da famlia.- BRASIL. Ministrio da Sade. Publicaes Sade da Criana.

    Disponvel no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=26 - BRASIL. Ministrio da Sade. Publicaes Sade da Mulher.

    Disponvel no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=27 - BRASIL. Ministrio da Sade. Publicaes Sade do Adolescente e do Jovem.

    Disponvel no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=30 - BRASIL. Ministrio da Sade. Publicaes Sade do Idoso.

    Disponvel no link: http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=31 - BRASIL: Ministrio da Sade. Secretaria Nacional de Assistncia Sade. ABC do SUS - Doutrinas e Princpios.

    Braslia, 1990.- Cdigo de tica Profissional.- DUNCAN, B.B.; SCHMIDT, M.I.; GIUGLIANI, E. Medicina Ambulatorial - Condutas clnicas em ateno primria.

    Artes Mdicas. - DUNCAN, B; SCHIMIDT, M.I.; GIUGLIANI, E. Medicina ambulatorial: condutas de ateno primria baseada em evi-

    dncia. Artmed- FLETCHER, R.; FLETCHER, S.W.; WAGNER, E.H. Epidemiologia clnica: elementos essenciais. Artmed. - GOULART, F.A.A. (org.). Os mdicos e a sade no Brasil. Braslia: Conselho Federal de Medicina.- HARRISON, F.; BRAUWALD et al. Medicina Interna. Mc Graw Hill.- PEREIRA, M.G. Epidemiologia: Teoria e Prtica, Guanabara Koogan.- ROZENFELD, Suely (org.). Fundamentos da vigilncia sanitria. Fiocruz.- SOUZA, C.E.L. Medicina Interna: do Diagnstico. Artes Mdicas.- TIERNEY JUNIOR, L.M.; MCPHEE, S.J.; PAPADAKIS, M.A. Current Medical Diagnosis & Treatment 2003. Mc-

    Graw-Hill.- WYNGAARDEN, J.V., M.D. e LLOYD, H.S.; Jr, M.D. Cecil Tratado de Medicina Interna. Interamericana.

    Para os cargos da Tabela B PROFESSOR EDUCAO INFANTIL E PROFESSOR DO ENSINO FUNDAMENTAL SRIES INICIAIS

    PORTUGUS Comum a ambosContedo:1) LEITURA E ANLISE DO TEXTO: compreenso do texto, significado contextual das palavras e expresses. Sinonmia, antonmia, homonmia e paronmia. Coeso, clareza e conciso. Vocabulrio. 2) FONTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificao dos fonemas. Encontros voclicos e consonantais. Dgrafo. Diviso silbica, acentuao grfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificao e flexes. Estrutura e formao de palavras. 4) SINTAXE: introduo sintaxe (frase, orao e perodo). Termos da orao. Perodo simples e composto. Pontuao. Concordncia Verbal e Nominal. Regncia Verbal e Nominal. Colocao Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LNGUA CULTA: uso do porqu, que/qu, onde/aonde, mal/mau, seno/se no, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/h, acerca de/h cerca de, ao invs de/em vez de, -toa/ toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/to pouco, mas/mais, a par/ao par, cesso/sesso/seco e uso do hfen.

    MATEMTICA Comum a ambosContedo:1) A Gnese do Nmero. 2) O Ensino e aprendizagem da matemtica e suas implicaes tericas. 3) A compreenso dos conceitos matemticos pelas crianas. 4) A construo do conhecimento Matemtico. 5) Princpios de aprendizagem. 6) Tipos de aprendizagem da Matemtica. 7) O conceito de Numeralizao. 8) O Ensino da Aritmtica. 9) O Ensino de Fraes. 10) O Ensino da Geometria.

    Realizao Pgina 19 de 29

    http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=31http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=30http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=27http://bvsms.saude.gov.br/php/level.php?lang=pt&component=51&item=26

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    LEGISLAO/ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE ENSINO Comum a ambosReferncias Bibliogrficas:- BRASIL. Constituio da Repblica Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e

    Garantias Fundamentais - Art. 5 a 11; Da nacionalidade Art. 12 e 13. Da Organizao do Estado Art. 29 a 41; Da Organizao dos Poderes - Art. 59 a 83; Da Ordem social - Art. 205 a 232).

    - BRASIL. Lei n 8.069, de 13 de julho de 1990 e alteraes. Dispe sobre o Estatuto da Criana e do Adolescente e d outras providncias.

    - BRASIL. Lei n 9.394, de 20 de dezembro de 1996 e alteraes. Estabelece as diretrizes e bases da educao nacional.

    - SETE DE SETEMBRO Lei Orgnica Municipal e alteraes (Art. 14 a 35 e Art. 143 a 156).- SETE DE SETEMBRO. Lei Municipal n 051 de 25 de Novembro de 1997. Regime Jurdico dos Servidores Pblicos

    do Municpio.

    DIDTICA PROFESSOR EDUCAO INFANTIL Contedo:1) Desenvolvimento infantil. 2)Organizao do trabalho pedaggico na educao infantil. 3) Projetos pedaggicos e planejamento para o trabalho em Educao Infantil 4) Avaliao na educao infantil. 5) Teorias educacionais. 6) Concepes Pedaggicas. 7) Limites. 8) O ldico como instrumento de aprendizagem. 9) O jogo e o brincar. 10) Sexualidade. 11) Famlia. 12) Educao Inclusiva.Referncias Bibliogrficas:- BONAMIGO, Maria de Rezende; CRISTVO, Vera Maria da Rocha; KAEFER, Helosa & LEVY, Berenice Walfrid.

    Como ajudar a criana no seu desenvolvimento: sugestes de atividades para a faixa de 0 a 5 anos. Universidade.- BOYNTON, Mark. Preveno e resoluo de problemas disciplinares: guia para educadores. Artmed.- CARDOSO, Marilene da Silva. Educao inclusiva e diversidade: uma prxis educativa junto a alunos com necessidades

    especiais. Redes.- COLL, C, MARCHESI, A; PALACIOS J. Desenvolvimento psicolgico e educao. Artmed- CRAIDY, Carmem Maria & KAERCHER, Gldis Elise P. da Silva. Educao infantil: pra que te quero? Artmed.- FERREIRO, Emilia & TEBEROSKI, Ana. Psicognese da lngua escrita. Artes Mdicas.- FONSECA, Vitor da. Educao especial: programa de estimulao precoce, uma introduo s idias de Feuerstein.

    Artmed.- GOLDSCHMIED, Elinor. Educao de 0 a 3 anos: o atendimento em creche. Artmed.- KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criana e a educao. Petrpolis.- MANTOVANI, Maringela. Quando necessrio dizer no. Paulinas.- MIRANDA, Nicanor. 200 jogos infantis. Itatiaia. - MOYLES, Janet R.. S brincar? O papel do brincar na educao infantil. Artmed.- PERRENOUD, Philippe. Dez novas competncias para ensinar. Artmed.- SEQUEIROS, Leandro. Educar para a solidariedade: projeto didtico para uma nova cultura de relaes entre os

    povos. Artmed.- TIBA, Iami. Quem ama educa. Gente.- VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliao da aprendizagem. Libertad- ZABALZA, Miguel A. Qualidade em educao infantil. Artmed.

    DIDTICA PROFESSOR DO ENSINO FUNDAMENTAL SRIES INICIAISContedo:1) Infncia: Educao e Sociedade. 2) Concepes Pedaggicas. 3) Teorias educacionais. 4) Planejamento na Prtica Educativa. 5) Disciplina. 6) Avaliao. 7) O ldico como instrumento de aprendizagem. 8) Desenvolvimento Infantil. 9) A importncia do jogo na aprendizagem. 10) Fracasso escolar. 11) Problemas comportamentais e dificuldades de aprendizagem. 12) Alfabetizao. 13) Educao Inclusiva. 14) Educao de Jovens e Adultos.Referncias Bibliogrficas:

    Realizao Pgina 20 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    - BOYNTON, Mark. Preveno e resoluo de problemas disciplinares: guia para educadores. Artmed.- CARDOSO, Marilene da Silva. Educao inclusiva e diversidade: uma prxis educativa junto a alunos com necessidades

    especiais. Redes.- COLL, C, MARCHESI, A; PALACIOS J. Desenvolvimento psicolgico e educao. Artmed.- DURANTE, Marta. Alfabetizao de adultos: leitura e produo de textos. Artes Mdicas.- FERREIRO, Emlia. Com todas as letras. Cortez.- FERREIRO, Emlia. Reflexes sobre alfabetizao. Cortez.- FONSECA, Vitor da. Educao especial: programa de estimulao precoce, uma introduo s idias de Feuerstein.

    Artmed.- FREIRE, Paulo. A importncia do ato de ler: em trs artigos que se completam. Cortez.- KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criana e a educao. Petrpolis.- MIRANDA, Nicanor. 200 jogos infantis. Itatiaia limitada.- MORIN, Edgar. Os sete saberes necessrios educao do futuro. Cortez.- PERRENOUD, Philippe. Dez novas competncias para ensinar. Artmed.- SEQUEIROS, Leandro. Educar para a solidariedade: projeto didtico para uma nova cultura de relaes entre os po-

    vos. Artmed.- TIBA, Iami. Quem ama educa. Gente.- VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliao da aprendizagem. Libertad- VEIGA, Ilma Passos. Projeto Poltico Pedaggico da Escola: uma construo possvel. Papirus Editora.

    Para os cargos da Tabela C AUXILIAR ADMINISTRATIVO e AUXILIAR DE CONSULTRIO DENTRIO

    Para o cargo de AUXILIAR ADMINISTRATIVO

    PORTUGUSContedo:1) LEITURA E ANLISE DO TEXTO: compreenso do texto, significado contextual de palavras e expresses. Sinonmia, antonmia, homonmia e paronmia. Coeso, clareza e conciso. Vocabulrio. 2) FONTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificao dos fonemas. Encontros voclicos e consonantais. Dgrafo. Diviso silbica, acentuao grfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificao e flexes. Estrutura e formao de palavras. 4) SINTAXE: introduo sintaxe (frase, orao e perodo). Termos da orao. Perodo simples e composto. Pontuao. Concordncia Verbal e Nominal. Regncia Verbal e Nominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LNGUA CULTA: uso do porqu, que/qu, onde/aonde, mal/mau, seno/se no, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/h, acerca de/h cerca de, ao invs de/em vez de, -toa/ toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/to pouco, mas/mais, a par/ao par, cesso/sesso/seco e uso do hfen.

    MATEMTICAContedo:1) CONJUNTOS: Noes bsicas, propriedades, tipos e operaes. 2) CONJUNTO DOS NMEROS NATURAIS (N): propriedades, operaes bsicas, potenciao e radiciao. 3) DIVISIBILIDADE: Mltiplos e divisores. Nmeros primos e compostos. Critrios de divisibilidade: por 2, por 3, por 4, por 5 e por 9. MMC e MDC. 4) CONJUNTO DOS NMEROS INTEIROS (Z): propriedades, operaes bsicas, potenciao e radiciao 5) CONJUNTO DOS NMEROS RACIONAIS (Q): propriedades, operaes bsicas, potenciao e radiciao. Sistema decimal. Fraes Algbricas. 6) CONJUNTO DOS NUMEROS IRRACIONAIS (I): propriedades, operaes bsicas e potenciao. 7) CONJUNTO DOS NMEROS REAIS (R): propriedades, operaes bsicas, potenciao e radiciao 8) POLINMIOS: operaes bsicas, produtos notveis, fatorao e equaes. 9) EXPRESSES: numricas e algbricas envolvendo todos os conjuntos numricos (N, Z, Q, I e R). 10) EQUAES: equaes do 1 e 2 grau com uma e/ou duas variveis. 11) SISTEMAS LINEARES: do 1 grau. 12) INEQUAES: do 1 grau. 13) RAZO: entre dois nmeros, entre duas grandezas de mesma espcie, taxa percentual, porcentagem. 14) GRANDEZAS PROPORCIONAIS: diretamente proporcionais e inversamente proporcionais, regra de trs simples e composta. 15) JUROS SIMPLES. 16)

    Realizao Pgina 21 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    PROBABILIDADE. 17) GEOMETRIA: Unidades de medidas. Clculo de rea, permetro e volume. ngulos. Teorema de Tales e de Pitgoras. Polgonos: tringulos, quadrilteros, circunferncia e crculo. Semelhana de: figuras, polgonos e tringulos. 18) TRIGONOMETRIA: trigonometria no tringulo retngulo. 19) MEDIDAS DE TEMPO. 20) ESTATSTICA: Noes elementares. 21) COORDENADAS CARTESIANAS NO PLANO. 22) FUNES: polinomial do 1 e 2 grau. 23) Problemas aplicados a todos os contedos citados anteriormente.

    INFORMTICA Contedo:1) Informtica em Geral: conceitos. 2) Perifricos de um Computador. 3) Hardware. 4) Software. 5) Utilizao do Sistema Operacional Windows XP. 6) Configuraes Bsicas do Windows XP. 7) Aplicativos Bsicos (bloco de notas, calculadora, Paint, WordPad). 8) Instalao, configurao e utilizao: Processador de Textos Microsoft Word (a partir da verso 2000) e Planilha Eletrnica Excel (a partir da verso 2000). 9) Recursos Bsicos e utilizao do Adobe Reader (Adobe Reader 7.0). 10) Configurao de Impressoras. 11) Noes bsicas de Internet (Internet Explorer a partir da verso 6.0) 12) Noes bsicas de Correio Eletrnico Outlook.Referncias Bibliogrficas:- ADOBE READER. Ajuda do Adobe Reader (Ajuda eletrnica integrada ao Programa Adobe Reader).- BATTISTI, Jlio. Windows XP Home & Professional Para Usurios e Administradores. Axcel Books do Brasil

    Editora.- BRAGA, William Cesar. Microsoft Windows XP. Alta Books.- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Internet Explorer (Ajuda eletrnica integrada ao Programa Internet Explo-

    rer).- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Excel (Ajuda eletrnica integrada ao Programa MS Excel).- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Windows XP. (Ajuda eletrnica integrada ao MS Windows XP).- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Word (Ajuda eletrnica integrada ao Programa MS Word).- MICROSOFT PRESS, Dicionrio de Informtica. Traduo de Valeria Chamon. Campus. - NORTON, Peter. Introduo Informtica. Makron Books.- VELLOSO, Fernando de Castro. Informtica: conceitos bsicos. Campus.- Manuais e apostilas de referncia do Pacote Office e ajuda on-line (help).

    LEGISLAO E CONHECIMENTOS ESPECFICOS Contedo:1) Administrao pblica. 2) Poderes Administrativos. 3) Atos Administrativos. 4) Licitaes 5) Contratos Administrativos. 6) Servios Pblicos. 7) Servidores Pblicos. 8) Responsabilidade Civil Da Administrao. 9) Controle Da Administrao. 10) Correspondncia Oficial. 11) Redao Oficial. 12) Formas De Tratamento. 13) Expresses e Vocbulos Latinos de uso frequente nas Comunicaes Administrativas Oficiais. 14) Modelos e/ou Documentos utilizados. 15) Cuidados com o ambiente de trabalho: Noes de segurana e higiene do trabalho. 16) Legislao: Constituio Federal, Lei de Responsabilidade Fiscal., Lei de Licitaes, Lei Orgnica Municipal, Regime Jurdico dos Servidores do Municpio.Referncias Bibliogrficas:- BRASIL. Constituio da Repblica Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Ga-

    rantias Fundamentais Art. 5 a 11. Da nacionalidade Art. 12 e 13. Da Organizao do Estado Art. 29 a 41. Da Organizao dos Poderes Art. 44 a 75).

    - BRASIL. Lei Complementar n 101, de 4 de maio de 2000 e alteraes. Estabelece normas de finanas pblicas voltadas para a responsabilidade na gesto fiscal e d outras providncias.

    - BRASIL. Lei n 8.666, de 21 de junho de 1993 e alteraes. Institui normas para licitaes e contratos da Administrao Pblica e d outras providncias.

    - SETE DE SETEMBRO. Lei Orgnica Municipal e alteraes (Art. 14 a 35).- SETE DE SETEMBRO. Lei Municipal n 051 de 25 de Novembro de 1997. Regime Jurdico dos Servidores Pblicos

    do Municpio.- BRASIL. Presidncia da Repblica. Manual de redao da Presidncia da Repblica. Disponvel em - DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. Editora Atlas S.A.- KASPARY, Adalberto Jos, Redao Oficial Normas e Modelos. EDITA.- MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. Malheiros Editores. - Outros manuais, livros e apostilas com os contedos indicados.

    Realizao Pgina 22 de 29

    http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/manual/manual.htmhttp://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/manual/manual.htm

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    Para o cargo de AUXILIAR DE CONSULTRIO DENTRIO

    PORTUGUS Contedo:1) LEITURA E ANLISE DO TEXTO: compreenso do texto, significado contextual das palavras e expresses. Sinonmia, antonmia, homonmia e paronmia. Coeso, clareza e conciso. Vocabulrio. 2) FONTICA E FONOLOGIA: letra/fonema. Classificao dos fonemas. Encontros voclicos e consonantais. Dgrafo. Diviso silbica, acentuao grfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: classificao e flexes. Estrutura e formao de palavras. 4) SINTAXE: introduo sintaxe (frase, orao e perodo). Termos da orao. Perodo simples e composto. Pontuao. Concordncia Verbal e Nominal. Regncia Verbal e Nominal. Colocao Pronominal e crase. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LNGUA CULTA: uso do porqu, que/qu, onde/aonde, mal/mau, seno/se no, ao encontro de/de encontro a, afim/a fim, demais/de mais, a/h, acerca de/h cerca de, ao invs de/em vez de, -toa/ toa, dia-a-dia/dia a dia, tampouco/to pouco, mas/mais, a par/ao par, cesso/sesso/seco e uso do hfen.

    MATEMTICA Contedo:1) CONJUNTOS E CONJUNTOS NUMRICOS: Noes bsicas, propriedades, tipos e operaes. 2) FUNES: Funo polinomial do 1 e 2 grau, modular, exponencial, logartmica. 3) EQUAES: 1 e 2 graus, exponencial e logartmica. 4) POLINMIOS: operaes bsicas e equaes. 5) MATRIZES E DETERMINANTES. 6) SISTEMAS LINEARES: 2, 3 ou mais variveis. 7) ANLISE COMBINATRIA: fatorial, arranjo, permutao e combinao simples. Binmio de Newton. 8) PROBABILIDADE. 9) SUCESSO OU SEQUNCIA: progresses aritmticas e geomtricas. 10) TRIGONOMETRIA: trigonometria no tringulo retngulo, num tringulo qualquer e no ciclo. Funes trigonomtricas e inversas. Equaes e inequaes trigonomtricas. 11) PORCENTAGEM. 12) MATEMTICA COMERCIAL E FINANCEIRA: juro simples e composto. Desconto simples por dentro e bancrio. Taxas. 13) GEOMETRIA: Plana (polgonos regulares e irregulares) e espacial (poliedros em geral). ngulos. Permetros. Calculo de rea, volume, massa das figuras planas e espaciais. Teoremas de Tales e Pitgoras. Polgonos regulares inscritos e circunscritos em qualquer outro polgono. Semelhana de: figuras, polgonos e tringulos. 14) GEOMETRIA ANALTICA: A reta e a circunferncia no plano cartesiano. 15) ESTATSTICA: distribuio por frequncia, agrupamento em classes, representao grfica, medidas de tendncia central, medidas de disperso. 16) Problemas aplicados a todos os contedos citados anteriormente.

    INFORMTICA Contedo:1) Informtica em Geral: conceitos. 2) Perifricos de um Computador. 3) Hardware. 4) Software. 5) Utilizao do Sistema Operacional Windows XP. 6) Configuraes Bsicas do Windows XP. 7) Aplicativos Bsicos (bloco de notas, calculadora, Paint, WordPad). 8) Instalao, configurao e utilizao: Processador de Textos Microsoft Word (a partir da verso 2000) e Planilha Eletrnica Excel (a partir da verso 2000). 9) Recursos Bsicos e utilizao do Adobe Reader (Adobe Reader 7.0). 10) Configurao de Impressoras. 11) Noes bsicas de Internet (Internet Explorer a partir da verso 6.0) 12) Noes bsicas de Correio Eletrnico Outlook.Referncias Bibliogrficas:- ADOBE READER. Ajuda do Adobe Reader (Ajuda eletrnica integrada ao Programa Adobe Reader).- BATTISTI, Jlio. Windows XP Home & Professional Para Usurios e Administradores. Axcel Books do Brasil

    Editora.- BRAGA, William Cesar. Microsoft Windows XP. Alta Books.- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Internet Explorer (Ajuda eletrnica integrada ao Programa Internet Explo-

    rer).- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Excel (Ajuda eletrnica integrada ao Programa MS Excel).- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Windows XP. (Ajuda eletrnica integrada ao MS Windows XP).- MICROSOFT CORPORATION. Ajuda do Microsoft Word (Ajuda eletrnica integrada ao Programa MS Word).- MICROSOFT PRESS, Dicionrio de Informtica. Traduo de Valeria Chamon. Campus. - NORTON, Peter. Introduo Informtica. Makron Books.- VELLOSO, Fernando de Castro. Informtica: conceitos bsicos. Campus.- Manuais e apostilas de referncia do Pacote Office e ajuda on-line (help).

    Realizao Pgina 23 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    LEGISLAO E CONHECIMENTOS ESPECFICOS Contedo:1) Conhecimentos bsicos das estruturas anatmicas da cabea e pescoo, tecidos moles da cavidade bucal e demais componentes do aparelho estomatogntico. 2)Conhecimento da fisiologia da mastigao e deglutio. 3)Reconheci-mento da dentio permanente e temporria atravs da representao grfica e numrica. 4)Caractersticas gerais e idade de irrupo dentria. 5)Morfologia da dentio. 6)Noes gerais de microbiologia. 7)Meios de proteo de infec-o na prtica odontolgica. 8)Meios de contaminao de hepatite, Aids, tuberculose, sfilis e herpes. 9)Formao e co-lonizao da placa bacteriana. 10)Higiene bucal: importncia, definio e tcnicas. 11)Doena periodontal: etiologia, classificao, caractersticas clnicas, epidemiologia, teraputica bsica e manuteno. 12)Crie dental: etiologia, clas-sificao, caractersticas clnicas, epidemiologia, teraputica bsica e manuteno, mtodos de preveno e identifica-o de grupos de risco. 13)Uso de fluoretos como medicamento em suas variadas formas e toxicologia. 14)Tcnicas ra-diogrficas intrabucais clssicas e suas variaes. 15)Tcnicas de afiao do instrumental periodontal. 16)Tcnicas de isolamento do campo operatrio. 17)Proteo do complexo dentina-polpa. 18)Tcnicas de aplicao de materiais res-tauradores. 19)Tcnicas de testes de vitalidade pulpar. 20)Conceitos de promoo de sade. 21)Elaborao e aplicao de programas educativos em sade bucal. 22)Conhecimento do funcionamento e manuteno do equipamento odonto-lgico. 23)Reconhecimento e aplicao dos instrumentos odontolgicos. 24)Legislao.Referncias Bibliogrficas:Contedo:- BRASIL. Constituio da Repblica Federativa do Brasil - Com as Emendas Constitucionais. (Dos Direitos e Ga-

    rantias Fundamentais - Art. 5 a 11. Da nacionalidade Art. 12 e 13. Da Organizao do Estado - Art. 29 a 41. Da Or-ganizao dos Poderes - Art. 59 a 83. Da Ordem Social - Art. 193 a 204 Art. 225. Do Meio Ambiente Art. 226 a 230. Da Famlia, da Criana, do Adolescente e do Idoso).

    - BRASIL. Lei n 8.080, de 19 de setembro de 1990 e alteraes Dispe sobre as condies para a promoo e recuperao da sade e d outras providncias.

    - BRASIL. Lei n 8.142, de 28 de dezembro de 1990 e alteraes Dispe sobre a participao da comunidade na gesto do SUS e d outras providncias.

    - SETE DE SETEMBRO. Lei Orgnica Municipal e alteraes (Art. 14 a 35; Art. 167 a 176 e Art.182 a 199).- SETE DE SETEMBRO. Lei Municipal n 051 de 25 de Novembro de 1997. Regime Jurdico dos Servidores Pblicos

    do Municpio.- BRASIL. Ministrio da Sade. Secretaria de Assistncia Sade, Controle de Infeces e a Prtica Odontolgica em tempos de AIDS. Manual de Condutas. - ANDREASEN, J. O. Traumatismo dentrio. Medicina Panamericana. - CANTISANO, W. Anatomia dental e escultural. Guanabara. - CHAVES, M. Odontologia Social. Artes Mdicas. - GRAZIANI, M. Cirurgia Buco-maxilo-facial. Guanabara Koogan. - MC DONALD, R. Odontopediatria. Guanabara Koogan. - MEZZOMO, E. Reabilitao oral para o clnico. Quintessence. - PETERSON, L. F. et al. Cirurgia oral e maxilofacial contempornea. Guanabara Koogan.

    Para os cargos da Tabela D MOTORISTA E OPERADOR DE MQUINAS RODOVIRIAS

    PORTUGUS Comum a ambos Contedo:1) LEITURA E ANLISE DO TEXTO: compreenso do texto, significado contextual de palavras e expresses. Sinonmia e antonmia. Vocabulrio. 2) FONTICA E FONOLOGIA: vogais e consoantes. Encontros voclicos e consonantais. Diviso silbica, acentuao grfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: substantivo, adjetivo, artigo, verbo, pronome e numeral. Classificao e flexes. 4) SINTAXE: introduo sintaxe (frase, orao e perodo). Tipos de frases: afirmativas, negativas, interrogativas, imperativas e optativas. Concordncia verbal e nominal. Pontuao. 5) PROBLEMAS GERAIS DA LNGUA CULTA: por que/porque, mal/mau e mas/mais.

    Realizao Pgina 24 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    MATEMTICA Comum a ambos Contedo:1) CONJUNTOS: Noes bsicas. 2) SISTEMA NUMRICO: unidade, dezena, centena e milhar. 3) NMEROS NATURAIS (N): propriedades, operaes bsicas, pares e mpares, sucessor e antecessor, numerais multiplicativos: dobro, triplo e qudruplo. 4) EXPRESSES NUMRICAS: operaes bsicas. 5) NMERO ORDINAL. 6) NMERO ROMANO. 7) DIVISIBILIDADE: por 10, 100 e 1000. 8) FRAES: representao, comparao, simplificao e operaes bsicas. 9) SISTEMA MONETRIO. 10) MEDIDAS DE TEMPO. 11) GEOMETRIA: rea e permetro. 12) UNIDADES DE MEDIDAS. 13) Problemas aplicados a todos os contedos citados anteriormente.

    LEGISLAO Comum a ambos Contedo:1) Legislao (Cdigo de Trnsito Brasileiro, seu regulamento e Resolues do Contran). 2) Conhecimento terico de primeiros socorros, restrito apenas s exigncias do Contran ou rgo regulamentador de trnsito. Referncias Bibliogrficas:- Lei 9.503/97 - Cdigo de Trnsito Brasileiro e Legislao complementar atualizada at a publicao do presente edital.- Manuais, livros ou revistas sobre os contedos indicados.

    Para o cargo da Tabela E OPERRIO

    PORTUGUSContedo:1) LEITURA E ANLISE DO TEXTO: compreenso do texto, significado contextual de palavras e expresses. 2) FONTICA E FONOLOGIA: uso da letra maiscula e minscula, encontros voclicos, diviso silbica, acentuao grfica e ortografia. 3) MORFOLOGIA: classes gramaticais: substantivo e adjetivo. Tipos de frases: afirmativas, negativas e interrogativas. 4) SINTAXE: sinais de pontuao.

    MATEMTICAContedo:1) SISTEMA NUMRICO: unidade, dezena e centena. 2) CONJUNTO DOS NMEROS NATURAIS: Operaes bsicas. 3) SISTEMA MONETRIO (relao com o dia a dia). 4) Problemas aplicados a todos os contedos citados anteriormente.

    CONHECIMENTOS ESPECFICOSContedo: 1) Noes gerais sobre: alvenaria, jardinagem e cultivo de plantas. 2) Limpeza e higiene em geral. 3) Remoo de lixos e detritos. 4) Segurana e higiene do trabalho.Referncias Bibliogrficas:- Manuais e livros diversos sobre os contedos indicados.

    Realizao Pgina 25 de 29

  • ESTADO DO RIO GRANDE DO SULPREFEITURA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO

    SECRETARIA DE ADMINISTRAO E PLANEJAMENTO

    ANEXO II - CONCURSO PBLICOFORMULRIO DE RECURSO

    ParaObjetiva Concursos LtdaPORTO ALEGRE RS

    CONCURSO PBLICO (nome do rgo e cidade) _________________________________N de INSCRIO:___________________________ CARGO: ___________________________________

    TIPO DE RECURSO - (Assinale o tipo de Recurso)

    ( )( )( )( )( )

    CONTRA INDEFERIMENTO DE INSCRIOCONTRA GABARITO DA PROVA OBJETIVACONTRA RESULTADO PROVA ESCRITACONTRA RESULTADO PROVA PRTICA CONTRA RESULTADO PROVA TTULOS

    Ref. Prova objetivaN da questo: ________Gabarito oficial: ________Resposta Candidato: ___

    Justificativa do candidato Razes do Recurso

    Reproduzir a quantidade necessria. Preencher em letra de forma ou digitar e entregar este formulrio em 02 (duas) vias, uma via ser devolvida como protocolo.

    Data: ____/____/____

    Assinatura do