Fagor 55 Prog

Click here to load reader

  • date post

    24-Oct-2015
  • Category

    Documents

  • view

    68
  • download

    3

Embed Size (px)

Transcript of Fagor 55 Prog

  • Programao para Controlo Numrico FAGOR Mod. 8050 e 8055 Fresadora

    RESUMO DA PROGRAMAO

    CONSTRUO DE UM PROGRAMA Um programa de controlo numrico constitudo por um conjunto de blocos ou instrues. Estes blocos ou instrues so formados por palavras compostas de letras maisculas e formato

    numrico. O formato numrico que dispe o CNC consta de:

    Os sinais . + - As cifras 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9

    A programao admite espaos entre letras, nmeros e sinais, assim como prescinde do formato numrico se este tiver o valor de zero, ou se o sinal for positivo.

    O formato numrico de uma palavra pode ser substitudo por um parmetro aritmtico na programao, mais tarde e durante a execuo bsica, o CNC substituir o parmetro aritmtico pelo seu valor, por exemplo:

    Se o valor programado for XP3, o CNC substituir durante a execuo, P3 pelo seu valor numrico, obtendo resultados como X20, X20.36, X-1.258, etc.,.

    Um programa deve conter todos os dados geomtricos e tecnolgicos necessrios, para que a mquina ferramenta execute as funes e movimentos desejados.

    ...NUMERAO DOS PROGRAMAS Todos os programas editados no CNC ou via DNC devero ser numerados, de P000000 a P999999. Nalguns casos no possvel editar os programas P000888 e P999998, estes podero estar ocupados

    por programas de gesto interna da mquina. Como opo todos os programas podem ter nome, este mais fcil para a sua identificao na listagem

    de programas pea. Exemplo: P 000123 A numerao de um programa deve-se introduzir no incio do mesmo para se ter acesso aos vrios

    modos de edio. Se o programa for programado a partir de um perifrico (PC), utiliza-se o smbolo (%) em lugar da letra

    (P), seguido do nome do programa e das extenses de proteco. Exemplo: %000045 PEA REDONDA REF. 12, MX, A extenso MX, quer dizer que o programa pode ser modificado (M) e executado (X). ...NMERO DO BLOCO Os nmeros de blocos servem para identificar cada um dos blocos que constitui um programa ou

    unicamente quando se realizam referncias de saltos a blocos. Representam-se com a letra N seguida de 4 cifras (0-9999), no sendo necessrio seguir nenhuma

    ordem, permitindo-se nmeros salteados ou iguais. Se no mesmo programa existirem 2 ou mais blocos com o mesmo nmero, o CNC tomar sempre o

    primeiro deles, como vlido para execuo. O CNC pode numerar automaticamente os blocos do programa, com incio e intervalos pr-definidos nos

    parmetros do editor. Exemplo: Incio no bloco N10, com intervalos de 10 em 10 blocos. ...BLOCOS DO PROGRAMA Um bloco de programa ser escrito com comandos em linguagem ISO ou com comandos em linguagem

    de alto nvel.

  • Para a construo de um programa, utiliza-se uma, ou outra linguagem, devendo estar cada bloco com o comando numa s linguagem.

    A linguagem ISO est especialmente desenhada para controlar os movimentos dos eixos, j que proporciona informao e condies de movimento e indicaes sobre o avano.

    Dispe de: Funes preparatrias de movimento, que servem para determinar a geometria e as condies de trabalho, como interpolaes lineares, circulares, roscagens, etc.,. Funes de controlo de avanos dos eixos e da rotao da ferramenta. Funes de controlo e gesto das ferramentas. Funes complementares, que contm indicaes tecnolgicas. A linguagem de alto nvel permite aceder a variveis de propsito geral, assim como tabelas e variveis do

    sistema. Proporciona ao utilizador um conjunto de sentenas de controlo que se assemelham terminologia

    utilizada por outras linguagens de programao, como so: IF, GOTO, CALL, etc. Tambm permite utilizar qualquer tipo de expresso, aritmtica relacional ou lgica. Dispe de instrues para a construo de sub-rutinas com variveis locais. Entendendo-se como

    varivel local aquela que s conhecida por uma sub-rutina em que esta tenha sido definida. Alm do mais, permite criar livrarias ou bibliotecas, agrupando sub-rutinas com funes teis e j

    provadas, podendo ser acedidas desde qualquer programa. O CNC permite associar a todos os blocos qualquer tipo de informao em modo de comentrio. O comentrio programa-se no fim do bloco, devendo de comear pelo carcter ;. Se um bloco comea por ; todo ele se considera um comentrio e este no se executar. No se admitem blocos vazios, minimamente devem de ter um comentrio. Cada bloco de programao composto por:

    N = nmero do bloco (opcional) G = funes preparatrias (G00 A G99) X,Y,Z = cotas dos eixos (mm) (Pulg.) F = avano programado (mm/min.) (mm/RPM) S = velocidade programada (RPM) T = nmero da ferramenta D = nmero do corrector da ferramenta M = funes auxiliares Dentro de cada bloco obrigatrio manter esta ordem, mas no necessrio que cada bloco contenha todas as informaes.

    ...FUNES PREPARATRIAS

    As funes preparatrias programam-se com a letra G seguida de dois algarismos [Gxx]. Programam-se sempre no incio do bloco e servem para determinar a geometria e as condies de

    trabalho do CNC.

    Funes de interpolao

    MODAL * G00 Posicionamento rpido at cinco eixos (F mximo)

    MODAL G01 Interpolao linear at cinco eixos

    MODAL G02 Interpolao circular horria

    MODAL G03 Interpolao circular anti-horria

    MODAL G33 Roscagem electrnica

    Condies de mecanizao

    G04 Temporizao

    MODAL * G05 Aresta morta

    MODAL * G07 Aresta viva

    G50 Aresta morta controlada

  • G51 Look-ahead (acelerador para blocos DNC)

    MODAL G70 Programao de cotas em pulgadas

    MODAL * G71 Programao de cotas em milmetros

    MODAL * G90 Programao em cotas absolutas

    MODAL G91 Programao em cotas incrementais

    G92 Pr-seleco de cotas

    MODAL * G94 Avano em mm/minuto

    MODAL G95 Avano em mm/rotao

    MODAL G96 Velocidade de avano superficial constante

    MODAL G97 Velocidade do centro da ferramenta constante

    Ciclos fixos

    G60 Ciclo fixo mltiplo em forma de linha recta

    G61 Ciclo fixo mltiplo em forma de paralelogramo

    G62 Ciclo fixo mltiplo em forma de malha

    G63 Ciclo fixo mltiplo em forma de crculo

    G64 Ciclo fixo mltiplo em forma de arco

    G65 Ciclo fixo mltiplo em forma de corda de arco

    G66 Ciclo fixo de caixas irregulares com ou sem ilhas

    G67 Ciclo fixo de desbaste de caixas irregulares

    G68 Ciclo fixo de acabamento de caixas irregulares

    MODAL G69 Ciclo fixo de furao profunda com passo varivel

    G79 Modificao dos parmetros de um ciclo fixo

    MODAL * G80 Anulao de qualquer ciclo fixo

    MODAL G81 Ciclo fixo de furao simples MODAL G82 Ciclo fixo de furao com temporizao

    MODAL G83 Ciclo fixo de furao profunda com passo constante

    MODAL G84 Ciclo fixo de roscagem rgida com macho

    MODAL G85 Ciclo fixo de escariado

    MODAL G86 Ciclo fixo de mandrilado com retrocesso em G00

    MODAL G87 Ciclo fixo de caixa rectangular ou quadrada

    MODAL G88 Ciclo fixo de caixa circular

    MODAL G89 Ciclo fixo de mandrilado com retrocesso em G01

    MODAL * G98 Retrocesso da ferramenta ao plano de partida

    MODAL G99 Retrocesso da ferramenta ao plano de referncia

    Compensao das dimenses da ferramenta

    MODAL G15 Seleco do eixo perpendicular ao plano de trabalho

    MODAL * G40 Anulao da compensao do raio da ferramenta

    MODAL G41 Compensao do raio da ferramenta esquerda

    MODAL G42 Compensao do raio da ferramenta direita

  • MODAL G43 Compensao do comprimento da ferramenta

    MODAL * G44 Anulao da compensao do comprimento da ferramenta

    Ajudas programao

    G06 Centro da circunferncia em coordenadas absolutas

    G08 Trajectria circular tangente trajectria anterior

    G09 Circunferncia definida por trs pontos

    MODAL * G10 Anulao da imagem espelho

    MODAL G11 Imagem espelho no eixo X

    MODAL G12 Imagem espelho no eixo Y

    MODAL G13 Imagem espelho no eixo Z

    MODAL G14 Imagem espelho nas direces programadas

    G36 Redondeio controlado de arestas (boleado)

    G37 Entrada tangencial da ferramenta

    G38 Sada tangencial da ferramenta

    G39 Corte controlado de arestas (chanfre)

    MODAL G72 Factor de escala

    MODAL G73 Rotao do sistema de coordenadas

    MODAL G77 Acoplamento electrnico dos eixos

    MODAL * G78 Anulao do acoplamento electrnico dos eixos

    Sistema de coordenadas

    MODAL G16 Seleco do plano principal por duas direces

    MODAL * G17 Plano de trabalho X-Y

    MODAL G18 Plano de trabalho X-Z

    MODAL G19 Plano de trabalho Y-Z

    G20 Definio dos limites inferiores da zona de trabalho

    G21 Definio dos limites superiores da zona de trabalho

    G22 Activa e desactiva as zonas de trabalho

    G53 Programao em relao ao zero mquina

    MODAL G54 Mudanas de origem absoluta 1 (zero pea)

    MODAL G55 Mudanas de origem absoluta 2 (zero pea)

    MODAL G56 Mudanas de origem absoluta 3 (zero pea)

    MODAL G57 Mudanas de origem absoluta 4 (zero pea)

    MODAL G58 Mudanas de origem aditiva 1 (zero pea)

    MODAL G59 Mudanas de origem aditiva 2 (zero pea)

    G74 Busca automtica de referncia mquina

    G92 Pr-seleco de cotas

    G93 Pr-seleco de origem polar

  • Sistema de cpia

    G23 Activao da cpia

    G24 Activao da digitalizao

    G25 Desactivao da cpia / digitalizao

    G26 Calibragem da sonda de cpia

    G27 Definio do contorno de cpia

    G75 Movimento do apalpador at tocar

    G76 Movimento do apalpador at deixar de tocar

    Funes M

    M00 Paragem do programa

    M01 Paragem condicional do programa

    M02 Fim do programa

    M03 Rotao da