FALCULDADE DE TECNOLOGIA DE ALAGOAS ENGENHARIA CIVIL FUNDAÇÕES...

Click here to load reader

  • date post

    31-Jan-2018
  • Category

    Documents

  • view

    224
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of FALCULDADE DE TECNOLOGIA DE ALAGOAS ENGENHARIA CIVIL FUNDAÇÕES...

  • FALCULDADE DE TECNOLOGIA DE ALAGOAS ENGENHARIA CIVIL

    FUNDAES 1

    Prof. MsC. Roberto Monteiro

  • FUNDAES PROFUNDAS

    Prof MsC Roberto Monteiro

  • FUNDAES PROFUNDAS

    Definio

    A transmisso da carga ocorre de duas maneiras

    distintas:

    Resistencia de Ponta

    Por atrito lateral (resistncia do fuste)

    De acordo com a NBR 6122 a profundidade de

    assentamento deve ser maior que o dobro da menor

    dimenso em planta do elemento de fundao.

    Fundaes profundas so aquelas cujas bases

    esto implantadas a mais de duas vezes sua menor

    dimenso, e a pelo menos 3m de profundidade.

  • FUNDAES PROFUNDAS

    Em geral as fundaes profundas so executadas quando:

    Os solos superficiais no apresentam capacidade de suportar as cargas da edificao;

    Esto sujeito a processos erosivos;

    Existe a possibilidade da realizao de escavao futura nas proximidades da obra.

  • FUNDAES PROFUNDAS

    Estacas Tubules

    De modo geral dividem-se em:

  • ESTACAS

    Elemento de fundao profunda executado com auxlio de ferramentas ou equipamentos;

    Cravadas a percusso, prensagem, vibrao, por escavao, ou combinao destas.

  • TUBULO

    Elemento de fundao profunda de forma cilndrica;

    Em pelo menos uma de suas fases de execuo, h a descida do operrio.

  • FUNDAES PROFUNDAS

    Caixes

    Elemento de fundao de forma

    prismtica, concretado na superfcie

    do terreno, e instalado por

    escavao interna, podendo ainda

    na sua instalao utilizar ou no, ar

    comprimido, e ter, ou no, a sua

    base alargada.

  • SUBDIVISES

    Estacas e Tubules podem ser executados de

    modos distintos;

    As estacas podem ser pr-moldadas ou moldadas

    in-loco

    Os tubules podem ser executados cu aberto ou

    com o uso de cmaras de compresso e

    descompresso (tubules pneumticos)

  • FUNDAES PROFUNDAS

    Como se pode observar h uma grande

    variedade de estacas para fundao e conteno;

    Continuamente surgem no mercado novos tipos

    de estacas envolvendo novas tcnicas;

  • Escolha do tipo de fundaes

    profundas

    Deve-se observar:

    Esforo nas

    fundaes;

    Caractersticas do

    subsolo;

    Caractersticas do

    local da obra;

    Caractersticas das

    construes

    vizinhas.

  • 1 - ESFORO NAS FUNDAES

    Nvel das cargas nos pilares;

    Ocorrncia de outros esforos alm dos de

    compresso (trao e flexo);

    2 CARACTERSTICAS DO SUBSOLO

    Argilas muito moles, dificultando a execuo de estacas de concreto moldadas in-situ;

    Solos muito resistentes (compactos ou com pedregulhos) que devem ser atravessados, dificultando ou mesmo impedindo a cravao de estacas de concreto pr-moldadas;

  • 2 Caractersticas do subsolo

    Solos com mataces, dificultando ou mesmo impedindo o emprego de estacas cravadas de qualquer tipo.

  • 3 CARACTERSTICAS DO LOCAL DA OBRA

    Terrenos acidentados, dificultado o acesso de equipamentos pesados (bate-estacas etc);

    Local com obstruo na altura, como telhados e lajes, dificultando o acesso de equipamentos altos;

    Obra muito distante de um grande centro, encarecendo o transporte de equipamentos pesados;

    Ocorrncia de lmina dgua.

    Continua

  • Nvel do lenol muito elevado, dificultando a execuo de estacas de concreto moldadas in situ sem revestimento ou uso de lama;

    Aterros recentes (em processo de adensamento) sobre camadas moles, indicando a possibilidade de atrito negativo.

  • 4 CARACTERSTICAS DAS

    CONSTRUES VIZINHAS

    Tipo e profundiade das fundaes;

    Existncia de subsolos;

    Sensibilidade a vibraes;

    Danos j existentes.

    Observao: importante considerar a experincia local.

  • FUNDAES I ESTACAS

  • ESTACAS

    Pr moldadas

    Estacas de concreto;

    Estacas de madeira;

    Estacas metlicas

    Forma de Funcionamento

    Estaca de ponta;

    Estaca de atrito ou flutuante;

    Estaca mista.

    Forma de carregamento

    Estaca de compresso

    Estaca de trao

    Estaca de flexo

  • ESTACAS

    Quanto ao Processo de Execuo podem ser

    Moldadas in loco

    Sem lama betontica:

    Tipo Franki; tipo Strauss, Escavada Mecanicamente com trado Helicoidal, Estaca tipo broca; Hlice contnua;

    Com lama betontica;

    Estaca injetadas: microestacas e as estacas raz.

  • ESTACA DO

    TIPO FRANKI

  • Estaca Franki - princpio

    Um engenheiro belga (Edgard

    Frankignoul) pensou em alargar a

    base das estacas a fim de aumentar a

    capacidade de carga nestas, (como na

    base dos Tubules).

    VASCONCELOS (2002).

  • Estaca Franki - processo executivo

    Consiste na cravao de um tubo de ao cuja

    ponta fechada por uma bucha de pedra e areia,

    sobre a qual bate-se um pilo em queda livre

    com peso de 1t a 3t que arrasta o tubo por atrito,

    obtendo-se ao final da cravao uma forma

    estanque.

    (Bate Estaca)

  • Etapa 1: posicionamento do tubo de

    revestimento e formao da bucha a partir do

    lanamento de brita e areia no interior do tubo e

    compactao pelo impacto do pilo fazendo o

    material aderir fortemente ao tubo;

    Etapa 2: cravao do tubo no terreno por meio

    da aplicao de sucessivos golpes do pilo na

    bucha formada na etapa anterior;

    Estacas tipo Franki etapas de

    execuo

  • Estacas tipo Franki etapas

    de execuo

    Etapa 3: terminada a cravao, o tubo

    preso torre do bate-estaca por meio de

    cabos de ao, para expulsar a bucha e iniciar

    a execuo da base alargada, que se d

    pelo apiloamento de camadas sucessivas de

    concreto quase seco;

    Etapa 4: colocao da armao da estaca,

    tomando-se o cuidado de garantir a sua

    ligao com a base alargada;

  • Estacas tipo Franki etapas

    de execuo

    Etapa 5: concretagem do fuste, com o

    lanamento de camadas sucessivas de

    pequena altura de concreto e

    recuperao do tubo;

    Etapa 6: Finalizao do processo

    executivo, onde a concretagem do fuste

    ocorre at 30 cm acima da cota de

    arrasamento.

  • EXECUO

  • Estaca Franki

    O concreto usado na execuo das estacas

    tipo Franki possui baixo fator gua/cimento,

    resultando num concreto de slump zero, o

    qual permite o apiloamento previsto no

    processo executivo.

    Possuem alta capacidade de carga;

    Podem ser executadas a grandes

    profundidades, no sendo limitadas pelo

    nvel de lenol fretico.

    Sempre considerar as condies de

    vizinhana e peculiaridades do local.

  • Estaca Franki

    Outros inconvenientes referentes ao uso destas estacas dizem respeito ao encurtamento da ferragem (decorrente de concretagem inadequada ou deformao do fuste),

    Levantamento de estacas j executadas quando da execuo de estacas prximas.

  • Estaca Franki

    Quando existem camadas muito moles

    de grande espessura ou onde as

    condies locais no permitir a execuo

    de estaca Franki comum, pode ser

    empregada a estaca Franki tubada.

    consiste na cravao de um tubo com

    parede entre 8 e 10mm, onde se

    executa a base e a concretagem, sem

    a retirada do tubo. Pode-se ainda

    cravar o tubo normal e introduzir outro

    tubo mais fino para se concretar o

    fuste.

  • Estaca Franki

    Ao contrrio das estacas pr-moldadas as estacas Franki so recomendadas para o caso de a camada resistente encontrar-se a profundidades variveis.

    Tambm so perfeitamente aplicveis a terrenos com pedregulhos ou pequenos mataces.

  • REFERNCIA

    HACHICH, W. et al. Fundaes: Teoria e Prtica. 2 Ed. Pini. So Paulo-SP. 1998.