Fisiopatologia da Enxaqueca

Click here to load reader

  • date post

    20-Jan-2016
  • Category

    Documents

  • view

    23
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Fisiopatologia da Enxaqueca. Alunos: Rodrigo Cândido Rezende Thamires Baldo Cordeiro. Estado de hiperexcitabilidade. O encéfalo do portador de enxaqueca está em um estado de hiperexcitabilidade. A hiperexcitabilidade é conferida por: Aumento dos níveis de aspartato e glutamato - PowerPoint PPT Presentation

Transcript of Fisiopatologia da Enxaqueca

  • Alunos: Rodrigo Cndido Rezende Thamires Baldo Cordeiro

  • O encfalo do portador de enxaqueca est em um estado de hiperexcitabilidade. A hiperexcitabilidade conferida por:Aumento dos nveis de aspartato e glutamatoDiminuio do on magnsioAlterao dos canais de clcio voltagem dependentes

  • Se propaga no sentido pstero-anterior dada por uma onda de excitao seguida de supresso da atividade neuronalEssa fase de supresso desencadeada pela liberao de NO, potssio e glutamato aps a despolarizao a responsvel pelo fenmeno da aura enxaquecosa, mas pode ser subclnica explicando a enxaqueca sem auraAtiva o sistema trigeminovascularAcompanhada por hipoperfuso no territrio da DAProduz up-regulation da xido ntrico sintase (NOS)

  • Composto por fibras amielnicas do tipo C ativado o ncleo caudal do trigmeoLibera como neurotransmissores vasoativos as substncia P (SP) e o peptdio relacionado ao gene da calcitonina ( CGRP).Devido a liberao de NO, potssio, cido araquidnico e ons hidrognio as terminaes trigeminovasculares perivasculares so despolarizadasA crise enxaquecosa se desenvolve sobretudo em artrias e estruturas trigeminais centrais e perifricas

  • O CGRP e SP induzem vasodilatao e aumento da permeabilidade vascularH extravasamento de protenas, e ativao plaquetria formando-se a inflamao neurognica estril

  • Sintetizado a partir da L-arginina pela NOSEst presente em fibras nervosas e no endotlioTem atividade vasodilatadoraAtua como neurotransmissor alggeno

  • Os receptores da serotonina mais relevantes para o desencadeamento da enxaqueca so HT1B e HT1D.O receptor HT1B est localizado na parede vascular e tem atividade vasoconstritoraO receptor HT1D est localizado no 2 neurnio motor e tem atividade anti-inflamao neurognicaEstes receptores tem localizao principalmente no crtex frontal, visual, ncleo do trato solitrio e ncleo espinhoso do trigmeo.Na enxaqueca h indcios de uma hipoatividade dessa via

  • O ncleo de Gasser emite disparos que sensibilizam o 1 neurnio motorO ncleo trigemino-espinhal sensibiliza o 2 neurnio motorEssa sensibilizao responsvel pala manuteno da dor mesmo na ausncia de estmulos nociceptivos e traduz-se clinicamente pelo surgimento da alodnea.

  • 1 fase: ativao do neurnio de primeira ordem ( neurnio trigeminovascular), cujo ncleo est localizado no gnglio trigeminal, inervando tanto as artrias menngeas quanto o ncleo trigeminal caudal. Sua ativao causa dor na distribuio trigmea e tem qualidade pulstil.

  • 2 fase: a persistncia do ataque ativa neurnio de segunda ordem, localizado entre o ncleo trigeminal caudal e o tlamo. No tlamo, centro do tronco cerebral ativado e sensibilizado e, se o ataque no for abortado, essa regio vai permanecer ativada ainda que cesse a estimulao aferente do neurnio de 1 ordem. Nesse estgio, os portadores de enxaqueca descrevem sintomas alodnicos em seu couro cabeludo e pescoo

  • Caso o ataque continue o neurnio de terceira ordem, localizado entre o tlamo e o crtex sensitivo cerebral, envolvido, tornando a dor mais prevalente e de carter no pulstil

  • A rafe dorsal do mesencfalo contm a concentrao mais alta de receptores de serotonina no crebro e pode ser o gerador da enxaqueca. Estes receptores so principalmente 5-HT1A. Presentes tambm 5HT1D.As projees da rafe dorsal terminam em artrias cerebrais e alteram o fluxo sanguneo cerebral. Alm disso tambm faz projeo para neurnios de processamento visual. Isto explica as caracterstica circulatrias e visuais da enxaqueca

  • Lopes, A.C.; Tratado de Clnica Mdica, 2 ed., vol.2, ed Roca, 2009Nitrini, R., Bacheschi, L.A., A neurologia que todo mdico deve saber, 2 ed, Ed. Atheneu, 2005Vincent, M.; Fisiopatologia da enxaqueca (ou migrnea), 1997Martins, I.P.; Enxaqueca: da clnica para a etiopatogenia, 2009Rowland, L.P.; Merrit Tratado de Neurologia, 11 ed, Ed.Guanbara-Koogan, 2007Fauci,A.S.; Braunwald,E.; Kasper,D.L.; Haulser,S.L.; Longo,D.L.; Jameson,J.L. Loscalzo,J.; Medicina Interna Harrison, 17 ed., editora AMGH , 2008