flauta doce

download flauta doce

of 49

  • date post

    02-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    1.746
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of flauta doce

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE LETRAS E ARTES LICENCIATURA EM MSICA

A Flauta Doce no Ensino Fundamental nas Turmas de 1 ao 5 ano

FRANK DE ANDRADE PEREIRA

RIO DE JANEIRO, 2009

A FLAUTA DOCE NO ENSINO FUNDAMENTAL NAS TURMAS DE 1 AO 5 ANO

por

FRANK DE ANDRADE PEREIRA

Monografia apresentada para concluso do curso de Licenciatura Plena em Educao Artstica Habilitao em Msica do Instituto Villa-Lobos, Centro de Letras e Artes da UNIRIO, sob a orientao do Professor Helder Parente.

Rio de Janeiro, 2009

ii

AGRADECIMENTOS

A minha amada esposa, por tudo; A Diretora Jane, pela confiana; Ao mestre Helder Parente, por sua diligncia.

iii

PEREIRA, Frank de Andrade. A Flauta Doce no Ensino Fundamental nas Turmas do 1 ao 5 ano. 2009. Monografia (Licenciatura Plena em Educao Artstica Habilitao em Msica) Instituto Villa-Lobos, Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

RESUMO

Baseado na prtica do ensino de msica em escolas particulares que tm a flauta doce como instrumento bsico de musicalizao, a presente pesquisa prope uma avaliao entre as necessidades das escolas e suas propostas pedaggicas para o ensino de msica, tendo como suporte terico idias extradas das reflexes de Freire (1996) e de Swanwick (2003), na prtica educativa. O conto do caso relatado, procura mostrar como so os primeiros passos de um professor quando chega ao mercado de trabalho, das dificuldades encontradas para desenvolver suas metas e de como foram solucionadas. Esse processo resultou na elaborao de um material didtico, destinado a dar suportes s aulas, incluindo nele os principais tpicos, visando alfabetizao musical dos alunos nas turmas de primeiro ao quinto ano do ensino fundamental. O material elaborado relevante no s como ferramenta de apoio ao docente em sala de aula, mas tambm como incentivo ao desenvolvimento de novas propostas pedaggicas que agreguem melhor qualidade no ensino da educao musical.

Palavras-chave: Flauta doce Ensino Fundamental Flauta doce na Escola Ensino de Flauta para crianas

iv

SUMRIO Pgina LISTA DE FIGURAS................................................................................................................vi INTRODUO..........................................................................................................................1 CAPTULO 1 O ENSINO DE MSICA NAS ESCOLAS.....................................................3 1.1 O que se quer e o que se pode 1.2 Mudana do perfil do professor 1.3 A performance CAPTULO 2 CONTEXTUALIZAO DE FATOS QUE INFLUENCIAM O DESENVOLVIMENTO DA PRTICA MUSICAL NA FLAUTA DOCE..............................7 2.1 Um pouco de histria 2.2 O dedilhado germnico CAPTULO 3 AS ESCOLAS................................................................................................11 3.1 A primeira experincia 3.2 A primeira produo 3.3 As necessidades das Escolas 3.4 As apresentaes 3.5 Apresentao do Primeiro Ano 3.6 Apresentao do Segundo Ano 3.7 Apresentao do Terceiro Ano 3.8 Apresentao do Quarto Ano 3.9 Apresentao do Quinto Ano 3.10 As escolas no sabem onde encontrar professores de msica 3.11 Espao fsico para aulas e tempo de aula 3.12 Planejamento e material didtico CAPTULO 4 AS APOSTILAS DE MSICA.....................................................................21 4.1 Apostila do Primeiro Ano do Ensino Fundamental CAPTULO 5 CONSIDERAES FINAIS.........................................................................42 REFERNCIAS........................................................................................................................43

v

LISTA DE FIGURAS Pgina Figura 1 - Dedilhados................................................................................................................22 Figura 2 Dedilhado das notas Sol e D..................................................................................23 Figura 3 Dedilhado das notas do exerccio proposto.............................................................23 Figura 4 Representao de pauta e das notas na pauta..........................................................24 Figura 5 Compasso dois por quatro.......................................................................................25 Figura 6 Representao de tempo..........................................................................................27 Figura 7 Representao de tempo..........................................................................................28 Figura 8 Representao da escala Diatnica..........................................................................30 Figura 9 Notas na pauta musical............................................................................................32 Figura 10 Representao da nota Si.......................................................................................35 Figura 11 e 12 Exerccios com a nota Si ...............................................................................35 Figura 13 Representao da nota L......................................................................................36 Figura 14 e 15 Exerccios com a nota L...............................................................................36 Figura 16 Fragmento de Partitura da Msica Baile...............................................................37 Figura 17 Fragmento de Partitura da Msica Barcarola........................................................39 Figura 18 Fragmento de Partitura da Msica A Ovelha de Maria.........................................40 Figura 13 Representao da nota R......................................................................................41 Figura 20 Fragmento de Partitura da Msica Jingle Bells.....................................................41

vi

1

INTRODUO

O presente trabalho foi desenvolvido com base no estudo do caso por mim vivenciado durante trs anos em escolas particulares nas cidades do Rio de Janeiro e Niteri. Foram analisadas questes pertinentes: (a) ao dia-a-dia do professor quando da sua primeira experincia no mercado de trabalho e como o ensino da flauta doce tem sido conduzido nessas escolas; (b) a falta de conhecimento dos professores que antecederam o autor em seu trabalho e suas conseqncias na qualidade do desenvolvimento da educao musical das crianas que permaneceram nas escolas aps sua passagem; (c) a necessidade das escolas mostrarem suas produes ao seu pblico e como as aulas so afetadas por esse procedimento. A performance dos alunos posta em primeiro plano e passam a nortear o rumo do trabalho, implicando inclusive na mudana do perfil do professor, que tem que se adaptar realidade, dentro desses estabelecimentos de ensino, visando s apresentaes performticas nos eventos festivos na escola. Devido a essa urgncia dessas exibies, eventualmente pulamse fases importantes do ensino. Segundo Swanwick (2003), restries aos programas de performance da Amrica do Norte tm sido levantadas por muitos escritores, que se posicionam contra a nfase excessiva em conjuntos performticos. feito um breve levantamento histrico retratando a flauta no seu apogeu no sculo XVIII como instrumento artstico e como essa caracterstica do instrumento pouco conhecida, alm de contextualizar o equivoco que levou criao das flautas com dedilhado germnico e os problemas oriundos dessa questo.

2

As escolas no se organizam no sentido de prepararem um ambiente estimulante prtica musical. As aulas so ministradas no mesmo espao em que acontecem aulas de outras matrias, sem equipamentos tcnicos necessrios audio de materiais gravados ou quaisquer outras ferramentas de trabalho com este fim. O objetivo da pesquisa levar aos colegas que esto chegando ao mercado de trabalho um pouco da experincia vivida com a prtica de aulas, em escolas particulares, que tm a flauta doce como instrumento de musicalizao alm de apresentar os problemas e as solues encontradas no dia-a-dia escolar e como desenvolver as atividades em aula, atendendo s necessidades das escolas. A falta de material didtico adequado s aulas nas escolas um dos pontos fundamentais na elaborao deste trabalho. Vi o quanto era importante desenvolver esse material como suporte didtico no contedo das aulas. Este material foi revisado pelo orientador desse trabalho e pode ser complementado com sugestes que os colegas julgarem pertinentes.

3

CAPTULO 1 O ENSINO DE MSICA NAS ESCOLAS

Este captulo ter como objetivo mostrar como os professores sofrem influncias na conduo de seus trabalhos a partir da interferncia dos pais e alunos nos resultados que as escolas esperam obter, mostrando que h um jogo poltico que pode determinar o fluxo dos trabalhos.

1.1 O que se quer e o que se pode

So muitas as formas de conduo das propostas das escolas particulares e de suas relaes com os professores e alunos. Encontramos vrios nveis de conhecimentos e de como estes so passados. De modo geral as matrias que fazem parte do currculo, ou seja, portugus e matemtica, so as que mais requerem cuidados, pois estaro ligadas a questes futuras que podero levar admisso em alguma instituio de ensino ou de trabalho. Assim, tornam-se obrigatrias, e todos tm que passar por elas, no h opo de no querer curs-las. Quando nos referimos ao ensino da msica, vimos que este no tem as mesmas caractersticas peculiares s outras matrias e que as prprias escolas do um tratamento diferenciado questo, interferindo na relao do professor com o aluno. H as que elegem representantes com o objetivo de fazer um intercmbio entre os alunos e a direo, na qual os alunos ganham poder de deciso. Abrem suas portas aos pais de modo que esses possam fazer sugestes e de alguma forma proteger seus filhos, quando estes por algum motivo, no vo

4

bem na matria, num jog