Gestão de Equipamentos Médico-Hospitalares · médico-hospitalar e de infra-estrutura, bem como...

of 51 /51
Gestão de Equipamentos Médico-Hospitalares Eng. Ricardo Maranhão

Embed Size (px)

Transcript of Gestão de Equipamentos Médico-Hospitalares · médico-hospitalar e de infra-estrutura, bem como...

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares

    Eng. Ricardo Maranho

  • Introduo

    A qualidade nos servios de sade, segundo a OMS, definida como:

    um alto nvel de excelncia profissional;

    uso eficiente dos recursos;

    um mnimo de riscos para o paciente;

    um alto grau de satisfao do paciente;

    o impacto final na sade.

    Fonte:OPAS

    Qualidade

  • Qualidade

    Dados Econmicos da Sade

    Setor Pblico

    Valor de Equipamentos Mdico-Hospitalaresinstalados no Brasil girava em torno deUS$ 7 bilhes (1993).

    Sendo que 20-40% desses equipamentosestavam inoperantes.

    Fonte: WHO

  • Introduo

    Falta de mo de obra especializada;

    Falta de instalaes adequadas;

    Dificuldade de obteno de peas de reposio;

    Especificaes inadequadas;

    Custos excessivos dos insumos;

    Dificuldade de importao;

    Dificuldade de treinamento.Fonte: WHO

    Qualidade

  • Paradoxo Tecnolgico

    A incorporao tecnolgica est reduzindocustos e melhorando produtos e servios.

    No campo da sade, entretanto, os produtose servios esto ficando cada vez maiscaros.

    Fonte: Beting, 2000

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares

    Infraestrutura

    Aquisio

    Operao

    Manuteno

    Descarte

    Equipamentos

    Usurio

    Custo-efetividade

    Confiabilidade

    Segurana

    Conformidade

  • A Engenharia Clnica

    Definio ACCE

    Compete Engenharia Clnica criar umprograma de gerenciamento e superviso parao servio de manuteno, estabelecendonormas e padres na instituio que preservemo uso seguro e eficiente do equipamentomdico-hospitalar e de infra-estrutura, bemcomo de seus profissionais e usurios.

    Engenharia Clnica

    Fonte: ACCE

  • Engenharia Clnica

    Evoluo Histrica da Engenharia Clnica

    1970

    SEGURANA ELTRICAPROGRAMA DE CONTROLE DE EQUIPAMENTOS

    GERENCIAMENTO E CONTROLE DE RISCOSCENTRO CONTROLE DE RISCOS/NOTIFICAO DE FALHAS

    CONTROLE DE EQUIPAMENTO E ANLISE DE CUSTOSMANUTENO DE TECNOLOGIAS DE ALTA COMPLEX.

    1980

    CENTROS DE AVALIAOTECNOLGICA EM SADE

    CRITRIOS PARA AVALIAO DE TECNOLOGIAS EM SADE

    CENTRO PARA GERENCIAMENTO DE

    TECNOLOGIAS

    1985 1990 2000

    Fonte: Bronzino

  • O que Engenharia Clnica?

    Engenharia Clnica a profisso que apoia epromove a segurana do paciente aplicandohabilidades de engenharia e administrao tecnologia mdico-hospitalar.

    (American College of Clinical Engineering - ACCE )

    Engenharia Clnica

    Fonte: ACCE

  • Fonte: ANVISA

  • MANUTENO TREINAMENTO

    AQUISIO

    GESTO DE

    EQUIPAMENTOS

    MDICO-HOSPITALARES

    INSTALAO

    DESCARTE

    OPERAO

    Engenharia Clnica

  • AQUISIO

    LEVANTAMENTO

    DA NECESSIDADE

    ESPECIFICAO

    TCNICA

    ESTIMATIVA

    DE CUSTO

    (Oramentos)

    AVALIAO

    DAS PROPOSTAS

    EMISSO DE

    PARECER

    RECEBIMENTO

    Engenharia Clnica

  • INSTALAO

    PR-REQUISITOS

    (PROJETOS)

    ACOMPANHAMENTO

    DA INSTALAOTESTES DE

    RECEBIMENTO

    Engenharia Clnica

  • OPERAO

    AVALIAO

    DO USURIO

    AVALIAO DO

    EQUIPAMENTO

    SOFTWARE

    DE GESTO

    Engenharia Clnica

  • MANUTENO

    AVALIAO

    DOS PRESTADORES

    (CONTRATOS)

    CAPACITAO

    DA

    EQUIPE

    INTERNA

    SOFTWARE

    DE GESTO

    AVALIAO

    DOS

    CONTRATOS

    (VALORES)

    Engenharia Clnica

  • Manuteno

    Quando tudo vai bem:

    Ningum lembra que existe.

    Quando algo vai mal:

    Dizem que no existe.

    Quando para gastar:

    Acha-se que no preciso que exista.

    Porm, quando no existe:

    Todos concordam que deveria existir.Fonte: Desconhecido

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares:

    Uma abordagem sistemtica, responsvel porgarantir que os equipamentos de custo-efetividade, eficazes, seguros e apropriadosestejam disponveis para atender com qualidadea demanda do cuidado sade."

    Engenharia Clnica

    Fonte: ECRI

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    A experincia da Gerncia de IncorporaoTecnolgica em Sade (GITS) abrange as 15unidades assistenciais pertencentes Secretariade Estado da Sade de Gois - SES/GO.

    A maioria, situada em Goinia, possua contratosde manuteno de equipamentos mdico-hospitalares por empresas prestadoras de servio.

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    Metodologia

    Como critrio de anlise foi utilizado o valor docontrato de manuteno em comparao com ovalor de aquisio do equipamento.

    O valor utilizado como referncia sempre atualizado com o valor de mercado.

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    TIPO DE CONTRATO DE MANUTENO PERCENTUAL GASTO EM MANUTENO / ANO

    Manuteno Corretiva (MC) + ManutenoPreventiva (MP) (somente mo de obra) 04 a 06

    Manuteno Corretiva (MC) + ManutenoPreventiva (MP) (mo de obra + peas) 08 a 10

    Manuteno Corretiva (MC) + ManutenoPreventiva (MP) (mo de obra + peas e

    acessrios)12 a 15

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    Exemplo da Metodologia

    Um aparelho que custa R$ 100.000,00

    Se considerarmos a taxa de 12% / ano do valor deaquisio do equipamento teremos um custo de R$12 mil / ano com mo de obra, peas e acessriospara manuteno preventiva (MP) e manutenocorretiva (MC).

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    Aplicao da Metodologia:

    Foram analisados 06 contratos de manuteno deequipamentos no segundo semestre de 2004.

    Utilizamos a taxa de 12 % / ano do valor deaquisio do equipamento para os servios demanuteno preventiva MP e manuteno corretivaMC, incluindo mo de obra, peas e acessrios.

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    Empresa X

    Valor ofertado R$ 175.375,80 / ano (32%)Valor calculado R$ 58.839,60 / ano (12%)Valor economizado R$ 116.536,20 / ano

    Equipamentos: monitores, bero aquecidos,incubadoras, ECG, oxmetro e fototerapia.

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    Empresa y

    Valor ofertado R$ 762.876 / ano (35%)Valor calculado R$ 262.256,04 / ano (12%)Valor economizado R$ 500.619,96 / ano

    Equipamentos 55 ventiladores e aparelhos deanestesia.

  • Manuteno

    Avaliao dos Contratos de Manuteno

    Resultados:

    Somente no segundo semestre de 2004 foramanalisados 06 contratos de manuteno deequipamentos

    MP/MC+Peas+Acessrios 12 % / ano

    Economia de R$ 1.100.000,00 / ano

  • Manuteno

    interessante notar que, mesmorepresentando uma economiasignificativa para a instituio de sade,a manuteno seja ainda encaradapelos administradores como mais umafonte de despesas.

    Manuteno

  • Documentao

    Temporal

    a) Tempo de atendimento;

    b) Tempo de resposta;

    c) Tempo de equipamento parado;

    d) Horas de manuteno corretiva/OS;

    e) Horas de manuteno corretiva/equipamento;

    Indicadores

  • Documentao

    Temporal

    f) Horas de manuteno corretiva/setor;

    g) Tempo mdio de retorno;

    h) Horas produtivas / horas disponveis;

    i Tempo mdio entre falhas;

    j) Tempo mdio de reparo.

    Indicadores

  • Documentao

    Qualidade

    a) MP realizada/MP desejada;

    b) OS/equipamento;

    c) Nmero de OS por ms;

    d) N. OS fechadas / N. de OS abertas;

    e) Total de OS por tcnico;

    f) Reparos repetidos;

    g) Total de OS por setor.

    Indicadores

  • Documentao

    Custo

    a) Custo de manuteno corretiva/equipamento;

    b) Custo de manuteno total/custo de aquisio do equipamento;

    c) Custo de equipamento parado;

    d) Custo dirio por leito parado;

    e) Custo de acessrios/equipamento.

    Indicadores

  • Documentao

    Custo

    Os indicadores de desempenho da engenhariaclnica devem ser adotados, seja com mo-de-obra tcnica contratada pela instituio, sejaatravs da contratao de empresasespecializadas terceirizadas.

    Indicadores

  • Gesto da ManutenoMo de Obra

    Servios de Terceiros

    Custos Diretos e Indiretos da Manuteno

    CUSTOS DIRETOS

    Custo Operacional

    CUSTOSINDIRETOS

    Peas e Materiais

    Custo de Parada

    Depreciao

    Acidentes

    Perda de Imagem

    Qualidade do Servio

  • Gesto da Manuteno

    Curva da Bacia ou Banheira

    Taxa de Quebra

    Frequncia de Utilizao

  • TREINAMENTO

    USURIO

    MANUTENO

    ( TCNICO)

    OPERAO

    (USURIO)

    Engenharia Clnica

  • Treinamento

    Cerca de 60 a 80% das falhas em equipamentosmdico-hospitalares ocorrem devido a erros deoperao ou mau uso do equipamento.

    A falta de qualificao tcnica dos usurios nouso do equipamento uma fonte de riscos.

    Os profissionais da rea clnica sabem operaradequadamente os equipamentos?

    Fonte: UNICAMP

    Treinamento

  • Treinamento

    Na Sucia (1984-85), foram analisados 306equipamentos defeituosos que causaramacidentes fatais ou com srias consequncias.Verificou-se que:

    26% por uso indevido;

    46% por problemas de desempenho.

    Existem no hospital programas de treinamento ereciclagem adequados para uso da tecnologiamdica?

    Fonte: ECRI

    Treinamento

  • Treinamento

    Uma anlise de 145 acidentes ocorridos durante o perodo de 5 anos (1974-78), em uma UTI mdico-cirrgica, mostrou que :

    - 30% por mau uso dos equipamentos;

    - 34% por erros de comunicao;

    - de 96 acidentes relacionados a equipamentos, 48% lesaram o paciente.

    Fonte: MS

    TreinamentoTreinamento

  • DESCARTE

    AVALIAO

    DO CUSTO-BENEFCIO

    AVALIAO DE

    NOVA TECNOLOGIA

    DESCARTE

    CONTROLADO

    Engenharia Clnica

  • RDC N. 63 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2011

    Dispe sobre os Requisitos de Boas Prticas de Funcionamento para os Servios de Sade

    RDC N 2, DE 25 DE JANEIRO DE 2010

    Dispe sobre o gerenciamento de tecnologias em sade em estabelecimentos de sade.

    Fonte: ANVISA

    Normas

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares

    Vantagens

    Reduo dos gastos com manuteno;

    Reduo do tempo de parada do equipamento;

    Avaliao tcnica dos oramentos;

    Melhoria de qualidade dos servios;

    Melhoria na qualidade tcnica dos equipamentos;

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares

    Vantagens

    Conhecimento do Parque Tecnolgico dasUnidades de Sade;

    Treinamento contnuo dos operadores;

    Melhoria nos processos de compras;

    Melhoria na elaborao dos contratos demanuteno;

    Validao dos indicadores de desempenho;

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares

    Vantagens

    Conhecimento dos gastos com manuteno,incluindo servios e reposio de peas eacessrios;

    Conhecimento da Taxa Mdia de Falha doequipamento (TMF);

    Conhecimento do Tempo Mdio de Reparo doequipamento (TMR);

    Informaes sobre a necessidade de treinamento(erro do operador);

  • Gesto de Equipamentos Mdico-Hospitalares

    Vantagens

    Controle da vida til dos equipamentos;

    Controle dos contratos de manuteno;

    Qualificao dos fornecedores;

    Relatrios para tomada de decises;

    Ferramenta gerencial para o gestor.

  • Modelo de Shepherd

    Fonte: Dyro J. Safety Program, Hospital. Encyclopedia of Medical Devices and Instrumentation. Second Edition, Ed. John G. Webster, John Wiley & Sons,

    Inc 2006; 109-122.

  • Conceitos Bsicos

    Evento Adverso

    Eventos que produzem, ou potencialmente podem produzir,

    resultados inesperados ou indesejados que afetem a

    segurana de pacientes, usurios ou outros

    (ANVISA, 2003) ; (MHRA, 2008).

  • Conceitos Bsicos

    Evento adverso pode ser resultado de:

    falha do produto

    defeito de fabricao

    mau funcionamento

    rotulagem

    instrues de uso

    embalagem imprpria ou inadequada

    desenvolvimento imprprio ou inadequado de projeto

    erro do usurio

    (ANVISA, 2003)

  • Eventos adversos com Tomografia

    O estudo teve como objetivo levantar os eventosadversos relacionados ao uso do aparelho detomografia computadorizada reportados nos sistemasde notificao do Brasil e no exterior. Classificando-osde acordo com as suas causas segundo o modelo deabordagem de Shepherd e verificando a suacorrespondncia com os aparelhos de tomografiacomputadorizada instalados no Brasil. No Brasilconsultou-se o Sistema Nacional de Notificao deEventos Adversos e Queixas Tcnicas desenvolvidopela Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria e noexterior pesquisou-se o Medical Device ReportingDatabase e o Manufacturer and User Facility DeviceExperience Database, ambos desenvolvidos pela Foodand Drug Administration.

  • Eventos adversos com Tomografia

    Os eventos adversos foram classificados segundo aproporo de ocorrncia por componente e porsubcomponente. Levantou-se 519 eventos adversosrelacionados ao aparelho de tomografia no perodo de01/01/1984 a 31/12/2007, sendo que 233 relatos doMDR e 286 relatos do MAUDE. Nenhum evento foilevantado por meio do banco de dados brasileiro. Oestudo mostrou que 78,2% dos eventos adversos serelacionavam com o componente dispositivo mdicosendo que 38,9% se relacionavam ao subcomponenteprojeto dos circuitos e partes.

  • Eventos adversos com Tomografia

    O estudo mostrou tambm que 64,5% dos eventosadversos foram classificados como maufuncionamento. O estudo classificou os eventosadversos por tipo de falha, sendo o erro de software otipo de falha com maior ocorrncia (20,7%). Ao verificara correspondncia dos eventos encontrados nosbancos de notificao do exterior relacionando com osaparelhos similares existentes no Brasil, encontrou-se356 eventos.

  • Resultados

    Aplicao do Modelo

    de Shepherd:

    Tabela 23

    Proporo de estimativa de ocorrnciade eventos adversos encontrados nos

    Bancos MAUDE e MDR, apscruzamento com os tomgrafosregistrados no Brasil e classificados por

    tipo de problema segundo a FDA

    TIPO DE PROBLEMA Nmero de EAs

    Proporo de EAs

    Artefato 28 9,4%

    Choque eltrico 3 1,0%

    Coliso no intencional 21 7,0%

    Componente(s) desgastado 2 0,7%

    Dispositivo inoperante 31 10,4%

    Dispositivo uso ou cuidado incorreto 2 0,7%

    Energizao indevida do dispositivo 4 1,3%

    Erro de software 66 22,1%

    Exposio radiao no intencional 6 2,0%

    Falha na embalagem 1 0,3%

    Falha na manuteno 11 3,7%

    Falha no boto ou chave de emergncia 2 0,7%

    Fogo / Incndio 21 7,0%

    Fratura(s) do dispositivo ou material 5 1,7%

    Imagem com orientao incorreta 4 1,3%

    Imagem com resoluo pobre 2 0,7%

    Imagem revertida direita ou esquerda 28 9,4%

    Medidas incorretas 10 3,3%

    Movimento no intencional 43 14,4%

    Problema de projeto/estrutura 4 1,3%

    Vazamento de lquido ou fludo 5 1,7%

    TOTAL 299 100,0%

  • Obrigado!

    Gesto de Equipamentos

    Mdico-Hospitalares

    Eng. Ricardo Alcoforado Maranho S

    E-mail: [email protected]

    mailto:[email protected]