Gestao estrategica pessoas

of 55 /55
Daniel Kroeff de Araujo Corrêa - [email protected] Falando em mudanças PAPÉIS DE RH PARCEIRO ESTRATÉGICO ESPECIALISTA ADMINISTRATIVO DEFENSOR DOS FUNCIONÁRIOS AGENTE DE MUDANÇAS Fonte: David Ulrich Pg. 34 Livro FGV

Embed Size (px)

Transcript of Gestao estrategica pessoas

  • 1. PARCEIRO ESTRATGICOESPECIALISTA ADMINISTRATIVODEFENSOR DOS FUNCIONRIOSAGENTE DE MUDANASFonte: David UlrichFalando em mudanasPg. 34 Livro FGVDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected]

2. Administrao estratgicaProcesso de ao gerencialsistemtica e contnua quevisa assegurar a instituio(1) Senso de direo econtinuidade a longo prazo(2) Flexibilidade e agilidadeno dia a dia Foca o potencial futuro da organizaoDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 3. No diz respeito s decises futuras,mas s implicaes futuras dedecises presentesProcesso sistemtico e constante detomada de decises, cujos efeitos econsequncias devero ocorrer nosfuturos perodos de tempoDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 4. Aes inter-relacionadas einterdependentes, visam ao alcancede objetivos estabelecidosTais objetivos devem ser viveis,com base na validade das hiptesesem que se apoiam Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 5. Ciclo Formulao eAmbiente Ajustes poltico Diretrizes eAmbienteobjetivoseconmicoEstratgiaAmbienteAmbiente corporativaorganizacional social Estratgia de Ambientenegcios Contextocompetitivo tecnolgicoEstratgiasAmbiente Macrofuncionais cultural ambiente ImplementaoAnlise ee controlemonitoramentoDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 6. A anlise estratgica Anlise doAnlise doambiente externoambiente internoDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 7. Anlise do ambiente externo Demogrficos Econmicos TecnolgicosMacroPolticos ambienteLegais Sociais Culturais Etc MicroSetor eambiente concorrncia Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 8. Anlise do ambiente externoMacro ambienteA construo da percepo doambiente externo organizao,a mdio e longo prazo, visando aantecipar oportunidades eameaas, face misso e aosobjetivos estratgicos Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 9. Anlise do ambiente externoMacro ambiente AMEAA DE NOVOS ENTRANTESNOVOSENTRANTES COMPETIO NO SETOR FORNECEDORES CLIENTES PODER DEINTENSIDADE DA RIVALIDADEPODER DE BARGANHA DOSBARGANHA FORNECEDORES DOS CLIENTES SUBSTITUTOS AMEAA DOS SUBSTITUTOS Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 10. Anlise do ambiente externoMacro ambiente- Unificar as vises de futuros,tornando explcitas e comuns aspremissas em que se baseiam asdecises estratgicas- Configurar evolues provveisdo mercado e do ambientecompetitivo da organizao- Antecipar oportunidades eameaas para a organizao Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 11. Anlise do ambiente interno- o esforo sistmico e metdicode ampliao de conhecimento doselementos da organizao- Visa a identificar foras e fraquezaspresentes na organizaoDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 12. 1) Oportunidades de Ambiente de trabalho Foco no clienteATRAO RETENO ENGAJAMENTOcrescimento naque estimula novas Desenvolvimento decarreira (2010/11)idias habilidades e 2) Salrio base Equilbrio entre a vidacapacidades durante ocompetitivo (2010/11) pessoal e profissional ltimo ano 3) Trabalho desafiador Gestores tratam as Liderana preocupada com o bem-estar dos(2010/11) pessoas com respeito funcionrios Oportunidades de Habilidade para Atribuies desafiadorasaprendizagem eequilibrar vida pessoal ee motivantes quedesenvolvimento profissional desenvolvem habilidades Benefcios Treinamento e Investimento da empresacompetitivosDesenvolvimentoem inovao em produtos e servios Convenincia da Bom relacionamentolocalizao dacom chefias Aspecto interpessoal e Impacto do engajamento relacional do trabalhoempresa Agenda flexvel na retenoFonte: Towers Perrin Global Workforce Study 2008/2009 Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 13. Oportunidades e ameaas,frente s foras e fraquezasPermite: Identificar aspotencialidades de atuao ofensivada organizao Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 14. Oportunidades e ameaas,frente s foras e fraquezasPermite: Sua capacidade defensiva Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 15. Oportunidades e ameaas,frente s foras e fraquezasPermite:A restrio de atuao ofensiva Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 16. Oportunidades e ameaas,frente s foras e fraquezasPermite:A vulnerabilidadeou problemasDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 17. Oportunidades e ameaas,frente s foras e fraquezasPermite:As ameaas organizao Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 18. Matriz de anlise estratgica (SWOT)Alavanca RestrioDefesas Problema /Vulnerabilidade Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 19. Matriz de anlise estratgica (SWOT)AlavancaRestrio Quando uma oportunidade do ambiente encontra um conjunto de pontos fortes na empresa, que podem ajud-la a tirar o mximo de proveito da situaoDefesasProblema / VulnerabilidadeDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 20. Matriz de anlise estratgica (SWOT)Alavanca Restrio Quando uma oportunidade no pode ser aproveitada pela empresa, devido aos seus pontos fracosDefesas Problema /Vulnerabilidade Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 21. Matriz de anlise estratgica (SWOT)Alavanca RestrioDefesas Problema /VulnerabilidadeQuando uma ameaa doambiente torna a empresa aindamais vulnervel, devido aos seuspontos fracos Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 22. Matriz de anlise estratgica (SWOT) Alavanca Restrio Defesas Problema / VulnerabilidadeQuando existe uma ameaa vista, mas a empresa possuipontos fortes que possamameniz-laDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 23. Matriz de anlise estratgica (SWOT) AlavancaRestrioQuando uma oportunidade do Quando uma oportunidadeambiente encontra um conjunto de no pode ser aproveitada pelapontos fortes na empresa, que empresa, devido aos seuspodem ajud-la a tirar o mximo pontos fracosde proveito da situao DefesasProblema /VulnerabilidadeQuando existe uma ameaa Quando uma ameaa dovista, mas a empresa possui ambiente torna a empresa aindapontos fortes que possammais vulnervel, devido aos seusameniz-lapontos fracos Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 24. S.W.O.T. - Interpretao Alta 10 Empresas fortes comEmpresas frgeis, maspotencial de continuao de com potencial desucesso recuperaoOportunidades / AmeaasCapacidade de aes ofensivas / Restries / Necessidade deAlavancadorasaes de melhoria5Empresas frgeisEmpresas fortes que secondenadas a desaparecer encontram com ameaas Capacidade de aes Vulnerabilidades / Necessidade defensivasimediata de aes de melhoria0 510BaixaForas / Fraquezas AltaDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 25. a) Programa de objetivos o conjunto de resultadosdesejados, que precisamconcretizar-se no horizontedo plano estratgicob) Conjunto de macroaesExpressa como os objetivossero atingidos dentro doslimites estabelecidos pelapoltica da organizao epelas escolhas estratgicasDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 26. c) Projetos estratgicosSo iniciativas especficas comincio, meio e fim previstos nohorizonte temporal do planoestratgicod) Indicadores de desempenhoSo relaes numricas queresultam de medidasquantitativas e caracterizam asituao ou o estado de umprocesso ou seu resultado -produto ou servioDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 27. e) Plano de metasDefine os alvos quantitativos,com prazos e valoresf) Planos de aesAuxiliam a estabelecer perodosde tempo para observao eacompanhamento dasatividades e os resultadosrequeridos para implementaruma soluoDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 28. g) Oramento estratgico a identificao,dimensionamento ealocao de recursoshumanos, fsicos efinanceiros, tendo emvista a realizao doplano estratgico Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 29. Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 30. Treinamentoe DesenvolvimentoAvaliao deRecrutamentoeDesempenho SeleoCompetncias GerenciamentoSistemasCompetnciasEstratgiaOrganizacionais Humanas: organizacionais Remuneraodas MudanasEstratgiaIntegradoComunicao Criatividade Por competncias organizacionaisCompetitivas Desenvolvimento Proatividade Orientao paragenricas-Diferenciao desenvolvemdedesenvolvem de novos servios e viabilizadas Raciocnio o cliente Gesto ao leitor porcadernos lgico- Liderana em custoEficincia Inovao- Enfoque Capacidade e Iniciativa Operacional Velocidade para Agilidade Inovao gerar Concatenaoconhecimento RH e BSC de idias Gesto do capitalintelectual Exemplo: Folha de So PauloAprendizagem Desenvolvimentoorganizacional de competncias Pg. 37 a 55 Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 31. Captulo 3Um modelo estratgicoda gesto de pessoas Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 32. - Aplicar planos estratgicos- Dar suporte competitividade empresarial num mundo de negcios hipercompetitivo- Dar suporte competitividade empresarial num mundo de negcios hipercompetitivo- Capacitar-se para atuar na empresa virtualDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 33. - Criar clima propcio negociao- Assegurar maior visibilidade e transparncia- Desenvolver a capacidade de pesquisa na rea da gesto de pessoasDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 34. - nfase na interao com a ambincia externa e interna da empresa- Alinhamento da gesto de pessoas estratgia corporativa, s estratgias competitivas das unidades de negcios e s estratgias funcionais- Compatibilidade com a realidade da empresa Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 35. - Atuao orientada para o suporte competitividade empresarial- nfase na gesto de mudanas- nfase em uma cultura estratgica- Integrao de suas estratgias e planos de ao satisfao dos clientes externos e internos- Avaliao permanente da gesto de pessoasDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 36. A Estrutura do modeloComponenteComponenteCompetnciasPolticasessenciais ComponenteEstratgiasComponenteComponenteFunes EstruturaestratgicasDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 37. O Componente EstratgiaAlinhamento EstratgicoGesto estratgica da empresa:Gesto estratgicada gesto de pessoas Viso alinhada gesto Missoestratgica da empresa Objetivos Estratgias Viso Planos Misso Objetivos EstratgiasCenrios da gesto de pessoasem nvel internacional, IMPLEMENTAOnacional, regional e de empresaESTRATGICADaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 38. O Componente Poltico - Compreende a formulao depolticas de GP alinhadas aosvalores da organizao - Sofrem influncias dos stakeholders,alm das presses situacionais - Para um atuao efetiva, precisoque se formulem polticas maisabrangentes, flexveis e de carterorientador e integrador dos seusprocessos, normas e procedimentos Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 39. O Componente Estrutura- Relaciona-se arquitetura organizacional para a gesto estratgica de pessoas- a concepo de um esquema organizacional compatibilizado com as caractersticas da dimenso estratgicas da gesto de pessoas- A forma mais adequada a gesto compartilhada de pessoas Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 40. NOVA ARQUITETURA ORGANIZACIONAL DA GPPrincipais caractersticas- Orientada para o cliente- nfase na informao- nfase na descentralizao- Orientada para resultados- nfase na ao interdependente Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 41. NOVA ARQUITETURA ORGANIZACIONAL DA GPPrincipais caractersticas- Orientada para a atuao interdisciplinar- nfase na flexibilidade- nfase na transparncia- Concepo sistmica Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 42. NOVA ARQUITETURA ORGANIZACIONAL DA GPPrincipais caractersticas- Definio das funes crticas que a gesto de pessoas desempenha em uma abordagem estratgica- As funes estratgicas atuam de forma interdependente e complementar com as funes operacionais da gesto de pessoas Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 43. Processo socialcomplexo, quecompreende a interao defatores tangveis e Essas premissasintangveis vo nortear asformas de perceber,pensar, sentir e agirde todos em relao aos desafios internos e externosConjunto de(Schein)premissas bsicasvalidadas ao longo do tempo por umgrupoPg. 118 a 126 Livro FGV Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 44. Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 45. Foras AmbientaisCompetio globalizada,clientes, concorrentes,Necessidade daDiagnstico Implementaofornecedores, etc. mudana dadaMudanaMudana Anlise dos Definio das Utilizao daproblemas emudanasanlise de campo Foras Internasnecessidades necessrias emde foras e tticastecnologias,de ultrapassarMisso, objetivos, planos,produtos,a resistnciaproblemas e necessidades estrutura e mudana da organizaoculturaDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 46. Criao de estruturas flexveis, descentralizando, possibilitando mais adaptabilidade;disseminao de filosofias igualitrias horizontais, conferindo autonomia;gerando orientao para o desenvolvimento sistmico das pessoas no s para metas e resultados;direcionamento da deciso para os gestores locais. Cultura organizacional moderna: disseminao do conhecimento e cooperao profissional Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 47. NEGCIO DA ORGANIZAO | VISO | MISSO | COMPETNCIAS ESSENCIAIS | OBJETIVOS | ESTRATGIAS | PLANOS IDENTIFICAO DE COMPETNCIAS comunsespecficasPERFIL DE COMPETNCIAS PERFIL DE COMPETNCIASREQUERIDASBALANODISPONVEISLACUNASESTRUTURAO DE CARREIRASDESENVOLVIMENTOAVALIAONAS CARREIRAS SISTEMA DE DE COMPETNCIAS INFORMAOE RESULTADOS REMUNERAO CAPACITAODaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 48. Liderana em 10MegaoportunidadesQue novas competncias essenciais Que novas competncias essenciaisNOVA precisaremos para criar, proteger e ampliar precisamos criar para participar de nossas Unidades nos mercados atuais?mercados mais interessantes no futuro?COMPETNCIAESSENCIALDesenvolvendo Mercadosatravs CompetnciasEXISTENTEEspaos em branco Preenchimento dos espaosQuais as nossas oportunidades paraQue novos produtos ou servios podemos melhorar a posio nos mercadoscriar a partir das competncias essenciais existentes, alavancando as atuais existentes? competncias essenciais? EXISTENTE MERCADOSNOVO Pg. 52 a 55 Livro FGV Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 49. Fatores qualificadoresFatores diferenciadoresALGUNS QUESTIONAMENTOS PARA DESENVOLVER FATORES DIFERENCIADORES:Quanto influente pode ser a minha empresa ao definirnovas regras de competio? Como os clientes percebem minha empresa e meus servios?Como tangibilizar minhas competncias?Quais so os novos desejos dos clientes? Quais so as ameaas e oportunidades em meu setor?Meus profissionais compartilham minhas preocupaes e viso de futuro? Pg. 45 a 52 Livro FGV Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 50. Assegurar o desempenho pleno e eficaz do modelo, comocondio necessria para dar suporte ao cumprimento da misso empresarial. Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 51. Colaboradores Atividades Metas e Lucros equalificadossignificativas objetivos ResultadosPLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUALCasesDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 52. JOGADORES E POSIESPOSIO APOSIO BPOSIO CCARACTERSTICAS Tem impacto estratgicoImpacto estratgico indireto Pode serDETERMINANTES direto ao respaldar posiesnecessria para oEestratgicas funcionamento daMostra alta variabilidade empresa, masde desempenho entre os OU tem poucoocupantes da posio o Impacto estratgico potencial, impactoque tem potencial positivo mas exibe baixa variabilidade estratgico de desempenhoConseqncias daSria perdas deSoluo relativamente fcilSoluo fcilcontratao daoportunidade s de gerao (substituio do indivduo)pessoas erradade receitas e de custos detreinamento Cases Fonte: Harvard Business Review Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 53. Mdia de Rentabilidade sobre PL18,4%15,3% 11%.10 Melhores 150 Melhores Empresas 500 Maiores e Melhorespara Voc Trabalhar Fonte: FIA Daniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 54. 5%25% Ambiente Gesto de Pessoas Visita Voc S.A.70% Fonte: As Melhores Empresas para Voc TrabalharDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected] 55. 1. Identificao dos funcionrios com a empresa2. Os funcionrios esto satisfeitos e motivados 3. Os funcionrios acreditam em seu desenvolvimento4.Os funcionrios aprovam seus lderesDaniel Kroeff de Araujo Corra - [email protected]