Historiografia e história da historiografia: alguns apontamentos

Click here to load reader

  • date post

    07-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    240
  • download

    8

Embed Size (px)

Transcript of Historiografia e história da historiografia: alguns apontamentos

  • 1

    Historiografia e histria da historiografia: alguns apontamentos

    CECLIA SIQUEIRA CORDEIRO1

    Introduo

    Este artigo tem como objetivo refletir sobre o conceito de historiografia, bem como

    sobre a possibilidade prtica da histria da historiografia constituir-se como um campo

    autnomo do conhecimento histrico. Sobre o primeiro ponto, o conceito de historiografia

    mostra-se, primeira vista, bastante simples. Entretanto, um olhar mais crtico revela um

    termo cheio de complexidades que at o presente momento no foram solucionadas

    definitivamente. Quanto ao lugar da histria da historiografia como disciplina autnoma,

    alguns autores dentre os quais destaca-se Valdei Lopes de Arajo defendem a

    possibilidade de se pensar teoricamente a histria da historiografia como um campo autnomo

    do pensamento histrico. Mas, na prtica, isso ser possvel?

    Por ltimo, destaca-se o carter histrico da historiografia entendida aqui como um

    produto da prpria histria, repleta de historicidade e a necessidade de se compreender o

    contexto de produo das obras histricas para se realizar uma histria da historiografia que

    v alm de mera listagem de bibliografia.

    Definindo Historiografia

    Historiografia2, em sua concepo mais corrente, remete ao produto final do ofcio do

    historiador, podendo ainda ser entendida como conjunto de obras histricas produzidas por

    historiadores ao longo do tempo. Porm, deste conceito aparentemente simples emergem

    muitas questes que se relacionam diretamente com a polissemia da palavra histria.

    Como se sabe, a acepo moderna do conceito de histria, tal como teorizou

    Reinhart Koselleck (KOSELLECK, 2006), alude tanto ao acontecimento (Geschichte, em seu

    sentido original) e experincia passada, quanto ao relato do acontecimento (Historie). Nesta

    ltima dimenso, enquadra-se o conhecimento produzido a respeito dos acontecimentos

    passados, no qual se encaixaria a historiografia. Mas, eis as questes: como delimitar o que

    1 Mestranda do Programa de Ps-graduao em Histria da Universidade de Braslia. Bolsista de Mestrado

    CNPq. 2 Palavra de origem grega (), pode ser traduzida como grafia (escrita, -) da histria

    ().

  • 2

    e o que no conhecimento histrico? Como definir o que so obras propriamente histricas?

    Trata-se de todo o conjunto de obras que relatem aspectos do passado, ou apenas daquelas que

    so fruto do trabalho de historiadores profissionais, conforme a tradio inaugurada no sculo

    XIX da histria-disciplina3?

    No h uma resposta definitiva para nenhuma dessas perguntas, pelo menos no estgio

    atual das pesquisas em torno de um conceito de historiografia. Nas palavras do historiador

    Jurandir Malerba, parece faltar um campo de entendimento comum sobre o prprio escrito

    histrico: enfim, um conceito operacional de historiografia (MALERBA, 2006:15). H

    autores, porm, dentre eles o alemo Jrn Rsen, que possuem uma definio clara de

    historiografia: o produto do conhecimento histrico obtido racionalmente, ou seja,

    obedecendo s regras metodolgicas e de cognio da histria com pretenses de

    cientificidade (RSEN, 1995). Para ele, as formas de apresentao do conhecimento

    histrico so fundamentos da cincia histrica, ou seja, a historiografia parte integrante da

    pesquisa histrica, cujos resultados se enunciam, pois, na forma de um saber redigido

    (RSEN, 2001:46).

    Neste sentido, historiografia seria a construo narrativa dos resultados da pesquisa

    histrica, realizada a partir do controle metdico de investigao emprica e de crtica

    documental. ela que d forma e feitio histrico aos elementos empricos (objetivos) da

    pesquisa, inserindo-os na vida prtica, atribuindo-lhes sentidos e significados. O importante

    que, apesar das tentativas de dissociar objetividade e narratividade, chegando ao extremo de

    alegar a diametral oposio entre ambas4, a narratividade histrica apresenta em si mesma

    elementos de objetividade, tornando possvel caracteriz-la como um produto intelectual do

    historiador:

    Existe algo na construo narrativa chamada histria que no pode ser

    inventado, pois previamente dado e tem de ser reconhecido como tal pelos

    historiadores (...) a interpretao histrica no pode ir alm dos contornos da

    experincia quando tenha por inteno enunciar o que ocorreu no passado

    (RSEN, 2001:94).

    3 Entende-se por histria-disciplina o processo de profissionalizao e autonomizao da Histria ocorrido a

    partir do sculo XIX, que tornou as universidades lugar privilegiado do fazer histria e inaugurou a tradio

    metdica, ancorada nos princpios da cientificidade e empiria. 4 Sobre a complexidade do paradigma narrativista, cf. RSEN, Jrn. Razo histrica..., op. cit., especialmente

    captulo 4 (apndice edio brasileira), e o j citado artigo Narratividade e objetividade nas cincias

    histricas, do mesmo autor.

  • 3

    O historiador Estevo Martins parece concordar com Rsen quando afirma que

    teoria da histria

    a anlise epistemolgica da histria como cincia, isto , a forma

    especializada profissional de produo de conhecimentos sobre o passado dos

    agentes racionais humanos em sociedade. Sua fonte a historiografia admitida

    como tal pelos que, por sua vez, so socialmente reconhecidos como

    integrantes de uma corporao profissional de historiadores. Essa corporao

    identificada pelos procedimentos que utiliza para tratar as fontes informativas

    com que lida, para as articular e para elaborar os discursos mediante os quais

    narra, construtivamente, o processo temporal e ativo em que os homens se

    fizeram (MARTINS, 2002:15).

    Pode-se inferir desta concepo mais formalista que historiografia refere-se

    exclusivamente s obras histricas escritas a partir de um modelo cientfico de histria,

    seguindo, portanto, regras epistemolgicas e mtodos prprios ao conhecimento histrico,

    reconhecidos como tais pelos pares (historiadores). Desta feita, possvel descaracterizar as

    obras histrias anteriores ao sculo XIX o sculo da histria-disciplina como

    historiografia?

    Sobre a definio de obras histricas como historiografia

    No faltam autores que classificam Herdoto e Tucdides como os primeiros

    historiadores de que se tm notcia. Apesar de no se enquadrarem na noo de historiadores

    profissionais tpica do sculo XIX e da histria-cincia, o prprio Leopold von Ranke tido

    por muitos como o metdico por excelncia categrico em afirmar que os dois so os

    fundadores de toda a cincia e arte histrica (RANKE, 2011:252). Tanto Herdoto quanto

    Tucdides escreveram a histria da Grcia Antiga, limitando-se ao presente ou no mximo ao

    passado recente de seu tempo, utilizando-se de testemunhos orais ou registros escritos e da

    prpria experincia como viajantes, estabelecendo, assim, um mtodo de escrita da histria

    que perdurou ao longo de sculos5. Como, ento, compreender as obras histricas por eles

    produzidas: como fonte ou como historiografia?

    De fato, a resposta suscetvel a elementos muito subjetivos, como o que o historiador

    ou a historiadora em questo entende por histria, por historiografia e tambm por

    historiador. Arnaldo Momigliano, um dos grandes estudiosos da Antiguidade Clssica,

    5 Sobre a historiografia grega e sua relao com a historiografia moderna, cf. MOMIGLIANO, Arnaldo. As

    razes clssicas da historiografia moderna. Traduo Maria Beatriz Borba Florenzano. Bauru: Edusc, 2004,

    228p.

  • 4

    parece no ter problemas em caracterizar as obras de Herdoto e Tucdides como

    historiografia grega, chegando a sistematizar um mtodo helenstico de escrita da histria6,

    do qual somos herdeiros. Segundo este autor:

    A conservao da memria do passado, o quadro cronolgico e uma

    interpretao dos acontecimentos so elementos de historiografia que so

    encontrados em muitas civilizaes [da Antiguidade] [...] O que me parece ser

    tipicamente grego a atitude crtica com relao ao registro de

    acontecimentos, isto , o desenvolvimento de mtodos crticos que nos

    permitem distinguir entre fatos e fantasias. At onde vo meus conhecimentos,

    nenhuma historiografia anterior dos gregos ou independente desta,

    desenvolveu estes mtodos crticos, e ns herdamos os mtodos gregos

    (MOMIGLIANO, 2004:54-55 apud RUIZ, 2013:176-179).

    Neste sentido, os textos histricos produzidos por Herdoto e Tucdides (dentre outros

    pensadores da Antiguidade) podem ser compreendidos como historiografia na medida em que

    relatam um acontecimento caracterizando uma Historie a partir de mtodos crticos de

    tratamento de fontes (testemunhos orais e escritos) e porque possuem pretenses de verdade e

    validade.

    O mesmo pode ser aplicado aos humanistas do sculo XVI: ao mesmo tempo em que

    florescia uma histria poltica voltada s aes dos grandes homens, com vistas a constituir

    uma histria repleta de exemplos de virtude e sabedoria (historia magistra vitae), crescia a

    importncia de uma nova cincia, a filologia, cujo mtodo de anlise era a crtica dos textos.

    Tratava-se de encontrar os manuscritos antigos para purg-los dos erros dos copistas da

    Idade Mdia (CADIOU, 2007:51). A partir da segunda metade do sculo XVI, j possvel

    verificar uma incipiente histria da civilizao ou histria nacional, cujo